terça-feira, 21 de outubro de 2014

CHEGANDO OS DIAS - Pastores podem ser multados e até presos por se recusarem a celebrar casamento gay nos EUA

                
Um pastor de Idaho e sua esposa entraram com uma ação judicial contra as autoridades da cidade de Coeur d'Alene por terem sido forçados a realizar cerimônias de casamento entre pessoas do mesmo sexo. Caso se recusem a acatar a exigência das autoridades locais, o casal poderá enfrentar um processo por violação de leis que prezam pela "não discriminação".
Pastores podem ser multados e até presos por se recusarem a celebrar casamento gay nos EUAAdvogados da Aliança pela Defesa da Liberdade entraram com a ação em nome de Donald Knapp e sua esposa, Evelyn, que atualmente são encarregados das cerimônias de casamento da "Hitching Post Wedding Chapel", na cidade. A penalidade por não acatar a exigência de que também celebrem casamentos gays pode ir de multas onerosas até mesmo à prisão.
As autoridades de Coeur d'Alene dizem que sua ordenança de "combate à discriminação" obriga os ministros a realizarem cerimônias de casamento entre pessoas do mesmo sexo, porque os tribunais têm substituído emenda constitucional de Idaho, uma lei aprovada pelos eleitores anteriormente, que afirmava o casamento como a união entre um homem e uma mulher.
"O governo não deve forçar os ministros ordenados para agir de forma contrária à sua fé sob a ameaça de pena de prisão e multas de natureza penal", disse o Consultor Jurídico Sênior da ALiança pela Defesa da Liberdade, Jeremy Tedesco em um comunicado.
"Muitos têm negado que os pastores jamais seriam forçado a realizar cerimônias que estão completamente em desacordo com a sua fé, mas isso é o que está acontecendo por aqui - e isso aconteceu muito rápido", acrescentou Tedesco. "A cidade está em terreno legal seriamente danificado, e nossa ação tem a intenção de assegurar que a liberdade do casal de aderir à sua própria fé como pastores seja protegida, assim como a Primeira Emenda garante".
"A cidade tem 'inconstitucionalmente coagido' os Knapps a realizarem cerimônias de casamento entre pessoas do mesmo sexo, em violação das suas crenças religiosas, seus votos de ordenação, e as suas consciências", afirma o processo.
"O casal - ambos na casa dos 60 anos - pode violar suas convicções religiosas e promessas ministeriais através da realização de cerimônias de casamento gay ou seguir suas convicções religiosas e os votos pelo declínio de realizar tais cerimônias e enfrentar até 180 dias na cadeia e até US$ 1.000 em multas", ele adiciona.
O consultor jurídico ainda alertou para o perigo de que as penalidades têm caráter cumulativo, ou seja, à medida que os dias se passam e os pastores permanecem com a decisão de não celebrar o casamento gay solicitado, a penalidade ou multa vai se acumulando.
"Pior, a cada dia o declínio dos Knapps sobre a realização da cerimônia do casamento gay solicitado, eles cometem um delito separado e distinto, sujeitos às mesmas penalidades. Assim, se os Knapps recusarem uma cerimônia de casamento entre pessoas do mesmo sexo por apenas uma semana, eles correm o risco de de ir para a cadeia por mais de três anos e serem multados em US$ 7.000 ", explica o processo.
"O governo existe para proteger e respeitar as nossas liberdades, não para atacá-las", destacou Tedesco. "A cidade não pode apagar essas liberdades fundamentais, e substituí-las por coerção governamental e intolerância".
 
CPAD

Coreia do Norte liberta um dos três americanos detidos no país . ACUSAÇÃO - TER DEIXADO UMA BÍBLIA NO HOTEL .

A Casa Branca anunciou nesta terça-feira a libertação de Jeffrey Fowle, um dos três americanos detidos na Coreia do Norte, que já está a caminho de seu país.

"Jeffrey Fowle foi autorizado a deixar a Coreia do Norte", declarou Josh Earnest, porta-voz da Presidência americana.

O americano, que viajou à Coreia do Norte em abril, foi detido acusado de ter deixado uma bíblia em um hotel.

A Casa Branca fez diversos apelos pela libertação de Fowle e dos outros dois americanos ainda detidos na Coreia do Norte.

Matthew Miller foi preso em abril e condenado a seis anos de trabalhos forçados. Segundo a Coreia do Norte, ele "cometeu atos hostis" ao entrar em seu território "disfarçado de turista".

Já Kenneth Bae foi preso em novembro de 2012, após ser acusado de ser um ativista cristão com a intenção de derrubar o governo norte-coreano. Ele foi condenado a 15 anos de detenção em um campo de trabalhos forçados.


WASHINGTON, 21 Out 2014 (AFP)

O tentador engano do voto nulo ou em branco

Este artigo aborda uma questão polêmica e delicada.“Devo fazer opção por um candidato, anular meu voto ou votar em branco?”. Sabemos que fazer escolhas não é tarefa fácil. Decisões tomadas hoje repercutirão no dia de amanhã.
Por esta causa algumas pessoas preferem não se comprometer e assumem a postura de neutralidade. Na conjuntura atual, para o segundo turno das eleições para presidente do Brasil, alguns se recusam a decidir entre as opções disponíveis: Aécio (PSDB) ou Dilma (PT).
Estes eleitores acreditam que votar em branco ou anular o voto é o mais correto a fazer. Quando questionados costumam alegar que nenhum dos candidatos será capaz de melhorar o país e que não se sentem representados pelos tais.
Expõem seus motivos e usam o argumento para convencer outras pessoas a fazerem o mesmo. O ponto de vista destes cidadãos, certamente deve ser respeitado. Quando alguém opina diferente está tão somente fazendo uso do direito de liberdade de pensamento e de expressão.
Por isto, permitam-me expressar o que penso. Acredito que o Brasil tem necessidade de produzir alternância democrática de poder. Os votos considerados para a vitória de algum candidato são os chamados “votos válidos”. Os votos nulos, assim como os em branco, não são computados (art. 77, §2º, CF). Portanto, ficar “em cima do muro” é omissão e não contribuirá em nada para que a alternância de poder aconteça. Deste modo, quem deseja mudanças precisa decidir-se.
Quando Pôncio Pilatos teve a oportunidade de decidir por Cristo, o governador da Judeia preferiu a neutralidade e “tomando água, lavou as mãos diante da multidão” (Mt 27.24). No entanto, o ato de lavar as mãos à frente da multidão não foi o suficiente para sossegar a consciência de Pilatos e tampouco o isentou de responsabilidade. Como consequência, Pilatos cometeu suicídio alguns dias depois da morte do Imperador Tibérius.
Diante do acima exposto, entendo ser um tolo engano acreditar que anular o voto ou votar em branco lhe tornará isento do que virá acontecer amanhã. Não votar em ninguém lhe fará tão responsável como se tivesse votado. Consciente desta realidade, no primeiro turno votei 40, Marina Silva (PSB). E, como desejo mudanças, vou manter a coerência e no segundo turno voto 45, Aécio Neves (PSDB).
O filósofo Edmund Burke (1729-1797) escreveu: “Para o triunfo do mal só é preciso que os bons homens não façam nada”. E o apóstolo Tiago assevera: “Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado” (Tg 4.17).
Assim, concito-o a não ser neutro como Pilatos. Decida-se, não seja omisso e torne possível a alternância de poder em nosso país. Pense nisto!
 
 
GP  VIA  GRITOS DE ALERTA

Saia da caverna do medo!, afirma apóstolo Estevam



Na Celebração da Família deste domingo (19.10), no Renascer Hall, o apóstolo Estevam Hernandes falou sobre como podemos sair da caverna e vencer o espírito do medo. Ele ministrou sobre Elias e leu o texto que está em 1ª Reis 19.1-16.
Veja a seguir os principais trechos da ministração:
Quem nunca se sentiu desanimado ao longo de uma caminhada? Ou com vontade de desistir? Isso é uma ação demoníaca para colocar o medo nas nossas vidas que muitas vezes não conseguimos identificar. Este medo é colocado na sua vida para que você fira o Espírito Santo de Deus.
Elias era um homem de Deus que foi desafiado pelos profetas de Baal que serviam a Jezabel. Eles eram feiticeiros terríveis! Todos os que serviam ao Deus verdadeiro, Jezabel mandava matar. Mas Elias desafiou os profetas de Baal e, revestido pelo poder do Espírito Santo, venceu mais de 400 profetas no Monte Carmelo. No entanto, mesmo com toda essa autoridade, Elias tinha brechas e o inimigo as usou para ameaça-lo.
Qual o propósito do inimigo?
1)    Roubar o plano de Deus para sua vida;
2)    Endurecer seu coração;
3)    Tirar a autoridade do Espírito Santo sobre sua vida.
As brechas nas nossas vidas abrem espaço para que Satanás nos destrua espiritualmente. Mesmo depois de ter vivido tamanha autoridade e vitória de Deus sobre sua vida, Elias fugiu ao ser ameaçado de morte por Jezabel. Ele então foge e se esconde em uma caverna... Mas o Deus que começa uma boa obra nas nossas vidas, não desiste e nem muda (Filipenses 3.15).
Elias, no entanto, deixou que a ameaça maligna mudasse sua disposição e seu sentimento. Quando ele deixou o medo entrar, aquele grande homem se tornou um farrapo espiritual... Mas Deus sempre nos dá uma nova oportunidade, Ele nunca desiste de nós! Hoje você vai quebrar toda Palavra maligna que foi lançada sobre sua vida!
Ele enviou seu anjo para que Elias saísse daquela caverna. Ele leva alimento até Elias, mas ele come e volta a dormir. Então o anjo volta e o acorda novamente. Muitas vezes, diante de um problema, ficamos paralisados, como que dormindo... Mas Deus ainda tem muitas coisas para realizar em nossas vidas! Não podemos nos deixar vencer pelo desânimo e nos esconder em cavernas! O braço forte do Senhor sempre nos sustenta e nos levanta!
Não deixe que o medo:
1)    Faça você perder a perspectiva de quem você é, somos filhos do Deus Todo Poderoso (2ª Coríntios 5.17). Quebre toda Palavra contra sua constituição, você é separado por Deus. Permaneça de pé!;
2)    Faça com que você se entregue às ameaças de Satanás (Isaías 54.17). Deus condenará toda língua maligna que se levantar contra você; a maldição vai se transformar em bênção, não tema o invejoso e nem a língua do ímpio;
3)    Faça com que você tenha medo do futuro. Não tema! Nosso futuro é bom, porque ele pertence ao Senhor! (Provérbios 23.18)
Temos o poder de repreender toda maldição contra nossas vidas, em nome de Jesus. Jezabel acabou morta por cães. Nada pode vir contra o ungido de Deus. Nosso medo adia o que Deus tem para fazer em nossas vidas. Saia dessa caverna do medo, em nome de Jesus!
O Senhor vai nos levantar e nos dará:
1)    Restituição de tudo que foi roubado!
2)    Restituição do futuro! Existem coisas grandes que o Senhor quer entregar para aqueles que têm coragem de sair da caverna.
Elias finalmente reconheceu a voz de Deus no vento suave... É essa voz que vai enxugar todas as lágrimas dos nossos olhos. Não se dobre a Baal e sua caminhada será de glória em glória e vitória em vitória! Vença o espírito do medo e da insegurança, o Senhor nos dá espírito de ousadia para vencermos em todas as áreas das nossas vidas!


IGOSPEL.COM.BR

Pastor de megaigreja abandona família para viver nas ruas

Rick Cole é o líder da megaigreja Capital Christian Center, na cidade de Sacramento, Califórnia, que reúne mais de 4 mil membros.
Mês passado, ele iniciou um desafio pessoal que tomou a igreja de surpresa. Cole abandonou sua família e o púlpito para viver nas ruas da cidade por dois meses (ou até que os membros de sua igreja levantassem US$ 100 mil em doações).
O dinheiro irá para o projeto Winter Sanctuary [Santuário de inverno], que auxiliará os sem-teto. Serão ônibus que recolherão homens e mulheres e os levarão para igrejas e templos em noites frias e chuvosas, oferecerão refeições quentes e ajuda para quem desejar sair das ruas. O objetivo é substituir um programa do município que terminou por causa de cortes orçamentários.
Em apenas duas semanas a arrecadação chegou a 144 mil dólares e o pastor voltou para casa. Ele conta sua história no site revonthestreet.com. No último final de semana subi ao púlpito com o visual mudado (pois não se barbeou no período) e usando as mesmas roupas sujas. Pregou um sermão baseado em suas experiências vividas nas ruas de Sacramento. Relatou que dormiu em um beco várias noites seguidas e como viveu sem dinheiro e sem saber de onde viria a refeição seguinte. Explicou que alguns dias só comeu por que havia uma igreja distribuindo sopa no parque da cidade.
Pediu que os cristãos se envolvam mais com as questões sociais e afirmou que a experiência mudou sua visão de mundo de maneiras que ainda estava tentando entender.
“Eu comecei a perceber o valor de cada pessoa”, disse ele, visivelmente emocionado. “Toda alma é importante, até mesmo os loucos”. No final fez um apelo para que a igreja anuncie esperança: “Deus, em seu Espírito, está lá fora, nas ruas”.
A iniciativa de Cole não é inédita. Em 2012, o pastor Buff Dustin e o pastor de jovens Philip Nguyen viveram por 10 dias nas ruas de Norman, cidade do Estado de Oklahoma.
A experiência também foi vivida por alguns dias pelo pastor Thomas Keinath, da megaigreja Calvary Temple, localizada em Wayne, New Jersey. Com informações de Urban Christian News

Exposição que mostra pedofilia e zoofilia provoca bate boca entre deputados

Não foi só nas redes sociais que a mostra “QueerMuseu” gerou debates e bate boca. Na noite desta terça-feira (12) o assunto foi amplam...