domingo, 5 de fevereiro de 2012

Salão Internacional Gospel

A curiosa fé do Copimismo, religião que prega Ctrl+C, Ctrl+V

 

Fundada na Suécia, Igreja Missionária do Copimismo foi buscar na Bíblia autorização para copiar e difundir arquivos pela internet. Seus fiéis citam Coríntios, capítulo 1, versículo 11:1: “Me imitem, assim como eu imito Cristo”

Carol Nogueira
Isak Gerson, líder do Copimismo Isak Gerson, líder do Copimismo (Arquivo pessoal)
Entre os fiéis, está a universitária Malin Ahnberg, de 20 anos, um dos filiados do Partido Pirata sueco que abraçaram com fervor a nova fé. Embora seja adepta da religião há pouco menos de um ano, Malin diz – sem o menor pudor e não sem orgulho – que todos seus trabalhos escolares sempre foram fruto do Copimismo. “Eu costumava copiar livros e informações para meus seminários”, conta a garota. “Algumas pessoas são mais iluminadas, como Isak. Ele tem feito isso há muito tempo”, explica.
Opinião parecida vem da bióloga americana Erica Stone, de 32, que só ouviu falar do Copimismo há dois meses, mas garante que partilha das ideias da religião desde o seu nascimento. “Todos os dias, células são copiadas no meu corpo."
Tarde da noite. Um grupo de homens e mulheres com idade entre 20 e 60 anos se reúne em uma sala cujo endereço é protegido a sete chaves. Eles ligam seus computadores e começam a digitar. Das páginas da internet coletam dados de todo tipo, sigilosos ou não, e os espalham. Primeiro, compartilham arquivos uns com os outros. E, depois, com o mundo. Eles não fazem parte de uma sociedade secreta, nem são informantes do Wikileaks, mas religiosos da Igreja Missionária do Copimismo.

Fundada em 2006 na Suécia, terra onde surgiu o Partido Pirata, a seita do Copimismo tem como preceito copiar como forma de difundir conhecimento. O fundamento está na Bíblia, garantem os copimistas, que citam Coríntios, capítulo 1, versículo 11:1: “Me imitem, assim como eu imito Cristo”. Para os fiéis dessa pouco convencional igreja, compartilhar informação por meio de downloads de CDs, DVDs e até softwares é sagrado, mesmo que isso signifique infringir a legislação sobre direitos autorais. Embora vivam no limite da legalidade, os seguidores ainda não tiveram problemas com a justiça.

“Podemos ser presos pelo que fazemos. Por isso, tentamos preservar nossas identidades por muito tempo”, diz o estudante de filosofia sueco Isak Gerson, de apenas 20 anos de idade, que diz ter sido eleito líder espiritual da Igreja e um de seus fundadores. Apesar da pouca idade, Gerson jura que só copia por fé – e não para, como muitos da sua faixa etária, economizar uma grana deixando de comprar discos e filmes.

Foi aliás pelo desejo de tornar o Copimismo sério aos olhos dos “leigos” que Gerson apelou às autoridades suecas para que o reconhecessem como uma verdadeira religião. E, por mais absurdo que possa parecer, o governo da Suécia emitiu no fim do ano passado o documento de registro. “Agora que fomos reconhecidos, queremos ser ouvidos”, diz o líder, assumindo um discurso pretensamente sério. “Nós não acreditamos no sistema atual de direitos autorais, por isso queremos mudá-lo. Nós participamos da greve geral contra o Sopa e as propostas americanas contra a pirataria. Não vemos essa questão apenas sob o ponto de vista dos direitos autorais, mas sim como um ataque em grande escala à internet. Por isso, precisamos pará-los.”

Mas, como não é bobo nem nada, o papa do Copimismo dá a seus fiéis, entre outras recomendações, a de evitar registros de suas atividades religiosas. Sem prova, não há crime, já diria um sábio detetive livresco. Mas, para o advogado americano Steven Johnson, da firma Jones Day, Gerson e seus amigos podem ter achado uma brecha constitucional capaz de blindá-lo. “Nos Estados Unidos, a liberdade religiosa é garantida pela primeira emenda. E a maioria dos países mais democráticos não interfere na crença das pessoas, porque é contra a lei. Me parece que ele está muito bem informado sobre a situação legal em que se encontra.”
Arquivo pessoal
Isak Gerson, líder do Copimismo
Isak Gerson, líder do Copimismo
Liturgia – Como toda religião, essa segue uma liturgia própria. Mas não tem Bíblia, Torá ou Corão. Apenas uma constituição, em que se lê coisas como “Disseminar informações é ético” e "Para pertencer à comunidade copimista, não é preciso fazer parte de nenhuma organização. Basta respeitar e adorar a mais santa das santas: a informação". Ou ainda a recomendação para que os fiéis não guardem registros de suas atividades religiosas – uma forma, para o bem ou para o mal, de burlar as leis de direitos autorais.

Quando querem orar, os fiéis dessa pouco convencional igreja apelam para as teclas “Ctrl C” e “Ctrl V” do teclado mais próximo. Começa, então, uma grande troca de informações. “Compartilhamos qualquer coisa que nos der na telha. Pode ser um texto, uma música, um vídeo. Qualquer coisa que faça sentido para nós no momento. Primeiro, cada fiel copia do outro e, ao final de cada sessão, encorajamos uns aos outros a disseminar aquela informação fora da comunidade”, conta Gerson. A dica do papa do Copimismo para saber se você é um deles é curiosa – além de polêmica aos olhos da lei. “Acho que, se a pessoa sente uma conexão sagrada e mística ao ato de copiar, ela é copimista.”

Entre os fiéis, há uma colega de sala de Gerson na faculdade de Uppsala, Malin Ahnberg, de 20 anos, um dos filiados do Partido Pirata sueco que abraçaram com fervor a nova fé. Embora seja adepta da religião há pouco menos de um ano, Malin diz – sem o menor pudor e não sem orgulho – que todos seus trabalhos escolares sempre foram fruto do Copimismo. “Eu costumava copiar livros e informações para meus seminários”, conta a garota. “Algumas pessoas são mais iluminadas, como Isak. Ele tem feito isso há muito tempo”, explica.

Opinião parecida vem da bióloga americana Erica Stone, de 32, que só ouviu falar do Copimismo há dois meses, mas garante que partilha das ideias da religião desde o seu nascimento. “Todos os dias, células são copiadas no meu corpo. A cópia é a única razão para a raça humana existir. Essa condição nos humaniza. A cópia guarda os segredos do nosso passado, presente e futuro”, diz Stone.
Símbolo sagrado do Copimismo
Uma rede social – O preceito principal, copiar e multiplicar, está sendo seguido. Até agora, a igreja sueca reconheceu iniciativas semelhantes em mais de treze países e contabiliza cerca de 5.000 membros. Nesta semana, parece ter sido a vez de os brasileiros entrarem para o time. Uma comunidade recém-criada no Facebook batizada de Igreja Kopimista do Brasil conta com seis membros, mas tem verniz debochado. Na única imagem publicada até agora pelo perfil, há uma imagem católica com a legenda “Nossa Senhora dos Downloads Impossíveis”. O criador da página brasileira não respondeu ao contato do site de VEJA.

O porta-voz do Partido Pirata brasileiro, Luiz Felipe Cruz, afirma que muitos membros do partido simpatizam com o Copimismo, mas não são praticantes. “Tudo que acontece ao nosso redor agrega conhecimento para desenvolver um pensamento crítico. O conhecimento é útil para o desenvolvimento da nossa sociedade”, afirma Cruz. Segundo ele, o partido já iniciou uma deliberação para formar a opinião do movimento sobre o Copimismo. E dá para algum pirata ser contra?

PREPARAÇÃO PARA OBREIROS

“Fiel é esta palavra: Se alguém aspira ao episcopado, excelente obra almeja.”

1 Tm 3.1
Objetivos

Este curso tem por objetivo:

preparar obreiros para o serviço do Senhor em nossas congregações;
dar o crescimento em qualidade ao Ministério das nossas igrejas;
evitar os escândalos no Corpo de Cristo; e
orientar a vida ministerial dos amados irmãos.
Introdução
Sempre foi necessário ao ministério das igrejas evangélicas um curso preparatório para os obreiros, tudo em virtude do crescimento ministerial que tem ocorrido nas igrejas e da crescente onda de mundanismo que tenta invadir as congregações em nosso país e ao redor do mundo. Como se vê, este trabalho não está voltado ao simples conhecimento teológico acerca das doutrinas cristãs, mas o objetivo central é preparar o obreiro no exercício das funções ministeriais. Haja vista que a estrutura social da Igreja tem tomado muito mais forma do que a espiritual. Aqueles que tem aceitado a Cristo hoje, já não se parecem nada com o cidadão que o aceitava há vinte anos atrás, geralmente ele conhece as leis civis, os códigos de conduta sociais e às vezes alguns aspectos da fé. É comum atualmente ouvirmos termos como: ética, respeito, educação, postura, etc, sendo exigido de nossos obreiros, por parte dos membros da igreja. Essa é uma característica do tempo presente, o lado social vai crescendo enquanto o espiritual vai ficando para o segundo plano, isso deve ser combatido, e só com obreiros preparados isso será possível.

É fácil observar pessoas tristes e frustradas por não receberem uma oportunidade ou não serem convidadas para esse ou aquele evento na igreja. A idéia com esse estudo, é mostrar o que a Bíblia nos ensina, pois é possível ser social e altamente espiritual At 6.5. Hoje o Obreiro deve aprender que “estar ligado” nem sempre é estar em espírito, às vezes é “estar prestando atenção!”

Definições
Damos aqui algumas definições para facilitar o estudo:


Obreiro
Em um sentido genérico, seria todo aquele que trabalha na Obra do senhor, mas o termo é usado especificamente no meio evangélico para designar os que foram consagrados para exercerem cargos ministeriais de qualquer natureza, seja pastor, presbítero, diácono ou auxiliar de trabalho, seja homem ou mulher, todos são obreiros do Senhor, é muito comum na Assembléia de Deus o uso do termo para designar apenas o auxiliar de trabalho ou cooperador.


Pastor
É o anjo da Igreja, ou líder espiritual do rebanho, o que tem a função principal de apascentar as ovelhas e recebe orientação do Senhor no desempenho dessa missão Ap 2.1. Em o Novo Testamento equivale a bispo e presbítero At 20.17,18, mas atualmente nas Assembléias de Deus se diferencia do presbítero nas funções ministeriais, e vem depois do bispo na hierarquia funcional das denominações que possuem o sacerdócio episcopal. Tem a função também de administrador da Igreja de Cristo 1 Pe 5.1-3. Devido à necessidade da obra de Deus e ao chamado, o pastor também recebe designações especiais como Evangelista e Missionário.


Evangelista
Equivalente ao cargo de pastor e muitos vezes é chamado de pastor evangelista, tem a função de coordenar os trabalhos de evangelismo na área de influencia da igreja local, pode também ser enviado para abrir ou dirigir algum trabalho de oração ou até mesmo alguma congregação.


Missionário
É o obreiro comissionado para uma obra de missão, dentro ou fora do país, para evangelização e/ou abertura de congregações, é também atribuído às irmãs consagradas para essa obra.


Presbítero
O nome vem do grego que significa “o mais idoso” era o ancião responsável pela observância da justiça nas cidades gregas, em o Novo Testamento, equivale ao pastor e ao bispo At 20.17,18, e por essa equivalência em muitas denominações atualmente o presbítero se constitui em um auxiliar e substituto direto do pastor e exerce funções administrativas e de ministro, responsável pelo ensino da Palavra, aconselhamento, direção dos trabalhos da igreja e unção com o óleo, entre outras. No tempo apostólico o presbítero era o dirigente das congregações Tt 1.5-7, atualmente vem depois do pastor na hierarquia funcional, há quem critique as denominações evangélicas de tirarem o sentido real e a importância da palavra ao criarem o cargo de pastor.




Diácono
O nome vem do grego e significa “servidor”, leia At 6.1-7. Entende-se nesta passagem que o objetivo da instituição dos diáconos era basicamente para servir as mesas, mas devido à ascensão social da Igreja as funções do diácono tiveram seu caráter modificado, embora mantenha a mesma essência, agora o diácono é o principal responsável pelos meios que fazem o culto funcionar, como água, som, limpeza da igreja, organização, e anotações diversas entre outras. Diante do aqui exposto o diácono é o cargo ministerial que melhor expressa a intenção do Senhor em Jo 13.12-15. O ideal é que todo obreiro antes de alcançar qualquer função de maior responsabilidade ou relevância na Obra de Deus, tenha passado pela escola do diaconato, assim como Moisés passou quarenta anos no deserto aprendendo a servir em humildade para só depois então, ser enviado pelo Senhor para libertar e conduzir o povo de Deus pelo deserto até a terra prometida Ex 3.2,10.


Diaconisa
É o equivalente ao diácono e diz respeito às irmãs consagradas com as mesmas funções dos diáconos, algumas denominações não adotam este cargo por não encontrarem referência Bíblica dele, porém existem tarefas que são peculiares às irmãs, como cozinhar, tomar conta de berçário entre outras. Várias mulheres na Palavra de Deus, foram cooperadoras do Senhor Jesus no seu ministério terreno Mt 27.55,56.


Auxiliar de Trabalho (Cooperador)
O Auxiliar de Trabalho é uma função que precede ao Diácono, o termo é relativamente novo e não se encontra na Bíblia, por conta disso, algumas denominações mais rígidas quanto à doutrina, não o reconhecem como cargo ministerial. Embora não haja referência bíblica sobre o cargo, ele pode ser inferido no contexto de 1 Tm 3.10. Baseado neste conceito, o cargo de auxiliar de trabalho foi criado com o objetivo de experimentar o obreiro para o diaconato, é como se o obreiro ficasse em um período de observação, para ao ser aprovado como obreiro, fosse então consagrado a Diácono. Ocorre freqüentemente no meio “assembleano”, que alguns auxiliares de trabalho se destaquem tanto, que a própria igreja local o considerem como diácono antes mesmo da sua consagração.

Obs.:

Convém observarmos antes de iniciarmos o estudo propriamente dito, que o corpo de obreiros, está sob a liderança do pastor e tem como atribuição principal a de liderar e organizar a comunidade dos remidos, sendo como auxiliares do pastor no desempenho de sua missão, que é a de conduzir o povo de Deus ao céu, para essa atribuição seja desempenhada com êxito, é necessário que no ministério haja organização, e por isso os obreiros obedecem a uma hierarquia funcional eclesiástica, onde viria na seguinte ordem: pastor presidente, pastor auxiliar, evangelista ou missionário, presbítero, diácono e auxiliar de trabalho. Convém lembrar que a hierarquia aqui exposta é apenas funcional e não pessoal, é apenas para fins de organização e trabalho, a hierarquia no reino de Deus obedece ao critério da humildade Lc 22.24-27.


CONDUTA DO OBREIRO NAS ATIVIDADES DA IGREJA
É durante o culto e eventos, da igreja, que o obreiro mais tem contato com os membros de uma forma geral, é nesse momento que ele é observado e julgado por suas atitudes pela igreja, podemos minimizar ao máximo os danos causados pelo julgamento precipitado, observando, além daquilo que a Bíblia coloca como requisitos para o ministério e das tarefas específicas do obreiro, alguns procedimentos diante da igreja, que passaremos a apresentar a seguir.

Tudo o que a Bíblia ensina como comportamento e ordenanças para o povo de Deus, deve ser primeiramente evidenciados nos obreiros para que estes sirvam como exemplo para todos os membros, assim o obreiro será também um agente motivador.

Obs: Todas as recomendações apresentadas aqui, devem ser seguidas por todos os obreiros, seja homem ou mulher, basta que esteja a serviço do Senhor.


Aspectos Pessoais
a) Apresentação individual
Qualquer empresa ou instituição zela pela boa apresentação de seus funcionários, pois isso por si só já se constitui em um cartão de visita, é correto afirmarmos que a roupa não salva, mas também devemos observar na casa de Deus o que a Bíblia chama de “ordem e decência,” até mesmo pela ênfase que Palavra de Deus dá ao assunto At 6.3. Detalhes como roupa limpa e passada, barba bem feita, cabelo cortado, sapato engraxado e unhas cortadas, podem fazer muita diferença diante de Deus e dos homens. Diante de Deus, pela importância que demonstramos a tudo aquilo que se relaciona com nosso Deus e diante dos homens pela ação motivadora e glorificação ao nome de Deus 2 Cr 9.3,4.
b) Gentileza
Há razões simples para sermos gentis no trato com todos, uma delas seria a própria fé que pregamos, pois seria no mínimo incoerente falarmos que o fruto do espírito é amor, benignidade, bondade, paz, etc, Gl 5.22, e assumirmos uma atitude hostil ou ranzinza para com os irmãos. Existe principalmente a questão do exemplo, é fácil notar quando existe o clima fraternal entre os irmãos, pelo sorriso espontâneo, pelo abraço, entre outros gestos, e isso também pode ser percebido pelos de fora, a exemplo disso existem muitos irmãos que ao procurarem uma igreja para congregarem, acabam preferindo aquela onde além de serem, melhor recebidos, também observaram as atitudes uns para com os outros. As pessoas estão procurando os lugares onde se prega e se vive a Palavra de Deus, esperamos convencê-las que isso ocorre em nossas igrejas, porém sabemos que o exemplo fala mais que as palavras 1 Jo 3.18, além do mais para aquele que é gentil o Senhor está pronto para abrir as portas 1 Sm 16.18.
c) Educação
O obreiro deve observar regras simples de boa educação como aguardar sua vez de falar, pedir licença ao sair e ao entrar, cumprimentar a todos quanto for possível, evitar gritarias, respeitar a hierarquia funcional usando os pronomes de tratamento corretos (Sr ou você), nisso estaremos todos em uma só ligação, além dessas regras existem outras, é só ter um pouco de bom senso e seguir a Palavra de Deus, Mt 7.12.
d) Ética
Ética são códigos de conduta para o bom relacionamento entre as pessoas dentro dos grupos, variam de grupo para grupo, existem ética empresarial, ética política, etc e também existe a ética cristã. São códigos que se forem quebrados podem danificar os relacionamentos, prejudicar a imagem da instituição e até trazer escândalos ao Corpo de Cristo, convém estar atento a alguns procedimentos:
- Celulares, os obreiros devem colocar seus aparelhos para o modo silencioso ou desligarem durante o culto;
- Evitar conversas a parte com irmãs casadas ou entre obreiros casados e irmãs solteiras, a não ser quando for necessário e por breve período de tempo;
- Evitar beijos no rosto e abraços com as irmãs, que se conhece há pouco tempo ou novas convertidas;
- Evitar ficar do lado de fora da igreja durante o culto;
- Evitar andar sem necessidade no meio da igreja durante o culto;
- Ser breve nas oportunidades, evitando principalmente histórias particulares e infindáveis;
- Nas oportunidades, nunca se referir ao problema particular de um irmão por mais que seja do conhecimento de todos;
- Não chamar a atenção dos obreiros diante da igreja, deve-se falar em particular, na presença de outro obreiro ou nas reuniões;
- Evitar o uso de apelidos;
- Respeitar a dor dos outros;
- Ao orar em grupo, deve ser feito com ordem e em comum acordo com os irmãos, para evitar os falatórios sem objetivo;
- Evitar quaisquer atividades que tirem a ligação do culto, como trocar uma lâmpada, arrastar uma mesa, afinar uma guitarra ou bateria, salvo o que for necessário, todo preparo do culto deve ser feito antes;
Além dessas normas, poderíamos citar muitas outras, mas por hora essas parecem ser as mais comuns. O obreiro deve aprender que a ética a ser praticada entre os irmãos do Ministério e destes para com os membros da igreja, é aquela que leva em consideração a pessoa do próximo, seu nível social, seus costumes, seu patamar espiritual, etc. Diante disso entendemos que alem da Ética Cristã, que é comum a todos os crentes, existem também a ética social e a cultural que variam de indivíduo para indivíduo ou entre grupos, nem sempre o que é certo pra mim, será para o meu irmão, um exemplo clássico disso é aquele irmão que tem o costume de cumprimentar as irmãs com beijos no rosto ou às vezes com abraços, esse costume geralmente vem do convívio familiar e não representa nada para aqueles que o praticam, sendo apenas uma mera saudação, mas sabemos que nem todos vêem com bons olhos esse hábito, sendo então recomendável que não se use dessa prática no convívio entre os irmãos em Cristo quando se tratar de novos convertidos ou irmãs, cujos maridos não são convertidos ainda. A manutenção da ética independe do que eu penso ou considero, e sim, leva em conta a Palavra de Deus e o meu próximo.
e) Postura
O obreiro representa a própria igreja e por isso deve sempre manter uma postura condizente com o cargo, função ou atividade que estiver desempenhando, precisa o obreiro estar atento a detalhes como a forma de estar sentado no Ministério ou em pé na portaria. O obreiro deve evitar ficar encostado ou sentado de qualquer maneira, deve manter uma postura ereta, decisiva, séria na sua função mas sem perder a “gentil presença”, também deve evitar conversas desnecessárias, tudo que o obreiro fizer durante o culto deve ser em prol da realização deste, salvo em algumas ocasiões quando algum assunto externo urgente requer a sua atenção.
f) Atenção
No transcorrer do culto o obreiro deve estar atento nas atividades do mesmo, há situações que requerem atitudes imediatas, como falta d’água para o ministério, som do microfone falhando, crianças fazendo bagunça na porta do banheiro, fio do microfone embolado, bêbado falando alto desvirtuando a atenção dos membros entre outras, milhares de situações possíveis, por isso é necessário que o obreiro tenha atenção constante.
Em contra partida é necessário que o obreiro mantenha também uma ligação espiritual, como é praticamente impossível que haja atenção aos detalhes do culto e ao mesmo tempo ligação espiritual, recomenda-se que a liderança da igreja mantenha uma escala de obreiros responsáveis pela execução do culto, onde seriam escalados dois ou mais obreiros por culto, dependendo do tamanho do templo e disponibilidade de obreiros, para trabalharem no apoio direto à liturgia enquanto os outros ficariam livres para manterem a disciplina espiritual, se ligando na oração, nos louvores, na palavra e no agir do Espírito Santo. Essa escala não livra em absoluto os outros obreiros de atuarem, podendo ser acionados a qualquer momento para ajudarem em alguma tarefa.
Os obreiros devem, a todo custo, evitar o desligamento (desatenção), principalmente estando assentado ao Ministério, ou o obreiro vai estar no apoio direto ao culto, ou vai estar em ligação espiritual, é estranho ver um obreiro no Ministério ou na portaria com o olhar distante, distraído, disperso, talvez preocupado com alguma coisa ou pensando em algo que para ele no momento é mais importante ou interessante do que o culto. O ideal no culto é que todos estejam unidos em um só propósito, que é o de adorar ao Senhor e os obreiros devem ser os primeiros a colaborar neste sentido, se isso não for observado pelos obreiros, corre-se o risco de oferecermos um culto frio e arrastado ao nosso Deus.
) Iniciativa
A iniciativa é uma qualidade que faz com que o indivíduo tome atitudes preventivas ou corretivas, sem que para isso seja preciso alguma ordem. Essa uma das qualidades que mais se espera de um obreiro, isso é que ele desenvolva a iniciativa, a Obra de Deus sofre por causa de obreiros que não tem iniciativa. Todo obreiro, ao verificar algo que precise ser feito ele deve imediatamente fazer, e trabalho é o que não falta. Veja como deve se considerar aquele que espera uma ordem de alguém para executar alguma tarefa:

“Porventura agradecerá ao servo, porque este fez o que lhe foi mandado? Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis; fizemos somente o que devíamos fazer” Lc 17.9,10

A aplicabilidade dessa palavra é impressionante para os nossos dias, pois alguns obreiros por não conhecerem esta temática vão se tornando inúteis para o serviço da Casa do Senhor. Tarefas simples são simples de se executar, tais como, bancos desarrumados, banheiro sujo, secretaria desorganizada e etc, para isso é necessário que os obreiros estejam atentos a esses detalhes que podem passar desapercebidos. O interessante dessa Palavra é que esse ensinamento é cobrado no meio secular, fica evidente essa verdade: Aquele de souber desenvolver a iniciativa, terá grande sucesso em sua vida em todas as áreas.


h) Envolvimento


O obreiro deve procurar se envolver nas atividades da igreja, como em um jogo de futebol quando algum jogador está com a bola, os outros correm para se desmarcar e ficar em condições de receber o passe, também nas atividades da igreja, o obreiro deve estar sempre em condições receber a bola, sempre se apresentar para os trabalhos. O obreiro deve ser aquele membro com quem o pastor pode contar para auxiliar nos projetos e realizações


h) Proatividade


Esse é um termo relativamente novo mundo, diz respeito às atitudes preventivas em um determinado projeto ou tarefa, é o ato de se prever possíveis necessidades ou falhas no futuro. Diríamos que proatividade é a soma de iniciativa e envolvimento nos diversos projetos e realizações da igreja. Ex: ao ser marcado um culto ao ar livre, o obreiro deve, antes de tudo, pensar em coisas como som, folhetos, ponto de luz para a instalação do som e etc, ainda que não seja da sua alçada. O obreiro não deve se comportar como se não fosse responsabilidade dele, a realização de algum trabalho na igreja.


i) Equilíbrio:


O obreiro deve a todo custo ter um comportamento equilibrado, ele deve saber identificar o momento de descontração e o momento de assumir a postura séria para as atividades, e ao descontrair deve evitar brincadeiras extravagantes, piadas a fora de tempo, ou com temas duvidosos (infames, com mentiras Pv 26.18,19 , com o Espírito Santo ou com algum personagem bíblico) O obreiro deve se lembrar que: “Na multidão de palavras não falta pecado, mas o que refreia os lábios é prudente” Pv 10.19


j) Prontidão


O obreiro pode, na sua essência, ser comparado ao soldado e am qualquer atividade da igreja ele é como o soldado em combate, por isso ele precisa estar sempre em prontidão para atuar em qualquer frente, seja para trazer a igreja uma saudação da Palavra de Deus, tirar dois ou três hinos da Harpa, fazer abertura do culto, iniciar a EBD, etc, nenhuma atividade deve deixar de ser realizada por falta de obreiros, é necessário o obreiro estar preparado.


l) Pontualidade


O quesito que rapidamente aparece no obreiro é a sua pontualidade, na etiqueta secular, tolera-se um atraso de no máximo dez minutos, mas nas atividades da igreja os obreiros devem sempre chegar antes que os membros, ainda que isso não tenha sido anunciado. Alguns ministérios elaboram a escala com dois ou mais obreiros escalados para cada evento, para chegarem mais cedo, abrirem a porta, prepararem o som e etc, porém o restante que não estão escalados devem no entanto chegar no horário marcado ou para a oração, ou para o início do culto. A pontualidade é um ponto fraco no movimento pentecostal, a maioria das igrejas pentecostais, sofrem com atraso, geralmente ao iniciarem os cultos, o total presente na igreja é sempre abaixo dos 50 % do total dos membros, uma forma de combater isso é o ministério trabalhar a questão da pontualidade, iniciando os cultos no horário previsto e terminando também na hora determinada e os obreiros dando o exemplo de pontualidade para o restante do Povo de Deus.


m) Amor


O obreiro não deve esquecer nunca do amor, tanto para com Deus, como para com os irmãos e entre os próprios obreiros, é lamentável quando um obreiro busca o rápido crescimento ministerial e por conta disso toma atitudes que não estão nos padrões da Palavra de Deus, a própria Palavra do Senhor nos assegura que toda uma vida na obra pode ser perdida se não tiver amor 1 Co 13.1-3, é necessário que o obreiro se examine e procure dentro de si mesmo, os reais motivos que o levam a fazer a obra do Senhor. Encontramos muitos obreiros, com longos anos de trabalho na obra e que são homens e mulheres usados pelo Senhor, mas que de repente se desviam, muitas vezes o que motiva essa atitude é o fato de eles estarem muito tempo na obra do Senhor, por outras razões e não o amor às almas e a obra de Deus, ou então no decorrer da caminhada eles se esfriaram no amor Mt 24.12.


Aspectos Funcionais


Dirigente do culto



Essa função normalmente é desempenhada pelo pastor da igreja ou por algum presbítero, mas isso não quer dizer que nenhum diácono possa receber essa incumbência, contudo aquele que estiver na responsabilidade de dirigir o culto, seja por escala prévia ou por determinação pastoral imediata, deve observar os seguintes requisitos:


estar preparado para essa importante tarefa, mesmo que tenha sido pego de surpresa, não deve o obreiro estar despreparado;


observar a liturgia do culto, que normalmente segue esta seqüência simples: oração pelo início, louvor da Harpa Cristã ou outro hinário, palavra devocional ou introdutória, apresentação dos visitantes, distribuição de oportunidades, recolhimento dos dízimos e ofertas, mensagem da Palavra de Deus, anúncios e benção apostólica. Com certeza esta seqüência litúrgica, não será a mesma em todas as denominações, damos aqui somente uma base para a compreensão;


para a Palavra devoçonal, que é a palavra introdutória, o dirigente deve pedir que um irmão ou irmã ore por aquele que irá ler a Palavra e passar a oportunidade para este. É interessante, que o irmão ou irmão que fizer menção da Palavra introdutória seja o de maior ascendência funcional, um pastor, missionário(a), evangelista ou presbítero e não deve ser o mesmo que ministrará a Palavra na hora da pregação.



d) haverá um ou dois obreiros que conduzirão o culto: o responsável, que é o obreiro de maior ascendência funcional e o dirigente do culto, que é o obreiro escalado para esse fim, geralmente um obreiro faz as vezes de responsável e dirigente do culto.


o dirigente pode a qualquer momento, convocar a igreja para fazer uma oração específica, mas é imprescindível que se faça oração pelo início, pela palavra devocional, recolhimento de dízimos e ofertas, pelo pregador e pelo término;


ao adentrar ao templo algum obreiro com ascendência funcional ao dirigente e que seja do mesmo campo ministerial, este deve passar a direção do trabalho para aquele;


após a mensagem da palavra do Senhor o dirigente do culto deve entregar a direção do trabalho para o responsável ou para aquele de maior ascendência funcional;


nas situações em que a direção do trabalho for entregue a qualquer pastor do campo ou quando for feita apresentação de algum pastor visitante o dirigente deve pedir que a congregação fique de pé para tais procedimentos;


o dirigente deve evitar que o culto esfrie, ou seja, o ambiente do culto deve estar sempre numa atmosfera de adoração, para isso é interessante que o dirigente anuncie com antecedência qual irmão ou grupo receberá a próxima oportunidade, e pedir que um obreiro, peça o respectivo CD para a ministração do louvor, isso para evitar aqueles momentos vagos enquanto play-back está sendo preparado; e


a apresentação dos visitantes deve ser feita pelo porteiro ou por algum obreiro encarregado destas anotações, se houver apresentação de obreiros, esta deverá ser feita por algum presbítero ou pastor;


Obs: Apontamos aqui alguns procedimentos genéricos para a boa direção de culto, algumas denominações tem em seus regimentos litúrgicos internos, outros procedimentos e outras têm seus próprios costumes.









Palavra Devoçional


A liturgia do culto, nas Assembléias de Deus e em algumas outras denominações, prevê a Palavra de abertura, também chamada de Palavra Introdutória ou Palavra Devocional, todo obreiro neste caso deve estar pronto para fazer menção da Palavra de abertura, neste caso o obreiro deve observar alguns detalhes fundamentais como:


a) O texto a ser escolhido deve ter um contexto, não se deve escolher versículos isolados. Dê preferência aos textos que narrem fatos completos. Ex: uma parábola, um salmo ou um acontecimento;



Não se deve escolher textos muito longos;


Não se deve explicar a Palavra Devocional, apenas o obreiro deve ler e convidar os irmãos para orar.


É interessante seguir o contexto do culto, por exemplo, em um culto de missões pode ser lido sobre as viagens missionárias de Paulo, em um culto de ações de Graça pode-se ler sobre o cântico de agradecimento de Ana;


O obreiro dar preferência aos textos que sejam de fácil compreensão para os irmãos, evite passagens muito complexas.


Portaria


De não menos importância para o igreja é a portaria, pois equivale ao cartão de visitas da casa, o obreiro que estivar no cargo portaria deve procurar seguir tudo que foi ensinado sobre apresentação individual e além disso alguns detalhes a seguir:



Deve o obreiro ser simpático, estar sempre com um sorriso para receber os convidados e visitantes;


Se não houver outro obreiro para conduzir os visitantes aos lugares vagos, para evitar que estes fiquem em pé sem saber onde sentar;


O obreiro na portaria deve manter sempre pronto uma prancheta e caneta para as anotações de dados dos visitantes, como igreja, pastor, nome de grupo, etc;


O obreiro da portaria deverá fazer as apresentações dos irmãos visitantes;


Quando houver ministros visitando a igreja o obreiro da portaria deve pedir a credencial, conferir a validade e passar para o ministério ou para o dirigente fazer a devida apresentação;


O obreiro da portaria deve estar também atento às crianças que eventualmente tentam sair da igreja sem que suas mães percebam;


O obreiro na portaria deve comportar-se como uma sentinela, nunca deverá estar de olhos fechados ou distraído com alguma coisa;


Durante a leitura da Palavra Introdutória, o obreiro que estiver na portaria deve solicitar aos irmão que não circulem pela porta, mas que aguardem o término da leitura.

Sobrevivente do acidente que matou família evangélica na Flórida não será deportada

família-evangélicaSobrevivente do acidente que matou a família de evangélicos em um acidente de carro na Flórida, não será deportada.

  • (Foto: Reprodução)
    Sobrevivente do acidente que matou a família de evangélicos em um acidente de carro na Geórgia, não será deportada.
 
Apesar dos rumores de que Lidiane Carmo, 15, seria deportada, visto que toda a família estava ilegal no país, a porta voz da Alfândega e Imigração dos EUA (ICE), Barbara Gonzalez, negou a possibilidade.
“Nossos pensamentos e orações estão com Lidiane Carmo enquanto ela lida com a trágica perda de sua família”, disse Gonzalez. “Os relatos de que ela estaria enfrentando deportação são completamente falsos”.
O risco de que ela fosse deportada tornou-se uma preocupação para os membros da igreja que sabem que ela não conhece o Brasil.
“Ela não conhece o Brasil. Ela mal sabe Português”, disse o pastor sênior da igreja, Arao Amazonas ao CNN nesta quarta-feira. “Ela fala inglês como americano”.
O carro em que Carmo estava ficou preso num engavetamento em Gainesville, na Flórida, na madrugada do último domingo. Segundo relatos da mídia, por causa do nevoeiro e fumaça envolvendo o tráfego, pelo menos uma dúzia de carros, seis tratores reboques e um trailer colidiram.

Carmo e seus pais que eram líderes da igreja e sua irmã, voltavam de uma conferência evangélica que havia ocorrido em Orlando. O grupo vinha da conferência cerca de 3:45h da madrugada.
A família, que pertencia à igreja evangélica Ministério Internacional da Restauração em Atlanta, era originalmente de Goiás. Eles vieram para os EUA em busca de uma vida melhor e desde então ficaram por 12 anos com status ilegal.
Felizmente, Lidiane não será alvo de deportação. Segundo o The Palm Beach Post, diretrizes de deportação permitem exceções humanitárias para procedimentos de deportação normal. Sob a administração de Obama, a ICE adotou uma política onde pessoas não documentadas que estão no país por muitos anos não são alvo de deportação.
Lidiane permanece no hospital Gainesville com ferimentos graves. Ela foi informada na terça-feira que sua família havia morrido no acidente.


VIA GRITOS DE ALERTA
INF. CRISTIAN POST

Pastor decreta boicote e acusa rede Starbucks de servir a Satanás

Movimento começou após decisão de 100 empresas apoiarem o casamento gay
Pastor decreta boicote e acusa rede Starbucks de servir a Satanás
A rede de cafeterias Starbucks é a maior do mundo, com mais de 17,000 lojas em 55 países, incluindo o Brasil. Recentemente, a empresa se aliou a cem outras companhias norte-americanas para decretar seu apoio ao casamento gay e reconhecimento de direitos iguais aos homossexuais. Na lista dos apoiadores as mais conhecidas são Microsoft, Google, Nike e Starbucks.
Depois que essas empresas declararam apoio a um projeto de lei para legalizar o casamento gay no estado de Washington, um pastor começou a pedir que os fiéis boicotem a Starbucks.
“Os cristãos estão preocupados que a Starbucks tenha se voltado contra Deus… a Starbucks pode seguir a Satanás, se quiser. No entanto, os pastores devem orientar os cristãos. Você está do lado do Senhor? Você quer que nosso país seja abençoado por Deus?”, declarou o pastor Steven Andrew, presidente da Associação de Ministérios Cristãos dos EUA, em um comunicado oficial.
A campanha pelo boicote teve início esta semana, na véspera da votação do projeto de lei no Estado de Washington. Se o projeto for aprovado na Assembleia Legislativa, Washington será o sétimo Estado norte-americano a reconhecer uniões do mesmo sexo.
“Eu não sou contra a Starbucks e os homossexuais. Eu gostaria que eles se arrependessem e seguissem a Jesus, mas como pastor, minha preocupação é a igreja. Se os 80% dos americanos que se dizem cristãos boicotarem a Starbucks Deus nos abençoará”.”
Ele também está pedindo que os cristãos parem de frequentar a cafeteria e que não sirvam produtos da marca em casa ou no trabalho.
Em uma entrevista ele foi mais enfático, declarando “A Starbucks promove o ódio contra os americanos, porque está dizendo que nos opomos a tudo o que Deus fez pelos EUA… A verdade é que a Starbucks está tentando mudar as coisas, indo contra a Palavra de Deus e contra toda a história dos Estados Unidos”.
Embora seja enfático ao afirmar que os cristãos devem boicotar todas as empresas que se “opõem a Deus”, ele não mencionou nenhuma outra em sua campanha. Andew espera que pastores e líderes cristãos de todo o país tomem uma posição clara contra o casamento gay, deixando claro que o casamento é apenas entre um homem e uma mulher, segundo as Escrituras.
Falando em nome da rede Starbucks, a vice-Presidente Kalen Holmes enfatizou que a decisão de apoiar direitos iguais aos gays, se “alinha com as práticas e filosofia da Starbucks” e que clientes e empregados homossexuais são igualmente valorizados pela empresa.


VIA GRITOS DE ALERTA / GOSPEL PRIME
Traduzido e adaptado de Huffington Post e Examiner