quarta-feira, 26 de março de 2014

Após oito assaltos, padre do Recife protesta e fiéis deixam de ir à missa

Padre Marcelo Júnior usou ironia em faixas para protestar contra assaltos. (Foto: Hans von Manteuffel / Agência O Globo)Padre Marcelo Júnior usou ironia em faixas para protestar
(Foto: Hans von Manteuffel / Agência O Globo)
Cansado de esperar atitude das autoridades competentes, o padre Marcelo Marques Santana Júnior resolveu protestar contra os constantes assaltos que a matriz de São Sebastião e a capela de Santo Amaro das Salinas têm sofrido. À frente da paróquia há um ano e meio, o religioso já contabilizou oito arrombamentos aos dois templos do bairro de Santo Amaro, um dos mais violentos do Recife. Quem passa pela matriz agora pode ver duas faixas, onde se lê: "Senhor ladrão, não precisa entrar, infelizmente seus amigos já levaram tudo" e "Viva a impunidade brasileira". "O tom irônico é proposital mesmo, para chamar a atenção das autoridades e da sociedade", diz.
Na madrugada do sábado (22), ladrões invadiram a capela de Santo Amaro das Salinas e levaram tudo o que viram pela frente. "Perdemos o sistema de som, com mesa e microfones, os instrumentos, o sistema de iluminação, com refletores e lâmpadas, os ventiladores, e o dinheiro ofertado pelos fiéis, que estavam em dois cofres, além de todo o material litúrgico, como castiçais e crucifixos. Levaram até os extintores e os garrafões de água mineral", lamenta o padre. De acordo com ele, a igreja estima um prejuízo de R$ 15 mil. 
Segundo o religioso, após todos os arrombamentos ele prestou queixa formal. "Tenho todos os BOs (Boletins de Ocorrência) emitidos pela Polícia Militar. Em todas as vezes, com exceção dessa última, também formalizei queixa junto à Polícia Civil", conta. Até agora, ninguém foi preso e nenhum bem foi recuperado. "Não vi nenhum tipo de movimentação das autoridades", diz o sacerdote.
A violência já forçou a igreja a suspender a missa das quartas-feiras na capela de Santo Amaro. De acordo com padre Marcelo, com medo, os fiéis deixaram de frequentá-la, porque começava às 19h. "Servimos a comunidade de duas formas: com a construção religiosa, com o culto, e com a construção humana, com o serviço social. E também nessa área estamos prejudicados, pois oferecemos cursos de inglês e estamos tendo que interromper a aula para que os jovens possam tomar ar, já que estamos sem ventilador", lamenta.
Com a divulgação que as faixas trouxeram, o padre espera que finalmente as autoridades voltem os olhos para o problema. "O estado, de forma organizada, tem que fazer um trabalho com a comunidade, oferecendo educação de qualidade, aliado a um trabalho de polícia sério, de ressocialização. Não adianta fazer uma batida com pancadaria e depois passar seis meses sem ir à comunidade. Tem que haver um trabalho que resgate as pessoas".

http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2014/03/padre-do-recife-protesta-com-faixas-apos-oito-assaltos-igrejas.html

Terroristas muçulmanos atacam igreja a tiros, matando 6 fiéis e ferindo outros 21

Terroristas muçulmanos atacam igreja a tiros, matando 6 fiéis e ferindo outros 21
Um novo ataque armado a uma igreja matou 6 fiéis e feriu outros 21 na cidade de Mombasa, no Quênia, na manhã do último dia 23 de março, durante o culto matinal dominical. Os terroristas entraram na Igreja Pentecostal Alegria em Jesus pela porta dos fundos, após matar um obreiro de 60 anos que fazia a vigilância.
Os sobreviventes afirmaram que os homens armados eram “três ou quatro” e adeptos do islamismo: “É doloroso que alguém pode entrar na igreja e disparar, matando pessoas, incluindo crianças. Isto é totalmente inaceitável e a comunidade muçulmana tem que fazer alguma coisa para dar um fim nisso”, afirmou o bispo Benson Muthama, dirigente da Igreja Pentecostal Atos.
O bispo católico de Malindi confirmou os relatos dos sobreviventes numa entrevista à agência de notícias Fides: “De acordo com o que me foi dito, um homem armado entrou atirando pela porta dos fundos da igreja, enquanto os outros dois cúmplices estavam na porta principal para evitar que os fiéis de escapassem”.
As igrejas cristãs da cidade estão enfrentando um aumento de ameaças e ataques muçulmanos. O bispo Benson Muhtama afirmou que aparentemente os radicais islâmicos estão dando sinais de que não vão mais tolerar cristãos na região.
Na última semana, duas pessoas foram presas na cidade dirigindo um carro-bomba após uma denúncia anônima. Apesar da prisão, o alvo dos terroristas não foi identificado.


G+