quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Segunda Vinda de Jesus Cristo Está Muito Próxima



Segunda Vinda de Jesus Cristo Está Muito Próxima
Segunda Vinda de Jesus Cristo Está Muito Próxima
Chegou a hora de nos preparar, pois os sinais que Jesus falou estão acontecendo e estão por toda parte. Vigiai, pois não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir. (Mateus 25:13)

Segunda Vinda de Jesus Cristo Está Muito Próxima
Jesus em (Mateus 24). Nos fala sobre sinais que iriam acontecer quando estivesse próximo de vier, sinais esses que já estão acontecendo nos dias de hoje, como por exemplo perseguição contra os cristãos, guerra entre nações, pais matando filhos e filhos mantando pais, asteroides no céu, grandes destruições através de fenômenos da natureza, falsos profetas, dentre muitos outros que estão descritos no capitulo 24 de Mateus.

Então logo no (capitulo 25 e versículo 13 de Mateus) Jesus nos alerta que devemos estar vigilante. Então Jesus nos pede para estamos atentos, alertas, pois não sabemos a hora em que Ele virá.

(João 14:1,2,3). O próprio Senhor Jesus fala que ele mesmo iria nos preparar moradas celestiais, desejando a nossa presença ao seu lado. Jesus mostra o quanto nos ama e pede ao Pai que onde ele estiver nós estejamos com Ele para que vejamos a Sua Glória. Diz que neste mundo não temos cidade permanente, mas buscamos a futura que Jesus foi preparar, nos Céus para nós.

Jesus foi claro em nos falar sobre os sinais, sinais esses que não podemos negar que já estão acontecendo, mas Ele nos diz que devemos estar vigiando, ou seja preparado para sua volta, pois será a qualquer momento. Em um piscar de olhos poderemos ser pegos de surpresas com as trombetas sendo tocadas e nosso Senhor Jesus aparecendo no céu com grande glória. Então sempre lembre desse versículo por completo. Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir. (Mateus 25:13)

O que a palavra de Deus tem a nos dizer nessa questão?

O apóstolo Paulo escreveu em (1 Tessalonicenses 4:13-5,4) "Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorante com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança. Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus, mediante Jesus, trará, em sua companhia, os que dormem. Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós, os vivos, os que ficamos até a vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem.

Porquanto o Senhor mesmo, dado a sua Palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor. Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras.

Irmãos, relativamente aos tempos e às épocas, não há necessidade de que eu vos escreva; pois vós mesmos estais inteirados com precisão de que o Dia do Senhor vem como ladrão de noite. Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que lhes sobrevirá repentina destruição, como vêm as dores de parto à que está para dar à luz; e de nenhum modo escaparão. Mas vós, irmãos e irmãs, não estais em trevas, para que esse Dia como ladrão vos apanhe de surpresa.

Compartilhe: vamos evangelizar o mundo esta precisando.


https://www.conhecimentosdabiblia.com.br/2017/08/segunda-vinda-de-jesus-cristo-esta.html

Em meio a corpos, fome, sede e destruição, haitianos se agarram a Deus por esperança

Com a voz rouca, os olhos inchados e braços erguidos aos céus, o reverendo Joseph Lejeune pediu aos famintos, feridos e pesarosos haitianos reunidos ao seu redor que fechassem os olhos e elevassem os pensamentos para além da fétida praça Champ de Mars, onde agora lutam para sobreviver.
“Pensem na nossa nova cidade aqui como o lar de Jesus Cristo, não como a cena de um desastre”, ele falou. “A vida não é um desastre. Vida é alegria! Você não tem comida? Se alimente do Senhor. Não tem água? Beba do espírito santo.”
E eles beberam, cantando, balançando as mãos e tapando os narizes para evitar o cheiro dos corpos presos em uma escola perto dali. Helicópteros militares zumbiam sobre sua cabeça e os crentes almejavam a eles e além, se libertando durante algumas horas do trecho de concreto sobre o qual buscaram abrigo sob lençóis amarrados a postes.
Em versões variadas, esta cena se repetiu por toda a capital haitiana no domingo. Com muitas de suas igrejas destruídas e seus padres e pastores mortos, os haitianos desesperados por ajuda e conforto se voltaram a Deus em busca de alívio para sua aflição. Carregando bíblias, eles atravessaram ruas empoeiradas e cheias de entulhos, em busca de locais para a oração. As igrejas, normalmente cheias com paroquianos fiéis nas manhãs de domingo, acordaram aos pedaços.
Em um sinal da importância das igrejas aqui, o presidente Rene Preval reuniu líderes religiosos juntamente com líderes políticos e empresariais na delegacia de polícia que se tornou sua sede. Ele pediu às igrejas, em particular, que se concentrem em alimentar as pessoas, mas deu pouca orientação sobre o que o governo fará para ajudar.
Não longe da igreja evangélica provisória na praça Champs de Mars, fiéis se reuniram diante das ruínas da principal catedral da cidade para ouvir um apelo por paciência feito por um bispo.
“Nós temos que manter a esperança”, disse o Bispo Marie Eric Toussaint, embora ele tenha reconhecido não ter nenhum recurso para ajudar os muitos que estão sofrendo e achar difícil declarar com qualquer confiança se a catedral será reconstruída.
Construída em 1750, a catedral, antes uma peça arquitetônica importante da cidade, agora não passa de uma gigantesca pilha de metal trançado, vitrais quebrados e concreto rachado. Toussaint disse que o terremoto destruiu as residências dos padres, matando muitos deles.
A catedral de Sacre Coeur, outra grande estrutura, também foi destruída, e um grande Cristo na cruz perfeitamente preservado restou como testemunha da destruição – com o corpo de uma mulher deitado sobre um colchão na rua, coberto com lençóis, representando o sofrimento causado pelo terremoto.
“Pode parecer um momento estranho para se ter fé”, disse Georges Verrier, 28, especialista em computação desempregado, seus olhos se movendo entre o corpo e a igreja. “Mas você não pode culpar Deus. Eu culpo o homem. Deus nos deu a natureza e nós os haitianos e nossos governos, abusamos da terra. Você não pode escapar sem consequências.”
Em um tom parecido, um autodesignado pastor na praça Champs de Mars se colocou sobre uma cratera durante o serviço de oração e proclamou que o terremoto foi o castigo por uma longa lista de pecados que enumerou em cantarola. “Nós temos que nos ajoelhar e pedir a Deus”, ele disse.
Vladimir Arisson ignorou o autodesignado pastor com um rolar de olhos. Arisson cuidava de sua namorada gravemente ferida, Darphcat Charles cuja cabeça estava envolta em uma gaze ensanguentada, seus olhos machucados e sua face inchada, infectada. “Minha posição é: Deus abençoe e nos envie, por favor, ó Deus, um médico para fechar o buraco na cabeça da minha amada.”
Outro homem que acompanhou o serviço evangélico apresentou sua esposa que está grávida de oito meses e se sentou no chão, pálido. “Um bloco de concreto caiu sobre a barriga dela e nós não sabemos se o bebê ainda está vivo”, disse o homem, Ricot Calixte 28. “Rezar pode ajudar, eu acho. Como ainda respiro, ainda tenho fé”.
Ao redor deles, na missa, os aplausos e améns intensificaram na cidade de barracas que não tem nenhuma barraca de verdade, apenas tendas improvisadas. O acampamento central na praça Champ de Mars é a igreja provisória de Lejeune, que no seu prédio original destruído contava com 200 membros ativos, três dos quais foram mortos e muitos estão desaparecidos.
“Aqui nós começamos diariamente com o que eu chamo de missa do café da manhã,” ele disse antes da missa de domingo. “Nós não temos café, claro. Mas essa é uma reza para nos acordar e nos fortalecer quando olhamos para frente e pensamos, ‘Ai, e agora?'”
Ele pausou, esfregando o nariz por causa do odor de restos humanos e acrescentou: “Uma igreja em um banheiro, é isso que nós somos. Por enquanto.”
Fonte: New York Times / Gospel+
Tradução: Último Segundo
Via: Pavablog

Pesquisador cristão diz que a ideologia transgênero está sacrificando crianças

Violência contra crianças e adolescentesViolência contra crianças e adolescentes
“Não se deixe enganar pelo jargão científico. A ideologia do transgênero é exatamente isso: uma ideologia. E ela está ameaçando vidas”. É assim que o pesquisador e colunista John Stonestreet inicia seu artigo publicado no site Break Point, chamado “Sacrificando Crianças para a Ideologia Trans”. O texto foi construído juntamente com G. Shane Morris.
“O que você faz, como cristão, quando alguém cita um ‘estudo científico’, alegando que as crianças transgêneros ficam bem com a terapia hormonal e a cirurgia de mudança de sexo? Bem, você precisa fazer perguntas”, diz no artigo.
“Essa é certamente a estratégia certa para um novo estudo comissionado pelos Institutos Nacionais de Saúde. Escrevendo no Discurso Público, Jane Robbins e Erin Tuttle prevêem que este estudo, uma vez completado, se tornará a evidência para os apoiantes da chamada ‘terapia de afirmação’. Em outras palavras, ele será usado para suportar quimicamente e cirurgicamente, alterando os corpos de crianças em desenvolvimento, para torná-las parecidas com os do sexo oposto”, afirma.
“A metodologia do estudo, os autores e o propósito declarado deixam claro que é elaborado para produzir uma conclusão predeterminada: que a terapia de afirmação transgênero é segura e eficaz para jovens disfóricos. Os autores do estudo admitem isso, escrevendo em seu resumo que o objetivo é ‘usar hormônios sexuais cruzados para induzir o desenvolvimento de características sexuais secundárias desejadas que aproximem o corpo do senso interno de gênero da juventude’”, explica o autor.
Sem avaliação
“Observe que a adequação de alterar o corpo de uma criança para se harmonizar com o gênero preferido é assumido e não é avaliado. E essa suposição é destrutiva, podendo ser às vezes mortal. Sejamos claros sobre o que a ‘terapia de afirmação’ realmente significa: as crianças recebem altas doses de drogas de supressão da puberdade”, alerta.
“Médicos inundam seus sistemas com testosterona ou estrogênio para induzir a formação de características do sexo oposto, como seios nos meninos e pelos faciais das meninas. Alguns pacientes, no meio deste processo, são submetidos a cirurgia de reatribuição do sexo, na qual seus órgãos genéricos internos e externos são removidos ou remodelados”, diz.
“Este ‘tratamento’ os tornará inférteis e podem criar uma série de efeitos colaterais, como câncer, infecções, doenças da vesícula biliar e picos de pressão arterial. Também não há pesquisas de longo prazo sobre como essas altas doses de hormônios afetam os corpos que não foram projetados para lidar com isso”.
Traumas
“Há, no entanto, dados abundantes sobre o dano psicológico dessa ‘transição’ médica. Um estudo da Grã-Bretanha descobriu que 20% dos pacientes que passaram por este procedimento lamentaram. Walt Heyer, um homem que anteriormente vivia como uma mulher transgênero e agora se identifica com seu sexo biológico mais uma vez, pensa que é uma grave subestimação. Ele cita pesquisas mostrando que 41% dos pacientes pós-operatórios tentam suicídio, 90% tem uma “forma significativa de psicopatologia” e a metade tem sintomas depressivos”, ressalta.
“Os ativistas transexuais acreditam que os sentimentos definem as pessoas. E se nossos sentimentos estão fora de sincronia com nossos corpos, então nossos corpos devem mudar – através de qualquer meio químico ou cirúrgico necessário. Mas, começando com essa conclusão e depois elaborando um estudo para provar que não é ciência. Na verdade, é mais como uma seita que exige sacrifícios infantis”, finalizou.
Fonte: Guia-me com informações de Christian Post

Arrebatamento faz novela, fracasso da Record, bater recorde de audiência

Apocalipse, novela da Record TV
Apocalipse, novela da Record TV
O capítulo da novela “Apocalipse” exibido na noite desta terça-feira (6), que mostrou o Arrebatamento, fez a novela bater seu recorde de audiência desde a estreia.
O momento tão esperado, que ficou para o último bloco, levou a novela ao trending topics do Twitter com #Arrebatamento e #Apocalipse56, por algumas horas.
Foram aproximadamente, 20 cenas onde parte dos personagens da trama, inclusive todas as crianças do mundo, sumiram. As imagens eram apresentadas com versículos bíblicos.
O Arrebatamento causou acidentes nas estradas, nos ares e por toda parte o caos se instalou. Agora, a novela, escrita por Vivian de Oliveira, entrará na sua segunda fase, com a chegada do Anticristo, vivido por Sergio Marone, que já apareceu falando:“Agora sim, chegou a minha hora”.
Segundo prévia do Ibope, a novela, que é considerada pelos críticos um fracasso, registrou 10 pontos de média, com 11 de pico, deixando a Record empatada com o SBT em segundo lugar. A Globo ficou em primeiro lugar com 35,5 pontos.
O capítulo completo já está no YouTube. Assista abaixo:


Igreja Episcopal altera referências a Deus, em apoio à ideologia de gênero

Mariann Edgar Budde, bispa da Diocese Episcopal de Washington.
Mariann Edgar Budde, bispa da Diocese Episcopal de Washington.
A Igreja Episcopal em Washington, nos Estados Unidos, decidiu formalmente eliminar todas as referências do gênero masculino a Deus em seu Livro de Oração, com o objetivo de ampliar o movimento da ideologia de gênero dentro das igrejas.
A resolução foi aprovada durante a 123ª Convenção da Diocese Episcopal de Washington tendo poucas pessoas na oposição, de acordo com o diretor de comunicação da igreja, Richard Wosson Weinberg.
“Ao expandir nossa língua para se referir a Deus, vamos expandir a nossa imagem sobre Deus e a natureza de Deus”, disse Weinberg. “Nosso novo Livro de Oração precisa refletir a língua do povo e da nossa sociedade”.
Em comunicado, a diocese afirmou que a nova resolução pretende assegurar que os transgêneros se sintam acolhidos como irmãos em Cristo. “Os transgêneros cristãos estão à procura de uma conexão com Deus dentro de uma comunidade de amor, onde podem adorar e trabalhar pela igualdade e justiça”, alega.
“Infelizmente, muitas pessoas transexuais são deixadas sem um local de culto, porque as congregações não estão prontas para recebê-las como companheiras cristãs”, acrescenta a denominação.
Além de condenar a violência contra os transgêneros, a resolução também pede que todas as igrejas removam obstáculos “à plena participação na vida congregacional, tornando todas as atividades específicas de gênero totalmente acessíveis, independentemente da identidade de gênero e expressão”.
Em 2015, um grupo de mulheres da Igreja da Inglaterra passou a se referir a Deus como “ela” durante a liturgia, alegando que mencionar Deus unicamente pelo pronome masculino é sexista.
No entanto, o movimento também atraiu muitas críticas. “A torção proposta da linguagem não vai fazer nada para impedir o declínio da fé cristã no país. Pelo contrário, vai fazer adoradores se contorcer. E nada esvazia bancos mais rápido do que isso”, disse na época o jornalista Damian Thompson no jornal britânico Daily Mail.
Fonte: Guia-me com informações de Christian News