quarta-feira, 20 de abril de 2016

“Evangélicos são protagonistas na mudança do Brasil”, defende um dos coordenadores do MBL


“Evangélicos são protagonistas na mudança do Brasil”, defende um dos coordenadores do MBL"Evangélicos são protagonistas na mudança do Brasil"

Formado em Direito, com pós-graduação em economia e mestrado em direito, Bernardo Santoro é Coordenador do Movimento Brasil Livre (MBL) no Rio de Janeiro. Mesmo sendo jovem, possui um histórico de ativismo no movimento liberal-conservador brasileiro. Contudo, afirma que seu maior orgulho é ser um seguidor de Jesus Cristo.
Como ele mesmo diz, é “nascido e criado na igreja”. Membro da igreja Nova Jerusalém, no Rio, Bernardo está otimista com o envolvimento das igrejas nas mudanças de atitude que ocorreram no país desde 2013. Entende ainda que os evangélicos vêm sendo “protagonistas” nesse processo político que marcou a história recente do país.
“Nenhum segmento social tem tanta ojeriza ao projeto de poder do PT quanto o povo evangélico, pois eles se confrontam diretamente com nosso estilo de vida. ‘Gayzismo’, feminismo, genocídio de vidas intrauterinas, desrespeito à propriedade privada, corrupção em massa e rejeição ao capitalismo são bandeiras petistas intoleráveis para a cultura evangélica tradicional”, resume.
Embora alguns segmentos da igreja não entendam que “política e religião se misturam”, o coordenador do MBL-Rio defende que a maioria dos “nossos líderes religiosos têm sido brilhantes nesse processo”.
Embora no Brasil, o termo não seja tão comum, durante séculos todos os evangélicos eram chamados de “protestantes” justamente por que seu movimento era de protesto contra a situação que o povo vivia. Seu primeiro grande líder, Martinho Lutero escrevia sobre política. Séculos mais tarde, seu quase homônimo Martin Luther King Jr, foi um pastor que liderou a luta por causas sociais usando como base sua fé.
Por vários motivos, as igrejas evangélicas brasileiras não estão acostumadas com a ideia de um ativista político fazer o que faz justamente por ser evangélico. Contudo, Santoro assevera que isso mudou. “Somente quando chegamos ao ponto em que nosso próprio estilo de vida cristão foi ameaçado é que as igrejas se mobilizaram… É difícil perceber o plano do Senhor para as providências da nossa vida, e precisamos ter fé para entender que este foi o momento certo para a virada do país”, analisa.
Citando várias passagens das Escrituras, lembra que “reis e governantes são invenção do homem”. Resgatando o relato de 1 Samuel 8, lembra que Deus avisou o profeta que um governante forte e centralizado sempre abusará do povo.
Olhando para o Novo Testamento, enfatiza que Romanos 13 ensina o respeito às autoridades, “Mas pode sempre haver conflito quando uma ou várias dessas autoridades se desviam do caminho traçado pelo Senhor”.
Traçando um paralelo, aponta o caso do rei Saul, “um governante que mesmo ungido pelo Senhor, se desvia Dele”. A solução foi o Deus de Israel levantar um novo líder e ungi-lo. Obviamente os tempos são outros, hoje temos eleições. A solução?  Bernardo está convicto: “precisamos orar e refletir profundamente, pedindo que o Senhor ilumine nossas escolhas”.
Santoro diz que está vendo “a população mais esperançosa em dias melhores”. Confirma que o MBL irá continuar defendendo a luta “por um governo que reduza impostos e burocracia, defenda direitos civis, entregue serviços públicos de maneira eficiente e transparente e respeite a liberdade de crença dos cristãos em todo o Brasil”. Em tom profético, finaliza dizendo esperar que “a Paz e a Graça do Senhor Jesus inunde o Brasil de felicidade, liberdade e justiça”.


fonte .https://noticias.gospelprime.com.br/evangelicos-protagonistas-mudanca-brasil-mbl/?utm_content=buffer38a9a&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer

Os Tabernáculos pelo Brasil: São Paulo

Desde o início do ano, quando o profeta Joel Engel iniciou o Tabernáculo de Davi em São Paulo, nas primeiras Conexões de Ouro, o projeto está alçando grandes voos. A proposta é treinar líderes e ministérios para implantarem em suas igrejas as torres de adoração e intercessão 24 horas por dia, durante os sete dias da semana. Através de reuniões com líderes e intercessores, um relógio de oração foi montado a fim de que diversas igrejas pelo país pudessem compor uma escala, onde cada uma ficaria responsável por um dia da semana. O casal de pastores José Roberto e Rosangela, da Comunidade Cristã Vida Plena em São Paulo, ficaram responsáveis por todas as quintas feiras, começando às 18h e indo até às 18h da sexta. Eles cumprem a escala juntamente com 63 irmãos, comprometidos a não deixarem essa chama se apagar.

O fogo que está sobre o altar arderá nele, não se apagará; mas o sacerdote acenderá lenha nele cada manhã, e sobre ele porá em ordem o holocausto e sobre ele queimará a gordura das ofertas pacíficas. O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará. Levítico 6:12,13
De acordo com o Pr. José Roberto, tem sido um tempo muito especial e um renovo pessoal, já correspondendo aos frutos da oração: “Há quase três anos vínhamos falando muito sobre o tempo de investimento que devemos ter diante de Deus em oração. Em nosso ministério, todos os irmãos, aos domingos, entregam o relatório de quantas horas de oração eles cumpriram durante a semana. Temos uma planilha contabilizando essas horas da Igreja e graças a Deus, temos alcançado os objetivos propostos. Porém com a chegada da visão do Tabernáculo, esse volume aumentou sobremaneira. A Igreja está avivada, correspondendo às nossas expectativas. Nosso propósito é levantar o segundo dia, o terceiro até chegarmos a 24/7 na nossa comunidade”, testemunhou o pastor, parceiro do Ministério Engel.
Além do Tabernáculo de Davi, o pastor José Roberto também está conectado com o Quarto de Guerra e a Escola Profética: “Estamos à disposição do nosso Deus para realizar aquilo que deve ser feito. Tenho aqui em minha casa um Quarto de Guerra, que é o quarto do profeta, onde as paredes contêm as minhas intercessões, os nomes das pessoas que eu intercedo. Todo o Ministério Engel também faz parte dos meus alvos diários de oração e se Deus quiser, em Setembro estaremos juntos novamente aí na Escola Profética”.
Rumo a mais um passo dessa visão, nesse último final de semana aconteceu em Guararema, interior paulista, um retiro da Conexão de Ouro, na Chácara Retiro Sol Nascente, com quase cem pastores. A expectativa é que a partir de agora o Tabernáculo de Davi alcance muito mais igrejas no país, com muitas vidas unidas no propósito de fortalecer a Igreja de Cristo nessa nação, para que Ele possa manifestar a sua glória grandemente, e cada brasileiro possa viver os planos de Deus nessa nação.
Tabernáculo de Davi – Pr. José Roberto e Pastora Rosangela.
Dia da semana: Quinta-feira
São Paulo – SP 011-99742739

Joel Engel participa do Avivamento de Israel promovido por operadora de turismo religioso

Cada vez mais líderes especialistas em avivamento confirmam participação especial no projeto “300 cristãos pelo Avivamento de Israel” da Terra Santa Viagens. Dessa vez a adesão foi do pastor Joel Engel, autor do Projeto de Avivamento Rota de Fogo.
O pastor tem um longo currículo avivacionista. Joel Engel é escritor, conferencista internacional e ministra na área de avivamento há 30 anos no Brasil e Exterior. Trabalha atualmente com o ministério “Políticos para Cristo”, que já levou vários Governadores, deputados e prefeitos a Cristo. Criou o projeto lei “Leitura Bíblica nas escolas”, aprovado em vários municípios brasileiros.
Descendente de Judeu, o pastor lançou um Livro em Israel na língua Hebraica em 2006, quando recebeu diploma de Embaixador de Israel e Peregrino do Novo Milênio. Joel Engel tem forte ligação com a Terra Santa e acredita que o projeto da Terra Santa Viagens será emocionante e histórico. “Creio que esta viagem será contada em livros e lida por nossos filhos e netos. Pois como aconteceu na vida de Jó, quando ele orava pelos seus amigos, Deus o curou, creio que enquanto orarmos pelo avivamento de Israel DEUS vai “avivar” a nossa nação”, afirma o Pastor Joel.
Joel Engel aproveita para convidar os cristãos a participarem da viagem e explica o significado do avivamento no Pentecostes: “Foi no Pentecostes que aconteceu o maior avivamento da história, quando o Espírito Santo desceu sobre homens comuns capacitando-os a alcançar o mundo todo com o evangelho de Cristo. Creio que o fogo irá descer sobre nossas cabeças como veio sobre os apóstolos e nossas vidas nunca mais serão as mesmas”.
Outros líderes já confirmaram presença anteriormente, como o apóstolo Fred Berry, especialista em avivamento e representante do Azuza Street Mission, Bispo Jacques Soares, Presidente da União de Pastores de São Paulo (Unipas), e Bispo Caleb, representante da Igreja Metodista Wesleyana.
Sobre o projeto
A operadora de viagens religiosas Terra Santa Viagens espera unir 300 cristãos pelo Avivamento de Israel em um projeto a ser realizado na próxima Festa de Pentecostes, comemoração do dia em que o Espirito Santo desceu sobre a Terra, afirmando o avivamento.
Inicialmente o projeto “300 Cristãos pelo avivamento de Israel” previa apenas a participação de pastores, mas a operadora decidiu abrir para que mais pessoas pudessem interceder por este propósito, além de realizar o sonho de conhecer a Terra Santa em uma viagem acessível, pois o projeto não tem fins lucrativos.
Vários atos proféticos serão realizados, iniciando com um grande clamor em Jerusalém, no Monte Sião, onde os participantes farão muitas orações pelo Avivamento de Israel e pelo estabelecimento da paz na região do Oriente Médio, finalizando com o toque conjunto do shofar para a redenção e arrependimento do Povo de Israel.
Às margens do Mar da Galileia, ou lago de Genesaré, de onde vem o principal abastecimento de água de Israel, acontecerá o segundo ato profético, a unção das águas para que o Avivamento se espalhe por todas as casas da Terra Santa.
O 3º ato acontecerá no Monte Carmelo, local da primeira batalha Espiritual de que se tem notícia na história, entre Elias e os profetas de Ball, pedindo que venha fogo do céu, para queimar toda incredulidade e sofismas sobre Jesus.
Mais informações sobre o projeto, roteiro e valores podem ser encontrados no link:www.terrasantaviagens.com.br.

VIA  GRITOS DE ALERTA / POR GUIAME

Religiosos criticam citações a Deus na sessão do impeachment na Câmara


Imagem redimensionada
As referências à religião e a Deus nos discursos de parte dos deputados que decidiram no domingo (17), pela abertura de processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff incomodaram religiosos. Em defesa da separação entre a fé e a representação política, líderes de várias entidades criticaram as citações e disseram que os posicionamentos violam o Estado laico.

Durante a justificativa de voto, os parlamentares usaram a palavra “Deus” 59 vezes, quase o mesmo número de vezes que a palavra “corrupção”, citada 65 vezes. Menções aos evangélicos aparecem dez vezes, enquanto a palavra “família” surgiu 136, de acordo com a transcrição dos discursos, no site da Câmara dos Deputados. A votação foi aberta pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha, evangélico, com os dizeres: “Que Deus esteja protegendo esta Nação”.

Para o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic), composto pelas igrejas Evangélica de Confissão Luterana, Episcopal Anglicana do Brasil, Metodista e Católica, que havia se manifestado contra o impeachment, assim como a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), ligada à Igreja Católica, as menções não surpreenderam. A presidenta da entidade, a pastora Romi Bencke, disse que as citações distorcem o sentido das religiões. “Não concordamos com essa relação complexa e complicada entre religião e política representativa”, afirmou.

Segundo Romi, uma das preocupações dos cristãos é com o uso da religião para justificar posicionamento em questões controversas. A fé, esclareceu, pode contribuir, com uma cultura de paz, com a promoção do diálogo e com o fortalecimento das diversidades. Porém, advertiu, “Tem uma faceta de perpetuar violência”, quando descontextualizada. “Infelizmente, vimos que os parlamentares que se pronunciaram em nome de Deus, ao longo do mandato, se manifestam contra mulheres, defendem a agenda do agronegócio e assim por diante. Nos preocupa bastante o fato de Deus ser invocado na defesa de pautas conservadoras – é ruim adjetivar, mas é a primeira palavra que me ocorre – e de serem colocadas citações bíblicas descontextualizadas. Não aceitamos isso e eu acho que é urgente refletir sobre o papel da religião na sociedade”.

O teólogo Leonardo Boff, que já foi sacerdote da Igreja Católica, expoente da Teologia da Libertação no Brasil e hoje é escritor, também criticou o discurso religioso dos parlamentares que, na sua opinião, colocaram em segundo plano os motivos para o pedido de impeachment, as pedaladas fiscais e a abertura de créditos suplementares pelo governo de Dilma

Golpe de 64

Em seu blog na internet, Boff disse que os argumentos apresentados se assemelharam aos da campanha da sociedade que culminou com o golpe militar em 1964, quando as marchas da religião, da família e de Deus contra a corrupção surgiram. Ele destacou o papel de parlamentares da bancada evangélica que usaram o nome de Deus inadequadamente.

“Dezenas de parlamentares da bancada evangélica fizeram claramente discursos de tom religioso e invocando o nome de Deus. E todos, sem exceção, votaram pelo impedimento. Poucas vezes se ofendeu tanto o segundo mandamento da lei de Deus que proíbe usar o santo nome de Deus em vão”, afirmou. O teólogo também criticou aqueles que citaram suas famílias.

O Interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, entidade que reúne representantes de várias religiões, o babalawó Ivanir dos Santos, comentou que os deputados transformaram o que deveria ser uma decisão política, neutra, em um ato messiânico. “As pessoas têm tentado fazer uma atuação messiânica, voltada a uma orientação religiosa, que não leva em conta a diversidade da sociedade, ao justificar ações no Congresso Nacional”, disse.

Ele alertou para os riscos de as convicções morais e religiosas, na política, serem usadas para atacar religiões com menos fiéis, como é o caso do candomblé e da umbanda.

“Parte das pessoas que falaram em Deus e religião, e que agora ganham mais força, persegue religiões de matriz africana”, denunciou. “A nossa preocupação é com as casas irresponsavelmente associadas ao diabo e incendiadas, as de candomblé, e com a educação sobre a África e a cultura afro-brasileira, onde dizem que queremos ensinar macumba”.

Budistas

Os budistas acreditam que os deputados misturaram religião e interesses particulares. O líder do Templo Hoshoji, no Rio, o monge Jyunsho Yoshikawa, se disse incomodado e lembrou que os representantes deveriam ter mais cuidado. “Não foi agradável ouvir os discursos em nome de Deus, como se representassem Deus e como se Deus estivesse falando ou decidindo”, advertiu. “Religião e política não se misturam. Política envolve interesses pessoais”.

O monge afirmou que, como seres humanos, os políticos são “imperfeitos”, e lamentou que o Congresso seja uma pequena mostra disso .“É preciso olhar no espelho. Tudo que vimos é o que a sociedade é. Se teve citação despropositada de Deus, um xingando o outro de 'bicha', se teve cusparada ou defesa do regime militar é porque nossa sociedade é assim. Não adianta querer melhorar a política se nós não buscamos nos tornar pessoas melhores”, disse Jyunsho, em relação ao episódio em que o deputado Jean Willys (PSOL) cuspiu em Jair Bolsonaro (PP).

Da mesma forma pensam ateus e agnósticos, aqueles que não acreditam em Deus ou qualquer outra divindade. O presidente da Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos, Daniel Sottomaior, também questionou a postura de deputados, evangélicos principalmente. Para ele, a falta de compreensão sobre um Estado Laico, neutro, fere a liberdade da população.

Fonte: EBC Agência Brasil

A UBPES , UNIÃO BRASILEIRA DE BISPOS E PASTORES EVANGÉLICOS APOIA TOTALMENTE O IMPEACHMENT DA DILMA .


Clínica dos EUA aponta candidato cristão como a `principal ameaça´ à indústria do aborto


Clínica dos EUA aponta candidato cristão como a `principal ameaça´ à indústria do aborto
A rede de clínicas Planned Parenthood disse que o senador do Texas e candidato presidencial republicano, Ted Cruz é a "maior ameaça" à indústria do aborto - chegando a superar por exemplo o polêmico 'Donald Trump', especialmente nesta questão.
O site internacional 'LifeNews' compartilhou um e-mail que a candidata presidencial democrata Hillary Clinton teria recebido de Dawn Laguens, vice-presidente executiva daPlanned Parenthood, no qual afirma que "candidato republicano para 2016, ESTE [Ted Cruz] seria um desastre completo", e acrescenta que "Cruz poderia muito bem ser a maior ameaça" que já enfrentaram.
Laguens argumenta que texano iria levar as coisas "muito, muito mais a sério" que os outros candidatos do Partido Republicano, e 73% dos simpatizantes de Cruz falam em proibir a prática do aborto.
A vice-presidente da Planned Parenthood acrescenta: "Nós não podemos deixar que ninguém próximo à Casa Branca force uma mulher a aceitar uma gravidez de risco ou indesejada".
Em janeiro, a Planned Parenthood decidiu apoiar Hillary Clinton contra o seu rival democrata Bernie Sanders, no primeiro endosso já presidencial em 100 anos de história da organização.
"Hillary Clinton detém o recorde mais forte sobre os direitos reprodutivos de todos os candidatos à presidência, não apenas nesta eleição, mas em toda a história americana. Ela não se limita a apoiar a saúde das mulheres. Ela tem sido uma líder pró-ativa na expansão do acesso aos cuidados de saúde das mulheres", disse a Planned Parenthood em uma nota oficial.
Por outro lado, Cruz diz que toda a vida que ainda está para nascer precisa ser protegida e as crianças concebidas por meio de estupro têm tanto valor e direitos como outras.
O senador do Texas disse em uma entrevista concedida anteriormente à Fox News, que durante o seu tempo como procurador-geral tem visto e combatido numerosos casos de abusos - de adultos e crianças - e argumentou perante o Supremo Tribunal, pedindo por punições mais rígidas a serem impostas a pessoas que cometem esse crime.
"Quando se trata de estupro, esse é um crime terrível contra a humanidade e o criminoso precisa ser punido severamente, mas, ao mesmo tempo, por mais terrível que seja esse crime, eu não acredito que seja culpa da criança", disse Cruz.

LOBO EM PELE DE CORDEIRO - Pastor evangélico suspeito de abusar crianças é preso em Indaiatuba, SP

Pastor foi levado para o 2 DP de Indaiatuba (Foto: Reprodução/ EPTV)Um pastor de 62 anos de uma igreja evangélica de Indaiatuba (SP) foi preso na manhã desta terça-feira (19) por suspeita de abusar sexualmente de três crianças. As vítimas, duas irmãs de 7 e 11 anos e a tia delas, de 12 anos, eram molestadas há três anos.
A investigação da Polícia Civil começou há dois meses e incentivou outras vítimas a prestarem depoimento contra o suspeito. Segundo a corporação, o primeiro caso envolvendo José Iran Alves da Silva ocorreu em 1993.
Segundo a Polícia Civil, os abusos atuais aconteciam na casa do pastor. Os pais contaram que tinham uma relação de confiança com o suspeito e quando precisavam, deixavam as meninas sob os cuidados das filhas dele.
Após os abusos, ele ameaça as crianças e oferecia dinheiro para elas não falarem nada. No entanto, uma das vítimas escreveu uma carta aos pais para relatar os acontecimentos. O pai, que é policial militar, entregou o documento à polícia.
Pastor foi levado para o 2 DP de Indaiatuba (Foto: 
Reprodução/ EPTV)

O mandado de prisão saiu na quinta feira (14), mas o pastor se entregou apenas nesta manhã e negou os crimes.
A defesa do pastor disse que o dinheiro dado às vítimas era para a compra de material escolar e doces, quando ele também dava para as filhas.
Outros crimes 
Durante a investigação, a polícia descobriu que o pastor já tinha sido indiciado por abuso sexual em 1999. Ele teria aliaciado duas crianças. Na época, o irmão dele também era suspeito de estupro, mas o inquérito foi arquivado.
A polícia acredita que tenham mais vítimas, já que pelo menos oito testemunhas deste caso disseram que também foram abusadas, mas preferiram não registrar a denúncia. Ele era pastor há mais de 30 anos e ministrou o último culto na terça-feira (12). 
Pastor de igreja evangélica é suspeito de abusar de crianças (Foto: Reprodução/ EPTV)Pastor de igreja evangélica é suspeito de abusar de crianças (Foto: Reprodução/ EPTV)

Afastamento 
No entanto, o vice-presidente da Assembleia de Deus de Indaiatuba, Newton Oliveira Lima, afirma que o pastor pediu o afastamento há dois meses, quando foram iniciadas as investigações sobre os casos de abuso.
"Ele pediu voluntariamente o afastamento em cima das acusações que estão sendo apontadas em cima dele. Ele alegou inocência para a igreja e pediu o afastamento para fazer a sua defesa judicialmente", explica.

Newton ainda afirma que só receberam denúncias a respeito do pastor após seu afastamento. Segundo a Polícia Civil, a Justiça acatou o pedido e determinou a prisão preventiva do suspeito, que vai ser encaminhado à cadeia anexa ao 2° Distrito Policial (DP).

EPTV

Pastor diz que igreja está aberta para Naldo, se ele quiser

Jaime Soares, pastor da Assembleia de Deus de Bonsucesso, igreja da Zona Norte do Rio que era frequentada por Naldo Benny desde antes da...