terça-feira, 15 de julho de 2014

''Hamas não nos deixa outra escolha senão expandir operação'', diz Netanyahu

  • Ahmad Gharabli/AFP
    Israelenses e turistas se escondem em banheiro de praia de Tel Aviv durante um ataque de foguete, feito por militantes palestinos da faixa de Gaza
    Israelenses e turistas se escondem em banheiro de praia de Tel Aviv durante um ataque de foguete, feito por militantes palestinos da faixa de Gaza
Após a confirmação da morte do primeiro civil israelense no conflito em curso com o Hamas, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirmou nesta terça (15) que não há outra escolha senão expandir as operações militares.
Isso poderá resultar em uma invasão por terra em Gaza; cerca de 20 mil reservistas já haviam sido convocados na última semana pelo Exército do país.
Um civil israelense de 37 anos morreu no Vale de Erez, localizado entre Israel e Gaza, por um disparo de morteiro lançado do enclave. Do lado palestino, ao menos 192 mortes foram confirmadas em cerca de uma semana de conflito.
O israelense seria um voluntário que levava mantimentos para as tropas do país atravessando a fronteira entre Erez e Gaza, segundo a rede CNN.
proposta de cessar-fogo apresentada pelo Egito durou apenas 30 minutos. Israel chegou a aceitar a proposta, mas o Hamas considerou-a uma espécie de "rendição" e prosseguiu com os disparos de foguetes. Israel, então, voltou a atacar.
De acordo com o jornal "Haaretz", o ministro da Defesa de Israel, Danny Danon, foi demitido por Netanyahu após uma reunião do gabinete de segurança.
"Israel vai ferir qualquer um que tente atingir civis israelenses", disse mais cedo Netanyahu. "Quando não há cessar-fogo, a resposta é atirar."
O novo conflito é o mais violento desde a operação "Pilar de Defesa", ocorrida em novembro de 2012. Na ocasião, 177 palestinos e seis israelenses foram mortos.
Ampliar

Morte de jovens reacende conflito entre Israel e Palestina116 fotos

115 / 116
15.jul.2014 - Filipina abraça sua filha durante protesto silencioso em frente à embaixada israelense em Makati, região metropolitana de Manila nesta terça-feira (15), contra a ofensiva militar israelense na faixa de Gaza, que já causou a morte de mais de 180 palestinos. Israel aceitou nesta terça uma proposta de cessar-fogo proposta pelo Egito e com o apoio da Liga Árabe. Por outro lado, o Hamas diz que não recebeu uma oferta de cessar-fogo, e que então "farão tudo o que é necessário para continuar a proteger o povo" Leia mais Dennis M. Sabangan/Efe

Mortos e feridos

A ONU estima que, entre os palestinos, mais de três quartos das vítimas sejam civis. Cerca de 1.400 palestinos ficaram feridos.
Do lado israelense, quatro ficaram feridos gravemente. 
O novo episódio de violência começou após o sequestro e assassinato de três estudantes israelenses no início de junho na Cisjordânia ocupada, crimes que Israel atribuiu ao Hamas.
Arte UOL
Mapa mostra localização de Israel, Cisjordânia e Gaza
Pouco depois, um jovem palestino foi sequestrado e queimado vivo em Jerusalém por judeus de extrema-direita.
O Exército de Israel afirmou que com os ataques aéreos afetou significativamente as capacidades do Hamas, o movimento islamita palestino que controla a faixa de Gaza, um território com 1,2 milhão de habitantes e com índice de pobreza de 39% da população, segundo o FMI.
Três sobrinhos do antigo primeiro-ministro do Executivo do Hamas em Gaza, Ismael Haniyeh, morreram durante um ataque aéreo contra a casa da irmã do dirigente islamita no bairro de Sheikh Radwan.
Por sua parte, um porta-voz militar israelense disse à Agência Efe que desde esta manhã as milícias lançaram 75 foguetes, dos quais 55 caíram em áreas desabitadas e pelo menos 12 foram interceptados pelo sistema Cúpula de Ferro, enquanto o resto impactou em território de Gaza.
No entanto, estes números teriam aumentado com novos disparos esta noite contra várias povoações divisórias à Faixa, que causaram ferimentos de moderados a graves em dois menores de 11 e 13 anos perto de Be'er Sheva, considerada a capital do sul de Israel.


http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2014/07/15/hamas-nao-nos-deixa-outra-escolha-senao-expandir-operacao-diz-netanyahu.htm

Pai é preso por estuprar duas filhas em SC

Um homem de 45 anos foi preso após assumir ter mantido relações sexuais com as duas filhas – hoje com 24 e 22 anos - em Mafra, no interior de Santa Catarina. Ambas têm três filhos dele e a mais nova está grávida do quarto bebê. 

As vítimas relataram à polícia que sofriam com os abusos desde pequenas e que elas e a mãe eram acuadas por ele. Como moravam em uma área afastada da cidade, as mulheres da família nunca frequentavam locais públicos sozinhas.

O homem foi indiciado por estupro de vulnerável, pelos abusos cometidos quando as vítimas eram menores de 14 anos, e estupro comum, já que o crime continuou sendo praticado após elas completarem 14 anos.

De acordo com o delegado Thiago Nogueira de Freitas, responsável pela investigação, o estuprador confesso pode pegar até 30 anos de prisão, somadas as penas dos crimes praticados contra as duas filhas.

Em seis anos 35 funcionários da Disney foram presos por pedofilia

Segundo um levantamento da rede CNN, desde o ano de 2006 pelo menos 46 funcionários da Disney e de outros parques de Orlando, Flórida, foram presos por pornografia infantil ou crimes sexuais envolvendo menores de idade. Os acusados trabalhavam como guias, operadores, seguranças, na manutenção de brinquedos e também em lojas de souvenir.
Dos funcionários detidos 35 trabalhavam na Disney, Cinco no Universal Studios e dois no SeaWorld. Nenhum dos casos aconteceu dentro dos parques, mas dois funcionários foram presos com materiais de pornografia infantil nas dependências da Disney. Até o momento 32 dos presos foram condenados.
De acordo com o xerife do condado de Polk, Grady Judd, a maioria das pessoas que trabalham nos parques buscam uma oportunidade de emprego estável, porém outros querem apenas estar perto de crianças. Ele ainda complementou dizendo que “onde houver crianças haverá predadores sexuais que querem estar ali”.
Em uma ação realizada entre os dias 10 de junho e 1º de julho a polícia prendeu quatro funcionários da Disney e um do Universal Studios. Um dos homens foi pego em uma emboscada. Ele acreditava que iria se encontrar com um garoto de 14 anos, mas na verdade o encontro foi marcado por um detetive.
Com informações Folha de S. Paulo
O Disney World é um dos parques mais famosos do mundo e por isso recebe crianças de vários países. Foto: Reprodução
O Disney World é um dos parques mais famosos do mundo e por isso recebe crianças de vários países. Foto: Reprodução

Aprovado projeto que torna crime hediondo desvio de verbas da educação e saúde

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte aprovou agora há pouco o parecer favorável do senador Cristóvam Buarque (PDT-DF) ao projeto de lei que que considera crime hediondo o desvio de verbas destinadas a programas de educação e saúde (PLS 676/2011).
A matéria segue agora para a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), onde receberá decisão terminativa.
A CE, que já aprovou três dos 14 itens da pauta desta terça-feira, continua reunida na sala 15 da Ala Alexandre Costa.


Agência Senado
(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Caio Fábio pode ser chamado para depor sobre Lula, na operação Lava Jato

Caio Fábio Nesta sexta-feira (8), o site O Antagonista informou que integrantes do Ministério Público Federal (MPF) poderão chamar o pas...