terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Número de casos de microcefalia sobe para 1.248


O número de casos suspeitos de microcefalia passou de 739 para 1.248, em menos de uma semana, de acordo com dados do Ministério da Saúde divulgados nesta segunda-feira, 30. As notificações foram feitas em 311 municípios distribuídos em 13 Estados e no Distrito Federal. Os casos foram registrados no Nordeste, Centro-Oeste e atingem também o Sudeste, com 13 ocorrências em investigação no Rio. Foram ainda notificadas 7 mortes, das quais uma foi confirmada até o momento. Todos os casos são de bebês que já nasceram. Ainda não há estimativas sobre quantos bebês em gestação apresentam a má-formação que, em 90% dos casos, pode levar à deficiência mental.

No último sábado, 28, conforme adiantou o jornal O Estado de S.Paulo, o Ministério da Saúde confirmou a relação entre a má-formação e a infecção pelo zika vírus, durante o período de gestação. O diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Mairevovitch, afirmou que a comprovação não muda no primeiro momento as orientações. Gestantes devem reforçar o uso de repelentes, proteger-se contra mosquitos e evitar o contato de pessoas que apresentem sintomas da doença (febre baixa, coceiras e manchas vermelhas pelo corpo).

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, afirmou que todos os produtos com registro no País são considerados seguros para uso. Ao mesmo tempo, é preciso ampliar os esforços para prevenir e combater os criadouros do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Mairevotich afirmou que os recursos previstos para o combate ao vetor estão mantidos. "Estamos elaborando um plano em conjunto do governo para reforçar as ações de combate", disse.

O governo está estabelecendo um consenso sobre como definir os casos de microcefalia. Mairerovitch observou que nem todos os casos relatados podem estar relacionados ao vírus. A doença, até agora considerada rara, também pode ser provocada por infecções da gestante por herpes, toxoplasmose, citomegalovírus e também por doenças genéticas. A ideia é fazer um protocolo para classificação de casos que possam ser usados pelo conjunto de serviços públicos de saúde, que não necessitem de exames muito elaborados, como testes genéticos.

O controle da doença, de acordo com o diretor, está intimamente ligado ao controle do vetor. O vírus zika entrou no Brasil neste ano. Até agora, não há um tratamento específico para a doença. Daí a necessidade de se acabar com o Aedes aegypti, disse Maierovitch. "Provavelmente conviveremos com esse problema durante um tempo. Não há maneira abrupta de se combater as doenças transmitidas pelo mosquito vetor", alertou. De acordo com ele, o detalhamento de planos estaduais devem intensificar esse combate, com envolvimento de vários segmentos do governo para o combate. Uma nova campanha para combate ao mosquito começou agora.

O Ministério da Saúde iniciou um conjunto de ações para dar garantias assistenciais para crianças e famílias de microcefalia. Em Pernambuco, ambulatórios especializados foram estruturados em hospitais de referência. "Há um contato próximo com secretarias porque as necessidades de cada
local são diferenciadas", disse.

Fonte: Estadão

Igreja, políticos e personalidades serão alvo de investigação de abusos sexuais de menores


Uma investigação em larga escala acerca de décadas de abusos sexuais de menores no Reino Unido vai visar políticos e membros das igrejas Anglicana e Católica, bem como várias personalidades públicas.

Os esclarecimentos acerca do inquérito foram feitos esta sexta-feira pela juíza encarregue do caso. Lowell Goddard disse que “o abuso sexual de crianças na Igreja tem sido uma preocupação nacional e internacional há muitos anos. As pesquisas serão alargadas a outras comunidades religiosas, o que conduzirá a mais investigações”.

Goddard explicou que também serão visadas instituições acusadas de falhar na resposta ao fenómeno e, sobretudo, de encobrir abusos em benefício de figuras do Parlamento britânico, espiões e agentes das forças de segurança.

O Inquérito, que deverá prolongar-se por cinco anos e custar 18 milhões de libras, foi ordenado em julho de 2014, depois de sairem à luz do dia vários escândalos que datavam até aos anos 70. Entre os casos de maior relevo, está o do falecido apresentador de televisão da BBC, Jimmy Savile, que abusou impunemente de centenas de vítimas durante décadas.


Fonte: EuroNews

África do Sul luta para colocar limites em falsos profetas


Fiéis que engolem serpentes, ratos e petróleo; pastores que pulam em cima da barriga de uma pessoa ou obrigam o crente a tirar a roupa. Um verdadeiro circo dedicado a Deus e à expansão da fortuna de religiosos e que o governo sul-africano tenta banir.

A Comissão para os Direitos Culturais, Religiosos e Linguísticos da África do Sul (CRL Rights Commission) abriu uma investigação para punir a "comercialização da religião" e "o abuso" da fé alheia, com a qual estes pastores conseguem suculentos lucros financeiros.

O alerta soou em julho deste ano, quando a imprensa sul-africana publicou fotos do pastor Penuel Mnguni, de Pretória, fazendo os fiéis engolirem cobras vivas para provar a fé que diziam ter. Mnguni, do Ministério do Fim dos Tempos, foi denunciado pela Sociedade Protetora de Animais, criticado pelo Conselho de Igrejas Sul-Africanas (SACC) e o templo foi incendiado por cidadãos indignados com sua conduta. Foi detido, mas apesar de tudo, as acusações foram retiradas por falta de provas.

A proliferação deste tipo de ritual levou à CRL Rights Commission a tomar medidas, e o "pastor das serpentes" e vários de seus colegas de outras seitas já foram convocados a depor.

Recentemente, líderes religiosos como Lesego Daniel, do Rabboni Ministries Centre, famoso por fazer seus seguidores beberem petróleo para curar dores físicas, protestaram neste mês na sede da comissão em Johanesburgo, onde receberam o apoio da congregação. Usando elegantes ternos, estavam rodeados de guarda-costas e chegaram em luxuosos carros que eles conduzem graças às doações dos milhares de fiéis, à venda de produtos religiosos e ao marketing próprio.

Outro manifestante era o bispo Steven Zondo, da Rivers of Living Waters Ministries, que disse que a comissão era formada por "adoradores do diabo" e estava repleta de "Anticristos".

A CRL Rights Commission também convocou o popular bispo Mosa Sono, da Grace Bible Church, que deve dar explicações de suas finanças, e o profeta Paseka Motsoeneng, da Igreja dos Acontecimentos Incríveis, acusado de pedir favores sexuais a algumas fiéis para exorcizá-las.

O "pastor das serpentes" permanece em paradeiro desconhecido. Ele foi convocado para dar explicações por fazer os crentes de sua igreja comerem ratos, pelo e pedaços de roupa.

"Ele deve responder perante a nós. Deve nos dizer se é certo, a partir de seu ponto de vista religioso, fazer alguém comer serpentes, ratos e pelo humano", afirmou a presidente da CRL, Thoko Mkhwanazi-Xaluva.

Além de um caro estilo de vida, todos estes pastores têm em comum a suposta capacidade de operar milagres, a prática de conduzir grandes e acalorados sermões - frequentemente realizados em lugares abertos - e o fato de inserirem conteúdos apocalípticos em seus discursos.

A audiência é composta em grande parte de cidadãos negros e pobres, com baixa escolaridade tanto da África do Sul quanto de países vizinhos, que se entregam ao carisma desses pastores em busca de esperança. São atraídos pelas promessas de salvação e pela vibração de celebrações cheias de música e dança, que fazem do culto um espetáculo dominical que representa a única opção de lazer.


Fonte: Terra

Divórcios cresceram mais de 160% na última década no Brasil, aponta IBGE

Imagem redimensionada

O número de divórcios no País cresceu mais de 160% na última década, de acordo com dados da pesquisa Estatísticas do Registro Civil 2014, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta segunda-feira (30).

Os dados mostram que, somente no ano passado, foram registrados no País 341,1 mil divórcios, um salto significativo em relação a 2004, quando foram 130,5 mil separações judiciais.

A nova pesquisa mostra de forma ainda mais enfática a nova realidade em relação aos casamentos quando são analisados os dados de anos anteriores, quando os divórcios chegaram a representar menos de 10% do que atualmente.

Em 1984, por exemplo, primeiro ano da investigação, a pesquisa contabilizou um total de 30,8 mil divórcios. Em 1994, dez anos depois, o aumento já ficou claro, com o registro de 94,1 mil dissoluções de casamentos, um acréscimo de 205,1% em relação ao dado anterior. Em 2004, o aumento foi percentualmente menor, 38,7%.

Na avaliação do IBGE, a elevação sucessiva ao longo dos anos do número de divórcios concedidos revela “uma gradual mudança de comportamento da sociedade brasileira, que passou a aceitá-lo com maior naturalidade e a acessar os serviços de Justiça de modo a formalizar as dissoluções dos casamentos”.

Nas últimas três décadas (de 1984 a 2014), o número de divórcios cresceu de 30,8 mil para 341,1 mil, com a taxa geral de divórcios passando de 0,44 por mil habitantes na faixa das pessoas com 20 anos ou mais de idade, em 1984, para 2,41 por mil habitantes em 2014. A maior incidência de divórcios deu-se no Distrito Federal (3,74 por grupo de mil) e a menor no Amapá (1,02).

A idade média das mulheres na data da sentença do divórcio, em 2014, era 40 anos, enquanto a dos homens era 44 anos. Apesar de persistir a predominância das mulheres na responsabilidade pela guarda dos filhos menores de idade a partir do divórcio (85,1%), em 2014, a pesquisa detectou um crescimento de 3,5% nos pedidos da guarda compartilhada, em 1984, para 7,5%, em 2014.


Fonte: Último Segundo - iG

Pastor morre após ser baleado em ataque a clínica de abortos, nos EUA


Pastor morre após ser baleado em ataque a clínica de abortos, nos EUA
Na última sexta-feira, o ataque a um das clínicas da Planned Parenthood, no Estado do Colorado, levou à morte o policial e pastor, Garrett Swasey.
Ao total, três pessoas morreram e outras nove ficaram feridas no ataque. Um homem de 59 anos de idade, Robert Lewis Querida, foi preso.
Investigadores conversaram com o suspeito da autoria do ataque e têm concluído que homem seria algum tipo de militante extremista contra o aborto.
De acordo com o New York Times, Swasey foi descrito por seus colegas, membros de sua igreja e amigos, como um homem corajoso e um pai amoroso que chamou à força e inspiração de sua fé cristã.
Swasey era casado, pai de duas crianças pequenas e servia no campus da Universidade do Colorado. Ele atuou como co-pastor da igreja 'Hope Chapel Colorado Springs' por sete anos.
Outro co-pastor, Scott Dontanville, que conhecia Swasey há 15 anos, disse: "Ele era um cara que trabalhava em tempo integral como um policial, e, em seguida, disponibilizou grande quantidade de tempo para sua igreja local e não recebeu um centavo para fazê-lo. Ele fez isso porque era a coisa que ele sentiu que precisava fazer".
Amigo de Swasey co-pastor, Kurt Aichele disse que, quando foi confirmada a morte de Swasey, ele e outros amigos da família se reuniram em sua casa, onde sua esposa deu a notícia para seus filho de 10 anos de idade e sua filha de seis anos de idade.
"Ela teve que dizer a seus filhos que seu pai não ia mais voltar para casa", disse Aichele.
Apesar de ter morrido no cumprimento de seu dever como policial, o oficial Swasey "discordava da indústria do aborto", de acordo com aqueles que o conhecem melhor.

Temporal provoca estragos, derruba igreja e mata uma pessoa no Piauí


Temporal provoca estragos, derruba igreja e mata uma pessoa no Piauí
Um forte temporal atingiu algumas cidades da região sul do Piauí na noite desta quinta-feira (26) e causou vários estragos. Na cidade de Fartura do Piauí, a 568 km de Teresina, uma igreja evangélica desmoronou e uma pessoa acabou morrendo. De acordo com moradores da cidade, a chuva veio acompanhada de granizo.

Um culto havia acabado de ser realizado no templo religioso. O estudante Adriano Braga, 22 anos, estava na igreja e contou que a celebração foi encerrada mais cedo por causa dos relâmpagos. No entanto, dois homens permaneceram no local para fechar as portas e as janelas do templo quando foram surpreendidos com o desmoronamento.

Florisvaldo Neves, 56 anos, obreiro que zelava a igreja, ficou debaixo dos escombros e ainda chegou a ser levado em estado grave para o Hospital Regional Senador Cândido Ferraz, em São Raimundo Nonato, mas acabou morrendo.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) fez o socorro da vítima. O outro homem também ficou ferido, mas não corre risco de morrer, segundo os moradores da cidade.

A professora Maria Selma Rodrigues mora a poucos metros da igreja e descreveu ao G1 como tudo aconteceu. Segundo ela, o temporal com muitos raios e ventos fortes começou após as 20h e assustou todos os moradores. Várias casas da cidade foram destelhadas.

"Foi um temporal com granizo, um terror. Derrubou vários muros das casas, a igreja, um posto de combustíveis e uma torre de telefonia rural. A chuva começou entre 20h e 21h e a parede do muro da minha casa também caiu e molhou tudo na residência", relatou a moradora.

Além da cidade de Fartura do Piauí, o temporal também causou diversos estragos em São Raimundo Nonato, a 530 km da capital. Placas de publicidade, árvores e parte de um posto de combustíveis também vieram abaixo. De acordo com moradores, a placa de outdoor caiu sobre um veículo no bairro Aldeia.