quarta-feira, 23 de novembro de 2011

MEDITAÇÃO DO DIA

Preparados ou Não

Se Ele vier de repente, que não os encontre dormindo! Marcos 13:36


Uma moça, com vista a um candidato ao namoro, marcou com ele o primeiro jantar. Chegou até a fazer reservas num restaurante em que havia música ao vivo. Querendo causar a melhor impressão possível, tirou a tarde livre para ir ao cabeleireiro e à manicure. Ao voltar para casa, arrumou-se, maquiou-se e pôs o melhor vestido. Enfim, estava pronta para a chegada do namorado em perspectiva. Suas apreensões iam e vinham. Mas continuou esperando pacientemente.


Finalmente, depois de esperar mais de uma hora, ela chegou à conclusão de que ele a tinha decepcionado. Assim, tirou o vestido, desmanchou o penteado, lavou o rosto, vestiu o pijama, foi preparar alguma coisa no micro-ondas para comer e sentou-se no sofá com o cachorrinho para ver televisão.


Pouco depois, alguém bateu à porta. Era o rapaz. Ela abriu a porta e ele, olhando surpreso para ela, disse: “Eu lhe dei duas horas extras e você ainda não está preparada?”


Dentre os itens relacionados com a volta de Jesus, há dois que são repetidos com mais frequência: um que será o evento que terá lugar de maneira súbita e inesperada, e o outro, um evento com grande manifestação de poder.


Se você pergunta: “Para quando vai ser?” Respondo: “Não sei.” Você não sabe. Os anjos não sabem. Jesus, sabendo que esse seria um tema de muita especulação, disse: “Quanto ao dia e à hora ninguém sabe, [...] somente o Pai” (Mt 24:36).


Ninguém vai se levantar em algum momento e dizer: “É hoje que Ele vai voltar.” Jesus repetia: “Portanto vigiem, porque vocês não sabem em que dia virá o seu Senhor” (Mt 24:42). “Assim, vocês também precisam estar preparados, porque o Filho do homem virá numa hora em que vocês menos esperam” (Mt 24:44).


Outros textos mencionam: “Mas vocês, irmãos, não estão nas trevas, para que esse dia os surpreenda” (1Ts 5:4). “Feliz aquele que permanece vigilante” (Ap 16:15).


Vivemos em clima de antecipação. Esse conhecimento da volta de Jesus deve fazer alguma diferença na maneira pela qual vivemos. Estamos crescendo cada dia em nosso relacionamento com Cristo? Estou sendo fortalecido pela leitura da Bíblia?


“Portanto, vigiem, porque vocês não sabem quando o dono da casa voltará: se à tarde, à meia-noite, ao cantar do galo ou ao amanhecer” (Mc 13:35).

3° CONGRESSO DE AVIVAMENTO

PARA QUE CONSTITUIÇÃO DE O SUPREMO RASGA - MACONHEIROS COMEMORAM A LIBERAÇÃO DA MARCHA DA MACONHA - O MUNDO TA NO FIM MESMO

Direto do Plenário: STF confirma decisão que libera Marcha da Maconha
O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou, na tarde desta quarta-feira (23), o entendimento de que os direitos constitucionais de reunião e de livre expressão do pensamento garantem a realização das chamadas “Marchas da Maconha”. A decisão foi tomada no julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4274. As marchas são eventos que reúnem manifestantes favoráveis à descriminalização da droga.
O primeiro entendimento sobre o tema foi definido no julgamento da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 187, realizado em junho deste ano. Na ocasião, os ministros decidiram que o artigo 287 do Código Penal deve ser interpretado conforme a Constituição de forma a não impedir manifestações públicas em defesa da legalização de drogas.
Na sessão desta quarta-feira, os ministros ratificaram a decisão, dando a mesma interpretação ao artigo 33 (parágrafo 2º) da Lei 11.343/2006, a chamada Lei de Tóxicos.
De acordo com a vice-procuradora geral da República, Deborah Duprat, foram ajuizadas duas ações porque a primeira – ADPF, contestava dispositivo do Código Penal, lei anterior à Constituição Federal de 1988, e a ADI contesta artigo da chamada Lei de Tóxicos, norma posterior à Carta Magna.
Mais detalhes em instantes.
Leia mais:
15/06/2011 - STF libera “marcha da maconha”

CONTRA ATITUDES PODRE - Deputados Evangélicos se Aliam Contra Simulação de Sexo oral em Parada Gay no Acre

Os deputados evangélicos em reunião na Assembleia Legislativa concordaram nas críticas feitas contra a simulação de sexo oral feita por um dos participantes da Parada Gay do Acre, RB, realizada neste domingo, 20.
A performance foi realizada pelo cabeleleiro Carlos Duarte, 56, que disse que só fez a cena porque havia consumido muita bebida alcóolica, afirmando que esta não é a sua conduta normal.
“Admito que errei e estou envergonhado. Dizem que todo mundo tem direito a 15 minutos de fama. Tive o meu, infelizmente, mas não queria que tivesse sido da forma como aconteceu,” ponderou em entrevista à um jornalista local.
O deputado Jamyl Asfuty, DEM, foi o primeiro a se pronunciar: “quando temos órgãos masculinos sendo expostos, pessoas expondo seus seios, isso é crime. Eu não concordo com isso. Essa imagem me estarreceu. Existiram exageros premeditados - afirmou”. Ele também lamentou o uso da música “Faz um milagre em mim” durante a Parada.
“Compete ao Estado reprimir aquele tipo de manifestação. Nós temos um símbolo para nós, que é um hino, e ele foi profanado. Um dia, um líder religioso foi condenado à prisão porque chutou a imagem de uma santa. Não basta pedir perdão, tem que ser punido”, completou.
Já Astério Moreira, PRP, questionou o uso do dinheiro público na realização do evento, “o governo não pode continuar usando dinheiro público para patrocinar um evento que agride às famílias”.
O deputado Ney Amorim (PT), secretário da Assembléia, contou que nos últimos dias tem mantidos todos os dispositivos de acesso à internet distante de seus filhos, para impedir que tenham acesso ao “ato obsceno” da Parada Gay.
O deputado Gerado Pereira, líder do PT, também evangélico, ponderou que a polêmica é decorrente da atitude irresponsável de duas pessoas que participavam da manifestação e que agrediram a sociedade.
“Temos que respeitar os direitos individuais das pessoas e reconhecer que são fatos isolados. Ninguém é obrigado a ir para o céu. Ir para o céu é opcional. Mas os direitos individuais, que regem a sociedade, nos temos que garantir”.

Quatro moedas podem mudar a história do Muro das Lamentações

Moedas indicam que não foi Herodes que construiu o muro. Foto: APMoedas indicam que não foi Herodes que construiu o muro
Foto: AP

 

Arqueólogos descobriram quatro moedas do ano 17 no subsolo do Muro das Lamentações, local sagrado para o povo judeu, em Jerusalém. Segundo os cientistas, o pequeno tesouro tinham a face de um oficial romano que viveu na região 20 anos após Herodes - líder judeu que morreu em 4 a.C. - e pode mudar o que se sabe sobre a construção de um dos locais mais sagrados do planeta. As informações são da agência AP.
A descoberta pode indicar que não foi Herodes que construiu a muralha - como é aceito hoje - e sim um de seus descendentes. "A descoberta muda a maneira como vemos a construção e mostra que ela durou mais tempo do que originalmente pensávamos", diz o pesquisador Eli Shukron.
As moedas tem a face de Valerius Gratus, oficial romano que precedeu o bíblico Pôncio Pilatos como representante do império em Jerusalém, segundo Ronny Reich, da Universidade de Haifa, um dos dois arqueólogos responsáveis pelo sítio.
As moedas foram encontradas em uma casa de banho que precedeu a construção do Monte do Templo e que foi usado como suporte às muralhas, segundo os cientistas. Isso indicaria que a construção do muro nem havia começado na época da morte de Herodes.
A descoberta confirmaria a versão de Flávio Josefo, um general judeu convertido em Roma e que virou historiador. Em um documento sobre a destruição do templo pelos romanos no ano 70, ele disse que a construção havia terminado pelo rei Agrippa II, bisneto de Herodes, duas décadas antes de o complexo ser destruído.

VIA GRITOS DE ALERTA.
INF. TERRA

FARSA SATÂNICA - SOBRE A FALSA DOUTRINA DA IGREJA CRISTÃ CRECENDO EM GRAÇA

“Jesus Cristo” desembarcou no aeroporto internacional do Rio na sexta-feira de manhã, vindo de Miami, com toda a pinta de turista: chiclete na boca, óculos de sol, Rolex no pulso e corrente de ouro no pescoço. Despontou no saguão, e as 300 pessoas que haviam madrugado ali foram ao delírio. Uma bateria de escola de samba deu início à batucada, e mulatas se requebraram em sinal de boas-vindas.
Seguranças tiveram de abrir passagem. “Jesus Cristo” sorriu, deu a mão aos mais eufóricos e enxugou o suor do rosto com um lenço. Antes de entrar no carro que o levaria para um hotel cinco estrelas na Barra da Tijuca, outro êxtase: tirou o blazer e exibiu tatuado no braço um 666, o número bíblico da besta.
“Jesus Cristo” é uma das alcunhas do porto-riquenho José Luís de Jesús Miranda, de 61 anos, o criador da igreja Crescendo em Graça. A seita destoa das demais denominações evangélicas por ensinar que seu líder é a segunda encarnação de Cristo. “Até minha família pensou que eu estava ficando louco quando revelei ser Jesus Cristo homem”, afirmou Miranda, vigiado por três seguranças, em entrevista concedida ao Estado.
Pelos cálculos da própria igreja, 2 milhões de pessoas em 23 países, a maioria na América Latina, crêem fervorosamente que Cristo reencarnou em Miranda. No Brasil, a presença é relativamente pequena, com menos de 10 mil seguidores. Os pastores brasileiros sonham alto: já têm um programa de rádio e, a exemplo de outras igrejas, alimentam planos de dirigir uma emissora de TV. A empreitada mais recente foi a criação da escola de samba 666, que recepcionou o líder no aeroporto e pretende um dia ser vista na Sapucaí.
A Crescendo em Graça é praticamente desconhecida no Brasil, mas no exterior tem feito barulho. Por causa das provocações que faz aos católicos, José Luís de Jesús Miranda foi proibido de entrar em El Salvador, Honduras e Guatemala. O presidente de El Salvador disse que não aceita em seu país “um louco que diz ser o Messias”.
O líder religioso desembarcou no Brasil no feriado de Nossa Senhora Aparecida e voltaria para os EUA ontem. No fim de semana, comandou uma convenção nacional no Rio. Perto de 1,5 mil pastores e fiéis compareceram.
AO PÉ DA LETRA
A doutrina da Crescendo em Graça é simples. Miranda utiliza trechos estrategicamente selecionados da Bíblia e os interpreta ao pé da letra para argumentar que o sacrifício de Jesus Cristo, 2 mil anos atrás, acabou de vez com o diabo e o pecado.
“Não precisamos imitar o modelo de sacrifício de Jesus para sermos salvos, como mandam as religiões que se dizem cristãs. É um erro. Já estamos todos automaticamente salvos”, diz. Assassinato e roubo não são pecados, mas crimes que se coíbem “com a consciência de cada um e com as leis dos homens”.
Miranda faz da Igreja Católica seu alvo favorito. Costuma ofender o papa Bento XVI e dizer que os padres são “pedófilos de saias”. Em maio, seus seguidores no Brasil fizeram ruidosos protestos na visita de Bento XVI.
Nem os evangélicos escapam. “Se conheço a Igreja Universal do Reino de Deus? Sim, é um negócio de mentiras”, diz. “A Renascer em Cristo? Li no jornal que os líderes foram presos com dinheiro. É a mesma coisa: pregam os ensinamentos de Cristo, um falso evangelho.”
O porto-riquenho conta que decidiu abrir a igreja depois de, nos anos 70, dois anjos aparecerem num sonho e anunciarem a missão. “O Senhor me mandou para Miami”, conta ele, que buscou seu rebanho na comunidade latina. Hoje, seu maior patrimônio é a Telegracia, uma emissora internacional de TV por satélite com sede na Colômbia.
MARKETING
Com boas noções de marketing, a seita aparece com freqüência em jornais e TVs de diversos países. Recentemente, a ex-mulher de Miranda foi à CNN contar que o porto-riquenho é uma farsa. O que mais atrai os meios de comunicação é o fato de os seguidores tatuarem no corpo o número 666 - até mesmo na testa - e chamarem Miranda de “anticristo” (contrário ao modelo de Cristo). Apesar da sugestão, a Crescendo em Graça não tem nada de satânico. O brasão da igreja mostra uma águia copiada do selo dos EUA, e nele se lê: “Governo de Deus na Terra”
Miranda passa o ano visitando suas igrejas. Na semana que vem, visitará Caracas. “Ganhei até o cartão platina da empresa aérea”, diz. O dinheiro vem de doações. Pelo que se viu no evento realizado no Rio, os seguidores são, em grande parte, pobres. Mesmo assim, contribuem. Com orgulho, no sábado, um pastor entregou a “Jesus Cristo”, em nome de todos os fiéis brasileiros, uma grossa pulseira de ouro. Na entrevista ao Estado, Miranda fez questão de mostrar ao repórter um anel de ouro (“com nove diamantes”) e um Rolex (“vale uns US$ 11 mil”). “Ganhei de pessoas que se sentem felizes na Crescendo em Graça”, explicou. “Atualmente, há um empresário que quer me presentear com um avião. Imagino que vão me criticar quando o avião chegar.”
Entrevista
Por que o sr. está proibido de entrar em países da América Central?
Por causa da Igreja Católica. Os presidentes desses países fornicam com os representantes católicos.
O sr. vive no Texas, mas a sede da sua igreja fica na Flórida...
Vivo no Texas porque lá não sou conhecido. Posso sair às ruas e ir às lojas sem que as pessoas me parem para conversar ou xingar.
O sr. mantém sua raiz caribenha?
Tento. Gosto da comida e da música de Porto Rico. Sempre escuto Ricky Martin.
Jesus Cristo não deve ser adorado?
Jesus de Nazaré ou eu?
Jesus de Nazaré.
Não. Ele teve uma função, que foi destruir o diabo e tirar o pecado do mundo. Não precisamos segui-lo porque o diabo não existe mais.
A estátua do Cristo Redentor, no Rio, deveria então ser destruída?
É totalmente equivocada. As pessoas perdem tempo subindo lá.
Deveria haver uma estátua sua?
Não deveria haver nada lá em cima.
O sr. terá de morrer numa cruz?
Não é necessário. Já houve o sacrifício que tirou o pecado do mundo.
Se fosse necessário, morreria?
Dou minha vida por isso. Sempre recebo ameaças de morte.
Um terceiro Cristo poderia vir?
Não virá. Se estou fazendo o trabalho, para que esperar outro?Sua família o entende?
Dos 5 filhos, 2 estão no ministério. Os demais ainda estão se convencendo das evidências. Minha primeira mulher não entendeu.
sr. gostaria de dizer algo mais?
Tento convencer todas as pessoas que conheço. Por isso, eu o convido a estudar (minha doutrina). Posso dizer que você é um abençoado, um predestinado e que há um espírito perfeito oculto dentro de você.
 
VIA GRITOS DE ALERTA
Fonte: O Estado de S.Paulo
Colaboração: Ricardo Costa

666 Crescendo em Graça: A Farsa do Anticristo

 



O porto-riquenho José Luis de Jesus Miranda, 61 anos, líder da Igreja Crescendo em Graça, com filiais em todo o mundo, faz referência a si mesmo como "Jesus Cristo Homem”, tatuou no braço a marca 666 e já tem discípulos em todo o mundo. A seita demoníaca tem revelado que o apocalípse se aproxima, o número da besta já vem sendo divulgado. Doutrinas heréticas que tentam confrontar com as escrituras, mentiras que tem levado muitos ao inferno.

A doutrina da Crescendo em Graça é simples. Miranda utiliza trechos estrategicamente selecionados da Bíblia e os interpreta ao pé da letra para argumentar que o sacrifício de Jesus Cristo, dois mil anos atrás, acabou de vez com o diabo e o pecado.
"Não precisamos imitar o modelo de sacrifício de Jesus para sermos salvos, como mandam as religiões que se dizem cristãs. É um erro. Já estamos todos automaticamente salvos", diz. Assassinato e roubo não são pecados, mas crimes que se coíbem "com a consciência de cada um e com as leis dos homens".Miranda faz da Igreja Católica seu alvo favorito. Costuma ofender o papa Bento XVI e dizer que os padres são "pedófilos de saias". Em maio, seus seguidores no Brasil fizeram ruidosos protestos na visita de Bento XVI.
Agora veja esta imagem interessante de como se portam os seus seguidores, instruídos assim, por ele. A foto deixa claro que ele faz com que seus seguidores tatuem 666 em seus corpos e diz que esse número é a Revelação do "pai' para os homens.

Nem os evangélicos escapam. "Se conheço a Igreja Universal do Reino de Deus? Sim, é um negócio de mentiras", diz. "A Renascer em Cristo? Li no jornal que os líderes foram presos com dinheiro. É a mesma coisa: pregam os ensinamentos de Cristo, um falso evangelho."O porto-riquenho conta que decidiu abrir a igreja depois de, nos anos 70, dois anjos aparecerem num sonho e anunciarem a missão. "O Senhor me mandou para Miami", conta ele, que buscou seu rebanho na comunidade latina. Hoje, seu maior patrimônio é a Telegracia, uma emissora internacional de TV por satélite com sede na Colômbia.
Assista aos vídeos e fique pasmo!

 
 
 
 
VIA GRITOS DE ALERTA
Inf.  http://thiagonuneskate.multiply.com//http://batalha-espiritual.blogspot.com

O QUE A IGREJA PRECISA ? NOVA REFORMA OU RESTAURAÇÃO?

NOVA REFORMA OU RESTAURAÇÃO? A IGREJA VOLTANDO ÀS SUAS RAÍZES BÍBLICAS E APOSTÓLICAS

Eu estou plenamente convencido de que a Igreja Evangélica não precisa de uma nova reforma, como muitos querem e defendem esta emergente necessidade. Mas, a cada dia que conheço mais a Palavra, a Bíblia, me deparo com quase uma outra igreja que existiu há 2000 anos, a Igreja de Atos dos apóstolos, a igreja do primeiro século, estabelecida nos ensinamentos da Torá, dos profetas, de Yeshua e de seus apóstolos.
Quando um avião sai da rota, um piloto experiente sabe que ele correrá um grande risco de errar completamente o destino ao tentar corrigir sua proa na posição que ele pressupõe estar. A instrução recebida neste caso é que ele faça uma guinada de 180º graus para se alinhar ao sinal de rádio que seu aparelho recebe do lugar de origem e com base nesta posição de origem, ele novamente toma a direção do seu destino. Ou seja, ele precisa tomar a direção de origem para novamente tomar a proa correta do seu destino. O mesmo precisa acontecer com a Igreja de Jesus. Ao se perceber algo errado na direção doutrinária, seus líderes deveriam voltar à origem, a Bíblia, e determinar ou interpretar corretamente seus santos princípios, corrigindo seus desvios. O que normalmente acontece é re-interpretar o que disseram os pais da igreja e fundadores de denominações, sem necessariamente comparar suas opiniões com a santa palavra de Deus.
Neste contexto, a restauração vem com a proposta de continuar os princípios da reforma, porém, aprimorando-os, corrigindo-os e complementando-os com elementos bíblicos e apostólicos esquecidos e desprezados no séc. XVI. A restauração não anula a reforma, mas APRIMORA-A. A restauração é o desenvolvimento inevitável e natural dos ideais reformistas, pois viabiliza de forma verdadeira e corrigida uma de suas principais premissas: “sola scriptura” – A autoridade para as nossas vidas está APENAS nas ESCRITURAS (no contexto original e correto das mesmas).

O termo “restaurar” fala por si mesmo e difere muito do termo “reformar”. O ato de reformar alguma coisa, como um sofá, por exemplo, dá a liberdade ao dono de colocar um novo tecido não necessariamente igual ao original. Se o original era couro, a pessoa tem a liberdade de trocá-lo por outro diferente, por exemplo, por um tecido plastificado, um courvin. Já no caso de restaurar algo, essa liberdade de escolha não existe, pois se trata de uma restauração, ou seja, é necessário usar o material original, sem nenhuma variação na textura, cor, densidade, etc. Portanto, o restaurar é fazer voltar ao estado de origem. Na língua hebraica o termo “TIKKUN” tem este sentido de retornar à origem, restaurar e consertar sem desvios do modelo original. O termo “TESHUVÁ” também pode ser usado, sendo traduzido por arrependimento, mudança ou conserto de direção.
A igreja tem sido reformada desde quando saiu do controle de Roma. Foi um bom tempo, creio! Mas agora se percebe uma necessidade urgente de mudança. Há muitos desvios, muitas divisões entre seus membros que se dizem pertencer ao mesmo Corpo de Cristo. São tantas as doutrinas, são tantas opiniões diferentes que se torna impossível unir esses irmãos novamente num só propósito e direção. Há um ditado judaico que diz que onde há três judeus, há quatro opiniões. Mas, eles continuam judeus e cooperam uns com os outros em função de uma causa maior, a preservação do judaísmo e de suas raízes. No meio evangélico vejo que onde há três evangélicos, há três completas diferentes denominações competindo entre si, tentando até mesmo a destruição uma da outra. Não são amigos, tornam-se inimigos por causa de dogmas. Uns se tornam inquisidores dos outros, estabelecendo seu padrão da única e soberana verdade. O que tenho visto é muitos hereges combatendo outros hereges. Teólogos de si mesmos, tentando acusar, difamar e caluniar irmãos do mesmo chamado Corpo de Cristo. É um caos e suas atitudes os condenarão, serão vítimas de seus próprios erros.
Eu tenho dito há muitos anos que aquilo que nos une como membros do mesmo Corpo precisariam falar mais alto do que nossas diferenças e interpretações doutrinárias. Se o que nos une é o Sangue de Cristo, o novo-nascimento Nele, nossa mudança de vida, nossa fé num só Deus, num só messias, numa só Bíblia, isto precisaria falar mais alto do que nossas diferenças. Ou seja, eu creio que Deus quer nossa unidade, mesmo que haja diversidades de opiniões. Isto não é ser ecumênico, isto não é deixar nossa liberdade de interpretação. Pelo contrário, deveríamos nos amar mais, servir mais uns aos outros e discutir menos os aspectos doutrinários e interpretativos. Afinal, revelações são para ser vividas e não para ser discutidas, pois a espiritualidade é individual e há níveis diferentes para o viver por fé, segundo a fé de cada um. Maturidade espiritual não vem de modo igual para todos. Deus trabalha com nossa individualidade. Ele nos vê como seres autênticos à Sua imagem e Semelhança e não como robôs evangélicos.
Urge que a Igreja ande e viva os princípios bíblicos vividos e proclamados pelos profetas, Yeshua e Seus apóstolos. Queremos ser restaurados rumo à igreja do primeiro século. Isto não é voltar ao primitivismo das coisas, mas sim resgatar princípios e instruções santas, eternas e imutáveis dadas pelo Espírito Santo de Deus. Portanto, marchemos rumo à igreja do primeiro século, restaurando nossas raízes da fé. É hora de reconstruir uma igreja santa, pura, sem mácula e sem defeito, cheia de poder, unção e união. Há uma redenção total por vir, há um reino por vir, há um messias que reinará com Seus eleitos sobre as nações.
Não é fácil mudar conceitos. Imagino como Lutero sofreu com aqueles padres religiosos e zelosos com toda a tradição e fidelidade à sua ordem religiosa. Creio que é necessário um momento de reflexão, de coragem, e muita disposição para pagar um alto preço pela verdade. Lutero pagou um preço caro com sua própria ex-comunhão da Igreja Católica. Muita coisa mudou, mas será que a reformar cumpriu seu papel cabalmente? Será que temos algo ainda a mudar? Será que já alcançamos uma estatura de fé e maturidade aos padrões de Cristo?

Nosso Deus é bom e eu já percebi que Ele gosta, na maioria das vezes, de trabalhar com lógica e no tempo determinado. Tudo precisa estar no Seu tempo. Ele também nos trata assim: devagar! A verdade é que nós não estamos preparados para uma mudança radical, corrigindo nossos próprios erros. Confesso que não sei o que acontecerá, mas sinto uma força dentro de mim que me impulsiona para frente, para ver e gerar uma Igreja pura, santa e sem defeito, sem ruga (Ef 5:27) e sem mácula, pois a ´noiva´ Dele é nova. Esta é uma grande revelação que recebi do Senhor. A noiva é nova, pois ela não tem “rugas”. Isto me mostra que esta igreja que está aí liderada por santos homens de Deus precisará também passar por mudanças radicais. A Reforma não foi suficientemente eficaz para produzir uma noiva à altura (em fé e maturidade) do nosso noivo judeu, Jesus, o Yeshua Há Mashiach. Poucas pessoas atentam para isto. Jesus, como judeu, procura uma noiva entre judeus e gentios, mas ambos crentes no coração e no contexto judaico da fé.[1] O movimento judaico messiânico autêntico tem dado uma pequena contribuição para esta conexão Igreja e Israel. Por outro lado, vemos a Igreja muitas vezes distante de suas raízes e propósitos. Há sem dúvidas, muitas coisas para serem mudadas tanto na Igreja como em Israel. Confesso que não avocarei para mim nenhuma responsabilidade de como mudar, dando fórmulas, ou dogmas, bulas, etc. Os pais da Igreja e da Reforma já fizeram isto e acabaram cometendo erros. Lutero, se estivesse vivo, estaria vendo a igreja Católica se esforçando por grandes mudanças para voltar e se moldar à Palavra. Os evangélicos que teriam, ao meu ver, grandes revelações, estão muitas vezes entretecidos com o evangelho da prosperidade e bens materiais, encantados com o relativismo e o poder da política. Oremos para que Deus levante homens profetas em nossos dias. Homens que falam por Ele e não o que descobriram ou sabem Dele. Oremos para que Deus levante verdadeiros evangelistas, mestres, pastores e apóstolos também, mas, sobretudo, profetas corajosos. Teremos que enfrentar principados e potestades jamais vistos nos tempos finais. E para isto estes homens terão que estar certíssimos de seu chamado divino, capacitados, disciplinados, destemidos para a guerra.
O que poderíamos fazer neste momento?

1- Primeiro, é necessário assumir uma atitude sincera e honesta em relação às fraquezas e imperfeições que os líderes da Igreja provocaram na comunidade, quando se afastaram de muitos princípios bíblicos vividos e promulgados por Yeshua e pelos apóstolos no primeiro século;

2- Segundo, deve-se reconhecer também que houve um distanciamento do contexto judaico do Novo Testamento e que uma grande gama de costumes e tradições pagãs infiltraram na doutrina cristã;

3- Terceiro, estar convencido que é necessário começar um processo de mudança, voltando à origem e tomando os pontos falhos ou esquecidos pela Reforma;

4- A Igreja de Yeshua deve se arrepender nos pontos em que se desvirtuou, revendo sua doutrina e sua teologia, tendo como único padrão, a Bíblia, interpretada no contexto na qual foi escrita;

5- Deve-se ter a humildade de aceitar e reconhecer o que o Espírito Santo tem feito e que ainda fará no Corpo de Cristo;

6- Precisamos rever e reler o Novo Testamento no contexto judaico no qual ele foi escrito. Não se trata de judaizar a igreja. “Haz vê Halila”![2], mas precisamos conhecer alguns textos no contexto original que mal interpretados fizeram com que a Igreja se separasse de Israel e de seu povo;
7- Precisamos voltar a estudar e entender os princípios da Torá e dos profetas e aplicá-los em nossas vidas para testemunho no caminhar pela fé. Há hoje um entendimento errôneo da Graça e da Lei de Deus. Hoje a Igreja tem perdido bênçãos e muitas bênçãos por desconhecer a conexão entre a graça e as instruções de Deus, a Torá.

8- Ser pacientes e tolerantes com aqueles que virão em resistência.
9- A Restauração está disponível para todos, mas isto não significa que todos da Reforma optarão por ela. Da mesma forma que a mensagem da Reforma está disponível a todos, mas a grande maioria dos católicos ainda não se atentou para ela nesses últimos 500 anos.
10- Oremos para que o movimento da Restauração não venha acompanhada de um novo cisma no Corpo de Cristo.

Por onde começar a Restauração?

O Ministério Ensinando de Sião-Brasil não tem nenhuma “fórmula” ou “know-how” para rotular o que seria restauração e, tão pouco, temos essa intenção. Nosso propósito é chamar atenção do Corpo de Cristo para a necessidade de voltarmos só para a Bíblia. Portanto, os pontos sugeridos abaixo são meras observações de cunho e experiência pessoal como já disse, não representando assim, nenhum ponto exclusivo, doutrinário ou teológico do movimento messiânico, o qual também necessita de restauração;
Nossa proposta de restauração abrange primeiramente o indivíduo como membro do Corpo de Cristo. Cremos que um indivíduo restaurado gerará uma família restaurada e um conjunto de famílias restauradas produzirá, conseqüentemente, uma igreja restaurada igreja.
Estamos num processo de oração e de busca por uma igreja santa, puramente santa e isto tem sido nosso pilar central. Temos um ‘noivo’ padrão, Yeshua, e queremos segui-lo. Portanto, não se trata de levar a Igreja gentílica a nenhum tipo de judaísmo ou tradições judaizantes. Mas, não podemos nos esquecer que nosso noivo viveu como judeu zeloso com seus princípios e tradições e que Ele não perdeu Sua identidade.

a)A restauração do Indivíduo: A restauração da alma do indivíduo é um tema bem conhecido por todos e por isso, dispensamos comentários. Crentes precisam valer-se da restauração para se livrarem da solidão, depressão, ansiedade e de outras doenças do mundo psíquico. Preocupam-se muito com a cura do corpo, enquanto muitas das causas das enfermidades estão na alma do homem. Rei Davi disse: “A Torá é perfeita e restaura a alma.”[3]

b) A Restauração da Família: O mover do Espírito Santo de Deus tem nos levado a isto. Logo depois ao movimento da cura interior, mais ou menos há 25 anos, a igreja engendrou muitos seminários e encontros para casais. O movimento “Casados para sempre” é um bom exemplo disso. Encontro nos lares também tem contribuído até hoje para que toda a família cumpra o propósito de Deus, vivendo em harmonia e estabilidade no plano divino. É a extensão da Igreja nas casas. Nossa família ainda é nossa primeira igreja. Precisamos fazer disso uma realidade em nosso meio.

c) A Restauração da Igreja: Esta tem sido agora a ênfase do momento e nosso ministério se sente chamado para ajudar nessa necessidade. Percebemos também que no mundo todo estão surgindo ministérios específicos de ensino mais do que em todos os tempos até então. É de novo o Espírito Santo de Deus agindo progressivamente, preparando sua noiva, Sua igreja. Precisamos questionar tudo o que estamos vendo, como por exemplo, devemos dividir o Corpo de Cristo em Células ou devemos deixá-lo como Corpo, porém mudando a forma de tratá-lo? Nossas comunidades e congregações devem ser menores a fim de que o presbitério fundamental de pastores, mestres, profetas, evangelistas e apóstolos possam trabalhar juntos ou em qual outro sistema devemo-nos considerar para nos livrarmos dos problemas da massificação, da falta de comunhão e unidade?

Neste tópico, Restauração da Igreja, poderíamos meditar em alguns pontos importantes, como:

1- Devemos checar com base exclusiva na Bíblia os vários dogmas advindos dos Concílios de Roma, principalmente, aqueles pós Concílio de Nicéia que separaram a Igreja da comunidade de Israel e do povo judeu e, conseqüentemente, gerando e agravando o antissemitismo e antijudaísmo hoje ainda existente no meio cristão;
2- Idem, para aqueles itens advindos dos pais da Reforma, Lutero, Zwingli, Calvino e outros. Por exemplo, as atitudes antissemitas de Lutero, o endosso à teologia da substituição, a desconexão da Igreja com Israel, etc;
3- O exagero e abuso trazidos pelos movimentos americanos da “Palavra da Fé”, como por exemplo, o exagerado e incompleto conceito de prosperidade, vida fácil para aqueles que se convertem, sucessos financeiros pela fé, mercantilismo da fé, etc;
4- Buscar no Antigo Testamento outras bênçãos além dos dízimos e prosperidade, como por exemplo, conhecer (não impor à igreja) os princípios divinos sobre qualidade de vida e inúmeros princípios éticos e sociais, relações familiares, de saúde, combate a pobreza, etc. mencionados largamente na Torá;
5- Entender no contexto judaico os princípios vividos e promulgados pelos apóstolos no primeiro século, como por exemplo, o conceito de unidade, comunhão, costumes e forma de estudar semanalmente a Palavra, (aqui entram o estudo das “Parashiot e das Haftarot” ou o Estudo da Torá e dos Profetas em porções semanais, como eram feitos na época de Jesus);
6- Eliminar de vez o comércio em nome da fé. Vendas de bênçãos, promessas, costumes pagãos que tentam materializar a fé através de objetos, líquidos e outros produtos, que levam mais a um sincretismo religioso do que um crescimento saudável e maduro do viver pela fé;
7- Combater todo tipo de competição entre irmãos e entre denominações. Por exemplo, rádios e TVs evangélicas que são fechadas e não permitem a entrada de outra denominação diferente da sua;
8- Expurgar todo mundanismo dentro da Igreja, como por exemplo, festas pagãs, shows, comércios, etc;
9- Rever toda a estrutura da liderança da igreja. Por exemplo, os papéis dos presbíteros (restaurando suas funções ministeriais de pastores, mestres, profetas, evangelistas, apóstolos) e diáconos;

10-Deve ser revisto o conceito de igreja matriz que centraliza o controle sobre as congregações ou filiais em várias cidades, estados e até mesmo em países. O princípio da Igreja local deve ser respeitado, mas isto não impede a ação apostolar;
11-Deve-se voltar para obra missionária e social. A igreja evangélica tem feito muito pouco nessas áreas, principalmente, no aspecto social de ajuda aos carentes e pobres, quer sejam eles crentes ou não. Grandes investimentos são feitos em prédios, acampamentos e outros bens, enquanto outras recomendações bíblicas importantes são esquecidas. Por que não investir mais em áreas de aconselhamento pastoral, psicológico, mesmo na área da educação, da saúde e até mesmo assistência jurídica para atender os membros carentes, uma vez que o serviço prestado pelas autoridades de nosso país deixa muito a desejar?
12-Envolvimento dos líderes da igreja com o Estado e com a política devem ser avaliados. A bancada evangélica deveria trabalhar servindo aos interesses das comunidades que representam e não somente aos interesses das denominações a quais pertencem;
13-Voltar para as pequenas comunidades, bairros, ruas, desenvolvendo a pregação das boas novas e estudos bíblicos nas casas, às vezes é uma opção, se bem coordenada.
14-Restaurar o conceito de “Igreja” ou “Congregação” e “Israel”. A palavra igreja, no hebraico, kahal, é a mesma usada em Atos 2. A Igreja de Deus começou no Sinai e foi solidificada em Atos:

a) No Monte Sinai no dia de Shavuot foi entregue a Torá como contrato de casamento entre Deus e os “chamados para fora”= Igreja (Kahal), ou no grego, “ekklesia”, com o mesmo sentido. É o remanescente justo de Israel (Ex19:3), a oliveira do Senhor (Rm11);

b) Esta igreja (Kahal) formada no Sinai é chamada de nação santa, reino sacerdotal (Ex19:5);

c) Esta igreja (kahal) foi formada pela descendência natural de Abraão, mas extensiva aos estrangeiros que creram no Deus de Israel e quiseram sair do Egito(Ex12:38);

d) Mas, esta igreja (Kahal) quebrou o contrato de casamento (Torá) por causa do coração de pedra ( Jr 31:32; Zc7:11-12);

e) Com o estabelecimento da Nova Aliança no sangue do Cordeiro Yeshua (profecia de Jr 31:33), o Espírito Santo, como em Shavuot (pentecostes), foi renovado neste contrato do Sinai com sua igreja a fim de que todos agora (judeus e não judeus) possam obedecer a Torá e o Evangelho de Yeshua.(Ez 36:26-27).
15- É necessário contextualizar o evangelho, biblicamente, conforme os princípios vividos e proclamados pelos apóstolos no primeiro século; por outro lado, os judeus crentes que foram descontextualizados para várias denominações precisam agora resgatar sua identidade judaica, vivendo e testemunho como judeus crentes, messiânicos;
16- Querendo ou não o cristianismo é judaico em sua essência (Rm1:16; Jo1:11)

17-O antissemitismo é anticristão (o judaísmo bíblico é a base do cristianismo; há promessas para Israel e o povo judeu ser salvo; A oliveira, a família de Deus, é constituída de judeus e gentios- Ef 2; Rm11;

18-Deixar de levar as boas novas aos judeus é uma forma de antissemitismo. Porém, não se evangeliza Israel com panfletos jogados em sua janela. É necessário amá-los e aproximar-se deles, não impondo dogmas, porque na verdade a fé genuinamente cristã é uma fé de origem judaica. Mas, deve-se mostrar com base no “Tanach
[4]a pessoa do Messias Yeshua judeu. Nunca devemos desconectar o judeu do judaísmo bíblico para transformá-lo em um membro de uma congregação evangélica. Ele é judeu, crê na mesma Bíblia (antigo Testamento) que você crê, então, basta apresentar a ele a Pessoa do Messias Yeshua que veio ao mundo para ISRAEL e também todos os que através dele desejem compartilhar da aliança que o Deus criador tem com esse Israel. São inúmeras também as passagens bíblicas no Antigo Testamento que nos ensinam diferenciar o Jesus como Ben José (filho de José – que veio morrer no madeiro se fazendo maldição pelos nossos pecados) e Jesus como filho de David, quando voltará para estabelecer um reino de paz e poder;

19-Como será abençoada a Igreja?

- “Abençoarei os que te abençoarem (bênçãos espirituais e materiais)”- (Gen 12:3; Rm 15:27);

- Como já dito acima, levando as Boas Novas aos judeus você estará colaborando para a vinda do Messias em Glória.(Rm11:15)

- “Orai pela paz de Jerusalém; prosperem aquele que te amam”. A Igreja se esquece muitas vezes que o inferno não prevalece contra ela, e por isso, ela pode gerar a salvação de Israel orando por Jerusalém. Orar por Jerusalém nos traz prosperidade. Por que não podemos ter o hábito de orar por Jerusalém em todos os cultos e encontros que se tem na igreja? Por que não?!

20-Como será abençoado o povo judeu?

- Pela igreja gentílica enxertada na verdadeira oliveira, levando para eles a seiva de Yeshua;

- A igreja irá colocar ciúmes no coração de Israel e nos judeus não crentes. Pelo amor e misericórdia para com eles todos serão alcançados (Rm 9:11,26).

21 - D-us concluirá seu plano de salvação para com os judeus e nação de Israel (Rm11:26) e implantará seu reino (Ap 20:2) com seus eleitos judeus e gentios justificados pela pessoa do messias Yeshua Há Mashiach;

22 - ...” Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém; vem, Senhor Jesus. (Marah n´atá!). A graça do Senhor Jesus seja com todos.”[5]

Estamos apenas no começo de uma nova visão para a Igreja. A Reforma foi boa, mas agora queremos algo mais genuíno e original. Queremos nossas raízes da fé de volta. Queremos nosso messias judeu que foi ao longo dos tempos descaracterizado de Israel e de Seu o povo. Queremos ver a família de Deus unida, judeus e gentios em Cristo (Ef 2:19). Queremos receber uma nova unção de cura, milagres e maravilhas como na época da igreja do primeiro século. Por outro lado, se queremos o poder da Igreja do primeiro século, com certeza também virá sobre nós a perseguição da Igreja daquela época. Mas, o que queremos é cumprir o propósito do Senhor e orar para que Ele abrevie o seu retorno. Amém.


VIA GRITOS DE ALERTA.
INF. ENSINANDO DE SIÃO

PARA GLÓRIA DO SENHOR JESUS CRISTO - GRITOS DE ALERTA PRESENTE EM 119 NAÇÕES - DEUS É FIÉL A SEUS PROPÓSITOS.

A psicóloga Marisa Lobo acusa presidente do conselho federal de psicologia de perseguição religiosa.

 



Comunidade terapeutica é um lugar de segregação e isolamento. de tortura de morte de violação de direitos humano diz presidente do conselho de psicologia.



Se já não bastasse apoio aos kit gay nas escolas,com cenas obscenas em minha opinião como mãe de família e psicóloga. Agora mais esse absurdo,

O Presidente do Conselho Federal de Psicologia senhor Humberto Verona, com seu estilo de militância política induzindo orientações políticas, de orientação sexual, agora o tema é perseguição religiosa travestido de preocupação com usuários de drogas.oCFP com suas atitudes tem perseguido as únicos ferramentas eficientes que temos no combate ao Crack em todos nossos pais, as comunidades terapêuticas.
O Governo tem reconhecido o esforço das comunidades terapêuticas e está pela primeira vez colocando em seu plano nacional de combate ao crak e outras drogas, o que já não era sem tempo.Pesquisas comprovam que o índice de recuperação em clínicas, em C.A.P. S não passam de 2 a 6 % no máximo enquanto que em comunidades terapêuticas( religiosas) esse índice sobe para 32 a 42%%. Fato que o conselho não quer aceitar e muito menos pesquisar sobre, pois isso seria decretar que o trabalho religioso funciona, pois leva o indivíduo a um encontro com algo além dele capaz de levá-lo a sanidade.

O que me assusta, é um Conselho de Psicologia com total desconhecimento de tratamento e prevenção às drogas, profissionais que não deve ter tido nenhuma experiência concreta e real com tratamento além de teorias falíveis, que podem com a morosidade de seu tratamento ajudar o individuo encontrar a morte, pois em se tratando de crack, oxi, cristal esta morte está muito próxima, e talvez somente o tratamento em consultório de psicologia, sem um internamento compulsório pode não chegar a tempo.

No jornal do mês de outubro, o Conselho Federal de Psicologia comandado por este cidadão, que se diz presidente, usou o termo “usuário é cidadão, não é monstro”, acusando as comunidades terapêuticas de tratar o seu interno como monstros com total falta de compaixão e ética profissional. Critica veemente o governo por estar apoiando as comunidades terapêuticas. por reconhecer o trabalho árduo que as mesmo a vem fazendo desde sempre, pois antes mesmo da formalização da psicologia já existiam trabalhos religiosos no tratamento da dependência química e dos doentes mentais.

Em um movimento político que aconteceu em Brasília, promovido pelo Conselho Federal de Psicologia, o presidente faz duras críticas ao governo, o chamando de confuso ”O governo mistura o suposto cuidado com as pessoas que usam drogas, em entidades privadas que não tem história nenhuma dentro das políticas brasileiras que são as comunidades terapêuticas, diz presidente Humberto Verona.

Afirma também uma comunidade terapeutica pratica , segregação e isolamento de tortura de morte e violação de direitos humanos, tentando desqualificar as comunidades terapêuticas, tudo isso por não concordar que o governo venha de forma justa e legal beneficiar esta que tem sido maior auxiliadora social no tratamento de vícios por drogas principalmente por crack.

O conselho fáz marchas e duras críticas seus jornais e rede sociais. está denegrindo e tirando direito de tratamento as famílias e ao usuário que sofre, como também, está desmoralizando este governo e esta casa que tem se empenhado em buscar alternativas, em elaborar políticas sérias de combate de prevenção e de tratamento às drogas, ou seja, de elaborar as políticas sérias sobre drogas.

É lamentável, que um conselho de psicologia mais uma vez, com uma minoria de psicólogos, estejam empurrando goela abaixo de uma população e de profissionais tais decisões que não expressam, de forma alguma com a opinião de centenas de profissionais que trabalham e voluntariam na área e em comunidades terapêuticas.
Como psicóloga atuante dentro de comunidades terapêuticas e como coordenadora de curso que ensina programas terapêuticos, sei que temos abusos em situações isoladas que estas são a minoria. Não podemos generalizar a maioria dos internos são acolhidos de forma humanizada ao contrário do que diz o CFP .O que talvez incomode este cidadão seja o fato de que estes usuários tem a oportunidade de entender que não está só, que há um poder superior a eles capaz de devolver a sanidade e isso tem feito a diferença na recuperação.
É inadmissível, que um conselho venha criticar sem ao menos ter um prenúncio de solução, ter apenas falácias, palavras ao vento, sem conhecimento real de vida, é que o presidente deste conselho falido tem tido em relação às drogas principalmente para mim este senhor não passa de um militante político, legislando em causa própria.
O mais grave é que com o meu dinheiro, como o nosso dinheiro de nossa mensalidade, este cidadão, lidera pessoas, um grupo pequeno por sinal e dita regras no jornal do conselho o texto termina afirmando:

“O CFP reforçou sua opinião contrária as comunidades terapêuticas, no manifesto “droga s pelo tratamento pelo tratamento sem segregação.

Criticando o apoio do governo, dizendo que esses recursos, devem ser destinados a criação e ampliação de redes de serviços substitutivos.e não a lugares e instituições com princípios e formas de atuação contrários á ética que os sustenta: a defesa dos direitos humanos, a liberdade e a inclusão dos usuários no território. Jornal CFP pg 7-outubro 2011.
Fazendo campanha ostensiva, abrindo guerra mesmo, desrespeitando as comunidades terapêuticas, seus usuários, suas famílias e o próprio Governo que as apóiam.

Marisa Lobo Psicóloga , Cristã
VIA GRITOS DE ALERTA

O pastor Renato Vargens enlouqueceu!

 Uma PROMOÇÃO que todo pastor, seminarista ou líder de ministério vai amar!

Prezados, essa é uma promoção especial de final de ano para pastores, seminaristas ou líderes de ministério que seguem o BLOG do pr. Renato Vargens.

O Negócio é o seguinte:  Você poderá  comprar (10 unidades ) de qualquer um dos titulosabaixo (só vale os livros abaixo) por apenas R$ 60,00.  Poderá ser 10 de um título só, ou se preferir, você poderá mesclar com outros titulos.  O frete? Deixa que eu pago.  É por minha conta!

Se voce estiver interessado escreva para renato.vargens@gmail.com e eu lhe darei as coordenadas necessárias. Os livros participantes desta promoção encontram-se abaixo: 

Promoção  por tempo limitadíssimo! Aproveite! 
Esse livro é uma gota no oceano, mas uma válida tentativa de trazer um alerta coerente acerca do problema. É um manual para pais de adolescentes e jovens. E um livro de cabeceira para aqueles jovens e adolescentes que, por amarem Jesus, querem caminhar de forma plena, santa e de boa consciência no que tange à vida amorosa. Mais do que a teoria e o conhecimento bíblico, Renato é pai de uma família apaixonada por Deus e pelas Escrituras. Vive uma vida conjugal sólida, e criou filhos que hoje, como ele, tem caráter cristão e veia missionária. Tudo isso o credencia a escrever o presente livro. A glória é de Deus.





Este livro foi escrito para aqueles que há muito desistiram de sonhar ou estão com seus sonhos adormecidos, para encorajá-los a crêr que Deus intervém extraordinariamente, transformando vales secos em mananciais, noites escuras de desespero em manhã ensolaradas de esperança. Quando a Esperança Ressuscita é um livro essencial para quem entrou em um túnel escuro e não consegue vislumbrar saída. Um livro que enche a nossa alma de esperança.
Esse livro é para ser lido com o coração enxargado de esperança. O Pastor Renato Vargens nos leva a refletir sobre a importante missão dos pais em desenvolver para com os seus filhos uma relação íntima e amiga à luz da Bíblia. "Meu filho, meu amigo" é um livro gostoso de ler. Seus capítulos ampliam perspectivas, motivam aitudes e  promovem relacionamentos sólidos que glorificam a Deus.



O Pastor Renato Vargens sugere algumas alternativas maravilhosas às muitas desarmonias e indiferenças as quais  - sem sombra de dúvidas - vêm causando uma verdadeira erosão em milhares de corações. "Começar de novo" é uma leitura indispensavel, com conteúdo precioso, prático e essencialmente relevante para os dias que vivemos, onde a segurança tende a nos desencorajar diante do nebuloso cenário mundial.
"Sua Família pode ser mais feliz"  não se trata de uma receita de bolo sobre a vida familiar, ante pelo contrário, é um resgate sério consistente de princípios bíblicos que devem nortear os nossos relacionamentos familiares. Através da leitura deste livro temos a nítida impressão de sentirmos a presença do autor na sala de nossas casas ministrando o culto doméstico.










Quando o Milagre Acontece nos faz entender, à luz da Palavra de Deus que milagres e intervenções divinas podem fazer parte do nosso cotidiano. Nos faz observar também, exemplos de homens de Deus que experimentaram, nas situações mais adversas a concretização dos seus sonhos. O Pastor Renato Vargens de clara forma e dinâmica, nos mostra a existência de um Deus presente que intervém na vida de milhões de pessoas, transformando caos em bênçãos e gritos de agonia em brados de vitória.







Cada capítulo deste livro representa um passo que deve ser dado por você. Mais que um livro, esse é um manual que, uma vez seguido, pode trazer maravilhosas mudanças em sua casa. Você duvida? sim é possível ser um agente transformador da família. É ver para crêr? Não. É ler e crêr. Você vai ver!

Senado ignora regra interna para pedido de passaporte diplomático

Na semana passada, a pedido do senador Marcelo Crivella, o Ministério de Relações Exteriores renovou o passaporte de R. R. Soares, e de sua mulher.

O Senado abriu uma brecha para que parlamentares possam requerer diretamente ao Itamaraty passaportes diplomáticos.

Na semana passada, a pedido do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), o Ministério de Relações Exteriores renovou o passaporte diplomático do líder da Igreja Internacional da Graça de Deus, R. R. Soares, e de sua mulher, Maria Magdalena B. R. Soares.

A renovação foi solicitada sem respeitar a praxe da Casa. Normalmente, a requisição de passaporte diplomático é feita pela Coordenação de Atividades Externas. Crivella fez o ofício diretamente sem passar pelo aval do comando do Senado. Ele afirmou que a medida foi tomada porque se tratava de uma renovação e que já teve anteriormente autorização para pedir o documento.

Segundo o senador, não há exigência legal para que a Coordenação de Atividades Externas seja acionada nesses casos. Crivella disse que tomou a iniciativa para garantir isonomia de tratamento as lideranças religiosas, uma vez que bispos católicos também podem requerer o documento especial.

O senador disse que o pedido tem relevância social. "Ele [bispo] atende a milhares de brasileiros evangélicos que vivem no exterior. Considero um relevante serviço e também uma questão de isonomia, pois os bispos católicos possuem passaporte diplomático."

Crivella reconhece que abre um precedente para que os demais parlamentares também peçam em nome do Senado a emissão de passaportes diplomáticos. "Mas tudo vai depender do mérito. O Itamaraty vai analisar a relevância e o mérito. Eu mesmo já pedi passaportes que foram negados. Eu não estou pecando", disse.

Na Câmara, essa documentação é liberada pela Segunda-Secretaria. O Senado argumenta que como não há uma proibição legal, não pode tomar nenhuma medida.

O líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), reclama da medida. "Isso começa a farra do passaporte. A proibição está implícita. Essa é uma atribuição da instituição", afirmou.

O passaporte diplomático de caráter excepcional facilita a entrada e saída nos aeroportos internacionais e só deve ser emitido para atender a "interesses do país".

O decreto 5.978/ 2006 prevê a concessão de passaporte especial a presidentes, vices, ministros de Estado, parlamentares, chefes de missões diplomáticas, ministros dos tribunais superiores e ex-presidentes.

Tradicionalmente, o documento é dado a cardeais da Igreja Católica. Por isso, o Itamaraty também o concede a líderes de outras religiões.

A polêmica sobre os superpassaportes surgiu após a Folha revelar em janeiro que dois filhos do ex-presidente Lula conseguiram o documento: Marcos Cláudio Lula da Silva, 39, e Luís Cláudio Lula da Silva, 25. Outros três filhos e três netos de Lula também receberam o benefício. O pedido foi feito pelo então presidente Lula.

Após a revelação do caso, o Itamaraty resolveu alterar as regras da entrega desses documentos: só pode ser feita por meio de uma "solicitação formal fundamentada" e com a divulgação da concessão no "Diário Oficial". Cerca de 90 documentos foram cancelados desde então.

Fonte: O Documento

Igreja promove adoção de embriões para tirar 'vidas do freezer'

A Igreja Cedar Park Assembly of God, no Estado americano de Washington, oferece um serviço incomum para uma instituição religiosa: o de agência de adoção de embriões congelados.

A ideia de criar um programa para unir casais que têm embriões no freezer e outros que não conseguem ter filhos foi inspirada na história de Maria Lancaster.

Aos 46 anos de idade, após várias tentativas de engravidar e inúmeros abortos espontâneos, Maria achava que o sonho de ser mãe nunca seria realizado.

"Os médicos já haviam desistido de mim", disse ela à BBC Brasil.

Hoje, nove anos depois, ela e o marido, Jeff, são pais de Elisha, 8 anos.

A história dos Lancaster começou a mudar quando Jeff ouviu em um programa de rádio uma entrevista com uma mulher que havia adotado um embrião.

"Nunca havíamos ouvido falar disso", lembra Maria. "Resolvemos tentar, adotamos um embrião, e hoje eu tenho uma filha linda."

Há três anos, Maria sugeriu a um amigo, pastor da igreja, que eles fundassem uma agência de adoção de embriões congelados para ajudar outros casais com problemas de fertilidade a também realizar esse sonho e foi criado o Serviço de Adoção de Embriões de Cedar Park (Embryo Adoption Services of Cedar Park).

OPÇÕES

Nos tratamentos de fertilização, muitos dos embriões gerados não são utilizados, o que deixa o casal proprietário com a opção de mantê-los congelados indefinidamente, descartá-los, doá-los para pesquisas ou para outro casal.

Calcula-se que existam cerca de 500 mil embriões congelados nos Estados Unidos.

O serviço de adoção desses embriões não é novo e é oferecido por várias outras agências no país, entre elas a Nightlight, pioneira no ramo e que foi de quem Maria adotou o embrião.

Muitas, inclusive, são alvo de controvérsia. Segundo opositores da ideia, ao definir "adoção" em vez de "doação", dá-se ao embrião o status de pessoa, o que poderia ser usado como justificativa para a defesa, por exemplo, da criminalização do aborto.

Alguns líderes católicos também criticam o procedimento, questionando a moralidade de se implantar o embrião de um casal, concebido artificialmente, em outra mulher.

Autodenominada a "primeira agência de adoção de embriões baseada em uma igreja", a iniciativa comandada por Maria Lancaster já contabiliza oito bebês nascidos, vários a caminho, e cerca de 25 famílias já inscritas e ainda passando pelos trâmites burocráticos antes de concretizar a adoção.

Maria explica que, na maioria dos Estados americanos, os embriões são tratados legalmente como "propriedade", mas que para a agência "a vida começa na concepção".

"Ao cuidarmos da papelada, é uma transferência de propriedade, mas nós os tratamos socialmente como se fossem crianças nascidas."

REGRAS

As regras para os candidatos a adotar um embrião na agência comandada por Maria exigem que os pais sejam casados há pelo menos três anos e que apresentem cartas de referência de amigos e familiares, além de uma taxa de inscrição de US$ 250 e outra no valor de US$ 3.500.

Um agente do serviço social contratado pela própria agência faz uma avaliação do lar que irá abrigar o embrião, inclusive consultando arquivos do FBI e de outros Estados onde os candidatos tenham morado para garantir que o casal não tenha tido envolvimento com negligência ou abuso de menores.

Diferentemente do processo de adoção de uma criança, que pode ser longo, o prazo para a adoção de embriões varia de dois a seis meses, segundo Maria.

Ela conta que tenta achar casais doadores e receptores compatíveis, para aumentar a chance de que a criança possa conviver com as duas famílias, e considera esta uma das vantagens da adoção aberta de embriões.

"As famílias que doam os embriões para adoção têm a oportunidade de conhecer essas crianças quando nascerem. E seus filhos têm a oportunidade de conviver com essas crianças, que são seus irmãos", diz.

"Uma doação anônima de embriões não permite isso."

Fonte: Folha.com

Ex-BBB Bruna Tavares se converte e vira pastora

Após namorar “bad boys” e posar nua, Bruna Tavares, que participou do Big Brother Brasil 7, se converteu para a igreja evangélica e diz que foi “resgatada das trevas”.

Em entrevista a uma rádio do Rio de Janeiro, a moça disse que agora é de Jesus. "Aquela outra Bruna que vocês conheceram tinha um enorme vazio".

A catarinense de 25 anos tornou-se modelo ainda jovem e, com a participação no reality show, viu sua carreira dar uma guinada. Apesar disso, ela resolveu seguir outro caminho.

Agora de cabelos escuros, ela se diz renovada após entrar para a igreja Assembléia de Deus. Sua conversão começou em 2008, após o término de um relacionamento.

Em seu site, chamado de "Ministério Bruna Tavares", a ex-modelo divulga suas experiências com o evangelho e suas viagens pelo Brasil pregando crenças. "Para as pessoas que não me conhecem, realmente é de se espantar como uma pessoa que obteve fama, abandona tudo e se deixa moldar pelo sobrenatural do Senhor Deus", declarou a loira que, durante o tempo em que ficou confinada, protagonizou cenas românticas com um colega.

Um texto em seu site oficial explica como Bruna decidiu se tornar missionária: "Ao sair e ver o que havia acontecido aqui fora, frustrou-se e a infelicidade tomou conta de sua vida. Em março de 2008, terminou um relacionamento, se converteu e segurou firme em Jesus para não soltar nunca mais (...) Com o seminário de teologia concluído em dezembro de 2010, Bruna é Missionária e ministra da Palavra do Senhor em tempo integral desde outubro de 2008".

Desilusão amorosa?
Quem pensa que Bruna Tavares entrou para a igreja por causa de desilusão amorosa se engana. Tabalhando como missionária, a ex-BBB, que já namorou o também ex-bbb 7, Alberto Caubói, revelou ao EGO que sua nova fase religiosa nada tem a ver com problemas relacionados ao coração.

"Quando entrei para o BBB, em 2007, eu era uma desviada. E depois que saí do programa, sofri muita pressão porque mostravam meu estereótipo como gorda e eu nunca fui gorda. Essa questão do peso me incomodou muito. Tudo isso se tornou uma grande desilusão, porque meu sonho era ser uma modelo famosa, e tudo que uma modelo não pode ser é gorda", contou ela.

O também ex-BBB Alberto Caubói, com quem namorou por cerca de um ano, não teve a ver com a decisão de Bruna. "Não sofri desilusão amorosa. Alberto não foi o motivo para eu me dedicar à igreja. Eu terminei porque me converti, foi a decisão mais acertada para o meu momento. Ele foi o grande amor da minha vida e, desde que terminei, não fiquei com mais ninguém, nem de mãozinha dada."

Atualmente, Bruna se sustenta com a renda de doações que arrecada nas igrejas. "Minha fonte de renda é a oferta de amor. Não estipulamos valor nenhum, as pessoas doam aquilo que podem. Trabalho levando meu testemunho, falo sobre família, minha trajetória, o que passei no BBB e não cobro cachê nenhum para ir às igrejas", disse.

Sobre o "resgate das trevas", da qual Bruna fala durante um de seus cultos, ela afirma se tratar do período em que vivia sem rumo: "Uma desilusão como ser humano. Não estava feliz. Vivia da fama, tinha tudo, mas sempre com um vazio muito grande dentro de mim. Foi quando decidi me dedicar à igreja, em 2008."





Fonte: EGO e Guia-me

Com ataque à Globo, Domingo Espetacular debate a arte com apologia à pedofilia

Programa Domingo Espetacular, na Record TV O debate sobre as exposições de arte com apologia à pedofilia e outros temas no Brasil marc...