terça-feira, 13 de julho de 2010

PERSEGUIÇÃO

O Verdadeiro Caminho das Índias



Enquanto muitos levam ao ar exibições de brigas entre casais, desavenças familiares, traições e segredos, a Índia vem vivendo verdadeiros momentos de aflição e pavor.
Milhares de Cristãos estão sendo perseguidos e mortos no país de maioria hindu, a realidade é que não se trata de todos os indianos, mas sim de uma grande massa que tem atuado de maneira extremamente violenta contra aqueles cujo propósito é de apenas levar uma mensagem de Paz a aquela nação.

Infelizmente os grandes meios de comunicação ainda não se interessam muito por isso, muitos se preocupam mais com o que vai soar melhor na audiência, nos valores somados com publicidade, ou apenas com o prazer de ser o centro das atenções, mesmo que só por alguns minutos.

Na Índia, em um estado chamado Orissa, está acontecendo perseguições a igrejas e a cristãos!
Pelo que li isto já vem acontecendo desde o natal de 2007 e até agora 4.014 casas foram destruídas em 300 aldeias, e aproximadamente 50 mil pessoas, expulsas. Dois pastores e outros 24 líderes cristãos foram mortos. Mais de 100 templos foram incendiados. Uma freira foi estuprada e outra religiosa católica foi queimada viva em Bargarh, “município” de Orissa.

Milícias de fundamentalistas hindus da VHP - Vishaw Hind Parishat destruíram Igrejas cristãs, prontos-socorros, orfanatos, mataram pastores, queimaram pessoas vivas e expulsaram 50.000 cristãos de suas vilas e casas no distrito de Kandhamal, A ordem dos perseguidores é: Só volta para casa quem se reconverter ao hinduísmo. As autoridades indianas no momento estão ocupadas com outras coisas ditas "mais importantes". Por ventura estão esperando que o mal se alastre pelo país inteiro? A terra de Ghandi que defenestrou a Inglaterra de seu território pelo uso da não-violência e da greve de fome, agora se esquece dos ensinos do Mahatma e comete todo tipo de barbarismo.

Famílias inteiras estão se escondendo e dormindo no meio do mato. As perseguições vêm se intensificando desde o Natal de 2007. De agosto 2008 para cá, infelizmente recrudesceram. Policiais militares e até o exército indiano tentam acalmar os ânimos. Pastores estão sendo acusados mentirosamente de estupros, justamente para enlouquecer as massas contra os cristãos.

O verdadeiro “Caminho das Índias” tem sido de muita perseguição e de conflitos que estão tirando a paz do país, até então apresentado como uma nação sem muitos alardes e onde tudo é apenas motivo de tele-dramaturgia, e não se importando com a realidade de um povo que vem sendo unicamente tratado de maneira comercial.
Novelas são vendidas para vários países, e como seria bom que toda a comunidade global soubesse das tragédias que “alguns” cometem contra outros que em momento algum tiveram o intuído de prejudicar.

Massacre na Nigéria deixa 528 cristãos mortos


Pelo menos 528 agricultores de aldeias cristãs foram assassinados desde sábado em confrontos com pastores muçulmanos no centro da Nigéria, o país mais populoso da África. Em pelo menos três aldeias ao sul de Jos, capital do Estado de Plateau, homens, mulheres e bebês foram cortados a golpes de facão e tiveram seus corpos queimados.

O presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, ordenou que a polícia nigeriana ficasse em estado de alerta máximo para impedir novos ataques. O Vaticano manifestou "dor e preocupação" pela "horrível violência", mas seu porta-voz, Federico Lombardi, evitou fazer comentários de natureza étnica ou religiosa.

John Onaiyekan, arcebispo nigeriano da capital, Abuja, disse que a onda de violência é "um clássico conflito entre pastores e agricultores, só que, neste caso, os pastores são todos muçulmanos e os agricultores são todos cristãos". Segundo ele, as pessoas foram mortas "por reivindicações sociais, não por religião".

Peter Gyang, morador da aldeia de Dogo Nahawa, a mais afetada pelos ataques, disse que os pastores "dispararam para assustar as pessoas e, em seguida, mataram todos com golpes de facão".

Segundo ele, o ataque começou às 3 horas (horário local) e durou até as 6 horas. Durante todo o período, "não foi visto nenhum policial".

O Fórum dos Cristãos do Estado de Plateau publicou um comunicado no domingo no qual acusa o Exército nigeriano de passividade diante dos ataques. "Por que os soldados não intervieram?", perguntou a ONG.

A região já estava sob toque de recolher, que durava das 18 horas às 6 horas, desde janeiro, quando 326 pessoas morreram em confrontos semelhantes nos arredores de Jos, segundo a polícia.

Grupos de direitos humanos falam, entretanto, em mais de 400 mortos nos choques do início do ano.

HORROR

"Aparentemente, a ação estava bem coordenada. Os agressores lançaram ataques de forma simultânea. Muitas casas foram queimadas", disse Shamaki Gad Peter, responsável por uma organização local de direitos humanos, que percorreu as três aldeias afetadas pela onda de violência.

Outra testemunha disse que o grupo de pastores que atacou as aldeias tinha entre 300 e 500 membros. No domingo, centenas de corpos ainda estavam jogados nas ruas, muitos deles sem mãos e pés.

Dezenas de trabalhadores humanitários, vestindo luvas brancas de borracha, trabalhavam na remoção dos corpos. Entre os mortos, há muitas crianças. Os cadáveres estão sendo enterrados em valas coletivas.

O ataque foi cometido por pastores nômades da etnia fulani, de maioria muçulmana, contra os pastores sedentários conhecidos como berom.

Uma fonte do governo citada pela agência de notícias France Presse confirmou que relatórios internos do serviço de inteligência da polícia atribuem a onda de ataques a "grupos islâmicos", que já vinham incitando a violência contra os berom.

Ontem, o comércio das cidades de Plateau estava de portas fechadas. A maioria dos moradores permaneceu em suas casas, trancados, temendo uma nova onda de ataques.

Desde 1999, pelo menos 14 mil pessoas morreram em conflitos étnicos e religiosos na Nigéria, de acordo com o International Crisis Group, com sede em Bruxelas, na Bélgica.

PERSEGUIDO E MORTO POR SER CRISTÃO



Essas fotos foram tiradas pelo fotógrafo
da Revista Life, James Nachtwey em 7
de dezembro de 1998,
num flagrante vivo da demência espiritual.

Esta é a Igreja Perseguida do nosso tempo. Esse irmão foi morto em frente
a um fotógrafo, arrancaram
sua cabeça e depois arrastaram o corpo e exibiram sua cabeça pelas
ruas de Jacarta, na Indonésia.
E quantos são mortos e não temos conhecimento?

Por favor orem pela a Igreja Perseguida no mundo.
-A servidão satânica domina milhões de pessoas
-Há falta de receptividade ao Evangelho
-Existem muitas áreas intocadas pelo Evangelho
-A liberdade religiosa, quando existe, é frágil
-Há falta de missionários, líderes, pastores e escolas de treinamento
-Os crentes precisam ser despertados para uma vida de compromisso com Deus
-Há poucos obreiros atuando nos países
-Há necessidade de tradução e envio de Bíblias para áreas remotas
-Os crentes sofrem perseguição e correm risco de morte
-A saúde e proteção dos missionários são uma necessidade constante.

Por favor orem pelos irmãos perseguidos em todo o mundo.

Um pastor foi morto a tiro hoje numa igreja de Maryville, no estado norte-americano do Illinois, perante cerca de 150 fiéis ...

O pastor, Fred Winters, foi morto por um atirador que entrou na igreja, a First Baptist Church, dirigiu-se ao altar e disparou três vezes, antes de a arma encravar , relata a CNN.

A seguir, o autor dos disparos puxou de uma faca que apontou contra si próprio, com a qual acabaria por se ferir, bem como a dois dos fiéis que o tentaram segurar, relatou um porta-voz da polícia do Illinois, Ralph Timmins.

O agressor encontra-se em estado grave e os outros feridos estão livres de perigo, embora um deles tenha sido submetido a uma operação cirúrgica, disse um porta-voz do Hospital da Universidade de Saint Louis.

As balas atingiram a Bíblia do pastor Winters, relatou uma testemunha, citada por aquela estação norte-americana. “Pareciam confetti”, disse Claudia Bohley. “As pessoas estavam de joelhos e no chão, a berrar e a orar”, acrescentou.

Ainda segundo a CNN, este será o primeiro tiroteio numa igreja nos Estados Unidos desde Julho, quando duas pessoas morreram e seis ficaram feridas num serviço religioso da Igreja Unitária Universal do Vale do Tennessee, em Knoxville. O autor dos disparos, Jim Adkinson, disse então à polícia ter atacado a igreja por discordar dos "ensinamentos liberais" que ali eram ministrados.

Na prisão, goleiro Bruno pede visita de Pastor


Durante a ExpoBetim Cristã, que terminou neste domingo, o pastor Jorge Linhares, da Igreja Batista Getsemani, durante sua pregação no dia 10, lembrou que Bruno fugiu do batismo em sua igreja diversas vezes. O conferencista disse que Bruno pediu uma visita do líder agora que está preso.


Assim que subiu ao palco o autor ministrou sobre oportunidades e relembrou do caso do ex-goleiro que acusado de matar a ex-namorada Eliza Samudio. Linhares disse que quando Bruno era pequeno, o via na Igreja e na época, o jogador mineiro era uma criança inocente. “Certo dia, Bruno me apareceu na Igreja com o cabelo pintado de vermelho com amarelo, e foi lá me cumprimentar. Eu disse: Pra que isso Bruno? Ele me respondeu: Sabe como é pastor, as meninas hoje em dia. Mesmo assim eu insisti e disse: Ei, Bruno vamos batizar, olhe só, todos os seus amigos indo e só você vai ficar aqui? E ele mais uma vez me dizia: Não pastor, deixa para próxima. E assim foi durante muito tempo”, expressou.

Jorge Linhares disse que a última vez que viu Bruno foi no Rio de Janeiro quando ele e outros jogadores participavam de uma festa com muita bebida. “Eu olhei para ele e disse: Bruno, na vida existem poucas oportunidades, aproveite enquanto há tempo”, citou.

O pastor terminou afirmando que os delegados o procuraram falando que Bruno está pedindo uma visita e que quando for autorizado assim fará. “Não pense que eu vou abandoná-lo. Assim que eu for autorizado eu vou lá, sabe por quê? Deus odeia o pecado, mas ama o pecador”, encerrou.