quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

EU NÃO VOTO NELE . ESSE MINISTRO DO KIT GAY QUE SE CHAMA HADDAD .



Enquanto lideranças evangélicas se organizam para tentar impedir que o ex-ministro da Educação, Fernando Haddad seja eleito como prefeito de São Paulo, cientistas políticos afirmam que o público não tem tanto poder assim para decidir a eleição municipal.

Por ser o grande apoiador do kit anti-homofobia, Haddad foi taxado de “pai do kit gay” e acabou recebendo críticas de parlamentares evangélicos que não desejam que ele seja eleito na capital paulista.

Mas para o cientista político Cesar Romero Jacob os evangélicos não possuem um poder tão grande. “Pelos estudos que fiz, o fato de PT e PSDB serem mais estruturados em São Paulo faz com as religiões acabem não tendo um poder tão grande”, disse ele que é autor livro “Atlas da Filiação Religiosa”.

Quem também acredita que os líderes religiosos estão depositando muita fé no público evangélico é o professor de filosofia da Unicamp Roberto Romano. “É um voto importante, mas não é decisivo. Assim como não se deve confundir a massa dos católicos com os políticos católicos, a mesma regra deve funcionar também para os evangélicos”, disse.

O filósofo que também é autor do livro “Brasil, Igreja contra Estado”, acredita que os políticos evangélicos usam as críticas para serem atendidos pelo governo, sendo essa a velha prática política do “toma lá, dá cá”. Por isso, segundo o professor da Unicamp, a presidente Dilma deveria deixar claro aos parlamentares e líderes evangélicos que os temas defendidos pelo segmento não são questão de Estado.

O atual prefeito da cidade, Gilberto Kassab (PSD), já começou a negociar com o PT para incluir seu secretário como vice-presidente de Haddad e assim conseguiria os votos de grandes igrejas evangélicas como Assembleia de Deus, Igreja Mundial, Renascer em Cristo e Igreja Internacional da Graça de Deus.

Os evangélicos da capital devem somar cerca de 20% dos eleitores, um número significativo que pode ter impactos negativos na campanha de Haddad, tanto pelo seu apoio ao kit anti-homofobia como a distribuição de camisinhas em escolas públicas. “Nós e os católicos vamos derrotar Haddad em São Paulo”, disse o senador Magno Malta(Pr-ES) ele acredita que se a oposição relembrar os problemas que Haddad teve na pasta ele será “esmagado”. “O Haddad se derruba sozinho”, afirmou o evangélico.

O pedido de “perdão” dos safados e manipuladores

 

Gilberto Carvalho: pediu "perdão", mas negou suas declarações, que estão gravadas.
O secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, cuja principal função é articular a Presidência da República com os segmentos sociais, inclusive com os movimentos religiosos (Carvalho, inclusive, é egresso dos movimentos sociais católicos da década de 1970, 1980), em palestra dada no Fórum Social Mundial, em Porto Alegre/RS, disse que o PT deveria se preparar para o “embate ideológico” com os “setores conservadores” da sociedade brasileira na “conquista da nova classe média”, formando um “sistema de comunicação” que neutralizasse os “telepastores” neopentecostais e pentecostais que, por “terem conquistado a mídia”, estariam impedindo a aprovação de pontos programáticos do PT como a descriminalização do aborto e a criminalização da homofobia.

Ele afirmou também que toda a oposição política ao PT está liquidada e que o último obstáculo são os telepastores e suas posturas conservadoras sobre aborto e homossexualismo.

Essas afirmações revelaram o verdadeiro propósito do governo petista e, com uma clareza sem igual, qual é o foco do petismo para concretizar o seu projeto de poder no Brasil, a instituição de um regime político que seja capaz não só de instituir o seu modelo socialista, mas de exportá-lo para os demais países da América Latina.

Numa franqueza rara e que mais parece um deslize, o articulador do governo Dilma com os segmentos religiosos da sociedade mostrou qual é o propósito governamental em toda essa articulação: manter os segmentos religiosos da sociedade atrelados ao governo, inertes, enquanto, vagarosa mas persistentemente, se irá tentando isolar e desacreditar as poucas lideranças religiosas fiéis aos princípios cristãos, até o instante em que a população, devidamente doutrinada pelos valores anticristãos defendidos pelo governo, venha a aceitar a adoção de medidas radicalmente contrárias à fé em Cristo Jesus.

As afirmações do ministro repercutiram como uma “bomba” nos segmentos religiosos e a Frente Parlamentar Evangélica não teve outra alternativa senão romper com o ministro e, assim, pôr em risco todo o trabalho de articulação que o PT começou a construir a partir de 1994, data em que o programa Pare & Pense, de Caio Fábio, apresentou, juntamente com Valnice Milhomens, o candidato Lula, com o objetivo de desdemonizar o PT e Lula. Caio Fábio foi pioneiro em que pela primeira vez na história do Brasil um programa evangélico de TV mostrou Lula de forma positiva. Esse “trabalho” foi decisivo para que se começasse a quebrar o “veto evangélico” ao PT e que era um dos principais fatores que impedia o PT de vencer eleições presidenciais.


Caio Fábio apresentando, pela primeira vez na história do Brasil, Lula num programa evangélico de TV em 1994. Hoje Caio se gaba de que sua intenção foi aproximar Lula dos evangélicos.
Pode-se então definir a relação do PT com os evangélicos do Brasil como a.C.F. (antes de Caio Fábio) e d.C.F. (depois de Caio Fábio). Antes de Caio Fábio, que era considerado por muitos como um papa evangélico, a maior parte do apoio ao PT vinha de igrejas históricas, com mídias evangélicas como a revista Ultimato, de linha presbiteriana, como carro-chefe do apoio à ideologia socialista. Vários dos colunistas da Ultimato eram membros do PT, inclusive Robinson Cavalcanti e Paul Freston. Caio Fábio, que também era colunista, era o maior pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil.

Contudo, em grande parte as igrejas pentecostais e neopentecostais “demonizavam” o PT. Essa “demonização” foi vencida com o trabalho sutil ou não tão sutil do Movimento Evangélico Progressista, fundado pelo Bispo Robinson Cavalcanti, e por mídias evangélicas atreladas aos interesses progressistas de Caio Fábio e seus seguidores. Foi um trabalho de muitos anos.

Então, a declaração de Gilberto Carvalho apontando a necessidade do PT confrontar os telepastores pentecostais e neopentecostais, cria o perigo, para o PT, de destruir todo o trabalho de “desdemonização” que foi feito durante anos entre os setores pentecostais e neopentecostais.

Além disso, a declaração de confronto revelou-se extremamente inoportuna, pois ocorreu precisamente no momento em que, sutilmente, a presidente Dilma nomeava para a Secretaria de Política para Mulheres uma das maiores defensoras do aborto no país, a sua ex-colega de cela por atividades terroristas comunistas para derrubar o governo do Brasil, a feminista Eleonora Minenucci, cuja primeira tarefa será explicar à ONU a política abortista do governo brasileiro, que está aquém das expectativas daquela organização internacional, onde se engendra toda a estratégia contrária à vida humana no planeta.

Diante desta situação, o ministro pediu para se encontrar com a “bancada evangélica” e “pediu desculpas”, embora, ao mesmo tempo, tenha negado ter feito as referidas declarações, uma negativa que só se entende dentro da mentalidade aética que caracteriza o “modus operandi” marxista, já que não há como negar as declarações, gravadas que foram.

Depois de duas horas de conversas a portas fechadas, o presidente da Frente Parlamentar Evangélica, o deputado João Campos (PSDB-GO), deu o caso por “superado”, dizendo que a “bancada evangélica” ficou “satisfeita com o pedido de perdão”.

O ministro, na saída da reunião, fez questão de dizer aos jornalistas que a presidente Dilma mantém o seu compromisso de deixar ao Congresso Nacional a discussão a respeito do aborto, compromisso assumido no meio da campanha presidencial junto a lideranças católicas e evangélicas.

A atitude da bancada evangélica é esquisita. O ministro pediu desculpas, embora tenha negado ter feito as declarações e, mesmo que as tivesse admitido e formulasse o referido pedido, não se poderia simplesmente dar o caso por “superado”.

As declarações do ministro revelam como o governo está agindo e que, portanto, é de absoluta má-fé a sua postura diante dos segmentos religiosos da sociedade.

O governo Dilma, e isso está claro no relatório que apresentará à ONU sobre a questão do aborto, está decididamente operando em torno da implementação dos pontos programáticos do PT, que incluem a criminalização da homofobia e a descriminalização do aborto. Apenas, por uma questão de estratégia, “cozinha em banho-maria” tais temas, buscando, junto aos meios de comunicação, obter apoio popular para tais causas, o que, inclusive, leva à ridicularização e descrédito de lideranças que têm se mantido fiéis aos princípios e valores cristãos.

Diante dessa postura, não caberia outra atitude senão o rompimento das relações com o governo de Dilma Rousseff e do PT e o início de uma verdadeira luta para que os princípios e valores cristãos prossigam sendo acolhidos e defendidos na convivência social, na legislação pátria.

O Senhor Jesus foi bem claro ao dizer que “quem não é comigo, é contra mim e quem comigo não ajunta, espalha” (Mt.12:30; Lc.11:23). O profeta Amós afirmou que: “Andarãos dois juntos se não estiverem de acordo?” (Am.3:3). Já o apóstolo Paulo assim se manifestou: “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” (II Co.6:14).

Ao contrário do que se disse na campanha eleitoral, o PT não abandonou o seu primeiro programa de governo, aprovado em seu congresso nacional, e que continha diversos pontos incompatíveis com a sã doutrina, e a prova disso foi a revelação feita pelo ministro Gilberto Carvalho de como o PT está agindo para implementá-los, inclusive escolhendo como seu inimigo prioritário os “telepastores”, ou seja, os defensores do Evangelho que têm visibilidade na mídia.

Ao contrário do que se disse na campanha eleitoral, o governo Dilma não tem interesse em defender a liberdade religiosa, mas quer “montar um sistema de comunicação” para desacreditar os líderes religiosos que se mostrarem contrários a seus projetos anticristãos.

Um “pedido de desculpas”, um “pedido de perdão” é suficiente para que a revelação desse projeto, totalmente contrário ao Evangelho, seja considerado “um fato superado”?

É certo que, como cristãos, devemos perdoar, que é dever de todo servo de Cristo dar perdão a quem o pedir (Mt.6:12; 18:21,22). Mas perdão pressupõe confissão e arrependimento, ou seja, que a pessoa admita o erro e mude a sua mentalidade, seu modo de ser, não mais cometendo aquele erro, pois há “um afastamento do pecado” (cf. § 1423 do Catecismo da Igreja Católica).

Ora, se o ministro nem admitiu que tenha feito tais declarações, como aceitar o seu “pedido de perdão”? Se o governo Dilma não mudou sua trajetória no sentido de implementar os pontos programáticos do programa de governo supostamente abandonado, radicalmente contrários ao que ensinam as Escrituras, como entender que há confissão e arrependimento necessários para que haja perdão?

Será que, em vez de seguirmos o que nos ensina o sábio Salomão, de quem só confessa e deixa é que alcança misericórdia (Pv.28:13), nossos ilustres parlamentares preferiram seguir o poeta Mário Lago e dizer que “perdão foi feito pra gente pedir”, mas se esquecendo de que o ministro, ao contrário do homem que veio se humilhar naquele poema, está seguindo, mesmo, a filosofia do sambista Manoel Santana, que pediu perdão a Deus por pecar ao sambar, mas, mesmo assim, sambou até morrer?

* Grupo Interdisciplinar Bíblico de Estudos e Análises, um grupo de estudos formado originariamente de ex-alunos e ex-professores da Faculdade Evangélica de São Paulo (FAESP) e que agora atua em parceria com a Associação para a Promoção do Ensino Bíblico (APEB). Com a colaboração de Julio Severo.

VIA GRITOS DE ALERTA.
FONTE . JULIO SEVERO

RESPOSTA AO PADRE Paulo Ricardo de Azevedo Júnior, da Arquidiocese de Cuiabá (MT)

A ABOMINÁVEL IDOLATRIA


Você possui imagens, amuletos, anjos, estatuetas, ou até mesmo uma cruz? Conheça a verdade das Sagradas Escrituras sobre a idolatria, e liberte-se definitivamente dessas coisas que são abomináveis ao Senhor Deus, pois somente “Ele” é digno de adoração, honra e glória.

AS IMAGENS, ÍDOLOS FEITOS POR MÃOS DE HOMENS - Salmos 115. 2 a 8, diz: Porque diriam as nações: Onde está o seu Deus? Mas o nosso Deus está nos céus: faz tudo como lhe apraz.

Os ídolos deles são prata e ouro, obra das mãos dos homens. Tem boca, mas não falam, tem olhos, mas não vêem: Tem ouvidos, mas não ouve, nariz tem, mas não cheiram. Tem mãos, mas não apalpam, tem pés, mas não andam; som algum sai da sua garganta. Tornam-se semelhantes a eles os que os fazem, e todos quantos neles confiam.

Neste texto, a palavra revela como são os ídolos feitos por mãos de homens, com os seus membros e órgãos, porém sem vida. E no versículo 8, a palavra afirma que tornam-se semelhantes a eles tanto os que os fazem, quanto os que neles confiam, ou seja, os idólatras estão mortos diante do Deus Altíssimo.

Isaias 40.18, 19, 25 - A quem, pois farei semelhante a Deus: ou com quem o comparareis? O artífice grava a imagem, e o ourives a cobre de ouro, e cadeias de pratas funde para ela.

O empobrecido que não pode oferecer tanto, escolhe a madeira que não se corrompe: artífice sábio busca para gravar uma imagem que não se pode mover. A quem, pois me fazeis semelhantes, para que lhe seja semelhante? Diz o Santo.

Ao contrário do que muitos crêem, os ídolos (imagens feita por mãos de homens) não podem interceder por ninguém junto a Deus, mesmo aqueles que fizeram-se jus serem santos, repousam debaixo do trono de Deus, já justificados, aguardando que seja completado o número de seus conservos, dos que hão de morrer pelo nome do Senhor Jesus Cristo. Vejamos:

Apocalipse 6.9 – 11 - E havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos por amor a palavra de Deus e por amor ao testemunho que deram. E clamavam com grande voz, dizendo: ó verdadeiro e Santo Dominador, por que não julgas e não vingam o nosso sangue dos que habitam sobre a terra?

E foram dadas a cada um compridas vestes brancas, e foi-lhes dito que repousassem um pouco de tempo, até que também se completasse o número de seus conservos e seus irmãos, que haviam de ser mortos como eles foram.

Isaias 45.20 - Congregai-vos e vinde; chegai-vos juntos, vós que escapastes das nações; nada sabem os que conduzem em procissão as suas imagens de escultura, feitas por mãos de homens, e rogam a um deus que não pode salvar.

Isaias 42.8Eu sou o Senhor, este é o meu nome, a minha glória, pois a outrem não darei, nem o meu louvar as imagens de esculturas.

IDOLATRIA REPROVADA POR DEUS - Quando o Senhor Deus deu a Moisés a pedra com os Dez Mandamentos, uma das maiores preocupações do Senhor com o seu povo, foi exatamente sobre o pecado da idolatria, tanto que exortou com veemência:

Êxodo 20.4, 5 - Não fará para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma , do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas embaixo da terra. Não as adorarás, nem as darás culto: Eu sou o Senhor teu Deus,...

É mandamento, assim como matar, roubar, prostituir, etc., não podemos de maneira alguma fazer qualquer tipo reverência ou adoração a ídolos (imagens feitas por mãos de homens), devemos sim adorar e servir ao único e verdadeiro Deus em espírito e em verdade.

Alguns dizem que não idolatram a imagem, mas tem-na em memória, como um parente por exemplo, que se foi e conserva-se sua fotografia. Quem diz esse absurdo está confessando que é idólatra, pois somente Deus é digno de adoração. Vamos meditar:

João 4.23, 24, disse Jesus: Mas a hora vem, e a hora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é espírito, e importa que os que o adoram, os verdadeiros adoradores, o adorem em espírito e em verdade, Jesus simplificou tudo.

Vejam que Cristo manda que adoremos somente o Pai, em espírito e em verdade, e não adorar imagens, figuras, estatua e outras invenções e fabricações de mãos de homens.

No livro de Apocalipse, revelado a João, diz que qualquer que praticar atos abomináveis ao Senhor, ficará fora do Reino de Deus, das quais faz parte a idolatria:

Apocalipse 22.15 –Ficaram de fora os cães, os feiticeiros, os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.

I Coríntios 6.9, 10 - Não sabeis que os injustos não hão de herdar o Reino de Deus? Não erreis, nem devassos, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem os ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus.

Idolatria, passaporte para o lago de fogo e enxofreMateus 10.37 – Disse Jesus: Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim, não é digno de mim; ou quem ama mais o filho ou a filha mais do que a mim, não é digno de mim.

I Coríntios 10.14 – 21 - Meus amados, fugi da idolatria. Falo como a entendido, julgais vós mesmo o que eu digo. Porventura o cálice benção, que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos, não é por ventura a comunhão do Corpo de Cristo? Porque nós sendo muitos, somos um só pão e um só corpo: porque todos participamos do mesmo pão.Vede a Israel segundo a carne: os que comem sacrifícios não são porventura participantes do altar?

Mas que digo? Que o ídolo é alguma coisa? Ou que o sacrifício ao ídolo é alguma coisa? Antes digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios. Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios: não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios.

Portanto irmãos, quando se acende uma vela, ou pede para outro ser, interceder junto a Deus, isto está sendo feito há ídolos, ou melhor a demônios, como diz o texto sagrado. Devemos buscar a Deus inteiramente, sem colocar barreiras entre homem e Deus, porque tudo que for colocado entre o homem e Deus constitui-se em idolatria.

O ÚNICO E VERDADEIRO MEDIADOR - Disse Jesus: João 14.6 - Eu sou o Caminho, e a Verdade, e a Vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.

Jesus afirma que “Ele” é o único caminho que conduz ao Pai, somente em seu nome podemos nos dirigir ao misericordioso Senhor Deus.

Hebreus 12.24 Jesus Cristo é o mediador duma Nova Aliança pela aspersão do seu sangue inocente na cruz. Portanto, quando nos dirigirmos a Deus devemos fazer sempre em nome do Senhor Jesus, não é no nome de nenhum outro ser, pois assim está escrito:

João 14.13 – Disse Jesus: E tudo quanto pedirdes ao meu Pai em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no filho.

Na ocasião que o apóstolo João recebeu a revelação do Apocalipse, ele prostrou-se diante do anjo que havia lhe revelado para adorá-lo e foi repreendido:

Apocalipse 22.8, 9 - Eu sou João quem viu e ouviu estás coisas. E quando vi e ouvi, prostrei-me diante dos pés de um anjo que me mostrou está coisas, para adorá-lo: Então ele disse: Vê, não faça isso, eu sou teu conservo, e dos teus irmãos, dos profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus.

Na carta aos Hebreus 1.1 a 5, diz: “Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo.

O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas, pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas; Feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto mais excelente nome do que eles. Porque, a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai, e ele me será por Filho? "

QUEM FOI MARIA? - Maria foi a privilegiada, mulher reta aos olhos de Deus, a mais bem preparada espiritualmente, e por isso foi agraciada para receber o Espírito Santo do Senhor, ser concebida e dar a luz ao Filho de Deus, o Salvador da humanidade.

Lucas 1.28 - E entrando o anjo onde ela estava, disse: Salve agraciada: O Senhor é contigo, bendita és tu entes as mulheres. Deus a escolheu entre todas as mulheres, por isso o anjo lhe disse, Salve agraciada. Deus a contemplou por sua obediência, pelo seu temor e por sua fidelidade.

No livro de Lucas 2.41 s 51, como era de costume, Maria e José, levaram Jesus à festa da Páscoa em Jerusalém, e com doze anos durante a festa, Jesus desapareceu por três dias e quando encontrado por seus pais:...Maria disse: Filho porque fizeste isto assim para conosco? Eis que teu pai e eu, ansiosos, te procurávamos. Ele lhes respondeu: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?

Em outras palavras, Jesus disse-lhes que não precisavam ter se preocupados, pois veio a terra para fazer somente a vontade do Deus Pai.

João 2.3, 4 - Nas bodas de Caná na Galiléia, havia acabado o vinho, e Maria dirigiu-se a Jesus e disse: Eles não tem mais vinho. Mas Jesus disse: Mulher, que tenho Eu contigo?

Jesus acautelou Maria e deixou bem claro, que apesar dela ser a mulher que o desenvolveu em seu ventre, ela não tinha e não tem nenhum poder de intercessão junto a Jesus, porque Ele só se reverenciava ao Pai, e aqui declarou abertamente que o seu vínculo era e é somente com o Deus Pai, e para não deixar nenhum exemplo de obediência a Maria, para não abrir um precedente de idolatria.

Jesus nos revelou também que sua mãe e seus irmãos, são todos aqueles que fazem a vontade do Deus Pai:

Marco 3.31 a 35 - Chegaram então seus irmãos e sua mãe, e estando de fora mandaram-no chamar. E a multidão estava assentada ao redor dele, e lhe disseram: Eis que sua mãe e seus irmãos te procuram, e estão lá fora. E Ele lhes respondeu dizendo: Quem é a minha mãe e meus irmãos?

E olhando ao redor para os que estavam assentados junto dele disse: Eis minha mãe e meus irmãos. Portanto qualquer que fizer a vontade de Deus esse é meu irmão, e minha irmã, e minha mãe.

Lucas 11.27 e 28 - E aconteceu que dizendo “Ele” estas coisas, uma mulher entre a multidão levantando a voz, lhe disse:

Bem-aventurado é o ventre que te trouxeste e os peitos que te amamentaste. Mas Jesus disse: Antes bem-aventurados os que ouvem as palavras de Deus e as guardam.

No momento em que aquela mulher exclamou essas palavras, reverenciou e adorou a Maria, porem, foi por Jesus Cristo repreendida, somente Deus é digno de adoração, honra e glória.

Podemos observar também que apesar do respeito que o Senhor Jesus Cristo tinha por Maria, pois era sem pecado, em nenhum momento, dentro do Evangelho, Jesus Cristo deu o tratamento de mãe para Maria, “Ele” sempre a tratava por “mulher”.

MARIA É SANTA, PODERÁ INTERCER POR NÓS? - Muitos católicos, imaginam que os crentes tem Maria e os demais apóstolos e discípulos de Cristo que são chamados de santos, como inimigos, o que não é verdade.

Maria é santa? Claro que sim, disso não se tenha a menor dúvida, como também são santos Pedro, João, Estevão e todos os que se converteram e receberam a Cristo como seu suficiente Salvador. O Senhor disse: “Sede Santo porque eu sou Santo”, e aquele que não se santificar, não herdará o reino do céu.

Maria e os demais santos poderão interceder por nós? Não, não podem porque a palavra do Senhor na Carta a I Timóteo 2.5 diz: Há um só mediador entre Deus e o homem. Portanto, há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem.

Existe uma máxima entre os católicos que diz: PEDE A MÃE QUE O FILHO ATENDE. Isso não é verdade, porque o próprio Senhor Jesus disse que devemos nos dirigir a Deus somente pelo seu nome:

Evangelho de João 14.13, 14 _ E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.

João 16.23 – Disse Jesus: Na verdade, na verdade vos digo que tudo quanto pedirdes a meu Pai, em meu nome, Ele vo-lo há de dar.

Na 1ª Carta Universal do Apóstolo João Capítulo 2.1 diz: Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo.

Portanto amados, estas palavras são do próprio Senhor Jesus que nos dá a certeza que somente Ele conduzirá as nossas petições diante do trono de Glórias do Pai. Não há uma só referência bíblica que diz que Maria ou qualquer outro ser poderá interceder junto a Deus por nós. Foi Cristo quem deu o seu sangue na cruz para nos remir dos pecados.

QUEM É JESUS, DE ONDE VEIO E PARA ONDE FOI? - Disse Jesus: João 10.30 - Eu e o Pai somos um.

João 16:5 e 28 Saí do Pai e vim ao mundo; outra vez, deixo o mundo e vou para o Pai. E, agora, vou para aquele que me enviou.


João 17:11 - Eu já não estou mais no mundo; mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós.

João 17:22 - Eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um.

O Senhor Jesus testifica que veio do Pai e para Ele voltou. Disse ainda: Eu e o Pai somos um, o que confirma o encerramento do vínculo do Senhor Jesus com Maria, porque se Deus e Cristo é somente um, onde está a participação de Maria?

A participação de Maria na vida de Jesus foi somente ao desenvolvimento da parte carnal de Jesus em seu ventre (Cristo foi gerado pelo Espírito Santo), porem, Cristo ressuscitou com um corpo Espiritual, Glorificado, do qual Maria já não tinha mais nenhum participação, porque Cristo ressuscitou pelo poder de Deus.

João 19.25-30 – E junto à cruz de Jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria de Cleofas, e Maria Madalena.

Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e o discípulo a quem “Ele” mais amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí a tua mãe. E desde àquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.

Nestas últimas palavras de Jesus estando na cruz, “Ele” evidenciou que o seu vínculo com Maria havia encerrado, porque a parte humana, o corpo biológico de Jesus Cristo o qual Maria havia desenvolvido no seu ventre, havia sido morto em sacrifício vivo para remissão dos pecados de muitos. Porém, o Espírito que veio de Deus Pai, permanece vivo porque Jesus Cristo ressuscitou com um corpo glorificado, o qual Maria não tinha mais nenhum vínculo. “Ele” foi elevado ao céu e está sentado a direita do Pai e pelos pecadores intercede.

Jesus disse ainda a aquele discípulo a quem Ele mais amava que ele seria o filho de Maria, e ela a sua mãe, isto porque ambos eram humanos, carnais; mas Jesus Cristo é Espírito, e o carnal não pode sobrepor o espiritual.

João 3.6 – Disse Jesus: O que é nascido da carne é carne, o que é nascido do Espírito é espírito. Apesar de Maria ter desenvolvido a parte material de Jesus no seu ventre, Ele foi gerado pelo Espírito santo, pela virtude do Altíssimo (Lucas 1.35). E o anjo de Deus ainda recomendou a Maria, o Santo que de ti há de nascer, será chamado “Filho de Deus”.

O Senhor Jesus teve a preocupação de não deixar Maria desamparada, encarregou de cuidá-la a pessoa da sua maior confiança, o apóstolo a quem Ele” mais amava. Criou entre eles o maior vínculo de amor fraterno entre os seres humanos, a relação mais harmoniosa, o amor maternal, para conforto de ambos.

Lucas 7:28, disse Jesus: E eu vos digo que, entre os nascidos de mulheres, não há maior profeta do que João Batista; mas o menor no Reino de Deus é maior do que ele.

Jesus, referindo-se a aquele que veio lhe preparar o caminho, disse que entre os nascidos de mulheres, não houve maior profeta do que João Batista. A palavra do Senhor Jesus é absoluta, radical e invariável, gostaríamos que observassem a profundidade desta palavra de Jesus: Ele rejeitou aqui qualquer vínculo com Maria, escusando assim qualquer influência dela na sua existência, atribuindo a João Batista, o homem mais perfeito entre os nascido de mulher, porque Ele veio de Deus Pai e para lá voltou.


VIA GRITOS DE ALERTA.

A Idolatria e a Feitiçaria

por John Clark
G. K. Chesterton estava certo quando afirmou: "A Ilíada só é grande porque nela toda a vida é uma batalha; a Odisséia só é grande porque nela toda a vida é uma jornada." Esses dois conceitos acerca desses clássicos da literatura grega acham-se reunidos quando Paulo mostra que a nossa viagem para o céu pode ser uma luta titânica entre a carne e o espírito (Gálatas 5:17). Se desejo ser vitorioso nessa luta, o que eu quero tem que ser derrotado pelo que Deus quer. Ah, que bendita derrota! Ganho perdendo! "E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências" (Gálatas 5:24).

Idolatria: os rivais de Deus
Paulo foi a Atenas e despejou um ataque logicamente arrasador contra a idolatria (Atos 17). Quando escreveu sobre as obras da carne, ele incluiu a idolatria e a feitiçaria na lista dos terrores que arruinaram toda busca do homem pela felicidade (Gálatas 5:16-26).

William Barclay ajuda-nos a entender as obras da carne com sua observação de que "cada uma delas é uma perversão do que é bom em si mesmo". Pervertemos a verdadeira adoração quando substituímos Deus por outra coisa e agimos em contrariedade às instruções de Deus. "Não terás outros deuses diante de mim" é uma das seis declarações acerca de Deus em Êxodo 20:1-7. Todas denunciam a idolatria. Outra é: "Eu sou o Senhor, teu Deus, Deus zeloso". Deus não vai compartilhar o amor do seu povo com outro deus. A idolatria é infidelidade. Jeremias a descreve como "adulterou, adorando pedras e árvores" (Jeremias 3:9). É isso que Paulo frisa em sua discussão com os coríntios sobre o zelo divino e a devoção a Cristo (2 Coríntios 11:2-3). A irracionalidade (Atos 17), o absurdo (Isaías 44) e a tragédia (1 Reis 18) da idolatria também são temas freqüentes nas Escrituras.

Para onde foram todos os ídolos?



Será que um mal antigo poderá se tornar uma ameaça em nossos dias? A nossa percepção se aprimora quando lemos a palavra de Paulo: "Avareza, que é idolatria" (Colossenses 3:5) e "avarento que é idólatra" (Efésios 5:5). Uma pessoa gananciosa não pode ir para o céu (1 Coríntios 6:10; 5:11). Qualquer preocupação exagerada se torna um deus. Quando o orgulho, o dinheiro, os bens, o emprego ou as realizações pessoais passam a rivalizar com Deus, somos idólatras (Mateus 6:24; Filipenses 3:19; Romanos 16:18)!

Satanás é o "deus deste século" (2 Coríntios 4:4). Há forças da maldade que influenciam os homens a agir como se Deus não fosse Deus. O secularismo faz das conquistas do homem um deus. O humanismo nega a natureza espiritual do homem e como idolatria substitui o todo pela parte, adorando o fragmento. O comunismo, descrito por um discípulo desiludido como "o deus que fracassou", assassinou milhões e aprisiona um terço do mundo com uma interpretação econômica da história. Sim, o mundo moderno pode ser corretamente visto do modo em que Paulo via os atenienses, "idolatria dominante na cidade" (Atos 17:16). Ao refletirmos sobre esse mundo e perguntarmos se os cristãos podem transformá-lo, há uma questão mais fundamental: "Será que sou idólatra?".

A feitiçaria: a busca da luz nas trevas

A idolatria e a feitiçaria estão quase sempre aliadas. Pharmakeia, de onde provém a nossa palavra farmácia, é traduzida por "feitiçaria" (Gálatas 5:20; Apocalipse 9:21; 18:23). Principalmente significava o uso da medicina, das drogas, dos encantos; depois o envenenamento; depois, então, a feitiçaria. Várias palavras diferentes são traduzidas por "feitiçaria" no Antigo Testamento (1 Samuel 15:23; 2 Crônicas 33:6; 2 Reis 9:22; Miquéias 5:12 e Naum 3:4). Deus proibia que seu povo tivesse alguma relação com o que hoje denominamos "ocultismo" (Deuterônomio 18:9-14). As bruxas eram exterminadas (Exôdo 22:18; 1 Samuel 28:7-9). O povo de Deus não devia buscar luz nas trevas! Talvez o melhor equivalente bíblico da palavra "ocultismo" seja a palavra adivinhação. "Adivinhação é a tentativa de decifrar a vontade dos deuses com o uso de técnicas de magia. Os pagãos criam que podiam usar a habilidade e o engenho humano para adquirir conhecimento dos deuses sobre certas situações" (Packer, Tenney e White, The Bible Almanac, p. 114-115). O adivinhador seria aquele que pensa poder jogar a revelação divina fora. Lemos nas Escrituras a respeito de mentiras divinatórias (Ezequiel 22:28). Estamos cercados pela feitiçaria! Os homens que buscam seguir a própria vontade e achar o seu caminho estão fadados às trevas, pois se desviaram da luz.

A disseminação da rebelião



A feitiçaria está se disseminando! Vai de ler folhas de chá, a mão e as cartas à astrologia (Isaías 47:13). O cultivo de drogas revive a feitiçaria pagã. Nos mercados, sobejam os expedientes de manipulação: ioga, cientologia, zen-budismo, teologia da Nova Era. O que mais se aplica a nós, devemos acautelar-nos de qualquer pensamento ou ato que eleve o que queremos acima do que Deus quer. "Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e culto a ídolos do lar" (1 Samuel 15:23). Quando as pessoas afastam de Deus e da sua revelação, não é tanto que elas não crêem em nada; elas crêem em tudo! "Todo mundo tem o direito a sua própria crença" não se encontra na Bíblia. Nem se encontra nos pensamentos nem na boca do verdadeiro discípulo. É a voz da idolatria. "Filhinhos, guardai-vos dos ídolos" (1 João 5:21)!

VIA GRITOS DE ALERTA

PORQUE MRIA CHORA ?

1
2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22

VIA GRITOS DE ALERTA.
FONTE ; http://fjblogger.com/saoroque/category/idolatria/

Padre chama evangélicos de ‘otários’ por não crerem nos santos católicos

 

A adoração a imagens é uma das maiores diferenças entre cristãos católicos e protestantes e por causa disso, durante uma missa, o padre Paulo Ricardo de Azevedo Júnior, da Arquidiocese de Cuiabá (MT), disse que os evangélicos são “otários”.
“O princípio protestante é um princípio orgulhoso e soberbo, o princípio protestante é ‘eu não preciso de ninguém eu vou pra Deus direto’”, ensina o religioso que diz que sua religião é humilde e que Deus quer que usemos os outros pecadores.
“E se Deus quer que você use os outros, as criaturas humanas frágeis, o que você faz otário?”, diz ele que confessa que beija a mão de outro padre mesmo sabendo que ele é pecador, porque aquelas mãos são instrumentos de santificação.
O padre afirmou que os protestantes repetem, babam e bufam que Jesus é o único mediador. “Jesus é o único mediador, meu filho. Mas você já ouviu falar no Corpo de Cristo? O único mediador é o Corpo de Cristo, não é só a cabeça”, disse.
Em seu sermão ele tentava convencer de que o catolicismo está correto ao pedir para que os santos façam a intermediação de suas súplicas, que é o mesmo que pedir para o próprio Jesus. Ele diz também que os evangélicos falam que amam a Jesus, mas perseguem os católicos, falam mal da Virgem Maria e do Papa.
“Como é possível amar Jesus desse jeito? Vocês só amam o pedaço que vocês escolhem? Cadê o cristianismo bíblico que vocês pregam?”, diz o sacerdote que afirma que Maria age na salvação do mundo, porque Cristo está vivo e está vivo através da Igreja, o Corpo de Cristo que foi gerado por Maria.
Fonte: Gospel Prime
Assista ao vídeo:
VIA GRITOS DE ALERTA.
INF; VERDADE GOSPEL

Chamados de homofóbicos por falar a verdade!Campanha gay na internet elege Silas Malafaia, Valdomiro Santiago, Edir Macedo e mais cinco líderes evangélicos como os maiores homofóbicos do Brasil

Uma campanha promovida por ativistas homossexuais no Facebook pretende eleger os maiores homofóbicos do Brasil, segundo o site Mix Brasil.
Na lista, que conta com mais de 3 mil compartilhamentos, estão políticos e líderes  evangélicos, que tem sido contrários à aprovação do polêmico PL 122, ou que pregam abertamente os princípios cristãos contrários ao homossexualismo
Os incluídos na lista pelos organizadores da campanha são o deputado Anthony Garotinho, os senadores Marcelo Crivella e Magno Malta, o vereador paulistano Carlos Apolinário, o deputado e presidente da Frente Parlamentar Evangélica João Campos, o líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, apóstolo Valdomiro Santiago, o líder da Igreja Universal do Reino de Deus, bispo Edir Macedo e o pastor Silas Malafaia, além do deputado federal Jair Bolsonaro, e da deputada estadual do Rio de Janeiro, Myrian Rios.
O lema da campanha é “Quem não respeita as diferenças não merece meu respeito” e tem como objetivo, divulgar entre os simpatizantes da comunidade LGBT as personalidades que divergem das solicitações feitas por seus ativistas.
Fonte: Gospel+

Pastor Marco Feliciano é xingado de “imbecil e estúpido” por ateus ao dizer que “o Brasil é um país laico, mas não ateu”

O pastor Marco Feliciano iniciou campanha no Twitter para divulgar uma frase que simbolize a necessidade de respeito aos princípios cristãos que ele e outras lideranças eclesiásticas e políticas defendem: “O Brasil é um país laico, mas não ateu. Cremos em Deus”.
Pastor Marco Feliciano é xingado de “imbecil e estúpido” por ateus ao dizer que “o Brasil é um país laico, mas não ateu”O pastor iniciou suas publicações falando sobre a reunião com o ministro Gilberto Carvalho, para esclarecer o discurso feito por ele durante o Fórum Social Mundial, que seria preciso estabelecer uma batalha ideológica com os evangélicos: “Reunião com o ministro Gilberto Carvalho, que… melhor não comentar. Depois uma batalha com pseudo-intelectuais não cristãos, mereço dormir. Tanta idiotice, palavrões, ofensas, pessoas parecendo bestas feras, perseguição religiosa. Termino esse dia convicto de que preciso continuar!”.

Porém, antes de ir dormir, o pastor e deputado Marco Feliciano descreveu os ataques que tem recebido, por sua postura de defender seus princípios:
“Rogo, clamo e imploro a oração dos cristãos. Sei que minha luta não é contra carne e sangue, e sim contra um mal invisível porém atuante. Nos tempos (bíblicos) o Profeta era a consciência política do reino. O poder fazia homens pensarem ser Deus, e ele denunciava, por isso era odiado! Vejo em cada foto dos que me ofendem aqui, pessoas que se escondem de si mesmas, que usam essa linha virtual pra vomitarem sua frustração interior. Cada um que fica irado com as palavras Cristo, cristão, fé, Deus, igreja, são seres dignos de nossa oração. Filhos afastados do colo do Pai! Oremos pra que se reencontrem com ELE, afinal deve ser horrível ser escravos de pensamentos hostis e precisar verbalizar o ódio para serem notados. Só sinto falta de uma militância cristã mais assídua aqui no Twitter. Quando verem um de nós ser hostilizado massivamente, não podem se calar. Com inteligência e Educação para cada ataque, no mínimo, 5 defesas com equilíbrio! Temos povo pra isso. Precisamos lutar lado a lado. Só assim seremos respeitados. Lembrando que eu, Malafaia, Magno, e outros, lutamos pela família, sua e nossa! Nos deem apoio e retaguarda!”
As reações contrárias à campanha lançada pelo deputado foram contundentes, com ataques pessoais e xingamentos, como “imbecil”, por exemplo. Um dos usuários contrários à ideia de Feliciano sobre a laicidade do Estado brasileiro, que é composto por 95% de pessoas cristãs, incluindo evangélicos e católicos, afirmou: “Querer impor a tua religião em um pais inteiro, isso sim é um pensamento de dar pena. Nas próximas eleições se aposente”.
Ao repetir a frase, o pastor Marco Feliciano foi respondido novamente com ataques pessoais: “O senhor é um esperto-estúpido”, escreveu um internauta.
Fonte: Gospel+

Jeremy Lin, jogador de basquete da NBA, é considerado novo Tim Tebow e vira ícone cristão na China

A história de vida de um jogador de basquete de ascendência chinesa tem atraído a atenção de cristãos e servido de exemplo na China. Jeremy Lin, jogador do New York Knicks, um time da NBA, também te chamado a atenção por seu desempenho esportivo.
O atleta, que antes de entrar para o time do Knicks tinha sido dispensado por outros dois clubes profissionais da NBA, Golden State Warriors e Houston Rockets, tem sido decisivo nas partidas de atual clube, e isso tem atraído atenção para sua fé.
Jeremy Lin, jogador de basquete da NBA, é considerado novo Tim Tebow e vira ícone cristão na ChinaAté o presidente Barack Obama, fã do esporte, tem assistido as partidas de Lin, afirmou o diretor de comunicações da Casa Branca, Dan Pfeiffer, segundo o portal Terra.
Jovens chineses estão se espelhando no atleta norte-americano de origem chinesa, que após lesões e más atuações, tem tido um ótimo desempenho. “Deus é bom durante os nossos altos e baixos! Fico feliz que conseguimos a vitória”, publicou o jogador em seu Twitter. Jeremy Lin já começa a ser considerado o novo Tim Tebow, jogador de futebol americano que é um ícone cristão nos Estados Unidos.
A história da família de Lin começa durante o regime comunista na China, quando seu avô sofreu perseguição religiosa e se viu obrigado a mudar com toda a família para Taiwan, e depois para os Estados Unidos, onde Lin nasceu.
Segundo o The Christian Post, o jogador contou durante uma entrevista que tornou-se um cristão “realmente” apenas no primeiro ano do Ensino Médio. Na China, apesar de a mídia controlada pelo governo classificá-lo apenas como “um chinês de sucesso”, 300 milhões de pessoas assistem aos jogos da NBA, e o testemunho de vida de Lin começa a ser assunto nas redes sociais.
No Weibo, uma rede social semelhante ao Twitter, os jovens, que são fascinados com a cultura norte-americana, comentam sobre o desempenho de Lin nos jogos e associam isso ao poder de Deus: “Como os jovens cristãos devem viver a vida cristã? Temos um bom exemplo no desempenho milagroso Lin Shuhao e devemos torcer por ele”, publicou um usuário da rede social. “Sua agilidade física mostrou-me a glória e a onipotência de Deus”, opinou um outro.
O estudante seminarista Hu Shubang, de 25 anos, afirma que o jogador se tornou um ícone para os cristãos chineses. Seu professor no Seminário Teológico de Zhejiang, Yan Rongui, pretende usar as histórias de Lin e sua declaração de fé para ilustrar aulas em sua matéria.
Fonte: Gospel+

Ministra pró-aborto irá à ONU esta semana defender políticas para mulheres; Evangélicos pedem sua demissão do governo

A nova ministra da Secretaria de Políticas para Mulheres, Eleonora Menicucci, irá ao Comitê da ONU para a Eliminação da Discriminação contra as Mulheres defender a posição do governo Dilma Rousseff em relação ao aborto.
Cumprindo uma exigência da ONU, sua antecessora, Iriny Lopes, enviou ao Comitê antes de sua saída do governo um documento protocolar informando as posições principais do governo em relação aos temas abordados no evento. Neste documento o governo posiciona-se contrário à Lei do Nascituro, projeto que pretende criminalizar todas as formas de aborto, inclusive as permitidas atualmente pela Constituição Brasileira. “É fundamental que o projeto seja rejeitado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ)”, afirma o documento enviado pelo Governo, segundo informações do jornal “O Estado de S. Paulo”.
O ativista pró-vida, Julio Severo, critica, em artigo escrito para seu blog, a postura do governo brasileiro e da ONU sobre o assunto: “A ONU e o governo de Dilma só descansarão quando tiverem conseguido modelar as mulheres do Brasil na imagem e semelhança de Eleonora: assassinas dos próprios filhos, bissexuais, apaixonadas pelo socialismo e defensoras do assassinato de bebês em gestação”.
Demonstrando indignação, Severo apela aos parlamentares evangélicos pedindo que, mesmo durante o recesso de Carnaval, não deixem de agir, e cobrem a demissão de Eleonora Menicucci: “Mesmo longe do Brasil, apelo para a bancada evangélica para que abandone o feriado de Carnaval para tratar desses assuntos urgentes. Além disso, apelo para que a bancada evangélica adote três posturas importantes e urgentes: 1. Exigir a imediata exoneração da ministra abortista. 2. Estabelecer oposição sistemática ao governo pró-aborto de Dilma, que mente para a população do Brasil sobre suas intenções assassinas. 3. Trabalhar para revogar todos os tratados da ONU que colocam em risco a vida, a família e a soberania do Brasil”.
O jornalista Paulo Lopes informa em seu blog que a pressão para a demissão da ministra pela bancada evangélica já está ocorrendo, e afirma que o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) garantiu que os evangélicos estão unidos para combatê-la.
Lopes afirma também que “lideranças religiosas e setores conservadores da sociedade intensificaram os ataques à nova ministra de Políticas para as Mulheres” e menciona a fala do bispo católico Dom José Benedito Simão, que classificou a ministra como “uma pessoa infeliz, mal-amada e irresponsável”.
Para Julio Severo, “o único modo de enfrentar um governo mentiroso e radicalmente pró-aborto é adotar posturas radicais a favor da vida e da família”.
Fonte: Gospel+

Jornalista critica nomeação de ministra pró-aborto e afirma que “a guerra do petismo contra os valores individuais e da família já começou”

O jornalista Reinaldo Azevedo, de Veja, publicou artigo no site da revista comentando o incidente entre o ministro Gilberto Carvalho, a quem classifica como “o homem mais importante no PT depois de Lula” e as lideranças evangélicas, após a declaração dele durante o Fórum Social Mundial, de que o governo precisa travar uma batalha ideológica com os evangélicos.
Com críticas ácidas e diretas ao plano de governo do Partido dos Trabalhadores, Azevedo questiona se os cristãos estão tomando posição tardiamente: “Terão os evangélicos e cristãos de maneira geral acordado a tempo? Não sei! Vamos ver!”.
Para Reinaldo Azevedo, a intromissão do governo do PT em áreas que não dizem respeito ao Estado já começou: “os sinais de invasão do Estado na esfera dos valores que dizem respeito à família e a domínios que estão e devem estar fora do guarda-chuva do governo se vêem em todo canto”. O jornalista afirma ainda que o Partido dos Trabalhadores  deseja tornar-se um “partido único” e “ser o ente de razão que gere a sociedade em todos os seus domínios”.
Sob o ponto de vista de Gilberto Carvalho, segundo Azevedo, os evangélicos atrapalhariam esse plano, e por isso, o ministro teria frisado a necessidade da disputa pela nova classe média, setor da sociedade onde os evangélicos tem presença maciça. Reinaldo Azevedo afirma ainda que as igrejas são temidas pelo governo por que “tendem a oferecer uma visão mais ampla da vida do que a própria política”.
Afirmando que o PT enganou cristãos católicos e evangélicos durante o processo eleitoral, quando estes cobravam postura clara a respeito dos temas que são considerados polêmicos, como aborto e casamento civil entre homossexuais, o jornalista lembra que a legalização do aborto foi retirada do Plano Nacional de Governo do PT apenas depois de muita pressão, e afirma que “(Dilma) aos 14 meses de mandato, nomeia para a pasta das Mulheres uma senhora que confessa o que confessou e que se diz ‘avó de uma criança e do aborto’”, e ressalta o polêmico kit-gay: “Na gestão de Fernando Haddad, na Educação, preparou-se o tal kit gay para as escolas com um punhado de absurdos. As crianças só não ficaram expostas a um filme que trata a bissexualidade como uma vantagem na comparação com a heterossexualidade e que defende que ‘transgêneros’ usem o banheiro feminino das escolas porque a sociedade chiou”.
O jornalista cita informação divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo, de que a bancada evangélica no Congresso prepara uma marcha “a favor da vida”, além de uma ação na Justiça contra o ministro Gilberto Carvalho e deseja que a mobilização não seja passageira: “Em Brasília, há quem aposte que isso tudo é fogo de palha e que o governo consegue controlar a insatisfação fazendo algumas concessões e favores. Tomara que não”.
Confira abaixo a íntegra do artigo escrito pelo jornalista Reinaldo Azevedo, da revista Veja:
Os cristãos, especialmente evangélicos e católicos, têm de ter claro um fato: a guerra do petismo contra os valores individuais e da família já começou; não é futuro; é presente. Ou: Evangélicos preparam “Marcha em Favor da Vida”
Terão os evangélicos e cristãos de maneira geral acordado a tempo? Não sei! Vamos ver! O PT tem sempre muitas moedas, e, infelizmente, há quem venda a convicção por trinta dinheiros. Essa é uma história antiga, não? Hoje em dia, existem supostos evangélicos que têm a coragem de recorrer à Bíblia para justificar o aborto — o que corresponde a pisotear a Palavra e a jogar no lixo a história do cristianismo — e supostos católicos que flertam abertamente com abortistas e aborteiras em nome “do povo”. As igrejas, infelizmente, estão infiltradas, num caso, pelo oportunismo e, noutro, pelo marxismo vagabundo. Uma depuração se faz necessária.
Fui o primeiro a alertar aqui, ainda no dia 28 de janeiro, que, dando as oposições por liquidadas e os partidos políticos todos por controlados, o PT preparava uma nova batalha ideológica: contra os evangélicos. Não estava inventando nem esquentando nada! Quem fez o anúncio no Fórum Social de Porto Alegre, com todas as letras, foi ninguém menos do que Gilberto Carvalho, o homem mais importante no PT depois de Lula. Se, amanhã, por qualquer razão, o Apedeuta ficasse impossibilitado de dar a última palavra no partido, Carvalho seria o único capaz de manter a sigla unida por um bom tempo ao menos. Ele conserva a memória da legenda, muito especialmente de seus porões, desde os tempos da gestão Celso Daniel, em Santo André.
Carvalho considera que a dita “classe C” está excessivamente exposta às igrejas evangélicas. Os representantes dessas denominações que conseguiram se eleger integram, não raro, partidos da base aliada, e os petistas procuram manter com as igrejas uma relação de boa vizinhança. Mas só quem desconhece a natureza do PT para se constituir como partido único (não de direito, mas de fato) apostaria numa futura convivência pacífica. ATENÇÃO! NÃO PODE EXISTIR VONTADE ORGANIZADA FORA DO PARTIDO. É UMA QUESTÃO DE PRINCÍPIO. O PT, HOJE, NÃO QUER, É EVIDENTE, O SOCIALISMO À MODA ANTIGA. ELE O QUER À MODA MODERNA: SER O ENTE DE RAZÃO QUE GERE A SOCIEDADE EM TODOS OS SEUS DOMÍNIOS. E os evangélicos tendem, no futuro, a atrapalhar esses propósitos.
O ministro foi longe naquele fórum. Deixou claro que o modo de realizar essa disputa é com uma mídia estatal presente, para veicular os valores do petismo, confrontando-os, então, com os de outras forças que têm enraizamento popular — como é o caso das igrejas. Carvalho acredita, então, que é preciso usar dinheiro público, com mídia política e ideologicamente orientada, para “ganhar o povo”. E UMA COISA OS CRISTÃOS TÊM DE TER EM MENTE: OS PETISTAS NÃO DESISTEM NUNCA! Vejam o caso de Eleonora Menicucci, a nova ministra das Mulheres, aquela que foi aprender a praticar abortos na Colômbia — embora a prática fosse crime naquele país também.
O governo retirou do Plano Nacional de Direitos Humanos a legalização do aborto, e Dilma fingiu ter mudado de idéia. Enviou uma Carta Aberta aos Evangélicos e foi ao santuário de Aparecida, escoltada por Gabriel Chalita (aquele que tem o mau gosto adicional de plagiar os próprios textos e descobriu em Maquiavel um entusiasta da utopia…), para demonstrar o seu súbito fervor cristão. Num rasgo de religiosidade criativa, chamou Nossa Senhora de “nossa deusa”, fundindo, quem sabe?, o catolicismo ao paganismo… Tentou parecer uma cristã exemplar. Aos 14 meses de mandato, nomeia para a pasta das Mulheres uma senhora que confessa o que confessou e que se diz “avó de uma criança e do aborto”. Na gestão de Fernando Haddad, na Educação, preparou-se o tal kit gay para as escolas com um punhado de absurdos. As crianças só não ficaram expostas a um filme que trata a bissexualidade como uma vantagem na comparação com a heterossexualidade e que defende que “transgêneros” usem o banheiro feminino das escolas porque a sociedade chiou.
A guerra ideológica anunciada por Carvalho, se vocês notarem bem, já está em curso. Há uma boa possibilidade de os cristãos terem acordado um pouco tarde. Os sinais de invasão do Estado na esfera dos valores que dizem respeito à família e a domínios que estão e devem estar fora do guarda-chuva do governo se vêem em todo canto. Assim como o PT vive da depredação da ordem legal nos estados governados pela oposição, promove um combate surdo, mas muito evidente, contra as forças que estão fora de seu domínio. O partido nunca teve aliados, mas subordinados. Aqueles que aceitarem a submissão podem, sim, se dar bem — e até obter vantagens estupendas. Mas têm de renunciar à própria vontade e à própria identidade. É um caso clássico, para recorrer a uma metáfora óbvia, de pacto com o demônio.
Mas por que as igrejas? Porque as religiões tendem a oferecer uma visão mais ampla da vida do que a própria política. Se essa organiza a experiência do cidadão, as suas relações com o poder do Estado e com a sociedade, aquelas acrescentam a essas dimensões as escolhas que são de ordem moral, que falam à consciência profunda dos indivíduos, a elementos nem sempre subordináveis às trocas pragmáticas do dia-a-dia. Cristo não disse “a César o que é de César” porque considerasse que o poder terreno não poderia ser contestado. O sentido profundo da consideração é outro: HÁ O QUE NÃO É DE CÉSAR, E ISSO CÉSAR NÃO TERÁ. O soberano compreendeu e, por isso, não gostou.
É claro que, nas democracias convencionais, religiões convivem bem com o poder, e as mais variadas denominações fazem esta ou aquela escolhas. E assim deveria ser aqui também. Eu não gosto do excesso de proximidade entre igrejas e esferas do estado — evangélicas, católicas ou quaisquer outras. Aliás, quanto mais distantes, melhor! Que César fique lá com seus brinquedinhos. Certas abordagens feitas por correntes evangélicas e católicas são, do ponto de vista teológico, uma monumental bobagem. Mas bobagem maior fará sempre o Estado quando se meter a tomar o lugar das religiões. E esse propósito está mais do que anunciado. Já está em curso.
Na Folha desta terça, leio o seguinte. Volto depois:
A bancada evangélica no Congresso Nacional prepara uma marcha “a favor da vida” e uma ação na Justiça contra o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral). Deputados e senadores estão descontentes com as declarações de Carvalho no Fórum Social Mundial. Em palestra, ele disse que o Estado deve fazer uma disputa ideológica pela “nova classe média”, que estaria sob hegemonia de setores conservadores. “Lembro aqui, sem nenhum preconceito, o papel da hegemonia das igrejas evangélicas, das seitas pentecostais, que são a grande presença para esse público que está emergindo”, disse.
O senador Magno Malta (PR-ES) disse que o ministro foi intolerante: “Somos gente boa só no processo eleitoral? Queremos uma agenda oficial com a presidente Dilma para que nos escute, porque este não deve ser o comportamento de um ministro”. Gilberto Carvalho negou que tenha feito ataques aos evangélicos e diz que foi mal compreendido. Hoje a bancada irá definir o dia da marcha em Brasília e os termos da ação contra Carvalho. Os congressistas também vão discutir o kit anti-homofobia da pasta da Educação e as declarações da ministra Eleonora Menicucci (Mulheres) favoráveis ao aborto.
Encerro
Vamos ver. Em Brasília, há quem aposte que isso tudo é fogo de palha e que o governo consegue controlar a insatisfação fazendo algumas concessões e favores. Tomara que não! Os que decidiram se opor às propostas totalitárias de Carvalho e às barbaridades ditas pela ministra Eleonora terão de deixar claro se o cristianismo é realmente um valor que orienta, como é o desejável, a sua conduta parlamentar ou se estamos diante da prática viciosa contrária: as necessidades dos políticos é que pautam o seu cristianismo.
Por Reinaldo Azevedo

A mensagem do Evangelho está acabando com “Templo da Prostituição” na Índia

A mensagem do Evangelho está acabando com “Templo da Prostituição” na ÍndiaExiste na Índia uma prática conhecida como devadasi, que é um templo para prostituição, em que mulheres são dedicadas à deusa Yellamma e obrigadas e se prostituírem. A prática consiste na exploração de mulheres e tem servido de último recurso para os pais desesperados por uma benção dos deuses.
Porém a mensagem do Evangelho está destruindo essa prática no país. Ao terem contato com a mensagem transmitida pelo cristianismo, essas mulheres têm transformado suas vidas e se tornado grandes testemunhas de Cristo.
De acordo com a publicação cristã Charisma, o Evangelho está ganhando muita força e se difundindo rapidamente entre as servas dessa trágica prática.
De acordo com a Junta de Missões Mundiais a devadasi é uma prática que oficialmente foi banida do país há 30 anos, mas que mesmo assim permanece. Até hoje muitas mulheres são consideradas casadas com a deusa e forçadas a viver como prostitutas ao atingirem a maturidade. Sendo, inclusive, proibidas de se casar com um homem depois disso.
Em face a essa situação muitos cristãos estão trabalhando para levar a mensagem do Evangelho a essas mulheres.
Fonte: Gospel+

Falta de respeito!Padre chama protestantes de otários e orgulhosos por acreditarem que podem falar diretamente com Deus

Padre chama protestantes de otários e orgulhosos por acreditarem que podem falar diretamente com DeusUm vídeo postado no Youtube com uma polêmica ministração do padre Paulo Ricardo de Azevedo Junior está causando polêmica. Durante sua ministração, o padre chamou os cristãos protestantes de otários e orgulhosos, por acreditarem em acesso direto e irrestrito a Deus.
Pertencente ao clero da Arquidiocese de Cuiabá, o padre fala em sua ministração sobre a virgem Maria, e enumera as virtudes de Maria como intercessora diante de Deus, e aproveitando o tema, critica os cristãos protestantes por não aceitarem intermediários perante Deus. “E porque eu preciso dela, e porque não posso ir direto pra Deus padre Paulo? Pare de ser orgulho criatura, porque você tem que ir direto? Isso é um negocio assim, o principio protestante é um principio orgulhoso. Existe protestante humilde, mas não existe protestantismo humilde. O protestantismo é orgulhoso”, afirma o padre.
Falando sobre o catolicismo, o padre Paulo Ricardo afirma que sua religião ensina enxergar no próximo um intermediário a Deus: “A minha religião ela é humilde, ela me ensina a humildade, a minha religião me ensina a me inclinar na frente de um pecador, que é outro padre, que é o meu bispo, e beijar a mão daquele pecador, e acreditar que aquela mão é instrumento de santificação, e que pode ser sinal da mão chagada do ressuscitado”.
O ataque aos cristãos protestantes segue com a afirmação do padre de que os cristãos protestantes são soberbos por acreditarem ser possível falar diretamente a Deus: “O principio protestante é orgulho é soberbo, o principio protestante é ‘eu não preciso o de ninguém eu vou pra Deus direto. E se Deus quer você use os outros, as criaturas humanas frágeis, o que você faz, otário?”
Ironizando a pregação evangélica protestante, o padre afirma que “Eles repetem que Jesus é o único mediador, babam, bufam”, causando gargalhadas entre os fiéis que acompanham sua ministração.
Assista ao vídeo postado no Youtube com a ministração do padre Paulo Ricardo:
Fonte: Gospel+

Com ataque à Globo, Domingo Espetacular debate a arte com apologia à pedofilia

Programa Domingo Espetacular, na Record TV O debate sobre as exposições de arte com apologia à pedofilia e outros temas no Brasil marc...