segunda-feira, 6 de abril de 2015

O PODER DA CRUZ NA ÍNDIA .

A Universal vem fazendo a diferença no segundo país mais populoso do mundo. Na Índia, lugar onde a crença das mais de 1,2 bilhão de pessoas se divide em pelo menos cinco religiões (hinduísmo – mais de 80%; islamismo – cerca de 11%; cristianismo – aproximadamente 4%; sikhismo; budismo e jainismo), a Igreja tem levado às pessoas o entendimento de que não é na quantidade de deuses (para se ter uma ideia, o número oficial de divindades no país chega ao gigantesco número de 330 milhões) que elas poderão encontrar a plenitude de vida, mas no Único e Verdadeiro Deus: o Senhor Jesus Cristo.
No último dia 03 foi realizado o evento “Poder da Cruz”, com o objetivo de fazer as pessoas entenderem que o Senhor Jesus não é apenas mais um “deus”, como é a ideia de muitos hindus, mas o Único Deus. Das 1,4 mil pessoas presentes, 90% eram hindus e cristãos católicos.
As duas igrejas de Chennai, maior cidade do estado Tamil Nadu, localizado ao Sul da Índia, se uniram para o evento com a finalidade de levar as pessoas a compreenderem que o Senhor Jesus também morreu por elas, e que por isso não poderiam aceitar viver doentes ou na miséria.
Durante a reunião, falamos que sem fé é impossível agradar a Deus e explicamos que essa tem sido a razão pela qual as pessoas têm andado confusas e a procura de uma saída em vários lugares. Mas, quando elas aprendem a usar a fé no Deus Vivo, o Verdadeiro Deus, Ele Se manifesta e muda a situação de sofrimento.
Após essa Mensagem, convidamos as pessoas a fazerem uma prova desta fé, e muitas delas, que sentiam dores por anos, foram curadas.
No final, falamos do significado da morte do Senhor Jesus, que nos deu acesso direto a Deus, e explicamos que o nosso “Guru” é o Senhor Jesus Cristo, o Único que, de fato, pode nos levar ao Pai.
Chamamos as pessoas para passarem a depositar a fé neste Deus e a conhecê-lO. Elas saíram de lá não apenas sabendo da existência de mais um deus, mas do Verdadeiro, que pode realmente transformar suas vidas e lhes dar a Salvação.
A Universal está presente no país há 18 anos e desenvolve o trabalho evangelístico por meio de sete pastores e 31 obreiros nas três igrejas existentes. Apesar da dificuldade devido à grande religiosidade do país, essa é a fé que nos move e nos impulsiona a cada vez mais ganharmos almas para o Reino dos Céus.
Blog Universal

Pastor Takayama está internado em Curitiba


Pastor Takayama está internado em Curitiba
O pastor e deputado federal Hidekazu Takayama está internado em um hospital em Curitiba (PR) para tratamento médico, segundo informou sua filha Priscila Polini, pela rede social.
Ela explica que “Em que pese o momento delicado, trata-se de medida protetiva, visando o rápido restabelecimento, e também para facilitar os exames e procedimentos necessários para o restabelecimento de sua saúde.”
E pede “a todos que possamos rogar ao nosso supremo Deus as bênçãos divinas, pois sabemos que Ele está no controle de todas as coisas.”
 50 anos de ministério
O pastor Takayama comemorou 50 anos de ministério, no último dia 19 de março, no templo sede da AD em Curitiba, com a presença do presidente da Convenção Geral das ADs no Brasil – CGADB, pastor José Wellington Bezerra da Costa e do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha e muitos outros convidados.
Pastor Takayama tem 66 anos de idade e começou a pregar em cruzadas e congressos logo após sua conversão. Suas cruzadas são realizadas pelo ministério “Cristo Vive’ que percorreu o Brasil e diversos países pregando a mensagem do evangelho..
É deputado federal  atuante na bancada evangélica e preside a Comissão do Brasil Japão no Congresso Nacional.

Militantes islâmicos atacam igreja e deixam sete feridos, no Egito


Militantes islâmicos atacam igreja e deixam sete feridos, no Egito
No último domingo (5), militantes islâmicos voltaram a realizar atentados nas duas maiores cidades do Egito. Um deles aconteceu no Cairo e o outro foi contra uma igreja, em Alexandria, causando a morte de um policial e deixando sete feridos.
Em um incidente separado, o líder de um grupo militante que teve como alvo a polícia e os soldados em torno da capital foi morto em um tiroteio com as forças de segurança na manhã de domingo, disse o Ministério do Interior.
O Egito enfrenta uma insurgência baseada no norte do Sinai, que já matou centenas de soldados e policiais, desde que o Exército derrubou o presidente islamita Mohamed Mursi, em 2013, na sequência de protestos em massa contra seu governo.
A maioria dos ataques de militantes aconteceu na Península do Sinai, uma região remota, mas estratégica na fronteira com Gaza, Israel e o Canal de Suez. Bombardeios em menor escala tornaram-se cada vez mais comuns no Cairo e em outras cidades.
A explosão de uma bomba em uma ponte que conduz ao sofisticado bairro de Zamalek (Cairo), que abriga muitas embaixadas, também matou um policial, segundo o Ministério do Interior. Mais dois policiais e um civil ficaram feridos.
A força da bomba que foi plantada em ou perto de um carro deixou uma cratera rasa e poças de sangue em 15 de maio Bridge, segundo informaram as fontes.
Em Alexandria, militantes atiraram de um ônibus contra uma igreja, ferindo um policial e três civis antes de fugir.
No sábado (4), duas bombas explodiram perto de uma delegacia de polícia no distrito residencial de Imbaba, cruzando o Rio Nilo do Zamalek, sem causar vítimas.
O bombardeio de domingo foi reivindicado no Twitter por Ajnad Misr, um grupo militante que surgiu em janeiro de 2014 e tem como alvo as forças de segurança e em torno de Cairo.
"Deus permitiu que nossos bravos soldados plantassem uma bomba caseira, onde os serviços penais (de segurança) se reuniram na ponte", disse o braço midiático da Ajnad Misr.
Em um incidente separado, o fundador e líder da Ajnad Misr foi morto pelas forças de segurança. Hammam Mohamed Ahmed Attia foi morto a tiros durante um confronto em torno na madrugada deste domingo, em um apartamento, em Giza - um subúrbio da capital.
O Ministério do Interior disse em um comunicado que, sob a liderança de Hammam Mohamed, o grupo lançou 26 ataques contra policiais e soldados.
Fontes de segurança dizem que o grupo é guiado por uma ideologia salafista conservadora islâmica, mas não são cogitadas ligações com a Al Qaeda ou a filial egípcia do Estado Islâmico, província de Sinai.
A Província do Sinai assumiu a responsabilidade por grande parte da violência que tem arruinado a região, enquanto Ajnad centrou-se mais na área da Grande Cairo.
No norte do Sinai, um soldado foi encontrado morto com um ferimento de bala na cabeça, aparentemente executado, após os ataques de militantes, na última quinta-feira (2). O ataque também causou a morte de 17 soldados e três civis. O exército não estava disponível no momento para comentar o assunto.


http://noticias.gospelmais.com.br/babilonia-globo-cortar-cenas-prostituicao-novela-75628.html