segunda-feira, 21 de março de 2011

AVIVAMENTO , UMA QUESTÃO DE VIDA INTIMA COM DEUS

http://3.bp.blogspot.com/-ezTpjoNe3Bk/TWasp5aX8nI/AAAAAAAADRc/8kA2mdfvD0M/s1600/AVIVAMENTO%2BTXTO1.jpgEu sou casado , tenho a minha amada esposa , meus filhos , e procuramos viver uma vida intima de comunhão , amor , sinceridade etc.
Não posso querer estar casado e ficar olhando por cima do muro , por debaixo das cercas , em atitudes que venham desonrar meu casamento e a minha esposa e filhos.
Minha atitude tem que ser correta , tem que ser de brilho.
Devemos nos portar de forma a estar sempre prontos para nos doarmos ao nosso conjugue e filhos.
Devemos estar sempre com nosso coração voltado ao melhor para eles , buscar sempre suprir as suas necessidades , em todas as formas que forem possível.
Muitos não vivem dessa forma e por isso tem um casamento destruído , arruinado , sem nenhuma formosura.
Muitos tem em seus casamentos destruídos por não terem vida conjugal ,por não terem afetividade, por não terem casamento.
Vivem de uma forma sem sentido , sem amor , sem comunhão , sem nada , não tem nada.
Os filhos se vão para as drogas , para a prostituição , para uma vida sem regras.
Se perdem nesse mundo que esta sendo bombardeado pelo diabo e seus anjos.
São alvos faceis de serem destruidos pelo diabo e seus funcionários infernais , que ficam 24  horas por dia a destruir  , a matar , a roubar.
Assim é uma igreja que não tem compromisso com seu Deus , vive uma vida sem regras , sem a presença do Pai , sem nada de Deus e se dizendo de Deus.

E outra vez “…vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve.” A Igreja Fiel, invisível!!!

 "Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve. PORQUE eis que aquele dia vem ardendo como fornalha; todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade, serão como a palha; e o dia que está para vir os abrasará, diz o SENHOR dos Exércitos, de sorte que lhes não deixará nem raiz nem ramo. Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria." (Mal. 3: 18; 4: 1, 2) "Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor;…" (Hb. 12: 14) Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade. Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda." (Mt. 7: 20 a 28) "Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor;…" (Hb. 12: 14)

É muito importante que a igreja se lance de uma forma integral na presença de nosso Deus .

Na igreja em que fazemos parte , temo visto algo diferente acontecendo.

Temos visto e vivido algo tremendo.

Na igreja do Senhor Jesus Cristo nunca falta avivamento , nunca falta azeite , nunca falta a presença de Deus, Pois os verdadeiros adoram em Espírito e em Verdade , e Deus se faz presente.

Temos  visto e experimentado  na igreja em que congregamos o mover sobre natural de Deus , que muitos chamam de avivamento.

Vidas são curadas , casamentos restaurados,almas se rendendo aos pés do Senhor. Tudo isso de uma forma grande , onde o azeite celestial é derramado em todos que estão presente nos cultos.

Vidas se lançam aos pés de Cristo , tiram seus maços de cigarros e jogam fora , tiram seus pecados e os confessam , tiram as mazelas do inferno que ficam escondidas no coração , e de pronto dão espaço para o agir de Deus.

O Espírito Santo tem derramado azeite de uma forma em que as lâmpadas são repletas e ficam mais brilhantes , me refiro aos filhos de Deus que nos cultos saem com uma aparência e brilho celestial em suas faces.

Falo do que nós temos vivido nesses dias , mais isso não aconteceu por acaso.

Se somos a igreja de Deus , devemos agir da forma correta , mostrar quem somos e o que somos . Não podemos viver dupla personalidade.

A igreja do Senhor Jesus Cristo jejua,ora,busca,intercede,clama se rende aos seus pés e isso temos feito diariamente.

O avivamento que estamos vivendo é fruto de uma busca incansável de um povo que verdadeiramente que conhecer seu Deus de perto.

É fruto da busca pelo Espírito Santo de Deus, pelas suas promessas,pelas suas maravilhas , a favor dos perdidos.

Oramos em favor dos perdidos , dos presos , dos miseráveis , dos casamentos destruídos para que seja, refeitos , para que os perdidos sejam alcançados etc. Deus conhece o verdadeiro sentido de cada oração feita em nome do Senhor Jesus. Deus tem nos dado em cada reunião , em cada culto de adoração ao Pai , uma nova unção de amor pelas almas perdidas , pelo povo que precisa de salvação.

A cada dia Deus tem enviado almas , vidas , pessoas para serem salvas , curadas,embebidas com o santo azeite da Unção , para uma vida na presença do Pai.

Temos visto vidas sendo arrebatadas, curadas , transformadas pelo poder de Deus.

Sei que esse avivamento vai se spalhar pelo Brasil e pelas nações, vidas receberão do que temos recebido , vidas serão impactadas por esse poder sobre natural de Deus Pai.

Estendo minhas mãos para que Deus faça em tempo oportuno isso acontecer , pois quero que todos saboreie esse delicioso gosto de ter o próprio Deus nos pegando no colo , e nos fazendo um carinho como um pai amoroso faz em seus filhos .


O aspecto mais importante de um avivamento não é a duração do fenômeno de um avivamento em si: é o impacto que gera na igreja e na sociedade e a permanência dessas mudanças.

 

DEUS EU TE AMO , EU TE QUERO , EU PRECISO DE TI



Bispo Roberto Torrecilhas

Um clamor pelo avivamento no Brasil e nas nações.

 

Pastor americano queima exemplar do Alcorão ---- قرآن مجید کا امریکی پادری جل

Pastor 
americano queima exemplar do Alcorão

Terry Jones criou polêmica mundial ao programar ato para 11 de setembro do ano passado
Um polêmico pastor evangélico americano queimou um exemplar do Alcorão na noite de domingo em uma igreja de Gainesville, Flórida, ato que havia desistido de executar há alguns meses após as reações no mundo muçulmano.

O pastor Terry Jones programou uma espécie de "julgamento" dentro de sua igreja, no qual o livro sagrado muçulmano foi declarado "culpado" de várias acusações, entre elas assassinato. Em seguida a pena foi executada: o exemplar foi queimado.

O livro foi molhado com querosene e colocado em um recipiente de metal no centro do templo da igreja "Dove World Outreach Center". O exemplar queimou por 10 minutos.

"Tentamos dar ao mundo muçulmano uma oportunidade de defesa de seu livro", mas não houve,  disse o pastor Terry Jones.

O pastor disse ainda que o evento foi um sucesso e uma "experiência daquelas que temos uma vez na vida".

Em setembro de 2010, Jones despertou a atenção mundial por seu plano de queimar exemplares do Alcorão em sua igreja no aniversário dos atentados terroristas de 11 de setembro nos Estados Unidos.

Fonte: AFP


قرآن مجید کا امریکی پادری جل

ٹیری جونز نے دنیا کی منصوبہ بندی گمراہوں میں گزشتہ سال 11 ستمبر کو کام کرنے کا ہے
قرآن مجید کا امریکی پادری جل

ایک متنازعہ امریکی بیپٹسٹ وزیر Gainesville، فلوریڈا، ایک ڈرامہ ہے کہ اپ نے مسلم دنیا میں رد عمل کے بعد چند ماہ چل رہا تھا میں ایک چرچ میں اتوار کی رات کو قرآن کی ایک کاپی کو جلا دیا.

پادری ٹیری جونز اس چرچ، جہاں مسلمانوں کی مقدس کتاب کے قتل سمیت مختلف الزامات کے "جرم" کا اعلان کیا گیا کے اندر اندر "فتنہ" کی ایک طرح سے طے کیا ہے. پھر اس کی سزا پھانسی دے دی گئی، اس کی کاپی کو جلا دیا گیا تھا.

اس کتاب میں مٹی کے تیل کے ساتھ doused گیا تھا اور چرچ کی تعمیر کے مرکز میں ایک دھاتی کے کنٹینر میں ڈال دیا "کبوتر ورلڈ آاٹریچ سینٹر." کاپی 10 منٹ کے لئے جلا دیا.

"ہم مسلم دنیا کے ایک نے اپنی کتاب کا دفاع کرنے کا موقع دینے کی کوشش ہے ، لیکن نہیں، اس پادری ٹیری جونز نے کہا.

پادری نے کہا کہ ایونٹ کو کامیاب اور ایک تھا "وہ لوگ جو زندگی میں ایک بار کا تجربہ."

2010 ستمبر میں، جونز اس ریاست ہائے متحدہ امریکہ میں 11 ستمبر کے دہشت گرد حملوں کی سالگرہ کے موقع پر اپنے چرچ میں کران کی کاپیاں جلانے کی منصوبہ بندی کے لئے دنیا بھر کی توجہ اپنی طرف متوجہ کیا.

ماخذ : اے ایف پی

DEUS TEM DERRAMADO O AVIVAMENTO SOBRE A IGREJA PODER DA FÉ EM JAGUARIÚNA

Temos vivido dias do derramar do Espírito Santo sobre a igreja .
Vidas tem se rendido aos pés do Senhor Jesus , vidas são curadas , casamentos renovados , vidas restauradas.
Os milagres acontecem de uma forma que a cada novo culto Deus derrama uma porção a  mais.
Glorifico ao nosso senhor e salvador Jesus Cristo por permitir a nós experimentar e viver nessa unção.

GLÓRIAS A DEUS POR SUAS MARAVILHAS , PELAS SUAS GRANDEZAS  , GLÓRIAS A DEUS

BISPO ROBERTO TORRECILHAS

Kassab diz que novo partido apoia Dilma e Alckmin

Gilberto Kassab discursa na Assembleia Legislativa . Foto: Léo 
Pinheiro/Terra
Gilberto Kassab discursa na Assembleia Legislativa
Foto: Léo Pinheiro/Terra

Hermano Freitas
Direto de São Paulo

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), manifestou no discurso de oficialização de sua nova sigla, o Partido Social Democrático (PSD), apoio a dois extremos na política brasileira: a presidente petista, Dilma Rousseff, e também ao governador tucano Geraldo Alckmin. Ele resolveu esta aparente contradição dizendo que o partido "nasce do povo" e tem "compromisso com o Brasil", desdenhando das noções tradicionais de "esquerda ou de direita". O anúncio oficial aconteceu no auditório Franco Montoro, na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp).
"Não existe no mundo de hoje partidos de esquerda ou de direita, existem partidos com o compromisso de que a nação encontre soluções para os seus problemas", disse Kassab. Após o pronunciamento, ele anunciou a coleta de assinaturas para a criação da legenda ao lado do vice-governador Guilherme Afif Domingos e outros apoiadores.
No início de sua fala, uma manifestação de seis pessoas do Movimento Passe Livre interrompeu o discurso com o coro "Abaixa o busão". No momento em que Kassab dizia o tradicional "Quero saudar a todos e a todas", marca registrada de seus discursos, os manifestantes gritaram "Viemos saudar o senhor, prefeito!", e desfraldaram os cartazes.
Kassab reagiu primeiro com cautela, pedindo à segurança que tratasse os manifestantes com "dignidade". Depois, com a insistência das palavras de ordem, reagiu com ironia: "Uma salva de palmas para eles, e que viva a democracia". Os manifestantes chegaram a estender cartazes dizendo que a tarifa de R$ 3 é um roubo. As faixas foram rasgadas pela equipe de segurança da Assembleia, mas os manifestantes seguiram acompanhando a cerimônia do lado de fora do auditório.
Ao final, em entrevista coletiva, Kassab detalhou em que termos será o apoio ao governo federal. "Não abandonamos a oposição, somos um partido independente. Estaremos ao lado do governo federal em relação aos projetos que acreditamos serem melhores ao País. Eu não votei na Dilma, votei no Serra, mas torço para que ela faça um bom governo porque isso é bom para o País", disse.
Kassab definiu a aliança com o PSDB como "indestrutível" e afirmou que apoiará Alckmin até o "último dia de governo". Afif Domingos foi mais direto em relação ao rompimento com o antigo partido. "Não temos nenhum tipo de dissidência com o PSDB, tivemos com o DEM", afirmou.
Terra

Fidel critica Obama por não apoiar Brasil no Conselho de Segurança

O presidente dos EUA, Barack Obama, e a do Brasil, Dilma 
Rouseff, falam neste sábado (19) no Palácio do Planalto (Foto: AP)


Viagem do americano evidenciou as 'contradições' dele com governo Dilma.
Líder cubano também considerou 'inoportuna' a guerra na Líbia de Kadhafi.
O presidente dos EUA, Barack Obama, e a do Brasil, Dilma Rouseff, falam neste sábado (19) no Palácio do Planalto (Foto: AP)


O líder cubano Fidel Castro considerou inoportuna uma guerra na Líbia e criticou a viagem do presidente Barack Obama pela América Latina, segundo  artigo publicado nesta segunda-feira (21) pela imprensa oficial. Ele criticou o fato de Obama não ter se comprometido a apoiar a aspiração do Brasil em ter uma vaga permanente no Conselho de Segurança da ONU.
"Depois de um suntuoso banquete, os líderes da Otan ordernaram o ataque contra a Líbia. Uma guerra que é algo mais inoportuno que poderia ocorrer neste momento", escreveu Fidel, ao referir-se à operação "Odisseia da Alvorada" lançada pela coalizão internacional.

Em um comunicado da chancelaria difundido na noite de domingo, Cuba expressou sua "mais enérgica condenação à intervenção estrangeira" na Líbia e pediu que o conflito seja resolvido através do "diálogo e da negociação".
Por outra parte, o ex-presidente cubano afirmou que a viagem de Obama pelo Brasil, Chile e El Salvador passou para um segundo plano. Além disso, no domingo diz que ficaram evidenciadas as "contradições" com o governo de Dilma Rousseff.
O presidente dos EUA, Barack Obama, e a do Brasil, Dilma Rouseff, falam neste sábado (19) no Palácio do Planalto (Foto: AP)
"Obama quis congraçar-se com o gigante sul-americano elogiando sua economia, mas não se comprometeu no mínimo em apoiar o Brasil como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU", enfatizou.
Fidel também comentou que Obama chegará ao Chile em meio a manifestações de rejeição ao acordo de cooperação em energia nuclear fassinado na sexta-feira entre Santiago e Washington, e alertou que, depois do que aconteceu no Japão, crescerá no mundo a resistência às centrais nucleares.
O líder comunista criticou a "aliança igualitária" proposta por Obama na América Latina, ao assinalar que ela recorda a "Aliança para o Progresso", lançada por John Kennedy e que "precedeu a expedição mercenária da Praia Girón" de 1961, invasão anticastrista organizada pela CIA.
mis/cn

G1

“0 sábado, juntamente com toda a lei, foi cravado na cruz” (Col. 2:14).



Nosso objetivo não é desmerecer os que guardam o sábado, queremos apenas questionar o fato de fazerem desse ensino, um artigo de fé incondicional para a salvação da alma. Hoje a maioria das igrejas evangélica observa o domingo como dia de repouso semanal, o que não significa que seu culto seja inválido e não aceito por Deus, muito menos que ela esteja obedecendo a ordem de qualquer imperador romano, como muitos querem fazer crer. Queremos aqui demonstrar, que dos dez mandamentos que se encontram em Êxodo 20, apenas nove são ratificados no Novo Testamento. Confira no quadro abaixo:

Antigo Testamento

1. "Não terás outros deuses diante de mim" (Êx 20.3).

2. "Não farás para ti imagem de escultura" (Êx 20.4).

3. "Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão" (Êx 20.7).

4. "Lembra-te do dia do sábado, para o santificar"(Êx 20.8).

5. "Honra a teu pai e a tua mãe" (Êx 20,12).

6. "Não matarás" (Êx 20,13).

7. "Não adulterarás" (Êx 20,14).

8. "Não furtarás" (Êx 20.15).

9. "Não dirás falso testemunho" (Êx 20,16).

10. "Não cobiçarás" (Êx 20.17).



NOVO TESTAMENTO

1. "...vos convertais ao Deus vivo, que fez o céu, e a terra..." (At 14.15).

2."Filhinhos, guardai-vos dos ídolos" (1 Jo 5.21).

3. ",.-não jureis nem pelo Céu, nem pela terra" (Tg 5.12).

4. ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ? ?


5. "Filhos,- obedecei a vossos pais" (Ef 6.1).

6. "Não matarás" (Rm 13.9).

7. "Não adulterarás" (Rm 13.9).

8. "Não furtarás" (Rm 13.9).

9-"Não mintais uns aos outros" (Cl 3.9).

10. "Não cobiçarás" (Rm 13.9).


O Novo Testamento, repete pelo menos

. 50 vezes o dever de adorar só a Deus;

. 12 vezes a advertência contra a idolatria;

. 4 vezes a advertência para não tomar o nome do Senhor em vão;

. 6 vezes a advertência contra o homicídio;

. 12 vezes a advertência contra o adultério;

. 6 vezes a advertência contra o furto;

. 4 vezes a advertência contra o falso testemunho;

. 9 vezes a advertência contra a cobiça.

Em nenhum lugar do Novo Testamento, no entando, é encontrado o mandamento de se guardar o Sábado


O SÁBADO OU O DOMINGO?


É possível alguém cumprir a Lei sem guardar o sábado? A resposta a esta pergunta é dada quando estudamos a vida e o ministério terreno de nosso Senhor Jesus Cristo. O Novo Testamento ratifica o que está escrito no Antigo, que, ninguém jamais foi capaz de cumprir a lei na sua plenitude. A necessidade da encarnação de Cristo se constitui numa das mais evidentes provas da incapacidade do homem em cumprir a lei divina, por isso Ele mesmo disse: "Não penseis que vim revogar a Lei ou os profetas: não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: Até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra" (Mt 5.17,18). Não poucas passagens do Antigo Testamento mostram, a irritação divina diante do legalismo frio e morto dos judeus, apresentado através dos sacrifícios e sucessivo cerimônias feitas com o propósito de satisfazer a letra da Lei. Quanto mais tempo passava, mais imperfeito se manifestava o homem que buscava a perfeição através da prática da Lei. Porém, veio Jesus Cristo como enviado de Deus, para cumprir a Lei em nosso lugar, o que fez coroando-a pelo ato da sua morte na cruz. Três são os erros que envolvem a guarda do sábado:

1. Em vez de exaltarem o espírito, exaltam a letra da lei;

2. Demonstram uma falta de discernimento da Palavra de Deus,

3. E consideram a moral referente ao mandamento do sábado como invariável, imutável.


O sábado realmente é um símbolo destinado a lembrar a Israel a vinda do Messias, como diz Paulo em Colossenses 2:16,17: “Ninguém, pois, vos julgue por causa da comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, porque tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo.''

Em todo o Novo Testamento não existe uma passagem sequer que enfatize a observância do sábado como essencial.' “0 sábado, juntamente com toda a lei, foi cravado na cruz” (Col. 2:14).

Os gentios têm a lei escrita em seus corações, isto é, a lei cuja moral é imutável; a lei do sábado não está escrita em seus corações, porque a sua moral é mutável. Vejamos diversas passagens bíblicas que claramente refutam a observância da lei e do sábado:

•1) Ninguém é justificado pela lei; o crente está liberto da lei - Romanos 3:20; 4-6; Gálatas 2:16; 3:2,3; 5:1,4,6,9; Hebreus 7:19; 8:6-13.

•2) Cristo é o fim da lei e dos mandamentos - Romanos 10:4; Efésios 2: 15; II Coríntios 3:13,14.

•3) A guarda do sábado é questão de consciência e não de fé - Romanos 14:5.

•4) 0 sentido moral do dia do sábado é um dia para descanso; a parte cerimonial é um dia fixo para descanso; o sentido moral não deixou de existir, somente o dia fixo - Mateus 12:5,6; João 7:21-24.

•5) No Concílio em Jerusalém não houve prescrições acerca do sábado - Atos IS:1-34.

•6) Nove dos dez mandamentos constam em o Novo Testamento, exceto o referente ao sábado - Êxodo 20:2,3 (1 Coríntios 8:4-6; Atos 17:21-30); Êxodo 20:5,6 (1 João 5:12);Êxodo 20:7 (Tiago 5:12); Êxodo 20:12 (Efésios 6:141); Êxodo 20:13 (Romanos 13:9); Êxodo 20:14 (1 Coríntios 6:9,10); Êxodo 20:15 (Efésios 4:28); Êxodo 20:16 (Colossenses 3:9; Tiago 4:11) ; Êxodo 20:17 (Efésios 5:3).

•7) 0 conceito perpétuo, defendido pelos que guardam o sábado, inclui outras coisas, além do sábado, que eles não observam: a festa da páscoa (Êx. 32:14); as purificações (Êx. 30:21); os festivais sagrados (Lev. 23:21); a festa dos tabernáculos (Lev. 23:41); a circuncisão (Gên. 17:12,13).

•8) Os grandes acontecimentos do cristianismo não se deram no sábado, mas no domingo - João 20:1; 20:19,26; 20:11; Mateus 28:1- 10; Lucas 24:13-35; Levítico 23:16; Atos 2:1-13; 2:14; 2:41; Apocalipse 1: 10.


JESUS VIOLOU E ABOLIU O SÁBADO COMO DIA OBRIGATÓRIO DE DESCANSO?

Segundo a Bíblia:

JESUS TEVE O SEU NASCIMENTO PROMETIDO SEGUNDO A LEI


-> O SENHOR teu Deus te levantará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis; (Dt 18.15)


NASCEU SOB A LEI


-> Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, (Gl 4.4)

FOI CIRCUNCIDADO SEGUNDO A LEI


-> E, quando os oito dias foram cumpridos, para circuncidar o menino, foi-lhe dado o nome de Jesus, que pelo anjo lhe fora posto antes de ser concebido. (Lc 2.21)

FOI APRESENTADO NO TEMPLO SEGUNDO A LEI

-> E, cumprindo-se os dias da purificação dela, segundo a lei de Moisés, o levaram a Jerusalém, para o apresentarem ao Senhor (Lc 2.22)

OFERECEU SACRIFÍCIO NO TEMPLO SEGUNDO A LEI


-> E para darem a oferta segundo o disposto na lei do SENHOR: Um par de rolas ou dois pombinhos. (Lc 2.24)

FOI ODIADO SEGUNDO A LEI


Mas é para que se cumpra a palavra que está escrita na sua lei: Odiaram-me sem causa. (Jo 15.25)

FOI MORTO SEGUNDO A LEI


Responderam-lhe os judeus: Nós temos uma lei e, segundo a nossa lei, deve morrer, porque se fez Filho de Deus. (Jo 19.7)

VIVEU, MORREU E RESSUSCITOU SEGUNDO A LEI


-> E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos. Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras. E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressuscitasse dentre os mortos, (Lc 24.44-46)

APESAR DE JESUS HAVER CUMPRIDO TODA A LEI, A RESPEITO DELE SE LÊ: "E OS JUDEUS PERSEGUIAM A JESUS, PORQUE FAZIA ESTAS COISAS NO SÁBADO. MAS ELE LHES DISSE: MEU PAI TRABALHA ATÉ AGORA, E EU TRABALHO TAMBÉM. POR ISSO, POIS, OS JUDEUS AINDA MAIS PROCURAVAM MATÁ-LO, PORQUE NÃO SOMENTE VIOLAVA O SÁBADO, MAS TAMBÉM DIZIA QUE DEUS ERA SEU PRÓPRIO PAI, FAZENDO-SE IGUAL A DEUS"

-> E por esta causa os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo, porque fazia estas coisas no sábado. E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também. JO 5:18 - Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus. (Jo 5.16-18)

. Assim como para os judeus era inadmissível Jesus ser Filho de Deus enquanto violava o sábado, para o que hoje guardam o sábado é igualmente impossível admitir que os evangélicos sejam filhos de Deus enquanto guardam o domingo em substituição ao sábado.

Acusado pelos judeus de violar o sábado, Jesus afirmou que "o sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é Senhor também do sábado" (Mc 2.27,28). Com estas palavras, Jesus defende o princípio moral do quarto mandamento do Decálogo, condenando abertamente o cerimonialismo, e revela a sua autoridade divina sobre o sábado, para cumpri-lo, aboli-lo ou muda-lo. O sentimento moral é a necessidade de se descansar um dia por semana, valendo para esse fim, qualquer deles. Sobre esta questão, escreveu o apóstolo Paulo : " Um faz diferença entre dia e dia; outro julga iguais todos os dias. cada um tenha opinião bem definida em sua própria mente. Quem distingue entre dia e dia, para o Senhor o faz" (Rm 14.5,6).


POR QUE O DOMINGO?


Dentre outras razões da substituição do sábado pelo domingo, como dia semanal de repouso para a Igreja, destacam-se as seguintes:

cristo ressuscitou no primeiro dia da semana


E Jesus, tendo ressuscitado na manhã do primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios. (Mc 16.9).

o primeiro dia da semana foi o dia especial das manifestações de cristo ressuscitado. Manifestou-se cinco vezes no primeiro domingo e outra vez no domingo seguinte
E eis que no mesmo dia iam dois deles para uma aldeia, que distava de Jerusalém sessenta estádios, cujo nome era Emaús. E na mesma hora, levantando-se, tornaram para Jerusalém, e acharam congregados os onze, e os que estavam com eles, Os quais diziam: Ressuscitou verdadeiramente o Senhor, e já apareceu a Simão. E eles lhes contaram o que lhes acontecera no caminho, e como deles fora conhecido no partir do pão. E falando eles destas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles, e disse-lhes: Paz seja convosco. (Lc 24.13,33-36)

E disseram-lhe eles: Mulher, por que choras? Ela lhes disse: Porque levaram o meu Senhor, e não sei onde o puseram. E, tendo dito isto, voltou-se para trás, e viu Jesus em pé, mas não sabia que era Jesus. Disse-lhe Jesus: Mulher, por que choras? Quem buscas? Ela, cuidando que era o hortelão, disse-lhe: Senhor, se tu o levaste, dize-me onde o puseste, e eu o levarei. Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, voltando-se, disse-lhe: Raboni (que quer dizer, Mestre). Disse-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu Pai, mas vai para meus irmãos, e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus. Maria Madalena foi e anunciou aos discípulos que vira o Senhor, e que ele lhe dissera isto. Chegada, pois, a tarde daquele dia, o primeiro da semana, e cerradas as portas onde os discípulos, com medo dos judeus, se tinham ajuntado, chegou Jesus, e pôs-se no meio, e disse-lhes: Paz seja convosco. E oito dias depois estavam outra vez os seus discípulos dentro, e com eles Tomé. Chegou Jesus, estando as portas fechadas, e apresentou-se no meio, e disse: Paz seja convosco. (Jo 20.13-19,26).


o Espírito Santo foi derramado no dia de Pentecoste, um dia de domingo

Depois para vós contareis desde o dia seguinte ao sábado, desde o dia em que trouxerdes o molho da oferta movida; sete semanas inteiras serão. Até ao dia seguinte ao sétimo sábado, contareis cinqüenta dias; então oferecereis nova oferta de alimentos ao SENHOR. E naquele mesmo dia apregoareis que tereis santa convocação; nenhum trabalho servil fareis; estatuto perpétuo é em todas as vossas habitações pelas vossas gerações. (Lc 23.15,16-21)
E, CUMPRINDO-SE o dia de Pentecostes, estavam todos concordemente no mesmo lugar; - E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. (At 2.1-4).
os cristãos dos tempos apostólicos costumavam se reunir aos domingos para celebrar a Santa ceia do Senhor, pregar, e separar suas ofertas para o Senhor. E no primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles; e prolongou a prática até à meia-noite. (At 20.7)

ORA, quanto à coleta que se faz para os santos, fazei vós também o mesmo que ordenei às igrejas da Galácia. No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar. (1 co 16.1,2).

Ainda sobre o domingo como dia de festa semanal da Igreja, veja o que escreveram alguns Pais da igreja:

Barnabé


"De maneira que nós observamos o domingo com regozijo, o dia em que Jesus ressuscitou dos mortos".

Justino Mártir

"Mas o domingo é o dia em que todos temos nossa reunião comum, porque é o primeiro dia da semana, e Jesus cristo, nosso Salvador, neste mesmo dia ressuscitou da morte".

Inácio


"Todo aquele que ama a cristo, celebra o Dia do Senhor, consagrado à ressurreição de cristo como o principal de todos os dias, não guardando os sábados, mas vivendo de acordo com o Dia do senhor, no qual nossa vida se levantou outra vez por meio dele e de sua morte. Que todo amigo de Cristo guarde o dia do senhor!"

Dioniso de Corinto

"Hoje observamos o dia santo do senhor, em que lemos sua carta".

Vitorino

"No Dia do senhor acudimos para tomar nosso pão com ações de graça, para que não se creia que observamos o sábado com os judeus, o qual Cristo mesmo, o senhor do sábado, aboliu em seu corpo". Escreve o apóstolo Paulo: "Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, porque tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo. Ninguém se faça árbitro contra vós outros, pretextando humildade e culto dos anjos, baseando-sE em visões, enfatuado sem motivo algum na sua mente carnal, e não retendo a Cabeça, da qual todo corpo, suprido e bem vinculado por suas juntas e ligamentos, cresce o crescimento que procede de Deus" (Cl 2.16-19).

SANTIFICAÇÃO: LEI OU GRAÇA?


A carne milita contra o Espírito e o Espírito milita contra a carne. A vida do crente é o contínuo lidar com a carne, manifesta em desejos, intenções e ações que desagradam a Deus e o caminhar no Espírito Santo, desejando produzir o seu fruto.
Quando o crente ainda não tem sua vida guiada pelo Espírito Santo, em vão se debaterá no sofrimento de tentar cumprir a lei. Sua busca da santidade pautada na lei é um projeto fracassado. A lei é impotente para nos modificar.
Aprendo muito com os descrentes. Suas críticas me fazem refletir em que aspectos têm razão.  Para muitos descrentes, a imagem que eles têm, é de que os cristãos são pessoas assustadas com a possibilidade do pecado, reprimidas, sufocadas em um sem número de regras. (Lei). O cristão certamente sofrerá frustração se persistir na tentativa infeliz de chegar à santidade, pela via da lei. 
Muitos adoecem pela culpa sem fim, pelo medo da pressão interna, muitas vezes violenta, que ainda acontece quando ruge o homem carnal que vive em cada um de nós. Pensam que ao levar uma vida austera, reprimida, com ares de sobriedade, com atitudes comprimidas, e tudo mais que confira ares de santidade e honestidade, estarão mais perto do céu. Quantos mortificam a carne com jejuns, penitências, auto-imposições que visem anular os desejos e as tendências que trazem dentro de si, na esperança de que, através de práticas, leis e métodos, enfim possam estar livres, finalmente do pecado! Livres das tão lastimáveis obras da carne que bem sabemos quais são. Em pior situação ainda estão aqueles que se conformam com a aparência de santidade, porém uma vida “santa” aos olhos dos outros, tergiversando em versículos como ‘não escandalizar o irmão’, mas na realidade uma vida de autêntica hipocrisia...
Não meus irmãos. A proposta cristã não é essa. Ela está declarada nos versos 18 e 25 da carta de Paulo aos Gálatas e se resume em ser guiado pelo Espírito Santo. O próprio Deus que habita em nós desde o momento da nossa conversão.
Entretanto, somos carnais. Nossa natureza espiritual se manifestará nessa caminhada. Até podermos ter um caráter cristão, santo e regenerado há um percurso a cumprir. Vamos seguir a nossa caminhada amparados pelo próprio Deus na pessoa de seu Santo Espírito, pelo próprio Cristo que intercede por nós, pela sua Palavra viva e eficaz, pela Graça que derramou em nós desde que atendemos ao seu chamado.
 
Na prática poderíamos resumir o viver uma relação íntima com o Espírito Santo em uma vida de oração, de constante estudo e reflexão da Palavra, do auto-exame das atitudes, sempre buscando ouvir a voz da pessoa divina que mora em nós, fala conosco, chora, nos orienta, se entristece e se alegra.
Assim o tratamento irá acontecendo: Leitura constante da Palavra de Deus, assistência atenta aos cultos e estudos bíblicos, através de uma vida consagrada ao serviço do Senhor; no louvor, pois nele habita o nosso Deus; na busca sincera em  viver o único mandamento que realmente Jesus nos deixou: o de amar o próximo como Ele próprio amou. Para simplificar mais ainda, seria buscar atuar como Jesus agiria em cada situação que se apresente. Essa é a resposta correta diante de toda a ação que devamos tomar.
Sabemos que existem traços que trazemos de nossa natureza carnal, tendências, vícios, erros, e que nos desesperamos por tentarmos apagar, sem êxito. Seja com for, meus irmãos, não se desesperem! Peça a Deus a cura para o seu vício, dificuldade, defeito, tendência.  Derrame seu drama nos pés do Senhor. Peça a misericórdia, a cura para a sua chaga moral ou espiritual. Ore. Implore. Suplique, com fé. Não duvide jamais que o Senhor nos ama. Ele tem cuidado por nós. Confiemos no nosso Deus acima de tudo. Ele é galardoador das bênçãos. No tempo permitido a cura virá.
Caminhando com o Espírito Santo nosso entendimento vai sendo renovado. O coração regenerado, o caráter cristão firmado não adveio da tentativa de obediência à lei, mas de uma estreita e crescente vida no Espírito Santo.
Deste modo termina todo o dilema do cristão. Agora ele pode então viver uma vida de amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança que se completará, em plenitude, na glória, nos céus, com Cristo, na presença do Eterno, de todos os seus anjos e santos.
Amém.



Rita Cytryn

Lei ou Graça




Não devemos guardar a lei porque estamos na graça?
A verdade é que todos nós guardamos a lei, ou pelo menos nos esforçamos em fazê-lo, por exemplo:
Adoramos a Deus sobre todas as coisas, (ou pelo menos nos esforçamos em fazê-lo)
Não fazemos imagens de escultura, (ou pelo menos nos esforçamos em fazê-lo)
Não tomamos o nome do Senhor em vão, (ou pelo menos nos esforçamos em fazê-lo)
Honramos o nosso pai e a nossa mãe, (ou pelo menos nos esforçamos em fazê-lo)
Não matamos, (ou pelo menos nos esforçamos em fazê-lo)
Não adulteramos, (ou pelo menos nos esforçamos em fazê-lo)
Não furtamos, (ou pelo menos nos esforçamos em fazê-lo)
Não damos falso testemunho contra nosso irmão, (ou pelo menos nos esforçamos em fazê-lo)
Não cobiçamos nada que pertence ao nosso próximo, (ou pelo menos nos esforçamos em fazê-lo)
Sabe a que conclusão que chegamos?
Todas as discussões que até hoje se desencadeiam na Igreja sobre a lei e a graça é por causa de um único mandamento: a guarda do sábado, porque todos os outros 9 mandamentos procuramos obedecer sem nenhum problema de estarmos saindo da graça e voltando para a lei.
Testemunhei muitas pregações de preletores sangüíneos, que afirmavam com muita ênfase, que estamos debaixo da graça e não da lei e que a lei é para o Judeu que não aceitou a Jesus, porém todos estes pregadores guardavam os outros 9 mandamentos, (ou pelo menos se esforçavam em fazê-lo).
Os 10 mandamentos estão divididos em duas partes: Do primeiro até o quarto mandamento e do quinto até ao décimo.
Observe que os quatro primeiros mandamentos estão diretamente ligados a Deus enquanto os outros seis estão ligados ao nosso próximo.
Veja agora que interessante:
Jesus disse em Mateus 22:37 a 40: “Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento.
Este é o grande e primeiro mandamento.
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.
Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.”
Muitos se baseiam neste versículo para afirmar que agora só existem 2 mandamentos e que foi o próprio Senhor Jesus que disse, mas porque Jesus afirma que os dois grandes mandamentos são: amar a Deus de todo o seu coração e ao próximo como a ti mesmo e que deles depende toda a lei?
Porque se eu amo a Deus eu não tenho dificuldade em cumprir os quatro primeiros mandamentos e se amo ao meu próximo como a mim mesmo, não terei dificuldade de cumprir com os outros seis mandamentos. O cumprir a lei depende do meu amor a Deus e do meu amor ao meu próximo.
Muitos afirmam que a graça começou quando Jesus ressuscitou, porque antes era a lei. Isso dá a entender que a graça de Deus não existia na lei. Eu faço as seguintes perguntas:
O que abriu o mar vermelho foi a graça de Deus ou a lei?
O maná que desceu do céu foi graça ou lei?
A água sair da rocha foi graça ou lei?
As roupas e os calçados não envelhecerem durante os 40 anos de peregrinação no deserto foi graça ou lei?
Poderíamos seguir com outros exemplos, mas já podemos ver que a graça de Deus sempre existiu no meio do seu povo.
Vamos nos concentrar agora na lei e na graça.
A primeira vez que Jesus fala sobre a lei foi em Mateus 5:17: “Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir.” A palavra original em grego que foi traduzida como cumprir é “πληρωσαι” translitera-se como plêrôsai e significa completar, preencher ou encher, portanto a melhor tradução para este texto seria: “Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas completar (trazer o que faltava).”
Vejamos um outro texto onde aparece a palavra “plêrôsai”:
Romanos 15:13 “Ora, o Deus de esperança vos encha (plêrôsai) de todo o gozo e paz na vossa fé, para que abundeis na esperança pelo poder do Espírito Santo.”
Como vemos neste texto a palavra “plêrôsai” foi traduzida conforme seu significado apontado pelo dicionário.
Precisamos entender o que Jesus quer dizer com completar, primeiro porque é a tradução correta da palavra, depois porque faz muito mais sentido Ele dizer que veio completar do que cumprir. Vejamos: A Torah são os cinco primeiros livros da Bíblia escritos por Moisés e muitos se referem a estes livros como “lei”, quando na verdade a palavra Torah não significa lei o significado real é ensino ou instrução, mas o que a Torah veio nos ensinar? Veio nos ensinar a sermos melhor pai, melhor filho, melhor esposo, melhor patrão, melhor funcionário, vivermos uma vida mais saudável, lembram do que Paulo disse em sua segunda carta à Timóteo 3:16 e 17? “Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra.” De que Escritura Paulo se refere? Ao que chamamos de Velho Testamento, pois o novo testamento ainda não estava escrito e ele diz que a escritura é proveitosa para ensinar, repreender, corrigir, instruir, evidentemente ela era e ainda é boa para todas essas coisas, porém ela não trazia salvação em si, por isso Jesus disse que Ele veio completar, Ele veio trazer aquilo que faltava na “lei”: SALVAÇÃO. Somente por Jesus somos salvos e nisto não há discussão, Ele rasgou o véu que nos separava e através dEle todos temos acesso ao Santo dos Santos, mas e os ensinamentos da Torah? Porque não continuam sendo aplicados e ensinados nos nossos dias? Porque as pessoas não gostam nem de conversar sobre o assunto insistindo que a Torah é só para o Judeu? Muitos ensinam que somos participantes de todas as bênçãos de Abraão, mas que bênçãos? As bênçãos contidas na Torah que virão sobre àqueles que a cumprem. Existe um versículo que é o predileto dos pregadores adeptos à teologia da prosperidade: “E o Senhor te porá por cabeça, e não por cauda; e só estarás por cima, e não por baixo;” agora veja isso: Se ao analisarmos um versículo isoladamente já estamos cometendo um erro que pode comprometer toda a interpretação do texto, que dirá pegar somente a metade de um versículo e criar uma nova teologia, a da prosperidade, que se baseia na metade deste versículo, vejamos então o versículo por inteiro: Deu 28:13 “E o Senhor te porá por cabeça, e não por cauda; e só estarás por cima, e não por baixo; se obedeceres aos mandamentos do Senhor teu Deus, que eu hoje te ordeno, para os guardar e cumprir,” Todas as benção de Deus são condicionais, até mesmo a benção da salvação que todos dizem ser de graça, está condicionada em crer e confessar, veja o que diz romanos 10:9 e 10: “Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo; pois é com o coração que se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.” Portanto, ser cabeça e não cauda, estar por cima e não por baixo, está condicionado em obedecer aos mandamentos do Senhor e cumpri-los, agora se você for curioso, leia todo o capítulo 28 de Deuteronômio e você verá que as bênçãos que são hoje reivindicadas pela Igreja, estão todas condicionadas ao cumprimento dos mandamentos e o interessante é que dos 68 versículos deste capítulo, somente 14 se referem as bênçãos pelo cumprimento dos mandamentos, os outros 54 são de maldição para quem não cumprir.
Analise por este lado: que direito tenho eu de reivindicar as bênçãos, quando eu não cumpro os mandamentos ou as condições impostas para que eu seja participante de tais bênçãos? Porque Deus abriria as janelas do céu para fazer cair sobre mim bênçãos sem medida se eu não fosse fiel nos dízimos e nas ofertas?
A lei (Torah) ensina o homem a viver na terra, Jesus garante ao homem vida eterna no céu.
Transformando isso em matemática temos o seguinte resultado: Lei + Jesus = vida abundante na terra e esperança de vida eterna no céu. Se tirarmos a Torah das nossas vidas, estaremos tirando os parâmetros que o homem precisa para acertar o alvo.
Muitos insistem em ensinar que existe separação entre Judeus e gentios, apesar de Romanos 11 dizer que os gentios foram enxertados em Israel e não separados de Israel.
Analisando a palavra lei (Torah)
A palavra Torah (תורה) vem da raiz (ירה) que significa “apontar”. O pai aponta o caminho para o filho ensinando a ele o caminho correto a tomar na vida. O sentido literal de (תורה) é o ato de apontar ou ensinar de um pai. Esta palavra é quase sempre traduzida na Bíblia como lei, entretanto isso não é uma boa tradução. A Torah de Deus são seus ensinamentos aos seus filhos, da mesma maneira que um pai ensina seus filhos. Jesus como um filho obediente disse que não veio abolir os ensinamentos de seu pai e nós que também somos filhos que diremos? A Torah é só para os filhos Judeus? O gentio não tem direitos aos ensinamentos do pai ou os gentios rejeitam os ensinamentos do pai?
Onde na Torah, ou nos livros proféticos diz que O Messias virá para “desintegrar” a Tora?
Vamos continuar no tema da lei, mas vamos parar um pouco para pensar em algo importante: a Bíblia não é contraditória, os escritores não se contradizem uns com os outros, pois quem os inspirou foi o mesmo Espírito de Deus, portanto, se JESUS diz que Ele não veio destruir a lei, mas sim completá-la, Paulo estaria contradizendo a Jesus caso ele afirmasse que a lei acabou, não é verdade? Mas se em algum momento, a leitura de um texto leva você a entender que Paulo está dizendo que a lei acabou, lembre-se do que Jesus disse: “Não penseis que vim abolir a lei ou os profetas; não vim abolir, mas completar.” você ficaria com a afirmação de Paulo ou com a afirmação de Jesus?
Vejamos um texto de Paulo que tem sido interpretado como se ele estivesse afirmando que Jesus eliminou a “lei”:
Efésios 2:14 e 15 – “Porque Ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos contidos em ordenanças, para criar, em si mesmo, dos dois um novo homem, assim fazendo a paz,”
Parece haver aqui uma contradição: Jesus diz que Ele não veio desfazer, mas Paulo diz que Ele desfez. Como sabemos que na Bíblia não há contradições, devemos recorrer ao original para esclarecer esta aparente contradição.
A palavra mandamento está escrita no grego como “nomos” enquanto que a palavra ordenança está escrito como “dogmas”. Buscamos no dicionário e na enciclopédia o significado destas duas palavras, vejamos:
Nomos – Na mitologia grega, nomos significa lei espiritual, ou seja: imposta por Deus.
DogmasUm dogma, no campo filosófico, é uma crença/doutrina imposta, que não admite contestação, No catolicismo os dogmas surgem das Escrituras e da autoridade da Igreja Católica, ou seja: imposta pelo homem.
Desfez os mandamentos “nomos” em forma de “dogmas”. Desfez os mandamentos de Deus que foram criados em forma de dogmas ou doutrinas de homens.
Concluimos então que o que Jesus desfez foram as ordenanças impostas pelo homem e as interpretações do homem dos mandamentos da Torah.
Para entendermos melhor, vamos analisar a história: No início do versículo, Paulo diz que Jesus derrubou a parede que separava Judeus de Gentios, esta perede era literal, ela existia no templo de Jerusalém para fazer separação, existia o pátio dos sacerdotes, dos homens Judeus, dos gentios e das mulheres e o pátio dos Judeus ficava mais próximo do templo, e os gentios separados, ficava mais distante. Agora fazemos a seguinte pergunta: onde é que está escrito na Bíblia que Deus mandou fazer um muro para separar os Judeus dos gentios que temiam a Deus? Em nenhum lugar, muito pelo contrário veja o que diz Levítico 19:34 “Como um natural entre vós será o estrangeiro que peregrinar convosco; amá-lo-eis como a vós mesmos; pois estrangeiros fostes na terra do Egito. Eu sou o Senhor vosso Deus.” Esta parede de separação foi uma ordenança imposta pelo homem um dogma que afastava os não-Judeus da Torah e da presença de Deus, foi exatamente esta distinção que Jesus veio desfazer Para que dos Judeus e gentios fizesse apenas um povo, nEle.
Vamos citar outro exemplo de interpretação tendenciosa no esforço de provar que o velho testamento, conforme o próprio nome dado já diz, é velho e obsoleto. Vale a pena ressaltar que o velho testamento na verdade se chama Tanach, que é um acrônimo das três divisões da Bíblia: Torah, Nevi'im e Ketuvim.
Torah – Instrução (5 livros de Moises), Nevi’im – Profetas e Ketuvim – Escritos (Salmos, Esdras...).
Em Gal. 4:10 e 11 diz assim: “Guardais dias, e meses, e tempos, e anos. Temo a vosso respeito não haja eu trabalhado em vão entre vós.”
Este texto é constantemente citado com o intuito de provar que não devemos guardar dias (shabbat) ou as festas bíblicas. A versão Ferreira de Almeida Atualizada no título que inicia este texto diz "O valor transitório dos ritos judaicos" enquanto que a Ferreira de Almeida Revista e Corrigida diz: “O evangelho isenta-nos da lei”.
Interessante é que eu já ouvi tantos pregadores afirmarem o seguinte: “não podemos pegar um texto isolado da Bíblia e dar a nossa própria interpretação, temos que analisar o contexto para sabermos o que exatamente o autor está querendo dizer”. Certas vezes fico atônito de ver que a teoria nem sempre é posta em prática, mas vamos colocá-la em prática neste texto. Para que este texto estivesse se referindo as festas “Judaicas” e ao sábado judaico, ele deveria estar sendo escrito aos Judeus que outrora observavam datas e festas e ao conhecer Jesus se libertaram destas práticas e que agora estavam voltando a praticá-las. Primeiramente esta carta é dirigida aos gálatas gentios, nao-Judeus, que outrora não conheciam ao Deus de Israel e agora convertidos ao Deus de Israel e ao seu Messias e libertos dos cultos pagãos estavam voltando a praticá-los, veja os versículos anteriores e comprove que Paulo não se refere aos Judeus nem tão pouco às praticas Judaicas: Gálatas 4:8 e 9 “Outrora, quando não conhecíeis a Deus, servíeis aos que por natureza não são deuses; agora, porém, que já conheceis a Deus, ou, melhor, sendo conhecidos por Deus, como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir?”
Como esse texto pode estar se referindo aos Judeus? Está se referindo a um povo que outrora era pagão que serviam aos que por natureza não era deuses, mas que agora já conheciam ao Deus verdadeiro e eram conhecidos por Ele, porém estavam querendo voltar às práticas que serviram anteriormente, é como se uma pessoa que observava e festejava os dias santos e acompanhava as procissões, e agora conhecedora da verdade a cerca dos santos e crente em um único Deus, resolve agora voltar a celebrar as festas juninas e participar de procissões em dias santos.
Paulo, de modo algum, está afirmando que "Os Ritos Judaicos são Transitórios" conforme a "ARA" (Almeida Revista e Atualizada). Mas, sim exortando os crentes recém convertidos do paganismo “galaciano”, para que não voltem às suas festividades demoníacas e cheias de misticismo pagão.
Precisamos entender isso com muita clareza, é de extremo interesse do inimigo de nossas almas, que acreditemos nestas coisas, pois a não observância e cumprimento dos mandamentos favorece a ele de duas formas estratégicas: primeiro não somos participantes das bênçãos pelo cumprimento dos mandamentos, segundo, sem os Parâmetros que a lei (Torah) nos ensina fica fácil para ele nos induzir ao pecado.

O TESTEMUNHO DE JESUS CRISTO


O livro do Apocalipse é um bom exemplo sobre a decisão de Deus de utilizar profetas para transmitir Suas mensagens aos seres humanos (veja Apocalipse 1:1 e 4). Esse método divino não é novo, pois foi a forma que Deus usou para dar-nos toda a revelação bíblica. Por meio de profetas, Deus quer revelar-nos o futuro (ver Amós 3:7). Eles o podem fazer quando se deixam guiar pelo Espírito Santo (II Pedro 1:21).

Nem todos os profetas escreveram partes da Palavra de Deus. Pelo menos doze profetas verdadeiros, que não são autores da Bíblia, são nela mencionados. Um dos mais notáveis é João Batista, a respeito de quem Jesus disse que não houve profeta maior (Mateus 11:11).

Outro fato interessante é notar que Deus não faz discriminação de sexo quanto ao dom de profecia. Na Santa Bíblia são mencionadas várias mulheres que exerceram a função profética. Por exemplo: Ana (Lucas 2:36-38), Miriã (Êxodo 15:20), Débora (Juizes 4:4), Hulda (II Reis 22:14) e as quatro filhas de Filipe (Atos 21:8 e 9).

De acordo com Joel 2:28-32 e Atos 2:17-21, o verdadeiro dom profético surgiria nos últimos dias para a edificação dos crentes (I Cor. 14:22) e para conduzir o povo remanescente rumo ao Céu.

Em Apocalipse 12:17, lemos: “E o dragão irou-se contra a mulher e foi fazer guerra ao restante de sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus Cristo.” O dragão é satanás que atua por meio de seus instrumentos humanos, perseguindo a mulher (símbolo da Igreja) e o remanescente fiel, simbolizado pelo “restante de sua descendência”, são os fiéis do tempo do fim que guardam todos os mandamentos de Deus (veja Êxodo 20:3-17) e têm o testemunho de Jesus. Aqui encontramos as duas características distintivas da verdadeira igreja de Deus:

• A guarda de todos os mandamentos e
• O Testemunho de Jesus.

Mas o que é o Testemunho de Jesus? A Bíblia responde em Apocalipse 19:10 (note o paralelo com Apocalipse 22:9): “...o Testemunho de Jesus é o Espírito de Profecia.”

“A presença do Espírito de Profecia é um dos característicos distintivos da igreja remanescente, segundo se acha predito no livro do Apocalipse. Desde o próprio início desempenhou esse dom papel importante na vida dos adventistas do sétimo dia, e no desenvolvimento da igreja. Por meio dele tem a igreja sido advertida, guiada, animada, bem como reprovada e corrigida. À medida que, de tempos a tempos, os Testemunhos saíam do prelo, eram ansiosamente adquiridos, seus conteúdos estudados com oração, e atendidas suas instruções. Com o decorrer dos anos alguns desses Testemunhos foram também publicados para os crentes de outras línguas além do inglês. Devemos em grande parte a essas mensagens a fortaleza, unidade e elevadas normas ativas da igreja” (Testemunhos Seletos, Vol. I, prefácio).

Em Mateus 24:11 Cristo afirma que haveria verdadeiros profetas na igreja remanescente. Ele não iria advertir o povo contra os falsos profetas, se não houvesse o verdadeiro. Seria como se alguém dissesse: “Cuidado para não ser en-ganado com uma nota de treze reais.” Pelo fato de não existir tal nota, essa adver-tência se torna ridícula.

Mas, para que não se cometa o erro de dizer que um verdadeiro profeta seja falso, deve-se fazer o que está escrito em I João 4:1, ou seja, provar se é de Deus ou não.

** CARACTERÍSTICAS DO VERDADEIRO PROFETA

l. A mensagem do profeta deve estar em harmonia com a Bíblia. O verdadeiro profeta jamais contradiz um profeta da Bíblia (Isa. 8:20; Deut.13:1-4; Gál. 1:8). O Espírito Santo nunca contraria o Seu próprio testemunho, pois em Deus “não há mudança, nem sombra de variação” (Tiago 1:17).

2. As predições se cumprem (Deut. 18:21 e 22; Jer. 28:9).

3. Ele deve confessar que Jesus veio em carne. O verdadeiro profeta deve reconhecer que Jesus Cristo, sendo Deus, habitou entre os homens na forma humana (I João 4:2 e 3).

4. “Pelos seus frutos os conhecereis” (Mateus 7:16, 18-20). Em II Pedro 1:21 a Bíblia se refere a “homens santos de Deus”, mas certamente não está falando de pessoas que não pecam. Temos como exemplo o profeta Elias, que foi um homem “semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos” (Tiago 5:17), porém, sua vida, assim como a de todo o verdadeiro profeta, foi caracterizada pelos frutos do Espírito, não pelas obras da carne (Gál. 5:19-23). O que se deve notar, principalmente, são os resultados das suas mensagens na vida dos ouvintes, os verdadeiros frutos produzidos.

5. Não respira enquanto está tendo a visão (Daniel 10:17).

6. Só o profeta vê a visão, os outros apenas percebem (Dan. 10:7).

7. O profeta vê, sente e fala, durante a visão (Daniel 10:16).

8. O profeta mantém os olhos abertos quando em visão (Núm. 24:4; Apoc. 1:11).

9. Desmaia sem força, em visão (Daniel 10:8).

10. Voltam-lhe as forças (Daniel 10:18 e 19). No início da visão, vai-se toda a força natural e o profeta recebe força sobrenatural. No fim da visão, vai-se a força sobrenatural e voltam novamente as forças naturais.

Pode-se ainda adicionar outros detalhes nesta lista, por exemplo:

1. Assistência na fundação da Igreja (Ef. 2:20 e 21).

2. Edifica a Igreja (I Cor. 14:3 e 4; Ef. 4:12).

3. Inicia a extensão missionária da Igreja (Atos 13:2 e 3; 16:6-10).

4. Une e protege a Igreja (Ef. 4:14).

5. Adverte quanto a dificuldades futuras (Atos 11:27-30; 20:23; 21:4, 10-14).

6. Confirma a fé em tempos de controvérsia (Atos 15:32).

astor americano queima exemplar do Alcorão

O polêmico pastor Terry Jones queimou um Alcorão na noite de domingo em uma igreja de Gainesville, Flórida.

Um polêmico pastor evangélico americano queimou um exemplar do Alcorão na noite de domingo em uma igreja de Gainesville, Flórida, ato que havia desistido de executar há alguns meses após as reações no mundo muçulmano.

O pastor Terry Jones programou um "julgamento" dentro de sua igreja, no qual o livro sagrado muçulmano foi declarado "culpado" de várias acusações, entre elas assassinato. Em seguida a pena foi executada: o exemplar foi queimado.

O livro foi molhado com querosene e colocado em um recipiente de metal no centro do templo da igreja "Dove World Outreach Center". O exemplar queimou por 10 minutos.

"Tentamos dar ao mundo muçulmano uma oportunidade de defesa de seu livro", disse o pastor Terry Jones.

O religioso disse ainda que o evento foi um sucesso e uma "experiência daquelas que temos uma vez na vida".

Em setembro de 2010, Jones despertou a atenção mundial por seu plano de queimar exemplares do Alcorão em sua igreja no aniversário dos atentados terroristas de 11 de setembro nos Estados Unidos.

Após as fortes reações no mundo muçulmano e das críticas de líderes internacionais, incluindo o presidente americano Barack Obama, Jones desistiu da ideia e afirmou que nunca mais voltaria a tentar queimar um Alcorão.

Fonte: AFP

Confira o trabalho da Igreja Universal do Reino de Deus nos presídios

De acordo com pesquisa  realizada pela Fundação Getúlio Vargas, 97,7% dos presos que cumprem pena nas unidades prisionais do Estado de São Paulo são homens e 54,5 % deles são jovens entre 20 e 29 anos. Por causa dos crimes que cometeram muitos são considerados por parte da sociedade como um caso perdido, homens sem perspectiva de mudança de comportamento.
Há 15 anos, a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) realiza um trabalho evangelístico semanal dentro dos presídios, cadeias públicas e delegacias no Estado de São Paulo visando a ressocialização dos encarcerados. Os voluntários realizam orações e ensinam a todos a cerca da bíblia. Eles também distribuem kits de higiene pessoal, livros, revistas e Bíblias doadas por membros da IURD.
Marcos César Datri, de 37 anos, trabalha a semana inteira coordenando a organização de seu comércio voltado para Construção Civil, mas quando tem uma folga prefere ir aos presídios fazer visitas a ficar em casa descansando. Ele conta que, aos 8 anos de idade, se tornou viciado em maconha, cocaína, crack e álcool. Foi preso aos 18 anos por homicídio e assalto, tendo cumprido pena durante nove anos em diversos presídios do Estado de São Paulo, incluindo a extinta Carandiru, onde ficou por quase quatro anos. “Minha mãe morreu de aids, meu pai do coração e um irmão de Leucemia. Eu não tinha razão para viver, minha vida era completamente destruída”, relembra.
Foi nessa situação que ele recebeu em sua cela a visita de um voluntário da IURD, que fez o convite para que participasse de uma reunião de fé na capelania da penitenciária. Lá dentro foi liberto das drogas, curado de dores na coluna e teve seus pensamentos mudados. Para ele o importante é saber que o seu esforço oferece ao preso uma nova chance de recomeçar a vida longe do crime. “Eu faço questão de participar desse trabalho, porque eu sei o que Deus fez na minha vida e quero mostrar para eles que existe esperança, a vida deles pode mudar assim como a minha mudou”, comenta.

Trabalho voluntário

O responsável por este trabalho em São Paulo, pastor Wellington de Souza Moura, diz que apesar do grupo contar com 600 voluntários, esse número de pessoas ainda é pequeno diante da quantidade de presos que precisam ser visitados. “Eles passam a acreditar na mudança de vida, em uma segunda chance, tornando-se mais calmos, tolerantes e conciliadores com os companheiros de cela, contribuindo assim, com as instituições. Percebemos a felicidade no olhar de cada um quando chegamos, porque eles sabem que estamos ali não para julgá-los ou criticá-los, mas sim para levar uma palavra amiga”.
Além das visitas, a IURD mantém diariamente, das 20 às 20h30, o programa “Momento do Presidiário” que é transmitido para todo o Estado de São Paulo pela rede de rádios Aleluia. Durante a programação, familiares ligam e deixam seus recados aos presos, que aproveitam para enviarem cartas que são lidas no ar. Os ouvintes também contam com uma equipe de advogados, que auxiliam nas respostas jurídicas.
Os voluntários que quiserem participar desse trabalho devem procurar o pastor Wellington de Souza Moura, aos domingos na IURD matriz do Brás localizada na Avenida Celso Garcia, 499, zona Leste da capital paulista.

Fonte: Arca Universal

CD de Marcelo Aguiar pela Sony Music está em fase final

CD de Marcelo Aguiar pela Sony Music está em fase final
A produção do novo CD de Marcelo Aguiar já está em fase final e  nos próximos dias segue para a mixagem com um dos melhores técnicos de áudio do mundo. Como não poderia deixar de ser, esse trabalho que terá o selo da Sony  Music está sendo preparado com excelência e profissionalismo, com músicos de altíssima qualidade.
“O CD esta com uma sonoridade diferente, letras impactantes e melodias fortes que prometem impactar todos que escutarem essas canções”, afirma Fabio Soares, guitarrista de Marcelo Aguiar que acompanha todo o processo de gravação ao lado do cantor.
As fotos para a capa do CD de Marcelo Aguiar foram feitas pelo fotógrafo Décio Figueiredo em São Paulo. Segundo Décio, a proposta é retratar as imagens de uma forma diferente dos projetos anteriores do cantor.
Para os fãs que estão curiosos em saber como estará o novo trabalho, o cantor resolveu disponibilizar em seu site fotos e vídeos das gravações.

Fonte: Gospel Prime
por Gritos de Alerta

Empresa lança aplicativo para iPhone que propõe curar homossexualismo

Um aplicativo previamente aprovado pela Apple está propondo a “cura” para a homossexualidade –e causando polêmica com isso.
De acordo com informações do site Digital Trends, o programa para iPhone é fornecido pela Exodus International, e está descrito no iTunes como um meio de “acesso a notícias atuais, informações e recursos” do grupo.
No entanto, informa o site, um dos motes da entidade é a discussão da “sexualidade indesejada”, além de propor “terapia reparadora” para supostamente livrar gays da orientação sexual.
O Digital Trends questiona ainda o fato de o aplicativo receber uma boa avaliação (+4), a despeito das críticas que recebeu nas resenhas sobre o produto (que são feitas pelos próprios usuários.
“É uma iniciativa baseada em ódio da direita religiosa fanática, que pretende fazer uma lavagem cerebral e emocional, destruindo gays e lésbicas e coagindo-os a odiarem a si mesmos com base em sua orientação sexual natural… Estou indignado e decepcionado que a Apple permite que este grupo de ódio esteja em seus produtos como o iPhone”, escreveu um usuário.
“Esse aplicativo é pouco mais que um navegador para navegar em um ‘jardim do êxodo’ de conteúdo anti-gay previsível”, declarou outro.
Há um usuário que questiona, ainda, quando a Apple vai colocar um aplicativo da Ku Klux Klan (conglomerado de organizações racistas nos Estados Unidos).
“A Apple está em uma posição delicada: o conteúdo do aplicativo é tudo menos inflamatório. Em vez disso, é apenas uma proclamação de crenças em um formato pobre. Mas a Apple não é um juiz moral, quando se trata de religião e ética –é um juiz quando se trata de aplicativos do usuário”, diz o Digital Trends.
Fonte: Folha

Conheça C.S. Lewis, autor da série “As crônicas de Nárnia” e um dos maiores defensores da fé cristã

“O cristianismo, se é falso, não tem nenhuma importância, e, se é verdade, tem infinita importância. O que ele não pode ser é de moderada importância” – C.S. Lewis.
“Ele era um homem pesado que parecia ter 40 anos, com um rosto carnudo e oval e compleição sadia. Seu cabelo preto já tinha deixado a testa, o que o tornava especialmente imponente. Eu nada sabia sobre ele, exceto que era o professor de Inglês da faculdade. Eu não sabia que ele tinha publicado algum livro assinando seu próprio nome (quase ninguém o fazia). Mesmo depois de eu ter sido aluno dele por três anos, nunca passou pela minha cabeça que ele poderia ser o autor cujos livros vendiam em média dois milhões de exemplares por ano. Uma vez que ele nunca falou de religião enquanto eu era seu aluno, ou até que ficássemos amigos, 15 anos depois, parecia impossível que ele fosse o meio pelo qual muitos chegariam à fé cristã”. Mesmo para seu melhor biógrafo e amigo de longa data, George Sayer, Clive Staples Lewis era uma surpresa e um mistério.
Como J.R.R. Tolkien aconselhou Sayer: “Você nunca chegará ao fundo dele”. Mas compreender ou até mesmo concordar com Lewis nunca foram pré-requisitos para gostar dele ou admirá-lo.
Seus livros continuam vendendo extremamente bem (a série As crônicas de Nárnia, por exemplo, está entre os 200 títulos mais vendidos da Amazon.com) e muitos leitores o consideraram o escritor mais influente em suas vidas. Um feito e tanto para um homem que por muito tempo desacreditou “a mitologia cristã” e considerava Deus “meu inimigo”.
Lewis nasceu em Belfast, na Irlanda, em uma família protestante que gostava de ler. “Havia livros no escritório, livros na sala de jantar, livros na chapeleira, livros na grande estante no alto da escada, livros no quarto, livros empilhados até a altura do meu ombro no reservatório de água no sótão, livros de todos os tipos”, Lewis lembrava, e tinha acesso a todos eles. Em dias chuvosos – e havia muitos no norte da Irlanda – ele tirava muitos volumes das prateleiras e entrava em mundos criados por autores como Conan Doyle, E. Nesbit, Mark Twain e Henry Wadsworth Longfellow.
Depois que seu único irmão, Warren, foi mandando para um colégio interno na Inglaterra em 1905, Jack, nome adotado por ele mesmo aos 3 anos, tornou-se um recluso. Ele passava mais tempo com os livros e um mundo imaginário de “animais vestidos” e “cavaleiros de armadura”.
A morte de sua mãe, de câncer, em 1908, tornou-o ainda mais introvertido. A morte da Sra. Lewis veio apenas três meses antes do décimo aniversário de Jack, e este jovem estava muito abatido pela perda de sua mãe. Além disso, seu pai nunca se recuperou totalmente da morte dela, e os meninos sentiram-se cada vez mais afastados dele; a vida em casa nunca mais foi agradável e satisfatória.
A morte da mãe convenceu o jovem Jack de que o Deus que ele encontrava na Bíblia que sua mãe lhe dera não respondia sempre às orações. Esta dúvida inicial, somada a um regime espiritual excessivamente severo e a influência de uma governanta do colégio interno moderadamente ocultista alguns anos depois fizeram Lewis rejeitar o cristianismo e tornar-se ateu declarado.
Lewis entrou em Oxford em 1917, como aluno e, na verdade, nunca saiu. “O lugar ultrapassou meus sonhos mais incríveis”, ele escreveu a seu pai depois de passar seu primeiro dia lá. “Eu nunca vi nada tão lindo”. Apesar de uma interrupção para lutar na Primeira Guerra Mundial (na qual foi ferido pela explosão de uma granada), ele sempre manteve seu lar e amigos em Oxford. Sua ligação com o lugar era tão forte, que quando ele ensinou em Cambridge, de 1955 a 1963, ele voltava à Oxford nos fins de semana para que pudesse estar perto de lugares e amigos que ele amava.
Em 1919, Lewis publicou seu primeiro livro, uma série de versos líricos sob o pseudônimo de Clive Hamilton. Em 1924, tornou-se instrutor de filosofia na University College, e no ano seguinte foi eleito membro do Magdalen College, onde ele era instrutor de Língua Inglesa e Literatura. Seu segundo volume de poesia, Dymer, também foi publicado sob um pseudônimo.
Conforme Lewis continuou a ler, passou a apreciar de modo especial o autor cristão George MacDonald. Um volume de Phantastes desafiou poderosamente seu ateísmo. “O que ele fez de verdade comigo, escreveu Lewis, foi converter, mesmo batizar… minha imaginação.” Os livros de G.K. Chesterton trabalharam da mesma forma, especialmente The Everlasting Man [O homem eterno], que levantou sérias questões sobre o materialismo do jovem intelectual.
“Um jovem que deseja permanecer um ateu assumido não pode ser muito cuidadoso com sua leitura”, Lewis escreveu mais tarde em sua autobiografia Surpreendido pela alegria. “Deus é, se posso dizer assim, incompreensível”.
Enquanto MacDonald e Chesterton estavam mexendo com os pensamentos de Lewis, seu amigo íntimo, Owen Barfield, atacava a lógica do ateísmo de Lewis. Barfield tinha se convertido do ateísmo para o teísmo, e então, finalmente, ao cristianismo, e ele freqüentemente atormentava Lewis sobre o seu materialismo. O mesmo fazia Nevil Coghill, um brilhante colega estudante e amigo de longa data, que, para a surpresa de Lewis, era “um cristão e um supernaturalista radical”.
Logo depois de entrar para a Faculdade de Inglês em Magdalen College, em Oxford, Lewis conheceu mais dois cristãos, Hugo Dyson e J.R.R. Tolkien. Estes homens tornaram-se amigos íntimos dele. Ele admirava sua lógica e o fato de que eram brilhantes. Logo Lewis percebeu que a maioria dos seus amigos, assim como seus autores favoritos – MacDonald, Chesterton, Johnson, Spenser e Milton – criam neste cristianismo.
Em 1929 estas estradas se encontraram e Lewis se rendeu, admitindo: “Deus era Deus. Ajoelhei e orei”. Em dois anos, o relutante convertido também passou do teísmo para o cristianismo e entrou para a Igreja Anglicana da Inglaterra.
Quase imediatamente, Lewis tomou uma nova direção, mais notadamente em sua escrita. Os esforços anteriores para ser um poeta foram deixados de lado. O novo cristão devotou seu talento a escrever prosa, que refletia sua fé recém-encontrada. Depois de dois anos de sua conversão, Lewis publicou O regresso do peregrino (1933). Este pequeno volume abriu uma torrente de 30 anos de livros sobre a defesa da fé cristã e discipulado que se tornaram a ocupação de toda sua vida.
Nem todos aprovavam seu novo interesse em apologética. Lewis recebia críticas dos membros do seu círculo mais íntimo de amigos, os Inklings (o apelido do grupo de intelectuais e escritores que se encontravam regularmente para trocar idéias). Mesmo amigos mais íntimos cristãos como Tolkien e Owen Barfield desaprovavam abertamente a fala e a escrita evangelísticas de Lewis.
De fato, os livros “cristãos” de Lewis causavam tanta desaprovação que mais de uma vez ele perdeu a nomeação para professor em Oxford, com as honras indo para homens com menores reputações. Foi no Magdalene College, na Universidade de Cambridge, que Lewis foi finalmente honrado com uma cadeira em 1955.
Os 25 livros cristãos de Lewis venderam milhões de exemplares, incluindo: Cartas de um diabo ao seu aprendiz (1942), Cristianismo puro e simples (1952), As crônicas de Nárnia (1950-56), O grande abismo (1946) e A abolição do homem (1943) – obras que a Encyclopedia Britannica incluiu em sua coleção de Grandes Livros do Mundo.
Embora seus livros tenham lhe dado fama mundial, Lewis era em primeiro lugar um estudioso. Ele continuou a escrever história e crítica literária, tais como The Allegory of Love [A alegoria do amor] (1936), considerado um clássico em sua área, e English Literature in the Sixteenth Century [Literatura inglesa no século 16] (1954).
Apesar de seus muitos feitos intelectuais, ele se recusou a ser arrogante: “A vida intelectual não é a única estrada para Deus, nem a mais segura, mas sabemos que é uma estrada, e pode ser a que foi apontada para nós. É claro, assim será enquanto mantivermos o impulso puro e desinteressado”.
Lewis teve pelo menos um choque de discordância em sua estrada intelectual: um debate em 1948 com a filósofa britânica Elizabeth Anscombe. Anscombe leu um trabalho diante do Oxford Socratic Club (um fórum que Lewis dirigiu por muitos anos) no qual ela atacou a recente publicação de Lewis, Milagres, e todo seu argumento contra o naturalismo. Ela venceu naquele dia, e relatos dizem que ele ficou “profundamente perturbado” e “muito triste”. Ele nunca mais escreveu sobre apologética pura, embora continuasse a comunicar sua fé através da ficção e de outras formas literárias.
Os livros não eram o único meio de compartilhar sua mensagem. Em 1941, o diretor de transmissão religiosa da BBC (que encontrava conforto pessoal através da leitura de O problema do sofrimento) perguntou se Lewis estaria interessado em falar no rádio. Embora o escritor odiasse rádio, ele reconheceu a oportunidade de alcançar uma audiência maior. O resultado foram sete grupos de conversas, transmitidos entre 1941 e 1944, com títulos como Right and Wrong: A Clue to the Meaning of the Universe [Certo e errado: uma idéia do significado do universo] e What Christians Believe [No que acreditam os cristãos].
As transmissões semanais eram muito populares – justamente o que os britânicos precisavam, pois andavam desencorajados e cansados da tristeza da Segunda Guerra Mundial. Sayer conta: “Eu me lembro de estar num bar cheio de soldados em uma noite de quarta-feira. Às 7h45, o barman ligou o rádio no programa de Lewis. ‘Ouçam este sujeito’, ele gritou, ‘vale realmente a pena ouvi-lo’. E os soldados ouviram com atenção por 15 minutos”.
Além da fama crescente de Lewis como palestrante e um defensor da fé, as conversas na BBC produziram, pelo menos, dois grandes resultados. Um foi o livro Cristianismo puro e simples (1952), uma coleção destes programas, que hoje em dia é a segunda obra mais vendida de Lewis. O outro foi um dilúvio de correspondências, incluindo muitas cartas de pessoas que buscam algo no mundo espiritual para quem ele desejava dar uma resposta pessoal e detalhada. O grande volume de cartas levou-o a buscar a ajuda de seu irmão Warren como secretário, mas não lhe impediu de criar respostas que mostravam a mesma clareza de pensamento e graça literária encontrada em toda a sua obra.
Uma correspondente em particular teve um papel importante na vida de Lewis. Em 1950, ele recebeu uma carta de Joy Davidman Gresham, uma nova-iorquina que se tornou cristã lendo O grande abismo e Cartas de um diabo a seu aprendiz. Lewis ficou impressionado com sua escrita e com a mente por trás de tudo e uma correspondência alegre e intensa se seguiu.
Dois anos depois, Joy atravessou o Atlântico para visitar seu mentor espiritual na Inglaterra. Logo depois, seu marido alcoólatra a abandonou para viver com outra mulher e ela se mudou para Londres com seus dois filhos adolescentes, David e Douglas. Joy aos poucos entrou em problemas financeiros. Lewis a ajudou, assumindo as despesas do colégio interno dos meninos e pagando o aluguel de uma casa não muito longe da sua. Entre os dois cresceu uma profunda amizade, para o desgosto de muitos dos amigos de Lewis. Joy tinha muitos pontos contra ela: era americana, de descendência judia, ex-comunista, 16 anos mais jovem que Lewis, divorciada e com personalidade forte. Entretanto, ela estimulava a escrita de Lewis, e ele gostava de sua companhia.
Ainda assim, não foi o amor, em primeiro lugar, que os motivou a se casarem em 1956. Joy não conseguiu renovar seu visto para viver na Inglaterra; sua única chance de ficar no país, então, era casar-se com um inglês. Lewis, gentilmente, ofereceu seus préstimos.
Poucos meses depois da cerimônia de casamento civil, algo aconteceu para levantar as emoções de Lewis. Depois de uma queda grave em sua casa, Joy foi diagnosticada com câncer nos ossos. “Desde que ela foi atingida por esta notícia, eu a tenho amado mais”, Lewis escreveu a um amigo. Os dois se casaram numa cerimônia religiosa, com Joy de cama, e ela se mudou para a casa de Lewis, aparentemente para aguardar sua morte.
No que pareceu um milagre, sua condição melhorou e ela e Lewis viveram três anos felizes juntos. Como ele escreveu para um amigo logo depois do seu casamento: “é engraçado ter aos 59 anos o tipo de felicidade que a maioria dos homens tem aos 20… ‘Mas você guardou até agora o melhor vinho’”. Uma escritora por seus próprios méritos, sua influência sobre o que Jack considerou seu melhor livro, Till We Have Faces [Até que tenhamos rostos] (1956), foi tão profunda que ele contou a um amigo próximo que ela foi, na verdade, sua co-autora.
A morte de Joy, em 1960, assim como a de sua mãe, foi para Lewis um duro golpe. O melhor modo que ele conhecia para lutar contra seus sentimentos de luto, raiva e dúvida era escrever um livro. A anatomia de uma dor apareceu em 1961, e veio ao público sob um pseudônimo, porque era algo tão íntimo e pessoal que Lewis não suportaria publicá-lo com seu próprio nome. Poucos exemplares foram vendidos até que ele foi relançado com o nome verdadeiro do autor, após a sua morte.
No verão e outono de 1963, a saúde de Lewis se deteriorou. Ele morreu enquanto dormia, no dia 22 de novembro: no mesmo dia em que John F. Kennedy foi assassinado. Talvez por causa do choque mundial pela morte do presidente, Lewis quase não foi mencionado nos jornais, e seu funeral teve a participação de sua família e de seus amigos íntimos, incluindo os Inklings.
Lewis pode ter sido enterrado sem alarde, mas seu impacto nos corações e vidas nunca parou de crescer. Nas palavras do líder cristão e escritor John Stott: “Ele era centrado em Cristo, um cristão de tendência da grande tradição, cuja estatura, uma geração após sua morte, parece maior do que qualquer um jamais pensou enquanto ele ainda estava vivo, e cujos escritos cristãos são agora vistos como tendo status de clássicos… Eu duvido que alguém tenha conseguido compreendê-lo completamente”.
Fonte: Cristianismo Hoje