terça-feira, 19 de junho de 2018

Prisão do pastor Andrew Brunson pode bloquear compra de aviões americanos pela Turquia

Pastor Andrew Brunson está preso na Turquia
Pastor Andrew Brunson está preso na Turquia
O Senado dos Estados Unidos está considerando bloquear a compra de aviões militares pela Turquia devido à prisão do pastor americano Andrew Brunson.
Depois de liderar uma igreja no país por mais de 20 anos, ele foi acusado de “terrorismo” e cooperação com o golpe militar contra o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, em julho de 2016.
Parlamentares norte-americanos pretendem adicionar um suprimento ao projeto de gastos de defesa, que impediria a compra de 100 aviões F-35 pela Turquia, a menos que Brunson seja libertado.
Há também preocupações com a segurança nacional associadas à transação do F-35, de acordo com a democrata Jeanne Shaheen. “Os parceiros da OTAN (Aliança Atlântica) precisam desses F-35s para combater a atividade russa. Estaríamos entregando essa tecnologia ao Kremlin (governo russo) se concedêssemos à Turquia esses aviões”, avalia.
Ativistas de direitos humanos e políticos em todo o mundo condenaram a prisão de Brunson por parte da Turquia, incluindo 75 membros do Parlamento Europeu que assinaram uma carta aberta enviada ao presidente da Turquia.
“O pastor Andrew Brunson vive pacificamente na Turquia há 23 anos. Acreditamos que ele é um inocente preso político; portanto, pedimos que você o liberte sem demora”, dizia a carta direcionada a Erdogan.
O Centro Americano de Direito e Justiça, organização que faz lobby em nome de cristãos perseguidos no exterior, manifestou apoio ao Congresso dos EUA com a ideia de privar os aviões da Turquia.
Em nota divulgada nesta quinta-feira (14), o ACLJ destacou que é preciso infligir uma penalidade sobre a Turquia até que Brunson seja libertado. “Sem essa legislação, a Turquia está pronta para comprar cem F-35s através de uma transação que seja aprovada e facilitada pelo DOD (Departamento de Defesa dos EUA)”.
“Esse tipo de parceria faz sentido estratégico quando o país comprador está se comportando como um aliado dos EUA e ajudando ativamente no esforço global para derrotar o terrorismo. Não faz sentido quando o país comprador está se comportando com hostilidade e aprisionando esse americano inocente por razões políticas”, acrescenta a ACLJ.
Fonte: Guia-me

Assembleia Legislativa aprova classificação obrigatória em exposições

Performance onde criança interage com artista nu
Performance onde criança interage com artista nu
A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou, na semana passada, o Projeto de Lei 922/2017, de iniciativa do deputado Celso Nascimento, que institui classificação indicativa para exposições e mostras de artes visuais em São Paulo.
A proposta foi apresentada pelo parlamentar logo após a polêmica que envolveu, no ano passado, a participação de crianças na exposição do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) com a presença de um homem nu, que eram induzidas a interagir com o artista.
A iniciativa, segundo o parlamentar, tem caráter pedagógico e informativo com o propósito de garantir às pessoas e às famílias conhecimento prévio da classificação indicativa na hora de escolher mostras de artes visuais, exposições e outros eventos culturais adequados à formação das crianças e adolescentes.
“O objetivo é informar às famílias paulistas a faixa etária para qual não se recomendam as diversões culturais públicas e evitar que as crianças e o adolescentes tenham acesso a conteúdos que não são apropriados para a sua idade, como sexo e nudez, violência e drogas, bem como protegê-las de situações que possam ser danosas para sua formação física, moral e mental” disse o deputado.
“A classificação indicativa é um processo democrático e está embasada na Constituição Federal e no Estatuto da Criança e do Adolescente. A legislação atual é clara no que diz respeito à classificação indicativa para revistas, cinemas, peças de teatro, jogos, programas de televisão, entre outros”, acrescentou Celso Nascimento.
O projeto segue agora para a sanção do Governador.
Fonte: ALESP

Doente, ex-ator da Globo vai em culto e ganha vaga em novela da Record

Rodrigo Andrade, ex-ator da Globo, assina com a Record TV
Rodrigo Andrade, ex-ator da Globo, assina com a Record TV
Rodrigo Andrade, ex-galã da TV Globo, vai voltar às telinhas na pele de um importante personagem da história da Bíblia. O artista, que era um dos atores principais de “Êta Mundo Bom”, exibido em 2016 pela Globo, interpretará o apóstolo Simão na Record TV.
O ator de 34 anos tinha começado a ler a Bíblia, que ganhara de um pastor norte-americano em um momento difícil de saúde, e conversava com a mulher sobre uma passagem do livro quando o telefone tocou. Era um produtor de elenco da Record com uma proposta de trabalho.
De acordo com Rodrigo, o convite veio em um momento ideal para a sua vida. Com uma história emocionante, o ator falou que, por conta de sua religião, sua vida mudou.
“No final do ano passado, eu estava nos Estados Unidos e fiquei doente, de cama. Tive faringite, rinite, sinusite, dor de cabeça, passava muito mal. E não sarava, achei que tinha um cunho espiritual. Procurei um centro espírita, mas quando cheguei lá ele não existia, no endereço tinha uma igreja evangélica”, relata.
“O pastor foi muito legal comigo, me deu uma Bíblia e mandou ler o Evangelho de João, se eu achasse bacana. Achei interessante e logo comecei a ler os outros evangelhos. Voltei pro Brasil e estava um dia conversando com minha mulher sobre algumas passagens quando tocou o telefone com o convite da Record”, lembra.
Apesar de não se considerar evangélico ou seguidor de qualquer religião, Andrade afirma que é muito ligado a Deus e logo entendeu que não poderia deixar de fazer esse trabalho. “Estava tudo direcionando pra isso. Não deixa de ser um sinal. É um momento da minha vida em que eu já estava buscando uma espiritualidade maior, queria desacelerar um pouco, ficar em paz comigo mesmo”, conta.
O ator já começou a se preparar para o personagem, que será seu primeiro trabalho na Record. Antes de ser escalado para viver Simão, o ator chegou a pedir papel para Walcyr Carrasco em O Outro Lado do Paraíso (2017).
“Eu queria fazer um cabeleireiro gay, simples, com cenas de barraco, comédia. Liguei para ele, falei: ‘Walcyr, deixa eu fazer esse personagem’. Mas já estava com o Fábio Lago [que viveu o personagem Nicácio]”, explica.
Na Globo, Andrade fez sete novelas, a maioria escrita por Walcyr Carrasco: Caras e Bocas (2009), Gabriela (2012), Amor à Vida (2013) e Eta Mundo Bom! (2016).
Além de Simão, que deve interpretar até dezembro na Record, ele sonha em interpretar dois tipos de personagens na carreira. “Tenho muita vontade de fazer um travesti, numa história mais séria. E um esquizofrênico também. Vou fazer, nem que eu tenha que escrever uma peça, eu faço”, promete.
Fonte: Notícias da TV – UOL

NO COLO DO BIXO . Suspeito de envolvimento na tentativa de latrocínio do Cabo Garcia, é morto durante troca de tiros com a Polícia Militar em Rio Claro, SP

O indivíduo foi alvejado com cinco disparos, sendo solicitado o socorro junto ao SAMU. Na madrugada desta quinta-feira (07), um indivídu...