O Tabernáculo

 


Adoração é um sentimento real e saltitante com Deus.
1. O porque do Tabernáculo
Desde sempre, Deus só teve um enorme e profundo desejo, porque Deus tinha também uma enorme e profunda necessidade. Deus desejava de todo o coração conviver com um outro ser para além de si mesmo. Assim veria suprida a sua necessidade que era a solidão.
Como é evidente, Deus não escolheu um “dinossauro” para ter comunhão com ele, porque este não havia sido criado à imagem e semelhança d’Ele.
Deus criou o homem a imagem e semelhança de si mesmo (à semelhança = da mesma natureza), com os mesmíssimos ingredientes dele próprio. Assim, não é Deus que é humano; nós é que somos divinos!
Temos as mesmas capacidades e necessidades que Deus tem. Deus não é assim um “tão grande bicho de sete cabeças”, Deus tem alma.
Não se choque por ver em si algumas semelhanças com Deus. Normalmente os filhos são parecidos com os pais e não com os vizinhos ao lado!
Portanto: Deus fez a primeira tentativa de conviver com o homem. Criou Adão e Eva; diz a Bíblia, em Gênesis, que Deus passeava com eles a viragem do dia, Deus tinha comunhão com eles. Eles eram transparentes para com Deus e Deus para com eles. Vestiam-se com a glória de Deus.
Como se sabe, falhou e, Deus foi fazendo várias tentativas ao longo dos tempos de arranjar uma família com quem ele pudesse viver em comunhão.
Ex.: Noé, Abraão, Moisés, …, até que veio Jesus!
Durante todo este tempo Deus manteve por suprir a sua necessidade de comunhão. Então, Deus resolveu arranjar uma forma gradual e progressiva das pessoas chegarem à sua presença e de se envolverem com ele sem que tivessem medo dele. Deus entendia perfeitamente o fato de o povo de Israel ter medo de ir à sua presença.
Este foi o cenário com o povo de Israel se defrontou para falar com Deus e Deus com eles
“Ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões, relâmpagos, e uma nuvem espessa sobre o monte; e ouviu-se um sonido de buzina mui forte, de maneira que todo o povo que estava no arraial estremeceu.
E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé do monte.
Nisso todo o monte Sinai fumegava, porque o Senhor descera sobre ele em fogo; e a fumaça subiu como a fumaça de uma fornalha, e todo o monte tremia fortemente.
E, crescendo o sonido da buzina cada vez mais, Moisés falava, e Deus lhe respondia por uma voz.” Ex. 19:16-19
2. Qual era o plano de Deus para o povo de Israel ?
“Então subiu Moisés a Deus, e do monte o Senhor o chamou, dizendo: Assim falarás à casa de Jacó, e anunciarás aos filhos de Israel: Vós tendes visto o que fiz: aos egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim. Agora, pois, se atentamente ouvirdes a minha voz e guardardes o meu pacto, então sereis a minha possessão peculiar dentre todos os povos, porque minha é toda a terra; e vós sereis para mim reino sacerdotal e nação santa. São estas as Palavras que falarás aos filhos de Israel” Ex. 19:3-6
Deus ainda não mudou de idéias no novo testamento:
“Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz”. I Pd. 2:9
3. Qual foi a reação do povo ao plano de Deus?
“Veio, pois, Moisés e, tendo convocado os anciãos do povo, expôs diante deles todas estas Palavras, que o Senhor lhe tinha ordenado. Ao que todo o povo respondeu a uma voz: Tudo o que o Senhor tem falado, faremos. E relatou Moisés ao Senhor as Palavras do povo.” Ex. 19:7-8
4. A compreensão de Deus para com o medo revelado por Israel da presença do seu Deus.
“Ora, todo o povo presenciava os trovões, e os relâmpagos, e o sonido da buzina, e o monte a fumegar; e o povo, vendo isso, estremeceu e pos-se de longe.” Ex. 20:18
Moisés encoraja o povo a não temerem a presença de Deus:
“Respondeu Moisés ao povo: Não temais, porque Deus veio para vos provar, e para que o seu temor esteja diante de vós, a fim de que não pequeis.” Ex. 20:20
5. a resistência do povo à presença de Deus
“e dissestes: Eis que o Senhor nosso Deus nos fez ver a sua glória e a sua grandeza, e ouvimos a sua voz do meio do fogo; hoje vimos que Deus fala com o homem, e este ainda continua vivo. Agora, pois, por que havemos de morrer? Este grande fogo nos consumirá; se ainda mais ouvirmos a voz do Senhor nosso Deus, morreremos. Porque, quem há de toda a carne, que tenha ouvido a voz do Deus vivente a falar do meio do fogo, como nós a ouvimos, e ainda continue vivo? Chega-te tu, e ouve tudo o que o Senhor nosso Deus falar; e tu nos dirás tudo o que ele te disser; assim o ouviremos e o cumpriremos.” Dt. 5:24-27
6- o comentário de Deus à resistência do povo em viver na presença de Deus
“Ouvindo, pois, o Senhor as vossas Palavras, quando me faláveis, disse-me: Eu ouvi as Palavras deste povo, que eles te disseram; falaram bem em tudo quanto disseram.” Dt. 5:28
Deus concordou com o que eles haviam dito a respeito da sua presença. É verdade que a presença de Deus é majestosa!
Mas, vejamos para dentro do coração de Deus: “Quem dera que eles tivessem tal coração que me temessem, e guardassem em todo o tempo todos os meus mandamentos, para que bem lhes fosse a eles, e a seus filhos para sempre!” Dt. 5:29
Deus viu logo que eles não estavam para viver diariamente na sua presença:
- Queriam amar a Deus de longe
- Por intermédio de outra pessoa
MAS QUAL ERA O CORAÇÃO DE DEUS PARA COM O POVO?
Era viver bem juntinho a ele, ajudando-o a viver no dia a dia a sua Palavra!
Deus condescendeu com a dureza do povo e manda construir o Tabernáculo
MAS, PARA QUE ERA ENTÃO O TABERNÁCULO?
1º motivo: era para que o povo vivesse na presença de Deus com devido temor a Deus para praticar a sua Palavra.
2º motivo: para que as outras nações da terra se convertessem ao Deus de Israel, vendo neles uma nação peculiarmente abençoada, próspera curada e diferente das outras pelo simples fato de o seu Deus habitar no seu meio.
“Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.” I Pd. 2:9
“Mas, se todos profetizarem, e algum incrédulo ou indouto entrar, por todos é convencido, por todos é julgado; os segredos do seu coração se tornam manifestos; e assim, prostrando-se sobre o seu rosto, adorará a Deus, declarando que Deus está verdadeiramente entre vós.” I Co. 14:24-25
A primeira preocupação de Deus logo (2 meses) após o seu povo ter deixado o Egito, foi ordenar que construíssem uma morada para si, para que pudesse andar com eles. (Ex. 24:1-2)
O povo teria agora a oportunidade de conhecer gradual e progressivamente a presença de Deus, sem que por ele fosse danificado.
Davi teve a mesma preocupação, quando foi buscar a Arca. Eles ofereceriam continuamente sacrifícios para que Deus estivesse contente com eles. No Novo Testamento Deus exorta constantemente para que em tudo e todas as circunstâncias cheguemos a Deus com ações de graças.
Ingratidão é um “vírus mortal”.
Por ordens restritas de Deus o Tabernáculo foi construído com todo o rigor e excelência.
“E me farão um santuário, para que eu habite no meio deles.” Ex. 25:8
E assim morou e comungou Deus com o seu povo.
O que isto tudo tem haver CONOSCO no Novo Testamento?
Depois de nascermos de novo, aonde é que Deus sob a pessoa do Espírito Santo habita?
“Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo.” I Co. 6:19-20
Portanto Deus vive dentro de nós! Somos a transportadora de Deus!
“Ora, se ele estivesse na terra, nem seria sacerdote, havendo já os que oferecem dons segundo a lei, os quais servem àquilo que é figura e sombra das coisas celestiais, como Moisés foi divinamente avisado, quando estava para construir o Tabernáculo; porque lhe foi dito: Olha, faze conforme o modelo que no monte se te mostrou.” Hb. 8:4-5
À semelhança do Tabernáculo de Moisés, também somos tridimensionais:
Somos um Espírito (Lugar Santíssimo)
Temos uma alma (Lugar Santo)
Vivemos dentro de um corpo (Átrios)
“Dando o Espírito Santo a entender com isso, que o caminho do santuário não está descoberto, enquanto subsiste a primeira tenda, que é uma parábola para o tempo presente, conforme a qual se oferecem tanto dons como sacrifícios que, quanto à consciência, não podem aperfeiçoar aquele que presta o culto;” Hb. 9:8-9
O Espírito Santo tornou claro com estas instruções:
“enquanto existiu a primeira tenda, não estava aberto o caminho para o lugar santíssimo. Então, a primeira tenda é apenas uma indicação ao que se tornaria realidade no nosso tempo”.
Mais uma vez, o que o Tabernáculo de Moisés tem haver comigo?
E que todo ele era suposto ser uma imagem do que viria a acontecer no verdadeiro Tabernáculo criado por Deus, e não por homens, sendo Cristo o cordeiro que nos purificaria e perdoaria toda a má consciência e nos faria aceitáveis diante de Deus.
“Pois Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, mas no próprio céu, para agora comparecer por nós perante a face de Deus;” Hb. 9:24
Qual é esse Tabernáculo? Somos nós
Então aonde é que Deus mora? Em nós
Por outras Palavras, o Espírito Santo tem um plano no Tabernáculo que não poderia ser revelado enquanto não fosse vencida a validade da primeira aliança.
Então, há um protocolo, um modelo que deverá ser seguido atualmente pelo Tabernáculo afora.
O caminho para o Lugar Santíssimo é o caminho da adoração.
O caminho para a presença de Deus é sinalizado pelas divisões do Tabernáculo e os respectivos elementos neles existentes.
ÁTRIOS – Representa o corpo do homem
LUGAR SANTO – Representa a alma do homem – (mente, vontade própria e emoções)
Lugar Santíssimo – Representa o Espírito do homem
“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.” Jo. 4:23-24
Resumo: Através da trajetória do Tabernáculo de Moisés, vê-se que o homem começa a tomar consciência do material (corpóreo) passa pelos vários elementos que compõem a sua alma e aterra no Espírito, já acompanhado pela presença de Deus no meio da adoração.
ÁTRIOS
“Entrai pelas suas portas com ação de graças, e em seus átrios com louvor; dai-lhe graças e bendizei o seu nome.” Sl. 100:4
Entrai nos átrios com gratidão – Carne
Com louvor – lugar santo – Alma
E bendizei ao Senhor – Espírito
Altar da expiação
Para entrar nos átrios tenho que saber o que é gratidão e o que Jesus fez por mim
De que “fala” esta peça do Tabernáculo?
a- Quem sou em Cristo – Filhos de Deus, santos e justos, reis e sacerdotes, mais que vencedores, servos
b- O poder do sangue de Jesus / condenação
c- Justificação
“Logo muito mais, sendo agora justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira”. Rm. 5:9
“mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus seu Filho nos purifica de todo pecado.” I Jo. 1:7
d- Graça
Então, os átrios é o lugar aonde se experimenta o verdadeiro arrependimento e se vê, que foi realmente sem merecer nada que Jesus fez tanto por nós.
Por causa da graça e do amor de Jesus o meu coração transborda de gratidão:
Tudo o que faço é por amor e gratidão a Deus, e não para pagar. Salvação não tem preço!
Pia de Bronze
- segundo objeto dos átrios
Depois de ter cisto Jesus como Salvador, vejo que Jesus é a Palavra encarnada.
“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens;” Jo. 1:1-4
a- Jesus é a Palavra
b- É a Palavra que me lava da poeira do dia-a-dia
“cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé; tendo o coração purificado da má consciência, e o corpo lavado com água limpa,” Hb. 10:22
c- A Palavra é a espada do Espírito
“Se quiserdes, e me ouvirdes, comereis o bem desta terra; mas se recusardes, e fordes rebeldes, sereis devorados à espada; pois a boca do Senhor o disse.” Is. 1:19-20
d- A Palavra é o tribunal constitucional do universo – tudo é julgado pela Palavra
“Porque a Palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.” Hb. 4:12
e- A Palavra é Espírito e Vida
“O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida.” Jo. 6:63
No dia em que tiver revelação que a Palavra é Jesus e que ela faz exatamente aquilo que ela diz que faz, terá uma alegria imensamente profunda em praticar a Palavra.
A Pia de Bronze situava-se bem perto do Lugar santo.
Ela “fala-nos” da limpidez da água (Palavra) aonde podemos ver refletidos.
Todo o “lixo” que se pega em nós durante o dia é limpo por um bom tempo de meditação na Palavra.
Não só o corpo é refrigerado como a mente é renovada.
Começa a ver-se refletida na superfície da água a forma errada de pensar.
“Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Rm. 12:1-2
Então, quando falamos da Pia de Bronze estamos a falar de:
a- Jesus é a Palavra
b- Integridade na Palavra
c- O poder da Palavra de Deus
d- Renovação do padrão de pensamento
e- A morte e a vida estão no poder da língua
“Mas que diz? A palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração; isto é, a palavra da fé, que pregamos. Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo; pois é com o coração que se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.” Rm. 10:8-10
f- Santificação progressiva
Resumo:
Os Átrios é o lugar aonde eu vejo o que Deus fez por mim.
E vejo que rigorosamente eu nada fiz!
LUGAR SANTO
O Lugar Santo é o lugar de confronto, porque Jesus já não está morto na cruz, mas ressurecto. Ele é Senhor!
Após ter sido experimentada a graça e o amor de Deus (o que Ele fez por mim), o Lugar Santo revelará o que faremos por Ele.
Mesa dos pães da proposição – Primeiro Objeto
Sacrificar a vontade própria / Manto de Louvor
Isto “fala-nos” do Senhorio de Cristo
“Quem não vier após mim, não é digno de mim”
“Quem não pegar a sua cruz e não seguir após mim, não é digno de mim”, etc…
“A minha comida é fazer a tua vontade”
Este objeto além de nos “falar” de sacrificar a vontade, “fala-nos” também de santificação plena. Nada melhor do que estar na vontade de Deus!
Tudo o que acontece aqui é sacrifício de Louvor baseado única e simplesmente na vontade própria.
Ex.: Eu quero louvar a Deus porque Ele é bom!
“Um abismo chama outro abismo ao ruído das tuas catadupas; todas as tuas ondas e vagas têm passado sobre mim.” Sl. 42:7
“Minha alma te deseja de noite; sim, o meu espírito, dentro de mim, diligentemente te busca; porque, quando os teus juízos estão na terra, os moradores do mundo aprendem justiça.” Is. 26:9
Candelabro – segundo objeto
A única luz aceitável no Lugar Santo era a luz do candelabro, assim:
A nossa mente deverá apenas ser renovada pela Palavra e iluminada pelo Espírito Santo.
“Envia a tua luz e a tua verdade, para que me guiem; levem-me elas ao teu santo monte, e à tua habitação.” Sl. 43:3
“Mas eu te oferecerei sacrifício com a voz de ação de graças; o que votei pagarei. Ao Senhor pertence a salvação.” Jn. 2:9
“Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Rm. 12:1-2
Depois do corpo ter sido apresentado em sacrifício vivo (sacrifícios de gratidão), a mente ter sido renovada pela Palavra e iluminada pelo Espírito Santo, é fácil ter a mente diante de Deus e louvar em línguas; então aí a Luz do Espírito Santo invade a nossa mente, a vontade desprende-se, a nossa mente está a ser preparada para o ato de adoração, tendo sido sujeita ao Senhorio de Cristo, revelado na rigidez e implacabilidade da Palavra.
Normalmente travam-se na mente as maiores batalhas.
Quanto mais é proclamado e exaltado o Senhorio de Cristo, mais o diabo tenta monopolizar a sua mente.
Chegue-se a Deus, resista ao diabo e ele fugirá de si e Deus chegar-se-á a si.
Persevere e vencerá! É hora de praticar
“pois as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em Deus, para demolição de fortalezas; derribando raciocínios e todo baluarte que se ergue contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência a Cristo; e estando prontos para vingar toda desobediência, quando for cumprida a vossa obediência.” II Co. 10:4-6
O Louvor e a Oração em línguas são orações úteis para o ajudarem a conseguir essa harmonia dentro de si mesmo – entre espírito, mente e boca.
“Mas que diz? A palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração; isto é, a palavra da fé, que pregamos. Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo; pois é com o coração que se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.” Rm. 10:8-10
Durante este tempo de luta na mente, o que está a acontecer é que as fortalezas na mente tem que dar lugar aos pensamentos de Deus.
Resumo:
A vontade foi vencida pelo sacrifício de louvor e a mente rende-se ao mover do Espírito Santo e todo o pensamento está a ser levado cativo. Aqui a sua mente está preparada para receber um milagre.
“Tributai ao Senhor, ó filhos dos poderosos, tributai ao Senhor glória e força. Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome; adorai o Senhor vestidos de trajes santos. A voz do Senhor ouve-se sobre as águas; o Deus da glória troveja; o Senhor está sobre as muitas águas.” Sl. 29:1-3
Altar do Incenso – terceiro objeto
Emoções (fluindo em harmonia com a mente e a vontade, sob direção do Espírito Santo)
Deus criou-nos com emoções para que sejam manifestas e liberadas na presença de Deus, como perfume do incenso sacrifical.
As suas emoções dão expressão ao Espírito Santo e esse perfume sobe ao Trono de Deus como um perfume agradável.
É o resultado do sacrifício de louvor que:
- não é só cantar um minuto
- não é louvar para obter o que eu quero
- é exatamente um processo moroso e doloroso de alinhar (conformar, moldar) a nossa alma com a presença de Deus e respectivo caráter!
“Respondeu Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho.”
Gn. 22:8 – Ele creu no que falou, por isso o louvou e Deus não o desiludiu.
“Então creram nas palavras dele e cantaram-lhe louvor.” Sl. 106:12
Portanto: nesta turbulência do Lugar Santo, saiba que:
- O Santo de Israel é consigo
- Deus não quer que se queime
- Deus não quer que se submirja
O que é que Deus quer?
Deus quer exaltá-lo e transformá-lo para que saiba a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.
“Porque eu sou o Senhor teu Deus, o Santo de Israel, o teu Salvador; por teu resgate dei o Egito, e em teu lugar a Etiópia e Seba.
Visto que foste precioso aos meus olhos, e és digno de honra e eu te amo, portanto darei homens por ti, e es povos pela tua vida.” Is. 43:3-4
“Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.
Porque pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não tenha de si mesmo mais alto conceito do que convém; mas que pense de si sobriamente, conforme a medida da fé que Deus, repartiu a cada um.” Rm. 12:1-3
Aqui nesta peça do Tabernáculo experimentamos o atual ministério de Jesus: Jesus é o nosso Sumo-Sacerdote. Ele é o representante que advoga a nossa confissão junto de Deus Pai, junto ao Trono.
Jesus leva a nossa confissão a Deus Pai e Deus Pai assina e o milagre acontece.
“Tendo, portanto, um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou os céus, retenhamos firmemente a nossa confissão.
Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.
Cheguemos-nos, pois, confiadamente ao trono da graça, para que recebamos misericórdia e achemos graça, a fim de sermos socorridos no momento oportuno.” Hb. 4:14-16
Nós oferecemos a Deus Pai o louvor por Cristo Jesus que é fruto de lábios que confessam o nome de Jesus.
Confessar significa falar o mesmo que Jesus fala.
A nossa confissão adquire realmente aqui grande poder: “não temos um sumo sacerdote que não se compadeça de nós…”
LUGAR SANTÍSSIMO
Lugar Santíssimo / Espírito do homem
Lugar Santíssimo é aonde deve estar tudo o que Deus é e tem.
(Acima de tudo nesta vida guarde a presença de Deus no seu coração)
Adoração é a rendição total do homem a Deus Pai.
Jesus abriu o caminho do véu. Levou-nos até o trono.
Adoração é a resposta à manifestação física de Deus.
Ex.: Menina que namorava por carta e acaba por se casar com o carteiro, porque o carteiro via diariamente. (Não namore com o diabo durante a semana, convivendo com o mundo e, depois queira ter comunhão íntima ao domingo com Deus!)
“Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo?
Aquele que é limpo de mãos e puro de coração; que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente.” Sl. 24:3-4
“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.” Jo. 4:23-24
Adoração não é um êxtase numa atmosfera cheia de ar e desprovida da pessoa de Deus Pai.





O altar de bronze era de 5 cúbitos quadrados x 3 cúbitos de altura.
Foi feito de madeira de cetim revestido de bronze com chifres em cada canto.

'O Altar de Bronze' (Êx 27:1-5)

Quando o Israelita se aproximava do tabernáculo com o seu sacrifício e atravessava aquele portão de entrada ele encontrava entre ele e o tabernáculo um altar com um sacerdote ao lado. O altar de forma quadrada. Sua largura e comprimento era exatamente igual à altura da cerca de linho branco ao redor do átrio com 5 cúbitos (2,25 metros). Sua altura era de 3 cúbitos (1,35 metros) e foi feito de madeira de acácia revestida com bronze com chifres em cada canto.

Ex 27:1-5 " FARÁS também o altar de madeira de acácia; cinco côvados será o comprimento, e cinco côvados a largura (será quadrado o altar), e três côvados a sua altura. E farás as suas pontas nos seus quatro cantos; as suas pontas serão do mesmo, e o cobrirás de cobre. Far-lhe-ás também os seus recipientes, para recolher a sua cinza, e as suas pás, e as suas bacias, e os seus garfos e os seus braseiros; todos os seus utensílios farás de cobre. Far-lhe-ás também um crivo de cobre em forma de rede, e farás a esta rede quatro argolas de metal nos seus quatro cantos. E as porás dentro da borda do altar para baixo, de maneira que a rede chegue até ao meio do altar."
Este era o altar no qual os sacrifícios eram feitos conforme descreve Lv.1:9, como um doce sabor para o Senhor. Era onde o sangue era derramado e o pecador era perdoado. Não importa quão boa pessoa fosse, sem o derramamento de sangue não havia nenhum perdão.
Lv 17:11 " Porque a vida da carne está no sangue; pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pelas vossas almas; porquanto é o sangue que fará expiação pela alma."
Fora do
altar de bronze não havia outro modo de se aproximar de Deus. A aliança com Yahweh, era uma aliança de sangue e então o animal inocente representava o pecador, e tomava o lugar dele no altar. É por isso que se colocava as mãos na vítima inocente, a seguir o violento corte na garganta. Uma imagem que faria sua pele se arrepiar, que trazia uma incrível consciência do pecado, e do seu salário que é a morte. Só então ele seria aceito e declarado limpo. O sangue do animal cobriria até o próprio Deus (O Cordeiro de Deus) que levaria o pecado de uma vez por todas.


O sacerdote então pegaria o sangue em uma bacia, e despejava o sangue ao pé do altar, e fazia o sacrifício, e o pecador iria para casa perdoado até o próximo pecado. Eram feitos sacrifícios ao longo do ano, mas o sacrifício anual era feito pelo
sumo sacerdote no Dia da Expiação (Yom Kippur), uma vez por ano .para expiar os pecados da nação.
Seus Sete Nomes
Êx 27:1 " Farás também o altar de madeira de acácia..."

Êx 38:30 " E dele fez as
bases da porta da tenda da congregação e o altar de bronze, e o crivo de bronze e todos os utensílios do altar."

Êx 35:16 "O altar do
holocausto (ofertas queimadas), e o crivo de bronze, os seus varais, e todos os seus pertences, a pia e a sua base,"

Êx 29:12 " Depois tomarás do sangue do
novilho, e o porás com o teu dedo sobre as pontas do altar, e todo o sangue restante derramarás à base do altar."

Lv 1:5 " Depois degolará o bezerro perante o SENHOR; e os filhos de Arão,
os sacerdotes , oferecerão o sangue, e espargirão o sangue em redor sobre o altar que está diante da porta da tenda da congregação."

Ml 1:7 " Ofereceis sobre o meu altar pão imundo, e dizeis: Em que te havemos profanado? Nisto que dizeis: A mesa do SENHOR é desprezível." (compare com Lv 21:6,22)

Mal 2:13 " Ainda fazeis isto outra vez, cobrindo o altar do SENHOR de lágrimas, com choro e com gemidos; de sorte que ele não olha mais para a oferta, nem a aceitará com prazer da vossa mão."


Altar


Um antigo altar

Hoje, enquanto a palavra portuguesa 'altar', em nossa tradução foi formado do adjetivo latino que significa 'alto' esta é uma derivação eclesiástica recente, e não tem qualquer ligação com o significado hebraico. Em hebraico a palavra está baseada em um verbo que significa 'sacrificar' e 'altar' significa 'um lugar onde o sacrifício é feito'. O que significa 'levantado'. O sacrifício era levantado, e então descia na grade de bronze pelo sacerdote onde permanecia levantado acima da terra. Também significa o sacrifício que é levantado para cima, na forma de fumaça para o Senhor. Antes do tabernáculo esses que quisessem agradar a Deus construíam um altar e invocavam o nome do SENHOR:

Gn 4:4 " E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta."

Gen 4:25-26 "E tornou Adão a conhecer a sua mulher; e ela deu à luz um filho, e chamou o seu nome Sete; porque, disse ela, Deus me deu outro filho em lugar de Abel; porquanto Caim o matou. E a Sete também nasceu um filho; e chamou o seu nome Enos; então se começou a invocar o nome do SENHOR."

Gn 8:20 " E edificou Noé um altar ao SENHOR; e tomou de todo o animal limpo e de toda a ave limpa, e ofereceu holocausto sobre o altar."

Gn 12:7 " E apareceu o SENHOR a Abrão, e disse: À tua descendência darei esta terra. E edificou ali um altar ao SENHOR, que lhe aparecera."

Gn 12:8 "E moveu-se dali para a montanha do lado oriental de Betel, e armou a sua
tenda, tendo Betel ao ocidente, e Ai ao oriente; e edificou ali um altar ao SENHOR, e invocou o nome do SENHOR."

Gn 26:25 " Então edificou ali um altar, e invocou o nome do SENHOR, e armou ali a sua tenda; e os servos de Isaque cavaram ali um poço."

Gen 33:20 " E levantou ali um altar, e chamou-lhe: Deus, o Deus de Israel."

Gn 35:2-3 Então disse Jacó à sua família, e a todos os que com ele estavam: Tirai os deuses estranhos, que há no meio de vós, e purificai-vos, e mudai as vossas vestes. E levantemo-nos, e subamos a Betel; e ali farei um altar ao Deus que me respondeu no dia da minha angústia, e que foi comigo no caminho que tenho andado. "


Seu Tamanho
Êx 27:1 "Farás também o altar de madeira de acácia; cinco côvados será o comprimento, e cinco côvados a largura "

Não é possível reproduzir o desenho do Altar de Holocausto ou altar de bronze exatamente (como era conhecido) mas uma idéia geral pode ser tirada das descrições no texto.

- Era quadrado (ilimitado)

- Era de 5 cúbitos quadrados (incapacidade humana)

- Era de 3 cúbitos de alto (Completa e total Provisão de Deus)

(Veja A Escritura e os Números)

- Observe que era o maior vaso. (o sacrifício torna o resto possível) O altar era grande bastante para conter o resto.
Sua Natureza

- Foi feito de madeira de acácia (indestrutível)

- Era coberto de bronze (juízo)

- Era da terra (não artificial)
Êx 20:24 " Um altar de terra me farás, e sobre ele sacrificarás os teus holocaustos, e as tuas ofertas pacíficas, as tuas ovelhas, e as tuas vacas; em todo o lugar, onde eu fizer celebrar a memória do meu nome, virei a ti e te abençoarei."
- Não tinha degraus (A nudez humana seria exposta) feitos pelo homem.
Ex: 20:26 " Também não subirás ao meu altar por degraus, para que a tua nudez não seja descoberta diante deles."

Seus 4 Chifres (O Poder ilimitado) (universal)
Ex 27:2 "E farás as suas pontas nos seus quatro cantos; as suas pontas serão do mesmo, e o cobrirás de cobre."



O chifre simbolizava poder.

O chifre sempre foi simbolizado como a força de um animal. Ou o poder de uma pessoa ou nação.
Sl 89:17 "Pois tu és a glória da sua força; e no teu favor será exaltado o nosso poder."

Lm 2:3 "No furor da sua ira cortou toda a força de Israel; retirou para trás a sua destra de diante do inimigo; e ardeu contra Jacó, como labareda de fogo que consome em redor."


Examinando o verso vemos nós que o altar e seus chifres eram um. Da mesma maneira o Senhor e o seu poder são inseparavelmente ligados . Não há limites para o poder de Deus quando um sacrifício é feito. Note o que também é ensinado em relação aos chifres:
Ex 29:12 "Depois tomarás do sangue do novilho, e o porás com o teu dedo sobre as pontas do altar, e todo o sangue restante derramarás à base do altar."

Havia poder ilimitado no sangue aspergido nos chifres. Também porque o sangue representa vida, e o sacrifício era um substituto, a vida de pecadores redimidos se tornaria uma com Deus. Havia uma união de sangue entre o altar, os chifres, e o pecador.


Também é vista a misericórdia de Deus aqui. É importante notar que sendo um lugar de sacrifício onde foram usados os quatro chifres para amarrar o animal para o sacrifício, também era um lugar de refúgio. Um homem que foi acusado falsamente de assassinato poderia correr lá para segurança e agarrar-se nos chifres. Se ele fosse inocente eles o protegeriam.
Êx 21:12-14 "Quem ferir alguém, de modo que este morra, certamente será morto. Porém se lhe não armou cilada, mas Deus lho entregou nas mãos, ordenar-te-ei um lugar para onde fugirá. Mas se alguém agir premeditadamente contra o seu próximo, matando-o à traição, tirá-lo-ás do meu altar, para que morra."

Um exemplo é Adonias. Temendo a ira do jovem Rei Salomão, Adonias, seu irmão mais velho, foi e agarrou-se nas pontas do altar para refugiar-se.
I Rs 1:50 "Porém Adonias temeu a Salomão; e levantou-se, e foi, e apegou-se às pontas do altar."

Outro exemplo é Joabe, por toda a sua vida, chefe de exército de Davi,:
I Rs2:28 " E chegou a notícia até Joabe (porque Joabe tinha se desviado seguindo a Adonias, ainda que não tinha se desviado seguindo a Absalão), e Joabe fugiu para o tabernáculo do SENHOR, e apegou-se às pontas do altar. "

Os sacrifícios também foram amarrados com
cordas aos chifres:
Sl 118:27 " Deus é o SENHOR que nos mostrou a luz; atai o sacrifício da festa com cordas, até às pontas do altar. "
Os Utensílios
Êx 27:3-5 " Far-lhe-ás também os seus recipientes, para recolher a sua cinza, e as suas pás, e as suas bacias, e os seus garfos e os seus braseiros; todos os seus utensílios farás de cobre. Far-lhe-ás também um crivo de cobre em forma de rede, e farás a esta rede quatro argolas de metal nos seus quatro cantos. E as porás dentro da borda do altar para baixo, de maneira que a rede chegue até ao meio do altar."

(1) as Bacias para receber as Cinzas

- Era tomado grande cuidado com as cinzas.

- Elas não eram levadas para fora do acampamento e lançadas em qualquer lugar. Mas só em um lugar limpo.

- Elas eram preciosas porque elas falavam da aceitação de Deus.


Cinzas

As Cinzas também eram um símbolo da completa destruição, e por causa disso, as pessoas sentavam-se em cinzas e lançavam cinzas em suas cabeças, ou vestiam-se a si mesmos de saco e cinzas como um sinal de pesar e lamentação, dizendo "Deus, eu não sou nada, socorra-me, por favor!".
As Cinzas também serviam para a limpeza e purificação:

Num 19:17 "Para um imundo, pois, tomarão da cinza da queima da expiação, e sobre ela colocarão água corrente num vaso."


(2) pás

- Eram usadas para tirar as cinzas do altar e colocá-las na bacia.

(3) as Bacias

- O sacerdote colocava o sangue em uma bacia e o usava isto para aspergir, e despejar
no fundo do altar.

(4) Garfos

- O garfo era um instrumento com três pontas e usado para colocar os pedaços da oferta no
altar.
1Sm 2:13 " Porquanto o costume daqueles sacerdotes com o povo era que, oferecendo alguém algum sacrifício, estando-se cozendo a carne, vinha o moço do sacerdote, com um garfo de três dentes em sua mão;"


(5)
Braseiros

- levavam o fogo (brasas) do altar no Lugar Santo para o serviço no
altar de incenso. O altar de bronze sustenta o altar de incenso.
Lv 16:12 "Tomará também o incensário cheio de brasas de fogo do altar, de diante do SENHOR, e os seus punhos cheios de incenso aromático moído, e o levará para dentro do véu

- Não havia nenhuma dúvida que os braseiros eram usados para levar o fogo na caminhada.

(6) A Grade de Bronze

- Havia uma grade de bronze que parecia estar sobre uma borda interna do altar onde os animais sacrificados eram colocados amarrado a argolas e então consumidos. Permitia que a gordura gotejasse abaixo e as cinzas caíssem abaixo.

- O sacrifício portanto estava então no altar e não nisto.

- A grade era da altura do solo como o
propiciatório. (A misericóridia e juízo são iguais):
Sl 101:1 "Cantarei a misericórdia e o juízo; a ti, SENHOR, cantarei."
Rm 11:22 " Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira também tu serás cortado."
Seu Fogo


O fogo no altar foi aceso originalmente por Deus e nunca poderia ser apagado:

Lv 9:24 " Porque o fogo saiu de diante do SENHOR, e consumiu o holocausto e a gordura, sobre o altar; o que vendo todo o povo, jubilaram e caíram sobre as suas faces."
Lv 6:12-13 " O fogo que está sobre o altar arderá nele, não se apagará; mas o sacerdote acenderá lenha nele cada manhã, e sobre ele porá em ordem o holocausto e sobre ele queimará a gordura das ofertas pacíficas. O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará. "


Fogo

(1) O fogo era o símbolo da presença do Senhor, e o instrumento do Seu poder, ou o seu modo de aprovação ou de destruição:
Êx 14:24 " E aconteceu que, na vigília daquela manhã, o SENHOR, na coluna do fogo e da nuvem, viu o campo dos egípcios; e alvoroçou o campo dos egípcios. "
Num 11:1 " E ACONTECEU que, queixou-se o povo falando o que era mal aos ouvidos do SENHOR; e ouvindo o SENHOR a sua ira se acendeu; e o fogo do SENHOR ardeu entre eles e consumiu os que estavam na última parte do arraial. "
O Senhor apareceu na sarça ardente no Monte Sinai:
Êx 3:2 "E apareceu-lhe o anjo do SENHOR em uma chama de fogo do meio duma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia."
Êx 19:18 " E todo o monte Sinai fumegava, porque o SENHOR descera sobre ele em fogo; e a sua fumaça subiu como fumaça de uma fornalha, e todo o monte tremia grandemente. "
O Senhor também se revelou no meio do fogo para muitos, como Isaías, Ezequiel, e João. Note como Ele virá em sua segunda vinda:
2 Ts 1:7-9 " E a vós, que sois atribulados, descanso conosco, quando se manifestar o Senhor Jesus desde o céu com os anjos do seu poder, como labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo; os quais, por castigo, padecerão eterna perdição, ante a face do Senhor e a glória do seu poder, "
Deus castiga o pecado com o fogo de Sua ira:
Ez 21:31 " E derramarei sobre ti a minha indignação, assoprarei contra ti o fogo do meu furor, entregar-te-ei nas mãos dos homens brutais, inventores de destruição. "

Hb 12:29 "Porque o nosso Deus é um fogo consumidor."

(2) O fogo também é figura de outras coisas na Bíblia:

- A Palavra de Deus
Jr 5:14 " Portanto assim diz o SENHOR Deus dos Exércitos: Porquanto disseste tal palavra, eis que converterei as minhas palavras na tua boca em fogo, e a este povo em lenha, eles serão consumidos. "

Jr 23:29 " Porventura a minha palavra não é como o fogo, diz o SENHOR, e como um martelo que esmiúça a pedra?"


- O Espírito Santo
Is 4:4 " Quando o Senhor lavar a imundícia das filhas de Sião, e limpar o sangue de Jerusalém, do meio dela, com o espírito de justiça, e com o espírito de ardor. "

Atos 2:3-4 " E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. "


- Anjos
Sl 104:4 " Faz dos seus anjos espíritos, dos seus ministros um fogo abrasador."

- Luxúria
Pv 6:27-28 " Porventura tomará alguém fogo no seu seio, sem que suas vestes se queimem? Ou andará alguém sobre brasas, sem que se queimem os seus pés?"

- Maldade
Is 9:18 " Porque a impiedade lavra como um fogo, ela devora as sarças e os espinheiros; e ela se ateará no emaranhado da floresta; e subirão em espessas nuvens de fumaça. "

- A Língua
Pv 16:27 " O homem ímpio cava o mal, e nos seus lábios há como que uma fogueira."
Tg 3:6 " A língua também é um fogo; como mundo de iniqüidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno."

- Os hipócritas
Is 50:11 " Eis que todos vós, que acendeis fogo, e vos cingis com faíscas, andai entre as labaredas do vosso fogo, e entre as faíscas, que acendestes. Isto vos sobrevirá da minha mão, e em tormentos jazereis."

- Perseguição
Lc 12:49-53 " Vim lançar fogo na terra; e que mais quero, se já está aceso? Importa, porém, que seja batizado com um certo batismo; e como me angustio até que venha a cumprir-se! Cuidais vós que vim trazer paz à terra? Não, vos digo, mas antes dissensão; Porque daqui em diante estarão cinco divididos numa casa: três contra dois, e dois contra três. O pai estará dividido contra o filho, e o filho contra o pai; a mãe contra a filha, e a filha contra a mãe; a sogra contra sua nora, e a nora contra sua sogra."
- Juízos
Ez 39:6 " E enviarei um fogo sobre Magogue e entre os que habitam seguros nas ilhas; e saberão que eu sou o SENHOR."

Gn 19:24 " Então o SENHOR fez chover enxofre e fogo, do SENHOR desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra; "

Is 66:24 " E sairão, e verão os cadáveres dos homens que prevaricaram contra mim; porque o seu verme nunca morrerá, nem o seu fogo se apagará; e serão um horror a toda a carne."


- Purificações
1 Co 3:12-15 " E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo."


Também não poderia haver NENHUM fogo estranho no altar
Lv 10:1-3 " E os filhos de Arão, Nadabe e Abiú, tomaram cada um o seu incensário e puseram neles fogo, e colocaram incenso sobre ele, e ofereceram fogo estranho perante o SENHOR, o que não lhes ordenara. Então saiu fogo de diante do SENHOR e os consumiu; e morreram perante o SENHOR. E disse Moisés a Arão: Isto é o que o SENHOR falou, dizendo: Serei santificado naqueles que se chegarem a mim, e serei glorificado diante de todo o povo. Porém Arão calou-se."
Suas varas


As varas eram longas barras feitas de de madeira de Acácia cobertas com bronze. Foram usadas para transportar o altar sempre que o acampamento se movia. Quando o acampamento se movia, foi coberto com pele de texugo e com um tecido

púrpura, e levado pelos sacerdotes (Coatitas). O altar sempre estava com eles, não importa para onde viajassem ou estivessem na terra prometida. Eles eram estranhos e peregrinos no deserto, mas a provisão pelo sangue sempre estava disponível.


No templo de Ezequiel que é um quadro da reino milenar em Israel, o altar não tem nenhuma vara ou argolas (Ez 43).
Seu Caráter Santo

- O Altar foi consagrado (santísssimo)
Êx 29:44 " E santificarei a tenda da congregação e o altar; também santificarei a Arão e seus filhos, para que me administrem o sacerdócio."

Êx 40:10 " Ungirás também o altar do holocausto, e todos os seus utensílios; e santificarás o altar; e o altar será santíssimo."


- O Altar foi ungido com óleo
Lv 8:10-11 " Então Moisés tomou o azeite da unção, e ungiu o tabernáculo, e tudo o que havia nele, e o santificou; E dele espargiu sete vezes sobre o altar, e ungiu o altar e todos os seus utensílios, como também a pia e a sua base, para santificá-las."

- O Altar santificava o pecador
Lv 20:7 " Portanto santificai-vos, e sede santos, pois eu sou o SENHOR vosso Deus."

Nm 4:15 " Havendo, pois, Arão e seus filhos, ao partir do arraial, acabado de cobrir o santuário, e todos os instrumentos do santuário, então os filhos de Coate virão para levá-lo; mas no santuário não tocarão para que não morram; este é o cargo dos filhos de Coate na tenda da congregação."


- No Altar só serviam os sacerdotes (os filhos de Arão)
Nm 18:2-3 " E também farás chegar contigo a teus irmãos, a tribo de Levi, a tribo de teu pai, para que se ajuntem a ti, e te sirvam; mas tu e teus filhos contigo estareis perante a tenda do testemunho. E eles cumprirão as tuas ordens e terão o encargo de toda a tenda; mas não se chegarão aos utensílios do santuário, nem ao altar, para que não morram, tanto eles como vós."

- O povo trazia as suas ofertas ao Altar
Mt 5:23-24 " Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta."

- O Altar santificava todas as ofertas
Mt 23:18-19 " E aquele que jurar pelo altar isso nada é; mas aquele que jurar pela oferta que está sobre o altar, esse é devedor. Insensatos e cegos! Pois qual é maior: a oferta, ou o altar, que santifica a oferta?"

- Nada profano ou impuro seria colocado no Altar
Lev 22:22 " O cego, ou quebrado, ou aleijado, o verrugoso, ou sarnoso, ou cheio de impigens, estes não oferecereis ao SENHOR, e deles não poreis oferta queimada ao SENHOR sobre o altar. "
Sem o altar nenhum pecador poderia ser reconciliado, nem poderia estar lá para oferecer a sua adoração a Deus. Todas as manhãs um cordeiro era oferecido no altar. Em dias de festas especiais e rituais anuais o Altar de Holocausto era o ponto central para as várias cerimônias.



Quais os animais utilizados para o sacrifício? Podemos olhar na seção As Cinco Ofertas Levíticas, mas basta dizer que os animais a serem sacrificados poderiam variar de um touro jovem para o pecado do sacerdote ou da congregação, um bode para o pecado de um príncipe, uma cabra ou cordeiro para o povo. Isto significa que o altar poderia ser usado em nome de toda a congregação de Israel ou simplesmente para suprir a necessidade do pecador que tinha achado o seu caminho pelo portão de entrada ,e tinha se aproximado com o cordeiro do sacrifício, para buscar o perdão de Deus. Ele colocava as suas mãos na cabeça da vítima inocente, para que se identificasse com ela, que estava prestes a morrer. Então ele matava o cordeiro inocente. A morte do cordeiro acontecia em lugar da morte do pecador.
Era a morte de um substituto. Aquele que não tinha pecado teve que morrer pelo pecador. O sangue do inocente teve que ser derramado para que a alma do pecador pudesse ser preservada:
Ez 18:20-22 A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai levará a iniqüidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele. Mas se o ímpio se converter de todos os pecados que cometeu, e guardar todos os meus estatutos, e proceder com retidão e justiça, certamente viverá; não morrerá. De todas as transgressões que cometeu não haverá lembrança contra ele; pela justiça que praticou viverá."


Hb 9:22 "E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão."


Naquele momento o sacerdote levava com o dedo o sangue da
oferta pelo pecado até às pontas do altar de holocausto e despejava o resto do sangue à base do altar.
Lv 4:34 " Depois o sacerdote com o seu dedo tomará do sangue da expiação do pecado, e o porá sobre as pontas do altar do holocausto; então todo o restante do seu sangue derramará na base do altar."

A gordura do animal era removida e queimada no altar.

A Expiação tinha sido realizada, e o pecado do homem fôra perdoado. O pecado tinha causado separação entre o homem e Deus. Este homem então, saía de sua tenda, e caminhava pelo arraial, rumo ao tabernáculo, entrava pela cortina multi-colorida e pelo átrio, levando a vítima expiatória e se apresentado ao sacerdote, como um homem que precisa de perdão, e então confessou o seu pecado. O próximo passo, era que ele tinha que se identificar com o seu sacrifício, pondo as mãos na cabeça do cordeiro. Ele também soube que o seu pecado não seria perdoado a menos que o sangue fosse derramado. Deus tinha sido muito claro sobre isso.

Lev 17:11 " Porque a vida da carne está no sangue; pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pelas vossas almas; porquanto é o sangue que fará expiação pela alma."

Como o sangue do cordeiro foi derramado e a sua vida se esvaiu do seu corpo, o Israelita teve o entendimento do fato que: A alma que pecar, esta morrerá. Deus tinha permitido a morte de um cordeiro substituto para que o pecador não fosse morto.

Como vimos, o Israelita exercitou a sua fé e que tendo sido obediente à maneira de Deus perdoar, o seu pecado tinha sido perdoado de fato. As últimas palavras de Deus para o povo de Israel relativo a este ritual eram estas:

Lv 4:35 "... assim o sacerdote por ele fará expiação dos seus pecados que cometeu, e ele será perdoado."

Aceitando as palavras de Deus pela fé, este homem voltou à sua tenda crendo que a separação entre ele e Deus tinha sido removida. Mas, como poderia ser removida pela vida de um animal em favor da vida de um homem, era algo que ele não pôde entender. Ele só soube que ele tinha feito o que Deus havia ordenado.

No decorrer da revelação de Deus, depois ficou claro que foram cobertos os pecados de todos os que tiveram fé no sistema expiatório, e foram definitivamente pagos pelo sangue de Cristo. Como uma dívida renegociada ano a ano (através de cheques trocados), em troca do perdão, mas que um dia precisa ser paga por completo. Como um banco, o céu, por exemplo, teve que pagar todos esses cheques. No céu (que é um banco), Cristo, o Cordeiro de Deus, pagou por completo toda a dívida. O livro de hebreu deixa isto muito claro:

Heb 10:4-10 " Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados. Por isso, entrando no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste, Mas corpo me preparaste; holocaustos e oblações pelo pecado não te agradaram. Então disse: Eis aqui venho (No princípio do livro está escrito de mim), Para fazer, ó Deus, a tua vontade. Como acima diz: Sacrifício e oferta, e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem te agradaram (os quais se oferecem segundo a lei).Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo. Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez."


Jesus morreu no altar da cruz.

Um Tipo de Cristo


O próprio Jesus sofreu o fogo de ira de Deus no altar da cruz. Jesus disse, " Ninguém toma a minha vida, mas eu de mim mesmo a dou. Ele escolheu ir para o lugar de abandono e humilhação total e se oferecer pelo pecado, o alvo de toda a ira de Deus. Os seus discípulos fugiram, e as multidões gritaram, "Crucifica-o, " a aristocracia judaica tinha escarnecido dele e O tinha desprezado, os soldados romanos riram d'Ele, o mundo inteiro meneou suas as cabeças, e para que o plano de Deus se cumprisse, Ele teve que O abandonar naquele momento. Ele foi consumido completamente, de modo que Ele poderia ganhar para Ele uma noiva, e pagar a dívida por completo. O fogo de ira de Deus tinha alcançado Jesus, e de boa vontade, de braços abertos Ele disse, "está consumado" que era um grito de vitória dos romanos em guerra. Desde o tempo de Adão, o diabo recebeu de Adão o domínio (Lc 4) por causa de Adão e da mulher, e o poder da morte entrou neste mundo, porque o salário do pecado é a morte. Quando Jesus morreu, era a morte de um Homem inocente, porque Ele nunca tinha pecado. Quando Satanás e a morte mataram a Jesus, mal sabiam que cometeram suicídio. Jesus desceu às profundezas, e legalmente tomou as chaves de morte e do hades, do diabo, e libertou aos que haviam crido n'Ele em todos os tempos. Ele morreu para que nós pudéssemos viver. No altar da cruz aconteceu uma grande troca. O inocente pelo culpado. Ele suportou nosso castigo e nós descobrimos a sua inocência e a sua retidão. Então, nós temos a retidão de Cristo pela fé. Isto era o que Deus planejou desde o princípio. Que Ele morreria para aqueles que Ele ama. Ele sofreu o que nós merecíamos sofrer.



Hb 12:2 "Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus."

Jo 1:29 " No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo."

Hb 13:10 "Temos um altar, de que não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo."

Hb 2:14 "E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo;"

I Pe 1:19 "Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado."

Hb 2:9 "Vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos."

Ef 5:2 "E andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave."

Jo 19:18-19 "Onde o crucificaram, e com ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio. E Pilatos escreveu também um título, e pô-lo em cima da cruz; e nele estava escrito: JESUS NAZARENO, O REI DOS JUDEUS."

Cl 1:20-22 "E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus. A vós também, que noutro tempo éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora contudo vos reconciliou no corpo da sua carne, pela morte, para perante ele vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis."

Rm 12:1 "ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional."






O SACERDOTE ELI.

O NASCIMENTO E INICIO DOS SERVIÇOS DE SAMUEL.

Eli era um descendente de Ithamar, o quarto e último filho de Aharon, o Sumo Sacerdote. Ele tornou-se Sumo Sacerdote (Cohen Gadol) após a morte de Pinechás, filho de Elazar, irmão mais velho de Ithamar.

Não sabemos por que Eli ascendeu ao Sumo Sacerdócio, em vez do filho de Pinechás. O último descendente da linhagem de Ithamar a ser Sumo Sacerdote foi Evyathar, neto do neto de Eli, Achituv. Evyathar foi Sumo Sacerdote durante o reinado do Rei David. No entanto, foi banido pelo Rei Shelomô por se aliar a Adoniyah, o meio-irmão mais velho de Shelomô que tentou abocanhar a sucessão ao trono.

O Sumo Sacerdócio então voltou para a linhagem de Elazar ben Aharon, na pessoa de Tzadok, o Sumo Sacerdote, e seus descendentes. Eli foi também o único naqueles dias da história de nosso povo a usar duas coroas, pois era tanto Juiz (Shofet) quanto Sumo Sacerdote. Ele se tornou juiz aos 58 anos, após a morte de Shimshon (Samson) em 2830 (ou 2831), mantendo este cargo durante quarenta anos, até sua trágica morte aos 98 anos.

Naqueles tempos o Mishcan (Santuário) ficava em Shiló, que era o centro da vida religiosa do povo. Ali era a residência de Eli, o Sumo Sacerdote, quarto na cadeia ininterrupta da Lei Oral (Messorá), começando com Moshê Rabenu e continuando com Yehoshua e Pinchas.

Era ali, no Santuário de Shiló, que Hanna, esposa do levita Elkaná, ia rezar por um filho. Ela tinha sido estéril por muitos anos. Prometeu que, se D'us a abençoasse com um filho, ela o consagraria ao serviço de D'us por toda a vida.

Eli expressou a ela seu desejo de que D'us lhe concedesse esta bênção. Dentro de um ano ela deu à luz um filho, a quem chamou Shemuel, e estava destinado a ser um grande profeta, sucessor de Eli como juiz de todo o povo judeu.

A alegria de Hanna não tinha limites. Nos primeiros anos ela o manteve em casa. Depois, fiel à sua promessa, ela o levou a Shiló e o entregou a Eli, para que este o criasse. Sob a orientação de Eli, Shemuel cresceu numa atmosfera completamente religiosa, e logo demonstrou que era um pupilo digno do mestre.

Eli era um homem bom por natureza, e amado por todos que o procuravam em busca de orientação espiritual. O jovem Shemuel era especialmente apegado a ele, seguindo fielmente suas instruções. Eli tinha mais orgulho dele que dos seus próprios dois filhos, Hofni e Pinechas que, infelizmente, não seguiram os passos do pai. Aproveitando-se de sua posição privilegiada, eles degradaram o sacerdócio aos olhos das massas, praticando suborno e corrupção. Eli repreendia os filhos, mas aparentemente isso não bastava. Fosse como fosse, eles não tentavam melhorar.
Certo dia um profeta levou a Eli uma mensagem severa de D'us. Nela, Eli era culpado pela má conduta dos filhos e foi avisado de que os seus dois filhos morreriam no mesmo dia, e o sacerdócio seria transmitido de sua casa para uma outra.

A mesma profecia logo foi repetida na primeira revelação Divina de Shemuel, que ele recebeu quando era ainda muito jovem. Uma noite, quando se deitou para descansar no Tabernáculo em Shiló, Shemuel ouviu uma voz chamando seu nome. Ele levantou-se e correu até o idoso Eli, pensando que este o chamara. Porém Eli lhe disse para voltar, pois não o tinha chamado. Isso se repetiu três vezes, e então Eli percebeu que era um chamado Divino. Disse ao rapaz que quando ouvisse a voz novamente, deveria responder: "Fala, ó Senhor, pois Teu servo está escutando."

A mensagem que Shemuel recebeu era muito triste: "Veja, Eu farei algo em Israel, que os dois ouvidos de todos que o escutarem deverão doer. Naquele dia Eu farei contra Eli as coisas que falei a respeito dessa casa… Eu castigarei esta casa para sempre, pela ofensa que ele sabia que tornaria seus filhos amaldiçoados, mas não os refreou. A iniqüidade da casa de Eli não será purgada com sacrifício nem oferenda para sempre."

Relutante, o jovem profeta relatou a Divina mensagem a Eli, e o velho respondeu humildemente: "É a vontade de D'us; que Ele faça o que Lhe parecer bom."

Shemuel cresceu repleto de fé e de coragem, fortalecido pelo espírito que D'us concedia sobre ele. O povo reconheceu nele um futuro líder. Eli, também, não tinha dúvida de que seus dois filhos não eram dignos de serem seus sucessores para levar adiante a Tradição. Eli já estava idoso e não podia exercer qualquer influência sobre eles. Sabia que seu sucessor como juiz sobre todo o povo seria Shemuel.

Durante algum tempo os judeus viveram em paz e não foram incomodados pelos filisteus no oeste. Mas então ouviu-se rumores de guerra, e novamente contra os filisteus. Em Aphek irrompeu uma batalha, e os judeus tiveram de recuar após perderem quatro mil homens. Agora os anciãos de Israel lembraram que nos dias de Yehoshua, a Arca de D'us tinha sido carregada à frente do exército e isso sempre assegurara o sucesso. Foram então a Shiló e exigiram que a Arca fosse tirada do Tabernáculo e levada a eles. Hofni e Pinechas pessoalmente acompanharam a Arca sagrada até o acampamento. Sua presença restaurou de imediato a coragem dos israelitas. Assim que a viram, eles deram um grito de guerra, tão alto que a terra tremeu.

Porém era a vontade de D'us que os filisteus triunfassem. Eles lutaram com uma coragem desesperada, e os israelitas foram derrotados novamente; desta vez trinta mil soldados foram assassinados e o restante fugiu em debandada. Hofni e Pinechas estavam entre os mortos, e a Arca da Aliança ficou nas mãos do inimigo pagão. A triste profecia sobre a calamidade que estava para se abater sobre a casa de Eli agora se desenrolava em toda a sua tragédia.

Em Shiló, Eli e o povo ali reunido esperavam ansiosos as notícias sobre a batalha. Por fim chegou correndo um enviado da Tribo de Benyamin, com as roupas rasgadas e a cabeça suja de terra. (Segundo nossos Sábios este mensageiro era Shaul, que mais tarde seria rei de Israel.) Eli estava sentado à beira do caminho quando o mensageiro entrou pelos portões da cidade; ele ouviu um clamor. "O que significa este tumulto?" perguntou o ancião, repleto de maus presságios. Sua vista precária não permitiu que visse as roupas do mensageiro e a sua cabeça coberta de terra, que contavam tudo por si mesmas. Ele então aproximou-se e lentamente deu a terrível notícia. "Estou chegando do campo de batalha" – começou ele – e estou fugindo de lá."

Eli, ansioso, interrompeu e perguntou: "O que aconteceu lá, meu filho?"

Então o mensageiro relatou todas as más notícias:

"Nosso povo fugiu dos filisteus, e houve uma grande matança entre o povo, e teus dois filhos, Hofni e Pinechas, estão mortos, e a Arca de D'us foi levada."

Quando Eli soube do destino da Arca, caiu para trás no assento, dominado pela dor, e ali morreu, aos noventa e oito anos, após ter sido juiz durante quarenta anos.

A Arca sagrada permaneceu na posse dos filisteus por sete meses. Durante esse tempo eles tinham sofrido calamidades e infortúnios que os assustaram tanto, que resolveram devolver a Arca aos israelitas. A Arca foi colocada numa carroça nova puxada por duas vacas que jamais tinham sido atreladas antes, e deixaram que fossem por elas mesmas. Os animais seguiram, tomaram a estrada reta até Bet Shemesh, e não se desviaram do caminho. Era época da colheita de trigo, e os colhedores em Bet Shemesh recepcionaram com júbilo a chegada inesperada da Arca Sagrada. De Bet Shemesh a Arca foi mais tarde levada a Kiryath Ye'arim, onde permaneceu até a época do Rei David.

Enquanto isso, o Profeta Shemuel assumiu a liderança do povo judeu. Ele trouxe um grande renascimento espiritual, fazendo anualmente uma ronda partindo de sua casa em Ramá, onde nascera, passando por Bethel, Gilgal e Mitzpá, julgando e instruindo o povo, e restaurando a paz, união e segurança a toda a nação judaica.

Postagens mais visitadas deste blog

ILLUMINATIS , QUEM SERIA O LIDER DELES NO BRASIL ?

ENTENDA MAIS SOBRE LO-DEBAR “Lo-Debar, nunca mais” (II Samuel 9: 1-13) nos links

COMO FAZER UM ESBOÇO PARA PREGAÇÃO - Aprendendo a fazer um esboço de pregação.