segunda-feira, 3 de outubro de 2016

“O jovem hoje não é tão comprometido com Cristo como nos anos 70”, diz pr. Jaime Kemp



Missionário no Brasil desde 1967, o pastor norte-americano Jaime Kemp iniciou seu ministério discipulando jovens e levando o Evangelho em praças, igrejas, cadeias e até mesmo no Congresso Nacional.

Um ano mais tarde, ele deu início ao movimento pioneiro na produção de música cristã no Brasil: a banda Vencedores Por Cristo, conhecida também como VPC. Depois de passar a liderança do ministério de adoração e evangelismo para jovens brasileiros, Kemp passou a se concentrar em seminários voltados ao casamento e à família.

“Nós estamos ministrando em todo o Brasil. A nossa igreja é o Brasil”, disse ele em entrevista ao Guiame durante a 5ª edição da FLIC.

Na visão de Kemp, existem muitas diferenças entre a geração jovem dos anos 1970 e dos dias atuais. “Quando chegamos no Brasil, há 50 anos, os jovens namoravam em casa, por exemplo. A maioria dos rapazes não tinha carro, mas hoje em dia a juventude tem carro. Isso é bom e ruim. Bom porque é um avanço poder ter um carro, porém existe a parte negativa, que é levar a ‘gatinha’ para não sei aonde”, comentou.

O pastor explica que este é o tipo de circunstância que resulta num problema muito comum entre os jovens — o sexo pré-conjugal. “Cerca de 52% dos jovens criados na igreja evangélica já tiveram relação sexual e muitos são sexualmente ativos. A juventude dos anos 70 era muito mais séria”, compara.

“Por exemplo, com o conjunto Vencedores Por Cristo nós viajávamos pelo país de Kombi. Hoje em dias os conjuntos querem viajar de avião e se hospedar num hotel — nunca ficamos em hotéis, ficávamos nas casas dos irmãos. Cada membro do conjunto tinha que pagar uma parte da sua despesa. Houve muito mais seriedade e disposição para sacrificar”, acrescentou.

“Há mudanças positivas, não quero ser negativo, mas eu creio que o jovem não é tão comprometido com Cristo como era nos anos 70, 80 ou quem sabe 90”, completou.

O que falta para os jovens serem alinhados em Deus, para Jaime, se resume em uma palavra: modelos. “Às vezes os nossos próprios pastores não são modelos. Existe pastor que se divorcia de sua mulher e continua pastoreando a igreja. A juventude olha para Brasília, por exemplo, e enxerga vários setores de corrupção. Estamos com um problema de modelos”, avaliou.

Além disso, o pastor afirma que é necessário ter mais seriedade no discipulado e na oração. “Existe muito ‘oba-oba’: vamos lançar isso, divulgar aquilo, fazer farra, duas horas de louvor — não sou contra o louvor, afinal de contas começamos isso com o Vencedores Por Cristo. Porém pegar uma apostila e aprender sobre a Bíblia, de sexta-feira à domingo, não tem muita gente que quer. Exige muito esforço, dedicação e sacrifício. Exige mais comprometimento”.


fonte . GUIA ME 

Pastor se suicida após enviar fotos íntimas para grupo da igreja no WhatsApp


Um pastor cometeu suicídio ao tornar público, por engano, seu caso de adultério. Ele reuniu algumas fotos íntimas – os populares nudes – e enviou para um grupo de sua igreja, ao invés de selecionar apenas o contato de sua amante no WhatsApp.

[img align=left width=300]http://i0.wp.com/www.jmnoticia.com.br/wp-content/uploads/2016/09/whatsapp.jpg?resize=696%2C391[/img]O caso foi registrado na cidade de Limpopo, na África do Sul, e segundo as informações iniciais obtidas por portais cristãos internacionais e noticia no país pelo portal Gospel Mais, a amante do pastor seria membro da mesma igreja, a Christ Embassy.

O pastor, identificado apenas como Letsego, suicidou-se através de enforcamento, quando percebeu que as fotos de seus órgãos genitais haviam sido enviadas para os membros da igreja.

Na mensagem que acompanhava as fotos íntimas, o pastor convidou a amante para uma noite juntos: “A esposa está longe, é toda sua essa noite”, disse ele.

O erro, no entanto, só foi percebido após ele apertar o botão de envio. Os membros da igreja receberam as fotos e reagiram com choque e indignação. Diversos deles tentaram ligar para o pastor, que não atendeu aos chamados e, instantes depois, saiu do grupo.

Segundo informações do Live Monitor, o pastor foi encontrado enforcado na casa pastoral: “A conduta do pastor sempre foi motivo de preocupação. Ele sempre era visto na companhia da diaconisa Miriam, e nós suspeitamos que havia mais que a amizade”, disse um dos membros, que preferiu o anonimato.

“Questionado por sua esposa e os fiéis, ele minimizava as alegações dizendo que, como um pastor, era um pai para todos e Miriam era sua filha favorita”, acrescentou o fiel.

Não foram divulgadas informações sobre como a esposa e os filhos do pastor reagiram ao escândalo.

Fonte: JM Noticia com informações Gospel Mais

Cristãos são crucificados e queimados em brutal perseguição na Coreia do Norte


Imagem redimensionada

Cristãos na Coreia do Norte estão sendo escravizados, violados, torturados e mortos, de acordo com um relatório da organização 'Christian Solidarity Worldwide' ('CSW').

O relatório intitulado "Total Negação: Violação da Liberdade de Religião ou Crença no Coreia do Norte", elaborado pela organização britânica que ajuda cristãos perseguidos em todo o mundo, disse que a liberdade de religião é "praticamente nula" no país oriental.

"As crenças religiosas são vistas como uma ameaça à fidelidade exigida pelo 'Líder Supremo' e qualquer pessoa que mantenha essas crenças é severamente perseguida", diz o relatório.

"Os cristãos sofrem significativamente por causa dos rótulos de 'anti-revolucionários' e 'imperialistas' ligados a eles pela liderança do país", acrescentou.

Os detalhes do relatório de incidentes apontam cristãos sendo "pendurados em uma cruz durante um incêndio, esmagados sob um rolo compressor, derrubados de pontes e pisoteados".

Os cristãos na Coreia do Norte acabam tendo que praticar sua fé em segredo para não serem enviados para campos de trabalhos forçados.

"Uma política de 'penalidade por associação' também está aplicada, o que significa que os parentes de cristãos também estão acabam sendo presos, independentemente de eles compartilharem ou não a fé cristã", diz o relatório.

"Até mesmo os norte-coreanos que fugiram para a China e se tornaram cristãos, muitas vezes são repatriados e, posteriormente, presos em um campo de prisioneiros políticos para serem submetidos a trabalhos forçados".

Autoridades norte-coreanas dizem que há cerca de 13.000 cristãos no país, mas a organização "Cornerstone Ministries International" estima que existam cerca de 200.000 a 300.000.

Fonte: Guia-me

Veja o porquê dos Muçulmanos odiarem os Judeus e os Cristãos

JACO - ISRAEL

De todos os relatos da Torá, este é um dos mais envoltos em mistério. Conta-nos a história da luta entre um ser humano e um anjo e a da ...