sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

ANTICRISTO


  • "Sua influência é mundial". (Apocalipse 13:8, pág. 333) Deus revelou na Torre de Babel (Gênesis 11:1-9) que Seu plano para as nações do mundo é a existência de nações soberanas, nenhuma delas com controle absoluto sobre todo o mundo. No entanto, durante os últimos dias, o Anticristo exercerá uma ditadura suprema sobre todo o globo. Essa ditadura será política, espiritual e econômica. Vemos esse controle político em Apocalipse 13:16, em que ele força tanto pequenos e grandes a receber a Marca da Besta. A palavra "grande" aqui significa literalmente aqueles que são poderosos politicamente. Vemos o aspecto espiritual em forçar a todos a adorá-lo. (Apocalipse 13:8) Finalmente, vemos a ditadura econômica em Apocalipse 13:16-17, em que ninguém pode comprar ou vender nada sem a Marca do Anticristo.
  • "Ele elimina três reis em sua ascensão ao poder". (Daniel 7:8, 24, pág. 333) Interessantemente, esses três reis a quem o Anticristo destruirá em sua ascensão ao poder são parte dos dez reis que governarão o mundo nos últimos dias. Esses reis também são chamados de chifres e de dedos (Daniel 2:41-44 & 7:24) Muitos estudiosos ensinam que esses dez reis representam o Mercado Comum Europeu (o Antigo Império Romano). No entanto, preferimos uma interpretação muito mais ampla para a identidade dos dez dedos de Daniel 2. Achamos que a linguagem de Daniel 2 e 7 indicam que o reino final não é um Império Romano Restaurado; ao contrário, é a forma final de um Império Romano que nunca deixou de existir. Em sua forma final, ele se expandirá para cobrir o mundo inteiro. Essa interpretação ficaria consistente com a interpretação da figura da estátua em Daniel 2, dos quais os dez dedos são a parte final. Essa interpretação também seria consistente com a conclusão de J. Dwight Pentecost em seu livro Things to Come.

Deus parece estar dizendo aqui que as nações do mundo nos últimos dias serão reorganizadas em dez supernações. Assim que essa reorganização estiver completada, o Anticristo aparecerá (o décimo-primeiro chifre, Daniel 7:8). Os planejadores da Nova Ordem Mundial já conceberam a Reorganização em Dez Nações. Em 1974, um livro intitulado Mankind at the Turning Point esquematizou uma reorganização das mais de 170 nações soberanas do mundo em dez supernações. Relacionamos em seguida essas dez supernações:
  1. América do Norte
  2. Europa Ocidental
  3. Japão
  4. Austrália, África do Sul e o resto da economia de mercado do mundo desenvolvido
  5. Europa Oriental, incluindo a Rússia
  6. América Latina
  7. Norte da África e o Oriente Médio
  8. África Tropical
  9. Sul e Sudeste da Ásia
  10. China.
Em 1991, o presidente George Bush e o Congresso americano começaram a criar a entidade econômica formada pelo Canadá, Estados Unidos e México. A supernação América do Norte já é uma realidade agora. A Europa Ocidental é a Comunidade Econômica Européia, que tornou-se realidade em dezembro de 1992. Japão e China já existem. A Rússia e a Europa Oriental já tiveram no passado seu bloco econômico e político e poderão reimplantá-lo sob novas bases. O Mercosul entre Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, tem tido resultados positivos e logo será ampliado para incluir outros países latino-americanos. As outras entidades regionais que formarão essa organização, poderão ser criadas a qualquer momento, por simples voto das Nações Unidas. A hora realmente já está bem avançada.
* "O Anticristo é o líder do sistema ímpio de Satanás (2 Tessalonicenses 2:3) Ele é o exemplo supremo de rebelião contra Deus. A blasfêmia pode ser expressa de duas formas básicas:
1. Dizer coisas que difamam o caráter de Deus.2. Afirmar ser Deus
O Anticristo será culpado desses dois tipos de blasfêmia. Daniel o retrata em 7:20 como um chifre que tinha uma boca que falava grandes coisas; Daniel 11:36 revela que: "E este rei fará conforme a sua vontade, e levantar-se-á, e engrandecer-se-á sobre todo deus; e contra o Deus dos deuses falará coisas espantosas, e será próspero, até que a ira se complete; porque aquilo que está determinado será feito." Vemos isso claramente na afirmação que Maitréia dirá ser um Adepto Ocultista de Sétimo Nível, enquanto que a Consciência de Cristo que veio sobre Jesus Cristo era somente a de um Adepto de Quarto Nível. (Constance Cumbey, Hidden Dangers of the Rainbow, págs. 96-99, leia a resenha). Como a população do mundo responderá a essa incrível blasfêmia? Daniel 11:36 prediz que ele "prosperará até que se cumpra a indignação; porque aquilo que está determinado será feito." Em Apocalipse 13, vemos o Anticristo convencendo os povos do mundo que ele é Deus e que, portanto, é digno de adoração e lealdade. A expressão dessa lealdade requererá que toda pessoa não-salva na terra permita que a marca seja permanentemente implantada na mão ou na testa.
B. Características Pessoais
* "O Anticristo será marcado por inteligência e poder de persuasão". (Daniel 7:8, 20; 8:23) Além disso, ele será entendido em intrigas, ou enigmas, o que significa que será um adepto no ocultismo. O domínio do ocultismo lhe dará grande poder sobre os outros líderes mundiais. A história registra que Adolf Hitler possuía a capacidade de sobrepujar outros líderes mundiais em discussões face a face fazendo uso de seus poderes ocultistas.

Realmente, o Plano da Nova Ordem Mundial afirma que o Anticristo será o Supremo Adepto de todos os tempos. (Alice Bailey, The Externalization of the Hierarchy) O domínio do ocultismo é simbolizado pelo olho que tudo vê [o símbolo na figura ao lado aparece no verso da nota de US$ 1].
* "Ele será reconhecido por sua sutileza e engenhosidade (Ezequiel 28:6)". Outro modo de dizer isso é que ele será extremamente enganoso. Daniel 8:23, 25, usa palavras como "entendido de intrigas (enigmas) e astúcia nos seus empreendimentos" para descrever o Anticristo. Sua falsidade o ajudará a atingir seus objetivos. Lembre-se das advertências de Jesus Cristo em Mateus 21:11 & 24, que esse falso Cristo operará "grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos." Essas advertências das atividades enganosas leva-nos ao Apocalipse 13:13-14, em que o Falso Profeta e o Anticristo operam falsos milagres sobrenaturais para enganar a população do mundo. Em programas anteriores, falamos sobre o que deverão ser alguns desses milagres aparentemente sobrenaturais e falaremos mais em outros programas.
A maior característica de todo o sistema do Anticristo, a Nova Ordem Mundial, é a total enganação. Na verdade, os escritores da Nova Ordem Mundial vangloriam-se dos enganos que planejam contra a população, pois arrogantemente crêem que a vasta maioria das pessoas é estúpida e preguiçosa demais para saber o que é melhor para eles. Somente os Planejadores da Nova Ordem Mundial sabem o que é melhor para o mundo, e determinaram que somente poderão atingir seus objetivos enganando deliberadamente as pobres massas. 
* "Ele recebe sua autoridade de Satanás e é controlado por Satanás" (Apocalipse 13:4; Daniel 8:25). O Anticristo tentará aniquilar os cristãos durante os 3 anos e meio finais da Tribulação. (Daniel 7:25, 12:7, Apocalipse 13:1-6) Por que Deus permitiria que aqueles que receberam a Jesus como Senhor e Salvador sejam mortos? Deus revela, em Daniel 11:34-35 que seus santos "Serão provados, purificados e embranquecidos, até ao tempo do fim". É incrível, mas Deus tem em mente um número específico de cristãos que morrerão como mártires, como vemos em Apocalipse 6:9-11: "E, havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos por amor da palavra de Deus e por amor do testemunho que deram. E clamavam com grande voz, dizendo: Até quando, ó verdadeiro e santo Dominador, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra? E foram dadas a cada um compridas vestes brancas e foi-lhes dito que repousassem ainda um pouco de tempo, até que também se completasse o número de seus conservos e seus irmãos, que haviam de ser mortos como eles foram." Apocalipse 12:11 ilustra ainda mais esse martírio: "... e não amaram as suas vidas até à morte."
Essa vitória temporária do Anticristo sobre os seguidores de Jesus Cristo é ilustrada em Daniel 12:7b, em que Deus diz que a vitória do Anticristo "destruirá o poder do povo santo". Jesus Cristo pessoalmente intervirá quando retornar fisicamente para destruir o poder do Anticristo, lançando-o no lago de fogo.
* Deus atribuiu o número 666 à pessoa e ao nome do Anticristo (Apocalipse 13:17-18). Como o Anticristo será um ditador todo-poderoso, acreditamos que seu sistema incorporará muitas das suas características. Assim, elementos do seu sistema serão identificados com o número '666'. Curiosamente, a revelação de Deus sobre o Anticristo é dada no Capítulo 13, no verso 18. É coincidência que 18 é 6+6+6? A autora cristã Mary Relfe, em seu livro The New Money System, diz: "Em 1798, um ministro metodista, Adam Clarke, escreveu: 'A Marca da Besta será um número de 18 dígitos, 6+6+6'. Em 1977, o Dr. Harnick Eldeman, Analista Chefe para a Comunidade Econômica Européia, anunciou que estava pronto para começar a atribuir um número a todas as pessoas do mundo; e que planejava usar uma unidade de três séries de seis dígitos, ou seja, 18 números. (pág. 152) É também coincidência que cada cidadão americano hoje está pessoalmente identificado por um número de Seguro Social de nove dígitos, mais um Código de Endereçamento Postal de nove dígitos? Acreditamos que a hora está realmente bem avançada.
IV — Aparecimento
* "Ele aparecerá em cena na hora final da história de Israel" (Daniel 8:23) e "sua ascensão virá por meio do seu programa de paz (Daniel 8:25, Pentecost, pág. 333). O mundo hoje já está condicionado, após tantas guerras e rumores de guerra a desejar a paz a qualquer custo. As manchetes e os editoriais dos jornais expressam o desejo por Paz e Segurança, exatamente como o apóstolo Paulo predisse em I Tessalonicenses 5:2. As dores do parto (Mateus 24) que precederão o Anticristo são tremendos atos de violência e levantes, guerras e rumores de guerra, terremotos em todo o mundo, fomes e pestes. Esses eventos ocorrerão nos dias, semanas e meses que precedem o aparecimento do Anticristo. Na verdade, Maitréia, o Cristo, aparecerá no meio desses levantes e desastres, recebendo crédito para solucioná-los. Este poder sobrenatural de solucionar todos esses desastres formará a base para a maioria da população do mundo a aceitá-lo como Messias. O Anticristo será apoiado pelos muitos falsos milagres que o Falso Profeta realizará na sua presença. O Falso Profeta convencerá a população do mundo a adorar a imagem do Anticristo (Apocalipse 13:15) sob a ameaça de morte física. Neste ponto, o Anticristo e o Falso Profeta estarão trabalhando juntos como mão e luva.
Em junho de 1993, o boletim informativo Prophecy in the News trouxe um artigo muito interessante, pois parecia preparar o cenário para o cumprimento de Daniel 9:27. A profecia de Daniel diz aqui que ele (o Anticristo) fará firme aliança com muitos por uma semana (que é uma semana de anos, não de dias). Esse período de sete anos é mais popularmente conhecido como Tribulação. O Estado de Israel foi formado em 1948 e até hoje não tem um Pacto Nacional, um equivalente de uma Declaração de Independência.
Até agora. Em 14/5/1992, os líderes religiosos e políticos judeus criaram um Pacto Nacional e anunciaram que circularia entre os líderes e o povo durante um ano inteiro. Depois, em 14/5/1993, o Pacto assinado seria oficialmente ratificado. Essa ação ocorreu conforme planejado. Agora, Israel tem um Pacto Nacional que o Anticristo poderá confirmar. Esse evento é muito interessante pois parece anunciar a aproximação do fim dos tempos. Se fosse o único sinal dos tempos, eu o rejeitaria como irrelevante; mas, é somente um dentre dezenas de profecias que estão se cumprindo agora, ou que já se cumpriram.
Brevemente, o Anticristo aparecerá afirmando ser Jesus Cristo. Ele terá o apoio de dez líderes políticos do recém-criado Governo Global das Dez Supernações e do Falso Profeta. O Falso Profeta será uma figura proeminente, pois é quem realiza a maioria dos milagres destinados a enganar a população do mundo e levá-la a adorar o Anticristo. É o Falso Profeta que faz a população mundial aceitar a marca da Besta na fronte ou na mão direita, sem o que ninguém poderá comprar ou vender. Não se engane, o Falso Profeta será alguém que estará ocupando uma posição muito importante.
No entanto, o Anticristo e os líderes da Confederação de Dez Nações detestarão o Falso Profeta e seu sistema religioso. Esse ódio será tão grande que, na primeira oportunidade possível, eles destruirão o sistema Religioso Falso, que Jesus chama de "Grande Meretriz". Vemos essa profecia em Apocalipse 17:16: "E os dez chifres que viste na besta são os que odiarão a prostituta, e a colocarão desolada e nua, e comerão a sua carne, e a queimarão no fogo." Essa descrição lembra os efeitos de uma bomba atômica; na verdade, Alice Bailey continuou sua dissertação sobre o uso de armas atômicas pelo Anticristo. Ela disse: "... a bomba atômica pertence às Nações Unidas para uso ou... ameaça de uso quando houver ação agressiva da parte de qualquer nação do mundo... Não importa se essa agressão ocorra da parte de nações ou... a Igreja de Roma, que não aprende a não se intrometer na política..." [The Externalization of the Hierarchy, pág. 548].
Assim, você pode ver a hostilidade que os planejadores da Nova Ordem Mundial têm pela Igreja Católica Romana, contra quem Alice Bailey ameaçou usar armas nucleares.
* O aparecimento do Anticristo será "precedido por um afastamento, ou um afastamento da fé ou a partida dos Santos para estarem com o Senhor". (2 Tessalonicenses 2:1-3) (Pentecost, pág. 332) Como já afirmamos repetidamente nas semanas passadas, esse abandono da fé já está ocorrendo. As igrejas protestantes liberais, que participam no Conselho Mundial de Igrejas, estão negando a divindade de Jesus Cristo, a inspiração das Escrituras, e muitas outras doutrinas fundamentais. Uma vez que esse afastamento da fé esteja suficientemente completado, o Anticristo poderá aparecer. Estamos neste ponto agora com o Conselho Nacional de Igrejas e o Conselho Mundial de Igrejas.
Se o Espírito Santo quis indicar que o afastamento mencionado anteriormente se refere ao arrebatamento dos Santos de Deus, o Anticristo só poderá ser revelado após o arrebatamento. Muitos estudiosos mantêm essa interpretação.
Somente o tempo dirá qual interpretação é correta, mas nós, cristãos, devemos estar preparados para enfrentar o aparecimento enganoso do Anticristo. Como é possível que os cristãos presenciem o aparecimento do Anticristo, como devemos saber com certeza que estamos vendo o falso? A Bíblia nos dá algumas orientações:
  1. O Falso Cristo precederá o verdadeiro.
  2. Jesus ensinou (Mateus 24:31-41) que todos os cristãos o encontrarão nos ares. Paulo reafirma esse ensino em I Tess 4:13-18. Assim, se seus pés estiverem firmes no chão quando estiver olhando para a pessoa que afirma ser Jesus Cristo, pode saber que é um Falso Cristo.
  3. A profecia bíblica indica duas vindas do Messias. Ele vem primeiro como Servo Sofredor e depois como Rei. Sabemos que Jesus cumpriu as profecias sobre o Servo Sofredor em sua primeira vinda. Quando retornar na segunda vez, virá como um Rei. Portanto, ele não repetirá as profecias sobre o Servo Sofredor, como entrar em Jerusalém montado em um jumento. No entanto, é possível que o Anticristo encene o cumprimento dessa profecia. Além disso, quando o Falso Messias aparecer, ele virá como um homem de paz, pois "soluciona" os desastres planejados do mundo. No entanto, quando Jesus Cristo retornar realmente, ele virá como um Rei Vingador, cujo primeiro ato oficial será prender o Falso Messias e o Falso Profeta, destruindo seus exércitos na batalha de Armagedom.
  4. Quando Jesus Cristo retornar, "todo olho o verá" (Apocalipse 1:7). Essa profecia não pode ser cumprida pela televisão, pois a metade da população do planeta ainda não tem aparelho de TV.
  5. O Espírito Santo selou todos os cristãos para o Dia da Redenção. Portanto, ele fará com que todo verdadeiro cristão saiba a verdade. No entanto, devemos lembrar das palavras de Jesus em Mateus 24:26: "Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto, não saiais. Eis que ele está no interior da casa; não acrediteis." Quando o Anticristo aparecer, ele será acompanhado por tremendo poder psíquico, por milagres sobrenaturais, técnicas subliminares e mensagens de controle da mente. Eu aconselharia os cristãos a não o assistirem na televisão, pois todos esses recursos estarão sendo utilizados em larga escala.
VI — Condenação
Deus já declarou que o Anticristo será lançado no lago de fogo e enxofre. Na sua segunda vinda, o Senhor Jesus Cristo pessoalmente matará o Anticristo. (Daniel 8:25) Depois disso, Deus estabelecerá seu reino para sempre. Amém.
VII — Conclusão
A Nova Ordem Mundial será o reinado do Anticristo. O aparecimento dele está próximo. As profecias bíblicas referentes aos últimos dias estão sendo cumpridas pelos planos da Nova Ordem Mundial. Os "espíritos-guia" ocultistas da Nova Era também estão dizendo que o aparecimento do Anticristo está próximo. Juntas, essas duas fontes fornecem evidência que estamos caminhando em direção ao período chamado de Tribulação. Quais ações precisamos tomar para nos prepararmos?
  1. Purificar nossos corações e nossas mentes recebendo Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Lembre-se da revelação de Deus em Daniel 11:35: "E alguns dos entendidos cairão, para serem provados, purificados, e embranquecidos..." Você está espiritualmente preparado para esse teste de purificação, se tiver que passar pela Tribulação? O primeiro passo é obter o perdão dos pecados pessoais aceitando o sacrifício de Jesus Cristo e crendo no poder remidor do sangue que ele verteu na cruz.
  2. O segundo passo é a separação deste sistema iníquo chamado mundo. As palavras de Jesus em Apocalipse 18:4 se aplicam aqui: "Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas." Muitos cristãos estão hoje tolerando o pecado em suas vidas, pois eliminá-lo pode significar sair do sistema iníquo que está criando a oportunidade para pecar. Talvez você esteja trabalhando em um emprego que requer que compre ou manipule mercadorias que sabe serem pecaminosas; talvez seu empregador exija que você atue de forma não-ética no trabalho, por exemplo, mentindo para os clientes. Talvez você esteja sabidamente envolvido em uma situação pecaminosa, como por exemplo, adultério.
AGORA é hora de abandonar toda a impiedade, purificando-se no sangue de Jesus Cristo e começar a viver em obediência aos seus mandamentos.
3. Muitos cristãos estão participando em igrejas que estão se desviando da verdadeira doutrina bíblica, tentando estar "positivo" sobre todas as "boas" coisas que a igreja está fazendo. Lembre-se das palavras de Paulo em 1 Coríntios 5:6: "Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa? Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós."
Uma pequena quantidade de falsa doutrina, ou o abandono da doutrina verdadeira, pode arruinar uma igreja. Agora é hora de todos os cristãos verdadeiros se posicionarem e defenderem a Verdade de Jesus Cristo.
4. Conhecer as Escrituras é fundamental. Você precisa iniciar um programa de leitura diária da Bíblia, memorizando versículos. Quando entrarmos na Nova Ordem Mundial, os cristãos serão perseguidos e suas Bíblias confiscadas. Daí, a importância de memorizar versículos bíblicos.
5. Oração diária é agora uma necessidade. Crie uma Lista de Pedidos de Oração e ore diariamente pelas pessoas e coisas na sua vida que precisam ser levadas diante do Senhor. A oração humilde diante do Senhor pode alcançar grandes bênçãos.

Escreva-nos e envie uma oferta, conforme Deus colocar no seu coração. ubpes@yahoo.com.br

Fernandinho não se apresenta em festival gospel e gera polêmica


O cantor gospel era a grande atração do festival gospel Sou De Cristo, na cidade de São Raimundo Nonato, Piauí. Ele não compareceu e o evento foi cancelado.

Em julho, Thalles Roberto cancelou um show na cidade de União dos Palmares, em Alagoas, alegando falta de som. O pastor Ivonélio Abraão, o contratante, disse diante de 500 pessoas que o cantor se negou a cantar pela falta de pagamento e pela falta de público e as pessoas chamaram o músico de mercenário.

Embora Thalles tenha se justificado posteriormente, o caso teve grande repercussão. Na verdade, foi parar na justiça, pois o pastor pede R$100 mil de indenização ao cantor, para cobrir o prejuízo que teve, já que não houve show.

Nesta semana, algo similar aconteceu com o cantor Fernandinho. O cantor gospel era a grande atração do festival gospel Sou De Cristo, na cidade de São Raimundo Nonato, Piauí. Ele não compareceu e o evento foi cancelado.

Open in new windowOs organizadores divulgaram que Fernandinho pediu o pagamento antecipado do cachê de R$ 45.000,00, além de avião para transportá-lo de Petrolina/PE até São Raimundo Nonato/PI. Porém, o voo que levaria o cantor até Petrolina atrasou, e a empresa de taxi aéreo que faria o transporte de Petrolina para São Raimundo, alegou que como o aeroporto não é homologado pela INFRAERO, não podia receber voos depois das 18 horas.

O cantor entrou em contato com a organização do evento, que providenciou uma van executiva, ao custo de 5.000,00 que transportaria o cantor e sua equipe pelos 300 km que separam as duas cidades. Segundo foi divulgado, o cantor teria dito que por via terrestre não iria a São Raimundo em hipótese alguma.

No local do evento, o pastor da Igreja responsável pelo festival criticou-o diante das cerca de mil pessoas presente no local: “Conheci o Fernandinho em um show no interior do nosso estado, onde ele chegou na cidade com um violão nas costa e de carro, hoje se julga superior e tão importante que só pode viajar de avião, tal atitude envergonha a classe protestante”.

Os organizadores afirmam que registraram um Boletim de Ocorrência na delegacia de São Raimundo e entrarão na justiça com uma ação pedindo a devolução do dinheiro pago além de uma indenização por quebra de contrato. Eles afirmam que o cancelamento gerou um prejuízo de cerca de 100 mil reais, incluindo a organização e divulgação do evento.

O assunto foi bastante comentado nas redes sociais nos dias seguintes. Na sexta-feira(29), Fernandinho comentou o caso em sua página do Facebook.

“Como é comum muitas vezes agirmos pela força e justiça própria, não sendo dirigidos pelo Espírito, lemos e ouvimos comentários duros e maldosos de algumas pessoas… Fomos informados que de onde estávamos faríamos pelo menos 6 horas de viagem por causa das condições da estrada que é perigosa e que traz riscos de acordo com as informações ditas pelo próprio motorista do veículo – que só ficou pronto às 19 horas (horário local), após arrumação de todo o equipamento.
Existem circunstâncias que não posso comprometer minha segurança e de toda a minha equipe. Dentro da programação, chegaríamos por volta das 13:30, mas tudo isso tornou inviável chegarmos ao local. Não havia coerência sairmos de onde estávamos para um evento que não poderia mais acontecer.
É realmente muito constrangedor escrever sobre uma situação que mexeu com o sentimento de tanta gente desse lugar e de tantos outros, de caravanas que saíram de tão longe.
Sou temente a Deus, marido e pai comprometido com minha família e não sairia de minha casa para agir de má fé. Jamais premeditaria um acontecimento desse.
Eventos? Poderia fazer apenas em lugares de fácil acesso. Dinheiro? Por favor, não é isso que move minha vida. Quero pedir desculpas por todo transtorno e inconveniente. Acima de tudo, guarde o seu coração (Provérbios 4:23). Que Deus te abençoe”.


Os comentários da postagem mostram como o assunto provoca discussões entre os evangélicos. Muitos defenderam Fernandinho, outros fizeram questionamentos a ele, em especial moradores do Piauí. Entre as muitas respostas dadas pelo cantor, ele garantiu que devolverá o dinheiro recebido dos produtores e que teria se oferecido para fazer o show em outra data, mas sua proposta não foi aceita.

Fonte: Gospel Prime com informações Acesse Piauí.

Senadores evangélicos querem enterrar proposta que criminaliza homofobia


Uma das preocupações de religiosos é que a nova lei puna criminalmente manifestações de igrejas contrárias a determinada orientação sexual.

A discussão em torno da proposta que define os crimes de discriminação ou preconceito de orientação sexual (PLC 122/2006) promete travar uma batalha no Congresso entre religiosos e apoiadores do movimento LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais). A proposta, que estava na pauta da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado, foi alvo nesta quarta-feira de críticas por representantes da bancada evangélica.

O senador Magno Malta (PR- ES) disse que o relatório que será posto em discussão na CDH, de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS) não tem consenso. "É uma mula de sete cabeças, é um monstrengo, uma anomalia. No texto do senador Paim, se você é hetero (heterossexual) no Brasil, você não tem direito a mais nada. No Brasil, para ter direito a alguma coisa, você precisa ser negro, velho, índio, portador de deficiência ou homossexual", criticou.

Uma das preocupações de religiosos é que a nova lei puna criminalmente manifestações de igrejas contrárias a determinada orientação sexual. Segundo Malta, o artigo incluído na proposta que protege a liberdade de expressão no local do culto não é suficiente, já que os cultos muitas vezes são realizados em locais públicos fora dos templos.

"Nós temos voto para matar (a proposta) em qualquer lugar, em qualquer comissão. Isso não é luta de evangélico contra homossexual, é da sociedade civil", afirmou Magno Malta.

Para protelar a discussão do assunto, a bancada evangélica, por meio do senador Eduardo Lopes (PRB- RJ), apresentou um requerimento à Mesa Diretora da Casa para que a matéria pare de tramitar separadamente e seja apensada à proposta de reforma do Código Penal. Segundo a presidente da CDH, senadora Ana Rita (PT-ES), para que esse requerimento seja votado no plenário do Senado é preciso que antes a tramitação seja concluída da CDH.

Depois de debates tensos, a leitura e votação do relatório, acabou adiada para a próxima semana, ainda sem dia definido. Apesar da pressão dos evangélicos, o adiamento foi um pedido do ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República, que já tinha marcado a reunião para discutir o projeto a ontem, mas em razão da morte do governador de Sergipe, Marcelo Déda, o encontro não aconteceu.

"A Secretaria-Geral da Presidência pediu, via José Pimentel (líder do governo no Senado), que haja essa chance de construir um entendimento em uma reunião nesta quinta-feira. Esse projeto não é bomba, é um projeto que trata de vidas, de direitos humanos", disse Paim.

Para evitar polêmicas, o termo homofobia não foi colocado especificamente na proposta. "Nem entra a palavra homofobia. Eu apenas digo que todo crime de ódio, de agressão de violência de desrespeito e quem for discriminado pela sua orientação sexual vai ter direito de recorrer à lei", explicou Paim, acrescentando que, com ou sem acordo, a proposta será votada na semana que vem.

No relatório distribuído nesta quarta-feira, além dos templos religiosos, o relator também diz que as opiniões manifestadas em eventos religiosos ficam resguardadas e portanto não podem ser punidas. Depois de votada na CDH a proposta ainda vai passar pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado e depois pelo plenário da Casa.

Fonte: A Crítica

Senadores evangélicos querem enterrar proposta que criminaliza homofobia


Uma das preocupações de religiosos é que a nova lei puna criminalmente manifestações de igrejas contrárias a determinada orientação sexual.

A discussão em torno da proposta que define os crimes de discriminação ou preconceito de orientação sexual (PLC 122/2006) promete travar uma batalha no Congresso entre religiosos e apoiadores do movimento LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais). A proposta, que estava na pauta da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado, foi alvo nesta quarta-feira de críticas por representantes da bancada evangélica.

O senador Magno Malta (PR- ES) disse que o relatório que será posto em discussão na CDH, de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS) não tem consenso. "É uma mula de sete cabeças, é um monstrengo, uma anomalia. No texto do senador Paim, se você é hetero (heterossexual) no Brasil, você não tem direito a mais nada. No Brasil, para ter direito a alguma coisa, você precisa ser negro, velho, índio, portador de deficiência ou homossexual", criticou.

Uma das preocupações de religiosos é que a nova lei puna criminalmente manifestações de igrejas contrárias a determinada orientação sexual. Segundo Malta, o artigo incluído na proposta que protege a liberdade de expressão no local do culto não é suficiente, já que os cultos muitas vezes são realizados em locais públicos fora dos templos.

"Nós temos voto para matar (a proposta) em qualquer lugar, em qualquer comissão. Isso não é luta de evangélico contra homossexual, é da sociedade civil", afirmou Magno Malta.

Para protelar a discussão do assunto, a bancada evangélica, por meio do senador Eduardo Lopes (PRB- RJ), apresentou um requerimento à Mesa Diretora da Casa para que a matéria pare de tramitar separadamente e seja apensada à proposta de reforma do Código Penal. Segundo a presidente da CDH, senadora Ana Rita (PT-ES), para que esse requerimento seja votado no plenário do Senado é preciso que antes a tramitação seja concluída da CDH.

Depois de debates tensos, a leitura e votação do relatório, acabou adiada para a próxima semana, ainda sem dia definido. Apesar da pressão dos evangélicos, o adiamento foi um pedido do ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República, que já tinha marcado a reunião para discutir o projeto a ontem, mas em razão da morte do governador de Sergipe, Marcelo Déda, o encontro não aconteceu.

"A Secretaria-Geral da Presidência pediu, via José Pimentel (líder do governo no Senado), que haja essa chance de construir um entendimento em uma reunião nesta quinta-feira. Esse projeto não é bomba, é um projeto que trata de vidas, de direitos humanos", disse Paim.

Para evitar polêmicas, o termo homofobia não foi colocado especificamente na proposta. "Nem entra a palavra homofobia. Eu apenas digo que todo crime de ódio, de agressão de violência de desrespeito e quem for discriminado pela sua orientação sexual vai ter direito de recorrer à lei", explicou Paim, acrescentando que, com ou sem acordo, a proposta será votada na semana que vem.

No relatório distribuído nesta quarta-feira, além dos templos religiosos, o relator também diz que as opiniões manifestadas em eventos religiosos ficam resguardadas e portanto não podem ser punidas. Depois de votada na CDH a proposta ainda vai passar pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado e depois pelo plenário da Casa.

Fonte: A Crítica

Senadores evangélicos querem enterrar proposta que criminaliza homofobia


Uma das preocupações de religiosos é que a nova lei puna criminalmente manifestações de igrejas contrárias a determinada orientação sexual.

A discussão em torno da proposta que define os crimes de discriminação ou preconceito de orientação sexual (PLC 122/2006) promete travar uma batalha no Congresso entre religiosos e apoiadores do movimento LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais). A proposta, que estava na pauta da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado, foi alvo nesta quarta-feira de críticas por representantes da bancada evangélica.

O senador Magno Malta (PR- ES) disse que o relatório que será posto em discussão na CDH, de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS) não tem consenso. "É uma mula de sete cabeças, é um monstrengo, uma anomalia. No texto do senador Paim, se você é hetero (heterossexual) no Brasil, você não tem direito a mais nada. No Brasil, para ter direito a alguma coisa, você precisa ser negro, velho, índio, portador de deficiência ou homossexual", criticou.

Uma das preocupações de religiosos é que a nova lei puna criminalmente manifestações de igrejas contrárias a determinada orientação sexual. Segundo Malta, o artigo incluído na proposta que protege a liberdade de expressão no local do culto não é suficiente, já que os cultos muitas vezes são realizados em locais públicos fora dos templos.

"Nós temos voto para matar (a proposta) em qualquer lugar, em qualquer comissão. Isso não é luta de evangélico contra homossexual, é da sociedade civil", afirmou Magno Malta.

Para protelar a discussão do assunto, a bancada evangélica, por meio do senador Eduardo Lopes (PRB- RJ), apresentou um requerimento à Mesa Diretora da Casa para que a matéria pare de tramitar separadamente e seja apensada à proposta de reforma do Código Penal. Segundo a presidente da CDH, senadora Ana Rita (PT-ES), para que esse requerimento seja votado no plenário do Senado é preciso que antes a tramitação seja concluída da CDH.

Depois de debates tensos, a leitura e votação do relatório, acabou adiada para a próxima semana, ainda sem dia definido. Apesar da pressão dos evangélicos, o adiamento foi um pedido do ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República, que já tinha marcado a reunião para discutir o projeto a ontem, mas em razão da morte do governador de Sergipe, Marcelo Déda, o encontro não aconteceu.

"A Secretaria-Geral da Presidência pediu, via José Pimentel (líder do governo no Senado), que haja essa chance de construir um entendimento em uma reunião nesta quinta-feira. Esse projeto não é bomba, é um projeto que trata de vidas, de direitos humanos", disse Paim.

Para evitar polêmicas, o termo homofobia não foi colocado especificamente na proposta. "Nem entra a palavra homofobia. Eu apenas digo que todo crime de ódio, de agressão de violência de desrespeito e quem for discriminado pela sua orientação sexual vai ter direito de recorrer à lei", explicou Paim, acrescentando que, com ou sem acordo, a proposta será votada na semana que vem.

No relatório distribuído nesta quarta-feira, além dos templos religiosos, o relator também diz que as opiniões manifestadas em eventos religiosos ficam resguardadas e portanto não podem ser punidas. Depois de votada na CDH a proposta ainda vai passar pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado e depois pelo plenário da Casa.

Fonte: A Crítica

Nelson Mandela morre aos 95 anos


O líder sul-africano Nelson Mandela, 95, morreu nesta quinta (5) em sua residência, em Johannesburgo, para onde havia sido levado no dia 1º de setembro após passar quase três meses internado para tratamento de uma infecção pulmonar.

O ex-presidente vivia em Johannesburgo com a mulher Graça Machel, viúva de Samora Machel (1933-1986), ex-presidente moçambicano.

Mandela foi o maior símbolo de combate ao regime de segregação racial conhecido como apartheid, que foi oficializado em 1948 na África do Sul e negava aos negros (maioria da população), mestiços e asiáticos (uma expressiva colônia de imigrantes) direitos políticos, sociais e econômicos.

A luta contra a discriminação no país o levou a ficar 27 anos preso, acusado de traição, sabotagem e conspiração contra o governo em 1963. Condenado à prisão perpétua, Mandela foi libertado em 11 de fevereiro de 1990, aos 72 anos. Durante sua saída, o líder foi ovacionado por uma multidão que o aguardava do lado de fora do presídio.

Em 1993, Nelson Mandela recebeu o prêmio Nobel da Paz por sua luta contra o regime do apartheid. Na ocasião, ele dividiu o prêmio com Frederik de Klerk, ex-presidente da África do Sul que iniciou o término do regime segregacionista e o libertou da prisão.

Um ano depois, em 1994, Mandela foi eleito presidente da África do Sul, após a convocação das primeiras eleições democráticas multirraciais no país. Sua vitória pôs fim a três séculos e meio de dominação da minoria branca na nação africana.

Ao tomar posse, o líder negro adotou um tom de reconciliação e superação das diferenças. Um exemplo disso foi a realização da Copa Mundial de Rúgbi, em 1995, no país. O esporte era uma herança do período colonial e, por isso, boicotado pelos negros, por representar o governo dos brancos.

Nos dois anos seguintes, a Constituição definitiva e o processo de transição foram concluídos. Entre os anos de 1996 e 1998, o arcebispo Desmond Tutu liderou a Comissão de Verdade e Reconciliação para apurar crimes cometidos durante o apartheid, e foram abertos processos judiciais para pagamentos de indenizações às vítimas do regime.

Mandela deixou a presidência em 1999 e passou a se dedicar a campanhas para diminuir os casos de Aids na África do Sul, emprestando seu prestígio para arrecadar fundos para o combate à doença.

Em 2004, aos 85 anos, ele anunciou que se retiraria da vida pública para passar mais tempo com a família e os amigos. Já aos 92 anos, o líder sul-africano dificilmente participava de qualquer tipo de evento, devido à saúde frágil.

Durante a Copa do Mundo de 2010, realizada na África do Sul, Mandela compareceu apenas ao encerramento da Copa, devido à morte de sua bisneta Zenani Mandela, em um acidente de carro logo depois da festa de abertura.

História

Mandela era filho do conselheiro do chefe máximo do vilarejo de Qunu, localizado na atual província do Cabo Oriental, onde nasceu, a 18 de julho de 1918. Aos sete anos, tornou-se o primeiro membro da família a frequentar a escola, onde lhe foi dado o nome inglês "Nelson". Aos 16 anos, seguiu para o Instituto Clarkebury, na mesma província, onde teve contato com a cultura ocidental pela primeira vez.

Ele então ingressou na faculdade de Direito da Universidade de Fort Hare, no município de Alice. Logo no primeiro ano de curso, Mandela se envolveu com o movimento estudantil e com o boicote às políticas universitárias. Tal atitude resultou em sua expulsão da instituição no segundo ano, mas ali ele iniciou sua militância.

A partir de então mudou-se para Johannesburgo e envolveu-se na oposição ao regime do apartheid. Ele começou a fazer parte do partido negro CNA (Congresso Nacional Africano, fundado em 1912) em 1942 e, em 1944, criou a Liga Juvenil do partido, com o manifesto "um homem, um voto".

Depois da eleição de 1948, que deu vitória aos afrikaners do Partido Nacional, apoiadores da política de segregação racial, Mandela tornou-se mais ativo no CNA. Ele participou do Congresso do Povo, em 1955, que divulgou a Carta da Liberdade --documento que continha um programa fundamental para a causa antiapartheid.

Comprometido de início apenas com atos não-violentos, Mandela e seus colegas aceitaram recorrer às armas após o massacre de Sharpeville, ocorrido em março de 1960, quando a polícia sul-africana atirou em manifestantes negros, matando 69 pessoas e ferindo 180. Em 1961, fundou a ala armada do CNA - Umkhonto we Sizwe (a Lança da Nação) - para combater a discriminação do apartheid.

Prisão

Acusado de crimes capitais no julgamento de Rivonia, em 1963, a declaração que deu, no banco dos réus, foi sua afirmação de posição política: "Tenho defendido o ideal de uma sociedade democrática e livre, na qual todas as pessoas convivam em harmonia e com oportunidades iguais. É um ideal pelo qual espero viver e que espero alcançar. Mas, se for preciso, é um ideal pelo qual estou preparado para morrer". Em 1964, Mandela foi condenado à prisão perpétua.

No decorrer do tempo em que ficou preso, Mandela se tornou de tal modo associado à oposição ao apartheid que o clamor "Libertem Nelson Mandela" se tornou o lema das campanhas antiapartheid em vários países.

Durante os anos 1970, ele recusou uma revisão da pena e, em 1985, não aceitou a liberdade condicional em troca de não incentivar a luta armada. Mandela continuou na prisão até fevereiro de 1990, quando foi libertado em 11 de fevereiro, aos 72 anos, pelo presidente Frederik Willem de Klerk, que também revogou a proibição do CNA e de outros movimentos de libertação.

Nelson Rolihlahla Mandela deixou a prisão Victor Verster caminhando ao lado de Winie Madikizela, sua esposa na época. Ele havia passado os últimos 27 anos de sua vida atrás das grades por ousar se opor ao regime racista que dominava a África do Sul. Um mar de pessoas o aguardava nas ruas para dar início finalmente à edificação da democracia sul-africana.

Como presidente do CNA (de julho de 1991 a dezembro de 1997) e primeiro presidente negro da África do Sul (de maio de 1994 a junho de 1999), Mandela comandou a transição do regime racista, o apartheid, ganhando respeito internacional.

Em 1999, Mandela conseguiu eleger seu sucessor, Thabo Mbeki, que posteriormente foi obrigado a deixar a presidência, devido a uma manobra política do seu maior rival dentro do CNA, Jacob Zuma.

Casamentos, separações e aposentadoria
Mandela casou-se três vezes. Sua primeira esposa foi Evelyn Ntoko Mase, de quem se divorciou em 1957, após 13 anos de casamento. Em seguida, casou-se com Winie Madikizela, e com ela ficou por 38 anos. O Open in new windowcasal se divorciou em 1996, após suas divergências políticas virem a público. No seu 80º aniversário, Mandela casou-se com Graça Machel, com quem esteve até os dias atuais.

Depois de deixar a presidência, Mandela passou a dedicar suas forças ao combate à Aids na África do Sul, levantando milhões de dólares para enfrentar a epidemia da doença. Seu único filho morreu vítima de Aids em 2005.

Ainda fora da Presidência, Mandela ganhou uma série de títulos e homenagens, como a Ordem de St. John, da rainha da Inglaterra, Elizabeth 2ª.; a medalha presidencial da Liberdade, do então presidente dos Estados Unidos George W. Bush; o Bharat Ratna (a distinção mais alta da Índia); a Ordem do Canadá, dentre outros.

Apesar de ter ganho a condecoração de Bush, Mandela realizou uma série de pronunciamentos, em 2003, em que atacava a política externa do presidente americano.

Em junho de 2004, Mandela anunciou que se retiraria da vida pública. Mas a militância continuou. Em 2007, comemorou o 89° aniversário criando um grupo internacional de estadistas idosos e altamente respeitados, incluindo seus colegas Prêmios Nobel da Paz Desmond Tutu e o ex-presidente americano Jimmy Carter, para combater problemas mundiais, que incluem as mudanças climáticas, o combate à Aids e à pobreza.

A comemoração de seu aniversário de 90 anos foi um ato público com shows, que ocorreu em Londres, em julho de 2008, e contou com a presença de artistas e celebridades engajadas nessas lutas.

Em 2009, com aparência frágil, o ex-presidente sul-africano compareceu a um comício eleitoral do CNA para ajudar a eleger Jacob Zuma, atual presidente do país.
GP

Exposição que mostra pedofilia e zoofilia provoca bate boca entre deputados

Não foi só nas redes sociais que a mostra “QueerMuseu” gerou debates e bate boca. Na noite desta terça-feira (12) o assunto foi amplam...