sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Guerra Secreta Entre EUA e China Já Pode Ter Começado ?





As imagens contidas nesse vídeo abaixo são extremamente fortes, se desejar não veja o vídeo.



[Imagem: CCTV-Crater-500.jpg]

Tradução revisada:

Bombástico: China e Estados Unidos já estão em guerra: Explosão em Tianjin foi causada por arma espacial do Pentágono em retaliação à desvalorização da moeda Yuan... Helicópteros militares agora patrulham Pequim

(NaturalNews) EXCLUSIVO: dissidentes chineses da China continental entregaram ao Natural News a seguinte história bombástica:

A explosão em Tianjin foi travada como um ato de "retaliação cinética" pelo Pentágono em resposta a guerra cambial da China pela desvalorização do Yuan, de acordo com fontes dissidentes da China continental. O governo chinês pôs em vigor sigilo total em torno da misteriosa explosão e as táticas agressivas da polícia estadual estão agora a ser invocadas para controlar o fluxo deinformação em torno deste evento.

"Explosões da semana passada enviaram bolas de fogo maciças para o céu e lançaram detritos em toda a área industrial queimando o 10º maior porto do mundo, queimando edifícios e quebrando janelas a quilômetros de distância", relata o Daily Mail do Reino Unido.

A explicação oficial do governo chinês para a explosão, que já matou 114 pessoas, é uma farsa completa. A China vai declarar a lei marcial regional nos próximos 18 dias, a fim de exercer o controle total sobre a circulação de pessoas e informações. O governo proibiu repórteres de entrar na área e começou a prender blogueiros que promovem o que o governo chama de "teorias da conspiração" sobre a causa da explosão maciça.

A China tem apagado relatórios sobre Tianjin exatamente da mesma maneira como a mídia dos EUA apagou relatórios sobre o Dr. William Thompson, o denunciante que admitiu que o CDC (Centers for Disease Control and Prevention ou Centro de Controle e Prevenção de Doenças) acobertou evidências ligando as vacinas ao autismo. Tanto na China como nos Estados Unidos, quando o governo não quer que os cidadãos saibam de alguma coisa, ele censura a história através de todos os meios de comunicação estatais, invocando o "totalitarismo da informação".

Tanto antes como depois da explosão maciça, o governo chinês tem posto em ação "helicópteros pretos" em formação por toda a Pequim. (Atualização:. Anteriormente, este artigo afirmou que os helicópteros começaram a voar depois da explosão, mas fomos corrigidos quanto a isto, já que os helicópteros também foram testemunhados no céu nos dias anteriores a explosão). Dissidentes chineses tiraram inúmeras fotos destes helicópteros e foram capazes de entregá-las exclusivamente ao Natural News:

[Imagem: China-black-helicopters-4-500.jpg]

Um tiro de advertência dos Estados Unidos: Não derrubem o dólar ou vendam a nossa dívida

Dissidentes chineses disseram ao NN que possuem razão para acreditar que o ataque em Tianjin foi um tiro de advertência dos Estados Unidos, que estão com medo de que a China esteja à beira de anunciar sua própria moeda, lastreada em ouro, enquanto que declara uma "liquidação/promoção" em massa dos títulos de dívida dos EUA.

Isto ocasionaria o colapso do dólar e da economia norte-americana, empurrando os Estados Unidos para uma queda livre econômica. A implantação da arma "vara (ou bastão) de Deus" pelo Pentágono norte-americano, como fomos informados, foi um "tiro de aviso" dos Estados Unidos para enviar uma mensagem de advertência poderosa para a China, enquanto disfarçava o ataque como uma explosão química doméstica.

[Imagem: Xinhau-Rex-Shutterstock-Tianjin-Destruct...l-View.jpg]

Cronograma de eventos: China desvaloriza moeda, em seguida, Pentágono ataca em meras horas

Considere o calendário de eventos de tudo isto:

11 de agosto de 2015: China desvaloriza o Yuan em 1,9%, enviando "ondas de choque" ao redor do mundo e desencadeando um impacto "devastador" na economia dos EUA.

12 de agosto de 2015: Tianjin é atingida pela "vara de Deus", secreta arma do Pentágono, uma arma cinética top-secret no espaço que pode ser lançada em órbita que para atacar quase qualquer alvo em terra. A arma destruiu instantaneamente seis quarteirões nos arredores da cidade de Tianjin, enviando uma mensagem para a China que é assustadoramente semelhante à mensagem enviada pelos Estados Unidos na queda das primeiras armas atômicas do mundo em Hiroshima e Nagasaki, na Segunda Guerra Mundial. (Sim, os EUA está disposto a utilizar armas de destruição em massa nas populações civis. Ele já fez isso duas vezes!).

(O lançamento de bombas atômicas sobre o Japão também ocorreu durante um ano Shemitá, no mês de agosto de 1945, exatamente há 70 anos. Este é precisamente dez ciclos Shemitá atrás, ou o que poderia ser chamado de "deca-Shemitá").

16 de agosto de 2015: Obama emite um aviso severo "...sobre a presença de agentes do governo chinês operando secretamente nos Estados Unidos", relata o The New York Times. "E isto vem em um momento de crescente tensão entre Washington e Pequim, em uma série de questões: desde o roubo de milhões de arquivos pessoais de computadores de funcionários do governo que as autoridades americanas suspeitam foi feito por China, à repressão da China sobre as liberdades civis, à desvalorização de sua moeda".

Armas espaciais secretas do Pentágono

A "vara de Deus" consiste principalmente em uma arma cinética capaz de gerar uma energia cinética inimaginável... mais do que uma pequena arma nuclear tática, de fato, dando-lhe a aparência de uma arma nuclear tática.

Sites norte-americanos estão agora a especular que a explosão Tianjin foi um teste de armas espaciais americanas envolvendo a "vara de Deus" arma lançada da órbita. "A cratera resultante no lago da China revela uma explosão de cinco quilotons, possivelmente nuclear ou, eventualmente, de uma "vara de Deus" (foto à esquerda) situada no espaço. A arma foi liberada por um avião espacial", diz o The Unhived Mind
.

"Depois de olhar as das imagens dos ensaios nucleares soviéticos, o novo lago na China parece ter sido criado por uma explosão ligeiramente subaquática de, pelo menos, uma bomba nuclear de 5 quilotons... Este NÃO foi um acidente e o padrão das fraturas em torno da cratera comprova uma explosão debaixo do solo. Se foi mesmo uma explosão no subsolo, então uma pequena arma nuclear é a maior possibilidade, pois uma vez que a bomba nuclear tem que empurrar o barro, o clarão ofuscante não acontece. Uma detonação logo abaixo da superfície explicaria o porquê dos sensores de câmera não detectarem artefatos estranhos. E se não foi uma arma nuclear, era outra coisa incrivelmente enorme, mas não uma bomba de ar e combustível, porque elas não vai deixam crateras".

[Imagem: Rod-of-God-Weapon-300.jpg]

Armas cinéticas espaciais que podem ser lançadas em alvos foram explicadas em um artigo em 2004 publicado pela revista Popular Science:

Quando instruído a partir do solo, o satélite alvo comanda o seu satélite parceiro para soltar um de seus dardos. As hastes guiadas entram na atmosfera, protegidas por um revestimento térmico, viajando a 36.000 pés por segundo - comparável à velocidade de um meteoro. O resultado: completa devastação do alvo, mesmo que seja enterrado no subsolo profundo.

"Quando necessário esses projéteis podem ser comandados a mergulhar, individualmente ou em massa, em alvos na superfície da Terra, esmagando a vítima em velocidade orbital. Assim que a energia cinética do projétil é liberada, a explosão é equivalente a uma grande bomba convencional", explica armaghplanet.com.

China está para declarar a lei marcial como controle total de informação

A lei marcial será declarada através de Pequim nos próximos dias, disseram dissidentes ao NN. Enquanto isso, o governo chinês - que executa um firewall maciçamente controlado pelo Estado, que bisbilhota todo o tráfego de internet e bloqueia acessos VPN - acrescentou a palavra-chave "Tianjin" como uma bandeira vermelha a ser filtrada do tráfego da internet.

Batidas policiais locais já começaram nos locais de blogueiros e jornalistas independentes que tentaram relatar histórias verdadeiras sobre o que realmente aconteceu em Tianjin. O governo chinês está envolvido em um total encobrimento.

O NN tem conhecimento de que o governo chinês está criando postos de controle em rodovias perto e em torno tanto de Tianjin como de Pequim. Medidas adicionais de segurança adotadas agora no local para controlar o movimento de pessoas incluem:

• Todos os HOTÉIS estão relatando detalhes de visitantes para o governo, incluindo números de passaporte, nacionalidades, nomes e chamadas telefônicas feitas a partir dos quartos.

• Os turistas que não ficam emHOTÉIS agora são obrigados a se registrar com a polícia local ou sofrerem o risco de serem presos. O governo chinês determinou que ele deve saber a localização de todas as pessoas em todos os momentos.

• Braçadeiras vermelhas estão agora a serem usadas por trabalhadores para indicar que eles estão servindo como obedientes informantes da polícia. As braçadeiras vermelhas indicam total obediência ao governo e os trabalhadores que as usam têm sido treinados para detectar comportamentos dissidentes. É a versão da China do "se você vir algo, diga algo", assim como foi empurrado nos Estados Unidos.

• Em preparação para a celebração da China de 03 de setembro pela a derrota da ocupação japonesa - é o 70º aniversário - a China proibiu a escrita japonesa na maioria de suas grandes cidades. A propaganda governamental funciona 24/7, condenando os japoneses e os crimes de guerra terríveis cometidos por soldados japoneses contra a China. (É verdade, os japoneses cometeram atrocidades inimagináveis, como os estupros em massa cometidos às mulheres e, em seguida, e o corte dos corpos em pedaços, com facões, para a destruição de "provas").

• Patrulhas de helicóptero são agora rotineiramente testemunhadas em Pequim e Tianjin, onde helicópteros militares estão voando em formação como uma demonstração de força.

• Populações maciças de trabalhadores estão agora a viver em moradias subterrâneas, por baixo dos edifícios limpos e de alta tecnologia de Pequim, que parecem ser realizações arquitetônicas de padrão mundial. (Atualização: Anteriormente, essa história disse "cidades subterrâneas", mas nós foram corrigidos sobre este ponto e atualizamos a descrição para "moradias subterrâneas". Essencialmente, eles são porões de habitação em massa abaixo do solo").


Se esta guerra se agravar, poderá desencadear uma guerra de atrito das moedas globais.

Se esta guerra secreta entre a China e os Estados Unidos continuar a crescer, ela acabaria por devastar as economias de ambas as nações. Tanto a China como os EUA estão atualmente a sofrer ondas de choque em seus mercados de ações como as bolhas econômicas construídas por dívidas começam a estourar.

Nestes tempos de fundamentos financeiros instáveis, não é preciso muito para derrubar a fé pública e desencadear um êxodo em massa para longe de moedas e mercados. É também claro que os Estados Unidos consideram jogos de moeda como atos de guerra, enquanto justificam "respostas cinéticas" a tais eventos.


Isso tudo é totalmente alinhadas com as políticas do governo postas em movimento pelo presidente Obama em 2011. "Washington vai para [sic] considerar o uso de armamento convencional em resposta a um ciber-ataque contra os Estados Unidos, segundo uma nova estratégia dos Estados Unidos", relatou The Telegraph:

Declaração de estratégia da Casa Branca sobre segurança cibernética disse que os EUA "vão responder a atos hostis no ciberespaço como seria para qualquer outra ameaça ao nosso país".

"Nós nos reservamos o direito de usar todos os meios necessários - diplomático, informacional, militar e econômica - de forma adequada e consistente com o direito internacional aplicável, a fim de defender nossa nação, nossos aliados, nossos parceiros e nossos interesses", o documento 16 de maio dito.

O porta-voz do Pentágono coronel Dave Lapan confirmou que a política da Casa Branca não descartou uma resposta militar a um ataque cibernético.

Ainda mais, Henry Kissinger tinha o seguinte a dizer sobre as relações entre EUA China, como citado de seu Web site HenryAKissinger.com, em um artigo intitulado O Futuro da US - Relações chineses; Conflito é uma escolha, não uma necessidade:

Assim como a influência chinesa nos países vizinhos pode estimular temores de dominação, por isso os esforços para perseguir interesses nacionais americanos tradicionais pode ser percebida como uma forma de cerco militar. Ambos os lados devem compreender as nuances pelo qual aparentemente cursos tradicionais e aparentemente razoáveis ​​podem evocar as preocupações mais profundas do outro. Eles devem procurar em conjunto para definir a esfera em que a sua concorrência pacífica está circunscrito. Se que é gerido de forma sábia, tanto confronto militar e dominação pode ser evitada; se não, escalada de tensão é inevitável.

Se os Estados Unidos define ataques de guerra moeda como "ataques cibernéticos", então podemos ter acabado de testemunhar a primeira aplicação dessa nova doutrina de guerra, onde "ataques" eletrônicos estão satisfeitos com as respostas cinéticas do Pentágono.

Vamos todos espero que isso não aumentar ainda mais, ou na América provavelmente vai encontrar-se no lado perdedor de qualquer guerra envolvendo economia, moedas ou guerra cibernética.


Leia mais: http://forum.antinovaordemmundial.com/Topico-vejam-guerra-secreta-entre-eua-e-china-j%C3%A1-pode-ter-come%C3%A7ado#ixzz3jU8D6kzs

Cristãos na Síria dizem estar dispostos a morrer por Jesus em meio a perseguição


Cristãos na Síria dizem estar dispostos a morrer por Jesus em meio a perseguição
Na Síria os cristãos são perseguidos violentamente pelo Estado Islâmico, e ainda assim o número aumenta no país. Mesmo sendo ameaçados, preferem ficar no país, arriscando suas vidas pelo Evangelho.
Mais de 230 cristãos foram dados como desaparecidos por decorrência da perseguição, e mais de 15 mil são considerados vítimas iminentes da violência dos radicais do Estado Islâmico, conforme informou o Christian Today.
Apesar das ameaças e mortes violentas sofridas por muitos cristãos na Síria, eles permanecem firmes em seu propósito, comprometidos com a sua fé e evangelizam ainda ativamente em nome de Jesus Cristo, disse o pastor Doyle, que é vice-presidente e diretor no Oriente Médio do Ministério Global.
Doyle compartilha a história destes cristãos em um livro, onde relata que para cerca de 10 plantadores de igrejas na Síria foi dado a opção de deixar o país e ter segurança, ou ficar e continuar arriscando suas vidas pelo Evangelho. Todos ficaram e ainda convocaram mais de 15 líderes para ajudá-los em seus trabalhos nas igrejas.
Os missionários, conforme relata no livro, disseram unanimes que: “Estamos prontos para ficar, estamos dispostos a sofrer, estamos dispostos a morre por Jesus aqui na Síria.”
O pastor diz que “Todos se comprometeram a comprar um pedaço de terra no país, para que caso fôssem mortos pelos terroristas, poderem ser enterrados como mártires.”
O pastor disse que a equipe continua enviando relatórios sobre a difusão do cristianismo no país. E dizem que não apenas os plantadores de igrejas (missionários), como também os líderes locais das igrejas na Síria continuam a luta pela fé, sendo testemunhos para que muitas vidas venham para Cristo e se unam à igreja.

EX MONGE BUDISTA SE CONVERTE AO EVANGELHO


Após se converter ao Evangelho, ex-budista é ordenado pastor, no Tibet
Um ex-budista ("Lama") se converteu ao cristianismo e recentemente tornou-se um pastor, que já contribuiu para a conversão de 27 pessoas ao Evangelho.
Por causa da possibilidade do novo pastor ser ameaçado, a 'Mission Network News' não revelou o nome deste homem.
O pastor que passou quase 30 anos como um Lama budista - ou monge, como tantos outros chamam. Seu trabalho era "preparar os mortos para a sua próxima reencarnação", conforme o budismo acredita.
No entanto, ele sempre teve dúvidas sobre a vida após a morte e se perguntava se seus esforços, na verdade, teriam qualquer efeito sobre os mortos.
Quando sua esposa ficou seriamente doente, o homem tentou todos os rituais budistas que ele conhecia em um esforço para curá-la, mas não alcançava bons resultados.
Nessa mesma época, a filha do homem estava interagindo com algumas meninas da missão 'Christian Children’s Home' ('Lar Cristão para Crianças') e ela percebeu o quão diferentes eram aquelas garotas.
 
Sua filha estava tão apegada a essas meninas que ela começou a frequentar a igreja com elas. Quando a mãe da menina ainda não apresentava melhoras - apesar de toda a magia budista - a garota convidou seu pai para ir à igreja com ela.
No início, o monge budista não queria ir. Afinal, ele tinha sido um seguidor do budismo por quase 30 anos. Eventualmente, no entanto, ele e sua esposa foram à igreja cristã com sua filha, e, milagrosamente, durante o tempo em que a família voltava para casa, a mãe da menina apresentou melhoras.
O homem e sua família se converteram ao cristianismo e agora, o ex-budista é o pastor de uma igreja cristã que está fazendo seus próprios discípulos.

Funk gospel atrai fãs e fiéis com o 'Passinho do abençoado' no Rio

A batida é a mesma. As letras que são diferentes. A dança é uma forma de evangelizar”, conta Tonzão. “Eu não saí dos Hawaianos com a ideia de seguir uma carreira gospel. Eu queria fazer um trabalho social, com jovens de periferia, de ressocialização. E nos Hawaianos eu não tinha tempo para isso", explica.
Assim como ele, outros músicos passaram a dedicar as suas carreiras ao chamado funk gospel (ou gospel funk), que leva para a música evangélica um ritmo que parecia incompatível, com tradição de letras que fazem apologia à violência e ao sexo.
Na transição, o funk passou por adaptações. As roupas curtas, as letras maliciosas e as danças sensuais são trocadas por figurinos comportados, temas religiosos e coreografias animadas, mas bem menos provocantes.
Tonzão fez sucesso na internet com o 'Passinho do Abençoado' (Foto: Divulgação/ Tonzão Chagas)
Para Tonzão, a ideia de que poderia adaptar sua antiga carreira à sua nova vida surgiu de uma brincadeira com jovens recém-convertidos, como ele, e que o conheciam como funkeiro. Começaram a dançar na igreja e foram chamados pelo pastor, que os viu dançando por uma câmera de segurança e pediu explicações. Contou que estavam dançando como uma forma de louvor.
O vídeo no qual Tonzão canta o “Passinho do Abençoado” pela primeira vez, dançando funk de terno e gravata com companheiros de igreja, tem quase 2 milhões de visualizações em apenas uma das inúmeras cópias que se espalharam pela web.
Sobre o retorno financeiro, Tonzão afirma que ganha bem menos do que quando fazia sucesso no funk “secular” (tradicional), mas afirma que seu dinheiro é melhor empregado.
“Nos Hawaianos eu ganhava mais. Mas hoje eu tenho tempo para ver a minha família. As pessoas diziam que a minha mulher ia me largar. E hoje estamos casados e com dois filhos. O dinheiro não é igual, mas rende melhor. Porque eu não gasto com um monte de mulheres, com baladas e drogas, que eu cheguei a usar por curtição”, afirma Tonzão. Há um ano, ele e sua esposa fazem parte do Ministério Flordelis.
Os MCs Tiago e Diogo voltaram a cantar após um hiato de nove anos na carreira (Foto: MCs Tiago e Diogo/ Divulgação)Os MCs Tiago e Diogo voltaram a cantar após um
hiato de nove anos na carreira
(Foto: MCs Tiago e Diogo/ Divulgação)
Unindo paixões
Quem também fez uma conversão para o gospel funk foram os irmãos Tiago e Diogo, que começaram a cantar funk ainda adolescentes, em 1995. Eles fizeram parte da primeira geração do ritmo a se destacar no Brasil, ao lado de nomes como Latino, Catra e a dupla Claudinho e Buchecha.
Fizeram shows em todo o país com músicas como “Pegação”, “Palco” e o “Rap do Pombal”. Em 1998, se converteram e decidiram largar tudo. Como a renda da família vinha das apresentações e da execução das músicas, depois de um tempo começaram a enfrentar dificuldades financeiras.
Para sobreviver, fizeram de tudo um pouco: trabalharam como barbeiros, venderam hambúrgeres e se tornaram ambulantes. Mas, ao longo do tempo, a saudade dos palcos começou a bater. Em 2007, juntaram dinheiro e pagaram a gravação de um CD com letras de temática cristã. “Nós gravamos o CD e deu certo. Para divulgar, começamos a colocar caixas de som nas ruas para vender cópias. Assim, vendemos 40 mil CDs”, afirma Diogo.
Em 2011, Tiago e Diogo voltaram a fazer sucesso com a música “Brasileirinhos”, em homenagem às crianças mortas no massacre da Escola Tasso da Silveira, em Realengo. Outras músicas começaram a tocar nas rádios especializadas para o público evangélico e eles assinaram contrato com uma grande gravadora em 2013. Entre as músicas da dupla estão “Telefone do Céu”, “Atravessei a Poça” e “Missionário do Funk”.
A dupla atualmente não canta mais músicas seculares, mas Diogo ressalta a importância cultural do gênero na sociedade e na vida dele e do irmão, que se consideram evangelizadores. “Eu consegui unir as minhas duas paixões. Eu vivenciei o funk, que é bacana e não sou contra. Faz parte da cultura. E resolvemos cantar o gospel funk. A mensagem é a diferença. A nossa mensagem é uma mensagem espiritual, para o coração dos jovens”.
Operário do gospel funk
A trajetória de Tonzão e dos MCs Tiago e Diogo se parece com a do MC Henrique H7, de Volta Redonda, no Sul Fluminense. Ele começou a cantar funk aos 13 anos. “No início, eu cantava letras sobre apologia ao crime, sensualidade, sobre a realidade. Aí eu fui para a igreja e transformei a minha vida. Eu vi que o crime não compensa e a música é para alegrar”.
Autor de “Ai, que benção”, ele concorda que hoje ganha menos do que ganharia se seguisse carreira no funk tradicional, mas acredita que a sua música cumpre uma função social. Ele tenta conciliar a carreira de shows com as folgas do trabalho em uma indústria, como operário. “Eu vivia em um mundo de coisas fáceis. Talvez estivesse em uma situação financeira melhor, mas com o meu som eu ajudo pessoas”.
Sobre o preconceito contra o ritmo, Henrique H7 afirma que o seu papel é cumprido como o de qualquer outro cantor gospel. “Eu louvo a Deus, só altera o ritmo. Canto funk da mesma maneira que poderia ser um pop ou um rock”.
Mc Henrique H7 é de Volta Redonda, no interior do estado do Rio de Janeiro (Foto: MC Henrique H7/ Divulgação)
Nova geração
O sucesso do gospel funk já inspira uma nova geração de MCs, que desde o começo de suas carreiras já trabalham exclusivamente com letras de louvor, sem terem passado por uma fase na vertente tradicional do ritmo. Este é o caso da MC Thaísa Soares, de 18 anos, de Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. Evangélica de berço, canta funk há dois anos e conheceu o gênero musical no Baile dos Cocadas, que tem temática gospel e acontece em Bangu, também na Zona Oeste.
MC Thaísa é de família evangélica e canta gospel funk há dois anos (Foto: MC Thaísa/ Divulgação)MC Thaísa é de família evangélica e canta
gospel funk há dois anos
(Foto: MC Thaísa/ Divulgação)
Ela acredita que a música é uma forma de expor suas ideias e evangelizar os jovens. “Desde que eu comecei, o gospel funk cresceu. Era mais difícil e éramos mais criticados. Mas o trabalho segue fluindo”.
Bonita, seus figurinos passam longe do que seria esperado para uma cantora de funk da sua idade. Com calças compridas e camisas com manga, ela entoa canções como “Olha aí ó” e “Vigia para não passar peleja”.
“Como a roupa permitida depende da doutrina da igreja, eu me visto com roupas mais comportadas”, conta a jovem, que paralelamente à carreira musical, planeja fazer faculdade de Engenharia.
Todos os intérpretes ressaltam que o trabalho que fazem é uma maneira de evangelizar os jovens a partir de um ritmo que faz parte da vida deles. Tonzão RESUME  o caso destacando que cantar funk é uma forma de mostrar ao mundo a sua nova realidade, mas sem alterar as suas raízes. “Eu já cantei funk nas maiores igrejas do Brasil. Tudo sem perder a essência. Porque eu sou isso. Eu sou funk, sou favela, sou periferia”.


G1

SERIE ESTUDO - SERIE : OS PROFETAS DO VELHO TESTAMENTO - JACO - MOISÉS -...