sexta-feira, 19 de abril de 2013

TRE mantém Célia Sakamoto como prefeita de Itaí

 
TRE mantém Célia Sakamoto como prefeita de ItaíNo cargo desde o dia 01 de janeiro, a vereadora e cantora gospel Célia Sakamoto (PSB) deverá permanecer como prefeita de Itaí (SP). A decisão foi deferida pelo Tribunal Eleitoral de São Paulo (TER-SP) que manteve a cassação do ex-prefeito, Luiz Antônio Paschoal (PSDB) e do seu vice, Hugo Ferraz da Silveira.
A coligação “Itaí Continua em Boas Mãos”, que reúne os partidos PDT, PTB, PV, PRP, PSDB e PC do B, foi denunciada pelo Ministério Público por abuso de poder público e econômico. De acordo com a ação movida pelo MP, durante as eleições municipais o candidato teria contratado um jornal da cidade para publicar reportagens sobre ele.
Sakamoto foi conduzida ao cargo após ter sido eleita presidente da Câmara dos Vereadores de Itaí e como determina a constituição, na ausência de prefeito e vice-prefeito, o cargo fica interinamente sob a responsabilidade do presidente do legislativo.
A decisão pela cassação do ex-prefeito foi dada em votação de desempate. O desembargador Alceu Penteado Navarro foi o último a votar e acompanhou o voto do relator, juiz Paulo Galizia, com o entendimento de que Paschoal, candidato à reeleição, e Silveira fizeram uso indevido de meio de comunicação.
Pascoal, que foi prefeito na cidade entre 2009 e 2012, buscou a reeleição em outubro de 2012. Ele recebeu 51,71%, ou seja, 6.825 votos, sendo o mais votado. Por conta da indefinição, não houve proclamação dos vencedores e, consequentemente, ninguém foi diplomado.
A coligação deve recorrer da decisão do TRE- SP junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília (DF). Com informações G1.

VIA  GRITOS  DE ALERTA

STF libera parte do acórdão com resumo do julgamento do mensalão

Quatro meses depois do fim do julgamento do processo do mensalão, a ementa (resumo) que oficializa as decisões tomadas pelos ministros do Supremo Tribunal Federal foi divulgada na edição desta sexta-feira (19) do "Diário de Justiça Eletrônico" – clique aqui para ver (entre as páginas 39 e 52).
O documento, no entanto, só será considerado publicado na segunda, dia 22 . É com a publicação desse documento que se inicia a contagem de prazo para os réus recorrerem.
Pelas regras do STF, o documento passa a ser considerado "publicado" no dia útil seguinte ao da divulgação no "Diário de Justiça Eletrônico" – segunda-feira (22), portanto. No dia seguinte à publicação (terça, 23), começa a contar o prazo para que os réus apresentem recursos. Esse prazo terminará em 2 de maio, já que o Supremo decidiu dar dez dias para a apresentação de recursos.
O site do STF ainda vai disponibilizar, na próxima segunda, o chamado "inteiro teor" do acórdão, que incluirá os votos escritos dos 11 ministros e a transcrição dos debates realizados durante o julgamento – essa parte tem mais de 8 mil páginas.
A ementa do acórdão divulgada nesta sexta ocupa 14 páginas do "Diário de Justiça Eletrônico" e detalha as decisões do julgamento, que condenou 25 e absolveu 12 réus no segundo semestre do ano passado. A ementa traz as teses definidas durante o julgamento, o tempo de pena de cada réu e o regime de cumprimento .
 O documento resume o que aconteceu em cada uma das 53 sessões de julgamento, começando por pedidos de advogados para que réus sem foro privilegiado fossem julgados na primeira instância, pelas falas do procurador-geral e dos advogados de defesa.

Depois, a ementa apresenta os fatos na ordem do julgamento, que foi dividido conforme os itens da denúncia da PGR. Primeiro, foram definidas as condenações, considerando denúncias de corrupção na Câmara, gestão fraudulenta no Banco Rural, lavagem de dinheiro, corrupção entre partidos da base aliada, corrupção ativa por parte de petistas, lavagem de dinheiro do PT, evasão de divisas e formação de quadrilha.
Depois disso, a ementa do acórdão traz as punições de cada um e o regime de cumprimento da pena. Por fim, o documento resume a acusação da PGR, relembrando que o processo "demonstrou a existência de uma associação estável e organizada, cujos membros agiam com divisão de tarefas, visando à prática de delitos, como crimes contra a administração pública e o sistema financeiro nacional, além de lavagem de dinheiro".
O último tópico da ementa trata da decisão do STF de retirar o mandato dos deputados federais condenados no processo. São quatro: José Genoino (PT-SP), João Paulo Cunha (PT-SP), Valdemar Costa Neto (PR-SP) e Pedro Henry (PP-MT).
Embargos
Os recursos que podem questionar as condenações no STF são de dois tipos: os embargos de declaração e os embargos infringentes.

Os embargos de declaração podem ser apresentados por condenados e absolvidos e servem para questionar contradições ou omissões no acórdão, não modificando a decisão. Pode questionar o tempo de pena ou o regime de cumprimento, por exemplo. Geralmente são os primeiros a serem apresentados.
A Procuradoria Geral da República também pode recorrer de questões relativas a absolvições ou para pedir aumento de penas. Os absolvidos também podem pedir para que o documento deixe claro a inocência, em vez de apenas indicar que não havia provas.
Já os embargos infringentes são um recurso exclusivo para aqueles réus que, embora condenados, obtiveram ao menos quatro votos favoráveis. Previstos no regimento do STF, servem para questionar pontos específicos da decisão e, se aceitos, uma condenação pode vir a ser revertida. Pelo regimento, o prazo para apresentar é de 15 dias após a publicação do acórdão. Pode ser protocolado após a publicação do julgamento do embargo de declaração.
Há dúvidas sobre se os recursos são válidos, uma vez que não são previstos em lei. O tema deve ser debatido em plenário pelos ministros.
Doze réus do processo foram condenados com 4 votos favoráveis em um dos crimes aos quais respondiam: João Paulo Cunha, João Cláudio Genú e Breno Fischberg (lavagem de dinheiro); Dirceu, Genoino, Delúbio Soares, Marcos Valério, Vasconcelos, Kátia Rabello, Hollerbach, Cristiano Paz e José Salgado (formação de quadrilha).

FONTE . http://g1.globo.com/politica/mensalao/noticia/2013/04/stf-divulga-acordao-do-mensalao-e-reus-poderao-recorrer-partir-de-terca.html

LOUCO POR TOMATE - HOMEM ESPANCA MULHER QUE DEIXOU DE COMPRAR TOMATE NA FEIRA.

Um homem de 24 anos foi preso depois de espancar a mulher, grávida de sete meses, por ela não ter comprado tomate em sua ida ao supermercado. O frentista de 24 anos, morador no bairro Alvorado, em Araçatuba (SP), se revoltou com a falta da fruta e passou a desferir tapas, socos e chute na mulher, uma dona de casa de 20 anos. Ele ainda ameaçou e trancou a vítima em casa, antes de sair para o trabalho, em um posto de combustíveis da cidade, na quinta-feira. 

A vítima telefonou para a Polícia Militar, que chegou ao local e a encontrou trancada em sua própria residência. Uma viatura foi ao trabalho do frentista buscar as chaves da casa e o prendeu em flagrante pela lei Maria da Penha. O frentista foi liberado depois que seu patrão pagou fiança de R$ 800, usando dinheiro do adiantamento das férias. 

A dona de casa disse à polícia que seu companheiro a agrediu somente porque ela voltou do supermercado sem comprar os tomates, que ela havia esquecido. “Como ele não encontrou os tomates para comer na refeição, passou a agredir a companheira com tapas e socos na cabeça e chutes”, contou a delegada da Mulher de Araçatuba, Luciana Pistori Frascino. 

Além do crime de lesões corporais, o frentista também será acusado de ameaça. “Ele a ameaçou de morte, caso chamasse a polícia. Ela ficou com lesões nas costas e no braço. Estou esperando os laudos dos exames de corpo de delito para concluir o inquérito”, disse.

O frentista, segundo a delegada, tentou negar a versão dada pela mulher, dizendo que ela iniciou as agressões e se armou de uma faca. O homem também disse que agrediu a mulher porque suspeitava que estivesse sendo traído após vê-la conversando com outro homem. “Não dá para acreditar na versão dele, principalmente por causa das marcas de lesões e pelo fato de que, dificilmente, ela teria condições de traí-lo com aquela barriga enorme de gravidez”, disse.

De acordo com a delegada, a vítima disse que o companheiro não chegou a agredi-la na altura da barriga, por isso, não houve necessidade de pedir exames para checar a saúde do bebê.
 
FONTE . TERRA.

Projeto dificulta criação de partidos e prejudica legenda de Marina Silva

 
Governo aprova projeto que dificulta criação de partidos e prejudica legenda de Marina SilvaUm projeto de autoria do deputado federal Edinho Araújo (PMDB-SP) aprovado nesta quarta-feira (17) poderá prejudicar a candidatura da ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva a presidência da república.
Após oito horas de discussão no plenário da Câmara dos Deputados o projeto que atinge diretamente a sigla Rede Sustentabilidade, fundada por Marina, foi aprovado por 240 votos a favor da aprovação e 30 contra.
O projeto impede a transferência do tempo de propaganda eleitoral no rádio e na televisão e dos recursos do Fundo Partidário relativos aos deputados que mudam de partido durante a legislatura.
“O governo se aproveita de um casuísmo [a legalização da Rede] para aprovar esse projeto”, disse o deputado Alfredo Sirkis, do PV, que já anunciou que irá migrar para a Rede. ”Um casuísmo destinado a boicotar a possibilidade de Marina Silva e seus companheiros de criar um partido”, lamentou o parlamentar.
O PT negou ter votado a favor da proposta por temer a concorrência de Marina Silva e outros candidatos de novos partidos no pleito de 2014.
“O PT não tem preocupação de perder um ou outro deputado para o PPS com a fusão que houve ou para a Rede. Não estamos tomando atitudes para impedir a livre organização partidária. Mas não é justo querer fundar partido de ocasião e tirar tempo do PT, PSDB, PSB. Nós temos um legado nesse país, não é um legado que se apaga em qualquer votação. Queremos fortalecer a ideia de programa e de partido”, disse o deputado José Guimarães (PT-CE).
Marina Silva foi ontem à Câmara para tentar frear a votação da urgência, mas obteve uma resposta negativa do presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).
A ex-ministra disse, no entanto, que a aprovação do texto não vai impedir a criação da Rede e que ela vai tentar convencer os senadores a rejeitar a proposta. Com informações UOL.GP

Ex-Paquito da Xuxa se torna missionário na África

 
Ex-Paquito da Xuxa se torna missionário na ÁfricaO programa Agora é Tarde, da Band, apresentou uma entrevista com o Alexandre Canhoni, ex-Paquito da Xuxa que hoje é missionário evangélico na África.
Ao apresentador Danilo Gentili, Alexandre contou como se converteu e como resolveu ir morar em Níger, o penúltimo país no ranking do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano).
“Eu queria ajudar crianças”, disse ele que hoje ajuda cerca de 2 mil crianças e adolescentes. Alexandre chegou a comentar que quando era Paquito não gostava de trabalhar com crianças e hoje tem 15 filhos adotivos.
O ex-Paquito se converteu há 18 anos, quando estava prestes a fechar um contrato. Depois de conhecer Jesus ele teve a vida mudada e, lendo a Bíblia, sentiu o desejo de ajudar pessoas dando a elas o que comer e o que beber.
Alexandre está no Níger há 11 anos ao lado de sua esposa, Giovanna. Juntos eles trabalham alimentando as pessoas que sofrem com a pobreza extrema.
O missionário também pode explicar seu trabalho e pedir apoio para o projeto Guerreiros de Deus (www.guerreirosdedeus.com.br), além de mostrar seu trabalho musical focado em evangelismo.

GP

DEUS FEZ O HOMEM E A MULHER , NADA DE COLUNA DO MEIO .

Foto

Reverendo Augustus Nicodemus diz que pastores devem ser criticados quando erram: “’Não toque no ungido do Senhor’ é apelação de quem não tem argumento”. Leia na íntegra


Reverendo Augustus Nicodemus diz que pastores devem ser criticados quando erram: “’Não toque no ungido do Senhor’ é apelação de quem não tem argumento”. Leia na íntegraEntre o povo evangélico, há uma máxima – não unânime – de que pastores e demais líderes não devem ser confrontados por serem “o anjo da igreja”, ou o “ungido do Senhor”. Em muitos casos, decisões que não encontram respaldo na Bíblia ou até mesmo na doutrina de cada denominação, são impostas e aceitas a partir de tais argumentos.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
O reverendo presbiteriano Augustus Nicodemus Lopes publicou em seu blog O Tempora, O Mores uma reflexão sobre o assunto e, usando passagens bíblicas comuns ao tema, criticou a forma como pastores adotam essa “proteção”.
“Para eles, uma vez que os pastores, bispos e apóstolos são os ungidos do Senhor, não se pode levantar a mão contra eles, isto é, não se pode acusá-los, contraditá-los, questioná-los, criticá-los e muito menos mover-se qualquer ação contrária a eles. A unção do Senhor funcionaria como uma espécie de proteção e imunidade dada por Deus aos seus ungidos. Ir contra eles seria ir contra o próprio Deus”, introduz o reverendo Lopes.
Para ele, a construção desse paradigma no meio evangélico se deve principalmente às passagens bíblicas em que Davi se recusa a matar Saul, por este ser o ungido do Senhor. No entanto, Lopes ressalta que essa postura não fez Davi tornar-se omisso.
“O que não se pode ignorar é que este respeito pela vida do rei não impediu Davi de confrontar Saul e acusá-lo de injustiça e perversidade em persegui-lo sem causa (1Sam 24:15). Davi não iria matá-lo, mas invocou a Deus como juiz contra Saul, diante de todo o exército de Israel, e pediu abertamente a Deus que castigasse Saul, vingando a ele, Davi (1Sam 24:12). Davi também dizia a seus aliados que a hora de Saul estava por chegar, quando o próprio Deus haveria de matá-lo por seus pecados (1Sam 26:9-10)”, contextualiza o reverendo.
A partir desse princípio, Lopes questiona a legitimidade do discurso que prega o não confrontamento de decisões, ideias ou práticas de pastores: “O que não entendo é como, então, alguém pode tomar a história de Davi se recusando a matar Saul, por ser o ungido do Senhor, como base para este estranho conceito de que não se pode questionar, confrontar, contraditar, discordar e mesmo enfrentar com firmeza pessoas que ocupam posição de autoridade nas igrejas quando os mesmos se tornam repreensíveis na doutrina e na prática”, pontua.
Augustus Nicodemus Lopes diz que “não há dúvida que nossos líderes espirituais merecem todo nosso respeito e confiança, e que devemos acatar a autoridade deles – enquanto, é claro, eles estiverem submissos à Palavra de Deus, pregando a verdade e andando de maneira digna, honesta e verdadeira”, mas que é necessário agir quando eles “se tornam repreensíveis” para evitar que erros maiores aconteçam: “Devem ser corrigidos e admoestados. Paulo orienta Timóteo da seguinte maneira, no caso de presbíteros (bispos/pastores) que errarem: ‘Não aceites denúncia contra presbítero, senão exclusivamente sob o depoimento de duas ou três testemunhas. Quanto aos que vivem no pecado, repreende-os na presença de todos, para que também os demais temam’ (1Tim 5:19-20)”, ilustra o reverendo.
O conceito de “imunidade” a líderes cristãos também é rebatido por Lopes a partir do exemplo dos próprios apóstolos contemporâneos à Igreja Primitiva: “Nunca os apóstolos de Jesus Cristo apelaram para a ‘imunidade da unção’ quando foram acusados, perseguidos e vilipendiados pelos próprios crentes. O melhor exemplo é o do próprio apóstolo Paulo, ungido por Deus para ser apóstolo dos gentios. Quantos sofrimentos ele não passou às mãos dos crentes da igreja de Corinto, seus próprios filhos na fé!”.
Confira abaixo, a íntegra do artigo “Como assim, ‘não toqueis no ungido do Senhor…’?!”, de Augustus Nicodemus Lopes:
Há várias passagens na Bíblia onde aparecem expressões iguais ou semelhantes a estas do título desta postagem:
A ninguém permitiu que os oprimisse; antes, por amor deles, repreendeu a reis, dizendo: Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas (1Cr 16:21-22; cf. Sl 105:15).
Todavia, a passagem mais conhecida é aquela em que Davi, sendo pressionado pelos seus homens para aproveitar a oportunidade de matar Saul na caverna, respondeu: “O Senhor me guarde de que eu faça tal coisa ao meu senhor, isto é, que eu estenda a mão contra ele [Saul], pois é o ungido do Senhor” (1Sm 24:6).
Noutra ocasião, Davi impediu com o mesmo argumento que Abisai, seu homem de confiança, matasse Saul, que dormia tranquilamente ao relento: “Não o mates, pois quem haverá que estenda a mão contra o ungido do Senhor e fique inocente?” (1Sm 26:9). Davi de tal forma respeitava Saul, como ungido do Senhor, que não perdoou o homem que o matou: “Como não temeste estender a mão para matares o ungido do Senhor?” (2Sm 1:14).
Esta relutância de Davi em matar Saul por ser ele o ungido do Senhor tem sido interpretado por muitos evangélicos como um princípio bíblico referente aos pastores e líderes a ser observado em nossos dias, nas igrejas cristãs. Para eles, uma vez que os pastores, bispos e apóstolos são os ungidos do Senhor, não se pode levantar a mão contra eles, isto é, não se pode acusa-los, contraditá-los, questioná-los, criticá-los e muito menos mover-se qualquer ação contrária a eles. A unção do Senhor funcionaria como uma espécie de proteção e imunidade dada por Deus aos seus ungidos. Ir contra eles seria ir contra o próprio Deus.
Mas, será que é isto mesmo que a Bíblia ensina?
A expressão “ungido do Senhor” usada na Bíblia em referência aos reis de Israel se deve ao fato de que os mesmos eram oficialmente escolhidos e designados por Deus para ocupar o cargo mediante a unção feita por um juiz ou profeta. Na ocasião, era derramado óleo sobre sua cabeça para separá-lo para o cargo. Foi o que Samuel fez com Saul (1Sam 10:1) e depois com Davi (1Sam 16:13).
A razão pela qual Davi não queria matar Saul era porque reconhecia que ele, mesmo de forma indigna, ocupava um cargo designado por Deus. Davi não queria ser culpado de matar aquele que havia recebido a unção real.
Mas, o que não se pode ignorar é que este respeito pela vida do rei não impediu Davi de confrontar Saul e acusá-lo de injustiça e perversidade em persegui-lo sem causa (1Sam 24:15). Davi não iria matá-lo, mas invocou a Deus como juiz contra Saul, diante de todo o exército de Israel, e pediu abertamente a Deus que castigasse Saul, vingando a ele, Davi (1Sam 24:12). Davi também dizia a seus aliados que a hora de Saul estava por chegar, quando o próprio Deus haveria de matá-lo por seus pecados (1Sam 26:9-10).
O Salmo 18 é atribuído a Davi, que o teria composto “no dia em que o Senhor o livrou de todos os seus inimigos e das mãos de Saul”. Não podemos ter plena certeza da veracidade deste cabeçalho, mas existe a grande possibilidade de que reflita o exato momento histórico em que foi composto. Sendo assim, o que vemos é Davi compondo um salmo de gratidão a Deus por tê-lo livrado do “homem violento” (Sl 18:48), por ter tomado vingança dos que o perseguiam (Sl 18:47).
Em resumo, Davi não queria ser aquele que haveria de matar o ímpio rei Saul pelo fato do mesmo ter sido ungido com óleo pelo profeta Samuel para ser rei de Israel. Isto, todavia, não impediu Davi de enfrentá-lo, confrontá-lo, invocar o juízo e a vingança de Deus contra ele, e entregá-lo nas mãos do Senhor para que ao seu tempo o castigasse devidamente por seus pecados.
O que não entendo é como, então, alguém pode tomar a história de Davi se recusando a matar Saul, por ser o ungido do Senhor, como base para este estranho conceito de que não se pode questionar, confrontar, contraditar, discordar e mesmo enfrentar com firmeza pessoas que ocupam posição de autoridade nas igrejas quando os mesmos se tornam repreensíveis na doutrina e na prática.
Não há dúvida que nossos líderes espirituais merecem todo nosso respeito e confiança, e que devemos acatar a autoridade deles – enquanto, é claro, eles estiverem submissos à Palavra de Deus, pregando a verdade e andando de maneira digna, honesta e verdadeira. Quando se tornam repreensíveis, devem ser corrigidos e admoestados. Paulo orienta Timóteo da seguinte maneira, no caso de presbíteros (bispos/pastores) que errarem: “Não aceites denúncia contra presbítero, senão exclusivamente sob o depoimento de duas ou três testemunhas. Quanto aos que vivem no pecado, repreende-os na presença de todos, para que também os demais temam” (1Tim 5:19-20).
Os “que vivem no pecado”, pelo contexto, é uma referência aos presbíteros mencionados no versículo anterior. Os mesmos devem ser repreendidos publicamente.
Mas, o que impressiona mesmo é a seguinte constatação. Nunca os apóstolos de Jesus Cristo apelaram para a “imunidade da unção” quando foram acusados, perseguidos e vilipendiados pelos próprios crentes. O melhor exemplo é o do próprio apóstolo Paulo, ungido por Deus para ser apóstolo dos gentios. Quantos sofrimentos ele não passou às mãos dos crentes da igreja de Corinto, seus próprios filhos na fé! Reproduzo apenas uma passagem de sua primeira carta a eles, onde ele revela toda a ironia, veneno, maldade e sarcasmo com que os coríntios o tratavam:
“Já estais fartos, já estais ricos; chegastes a reinar sem nós; sim, tomara reinásseis para que também nós viéssemos a reinar convosco.
Porque a mim me parece que Deus nos pôs a nós, os apóstolos, em último lugar, como se fôssemos condenados à morte; porque nos tornamos espetáculo ao mundo, tanto a anjos, como a homens.
Nós somos loucos por causa de Cristo, e vós, sábios em Cristo; nós, fracos, e vós, fortes; vós, nobres, e nós, desprezíveis.
Até à presente hora, sofremos fome, e sede, e nudez; e somos esbofeteados, e não temos morada certa, e nos afadigamos, trabalhando com as nossas próprias mãos. Quando somos injuriados, bendizemos; quando perseguidos, suportamos; quando caluniados, procuramos conciliação; até agora, temos chegado a ser considerados lixo do mundo, escória de todos.
Não vos escrevo estas coisas para vos envergonhar; pelo contrário, para vos admoestar como a filhos meus amados. Porque, ainda que tivésseis milhares de preceptores em Cristo, não teríeis, contudo, muitos pais; pois eu, pelo evangelho, vos gerei em Cristo Jesus. Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores” (1Cor 4:8-17).
Por que é que eu não encontro nesta queixa de Paulo a repreensão, “como vocês ousam se levantar contra o ungido do Senhor?” Homens de Deus, os verdadeiros ungidos por Ele para o trabalho pastoral, não respondem às discordâncias, críticas e questionamentos calando a boca das ovelhas com “não me toque que sou ungido do Senhor,” mas com trabalho, argumentos, verdade e sinceridade.
“Não toque no ungido do Senhor” é apelação de quem não tem nem argumento e nem exemplo para dar como resposta.

REVERENDO AUGUSTUS NICODEMUS

GAY BANDIDO - : HOMOSSEXUAL ESTUPROU E ESTRANGULOU GAROTO DE NOVE ANOS.


 

O menino João Victor dos Santos, de nove anos foi encontrada morto com sinais de violência na manhã desta quarta-feira (03), na praia do Coqueiro em Luís Correia no Piauí. A polícia descobriu que a criança havia saído de casa na noite de terça-feira (02) para dormir na casa de um empresário, no Coqueiro da Praia, a convite do caseiro do imóvel, Dárcio Rodrigues dos Santos, de 23 anos. Dárcio, ao ser interrogado, disse que ingeriu muita bebida alcoólica à noite e não lembra de nada. Ele negou que havia matado a criança. O corpo de João Victor foi encontrado com ferimento profundo no ombro direito e ferimentos leves no rosto e nas costas.
A Polícia Militar do município de Parnaíba (PI) confirmou que o menino João Victor dos Santos, de nove anos, encontrado morto na praia do Coqueiro em Luís Correia, na manhã desta quarta-feira (03), foi assassinado e jogado no mar pelo caseiro Dárcio Rodrigues dos Santos, de 23 anos. Roupas da criança foram encontradas no quarto do acusado. As investigações apontam que a criança foi espancada ainda na garagem da residência, onde Dárcio ingeria bebida alcoólica.

Segundo a polícia, Dárcio Rodrigues é homossexual e passou a noite de terça-feira (02) em companhia de João Victor. Ele espancou o menino dentro da casa. Após a agressão, o caseiro arrastou o menino da casa até a praia, pois achava que João estava morto. O acusado estrangulou a criança dentro do mar, mas as águas devolveram o corpo para a areia da praia. O corpo da criança foi encontrado com marcas de violência, incluindo feridas no ombro, que teriam sido ocasionadas por mordidas de peixe. Agora, a polícia investiga a tia de João Vitor, que é suspeita de ter aliciado o menor para que o mesmo mantivesse relações sexuais com Dárcio Rodrigues.
 
VIA GRITOS DE ALERTA / INF. PLANTÃO OCENTRAL

INFERNAL - Índia: menina de 5 anos é internada após ser estuprada por 2 dias

Uma menina de cinco anos foi internada em estado grave após ser estuprada por um homem durante dois dias em Nova Délhi, fato que gerou inúmeros protestos na capital indiana nesta sexta-feira, informou a imprensa local.

A família da menina registrou o desaparecimento da mesma na última segunda-feira e, na quarta, descobriu que a mesma estava na casa de um vizinho do mesmo edifício ao escutar os gritos da pequena, explicou o jornal The Hindu.

De acordo com a fonte, o suspeito, de aproximadamente 30 anos, estuprou a menina em repetidas ocasiões, além de não ter alimentado e nem dado água à criança durante esses dois dias. Embora a menina tenha sido encontrada, o acusado do estupro conseguiu fugir e, neste momento, se encontra foragido.

O jornal The Hindu também assinalou que o ministro da Saúde da Índia, Ghulam Nabi Azad, visitou a criança no hospital e prestou solidariedade à família da mesma. Um médico citado pela imprensa local afirmou "que as próximas horas são cruciais" para a sobrevivência da menina.

Em dezembro, o estupro de uma jovem de 23 anos em Nova Délhi causou inúmeros protestos populares e abriu espaço para um debate sem precedentes em relação à situação da mulher no país asiático.

EFE

JOGANDO CONTRA DEUS - Pastores gays da Igreja Cristã Contemporânea anunciam cerimônia religiosa de seu casamento



Pastores gays da Igreja Cristã Contemporânea anunciam cerimônia religiosa de seu casamentoOs dirigentes da Igreja Cristã Contemporânea em Belo Horizonte, o casal de pastores gays Anderson e Roberto, anunciaram que estão preparando uma cerimônia religiosa para celebrar sua união. O casal, que está junto há 10 anos, está preparando uma cerimônia secreta em um salão de festas da capital mineira, para selar o matrimônio.
Liderando uma igreja que tem aproximadamente 100 fiéis, 90 deles homossexuais e três transexuais, segundo os próprios pastores, eles rechaçam o rótulo de “igreja gay” e afirmam: “Não pregamos a homossexualidade, mas nosso público-alvo são os homossexuais, infelizmente. Digo infelizmente porque as igrejas deveriam estar abertas a essas pessoas, deveriam ensinar que Deus as ama”.
“Para Jesus, não importa se você se atrai por homem ou mulher. Ele não faz nenhuma distinção. Quem tem fé tem sua vida garantida em Cristo”, afirma Anderson, de 34 anos, que costuma repetir o 6º versículo do capítulo 3 do Evangelho de João aos que afirmam que a Bíblia condena o homossexualismo.
(REFUTAÇÃO DO BISPO ROBERTO TORRECILHAS.
Esses sujeitos são completamente desconhecedores das verdades bíblicas.
Embora Jesus não cite sobre os homossexuais , todas as palavras bíblicas que condenas essa prática foi inspirada por Ele ,pois como Deus ele é quem inspirou os escritores bíblicos.
Também jamais se pode falar que JESUS não condena o homossexualismo ,pois ele mesmo disse que não veio mudar as leis , mas cumpri las, e no velho testamento esta repleto de condenações sobre essas práticas .
Essa prática é totalmente contra as leis morais de Deus.)
 
 
De acordo com o jornal Estado de Minas, o matrimônio será oficiado pelo fundador e presidente da denominação, Marcos Gladstone, que vai dividir a celebração com o seu esposo, Fábio Inácio. Essa será a primeira celebração de casamento da igreja em Belo Horizonte.
O casal afirma que será um casamento como outro qualquer e que “a única diferença é que não vai ter a noiva”. Eles não divulgaram o endereço nem o horário da cerimônia, que vai ocorrer em um salão de festas. “Há pessoas que são contrárias, podem causar algum transtorno. Queremos nos preservar. Sonhamos muito com isso, planejamos cada detalhe”, justificam. Eles afirmam ainda que, após a cerimônia, pretendem pedir a conversão em união civil.
Fonte: Gospel+

Os ateus não aceitam criticas e não querem ver a verdade

Não é novidade que os ateus tem sérios problemas em aceitar criticas, o que é novidade é a formação de grupos de ateus parecidos com igrejas onde eles se reúnem para demonstrar toda sua fé na não existência de Deus, seja na internet ou na rua e a todo custo querem combater as religiões. Agora vejamos, por que fé na não existência de Deus? Antes que algum ateu venha com aqueles clichês de sempre, eu vou explicar o motivo.

Primeiro- dizer que todo o universo, com tudo que há nele, com todas as leis da física foram criados por acaso requer um grande salto de fé
Segundo- dizer que o mesmo acaso criou nosso sistema solar, depois criou a terra com todas as condições exatas para vida é outro salto gigante de fé
Terceiro – dizer que não existe ninguém ou nada que tenha criado o universo e planejado tudo, requer um grande salto de fé, afinal, além de não ter provas que esse algo não tenha existido e apenas descartá-lo e aceitar que o acaso seria algo inteligente para ter criado alguma coisa tão complexa não requer fé?
Qual a definição de fé no dicionário?


(latim fides, -ei)
s. f.
1. Adesão absoluta do espírito àquilo que se considera verdadeiro.
2. Testemunho autêntico dado por oficial de justiça.
3. Fidelidade.
4. Prova.
5. Crença.
s. m.
6. Décima sétima letra do alfabeto hebraico.
7.  Relig. Uma das virtudes teologais.

Com isso podemos concluir que ateísmo é apenas uma crença na não existência de Deus ou no acaso super poderoso, que de certa forma poderia ser o Deus dos ateus. Agora, por que os ateus não aceitam criticas? Seria porque o ateísmo é o que mais lhes convém e qualquer coisa que abale suas frágeis crenças lhes da muito medo?  Seria porque a maioria dos ateus são crianças? Seja qual for o motivo, a alienação dos ateus é muito comum atualmente, ainda se juntam pra fazer terrorismo e atos de vandalismo pelas ruas e ainda querem algum respeito? Acordem, não é assim que vão conseguir alguma coisa, choramingando sempre que alguém os chama de bobos ou feios ou caras de mamão, isto só demonstra toda infantilidade de vocês!
Os ateus se esquecem de que existe uma coisa, esta coisa se chama direito, este direito esta na constituição, o direito a liberdade de imprensa, liberdade de expressão e de livre manifestação do pensamento, que afinal, é o que lhes da direito de encher o saco e de falar mal dos Cristãos, de Deus, de pastores, etc. Não sejam hipócritas, este é o principal motivo pelo qual nenhuma denuncia contra o blogue sagrado terá efeito. A paz.

 
VIA GRITOS  DE ALERTA / INF. PRIMEIRO IMPACTO

Cristãos contra o Casamento Gay: Pastor diz que gays seduzem crianças e católicos fazem oração contra casamento de pessoas do mesmo sexo, gays protestam


Cristãos contra o Casamento Gay: Pastor diz que gays seduzem crianças e católicos fazem oração contra casamento de pessoas do mesmo sexo, gays protestam
No Chile, os comentários de um pastor evangélico sobre uma lei contra a discriminação de homossexuais causou polêmica e revolta entre militantes gays. Carlos Martinez, presidente da União dos pastores evangélicos de Osorno, criticou a legislação, que prevê uma proteção social diferenciada aos homossexuais, e disse também que a homossexualidade tem sua raiz na infância e se desenvolve em crianças que são seduzidas por gays.Confira...

- As crianças estão em perigo, já que a homossexualidade tem sua origem na sedução da criança ou do adolescente por um adulto gay – afirmou Martinez, segundo o site Mix Brasil.
As declarações do líder evangélico causaram revolta ente os militantes gays do país. Rolando Jiménez, presidente do MOVILH, criticou o pastor afirmando que suas palavras são “alucinantes.”
- Se eles tivessem a chance de nos queimar em fogueira em praça pública, eu não tenho dúvidas de que iriam fazê-lo – criticou Jiménez.
Em suas declarações o pastor havia também criticado o trabalho de militância de Jiménez:
- Sua liderança é um perigo, porque ele está promovendo o comportamento imoral à luz da Bíblia. [...] Agora, se o homossexual quer viver dessa maneira, ou se Rolando Jimenez quer viver como um invertido, pode fazê-lo, mas ter uma lei para incentivá-los, acho que é negativo.
A polêmica entre religiosos e militantes gays nessa semana foi marcada também por uma oração contra o casamento gay distribuída pela Igreja Católica na França.
De acordo com a AFP, o texto, intitulado Oração para a França, pede para que as crianças e jovens “deixem de ser objetos dos desejos e conflitos dos adultos para beneficiar-se plenamente do amor do pai e da mãe”.
- Ele está insinuando que é perigoso para uma criança ser educada por pais do mesmo sexo. O texto da oração é homofóbico. Definição de família da igreja está longe da realidade das diversas famílias que vemos hoje – do mesmo sexo, mista ou famílias monoparentais. Nós estamos pedindo que todos os diferentes tipos de famílias sejam reconhecidas, no interesse da criança e dos pais – declarou o porta-voz do grupo Inter LGBT, Gougain, segundo a publicação Digital Journal.
Nascida de uma tradição que existia no país antes da 2ª Guerra Mundial, a oração será lida será lida em todas as congregações da França nesta quarta-feira (15), e segundo um porta-voz da Igreja Católica, Dom Bernard Podvin, seu renascimento foi para “aumentar a consciência da opinião pública sobre graves escolhas sociais”.
Fonte: Gospel+

Marcha para Jesus 2013 no Rio de Janeiro: organização divulga data do evento e artistas convidados. Confira


A Marcha para Jesus 2013 no Rio de Janeiro já teve a data definida pelo Conselho de Ministros Evangélicos do Estado do Rio de Janeiro (COMERJ): 25 de maio.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Marcha para Jesus 2013 no Rio de Janeiro: organização divulga data do evento e artistas convidados. ConfiraO evento deste ano é o segundo em que o pastor Silas Malafaia lidera, e deverá ter início às 15h00 na avenida Presidente Vargas, em frente à estação Central do Brasil. A concentração deverá ocorrer novamente na Cinelândia, onde será montado o palco.
Em 2012, o evento contou com a presença de mais de 300 mil pessoas, de acordo com estimativas dos próprios organizadores.
Este ano, os preletores do evento serão os pastores Silas Malafaia, Marcus Gregório, Abner Ferreira, Marco Antônio e Jabes de Alencar.
Os artistas confirmados até agora para se apresentarem na concentração são: Thalles, André Valadão, Aline Barros, Pregador Luo, Eyshila, Davi Sacer, Bruna Karla, Cassiane, e Nani Azevedo.
Assista no vídeo abaixo, o convite da organização do evento para a Marcha para Jesus 2013 do Rio de Janeiro:

Cidadão curitibano
Silas Malafaia é alvo de uma proposta da vereadora Carla Pimentel (PSC), que pretende conceder ao pastor o título de Cidadão Honorário de Curitiba, como forma de reconhecer suas atividades como líder religioso.
De acordo com o site Bem Paraná, a vereadora justifica a proposta dizendo que as ações de Silas Malafaia são importantes para a capital do estado.


G+

Igreja Universal publica orientações para as práticas sexuais dos fiéis: “Vale o gosto do casal”


Igreja Universal publica orientações para as práticas sexuais dos fiéis: “Vale o gosto do casal”A Igreja Universal do Reino de Deus é conhecida por recomendações explícitas a seus fiéis sobre questões cotidianas de suas vidas, em áreas como matrimônio, finanças e espiritualidade.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
O site oficial da denominação publicou uma espécie de “manual do sexo” para seus fiéis, escrito pelo bispo Renato Cardoso e sua esposa, Cristiane Cardoso, que é filha do fundador da Universal, bispo Edir Macedo.
No texto, há uma recomendação clara contra o sexo anal: “O ato é contra a Palavra de Deus e, de acordo com a medicina, doenças venéreas surgem em decorrência dele. A anatomia da mulher não foi feita para isso”, adverte o texto.
Outras questões, como o sexo oral, são colocadas no âmbito do livre arbítrio: “Vai a gosto do casal, pois a Bíblia não fala nada a respeito. Há quem goste, outros não. Apenas não imponha o ato ao outro”, pondera.
Situações que não envolvem um ato específico, mas sim um conjunto de fatores, também são abordadas no “manual”. O texto fala sobre a falta de desejo sexual como uma questão mais racional: “Há coisas que você não tem vontade de fazer e faz, como, por exemplo, acordar de manhã para trabalhar, entre outras. Por isso, se a gente for fazer só o que tem vontade, vamos deixar de fazer muitas coisas”, sugere.
Em casos que o marido não está disposto para a prática, a indicação do texto é que a esposa não force situações: “A mulher não deve impor o ato para o marido, porque isso só faz diminuir o desejo dele. Muitas, para conseguir uma iniciativa do marido, acabam fazendo críticas do tipo: ‘Você não quer nada’, ‘Você não é homem’, Não haja assim, não vai resolver”, orienta o casal Renato e Cristiane Cardoso.
Sobre pornografia, uma ilustração feita com lixo é usada pelo casal para desaconselhar que se apele para essa alternativa a fim de melhorar a prática sexual.
“Suponhamos que você decida, todas as vezes que sair, trazer algum lixo que encontrou na rua para dentro de casa, sem nunca removê-lo.  Certamente, ficaria uma casa inabitável. Assim como não gostamos de uma casa suja e abominamos a sujeira, na vida sexual existe também a sujeira que muitos casais trazem para o leito. Você deve tomar cuidado para não trazer a poluição do mundo para o quarto, há ensinamentos falsos com respeito ao sexo, com o objetivo de apimentar a relação entre o casal. Há quem diga que o casal deve ver pornografia junto, ter aventuras, usar vibrador, se masturbar, ter casos extraconjugais, é muito lixo, uma podridão. É preciso entender que as pessoas praticam o que está dentro delas, sem qualquer limite, se entregam aos prazeres e recomendam isso aos outros. O que estamos falando é para você usar a inteligência e julgar as consequências de certas atitudes que são promovidas como boas para a vida íntima do casal, mas na verdade não são”, afirma o “manual do sexo” escrito por Renato e Cristiane Cardoso.
A receita, segundo o casal, é guardar os desejos para o momento separado para a prática: “Se você quer ter um sexo maravilhoso com o parceiro e parceira, guarde o seu apetite sexual para explodir quando estiverem juntos, em vez de se masturbar, assistir pornografia ou usar estímulos artificiais antes do ato”.

G+

Cristãos se manifestam de forma ordeira pela saída de Genoíno e João Paulo da CCJ e ganham elogio de jornalista da Veja

Um grupo de 70 evangélicos da Igreja Assembleia de Deus fez um protesto silencioso nesta quarta-feira (17) pela renúncia dos deputados petistas José Genoino e João Paulo Cunha, condenados à prisão pelo Supremo Tribunal Federal no julgamento do mensalão, aos cargos que ocupam na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ).
"Viemos ordeiramente demonstrar a indignação do país com a presença dos deputados condenados nesta comissão tão importante da Câmara, que trata de justiça. E estamos aqui em silêncio, em uma manifestação pacífica. Porque cristão é assim: protesta de forma educada, com respeito ao próximo", disse o líder evangélico, Pastor Egmar Tavares.
A atitude diferenciada dos evangélicos foi reconhecida até por alguns setores da imprensa. Na Agência Estado, lemos: "Diferente dos embates nos corredores da Casa que se repetiram ao longo do dia, o protesto na CCJ foi silencioso. Aproximadamente 20 manifestantes exibiram cartazes com as frases "Fora dep. Genuíno (sic)" e "Fora dep. João Paulo Cunha". No grupo, pastores e fiéis da igreja Assembleia de Deus do Gama, cidade satélite de Brasília".
Na Revista Veja, 17/04, às 15:15, o jornalista Reinaldo Azevedo compara: "Duas fotos, dois protestos; um é democracia; o outro é gritaria fascistoide. Ou: O regime democrático, a forma e o conteúdo" e dá os "parabéns aos evangélicos. É assim que se faz." Leia a íntegra desta análise no Blog do Jornalista Reinaldo Azevedo.

BLOG DO EVERALDO

Papa disse que impedir casamento gay "é uma guerra de Deus" e foi reprimido por Cristina

 

O papa Francisco, nome adotado pelo argentino Jorge Mario Bergoglio, escolhido nesta quarta-feira (13) para suceder Bento 16, já sofreu duras críticas da presidente da Argentina, Cristina Kirchner, após ele liderar uma campanha contrária a união de pessoas do mesmo sexo. As críticas foram feitas em julho de 2010, quando o Senado argentino aprovou o casamento gay.

Na época, Bergoglio afirmou que a aprovação do casamento gay era um "ataque destrutivo ao plano de Deus" e que a adoção de crianças por homossexuais era uma maneira de discrimina-la.

                  

Página oficial do Vaticano traz a famosa frase em latim: "Habemus Papam" ("Temos um papa"). Ela é dita pelo protodiácono -- o primeiro elevado à dignidade cardinalícia naquela ordem --, da varanda central da basílica de São Pedro
Após as declarações, o novo pontífice, então arcebispo de Buenos Aires, sofreu uma reprimenda pública da presidente, que estava em Pequim, na China, em viagem oficial. Kirchner acusou as lideranças religiosas contrárias ao casamento gay de estarem nos "tempos das cruzadas".

   "Eles estão retratando isso como uma questão religiosa e moral e uma ameaça à "ordem natural", quando o que estamos fazendo é olhar para a realidade", disse Kirchner.

Conservador

Na Argentina, Bergoglio é conhecido pelo conservadorismo e pela batalha contra o kirchnerismo. O prelado também é reconhecido por ser um intenso defensor da ajuda aos pobres. O argentino costuma apoiar programas sociais e desafiar publicamente políticas de livre mercado.
Bergoglio é considerado um ortodoxo conservador em assuntos relacionados à sexualidade, se opondo firmemente contra o aborto, o casamento entre pessoas do mesmo sexo e o uso de métodos contraceptivos.

FONTE .  UOL.COM.BR

Novo papa sobre casamento gay: “Ataque destrutivo contra o plano de Deus”


AP
Papa Francisco 1º fala aos fiéis no Vaticano depois de sua eleição


A eleição nesta quarta-feira (13) do cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio como papa Francisco 1º não vai significar um período mais tolerante da igreja católica aos direitos dos gays. Em suas próprias palavras, em carta escrita  pelo então arcebispo em 2010, a união gay teria o poder de destruir o plano de Deus para a humanidade.
Na ocasião, ele se opôs fortemente à adoção na Argentina de legislação que permite o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, dando aos homossexuais os mesmos direitos dos heterossexuais.
Jorge Mario Bergoglio manifestou sua contrariedade numa carta enviada aos sacerdotes de Buenos Aires.
“Não vamos ser ingênuos, não estamos falando de uma simples batalha política, é um ataque destrutivo contra o plano de Deus. Não estamos falando de um projeto de lei simples, mas sim de uma maquinação do Pai da Mentira, que procura confundir e enganar os filhos de Deus” , escreveu Jorge Mario Bergoglio, segundo o jornal online “The Daily Beast”, do grupo americano Newsweek.

DIGA NÃO AO CASAMENTO GAY .


GRITOS DE ALERTA

Vereadores empregam membros de igrejas e aprovam projetos em benefício de credos


No ‘Almoço com Deus’, realizado todas as quartas-feiras no auditório da Câmara, o vereador João Mendes de Jesus ora com um grupo de fiéis
Foto: Ruben Berta / Agência O Globo
No ‘Almoço com Deus’, realizado todas as quartas-feiras no auditório da Câmara, o vereador João Mendes de Jesus ora com um grupo de fiéis Ruben Berta / Agência O Globo
RIO - Todas as quartas-feiras, quando o relógio se aproxima do meio-dia, é hora de alimentação espiritual no auditório da Câmara do Rio. Por 30 minutos, o vereador e bispo da Igreja Universal João Mendes de Jesus (PRB) faz o seu “Almoço com Deus”, um pequeno culto em que dá conselhos, ora e lê trechos da bíblia. Anteontem, também foi a vez de, à noite, a vereadora de origem judaica Teresa Bergher (PSDB) ocupar o plenário para comemorar os 65 anos do Estado de Israel, com direito a participação do Coral Israelita Brasileiro e entrega de uma medalha à diretora do Colégio TTH Bar-Ilan, Regina Fuks. Os dois eventos representam o lado visível de uma relação que parece cada vez mais próxima na Casa: a de política com religião. Dentro dos gabinetes, há outra face menos conhecida: uma legião de funcionários, que também atuam como representantes de seus credos, além da concepção de projetos voltados para benefícios de determinadas religiões.
Um levantamento feito pelo GLOBO na lista dos servidores mostra que um novato na Câmara já desponta entre os que mais empregam membros de sua igreja: é Alexandre Isquierdo (PMDB), eleito para seu primeiro mandato graças ao apoio da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (Advec). No seu gabinete, há sete pessoas inscritas no ano passado com o próprio Isquierdo num evento conhecido como Escola de Líderes da Advec. Completam o time outros dois membros da igreja, além da cunhada do presidente, Silas Malafaia.
— Minha prioridade é o quadro técnico. Ao todo, são 27 servidores — argumenta Isquierdo.
Malafaia complementa:
— Quem elegeu o Isquierdo fui eu, isso é claro. Mas não interferi nas nomeações do gabinete. Só o aconselhei: ponha as pessoas que trabalharam com você e por você. Se eu tivesse indicado, poderia ter enchido de “Malafaias”, mas só tem um, a minha cunhada.
Outro marinheiro de primeira viagem que já está empregando os membros da sua igreja é Eliseu Kessler (PSD), da Assembleia de Deus de Campo Grande. Ele admite ter oito funcionários que “professam a mesma fé”, mas garante que seis têm nível superior e que o principal objetivo de seu mandato é “servir à população do Rio com profissionalismo e seriedade”. Pelo menos cinco servidores também seriam pastores.
Ainda nos gabinetes, outros casos que chamam a atenção são os de Jorge Braz (PMDB) e Tânia Bastos (PRB), ambos da Universal. O primeiro emprega Enir de Castro Pinto, que seria mulher do ex-deputado Bispo Rodrigues, envolvido no escândalo do mensalão. Já o assessor-chefe do gabinete de Tânia, Claudemir Mendonça de Andrade, teria sido citado em investigações da Polícia Federal como suposto “laranja” no processo de compra da Rede Record. As assessorias dos dois vereadores disseram se pautar por escolhas profissionais e não quiseram confirmar as relações dos dois funcionários, ou se tratam-se de homônimos.
Monumento à Bíblia e isenção para JMJ
A produção legislativa também reflete a influência da religião. Um caso emblemático recente foi a aprovação da isenção de ISS para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que aliás tem até uma comissão na Casa, liderada pelo católico Carlo Caiado (DEM). Apenas o ateu Renato Cinco (PSOL) votou contra o incentivo fiscal. Jorge Braz, da Universal, chegou a dizer que estava votando a favor pensando que poderia haver benefícios futuros a outros credos.
Este mês, a Casa ainda aprovou um projeto de um ex-vereador, dr. João Ricardo, que prevê a construção de um Monumento à Bíblia, na Zona Oeste. Por sua vez, a judia Teresa Bergher —que já conseguiu, por exemplo, aprovar uma lei que inclui o ano novo judaico no calendário oficial da cidade — se diz decepcionada por até hoje não ter transformado em realidade o projeto que aprovou, de construção de um memorial às vítimas do holocausto, no Aterro.
— Logo depois da eleição, em 2009, o prefeito foi a uma sinagoga e prometeu para 500 pessoas a construção, que seria transferida para a Barra, mas isso nunca aconteceu. Por sua vez, a prefeitura tem investido milhares de reais em eventos católicos e evangélicos — critica Teresa.
Idealizador do “Almoço com Deus” — onde na quarta retrasada aconselhou fiéis a orar como primeira atitude para a cura, ao falar de uma dor no joelho que sentia — João Mendes de Jesus já aprovou pelo menos duas leis que beneficiaram diretamente a sua igreja. Em 2009, incluiu no roteiro turístico do município o Centro Cultural Jerusalém, localizado na Catedral Mundial da Fé, da Universal, em Del Castilho. No ano passado, emplacou 9 de julho como a data oficial em homenagem à sua igreja. Através de sua assessoria, João Mendes defendeu o culto que realiza na Casa: “Reúne quem quiser orar a Deus. É realizado de forma discreta e não interfere nos trabalhos da Câmara”.

FONTE . GLOBO.COM/RJ

DIA 21 DE ABRIL - O DIA SEM REDE GLOBO - DIGA NÃO AOS PATROCINADORES DO SODOMISMO NO BRASIL.

Transexual mata companheiro após briga, em Goiás

Um transexual de 40 anos foi morto com uma facada no peito pelo companheiro, de 31 anos, na madrugada desta quinta-feira (28), no povoado de Buriti, a 7km de Minaçu, na região norte de Goiás. O suspeito procurou a Polícia Militar e confessou o crime.
De acordo com o depoimento do criminoso, o assassinato aconteceu após uma briga entre o casal. Segundo a PM, os dois discutiam quando a vítima pegou uma faca e tentou agredir o companheiro. No entanto, o suspeito tomou o objeto e esfaqueou o transexual.
O Corpo de Bombeiros de Minaçu afirmou que a vítima já estava morta quando a equipe chegou ao local. Eles disseram que o corte era profundo, entretanto, não sabiam se ele morreu no momento do crime, já que o suspeito chamou o resgate duas horas depois de esfaquear a vítima.

G1

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...