sexta-feira, 2 de março de 2012

O SACERDOTE NOS TEMPOS DA BÍBLIA






Ministro investido de autoridade. Às vezes denota um ministro de estado, assistente responsável junto do rei, 2Sm 8.18. Em 2Sm 20.26, o oficial Jair é denominado sacerdote de Davi; e em 1Cr 18.17, os filhos de Davi são os primeiros depois do rei. Em 1Rs 4.5, diz-se que o sacerdote Zabude era intimo, ou amigo do rei. Freqüentemente os ministros do santuário são denominados sacerdotes levíticos, porquanto o sentido da palavra kohen, ministro, sacerdote, exige qualidades descritivas.

Um ministro devidamente autorizada, para oficiar perante uma divindade, em favor de um povo e tomar parte em outros ritos, chama-se sacerdote. A função essencial a seu cargo era a de mediador entre Deus e o homem. Em geral, formavam os sacerdotes uma classe de funcionários muito distinta entre as nações da antiguidade, como no Egito, em Midiã na Filístia, na Grécia, em Roma, etc. Gn 47.22; Ex 2.16; 1Sm 6.2; At 14.13. Na falta de uma corporação regularmente organizada, o ofício de sacerdote era exercido desde tempos imemoriais, por indivíduos particulares, tais como, Caím e Abel; pelos patriarcas em favor de suas famílias, ou da tribo, como Noé, Abraão, Isaque, Jacó, Jó, bem assim os chefes de uma corporação, ou de um povo. No tempo do êxodo havia indivíduos investidos destas prerrogativas por direito natural, por causa da crescente necessidade do momento, em conseqüência do aumento da população e das influências do sacerdócio egípcio, Ex 19.22. Mesmo depois de organizado o sacerdócio levítico, homens havia que, fora desta corporação, também exerciam as funções de sacerdote. Quando Deus mesmo dispensava a mediação dos sacerdotes ordenados, e se revelava imediatamente a um indivíduo estranho à corporação sacerdotal, tal pessoa sentia-se no direito de oferecer sacrifícios, sem que fosse necessária a intervenção dos mediadores regularmente ordenado, Jz 6.18,24,26; 13.16. Quando, por motivos políticos, tornava-se impossível aos que habitavam no reino do norte, utilizarem-se do ministério dos sacerdotes levíticos, o pai de família, ou outra pessoa indicada, de acordo com a lei primitiva, levantava o altar e oferecia sacrifícios a Jeová, 1Rs.18.30.

Quando o povo hebreu se organizou em nação no Sinai, levantou-se o tabernáculo e o servo do santuário foi organizado de acordo com a dignidade de Jeová de modo a não ficar devendo nada às mais cultas nações da Antigüidade. Daí nasceu a necessidade de um corpo sacerdotal. Arão e seus filhos foram designados para este cargo que se perpetuou na família, e a ela restringido, Ex 28.1; 40.12-15; Nm 16.40; cp. 17 e 18.1-18; cp. Dt 10.6; 1Rs 8.4; Ed 2.36 e seg. Todos os filhos de Arão eram sacerdotes, salvo nos casos de deformidades físicas, Lv 21.16 e seg. Quando a Escritura se refere à classe sacerdotal, emprega as expressões - sacerdotes, ou filhos de Arão, aludindo à descendência deste sacerdote, 2Cr 26.18; 29.21; 35.14; cp. Nm 3.3; 10.8; Js 21.19; Ne 10.38, ou sacerdote da linhagem de Levi aludindo à tribo a que pertenciam, Dt 17.9,18; 18.1; Js 3.3; 8.33; 2Cr 23.18; 30.27; Jr 33.18,21; cp. Ex 38.21, ou ainda como sacerdotes e levitas, filhos de Sadoque, designando o ramo da família de que descendiam, Ez 44.15; cp. 43.19. Este modo de referir-se à classe dos sacerdotes, como acabamos de ver nas passagens citadas, era muito comum no tempo em que se fazia questão fechada em distinguir as funções dos sacerdotes e dos levitas, como se vê na história em que os ministros do altar no tabernáculo e no templo, e aqueles que traziam o Urim e Tumim, também pertenciam à família de Arão.

As obrigações dos sacerdotes eram, em geral, de três categorias:
 I. Ministrar no santuário diante do Senhor.
 II. ensinar o povo a guardar a lei de Deus .
 III. tomar conhecimento da vontade divina, consultando o Urim e Tumim, Ex 28.30; Ed 2.63; Nm 16.40; 18.5; 2Cr 15.3; Jr 18.18; Ez 7.26; Mq 3.11. O sacerdote estava sujeito a leis especiais, Lv 10.8 e seg. Em referência ao casamento, só poderia tomar mulher que fosse de sue própria nação, mulher virgem ou viúva, que não fosse divorciada, e cuja genealogia fosse tão regular como a dos próprios sacerdotes, 21.7; Ed 10. 18,19. As vestimentas consistiam de calções curtos desde os rins até as coxas; uma camisa estreita, tecida de alto a baixo e sem costura, descendo até aos artelhos e apertada na cinta por um cíngulo bordado, simbolicamente ornamentado; uma tiara em forma cônica, tudo feito de linho fino e branco, Ex 28.40-42. Os sacerdotes e outros oficiais de serviço religioso costumavam vestir um éfode de linho, sem bordados e sem os adornos custosos como o que usava o sumo sacerdote, 1Sm 2.18; 22.18; 2Sm 4.14.

Por ocasião da conquista de Canaã, atendendo as necessidades atuais dos descendentes de Arão, que sem dúvida já estavam na terceira geração, porém mais especialmente em atenção as necessidades futuras, separaram-se treze cidades para sua residência e criação de seus gados, Js 21.10-19. Davi dividiu os sacerdotes em vinte e quatro classes. Exceto por ocasião das grandes festividades em que todos eles tinham de oficiar; cada uma das classes oficiava uma semana de cada vez, substituída em cada sábado de tarde, antes do sacrifício, 1Cr 24.1-19; 2Rs 11.5-9. Parece que destas vinte e quatro classes, somente quatro voltaram de Babilônia com Zorobabel, Ed 2.36-38, porém, o antigo número foi reconstruído, segundo parece, cp. Lc 1.5-9. Havia distinções no corpo sacerdotal. O supremo pontífice era o sumo sacerdote; seguia-se o segundo sacerdote, 2Rs 25.18, que provavelmente era denominado o pontífice da casa de Deus, 2Cr 31.13; Ne 11.11, e o magistrado do templo, At 4.1; 5.24. Os pontífices de que fala o Novo Testamento eram os sumos sacerdotes, membros da família dos antigos sacerdotes e funcionavam irregularmente. A lei que regulava o acesso às funções do sumo sacerdócio havia caído em olvido em conseqüência das perturbações políticas e do domínio estrangeiro. Os pontífices eram investidos em seu oficio ou dele despojados à mercê dos governos dominantes.
O que era o sacerdócio – Origem e propósitos

Deus queria que Israel se tornasse uma nação separada, para tanto escolheu Araham e seus descendentes para formarem o sacerdócio, antes da saída do povo do Egito o filho mais velho, ou seja, o primogênito era separado como sacerdote da família, mas isso não era suficiente, já que, era necessária dedicação total e exclusiva ao culto e rito religioso judaico. Por isso, a vocação sacerdotal começou a passar de pai para filho, ou melhor, tornou-se hereditária, obrigando aos sacerdotes transmitirem toda a Lei aos seus filhos, os rituais dos cultos religiosos e as regras para cada tipo de sacrifício ou oferta ao Senhor (Corbã), desde pequenos os filhos teriam de aprender para serem escolhidos como sacerdotes.
Apesar dessas regras, não eram apenas esses descendentes que cuidavam do trabalho religioso, existiam os levitas que davam todo aparato de ajuda aos sacerdotes, após a saída do Egito os levitas foram escolhidos estritamente por Deus para tão valioso serviço naquela época. A Bíblia não mostra regras para esta escolha, mas provavelmente (conjecturo) que Deus os escolheu por causa de seu desprendimento as coisas terrenas e o zelo pelas coisas do Senhor. Os levitas presenciavam todo o rito religioso, assistiam tudo e, no deserto, transportavam o tabernáculo, isso antes da conquista de Canaã e muito antes da reconstrução de Jerusalém por Neemias.
Os sacerdotes possuíam algumas funções, eram basicamente:
1. Servir como mediadores entre Deus e o povo, intercedendo e expiando pelo povo os pecados através do sacrifício.
2. Ser mestre e ensinador da lei, por isso, Esdras, que era o sacerdote, abre o livro da lei e o ler pausadamente, explicando parte por parte (Ne 8.9).
Sumo Sacerdote
3. Ministrar o sagrado do Tabernáculo.
4. Consultar a Deus para entender a vontade dele para com o povo (Dt 33:8)

O Sumo sacerdote:
De todos os sacerdotes no meio do povo de Deus, era o principal de todos, o mais importante, destacável e influenciador espiritual. De ano em ano ele entrava uma vez no lugar santíssimo para expiar os pecados de todo o povo. Sua roupa era diferenciada como na comparação da figura ao lado, o que tem mais jóias e detalhes na roupa era o sumo-sacerdote. Sua roupa era composta de uma mitra em sua cabeça, um peitoral com o nome das doze tribos, um cinto e o éfode, o manto sagrado que tinha em suas pontas sinos e era posta sobre a túnica, um incensário, a túnica interior. Para nós cristãos o sumo sacerdote prefigura Jesus, mas isso é uma interpretação da tipologia cristã, nada de intencional pelos autores do Antigo Testamento, só pelos autores do Novo Testamento e possivelmente por Deus.

Sacerdote
Características dos sacerdotes:
Era preciso não ter defeito físico, a sua esposa deveria ser uma mulher de respeito entre o povo e que fosse exemplo para as outras mulheres, não podia tocar em coisas imundas, animais imundos, nem tampouco misturar-se com os cultos de outros povos que não serviam a Elohim. A santidade era o requisito básico para a função, distanciando-os dos costumes do resto dos homens, por isso, exigia abnegação!
A Epístola aos Hebreus do Novo Testamento estabelece uma distinção entre o sacerdócio judeu e do Sumo Sacerdócio de Cristo, que ensina que o sacrifício de expiação de Jesus Cristo no Calvário, substituiu o sacerdócio judeu e os seus sacrifícios rituais. Assim, para os cristãos, Cristo é o verdadeiro e sumo sacerdote. A crença da maioria do cristianismo (incluindo a Igreja Anglicana, Católica e Ortodoxa), o único sacrifício de Cristo, que ele ofereceu "uma vez por todas" (Hebreus 10:10), na Cruz, é fez presente através da Eucaristia,[6] de modo que o único sacerdócio de Cristo se faz presente através do sacerdócio ministerial dos bispos e presbíteros, que são, portanto, por analogia e comparação, chamados de sacerdotes, em plena unidade com o sacerdócio de Cristo” (WIKPEDIA).

VIA GRITOS DE ALERTA

Inf. Dic. Bíblia John Davis

Magno Malta anuncia audiência em Belém sobre avanços no combate à pedofilia

O senador Magno Malta (PR-ES), em discurso nesta quinta-feira (1º), anunciou a realização de uma audiência pública em Belém, na Assembleia Legislativa do Estado do Pará, para debater os avanços no combate à pedofilia após os trabalhos da comissão parlamentar de inquérito criada no estado em 2008. A reunião ocorrerá nesta sexta-feira (2).

A audiência é organizada pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente e pelo Comitê Estadual de Enfrentamento ao Abuso de Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, com o apoio do vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, Arnaldo Jordy (PPS-PA), que foi relator da CPI da Assembleia Legislativa do Pará quando deputado estadual.
Magno Malta (PR-ES), que presidiu em 2008 a CPI da Pedofilia no Senado, participará dos debates. A audiência terá inicio às 14h.

Fonte: Agência Senado

PÚLPITO , LUGAR DA GLÓRIA DE DEUS





A igreja evangélica brasileira vive uma tragédia: a morte do púlpito. Nunca na história do protestantismo houve tanto desprezo pela pregação cristocêntrica, preparada com esmero e preocupada com a correta interpretação das Escrituras. O púlpito tem sido substituído pelo altar dos “levitas” ou para os ”sacrifícios” em dinheiro dos mercenários mercantilistas. A “pregação” da Palavra é, hoje, conceituada como qualquer um que sobe na plataforma e começa a falar ou gritar.
Talvez você, lendo esse texto, pense: – “Na minha igreja a pregação é sempre um espaço grande e recebemos visitas de diversos pregadores”. Esse artigo quer alertar que não basta um tempo grande para a pregação e nem que a plataforma esteja cheia de homens engravatados; antes é necessária a avaliação da qualidade dessa pregação. A pregação precisa ser avaliada, assim como fazia os cristãos bereanos, que por sua nobreza, comparam as homilias de Paulo com as Sagradas Escrituras.
Quais são as causas da “morte do púlpito” no evangelicalismo moderno? A) Espiritualidade em baixa é igual à pregação sem qualidade.
A pobreza das pregações é evidente nesses últimos dias, pois isso é conseqüência direta da pobreza na vida cristã, pois como dizia Arthur Skevington Wood: “Leva-se uma vida inteira para preparar um sermão, porque é necessária uma vida inteira para preparar um homem de Deus”. Enquanto a espiritualidade da Igreja estiver em baixa, a pregação, por mais espiritual que ela pareça ser, não passará de palavras jogada ao vento. Não basta uma pregação erudita, mas a erudição deve ser acompanhada de contrição, humildade e oração, pois bem escreveu E. M. Bounds: “Dedique-se ao estudo da santidade de vida universal. Sua utilidade depende disso. Seus sermões duram não mais do que uma ou duas horas; sua vida prega a semana inteira.”
Hoje existem muitas igrejas que oram “bastante”, são campanhas atrás de campanhas, mas essas orações não passam de busca “dos próprios deleites” ou de “determinações” de bênçãos. Ora, a oração sem a busca da face de Deus é uma característica do evangelicalismo contemporâneo. Uma igreja que ora errado, logo terá pregadores pobres.
B) A falta de preparo para pregar.
Erudição, esmero e homilética não são inimigos da espiritualidade. Um mito vigente na igreja brasileira é que quem se prepara muito para pregar, terá uma pregação “não ungida”. Isso é mera desculpa de pregador preguiçoso. Você, leitor, já deve ter visto alguém dizer: – “Quando cheguei aqui não sabia o que ia pregar, mas assim que subi nesse altar o Espírito Santo me revelou outra Palavra” ou “Eu não preparo pregação, o Espírito de Deus me revela”… São frases irresponsáveis e brincam com o Espírito Santo, atribuindo a Ele sua preguiça de passar várias horas em estudo e oração para pregar a Palavra.
Hoje, pregar com esboço em papel é quase um pecado em muitas igrejas; alguns olham com “cara feia” para os que levam algo escrito em sua homilia. Será que não sabem que um dos sermões mais impactantes da história, foi literalmente lido pelo pregador. Esse sermão era “Pecadores na mão de um Deus irado”, que Jonathan Edwards pregou em 08 de Julho de 1741 na capela de Enfield. O biógrafo de Edwards, J. Wilbur Chapman , relatou:

Edwards segurava o manuscrito tão perto dos olhos, que os ouvintes não podiam ver-lhe o rosto. Porém, com a continuação da leitura, o grande audi tório ficou abalado. Um homem correu para a frente, cla mando: Sr. Edwards, tenha compaixão! Outros se agarra ram aos bancos, pensando que iam cair no Inferno. Vi as colunas que eles abraçaram para se firmarem, pensando que o Juízo Final havia chegado.[
1]
C) Ter uma visão pragmática sobre a pregação.
Para muitos, uma pregação só é válida se houver resultados. As pessoas não querem saber se o conteúdo da pregação é biblico ou herético, mas preferem esperar pelos resultados propagados pelo pregador. A primeira motivação dos pragmáticos é buscar a praticidade, portanto o pragmatismo é casado com o imediatismo, onde tudo tem quer ser aqui e agora.
O conceito de pregação “ungida” é bem pragmática, pois para boa parte da comunidade evangélica, a boa pregação tem que envolver o emocional, nesse contexto nasce frases do tipo “crente que não faz barulho está com defeito de fabricação”. Se não houver choro, gritos, pulos ou outras manifestações “espirituais”, a pregação perde o seu valor para aos cristãos atuais.
Pregadores pragmáticos gostam de ver seus ouvintes interagindo exageradamente no culto. É constante dos pregadores mandarem as pessoas glorificarem e até falar em línguas. Nesses cultos a justificativa para essas ordens é que “quando a glória daIgreja sobe, a glória do céu desce”. Não há respaldo bíblico para esse tipo de pensamento que é passado como algo bíblico. A emoção e as experiências fazem parte da vida cristã, mas não devem normatizar a liturgia ou direcionar os crentes, pois os verdadeiros cristãos tem a Palavra de Deus, e somente Ela, como regra de fé e prática.
D) Pastor-professor X pregador-ator
Eis o dilema existente no evangelicalismo moderno. O pastor-mestre foi substituído pelo pregador-carismático-ator. O mestre que orientava a sua congregação nas Sagradas Letras, sendo um homem de estudos e contemplativo, era característico de piedosos servos de Deus, como Charles Spurgeon, Jonathan Edwards, D. L. Moody etc.
O púlpito tem sido morto pelo estrelismo de pastores-atores, que confundem a plataforma da igreja com um palco para entretenimento, são pessoas que pregam o que a congregação quer ouvir e fazem de seus carismas uma imposição de sua pessoa. Quem estuda a história da igreja, verá que os piedosos servos de Deus, da Reforma as Grande Despertamento do século 18, eram homens de grande interesse pela pregação expositiva, onde o texto fala por si só. A partir do século 19, os sermões são cada vez mais temáticos e os pregadores mais articulados no estrelismo.
O Movimento Pentecostal peca, e gravemente, em não valorizar os sermões bem preparados e articulados, ungidos pelo Espírito Santo, para edificação da congregação. Em uma piedade aparente, muito exaltam a ignorância como virtude, justificando os sermões artificiais, sem profundidade e recheados de chicles, modismos e até heresias.

Características do farisaísmo religioso



1) Dizem(pregam)e não praticam (MT 23:3)
2) Atam fardos pesados e difíceis de carregar, pondo sobre outras pessoas (doutrinas humanas) (Mt 23:4)
3) Fazem obras a fim de serem vistos pelo homem(MT 23:5)
4) Amam os primeiros lugares nas sinagogas (igrejas) e ceias (solenidades) (MT 23:6).
5) Gostam de ser saudados pela sua posição religiosa ou seu “cargo eclesiástico” (mestre, padre, pastor, apostolo, bispo). (MT 23:7-10)
6) Depois que entram, fecham o Reino de Deus a outros e não deixam entrar,ou seja, espírito de inveja.
7) Além de não cuidar das vidas, devoram os mais humildes, como as viúvas, indo a suas casas para usufruir sob pretexto de orar por elas e ‘fazer a obra” de Deus. (MT 23:14)
8) Fazem missões para converter alguém, e quando o fazem o tornam o filho do inferno pior que eles.
9) Estão mais preocupados com a oferta do altar do que com aquele que santifica a oferta e o altar que é o Senhor
10) Dão o dízimo (enfatizando a outros a necessidade de dar), mas esquecem de praticar a justiça, a misericórdia e a fé. (MT 23:23).
11) Se importam mais com o “exterior do homem do que seu interior”. (MT 23:25-27). Exteriormente parecem justos, mas interiormente estão cheios de hipocrisia e iniquidade. (MT 23:28).
12) Por sua atitude de religiosidade e hipocrisia, adornam o túmulo de profetas e sáo eles mesmo que por sua atitudes “matam os profetas” e todos aqueles que se opõe ao seu sistema religioso. (MT 23:29-35).
Em verdade vos digo que todas estas cousas hão de vir sobre a presente geração


VIA GRITOS DE ALERTA
FONTE. 

A Luta da Carne contra o Espírito - SUA CARNE NÃO QUER DEUS , MAS AMA O PECADO

Tenho visto nesses últimos dias grandes escândalos que tem acontecido no meio evangélico .
Pastores de igrejas de renome sendo engolidos pelo pecado.
Vi ontem uma matéria de um pastor de uma mega igreja americana que se envolveu com o pecado.
Entre outros casos que tenho visto dia a dia.
O que devemos saber é que a carne nunca vai se converter , e ficar brincando , dando espaço para o diabo não termina bem.
Não existe super homem e nem mulher maravilha , Deus tem filhos e filhas , mas nossas fraquezas , quando distante de Deus , são prato cheio para o diabo. Não que tudo que o homem faça de mau seja porque o diabo o fez fazer.
Muitos , quando terminam de pecar emendam logo que foi culpa do inimigo.
Devemos entender que o homem é livre para escolher o que quer para sua vida.
Deus não obriga ninguém a fazer o que é bem , e nem o diabo obriga ninguém a fazer o que é mau.
Cada um faz o que acha melhor para sua vida , e por isso que cada um dará conta de suas atitudes . Deus , nos fala e Apocalipse que ao bater na porta a pessoa é quem decide em abrir ou não.
A carne humana nunca vai se dobrar e se converter a Deus.
A carne humana tem a raiz da iniquidade , do pecado , da ligação com o que não presta .
Quando Adão e Eva optaram em aceitar o contato com o diabo , naquele momento ficou maculado o que era santo , e ali entrou a raiz da iniquidade nos seres humanos e isso segue até o final dos tempos , onde cada qual dará conta dos atos praticados por si.
O apostolo Paulo nos diz que dentro de nós existe uma luta da carne contra o Espírito e do Espírito contra a carne , e que ambos se opõem um ao outro.
Cada crente que quer viver uma vida que agrade a Deus enfrenta lutas e oposições diárias em sua caminhada com o Senhor. Pessoas que estão vivendo no mundo de Satanás, mas que transferem sua submissão a Deus são guerreiros em guerra contra Satanás. Talvez você não se apercebesse disso; talvez você ainda não saiba que a Bíblia ensina ser Satanás o príncipe da potestade do ar e o deus deste século (Efésios 2.2) EM QUE NOUTRO TEMPO ANDASTES SEGUNDO O CURSO DESTE MUNDO, SEGUNDO O PRÍNCIPE DAS POTESTADES DO AR, DO ESPÍRITO QUE AGORA OPERA NOS FILHOS DA DESOBEDIÊNCIA.(2 Coríntios 4.4) NOS QUAIS O DEUS DESSE SÉCULO CEGOU OS ENTENDIMENTOS DOS INCRÉDULOS PARA QUE LHES NÃO RESPLANDEÇA A LUZ DO EVANGELHO DA GLÓRIA DE CRISTO, QUE É A IMAGEM DE DEUS.
Enfrentamos uma Batalha Espiritual, como o nome afirma, é travada no mundo espiritual e é necessário que haja homens santos e cheios do Espírito Santo, agraciados com dons (visão, revelação, profecia, etc.) para que sejam canais, através dos quais o Senhor Deus orientará o Seu exercito de servos, revelando as estratégias certas para cada ocasião, bem como, os passos do inimigo.A Batalha não é segundo a carne (1Co 10.3) EMBORA ANDANDO NA CARNE, NÃO MILITAMOS SEGUNDO A CARNE, não é contra homens, e sim, contra Satanás (Ef 6.12) “Pois nós não estamos lutando contra seres humanos, mas contra as forças espirituais do mal que vivem nas alturas, isto é, os governos, as autoridades e os poderes que dominam completamente este mundo de escuridão”.
Devemos entender que a carne humana não quer Deus.
O grande perigo é que existe homens e mulheres cristãos brincando com o pecado.
Olham para a irmã com olhar mal , a irmã olha para o irmão com olhar mal .
E sabe o que acontece , logo vão se encontrar numa cama de motel , pois o pecado entra pela porta que são os olhos , e como uma semente procura terra para ser plantada , o pecado procura um coração aberto para entrar e fincar suas raízes .
Ai já é tarde , o pecado gerou um fruto e vem então as consequencias.
Por isso temos visto tantas pessoas que antes eram cheios da unção de Deus , mas por não vigiarem , por brincarem com o pecado , o pecado os destruiu.
A carne não quer Deus , mas a carne quer e ama a mentira , a prostituição , o adultério , a pornografia , o homossexualismo , o ganhar fácil , o extorquir , o mentir e tantos outros pecados que servem como vitamina para deixa la mais forte ainda.
Dentro de cada ser Humano existem duas potências a serem desenvolvidas.
A BOA E A MÁ.
E ambas brigam por espaço a cada instante.
Tem mulheres que gostam de ir a igreja com roupas bem justas e outras com saias bem curtas , e como que se nem percebesse , sentam se ma primeira fileira , bem de frente ao pupto .
Será que falta alguma coisa nessas pessoas que fazem isso?
Me respondam.
Será que essas pessoas não percebem que estão sendo vasos na mão do diabo.
Por outro lado tem os homens bonzinhos , mas só com as mulheres de fora , pois com a dele em casa é pior que o homem da caverna .
Bate , xinga , fala mal etc.
E quando se arrebentam , como fez Adão , vão logo procurando alguém para acusar.
Você é culpado pelos seus erros e acertos , pois o controle do que entra em sua vida esta contigo .
Depois que Adão errou , e Deus pergunta o que ouve , Ele fala.
A mulher que me desses por companheira me deu e eu comi.
Ora , alem de culpar Eva , coloca Deus como co participante de seu Erro.
Entenda , que quem brinca com fogo vai se queimar , e quem brinca com o diabo vai pecar.
Quem fica entulhando lixos espirituais em sua vida vai acabar no meio do lixão espiritual e bem distante de Deus.
Ou você escolhe estar com Deus e vive uma vida de santidade ou escolhe estar ao lado do diabo e vive uma vida repleta de pecados e distante de Deus.




Que Deus faça com que você abra bem seus olhos espirituais e entenda que sua carne nunca vai se converter e que o pecado esta sempre passeando , pertinho de você , procurando um espaço , nem que pequeno para entra em sua vida e passar a ser seu amigo do dia a dia.


QUEM TEM OUVIDOS OUÇA O QUE O ESPÍRITO DIZ .


DEUS O ABENÇOE EM NOME DO SENHOR JESUS CRISTO.


Bispo Roberto Torrecilhas
Ministério Poder da Fé.
 

"NÃO ADIANTA COLOCAR EVANGÉLICO NO MINISTÉRIO", AVISA SILAS MALAFAIA

O governo de Dilma Rousseff tem entrado em rota de colisão com lideranças evangélicas por não cumprir algumas das promessas de campanha. Agora, sua indicação do senador e bispo da IURD Marcelo Crivella é vista como uma tentativa de “agradar” os evangélicos e diminuir a rejeição dos religiosos à candidatura de Fernando Haddad (conhecido pelo kit gay) na disputa da prefeitura de São Paulo.

Contudo, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), um dos líderes da chamada “bancada evangélica”, afirmou pelo Twitter, que não será algo tão fácil assim.

Ele escreveu no microblog:
O Crivella não representa a bancada evangélica e nem o cargo dele tem nada a ver com evangélicos. Ele representa o partido dele.
Achar que evangélicos vão ficar satisfeitos porque têm um deles no governo comandando o inexpressivo Ministério da Pesca é risível.
Quanto aos evangélicos, agradaria muito mais que um governo não tivesse a abortista ministra como responsável pelo debate sobre aborto. E agradaria também que um ministério não tivesse editado um kit gay.
Em outra frente, o pastor Silas Malafaia também usou o Twitter para comentar a nomeação de Marcelo Crivella para o Ministério da Pesca.
Não adianta colocar evangélico no Ministério. Não vamos dar refresco ao Haddad em São Paulo com o kit gay.
No passado, o pastor Malafaia, juntamente com diversas lideranças questionaram as atitudes do bispo Edir Macedo, tio de Marcelo Crivella. Na ocasião, muitos questionaram se a IURD realmente pode ser considerada uma igreja evangélica.
O Senador Crivella (PRB-RJ), ao tomar posse, declarou acreditar que com o cargo, haverá maior aproximação do PT com a bancada evangélica. O governo nega, dizendo que o PRB é uma legenda “fiel” ao governo, e lembra que o governo Dilma já conta com um evangélico na Esplanada – o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro.

Fonte: Gospel Prime

Pronunciamento: Aborto

Pronunciamento: Aborto      Conclamo os homens de bem deste País a mais uma vez se colocarem vigilantes a movimentos que virou mexeu vem a mostrar suas garras para tentar desestabilizar aquilo que temos de mais caro que é a família.

    Agora a comissão de reforma do Código Penal, do Senado Federal, apresentou em audiência pública, proposta que descriminaliza o aborto até a 12ª semana de gravidez, quando a um pedido da gestante o médico constatar que a mulher não apresenta condições psicológicas de arcar com a maternidade. Para tudo. Pera ai. Será que já assistimos esse filme? Será que li direito a matéria da Folha de São Paulo, sábado, 25 de fevereiro de 2012, na página C7? Sim é o que diz “se o médico constatar.....”.

    Senhores, só falta perguntar se essa constatação seria feita pelo mesmo médico que viria efetuar o procedimento abortivo. Pergunto, eu, que planeta vivem essas pessoas? Nós que atendemos pessoas das mais diferentes condições sabemos que a maternidade em si afeta a psique de qualquer mulher, algumas se manifestam de uma forma, exemplo, há mulheres que adquirem versão pelo Pai da criança durante toda a gravidez, e nem a ciência explica o motivo, outras logo após o nascimento apresentam atitudes hostis contra a criança, diferente de sua índole normal, o chamado “estado puerperal”.

    Não podemos admitir esse escamoteamento da nossa inteligência. O Senhor relator da comissão, o Procurador Geral da República, Luiz Carlos dos Santos, em São Paulo, afirma: “É preciso enfatizar que a proposta não cabe com o crime de aborto, ele apenas amplia as situações em que não haverá pena”.

    Senhores, se com  um instrumento desse na mão qualquer médico a seu talante, por meio legal, poderá submeter uma mulher ao aborto, sem nunca ferir a lei.
   
    Não sejamos ingênuos, oferecendo meios para que pessoas continuem enriquecendo as custas da vida de criaturas que desde a concepção tem direito à vida e à vida plena e segura, com grande garantia do Estado e da Sociedade. 
 

Muito Obrigado!
Pastor Marco Feliciano

Brasil dialoga com Irã sobre pastor ameaçado de execução

 

Pressionado pela bancada evangélica no Congresso Nacional, o governo brasileiro está dialogando com o Irã para levantar mais informações a respeito de um iraniano convertido ao cristianismo ameaçado de execução, o pastor Youssef Nadarkhani, preso desde 2009.
Nesta quarta-feira, a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, receberá parlamentares da bancada para tratar do assunto e deixou claro que Brasília deverá se manifestar às autoridades de Teerã. ”Não há pretensão de (o Brasil) ser intermediador, apenas fomos procurados por um grupo de pessoas, de parlamentares da comunidade evangélica, para que nós pudéssemos saber o que está acontecendo e também pudéssemos ajudar e manifestar solidariedade, manifestar a posição do Brasil em relação a isso”, disse a ministra nesta manhã.
Até nesta quinta-feira, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, deverá ter em mãos um relatório mais detalhado sobre o real motivo da prisão de Hadarkhani. “Nós (governo brasileiro) já temos feito contato com nosso embaixador no Irã, o Itamaraty também tem feito contato para saber efetivamente qual é a causa da prisão e levar os nossos posicionamentos sobre a defesa dos direitos humanos. Eu ainda não tenho uma definição sobre isso”, disse a ministra.
Segundo o jornal Folha de S.Paulo desta quarta-feira, o governo brasileiro já ouviu das autoridades de Teerã que Nadarkhani não deve ser executado e que a ameaça de pena capital não era por abandono da fé islâmica, mas por supostos crimes de estupro e ameaça à segurança nacional.
O caso também provocou reação dos Estados Unidos, que exigiram a libertação de oussef Nadarkhani.
Fonte: Terra e Folha

Pr. Silas fará programa com graves denúncias e esclarecimentos

 

- Por Marcos Melo -
No programa Vitória em Cristo do 1º sábado de abril (7), o pastor Silas Malafaia fará um programa especial sobre evangélicos e a questão política e trará à tona denúncias graves da ditadura gay que, segundo ele, “é pior do que a ditadura militar e que querem implantar no Brasil”.
O pastor pede aos internautas que utilizem as redes sociais para divulgar o “programa imperdível”. “Será um programa esclarecedor tanto para os evangélicos como para os católicos praticantes. Querem a todo custo calar a voz do povo de Deus”, adiantou Malafaia.
Você não pode perder!
Sábado, dia 7 de abril, às 9h na “Rede TV!” e às 12h na “Band”.


FONTE VERDADE GOSPEL.
VIA GRITOS DE ALERTA

EI DILMA , SUA CHAMADA PARA O CRIVELA SER SEU MINISTRO NÃO VAI MUDAR MEUS PENSAMENTOS SOBRE VOCÊS DO PT . SOU ANTI PT E ANTI PC DO B.

Após Gilberto Carvalho, José Dirceu dispara contra os evangélicos

 

Mal assentou a poeira levantada por Gilberto Carvalho, Secretário Geral da Presidência da República, que teria sugerido no Fórum Social em Porto Alegre, em janeiro deste ano, que o PT confronte as mensagens conservadoras pregadas pelos pastores evangélicos, outro petista surge com mais polêmica.
Em mensagem postada nesta sexta-feira em seu blog, o deputado cassado e ex-Ministro Chefe da Casa Civil, José Dirceu (PT) criticou aqueles que politizaram o tema aborto em 2010, por ocasião da eleição presidencial e também, em 2011, o kit gay, proposto pelo MEC sob a gestão de Fernando Haddad, atual candidato do PT à Prefeitura de São Paulo.
Para Dirceu, o ex-Ministro da Educação está certo quando taxou de “torpe” a maneira como as discussões em torno do tema ‘kit gay’ foram encaminhadas e aproveitadas politicamente. “Haddad ressaltou que o kit anti-homofobia surgiu de uma demanda de emenda parlamentar. Ainda assim, devido às críticas da bancada evangélica contra a distribuição do material nas escolas, a iniciativa foi suspensa. Segundo o ex-ministro, no entanto, o kit foi usado em cursos de formação de professores”, escreveu o ex-Chefe da Casa Civil.
José Dirceu destacou que não se deve recuar ante ao que chamou de “violência” e “chantagem” de certos setores evangélicos que querem patrulhar todas as políticas públicas com relação às questões do aborto e da homossexualidade. Para ele, esses grupos evangélicos querem impor ao Brasil uma visão preconceituosa e repressiva e aqueles que lhes dão guarida, prestam um desserviço à democracia e à convivência social.
Mesmo sem ocupar um cargo no legislativo ou executivo, José Dirceu é um dos homens fortes dentro do PT e goza de muita influência. Aproveitando sua força dentro do partido, ele tem sido cortejado por algumas pessoas. Foi o que ocorreu recentemente, quando recebeu um por e-mail assinada por Toni Reis, presidente da ABGLT, tecendo-lhe elogios por sua luta em prol dos ideais dos LGBT e conclamando-o a continuar a lutar pela agenda LGBT.
Um dos trechos da carta escrita por Reis:
“Estamos realmente preocupados com o rumo que está tomando a discussão sobre os direitos das pessoas LGBT no Brasil, particularmente no último ano no executivo e legislativo: 
- o projeto de criminalização da homofobia está parado no Congresso Nacional. 
-houve um veto explícito do material educativo do projeto Escola sem Homofobia, do Ministério da Educação, pela própria presidenta Dilma. 
- houve, agora, um veto/censura à campanha de prevenção de Aids no Carnaval, segundo consta, novamente determinado pela presidenta Dilma. 
Estes são apenas três exemplos de retrocesso na caminhada pela garantia da igualdade entre todas as pessoas, no combate à violência, ao preconceito, à discriminação.
Como diria nosso querido Lula: “nunca antes neste país” o governo federal foi tão pautado por posições das bancadas religiosas fundamentalistas, que não têm compromisso com os direitos humanos”.
Fonte: Holofote

DireitosHumanos Homossexuais podem ser tratados sim, afirma Psicóloga Marisa Lobo.

 

Curar gay não é possível, por não ser doença, mas aliviar conflitos psiquicos gerados, e atender o desejo do cliente inclusive de mudança de orientação sexual, isto podemos. A resolução 01/99 tem sido mal interpretada.” Garante psicóloga Marisa Lobo.

O CFP faz terrorismo com os psicólogos e a sociedade quando, nas entrelinnhas, deixa claro em tom de ameaça, como fizeram comigo, que Homossexuais não podem ser tratados.

Entendo e concordo que como doença não podemos porque, se a Organização Mundial de Saúde (OMS) determinou que não é uma doença, quem somos nós para não concordar? Porém devemos levantar uma questão muito séria que tem sido negligenciada, e tem ficado velada como algo proibido, censurado de se dizer. A sociedade acadêmica, em todas as áreas, tem recebido informações manipuladas, conforme desejos e interesses de alguns militantes que mais parecem políticos, do que profissionais de saúde mental.

Criou se uma falsa idéia, um mito, de que a homossexualidade não pode e não deve ser tratada e quem, por insatistação, por não aceitação de sua própria condição, orientação e ou opção tentar mudar, ou tratar esta realidade distônica, por assim dizer, estará incorrendo em um crime.

Lembrei-me agora do termo alienação parental onde um dos pais, para garantir o patrio poder sobre seu filho, aliena a criança colocando inscrições falsas em seu cérebro, difamando o outro lado deste relacionamento, criando, com esta alienação, uma subjetividade mentirosa que acaba se tornando uma verdade fabricada, ou seja, uma situação falsa é gerada e aceita como verdadeira, prejudicando a criança em sua estrutura emocional para o resto da vida. Mas, quem se importa? o alienador não se preocupa pois o que vale é seu direito de poder sobre o outro, e seus interesses escusos, nunca os sentimentos e desejos desta criança em sí.
Em cima de uma inverdade de que a resolução proibe tratamento para homossexuais, e quem ousar tratar será cassado, por exemplo, criou se um silêncio em torno do assunto, que virou um mito e tabú, e ninguém ousa questionar.

Pois bem, sem medo de ser cassada, e nem tão pouco estar induzindo ao erro e ou a preconceito, mas apenas como informação, posso afirmar que a resolução diz que não podemos tratar a homossexualidade como doença, sim, como se segue – “artigo 3: Neste sentido proíbe os psicólogos a realizar qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas e proíbe os psicólogos de adotarem ações coercitivas tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados.”

Entendam que a expressão “não solicitados” quer dizer que, se o paciente não solicitar, não posso tratar é uma máxima. Por outro lado também deixa claro que, se for solicitado pelo paciente, por qualquer motivo que seja, desde que seja seu desejo, este será por mim respeitado. Se a demanda for do paciente deve sim, o profissional, ajudar a dimininuir o sofrimento psiquico e fazer a vontade do paciente, ainda que esta vontade seja mudar sua orientação sexual quer de homo para hetero, ou de hetero para homo. Não importa pois, se importar para mim, estarei eu impondo valor um juizo . Certo?

A Resolução não impede os psicólogos de atenderem pessoas que queiram reduzir seu sofrimento psíquico causado por sua orientação sexual, seja ela homo ou heterossexual. A proibição é claramente colocada na adoção de ações coercitivas tendentes à cura e na expressão de concepções que consideram a homossexualidade doença, distúrbio ou perversão. Diz Odair Furtado em 2003 quando era presidente do Conselho federal de Psicologia Publicado em vários sites inclusive no portalhttp://portugalgay.pt/politica/brasil01.asp

Podemos, sim, tratar do sofrimento psiquico de qualquer paciente, seja ele quem for. A resolução 01/99 tem sido mal interpretada impondo um valor e um juizo falsos pois, desde que foi criada, nunca respeitou a vontade do paciente e sim impôs uma unilateralidade obrigatória e, é claro, o movimento GLBTT, hoje com a ajuda do CFP, por interesses políticos e ou financeiros de alguns até mesmo para manter sua existência, tem reforçado de maneira ostensiva e agressiva inventando essa mentira, desrespeitando o cidadão.

 
Esse cidadão em questão pode ser gay, mas não pode querer ser hetero? Eu me pergunto por que um homossexual insatisfeito com sua condição não pode tentar mudar de orientação? E se um heterossexual quiser mudar, ele pode? O preconceito da imposição e o desrespeito a constituição no artigo 5ª e no artigo 18 da Declaração dos Direitos Humanos é visível, não está sendo respeitado, e ninguém questiona por que os fabricantes de opiniões estão na mídia sugestionando diariamente toda uma nação a acreditar numa mentira.

Como psiquiatras e psicólogos, conhecedores de saúde mental, sabemos das angústias e enfrentamentos como sujeitos de alguns transtornos gerados por nossa sexualidade e, de modo geral, temos sim que reconhecer algumas lutas interiores, e deve o psicologo, por ética não impondo valor "moral", dar todo o acolhimento sem medo de quaisquer represálias, pois é direito do cidadão.

Furtado ainda reforça – “Os psicólogos não podem, por regra ética, recusar atendimento a quem lhes procure em busca de ajuda.” Por isso é equivocada qualquer afirmação de que os psicólogos estão proibidos de atenderem homossexuais que busquem seus serviços, incluindo a demanda de atendimentos que possam ter como objeto o desejo do cliente de mudança de orientação sexual, seja ela hetero ou homossexual. No entanto os psicólogos não podem prometer cura, pois não podem considerar seu cliente doente, ou apresentando distúrbio ou perversão.

Por pressões, e medo de serem cassados, nos ultimos 10 anos professores universitários passaram a falsa idéia de que os homossexuais não podem ser tratados por psicólogos quanto a sua sexualidade, porque não existe reversão - o que não podemos é tratar como doença, como patologia, como perversão no sentido moral ,porém não só podemos tratar, como não podemos negar ajuda. Está no código de ética.

A manipulação deste fato tem trazido sofrimento a muitos homossexuais que querem tentar ao menos buscar ajuda, por não se aceitarem, não apenas pela igreja, pela religião como querem inconsequentemente afirmar os militantes gays e profissionais irresponsáveis, que como observamos claramente estão inflitrados em todas as universidades, nos movimentos políticos humanistas, e socialistas totalitários, militantes de bandeiras ideológicas disfarçadas de direitos humanos, impondo essa mentira que tem impedido muitos insatisfeitos de buscar uma ajuda profissional.

O que não entendo é que são normas que devem ser seguidas para aceitação de homossexuais, pela sua orientação, mas quando alguns não aceitam a sua orientação não podem, no entendimento dos defensores destes movimentos totalitários ditadores, querer tentar reverter. É no minimo paradoxal.

Direitos humanos são para todos, quando grupos organizados e ditadores militantes lutam pelo relativismo, tentando explicar direitos somente pela ótica da realização pessoal de desejos por exemplo ,deixa de lado a questão social familiar, se esquecendo que vivemos em uma sociedade multilateral, e que estes direitos quando são imputados apenas para alguns são inconstitucionais. Eles usam essa bandeira ideológica apenas para afrontar aos que eles chamam de conservadores, fanáticos, mas eles mesmos se perdem no meio de tanta manipulação.

A questão aqui é de direitos humanos, de ser o que se deseja, e de ter oportunidade de reverter sua sexualidade, se não está feliz com ela. Sabemos que é complexo, que depende de muitos fatores que não podemos discutir aqui de forma leviana. É assunto para terapia apenas no seting terapeutico que, dependendo da sintonia, da identificação da história de vida do sujeito, de seus modelos, de seu aprendizado e seu desejo e vontade interior, etc, mas ele pode fazer mudanças sim, se superar, mudar seu scripte de vida, mudanças tais ainda não conhecidas por nenhum profissional. Não subestime a capacidade de mudança do ser humano, pois não é humano fazer isso. Não temos este direito.

Sei que muitos profissionais sofrem, por não poderem se expressar, por não saberem como agir. A minha luta é a favor da vida, e contra o preconceito, e entendo essa militância do CFP, e do GLBTT como inconstitucional pois privilégios geram preconceitos, devemos lutar juntos pela verdadeira democracia, incluindo o direito de professar a fé, de escolher sua condição ou continuar com ela, ou querer mudar é direito de todos.

Não quero ser mártir apenas, lutar dignamente pelos direitos de todos em igualdade pois a bandeira dos direitos humanos não pode ser usada como bandeira ideológica das minorias contra as maiorias apenas.


Direitos Humanos são multilaterais

Isso é justiça.
Marisa Lobo Psicologa é Cristã 08/07512

Discurso religioso será ponto fundamental nas eleições do Rio

Antigos rivais, o ex-prefeito Cesar Maia (esq.) e o ex-governador Anthony Garotinho (centro) ressaltaram os “valores da família” para tentar evitar a reeleição do prefeito Eduardo Paes (dir.).

Motivo de preocupação para o petista Fernando Haddad na disputa pela Prefeitura de São Paulo, o discurso conservador com viés religioso começa a se desenhar também no Rio. Antigos rivais, o ex-prefeito Cesar Maia (DEM) e o ex-governador Anthony Garotinho (PR) fizeram questão de ressaltar os “valores da família” como ponto fundamental da aliança que acabam de firmar para tentar evitar a reeleição do prefeito Eduardo Paes (PMDB).

“Nossos princípios são nossos alicerces: os valores da família, valores cristãos e o compromisso com a democracia e o estado de direito”, discursou Cesar Maia no encontro que lançou a coligação DEM-PR, na segunda-feira. “Vamos firmar valores conservadores. Não vamos dizer que os outros não têm valores cristãos, cabe a eles dizerem quais são os valores deles. Nós vamos firmar nossa posição.”

A ideia não é transformar temas como legalização do aborto e da maconha e casamento gay em pontos centrais da campanha, mas deixar clara a posição contrária sempre que possível, para fazer Paes também se posicionar. A chapa DEM-PR deve ser formada pelos filhos dos dois veteranos: Rodrigo Maia, católico, candidato a prefeito e Clarissa Garotinho, evangélica, a vice.

“Somos um partido historicamente liberal na economia e, em relação aos valores, conservador, convergente com as ideias do PR do Garotinho. Não temos constrangimento em dizer que somos um partido conservador”, afirma Rodrigo Maia.

Igreja e Estado
Ao contrário de Garotinho e de sua mulher, Rosinha, ex-governadora e atual prefeita de Campos, fiéis da Igreja Presbiteriana, Cesar Maia nunca fez da religião a marca de suas campanhas ou administrações - ele foi prefeito três vezes e será candidato a vereador. Já o casal Garotinho tem um discurso permeado por referências à Bíblia e a valores cristãos. Quando governadora, Rosinha homologou a lei que instituía o ensino religioso nas escolas públicas, um projeto do deputado católico Carlos Dias, o que deu início a uma longa disputa judicial entre grupos a favor da iniciativa e os defensores do Estado laico.

Cesar Maia observa que esta será uma das raras eleições no Rio em que não haverá um evangélico entre os candidatos ao cargo majoritário. Para ele, isso “aumenta o poder de transferência (de voto) da Clarissa Garotinho”.

Nas duas últimas eleições para prefeito do Rio, o candidato evangélico foi o bispo licenciado da Igreja Universal Marcelo Crivella, que acaba de assumir a Secretaria da Pesca, em uma manobra do governo Dilma Rousseff para diminuir a resistência dos fiéis a Haddad. Um dos maiores atritos dos evangélicos com o governo ocorreu no Ministério da Educação, por causa dos kits anti-homofobia que seriam distribuídos nas escolas públicas.

“Quando você escolhe um prefeito, um governador, um presidente, você escolhe um administrador, mas também um líder que serve de exemplo para o povo”, diz Garotinho. “Ninguém está fazendo campanha para papa ou bispo, a campanha é para prefeito. Não vai ser o principal, mas as temáticas religiosas vão estar presentes.”

Ecumênico

Há três semanas, Paes prometeu a líderes evangélicos “a maior Marcha para Jesus de todos os tempos”, em referência ao evento previsto para 21 de abril. O prefeito também tem feito acenos a outros grupos religiosos. Aos católicos, garantiu empenho nos preparativos para a Jornada Mundial da Juventude, em 2013, com participação do papa Bento 16. No ano passado, agradou os seguidores de religiões de origem africana ao dar às festas a Iemanjá o status de patrimônio cultural carioca.

Mas em nenhum segmento religioso Paes tem tanto prestígio quando na comunidade gay. Além de apoiar as marchas realizadas ao longo do ano, o prefeito criou a Coordenadoria Especial de Assuntos da Diversidade Sexual e estimula várias iniciativas, inclusive uma campanha institucional, de combate à homofobia.

Fonte: Estadão

parabens senador - Crivella afirma que sua nomeação não assegura apoio de evangélicos a Haddad

"Para os evangélicos, a questão do aborto, do casamento, da família, é muito importante", afirmou o ministro da pesca, Marcelo Crivella.

O novo ministro da Pesca, senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), admitiu ontem que não tem conhecimentos sobre o setor pesqueiro. "Eu não ponho uma minhoca no anzol", afirmou à Folha.

Na véspera de assumir, Crivella disse que vai "aprender com técnicos" da pasta por ter formação de engenheiro civil.

"[Mas] não estou indo para o ministério para pescar, e sim para trabalhar. Eu sei que lá tem muitos técnicos bons, bons pescadores", afirmou.

Representantes da indústria da pesca reagiram mal à mudança -Crivella é o terceiro no cargo no governo Dilma.

"O ministério virou uma moeda de troca política. É péssimo porque a pessoa, quando começa a tomar conhecimento do ministério, é trocada", criticou Rainer Gonçalves, representante do setor em Florianópolis (SC).

Bispo licenciado da Igreja Universal, Crivella disse que vai ser o interlocutor dos evangélicos junto a Dilma. Afirmou, porém, que sua indicação não assegura o apoio.

"Para os evangélicos, a questão do aborto, do casamento, da família, é muito importante. Ela pode colocar todo o ministério evangélico que, se ela aprovar leis que são contra a família e contra a vida, vai perder o apoio dos evangélicos. Nesse caso, não tem santo que ajude."

Para Crivella, sua nomeação como ministro não é uma forma de pressão para que o PRB retire a candidatura de Celso Russomano (PRB) à prefeitura de São Paulo e apoie Fernando Haddad (PT).

Fonte: Folha de São Paulo

Grupos cristãos são perseguidos no Cazaquistão


Grupos cristãos são perseguidos no Cazaquistão
Centenas de pequenos grupos religiosos tiveram seus registros anulados no Cazaquistão, como um ato oficial do Ministério de Assuntos Religiosos do país, que considera tais atividades como ilegais.

Muitas denominações cristãs, incluindo Batista e Presbiteriana, estão entre os 579 grupos religiosos que foram desregistrados das permissões do governo de fazerem seus cultos.

Kairat Lama Sharif, presidente da Agência de Assuntos Religiosos, descreveu que caiu em 13% o número de grupos religiosos que eram oficialmente reconhecidos pelo Estado. Ele disse que o número ainda pode aumentar à medida que a nova lei religiosa do país seja aplicada.

Um grupo religioso precisa ter, pelo menos, 50 membros adultos para se tornar registrado no Cazaquistão. Os líderes de pequenas igrejas receberam avisos oficias para que parassem suas reuniões.

Pequenas igrejas ainda estão realizando seus cultos normalmente, mas estão enfrentado a perseguição do Estado. Um representante de uma igreja disse que os cristãos agora estão com mais medo. "Estamos preocupados com possíveis punições das autoridades”.

Para muitos, agora o registro de suas igrejas será quase impossível, pois é muito difícil conseguir 50 assinaturas de pessoas que frequentam suas igrejas, pois em sua maioria, as igrejas possuem menos de 50 membros.


Fonte: Portas Abertas

Anúncio ateu em árabe e hebraico chama Deus de mito

Anúncio ateu em árabe e hebraico chama Deus de mito
Uma “guerra” de mensagens em outdoors está sendo travada a anos por ateus e cristãos. Agora, a associação Ateus Americanos decidiu voltar sua atenção para muçulmanos e judeus, fazendo mensagens ateístas em árabe e hebraico.
Os ateístas irão lançar a campanha hoje na região de Nova York, com outdoors que trazem a seguinte mensagem “Você sabe que é um mito … mas você tem uma escolha”. As mensagens perto da ponte de entrada da ilha estão em inglês e árabe, usando a palavra Allah. No Brooklyn, o texto está em inglês e hebraico, com o termo Jeová.
Dave Silverman, presidente da Ateus Americanos, disse que o objetivo é alcançar os ateus que vivem em comunidades de muçulmanos e de judeus, que acreditam não terem escolha por estarem cercados pelos seus parentes e amigos devotos.
“Se há ateus nessas comunidades, queremos chegar até eles. Deixamos claro que eles não precisam viver dessa maneira, se não quiser”, diz Silverman. Ele também anunicou que haverá uma convenção nacional dos ateus americanos, em Washington no próximo mês.
Os ateus, proporcionalmente, são um dos grupos que mais crescem nos Estados Undios. Silverman reconhece que os outdoors poderão causar protestos. “As pessoas religiosas vão ficar chateadas”, diz ele. ”Mas essa não é nossa preocupação.”
“Nós estamos tentando apenas divulgar nossa existência para os ateu dessas comunidades. O objetivo não é provocar, mas sim fortalecer o movimento ateísta nas comunidades muçulmana e judia.”
Mohamed Elfilali, diretor executivo do Centro Islâmico, riu quando soube do outdoor em árabe. Ele está surpreso que alguém esteja gastando dinheiro com isso. “Não é a primeira nem será a última vez que as pessoas dizem esse tipo de coisas sobre Deus ou religião”, diz Elfilali. ”Eu respeito a opinião das pessoas sobre Deus, obviamente, eles têm seus direitos… Infelizmente, há uma necessidade de dividir a sociedade ao invés de construir pontes”, diz ele.
O rabino Serge Lippe, da sinagoga Brooklyn Heights, deu uma resposta similar. “Nos Estados Unidos estamos cercado de ideias. As pessoas acham que podem colocar esses horríveis outdoors inadequados para expressar suas idéias.”
Lippe, contudo, reconheceu que há muitos judeus agnósticos e ateus. Uma pesquisa recente do Instituto Gallup afirma que 53% dos judeus se considera não-religioso.
“Haverá mais outdoors desse tipo”, afirma Silverman. ”Não vamos nos limitar a muçulmanos e judeus, vamos colocar essa mensagem em várias comunidades diferentes, para fazermos os ateus sairem do armário”.
Em outros anos, os Ateus Americanos fizeram uma campanha de Natal com um outdoor que dizia “Você sabe que é um mito”. A Liga Católica, na ocasião, contestou o outdoor colocando outro que dizia: “Você sabe que é real. Neste momento, celebre a Jesus.”

VIA GRITOS DE ALERTA / GOSPEL PRIME
Traduzido e adaptado de CNN

Você ė um sacerdote aprovado ou reprovado por Deus?

Um importante item na vida de todo cristão é o serviço adequado a Deus. O Senhor pode permitir que sirvamos no templo (uma figura da igreja), mas em que parte desse templo estamos servindo?
No tempo de Ezequiel há uma interessante distinção entre os sacerdotes levíticos que guardavam a porta do templo e os filhos de Zadoque, que ficavam no interior do templo, em comunhão com Deus. ´
E uma questão de intimidade no serviço: Podemos ficar à porta, suando ao servir às necessidades do povo de Deus. Podemos também ficar no interior, servindo, desfrutando e nos alimentando da presença de Deus.
Prosseguindo com a aplicação da figura destes dois grupos de sacerdotes do AT, podemos perceber a existência de dois tipos de cristãos nos dias de hoje:
1o. Tipo: Cristãos concentrados em servir ao povo. Preocupam-se em ganhar almas para o Senhor e servir ao Seu povo. São ávidos e rápidos em pregar o evangelho, mas não se preocupam em parar para ouvir as instruções do Senhor a respeito de quando e como isso deve ser feito. Fixam-se em determinadas doutrinas e revelações,.mas não possuem uma visão panorâmica e profundo do Senhor na Bíblia. Por estarem focados no homem, centralizam-se em torno de homens. Por crerem que estão fazendo a vontade de Deus, dificilmente percebem que as diversas e sutis formas de idolatria, do desvio e do erro. Por gostar de servir ás necessidades e anseios do povo, criam estratégias para conquistar sua atenção. Criam lugares aconchegantes para orar, louvar, comer, tomar um cafezinho e até mesmo vender um livro, CD, DVD ou qualquer coisa que ajude na evangelização, no culto e na adoração. Por estarem às portas, gostam de controlar quem entrava ou quem sai. Fazem todas estas coisas e muito mais, de forma muito animada e entusiasmada sem perceber que se afastavam da presença do Senhor.
2o. tipo: Cristão que gostam de ouvir ao Senhor e ler atentamente a Bíblia e guardar as ordenanças (a lei) a respeito do que fazer no santuário em tempos de desvio e idolatria. Se achegam a Deus e à Sua mesa para O servir, dentro do santuário. Não se preocupam nem se esforçariam com obras que produzissem suor. Seriam acolhidos pelo Senhor em Sua mesa e em Sua intimidade.
Confira abaixo esta importante e reveladora passagem das Sagradas Escrituras e saiba qual era o segredo dos filhos de Zadoque para que fossem agradáveis ao Senhor:
"Mas os levitas que se apartaram para longe de mim, desviando-se de mim após os seus ídolos, quando Israel andava errado, levarão sobre si a sua punição. Contudo serão ministros no meu santuário, tendo ao seu cargo a guarda das portas do templo, e ministrando no templo. Eles imolarão o holocausto, e o sacrifício para o povo, e estarão perante ele, para o servir. Porque lhes ministraram diante dos seus ídolos, e serviram à casa de Israel de tropeço de iniqüidade; por isso eu levantei a minha mão contra eles, diz o Senhor Deus, e eles levarão sobre si a sua punição. E não se chegarão a mim, para me servirem no sacerdócio, nem se chegarão a nenhuma de todas as minhas coisas sagradas, às coisas que são santíssimas; mas levarão sobre si a sua vergonha e as suas abominações que cometeram. Contudo, eu os constituirei guardas da ordenança no tocante ao templo, em todo o serviço dele, e em tudo o que nele se fizer. Mas os sacerdotes levíticos, os filhos de Zadoque, que guardaram a ordenança a respeito do meu santuário, quando os filhos de Israel se extraviaram de mim, eles se chegarão a mim, para me servirem; e estarão diante de mim, para me oferecerem a gordura e o sangue, diz o Senhor Deus; eles entrarão no meu santuário, e se chegarão à minha mesa, para me servirem, e guardarão a minha ordenança. Quando entrarem pelas portas do átrio interior, estarão vestidos de vestes de linho; e não se porá lã sobre eles, quando servirem nas portas do átrio interior, e dentro da casa. Coifas de linho terão sobre as suas cabeças, e calções de linho sobre os seus lombos; não se cingirão de coisa alguma que produza suor." (Ezequiel 44:10-18).
O segredo dos filhos de Zadoque é revelado no versículo 15: "guardaram a ordenança a respeito do meu santuário, quando os filhos de Israel se extraviaram de mim". Uma parte importante das ordenanças a respeito da nossa relação com o Senhor para o serviço e a edificação do Seu santuário (a igreja) está na passagem abaixo:
"Depois tomarás o outro carneiro, e Arão e seus filhos porão as mãos sobre a cabeça dele; e imolarás o carneiro, e tomarás do seu sangue, e o porás sobre a ponta da orelha direita de Arão e sobre a ponta da orelha direita de seus filhos, como também sobre o dedo polegar da sua mão direita e sobre o dedo polegar do seu pé direito; e espargirás o sangue sobre o altar ao redor. (Êxodo 29:19-20)
Observe bem a ordem da purificação do sangue no corpo do sacerdote:
- orelha direita
- polegar direito
- pé direito
O que isto significa?
-Primeiro devemos purificar nossos ouvidos para ouvir ao Senhor. Como os ouvidos adequados, saberemos o quê Ele quer, quando Ele quer e como Ele quer. É Ele quem dita as regras para o nosso serviço e não estratégias formuladas por homens.
- Depois nossas mãos poderão O servir em nossa localidade. Ali, junto com os irmãos, ganharemos experiências mais profundas com Ele e com o Seu maravilhoso corpo.
- Depois nossos pés poderão caminhar para anunciar o evangelho em outras cidades
Lembremo-nos do exemplo de Paulo e da igreja em Antioquia:
Depois que creu no Senhor e recebeu todas as magníficas revelações, Saulo ficou, pelo menos, 10 anos, de molho, na igreja em Antioquia. Ele não fazia nada de extraordinário, "apenas" orava, jejuava e ministrava perante o Senhor. Ali ele vivia uma "vida da igreja" normal com os irmãos, exercitando (sem CEAPE) os seus dons. Com ouvidos santificados e sensíveis, ele ouviu o suave falar do Espírito Santo que o separou, junto com Barnabé, para a obra .
Essa é a forma normal de servir ao Senhor!.
"Ora, na igreja em Antioquia havia profetas e mestres, a saber: Barnabé, Simeão, chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço de Herodes o tetrarca, e Saulo. Enquanto eles ministravam perante o Senhor e jejuavam, disse o Espírito Santo: Separai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado." (Atos 13:1-2)
Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz as igrejas.

VIA GRITOS DE ALERTA  / ANTIPAS