quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Projeto de levar Internet Wi-Fi por balões já tem data para chegar ao Brasil

Em breve, regiões remotas do Brasil receberão Internet Wi-Fi distribuída através de balões. Chamado de "Projeto Conectar", uma iniciativa do Governo brasileiro, apresenta as mesmas características do Google Loon, que utiliza uma rede de balões lançados no ar para fornecer acesso à Internet sem fio. Conexões podem chegar até 100 MB e a previsão é que comece a funcionar no primeiro semestre de 2015.
Projeto "Conectar" é muito parecido com o Google Loon (Foto: Reprodução/The Next Web)

Projeto conectar é muito parecido com o Google Loon (Foto: Reprodução/The Next Web) (Foto: Projeto conectar é muito parecido com o Google Loon (Foto: Reprodução/The Next Web))O Projeto Conectar é uma parceria entre a Telebrás, o Instituto Nacional de Pesquisas e Tecnologia – INPE e o Ministério das Comunicações, e pretende levar Internet via Wi-Fi através de balões para comunidades distantes do centros urbanos do país.
Segundo o INPE, todo o sistema será monitorado de perto. “O balão portando transceptores será lançado a 240 metros de altura e fará os enlaces via rádio com um ponto fixo em Cachoeira Paulista e com um veículo do INPE que transportará uma varredura da qualidade de conexão até 50 Km de distância do balão”, explica o coordenador do projeto, José Ângelo Neri.
O Governo brasileiro disse que a tecnologia utilizada apresenta menor custo de implementação e facilita que regiões de difícil acesso e que não possuem serviços de conexão à Internet sejam abrangidas pelo projeto. “O custo é muito menor do que o de uma torre de transmissão. A instalação é mais fácil e o alcance é maior”, disse em outubro o Secretário de Telecomunicação do Ministério das Comunicações, Maximiliano Martinho.
O Projeto Conectar passará por duas fases importantes antes de sua implementação. Os primeiros testes acontecerão na cidade paulistana de Cachoeira Paulista, onde os primeiros balões transportando transceptores serão lançados. Caso obtenham sucesso nos testes, os primeiros protótipos industriais começarão a ser desenvolvidos e levados para todas as regiões carentes do Brasil, inclusive para a região Amazônica.
No mês de outubro, representantes do Google vieram apresentar o Google Loon ao Governo brasileiro na tentativa de fechar uma parceria. No entanto, o assunto não era novidade por aqui, já que o Projeto Conectar estava em desenvolvimento desde maio de 2013.
Ainda segundo informações do INPE, após as conclusões dos testes o governo deverá escolher em 2014 o modelo mais adequado de balão e as empresas que participarão no desenvolvimento do protótipo. Agora é só esperar até 2015 pra ver os balões do Projeto Conectar no ar. 

http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2013/12/projeto-de-levar-internet-wi-fi-por-baloes-ja-tem-data-para-chegar-ao-brasil.html

Manual que defende surra para controlar filho gera polêmica nos EUA


Sucesso entre os evangélicos, o livro "To Train Up a Child" ("Treinando uma Criança", em tradução livre) – do pastor Michael Pearl e sua esposa Debbie, com mais de 800 mil cópias vendidas nos EUA, pode ter influenciado na morte de três crianças.

Um livro com conselhos para pais que defende surras em crianças com cintos e galhos faz sucesso há anos entre evangélicos conservadores radicais nos Estados Unidos, com centenas de milhares de cópias já vendidas.

Mas agora a morte de três crianças filhas de pais supostamente influenciados pelo livro provocou críticas aos autores e deu início a uma campanha para bani-lo de livrarias.

O livro "To Train Up a Child" ("Treinando uma Criança", em tradução livre) – do pastor Michael Pearl e sua esposa Debbie – descreve em minúcias as punições consideradas ideais em cada caso. Para crianças malcomportadas com menos de um ano, o livro sugere uma régua de 30cm ou um galho pequeno de chorão. Para crianças maiores, galhos maiores ou cintos.

O objetivo da surra é submeter às crianças às vontades dos seus pais.

"Treinar é condicionar a mente da criança antes que surja uma crise; é uma preparação para obediência futura, instantânea e sem questionamentos", afirma o primeiro capítulo do livro.

O "treinamento" começa cedo na vida da criança. Caso ela seja muito malcomportada, os autores sugerem que os pais "usem toda a força necessária para vencê-los".

"Se você precisar sentar em cima dela para bater nela, não hesite. E segure ele nessa posição até que ele se renda. Derrote-o completamente", afirma o livro.

Galhos quebrados
Hannah (nome falso) cresceu em uma comunidade de cristãos batistas no noroeste do Estado da Flórida. Seus pais leram o livro do casal Pearl quando ela tinha nove anos de idade, e sua irmã, sete.

Pouco depois disso, ela começou a apanhar. Isso durou por mais oito anos. Nos primeiros cinco anos, as surras aconteciam com muita frequência – várias vezes ao dia.

Houve uma vez em que o pai de Hannah ficou sabendo de uma briga da filha na escola, quando ela tinha 14 ou 15 anos.

"Eu nem sei exatamente do que estavam me acusando, mas meu pai simplesmente perdeu a cabeça", conta Hannah.

Ele usou réguas e paus para bater na filha, chegando a quebrar cinco galhos durante a surra. A sua mãe mantinha galhos nos armários, já que eles quebravam com as surras e precisavam ser substituídos.

"Nas semanas seguintes, eu não conseguia sentar direito [devido à dor] e ele me dizia 'pare de fazer melodrama, o que há de errado com você?' Minha mãe me examinou e [a região próxima ao meu cóccix] estava ferida e inchada."

Hoje aos 20 anos, Hannah conta que seu pai ficou tão chocado que nunca mais bateu na filha. Mas a mãe continuou com a prática, usando um pedaço de plástico que deixava menos marcas na pele.

Para Hannah, seus pais foram iludidos com a sugestão dada pelo livro de Pearl de que uma simples fórmula é capaz de controlar as crianças.

"O problema é que [Pearl] diz que você precisa 'quebrar' seus filhos. E para chegar nesse ponto é preciso ser completamente tirânico."

800 mil cópias
"To Train Up a Child" é considerado nos Estados Unidos um dos livros mais radicais sobre educação conservadora.

Publicado em 1994 por uma organização não governamental chefiada por Michael Pearl no Estado do Tennessee, o livro trata o ambiente escolar como nocivo às crianças, por não ser suficientemente religioso.

A entidade disse ter arrecadado US$ 1,5 milhão no ano fiscal de 2012 a 2013. O livro foi responsável por 60% desta receita. A organização trabalha ativamente na promoção do livro, enviando cópias para soldados americanos no Iraque e no Afeganistão.

Segundo o pastor, mais de 800 mil cópias foram vendidas. Nos últimos anos, a vendagem se manteve estável, mesmo após críticas feitas na imprensa.

"Nós temos vários milhões de pessoas muito felizes e pais contentes e crianças que perceberam os ótimos e maravilhosos frutos do livro e de outras coisas que escrevemos", diz Pearl.

Mortes e campanha
Em 2010, a menina Lydia Schatz morreu no Estado da Califórnia após ser espancada pelos pais. No ano seguinte, a jovem Hana Williams morreu de hipotermia e inanição, depois de ter sido aprisionada em um jardim de uma casa no Estado de Washington.

Os pais de Schatz estão cumprindo pena de prisão, depois de terem se declarado culpados de crimes como assassinato e tortura. Já os pais de Williams foram condenados em outubro a décadas de prisão por homicídio.

Os investigadores dos dois casos disseram que cópias do livro "To Train Up a Child" foram encontradas nas casas das duas famílias.

O promotor Michael Ramsey, encarregado pelo caso Schatz, disse que os pais não estão isentos de responsabilidade no assassinato da filha, mas acusou o livro de influenciar negativamente as pessoas a se comportarem desta forma.

Um terceiro episódio em que o livro foi acusado de influenciar pais ocorreu na Carolina do Norte, onde uma criança morreu sufocada pela mãe, que usou um cobertor.

Nos três casos, as crianças receberam surras com artefatos de plástico exatamente como os descritos por Michael Pearl em seu livro.

Mas o autor nega que o livro possa provocar abusos deste tipo, dizendo que o livro é contra brutalidade ou contra a violência como forma de liberar raiva.

"Nenhum tribunal, polícia ou agência de proteção à criança jamais nos acusou de fazer qualquer coisa que coloque em risco a vida de crianças", diz.

Mas críticos condenam os métodos descritos no livro e dizem que eles podem incentivar abusos.

Um professor de psicologia da Universidade Metodista de Dallas, George Holden, lançou uma campanha na internet pedindo à Amazon e outras lojas de livros que parem de oferecer "To Train Up a Child" em seus catálogos.

Um abaixo-assinado em apoio a esta campanha já angariou 200 mil assinaturas e teve repercussões fora dos Estados Unidos. Duas grandes cadeias de livrarias na Grã-Bretanha – a Waterstones e a Foyles – já anunciaram que retiraram o livro de seus catálogos ou pararam de acumular estoques.

A Amazon deu sinais de que não vai mudar sua política.

"Este livro foi amplamente debatido na imprensa e na Amazon por anos, e qualquer um que queira expressar seus pontos de vista sobre este título está livre para fazê-lo na página do produto em nosso site", disse a empresa, em uma nota à imprensa.

Fonte: BBC Brasil

Papa Francisco é eleito a personalidade do ano pela revista Time


Primeiro pontífice latino-americano, o papa Francisco foi eleito a figura do ano de 2013 pela revista americana Time. Ao justificar a escolha, a publicação enfatiza que, "com foco na compaixão", o líder da Igreja Católica representa uma “nova voz da consciência”.

De acordo com a Time, “raramente um novo ator da cena mundial captou tanto e tão rapidamente a atenção dos mais novos e dos mais velhos, dos crentes e dos céticos”.

Entre os candidatos à personalidade do ano também estavam o ex-consultor de empresa que prestava serviços à Agência Nacional de Segurança (NSA) dos Estados Unidos, Edward Snowden; o presidente da Síria, Bashar Al Assad; a ativista Edith Windsor, que conseguiu que o Supremo Tribunal dos Estados Unidos decretasse a inconstitucionalidade de restringir o casamento a pessoas heterossexuais; e Ted Cruz, senador republicano norte-americano que foi uma das mais vozes de bloqueio à reforma do sistema de saúde dos Estados Unidos.

Ressaltando a humildade do pontífice, a editora executiva da revista, Nancy Gibbs, disse que, em menos de um ano, o papa Francisco "fez algo notável: não mudou as palavras, mas mudou a música”. Ela enfatizou que ele ataca “a idolatria do dinheiro” e propõe alterações concretas: ordena uma investigação às finanças internas do Vaticano, recusa viver no palácio, optando por um “hotel poupado”, substitui “o Mercedes papal por um Ford Focus usado”, deixa de lado os sapatos vermelhos e a cruz dourada em volta do pescoço.

Arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mario Bergoglio foi eleito chefe da Igreja Católica em março deste ano, após a renúncia do papa Bento XVI. Ele também é o primeiro a assumir o pontificado com o antecessor vivo em 600 anos. Nascido na capital argentina em 17 de dezembro de 1936, entrou em 1958 na Companhia de Jesus e foi ordenado padre em 1969. Também foi mestre de noviços e professor de teologia.

Em 2012, a revista Time escolheu como personalidade do ano o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Fonte: DM

MP denuncia dupla que quebrou santos católicos durante a JMJ


MP denuncia dupla que quebrou santos católicos durante a JMJMP denuncia dupla que quebrou santos católicos durante a JMJ
Dois manifestantes que protestaram durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) estão sendo denunciados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) por vilipendiarem santos e imagens católicas.
Os acusados são Raissa Senra Vitral e Gilson Rodrigues Silva Junior que foram até a concentração do evento na praia de Copacabana para tumultuar o encontro religioso. De acordo com a denúncia Raissa esfregou uma imagem católica em suas partes íntimas e depois introduziu uma cruz no ânus de Gilson.
“Os denunciados, com consciência e vontade, vilipendiaram publicamente santos e imagens católicas, quebrando-os intencionalmente para demonstrar o seu desprezo e preconceito pela religião católica”, diz a denúncia.
Esse foi um dos protestos mais violentes que aconteceram durante a visita do Papa Francisco ao Brasil. Enquanto milhões de pessoas, de diversas partes do mundo, vieram participar do JMJ, grupos de manifestantes quiseram protestar contra a influência da Igreja Católica na sociedade brasileira com gestos obscenos, beijos gays e pedidos para a liberação do aborto. Com informações Terra 

Há muitos animadores de auditório e poucos pregadores da Palavra, diz pastor


Há muitos animadores de auditório e poucos pregadores da Palavra, diz pastorHá muitos animadores de auditório e poucos pregadores da Palavra
Em um texto postado no Facebook, o reverendo Augustus Nicodemus Lopes explica os motivos que o levam a não acreditar que o Brasil esteja passando por um avivamento espiritual.
Enquanto muitos chamam de avivamento as cruzadas de evangelização, os shows gospel, e as manifestações do Espírito, o pastor presbiteriano diz que há outros fatores a serem considerados para afirmar que há avivamento.
“Historicamente, os avivamentos espirituais foram responsáveis diretos por transformações de cidades inteiras, mudanças de leis e transformação de culturas. Durante o grande avivamento em Northampton, Estados Unidos, dois séculos atrás, bares, prostíbulos e casernas foram fechados, por falta de clientes e pela conversão dos proprietários”, diz.
Outro ponto citado é referente ao mercado gospel, há muitos shows acontecendo em todas as partes do Brasil, mas para Augustus Nicodemus sobra música e falta ensino bíblico. “Nunca os evangélicos cantaram tanto e nunca foram tão analfabetos de Bíblia. Nunca houve tantos animadores de auditório e tão poucos pregadores da palavra de Deus.”
O reverendo lembra do avivamento da época de Esdras em Israel quando as pessoas ficaram por horas em pé somente para ouvir a Palavra de Deus. “Não vemos nada parecido hoje. A venda de CDs e DVDs com shows gospel cresce em proporção geométrica no Brasil e ultrapassa em muito a venda de Bíblias”, explica ele.
Ainda falando sobre adoração, ele afirma que “há muitos suspiros, gemidos, sussurros, lágrimas, olhos fechados e mãos levantadas ao alto, mas pouco arrependimento, quebrantamento, convicção de pecado, mudança de vida e santidade”.
O despertamento dos corações também é outro fator que caracteriza o avivamento, assim como a união dos verdadeiros crentes, assim como o conhecimento da verdade do Evangelho.
“Há uma mescla de verdade e erro, de emoções genuínas e falsas, de conversões verdadeiras e de imitações, experiências reais com Deus e mero emocionalismo”, continua Nicodemus que lamenta que muitos cristãos reformados falem pouco sobre o tema e não orem pelo avivamento no país.

GP

Há muitos animadores de auditório e poucos pregadores da Palavra, diz pastor


Há muitos animadores de auditório e poucos pregadores da Palavra, diz pastorHá muitos animadores de auditório e poucos pregadores da Palavra
Em um texto postado no Facebook, o reverendo Augustus Nicodemus Lopes explica os motivos que o levam a não acreditar que o Brasil esteja passando por um avivamento espiritual.
Enquanto muitos chamam de avivamento as cruzadas de evangelização, os shows gospel, e as manifestações do Espírito, o pastor presbiteriano diz que há outros fatores a serem considerados para afirmar que há avivamento.
“Historicamente, os avivamentos espirituais foram responsáveis diretos por transformações de cidades inteiras, mudanças de leis e transformação de culturas. Durante o grande avivamento em Northampton, Estados Unidos, dois séculos atrás, bares, prostíbulos e casernas foram fechados, por falta de clientes e pela conversão dos proprietários”, diz.
Outro ponto citado é referente ao mercado gospel, há muitos shows acontecendo em todas as partes do Brasil, mas para Augustus Nicodemus sobra música e falta ensino bíblico. “Nunca os evangélicos cantaram tanto e nunca foram tão analfabetos de Bíblia. Nunca houve tantos animadores de auditório e tão poucos pregadores da palavra de Deus.”
O reverendo lembra do avivamento da época de Esdras em Israel quando as pessoas ficaram por horas em pé somente para ouvir a Palavra de Deus. “Não vemos nada parecido hoje. A venda de CDs e DVDs com shows gospel cresce em proporção geométrica no Brasil e ultrapassa em muito a venda de Bíblias”, explica ele.
Ainda falando sobre adoração, ele afirma que “há muitos suspiros, gemidos, sussurros, lágrimas, olhos fechados e mãos levantadas ao alto, mas pouco arrependimento, quebrantamento, convicção de pecado, mudança de vida e santidade”.
O despertamento dos corações também é outro fator que caracteriza o avivamento, assim como a união dos verdadeiros crentes, assim como o conhecimento da verdade do Evangelho.
“Há uma mescla de verdade e erro, de emoções genuínas e falsas, de conversões verdadeiras e de imitações, experiências reais com Deus e mero emocionalismo”, continua Nicodemus que lamenta que muitos cristãos reformados falem pouco sobre o tema e não orem pelo avivamento no país.

GP

Igreja Anglicana pode nomear primeiro bispo gay


Igreja Anglicana pode nomear primeiro bispo gayIgreja Anglicana pode nomear primeiro bispo gay
Uma lista de futuros bispos da Igreja Anglicana da Inglaterra traz o nome de Jeffrey John. Se for aprovado sua ordenação ele será o primeiro bispo gay da história da igreja.
John é decano de Saint Albans, ele mantém uma união civil com o reverendo Grant Holmes, e há muitos anos tenta alcançar o episcopado.
O que atrapalhou o religioso de conquistar o cargo foram os membros mais conservadores do clero que aceitam sacerdotes homossexuais, mas não a ordenação de bispo.
Agora o sonho de Jeffrey John poderá se realizar, pois desde janeiro as normas internas da Igreja Anglicana foram alteradas e a denominação passou a aceitar homossexuais.
A condição para que um sacerdote gay seja ungido a bispo é ter um trato de abstinência sexual, mesmo que tenha uma união civil, e se arrepender das atividades do passado.
Ao mesmo tempo em que a ordenação de bispos homossexuais pode se concretizar, a ordenação de mulheres ainda enfrenta barreiras. Esse ano algumas reuniões já foram feitas para mudar as regras sobre a participação das mulheres no bispado, mas o assunto só será votado novamente em 2014. Com informações Exame Abril.

Justiça ordena reintegração de Ivan Bastos como tesoureiro da CGADB


Justiça ordena reintegração de Ivan Bastos como tesoureiro da CGADBJustiça reintegra Ivan Bastos como tesoureiro da CGADB
O juiz José Renier da Silva Guimarães, da 5ª Vara Cível de Manaus (AM) decidiu nesta segunda-feira (9) que o pastor Ivan Bastos deve ser reintegrado ao cargo de 1º Tesoureiro da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB).
Ivan Bastos foi destituído do cargo durante a AGE realizada na sede da Assembleia de Deus Belenzinho, em São Paulo, por conta de um processo disciplinar movido pela Mesa Diretora da CGADB.
Na decisão, o juiz Silva Guimarães declarou que os motivos para o desligamento do tesoureiro estavam descritos em “termos vagos e genéricos”.
“Seria de rigor que houvesse não somente a descrição do conteúdo do CD/DVD, mas também das condutas individualizadas dos autores, com a menção clara e objetiva dos tipos de ofensas proferidas contra o presidente da CGADB”, sentenciou.
O pastor foi escolhido no começo do ano para assumir a tesouraria da Convenção quando o processo contra ele e outros três pastores (Samuel Câmara, Jônatas Câmara e Sóstenes Apólos) já estava em andamento.
Por conta da eleição, o julgamento de Ivan Bastos precisou acontecer em uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) onde os pastores votaram de forma democrática sobre o caso. Com a decisão do juiz, a CGADB não pode apresentar agravo de instrumento, mas pode apelar em instância superior para não reaver o cargo do pastor.
O mesmo deve acontecer com o pastor Jônatas Câmara que também foi beneficiado pela decisão da 5ª Vara Cível de Manaus.
O pastor Samuel Câmara também conseguiu na justiça uma sentença ordenando sua reintegração. A carta com a assinatura do juiz já está na sede da Convenção, que fica no Rio de Janeiro, como comunicou o pastor Geremias do Couto em seu blog, mas a Mesa Diretora pode recorrer em Segunda Instância.

Justiça ordena reintegração de Ivan Bastos como tesoureiro da CGADB


Justiça ordena reintegração de Ivan Bastos como tesoureiro da CGADBJustiça reintegra Ivan Bastos como tesoureiro da CGADB
O juiz José Renier da Silva Guimarães, da 5ª Vara Cível de Manaus (AM) decidiu nesta segunda-feira (9) que o pastor Ivan Bastos deve ser reintegrado ao cargo de 1º Tesoureiro da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB).
Ivan Bastos foi destituído do cargo durante a AGE realizada na sede da Assembleia de Deus Belenzinho, em São Paulo, por conta de um processo disciplinar movido pela Mesa Diretora da CGADB.
Na decisão, o juiz Silva Guimarães declarou que os motivos para o desligamento do tesoureiro estavam descritos em “termos vagos e genéricos”.
“Seria de rigor que houvesse não somente a descrição do conteúdo do CD/DVD, mas também das condutas individualizadas dos autores, com a menção clara e objetiva dos tipos de ofensas proferidas contra o presidente da CGADB”, sentenciou.
O pastor foi escolhido no começo do ano para assumir a tesouraria da Convenção quando o processo contra ele e outros três pastores (Samuel Câmara, Jônatas Câmara e Sóstenes Apólos) já estava em andamento.
Por conta da eleição, o julgamento de Ivan Bastos precisou acontecer em uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) onde os pastores votaram de forma democrática sobre o caso. Com a decisão do juiz, a CGADB não pode apresentar agravo de instrumento, mas pode apelar em instância superior para não reaver o cargo do pastor.
O mesmo deve acontecer com o pastor Jônatas Câmara que também foi beneficiado pela decisão da 5ª Vara Cível de Manaus.
O pastor Samuel Câmara também conseguiu na justiça uma sentença ordenando sua reintegração. A carta com a assinatura do juiz já está na sede da Convenção, que fica no Rio de Janeiro, como comunicou o pastor Geremias do Couto em seu blog, mas a Mesa Diretora pode recorrer em Segunda Instância.