quarta-feira, 8 de abril de 2015

“A aliança me faz crer contra a esperança”, diz Apóstolo

Nesta terça-feira (7), aconteceu o início do “Jejum de Vitórias de Daniel”, com a ministração do Apóstolo Estevam Hernandes. O culto realizado no Renascer Hall foi transmitido para todas as igrejas Renascer em Cristo e pela Rede Gospel de Televisão.
“Durante 21 dias, nós vamos consagrar café e todos os tipos de pães. Faremos também sete orações por dia, cada uma com três minutos de duração, ou seja, serão 21 minutos por dia. Vamos exercitar nossa fé e buscar ter mais comunhão com o Senhor”, explicou ele.
Confira a seguir o resumo da ministração:
Tema: A aliança que te leva a conquistar
Textos base:
Hebreus 11:9 a 17 “Pela fé, peregrinou na terra da promessa como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa; porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador. Pela fé, também, a própria Sara recebeu poder para ser mãe, não obstante o avançado de sua idade, pois teve por fiel aquele que lhe havia feito a promessa. Por isso, também de um, aliás já amortecido, saiu uma posteridade tão numerosa como as estrelas do céu e inumerável como a areia que está na praia do mar.
Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra. Porque os que falam desse modo manifestam estar procurando uma pátria. E, se, na verdade, se lembrassem daquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar. Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade. Pela fé, Abraão, quando posto à prova, ofereceu Isaque; estava mesmo para sacrificar o seu unigênito aquele que acolheu alegremente as promessas”
Romanos 4: 14 a 21 “Pois, se os da lei é que são os herdeiros, anula-se a fé e cancela-se a promessa, porque a lei suscita a ira; mas onde não há lei, também não há transgressão. Essa é a razão por que provém da fé, para que seja segundo a graça, a fim de que seja firme a promessa para toda a descendência, não somente ao que está no regime da lei, mas também ao que é da fé que teve Abraão (porque Abraão é pai de todos nós, como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí.), perante aquele no qual creu, o Deus que vivifica os mortos e chama à existência as coisas que não existem.
Abraão, esperando contra a esperança, creu, para vir a ser pai de muitas nações, segundo lhe fora dito: Assim será a tua descendência. E, sem enfraquecer na fé, embora levasse em conta o seu próprio corpo amortecido, sendo já de cem anos, e a idade avançada de Sara, não duvidou, por incredulidade, da promessa de Deus; mas, pela fé, se fortaleceu, dando glória a Deus, estando plenamente convicto de que ele era poderoso para cumprir o que prometera.”
“Nós vamos falar hoje sobre o poder da aliança que traz vitórias. Daniel era um homem de aliança, era fiel aos amigos Hananias, Misael e Azarias, desde a época em que eles moravam em Jerusalém. O principal indicador de quem é fiel são os seus relacionamentos. Quem é infiel com o próximo também é infiel com Deus”, afirmou.
“Estamos vivendo um tempo de imoralidades, de pessoas que não têm palavra, de pessoas que são fieis apenas aos próprios interesses. Nós estamos, gradativamente, vendo valores espirituais se diluindo. Muitas pessoas questionam: ‘Será mesmo que eu tenho que jejuar?’. É uma determinação bíblica. Jejum é uma arma espiritual”, explicou.
“Existem pessoas que estão vivendo de forma inconsequente. A grande verdade é que todos nós enfrentaremos o juízo de Deus. Há uma eternidade pela frente! Essa eternidade tem que ser conquistada em nossa vida terrena. Do Senhor, ninguém zomba! O que o homem semear, isso também colherá!”, conscientizou.  
“Abraão estava numa situação em que ele tinha que se libertar de todas as suas deformações para fazer uma aliança profunda. Ele recebeu um chamado: ‘Saia da sua terra, da sua parentela para ir para a terra que Eu vou te mostrar’. Abraão ainda não tinha intimidade com Deus. Aquela foi a primeira vez que Deus falou com ele. Mas Abraão era uma pessoa predisposta a conhecer mais ao Senhor. Deus está procurando pessoas que tenham esse coração. Deus procura pessoas que deixem seu passado para trás para buscarem uma relação mais profunda com Ele”, declarou.
“Para que você possa viver essa aliança, você precisa ter autoridade”, ressaltou.
Mateus 8:11 “Digo-vos que muitos virão do Oriente e do Ocidente e tomarão lugares à mesa com Abraão, Isaque e Jacó no reino dos céus.
“O que Abraão, Isaque e Jacó plantaram na terra fez com que eles ficassem em um lugar superior da eternidade”, explicou Apóstolo Estevam.
“Nós estamos em uma aliança superior. Abraão sofreu mais em sua aliança, porque ele não estava no período da graça. Hoje, o caminho está aberto por Jesus Cristo, para alcançarmos essa aliança superior e autoridade”, afirmou.
“O que essa autoridade proporciona? Um poder de conquista. Abraão foi chamado para ser um conquistador. Há duas opções que você pode fazer: se conformar na sua derrota ou ser mais que vencedor em Jesus!, através da fé”, ressaltou.
“A fé nos traz a conquista! A fé é o caminho da nossa conquista!”, conscientizou.
“Abraão creu contra a esperança. Crer contra a esperança é não ter saída, aos olhos humanos, mas ter a certeza da vitória no seu interior. Nós sabemos em quem nós temos crido”, declarou.
Romanos 8: 1 “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus”.
“Com o passar do tempo, Abraão começou a prosperar, mas nem tudo estava indo bem em sua vida. Ele não conseguia ter filhos. Deus havia prometido que a descendência de Abraão seria como as estrelas do céu! Sabe, se ainda o que Deus prometeu para você não aconteceu é porque o tempo certo ainda não chegou”, disse.  
“Mesmo nesse tempo de espera, Abraão não enfraqueceu, pelo contrário, ele se fortaleceu na fé. A ausência do realizar de Deus não pode frustrar quem tem aliança. Abraão lutou mais de 35 anos contra sentimentos derrotistas. Enquanto Sara era jovem, ainda havia esperança. Mas Sara, além de estéril, já era idosa. Mesmo assim, Abraão creu que Deus lhe daria um filho! A aliança nos faz crer contra a esperança!”, explicou.
“A fé de Abraão gerou a fé de Daniel. A fé de Abraão gerou a fé em nós. Essa fé tem que permanecer em nós!”, afirmou.
Lucas 18:8 “Digo-vos que, depressa, lhes fará justiça. Contudo, quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, fé na terra?”
O que a fé de Abraão gerou:
1- Eu quero ouvir a voz de Deus!
Gênesis 12:1 “Ora, disse o SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei...”
Isaias 1:19 “Se quiserdes e me ouvirdes, comereis o melhor desta terra.”
“O jejum te faz comer o melhor da terra! O melhor da terra é a Palavra de Deus”, declarou.
2- O chamado de Deus vai transformar minha história
Deus te chamou para cinco coisas poderosas:
1- Para ser filho
2- Para ser luz
3- Para ser uma bênção
4- Para ser próspero
5- Para ser sacerdote do Altíssimo
“Deus vai mudar o seu nome, assim como mudou o de Abraão, e você verá com seus olhos o cumprimento da promessa!”, ministrou.
Redação iGospel

Por serem cristãs, crianças são perseguidas em escola no Turcomenistã


Por serem cristãs, crianças são perseguidas em escola no Turcomenistão
Em uma escola de ensino médio do Turcomenistão, no quadro de avisos localizado no hall da escola, foram expostas fotos dos alunos cujos pais são cristãos, membros da igreja evangélica local. Junto às fotos, lia-se: "Estes são os filhos dos pais sectários*, fiquem atentos e vigilantes!"
Todas essas crianças foram colocadas sob responsabilidade direta do diretor e precisam se apresentar frequentemente em seu escritório, como se fossem especialmente perigosas.
É sabido que existe um falso estereótipo em países da Ásia Central, de que todos os cristãos, exceto os ortodoxos e católicos, são seguidores de seitas ocidentais e, por isso, são perseguidos e duramente hostilizados.
Ore para que Deus transforme essa situação; as crianças expostas correm risco e sofrem ameaças diárias, interceda pela segurança delas e de seus pais.

GANHANDO OS ESPAÇOS - Movimento negro e hip-hop ajudam a atrair fiéis ao islamismo nas comunidades carentes


Kaab Al Qadir já foi César Matheus. Muçulmano e morador da Favela Cultura Física, em Embu das Artes, na Grande São Paulo, ele diz ter conhecido o Islã há cerca de 20 anos.
 
A palavra do profeta Maomé chegou até as mãos dele pelo livro do ativista americano Malcom X, um dos maiores defensores do nacionalismo negro nos Estados Unidos.
 
Na época, ele ainda cumpria pena por ter vivido no sistema, como ele se refere ao mundo do crime.
 
Não gosta de falar sobre o passado dentro da cadeia nem o motivo que o levou para lá, mas afirma que foi graças ao Islã que a vida dele mudou.
 
Após conhecer a religião montou um grupo de rap chamado Organização Jihad Brasil. Na religião, a palavra jihad significa empenho, esforço ou até mesmo luta para difundir a teoria do islã a outras pessoas.
 
Porém, o nome também virou sinônimo para Guerra Santa, o que, de acordo com Kaab, lhe trouxe problemas. As letras eram pesadas aos ouvidos dos muçulmanos, pois mesclavam termos da religião com palavrões. Isso fez com que ele saísse do grupo. 
 
Atualmente, ele coordena uma associação que faz trabalhos sociais na Favela Cultura Física. A entidade promove saraus de rap e palestras sobre intolerância religiosa.
 
Kaab também mantém uma pequena sala de orações, chamada de Mussala. O espaço é frequentado por cerca de 20 pessoas semanalmente.
Lá ele não perde a oportunidade de falar sobre o Islã e tentar desmistificar o estigma de religião, tachada de terrorista. Já chegaram a procurá-lo achando que a sala de orações dele era um esconderijo de armas. 
  
Em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, conhecemos a história de Honerê Al-Amin. Registrado como Carlos Soares Correa, ele nasceu na periferia de Diadema e tem hoje 38 anos, 19 dedicados ao Islã.
 
Engajado no movimento negro e também no hip-hop, Honerê chegou até a religião pelos livros de história e hoje é considerado um dos principais interlocutores da religião muçulmana na periferia da Grande São Paulo.
 
As histórias de Honerê e Kaab tem um ponto comum: ambos conheceram o islã pelo movimento negro ou pela cultura hip-hop.
 
Para a pesquisadora Bianca Tomassi, que em seu trabalho de mestrado estudou a música como propagação da religião na favela, não se trata de uma coincidência e sim um o resgate de uma memória.
Kaab Al Qadir e Aniza Zafira, na Favela Cultura Física, em Embu das Artes  (Crédito: César Rosati/CBN)Kaab Al Qadir e Aniza Zafira, na Favela Cultura Física, em Embu das Artes 
(Crédito: César Rosati/CBN)

duração: 04:46
Ouvir


Leia mais: http://cbn.globoradio.globo.com/series/a-periferia-e-os-filhos-do-isla/2015/04/07/MOVIMENTO-NEGRO-E-HIP-HOP-AJUDAM-A-ATRAIR-FIEIS-AO-ISLAMISMO-NAS-COMUNIDADES-CARENTES.htm#ixzz3Wlb3y6Y6

Debate: pastor evangélico Maçom grau 33 X pastor evangélico ex-Maçom gra...

Som Livre é a primeira gravadora secular à receber homenagem do setor gospel da OMB

Som Livre é a primeira gravadora secular à receber homenagem do setor gospel da OMB


 
 
Na tarde da última terça-feira, 07, o setor gospel da Som Livre recebeu o Diploma de Honra ao Mérito da Ordem dos Músicos do Brasil (OMB) – Conselho Regional do Estado de São Paulo. A homenagem que, pela primeira vez é dada a uma gravadora secular, celebra o reconhecimento ao trabalho realizado, enaltecendo a arte e a cultura brasileira. Na ocasião, representando o departamento, Márcio Moreira (Marketing), recebeu o prêmio das mãos do Diretor Nacional do Setor, Gilvandro Oliveira Filho.

 

Márcio Moreira

Com ataque à Globo, Domingo Espetacular debate a arte com apologia à pedofilia

Programa Domingo Espetacular, na Record TV O debate sobre as exposições de arte com apologia à pedofilia e outros temas no Brasil marc...