segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Chat vai discutir direitos previdenciários de casais homossexuais

 

Beto Oliveira
Jô Moraes: a resistência dentro da Câmara ao projeto está diminuindo, sendo restrita a alguns setores.
Dep. Jô Moraes (PDdoB-MG)A Agência Câmara de Notícias promove nesta terça-feira (22), às 10 horas, chat com a deputada Jô Moraes (PCdoB-MG) sobre o Projeto de Lei 6297/05, que permite a inclusão de parceiro homossexual entre os dependentes de funcionário público da União – para possibilitar o recebimento de pensão – ou de segurado do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A proposta altera a Lei de Benefícios da Previdência Social (8.213/91).
Para participar, basta entrar no site da agência (www.camara.gov.br/agencia) e clicar no link para o bate-papo.
O projeto é do deputado licenciado Maurício Rands (PT-PE), mas a deputada apresentou um substitutivo na Comissão de Seguridade Social e Família retirando a pensão dos servidores públicos por considerar inconstitucional essa iniciativa, que, segundo ela, deveria ser apresentada pelo Executivo. O substitutivo ainda não foi votado.
Atualmente, o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) já paga 1,7 mil pensões para companheiros e companheiras homossexuais de segurados do Regime Geral da Previdência Social (RGPS).
Se seu navegador não puder executar o áudio, <a href='http://imagem.camara.gov.br/internet/midias/Radio/2011/11/rdflash20111110-LH-0014-wma-028.wma' _fcksavedurl='http://imagem.camara.gov.br/internet/midias/Radio/2011/11/rdflash20111110-LH-0014-wma-028.wma'>obtenha o áudio</a> e salve-o em seu computador.
Ouça reportagem da Rádio Câmara sobre o tema.
Decisões judiciais
Segundo o diretor do Departamento do Regime Geral da Secretaria de Políticas de Previdência Social do Ministério da Previdência, Rogério Constanzi, desde 2001 já estão sendo concedidos benefícios aos companheiros homossexuais, com base em decisões judiciais.
A partir da publicação da Portaria 513/10 do Ministério da Previdência, que reconhece os direitos previdenciários de companheiros gays que tenham mantido relação estável com segurados, o benefício de pensão por morte está sendo concedido administrativamente. Ainda assim, Constanzi ressalta a importância de o Congresso Nacional aprovar o PL 6297/05, para conferir segurança jurídica à medida.
O Ministério da Previdência regulamentou o assunto com base em parecer da Advocacia Geral da União (AGU) com recomendação nesse sentido. Em maio deste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu a união estável de pessoas do mesmo sexo. A decisão do STF não tem, porém, caráter de norma legal. Já em outubro deste ano, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) reconheceu o casamento civil entre homossexuais.
Beto Oliveira
Pastor Marco Feliciano
Pastor Marco Feliciano: "O Congresso representa a vontade do povo."
Deputados presentes a uma audiência pública sobre o assunto, realizada neste mês pela Comissão de Seguridade, criticaram o fato de o Poder Judiciário estar tomando decisões polêmicas antes de o Poder Legislativo se manifestar sobre elas. "O Congresso representa a vontade do povo", disse o deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), que solicitou a audiência. “O que manda agora não é a lei, é a jurisprudência”, afirmou o deputado Ronaldo Fonseca (PR-DF). Ele questiona a portaria do Ministério da Previdência, por ter sido editada com base em decisão judicial, e não na legislação.
Custos para a Previdência
O consultor da Câmara e advogado Francisco Lúcio Pereira Filho afirmou que a Comissão de Seguridade Social deve refletir sobre qual é o conceito de família que quer estabelecer ao analisar o PL 6297/05. Para ele, o conceito de família envolve a possibilidade de procriação.
Na visão do advogado, aprovar o projeto de lei poderia gerar discriminação contra pessoas que também mantêm relação estável de afeto e convívio permanente, mas não fazem sexo entre si, como irmãs solteiras de segurados ou filhas celibatárias com pais viúvos. Segundo o consultor, se o princípio constitucional de igualdade é evocado pelos homossexuais para conseguir direitos previdenciários, também poderá ser evocado por essas pessoas. “Mas a inclusão de todas essas pessoas na Previdência poderia gerar custos muito grandes para a sociedade”, disse.
O representante do Ministério da Previdência Social explicou, porém, que essa hipótese não é possível. Contanzi lembrou que, no RGPS, podem ser beneficiários, na condição de dependentes do segurado, o cônjuge, o companheiro e o filho não emancipado, menor de 21 anos ou inválido. "Por isso a irmã de um segurado do INSS que falece não recebe pensão", explicou.
“Como os critérios legais para a concessão de pensão reconhecem a união estável, e não apenas o casamento, o companheiro homossexual não pode ser discriminado”, complementou Constanzi.
O procurador do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, Antonio Rodrigo de Sousa, ressaltou que a Constituição protege a família e que em nenhum lugar da Carta Magna está explicitado que esse conceito de família envolve a procriação. "O papel da Câmara, neste instante, é regulamentar o princípio da não discriminação, estabelecida na Constituição", acrescentou.
Substitutivo
Para Jô Moraes, “a opção sexual da pessoa não interessa ao Direito Previdenciário”. Ela formulou parecer favorável à proposta e apresentou substitutivo, que aguarda votação na Comissão de Seguridade Social.
Jô Moraes acredita que a resistência dentro da Câmara ao PL 6297/05 está diminuindo, sendo restrita a alguns setores da bancada evangélica. O deputado Pastor Marco Feliciano, por exemplo, já anunciou que apresentará voto em separado ao substitutivo de Jô Moraes.

Íntegra da proposta:

Da Reportagem/ RCA

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara de Notícias'

MEDITAÇÃO DO DIA

Um Toque de Gentileza

Vocês devem se vestir de misericórdia, bondade, gentileza e paciência. Colossenses 3:12, New Century Version


O famoso jogador de golfe Tiger Woods há alguns anos fez um contrato com a Nike no valor de cem milhões de dólares. Foi um dos contratos mais caros da história do esporte. Na propaganda, ele aparecia da cabeça aos pés usando produtos Nike: boné, camiseta, luvas, tênis e até a própria bola de golfe trazia a marca Nike.


Paulo diz a todos os cristãos: “Abram seu guarda-roupa e da cabeça aos pés revistam-se de gentileza.” Mesmo na cultura atual, em que todo mundo está com pressa, a gentileza aparece impondo calma, trazendo um clima pacífico, deixando o caminho sem rugas. Ela mostra o poder da graça e da cortesia. Ajuda a manter a si mesmo (a “fera” interior) sob controle. É a atitude de dar aos idosos, senhoras e crianças a preferência onde seja devido.


Quando comecei a substituir na Revista Adventista o tio Luiz, como era carinhosamente chamado o pastor Luiz Waldvogel, numa rápida passada por Hortolândia, levei um pequeno poema para que ele o traduzisse. Disse que passaria no fim da tarde para ver como estava. E no jeitinho frágil, com sua voz delicada, ele se desculpou, mas disse que tinha alguma coisa pronta. Vejam que primor de tradução neste poema intitulado “O sermão vivo”:


“Prefiro ver um sermão, a ouvi-lo pregado um dia; / A que alguém mostre o caminho, prefiro-lhe a companhia; / O olhar melhor se comporta do que o ouvido tão somente, / O bom conselho confunde – o exemplo faz bem à gente. / O melhor dos pregadores é o que vive a pregação, / Pois o que todos desejam é ver o bem em ação. / Aprenderei bem depressa se o modo você mostrar, / Vejo moverem-se as mãos – a língua pode enganar; / Sermões que você profere podem ser bons e ser sábios; / Mas lições prefiro ver, a só ouvi-las dos lábios; / Pode o aviso ser complexo demais para eu compreender, / Mas seus atos, sua vida, ninguém deixa de entender” (Autor desconhecido).


A rudeza que alguns chamam de “franqueza” não vai atrair ninguém para o evangelho. A atitude de amabilidade trará melhores resultados. Madre Teresa de Calcutá, a personificação da bondade, disse: “Não deixe que ninguém venha até você e vá embora sem se sentir melhor e mais feliz. Seja a expressão viva da gentileza de Deus: gentil no semblante, gentil no olhar, gentil no sorriso.”


Todos ganhamos, se nos vestirmos de gentileza.

LASCOU TUDO - VEJA ESSE ANÚNCIO - Vende-se Igreja - ALGUEM SE HABILITA ?

VENDE SE IGREJA .

 

Eu ja vi jornal de anunúcios oferecendo de tudo, creio que eu não sou a única pessoa do mundo que deve ter visto um anuncio de pente usado, ferro de passar com defeito, caneca sem alcinha rsrsrs e muito mais. Quando eu achei que tinha visto de tudo eu me deparei com a Nova: Vende-se Igreja!
Definitivamente para alguns, igreja virou negócio, é o fim do mundo mesmo.
no anuncio abaixo, você poderá conferir a grande oferta.






Clique na imagem para ver em tamanho maior



VIA GRITOS DE ALERTA
INF. EVANGELIZAI

Medida proíbe dízimos e revista íntima de religiosos em presídios

Uma nova resolução do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP), órgão vinculado ao Ministério da Justiça, restringiu a prática religiosa dentro das cadeias brasileiras. A norma avança sobre pontos polêmicos e proíbe agora o recolhimento de dízimos. A venda de material religioso nas unidades prisionais também foi vetada.
A nova regra prevê também o cadastro das instituições, que devem comprovar um ano de existência, e também dos agentes religiosos, que passam a ser isentos de revista íntima. Também fica autorizado o uso de objetos para os cultos, desde que não apresentem risco para a segurança.
“A resolução efetiva o direito, deixando bem claro o direito da prática religiosa, mas sem abrir mão da segurança, porque estamos falando de presídios e não de locais abertos”, afirma o presidente do CNPCP, Geder Luiz Rocha Gomes.


O Ministério da Justiça não possui um levantamento sobre as crenças religiosas dos presidiários. Os dados disponíveis são de pesquisas sócio-criminais realizadas nas penitenciárias federais de Catanduvas (PR) e Campo Grande (MS) que datam de 2005 e 2007. Na primeira unidade, entre os entrevistados, 57,3%, disseram ser católicos, 22,79%, evangélicos, 17,65%, sem religião, 1,47%, espíritas e, 0,74%, testemunhas de Jeová. Em Campo Grande, 53,15%, se disseram católicos, 27,19%, evangélicos, 4,5%, espíritas, 3,6%, mulçumanos e 8,1%, não respondeu.
Segundo o pastor Edvandro Machado Cavalcante, coordenador da Pastoral Carcerária da Igreja Metodista do Rio de Janeiro, que realiza o trabalho de assistência religiosa a presidiários há mais de 10 anos, o trabalho dentro dos presídios é realizado por entidades das mais diversas orientações religiosas: evangélicas, religiões afro-brasileiras, espíritas e católicas. “São diversas religiões, mas a grande maioria é evangélica, mas o espaço é plural, sim”, afirma.
Ele considera a medida positiva, uma vez que as determinações apontam, ao menos, diretrizes para problemas que se arrastavam há anos, como a possibilidade de revista íntima para os agentes religiosos, o que passou a ser proibido com a nova norma. “A legislação dava uma de João sem braço. Isso era um ponto muito delicado, principalmente aqui no Estado do Rio. Os agentes penitenciários não faziam, mas teoricamente poderiam fazer. Acho muito importante que isso fique claro. Porque aquela revista é vexatória”, afirma.


Ele concorda ainda com a proibição da arrecadação de dízimos e venda de material religiosa pois acredita que, apesar da oferta fazer parte da prática religiosa de algumas igrejas, dentro dos presídios a assistência religiosa deve ser feita de forma diferente. “A igreja e qualquer entidade religiosa têm que agir de forma diferente dentro dos presídios. Ir lá para arrecadar junto a essa população tão espoliada é uma indignidade, violenta o principio mais básico da dignidade humana. É uma preocupação de muito bom tom, apesar da portaria 005 da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária di Rio de Janeiro (SEAP), que regulamenta a ação do agente religioso, já deixar claro que não pode haver comércio nem arrecadação”, completa.
O pastor conta que na maioria das unidades prisionais já existe uma local destinado para as práticas religiosas, apesar das dificuldades impostas pela arquitetura prisional existente no Brasil. No entanto, ele defende ainda que o espaço seja usado para ações que ultrapassam a assistência religiosa, com atividades educativas e profissionalizantes. “Um grande problema é a arquitetura prisional, não tem lugares para atividades laborativas, educacional”, disse ele ao falar sobre um projeto de educação informática que é realizado pela Metodista no Rio.
Evangélicos são respeitados
Uma das religiões mais respeitadas, senão a mais, é a evangélica. Quando um preso se converte, passa a fazer parte de um grupo, que convive em áreas diferentes e que conta com uma certa imunidade entre as facções dividas nos pavilhões.


“Isso é engraçado, em alguns presídios você tem o comando tal, o comando x, e os evangélicos. Até porque eles têm uma moral muito rígida dentro desses grupos, é a famosa teoria da envergadura da vara, se você teve muito de um lado, a tendência é radicalizar para o outro até encontrar um equilíbrio. Eles geralmente se filiam ao que tem de mais radical, não só em termos de comportamento, não só em relação a ética, mas também em relação a roupa e tudo mais. Não sei se por culpa, deve ter algum fenômeno psicológico que explique isso”, analisa o pastor Edvandro.
Ele lembra de um episódio ocorrido há cerca de cinco anos, em Bemfica, no Rio da Janeiro, quando ocorreu um massacre de 38 detentos depois que administração do local misturou diferentes facções. “Eu conversei com um dos sobreviventes, porque sou do conselho da comunidade, um órgão que fiscaliza a execução da pena. Fui junto com juiz da VEC (Vara de Execuções Criminais) e os sobreviventes disseram assim: ‘olha os crentes não mata não’, ‘só não me mataram porque eu tinha essa vinculação de fé’, isso é fato”, afirma.

VIA GRITOS DE ALERTA.
INF. EVANGELIZAI

Mulher esfaqueia mãe e padrasto por dar bebida ao seu bebê em SP

Uma cozinheira de 32 anos esfaqueou a própria mãe e o padrasto ao descobrir que os dois haviam dado bebida alcoólica ao seu filho de oito meses para ele adormecer, segundo a polícia. O caso aconteceu na madrugada deste domingo (20) em Franco da Rocha, na Grande São Paulo. A cozinheira havia acabado de chegar na sua casa e encontrou o bebê adormecido e com cheiro de álcool na boca.

Após uma discussão, a mulher pegou duas facas e golpeou a mãe no abdômen. O padrasto, que tentou defender a companheira, também foi esfaqueado. Ele correu e teve de pular o muro da residência para escapar. Os dois foram socorridos por vizinhos e levados a um pronto-socorro.

A agressora foi encontrada pela polícia sentada no chão da residência com o filho no colo. Ela se justificou dizendo que ficara "revoltada". A mulher foi conduzida à Delegacia de Franco da Rocha e foi autuada em flagrante por tentativa de homicídio.

EU ESTOU AVISANDO FAZ TEMPO - Acre é o primeiro estado do Brasil a ensinar budismo e islamismo em escolas públicas

Acre é o primeiro estado do Brasil a ensinar budismo e islamismo em escolas públicas
Hoje (21/11), durante a abertura da Primeira Conferência Estadual da Diversidade Religiosa no Acre foi apresentada uma proposta curricular de ensino religioso plural nas escolas públicas.
Promovido pelo Instituto Ecumênico Fé e Política e pela Secretaria Estadual de Educação, na abertura do evento ouviram-se orações de Joaquim Pertiñez, bispo do Acre, e da Mãe Raimundinha, que dirige um centro de umbanda.
O objetivo da conferência é reforçar a identidade dos principais grupos religiosos do Acre e fazer com que a escola pública seja “um espaço democrático e pluralista”. A proposta do Instituto Ecumênico, através de uma cartilha, é capacitar os professores para promover o diálogo inter-religioso, além de estimular entre os alunos a tolerância às diversas expressões de fé.
Os participantes da conferência entendem que o reconhecimento da diversidade religiosa é necessário por causa da grande desinformação e de preconceitos existentes em relação a outras tradições religiosas. Na avaliação deles, existem algumas atitudes fundamentalistas de grupos majoritários cristãos que tem afetado o restante da população.
“Nosso objetivo é a construção da paz, da cidadania, da democracia e do respeito aos direitos humanos”, afirmou Manoel Pacífico, ex-padre e ex-deputado do PCdoB, que hoje dirige o Instituto Ecumênico. Ele explica ainda que sua entidade é “suprapartidária, comprometida com a justiça social e o respeito à diversidade cultural e religiosa”.
Assim como os demais Estados do Brasil, o Acre possuía uma população predominantemente católica, mas nos últimos anos viu um rápido crescimento da população evangélica e dos “sem religião”.
O governador em exercício César Messias e os secretários de educação Daniel Zen (estadual) e Márcio Batista (municipal) também estavam presentes na abertura da conferência.
Márcio Batista defendeu que a cartilha intitulada “Muitos são os caminhos de Deus” seja adotada como proposta curricular para o ensino religioso em todas as escolas públicas do Acre. Daniel Zen afirmou que essa proposta curricular para o ensino religioso provavelmente será adotada no Estrado já a partir do próximo ano.
O Instituto Ecumênico Fé e Política formulou sua cartilha sobre diversidade religiosa depois de quase seis anos de encontros realizados, no primeiro momento, com representantes católicos e evangélicos. Aos poucos, as reuniões passaram a contar com representantes espíritas, daimistas e de religiões afro, como o candomblé e a umbanda. A proposta é que seja ensinada a história e as crenças principais de todas as tradições espirituais, como indígena, islâmica, budista, fé bahai e Seicho-no-iê.
Identificando-se como católico, César Messias destacou a importância dessa disposição ecumênica, reconhecendo o importante trabalho social das igrejas evangélicas no Acre.
Depois, revelou que também costuma participar de cultos evangélicos e de rituais daimistas, onde se faz uso do chamado “santo daime”, bebida alucinógena feita a partir de um tipo de cipó da Amazônia.
“Eu me sinto muito bem quando participo dos cultos da Assembleia de Deus ou quando me reúno com jovens da igreja batista. Mas também me sinto muito bem quando tomo daime. Ninguém pode afirmar que o daime é uma droga. Só sabe o que é o daime quem toma o daime”, afirmou o governador.


VIA GRITOS DE ALERTA
(Inf. Gospel Prime)

Recusa a usar um uniforme com o número “666” faz cristão ser demitido de fábrica nos Estados Unidos

666
O operário norte americano Billy E. Hyatt alega, em um processo federal, que foi demitido da empresa em que trabalhava porque se negou a usar em seu uniforme uma etiqueta na qual estava estampada o número “666”, que é apontado no livro de Apocalipse como a “marca da besta”.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Segundo a CBS News, Hyatt afirma ter sido demitido por motivos religiosos de fábrica localizada na cidade de Dalton, estado da Geórgia.
Na Berry Plastics Corp., empresa em que o operário trabalhava desde 2007, os funcionários usam usavam etiquetas coladas ao uniforme indicando por quantos dias a fábrica não tem registros de acidentes de trabalho.
A preocupação de Hyatt, que disse ser um cristão devoto, começou no início de 2009, quando a contagem começou a se aproximar a 600. E quando chegou próximo ao número 666 o operário decidiu que não usaria a etiqueta, senão estaria “aceitando a marca da besta e seria condenado ao inferno”.
Hyatt afirma ter conversado com seu gerente sobre o assunto quando a contagem se aproximava do número 666 e que este garantiu que ele não seria obrigado a usar a etiqueta contra sua vontade e que, provavelmente, a empresa adotaria algum artifício para evitar a exibição do número; ou que provavelmente alguém sofreria um acidente antes que a contagem chegasse a 666. Mas, ao chegar para trabalhar no dia 12 de março de 2009, recebeu a etiqueta com o número e explicou novamente sua recusa ao gerente que, segundo Hyatt considerou suas crenças ridículas e o informou que a recusa seria punida com suspensão de 3 dias de trabalho.
Ele aceitou a suspensão, mas foi demitido 5 dias depois, quando o departamento de recursos humanos da empresa não aceitou sua justificativa para a sua recusa em usar a etiqueta.
Hyatt considera o caso perseguição religiosa já que afirma ter sido coagido a “abandonar suas crenças religiosas”.
O cristão agora move um processo contra a empresa junto ao Comitê por Oportunidades Igualitárias de Emprego, órgão da Secretaria Estadual de Indústria e Comércio da Geórgia, no qual ele reivindica salários atrasados, e indenização por danos morais.
A Berry Plastics Corp. não se pronunciou sobre o caso e afirma que só precisará responder sobre o caso em juízo. A empresa perdeu na primeira instância do processo.

'Desde que me Converti, as Coisas Começaram a Mudar', diz o Jogador Carlos Barbosa

Carlinhos credita boa fase à nova religiãoO jogador de futsal Carlinhos, 30, responsável pelos gols decisivos que deram a vitória ao Carlos Barbosa de Futsal (ACBF), afirma que a sua boa fase profissional e pessoal melhoraram depois que ele se converteu a Cristo em março deste ano.
 
“Tudo o que tenho conquistado nesses últimos meses é fruto da minha proximidade com Deus. Desde que me converti, as coisas começaram a mudar na minha vida,” conta ele.
A boa fase não é só na vida profissional, a pessoal também está gratificante. Sua esposa, Patrícia Moro, terá o segundo filho do casal. Seu primeiro filho, Enzo, 3, sempre que pode entra junto com o pai nas quadras, no início dos jogos.
Natural de Chapecó-SC, o jogador vem se tratando de uma contusão no joelho para atuar no segundo jogo da final, nesta terça-feira, na Arena Santos.
Após realizar ressonância magnética, o atleta sentiu-se aliviado ao saber que não tinha nenhuma contusão na patela nem no menisco, o que demandaria um tratamento demorado. As perspectivas de participação no duelo decisivo são positivas.
Ele, que veio a Cristo através do tio, embarca em janeiro para a Rússia onde jogará pelo Dina Moscou. Uma boa oportunidade financeira e de ter mais tempo para a família.
“Na Rússia, os times jogam uma vez por semana. Aqui, temos jogado duas ou até três vezes por semana. Preciso de mais tempo para o convívio familiar e não acho que essa mudança vá me tirar da evidência, já que o futsal russo está muito valorizado”.
Mesmo longe das quadras brasileiras, ele vai continuar buscando a sua vaga na seleção que disputará o Mundial de 2012, na Tailândia.

Apontado como um dos melhores jogadores do mundo, Neymar afirma: “Essa é a vida que pedi a Deus”

Apontado como um dos melhores jogadores do mundo, Neymar afirma: “Essa é a vida que pedi a Deus”Em entrevista ao site da FIFA (Federação Internacional de Futebol Associado), o atacante Neymar, que é evangélico e tem sido destaque em vários países do mundo pelo seu desempenho, afirmou que pediu essa vida a Deus: “É a vida que eu escolhi. E eu implorei para Deus que isso acontecesse. Tudo que eu sempre quis foi jogar futebol, ter uma carreira de sucesso, fazer minha parte e ganhar reconhecimento ao longo da minha carreira. Eu tenho tudo o que sempre quis e não seria louco de me queixar agora”, declara o atacante.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Selecionado entre os jogadores que disputarão o prêmio de melhor jogador do mundo esse ano, Neymar também tem um de seus gols, marcado contra o Flamengo no Campeonato Brasileiro, disputando a eleição dos dez gols mais bonitos de 2011. No site da FIFA, Neymar é apontado como um jogador que “era uma criança há pouco tempo” e que tem crescido profissionalmente de forma meteórica, arrebatando fãs em todo o mundo.
Um exemplo disso são as “Neymarzetes”, que acompanham os passos de Neymar em todos os campos. Algumas até já expressaram a devoção pelo atacante do Santos em tatuagens.” Estou me acostumando aos poucos com isso, mas quando chego em casa no fim do dia, sou uma pessoa normal. Já fui fã um dia e agora estou do outro lado. Tenho que respeitar”, afirma o jogador.
Sobre a eleição para melhor do mundo, Neymar afirma que o jogador argentino Lionel Messi é favorito na disputa: “Eu sempre disse que eu ainda tenho muito que aprender. Messi é um cara que já fez história no futebol e ainda vai conseguir muito mais. Estou apenas começando e tenho muito que fazer para alcançar o nível que ele chegou”, declara Neymar. O resultado da eleição será divulgado no dia 09 de Janeiro de 2012.

VIA GRITOS DE ALERTA
Inf. Gospel+

A fé que mais cresce no mundo ainda é o cristianismo, revela estudo

O segmento de fé que mais cresce são os evangélicos, adicionando cerca de 60.000 fiéis por dia, revela o estudo anual “Estado das Missões Globais”.

Segundo o estudo anual “Estado das Missões Globais” o número de ateus e não religiosos diminui a cada dia no mundo. “Especificamente, neste milênio (de 2000 a 2011) a categoria ‘não religiosa’ perde cerca de 700 adeptos por dia, enquanto os ‘ateus’ perdem 300. Ou seja, nos últimos 11 anos, os “infiéis” perderam 2,7 milhões de adeptos e os ateus, 1,37 milhão.

O segmento de fé que mais cresce são os evangélicos, adicionando cerca de 60.000 fiéis por dia. Em seguida vem o catolicismo, que aumenta 34 mil pessoas por dia. No Islã nascem 79 mil fiéis diariamente e no Hinduísmo, 37.000.

Comparando esses números com 1970 (em plena revolução sexual no Ocidente e ateísmo comunista na Europa) percebe-se que, em 41 anos, o ateísmo perdeu 28 milhões de adeptos. Por outro lado, pessoas que se denominam ‘não-religiosas’ cresceram mais de cem milhões. Devido à queda dos regimes comunistas, muitos que antes se declaravam ateus agora dizem apenas ser ‘não-religiosos’. Da mesma forma, na China, no Vietnã e em outros países comunistas, muitos preferem dizer que são ‘não religiosos’ em vez de ateus.

Portanto, no século 21 o número de ateus irá diminuir enquanto as religiões continuarão crescendo. Isso inclui a recuperação do Judaísmo (15,1 milhões em 1970 e menos de 14 em 2000) que agora tem 14,9 milhões de membros.

Os seguidores de outras religiões estão distribuídos da seguinte forma:

- O cristianismo, com todas as suas variantes, soma 2,3 bilhões de pessoas, aumentando 94 mil pessoas por dia (entre protestantes, católicos e ortodoxos).
- Muçulmanos, com quase 1,580 bilhão de adeptos, cresce a uma taxa de 79.000 fiéis por dia.
- O Hinduísmo conta hoje com 952 milhões de adeptos e aumenta em 37 mil a cada dia.
- O Budismo tem 468 milhões fiéis, somando mais 13.800 por dia.
- Taoísmo chinês e o confucionismo já são 457 milhões, ganhando 9.300 seguidores por dia.
- As religiões étnicas totalizam 269 milhões de seguidores, aumentando cerca de 9.000 por dia.

Estima-se que ainda há no mundo dois bilhões de pessoas que nunca ouviram a mensagem do evangelho de forma clara. Outros 2,680 bilhões já ouviram falar ou conhecem um pouco, mas não são cristãos.

Entre os cristãos
A Igreja Católica totaliza 1,160 bilhão de fiéis, de acordo com este estudo, ganhando mais 34 mil por dia.
As igrejas protestantes (incluindo os anglicanos) totalizam 1,125 bilhão de fiéis no mundo.

O total de pentecostais é 612 milhões, crescendo 37 mil por dia.
Os protestantes “tradicionais” são 426 milhões, acrescendo 20.000 por dia.

Os anglicanos, principalmente da África e Ásia, totalizam 87 milhões, com mais 3.000 se unindo a eles a cada dia.

Finalmente, a igrejas ortodoxas possuem 271 milhões de seguidores, ganhando apenas 5.000 por dia.

O estudo entende que as “seitas cristãs” (Testemunhas de Jeová, mórmons, grupos que duvidam da Trindade ou da divindade de Jesus, etc …) são apenas 35 milhões, crescendo a uma taxa de 2.000 por dia.

Mais Dados
É preciso entender que a maneira mais fácil de fazer um grupo crescer é pelo nascimento. Quanto mais filhos, mais fácil é de ajudar a sua tradição religiosa. Outra forma é a conversão. Mesmo sendo menos fácil de contabilizar, especialmente onde são proibidas, ocorre aos milhões a cada ano. A situação mais comum é um cônjuge aderir à religião do outro.

Outro dado curioso é que em 2011, estima-se que são colocadas mais de 71 milhões de Bíblias (em suas diversas versões) no mundo a cada ano. Calcula-se que existe hoje 1.740 bilhão de Bíblias disponíveis no planeta, muitas delas de forma clandestina.

Traduzido e Adaptado por Gospel Prime de Protestante Digital

Filme brasileiro zomba de igrejas com stripper evangélica e pastor ladrão

Open in new windowSob o título de humor, o filme “Um assalto de fé” mostra pastores sendo desonestos e crentes manipulados facilmente.

O filme “Um assalto de fé”, de Cibele Amaral, deve estrear em circuito comercial no dia 2 de dezembro. Trata-se de uma comédia com elementos de ação cuja matéria-prima principal é a ganância. O roteiro do filme é baseado no conto “Trabalho do Galinha Preta”, de Evandro Vieira, que foi premiado por um concurso literário do SESC e faz parte do livro “Grosseria Refinada”.

Desde 2004, Evandro e Cibele começaram a trabalhar no roteiro, que a princípio seria um curta-metragem. Porém, sendo uma produção cara, a diretora optou por transformá-lo em um longa.

A trama central são os pequenos roubos de um trio de amigos, cujo líder chama-se Galinha Preta, um seguidor de religiões afro. Depois de vários golpes frustrados, que levaram os três amigos a inclusive trabalhar como empacotadores num supermercado, Galinha Preta e Lapão aceitam participar do assalto a uma igreja evangélica, organizado por Jerônimo. Este personagem havia se afastado dos outros no passado, se infiltrou na igreja. Agora ele serve como tesoureiro, namora a filha do pastor e planeja o golpe justamente no dia de um grande show gospel.

Eles contratam como motorista o Japonês, um glutão que só pensa em comida e contam com a ajuda de Nildinha, uma stripper evangélica. Por causa de um sonho, ela acredita ter recebido uma mensagem divina de que deveria fazer tudo que o Galinha Preta pedisse, pois só assim mudaria de vida.

Apesar de parecer improvável, a quadrilha se dá bem, até um determinado momento onde tudo começa a fugir do planejado, acabando com o sonho de se mudarem pra Salvador.

A igreja evangélica fictícia é liderada pelo pastor Ozéas, que faz de tudo para pegar dinheiro dos fiéis. O cantor Falcão faz uma participação, vivendo o desonesto pastor Rick de Souza, que ilude seus seguidores para conseguir mais dízimos e ofertas durante o tal show gospel.

O elenco principal é formado por Alexandre Carlos, vocalista da banda Natiruts (como Galinha Preta), Jovane Nunes (o Zeca de Zorra Total) como pastor Ozéas, Cibele Amaral (a stripper Nildinha), Lauro Montana (Lapão), André Deca (Jerônimo), Alessandro Santos (Japonês) e a participação especial de alguns grupos de comédia como “Os melhores do mundo” e “G7”

Rodado inteiramente na cidade satélite de Brazlândia (DF), o filme já percorreu os Festivais de Cinema de Brasília e do Rio em 2010 e agora parte para sua distribuição nacional.

Este é o primeiro filme de Cibele Amaral, que afirmou “É um gênero muito procurado no Brasil. É o típico filme de que o público gosta”, observa a diretora ressaltando o aspecto humorístico do longa. Ela acrescenta ainda que nos testes de audiência, a história foi bem aceita pelos evangélicos.

A expectativa da diretora quanto ao desempenho da produção nos cinemas é boa. O filme não precisa de um grande público para cobrir o investimento feito. “É a vantagem de um filme de baixo orçamento”, observa Cibele.

Mesmo se propondo a entreter, o filme abusa dos clichês típicos de todo crítico do crescimento dos evangélicos no país. Os pastores são espertalhões e os crentes, tolos manipuláveis. A certa altura, um dos pastores diz que não pode entregar o dinheiro aos bandidos, pois ele serviria para “pagar os pecados dos fiéis”.

Esse não é o primeiro filme a zombar dos evangélicos, mas é preocupante como cada vez mais essa é a imagem que parece prevalecer. Depois de Hollywood mostrar os cristãos por um ângulo negativo, agora parece que chegou a hora do cinema sul-americano.
No mês passado foi lançado no Chile o filme Dios me libre [Deus me Livre] que zomba abertamente dos métodos de arrecadação de igrejas como a IURD.


VIA GRITOS DE ALERTA
Inf. Gospel Prime

Deputado gay questiona “privilégios” dados por governo a grupos cristãos , MAS NÃO QUESTIONA A AJUDA DO GOVERNO A CAUSA GAY .

Open in new windowDepois de criticar emissão de passaporte diplomático a religiosos, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) afirma que combaterá a PEC que beneficia associações religiosas.

Primeiro parlamentar homossexual assumido do Brasil, eleito com a bandeira de defender os direitos do movimento LGBT, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) tem questionado constantemente o que acredita ser um favorecimento aos evangélicos.

Recentemente, ele ficou em segundo lugar no Prêmio Congresso em Foco 2011 , que reconhece os políticos mais atuantes. Ao receber o troféu, disse: “É um recado político direto de que a política precisa de renovação, ser honesta e trabalhar para estender a cidadania para o conjunto da população brasileira, não importando sua sexualidade e a sua religiosidade”, e completou: “Gay is beautiful” [Ser gay é bonito].

Esta semana, protestou ao saber da notícia que depois que o Itamaraty concedeu passaporte diplomático ao bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, decidiu fazer o mesmo com R.R. Soares, da Igreja Internacional da Graça, e alguns bispos da Igreja Católica.

Jean Wyllys reclamou publicamente: “A falta de ciência política ou o partidarismo cego embotam a honestidade. Pergunta ao Governo Dilma: cadê o passaporte diplomático de Mãe Stela de Oxóssi? E o do rabino Nilton Bonder?”.

Seu questionamento tem por base a premissa de igualdade de direitos para representantes de outros credos, uma vez que o passaporte diplomático deveria ser destinado apenas a funcionários do Itamaraty e representantes do governo em viagens ao exterior. Wyllys lembrou que Edir Macedo é réu em um processo que tramita na Justiça Federal em São Paulo sobre lavagem de dinheiro, e esse deveria ser mais um motivo para que não houvesse a concessão do privilégio.

Ontem, o deputado do PSOL criticou duramente o PEC [Projeto de Emenda Constitucional] 99/11, que dá às Associações Religiosas o poder de propor ações de inconstitucionalidade e ações declaratórias de constitucionalidade de leis ou atos normativos.

O argumento de Wyllys é que, se aprovado, os grupos que defendem a fé cristã poderão questionar leis favoráveis ao movimento LGBT: “Não bastasse à imunidade tributária concedida às associações religiosas cristãs, estas querem, com a PEC, interferir no Poder Judiciário. Caso essa PEC vigore, qualquer ato legislativo em favor de LGBTs, de adeptos da umbanda, espiritismo ou ateísmo será contestado”.

A PEC em questão surgiu quando João Campos (PSDB-GO), presidente da Frente Parlamentar Evangélica questionou, sem sucesso, a decisão do STF sobre da união homoafetiva. A via utilizada foram os projetos de decretos legislativos (PDL), mas a Mesa da Câmara dos Deputados entendeu que a decisão do STF não era de competência do Legislativo, portanto não poderia ser revista por PDL.

A opção da bancada evangélica foi à criação de um Projeto de Emenda Constitucional. Se for aprovada, qualquer associação religiosa, ou várias delas podem propor uma ação no STF considerando, por exemplo, o casamento homoafetivo inconstitucional. Isso, no entendimento dos opositores, fere o princípio de que o Estado é laico e não poderia beneficiar este ou aquele grupo religioso. Seria, uma tentativa de influência da religião organizada sobre o Estado, o que por si só já é inconstitucional. Mesmo assim, 186 deputados assinaram a PEC, permitindo assim que ela pudesse tramitar na Câmara.

Além do deputado Jean Wyllis, vários grupos que afirmam defender as minorias (religiosas, sexuais, etc.) se manifestaram contrários, alegando que os membros da bancada evangélica “querem impor um único modelo de religião cristã, que é diversa também, aos que não compartilham de suas filosofias e ideologias. O Governo pouco tem feito para proteger as minorias. Nada o impede que não o faça no futuro, mas o que mostra é que, quando precisam atuar neste campo, precisam da bênção dos caciques políticos evangélicos para se protegerem da “maldição do eleitorado religioso”.

Fonte: Gospel Prime

Band anuncia nesta semana se R. R. Soares fica ou sai

Convenção em Portugal vai decidir se a Igreja da Graça, do R.R. Soares, continuará ou não ocupando a faixa nobre da sua emissora em 2012.

A Bandeirantes realiza nesta semana, começando na quarta-feira, a sua convenção em Portugal. Na oportunidade, segundo algumas fontes, o dono Johnny Saad irá revelar aos presentes o que será da Igreja da Graça, do R.R. Soares, se continuará ou não ocupando a faixa nobre da sua emissora no ano que vem.

Como em outras oportunidades, a saída da igreja já estava decidida ao fim do atual contrato e chegou a ser anunciada internamente, mas essa garantia deixou de existir a partir de reuniões entre os principais representantes das partes de duas semanas para cá.

Todo o planejamento para 2012, inicialmente executado sem a presença do programa religioso, está agora sujeito a sofrer modificações. As pessoas responsáveis por ele já começam a trabalhar com esta possibilidade.

A grande questão é que a Bandeirantes se acostumou, nesses últimos anos, a operar com o dinheiro pago pela igreja. Ficou bem complicado viver sem ele.

Fonte: UOL

Evento de Silas Malafaia Pretende Reunir de 200 Mil Pessoas

O evento Vida Vitoriosa Para Você da Assembleia de Deus Vitória em Cristo será realizado neste fim de semana no aterro da Praia de Iracema, em Fortaleza, Ceará.
“é um evento de música e de palavra que serve para todos. Sempre há muitas pessoas, evangélicas ou não”, afirma Malafaia, segundo o jornal O Povo.
Um palco de 640 metros quadrados foi montado na areia do famosos ponto turístico da capital do Ceará, lugar do qual se espera receber cerca de 200 mil pessoas, segundo os organizadores.
Silas Malafaia estará comandando o evento dando sua palavra de fé. Em evento anterior realizado em Florianópolis, Malafaia falou sobre o tema “A vida se faz com movimento e participação”. Contextualizando passagens bíblicas ele direcionou o seu discurso à aproximadamente 70 mil pessoas.
“Satanás perdeu mais uma vez. Glória a Deus”, disse o pastor, naquele momento.
Nas duas noites, relata-se que milhares de pessoas tiveram suas vidas transformadas.
“Hoje esse evento mudou uma pessoa. Parecia que o pastor Silas conhecia minha história de vida e estava pregando diretamente para mim. Por isso não tive dúvida e entreguei minha vida a Jesus," contou o jovem católico, que estava de passagem pela cidade, apenas para resolver um problema pessoal.
O evento terá a duração de aproximadamente 2 horas e meia por dia e terá música de Nani Azevedo, Eyshila, Jozyanne, Davi Sacer, Pierre, Onassis, Danielle Cristina e Marco Aurélia.

Pr. Rubens Teixeira contesta artigo de Jornalista da ‘Época’ onde diz que evangélicos não respeitam ateus

A forma preconceituosa e intolerante do texto escrito pela jornalista expõe os próprios ateus.
No dia 14 de novembro do site da Revista Época publicou o artigo “A dura vida dos ateus em um Brasil cada vez mais evangélico”, de autoria da jornalista Eliane Brum. O texto tenta mostrar ao leitor que os ateus são tratados com intolerância pelos evangélicos do Brasil.
Eliane Brum reproduziu em sua parábola, o diálogo travado entre um taxista evangélico e sua passageira, uma jornalista ateia. O texto vem rendendo-lhe críticas por parte de evangélicos, devido à maneira como a questão foi tratada por ela.
O economista e pastor Rubens Teixeira, da Assembleia de Deus no Rio de Janeiro, postou em seu blog um vídeo no qual contesta o artigo escrito pela jornalista.
Para ele, a jornalista foi infeliz e expôs os próprios ateus, pois, por conter na essência do texto um preconceito contra os evangélicos, ela deixou brechas para alguns fazerem um péssimo e generalizado juízo contra os ateus.
Abaixo a íntegra da gravação:
“Eliane Brum, li sua matéria intitulada “A dura vida dos ateus em um Brasil cada vez mais evangélico” publicado no site da Revista Época, em 14/nov/11. De imediato, respeito suas opiniões lá contidas e a sua fé de que Deus não existe, embora discorde dela. Digo que o ateísmo é uma forma de fé, por não se conseguir provar que Deus existe ou não, e, cientificamente, é possível a prova da existência ou não de algo, ao contrário do que muitos afirmam. Basta lembrar dos símbolos de ‘existe’ e ‘não existe’, muito usados na física, na matemática e em outras ciências. Tenho certeza que Deus existe. Eu falo sempre com Ele e Ele comigo. Assim, eu creio que Deus existe por fé. Você crê que Ele não existe, também por fé.
Imagine que moramos em uma rua, eu, você e muitas outras pessoas e alguém passa a anunciar que na primeira casa da rua agora mora o senhor José. Nós podemos acreditar que é verdade, mentira ou desprezarmos o tema, mas, se formos honestos, nada poderemos afirmar se não conferirmos. Assim é Deus. Você pode acreditar que Ele existe ou que ele não existe. Mas para afirmar, tem de conferir. Afirmarmos sem conferirmos pode ser interpretado como uma atitude leviana. Ele não existirá ou deixará de existir apenas por conta da nossa opinião.
Imagine que as igrejas afirmam que Deus existe e várias pessoas vão lá e confirmam tal afirmativa, que tiveram experiência com Ele, foram curadas, foram confortadas, transformadas, enfim. Essas pessoas estariam mentindo? Será? Você não acha que as pessoas que buscam uma experiência com Deus, se verificassem que isso fosse uma farsa não sairiam denunciando a enganação?
Se Deus não existisse, as igrejas seriam o maior laboratório de comprovação da inexistência dEle, pois elas anunciam Sua existência. As pessoas que para lá se dirigem com o objetivo de encontrar Deus, se concluíssem que isto não fosse verdade, sairiam das igrejas afirmando que Deus não existe ao serem frustradas no desejo de conhecê-Lo.
Eu sigo o Evangelho de Jesus Cristo. O significado de evangelho, para nós, é boas novas. Acho extraordinário e isso me encoraja a compartilhar com as pessoas que eu gostaria que o conhecesse. Por isto os evangélicos, felizes com o que seguem, gostam de compartilhar com ouras pessoas. Lógico, até o limite que o ouvinte se disponha a ouvir. Não pode ser algo forçado.
Em sua parábola, você diz que certa jornalista puxou conversa com um taxista. Ora, quem procura conversar com alguém que está calado, deve ter a disposição de ouvir o interlocutor, do jeito que ele é. Se você inicia um diálogo para ouvir o que você gostaria, é melhor fazer o crivo de qual sejam as opiniões do seu interlocutor e, percebendo contrariedades, encerrar a conversa, o quanto antes. Do contrário, muito provavelmente você vai ouvir algo que discorda. Se você não gostar de ser contrariada, o melhor é manter o silêncio preventivo. Não podemos nos sentir desrespeitados só porque fomos contestados.
Nós evangélicos, cremos que estaremos salvos da condenação eterna pelos nossos pecados, através de Jesus Cristo, que morreu e ressuscitou para nos garantir a salvação. Não é pelas obras que estaremos salvos. O taxista estava certo ao fazer esta afirmação. A forma de falar, cada um tem a sua. Como você demonstrou seu estilo neste artigo, o taxista e as demais pessoas também têm os seus.
A jornalista de sua parábola disse que não quer ser salva. Acho que o termo salvação denota escape de algo ruim. Não sei realmente a extensão dessas palavras. Não sei como argumentar com relação a isso. Ela realmente não quer mesmo ser salva? Declarou isto por ironia? Seria respeitoso? Se não formos claros, tolerantes e respeitosos, pareceremos dois surdos, de costas, conversando.
Para compor sua parábola, você selecionou uma pessoa simples e concluiu coisas que o taxista não estava dizendo. Ele dizia uma coisa e a jornalista, estabelecendo hipóteses, seguiu a conclusão que favorecia seu desfecho. Ou seja, avocou para si o direito de dizer qual é a opinião do taxista, sem preocupar-se exatamente qual seja a mensagem que ele pretendia passar e qual o contexto que ele considerava em suas mensagens. Quando agimos assim, além do preconceito, estamos demonstrando pouca sensibilidade ao que as pessoas pensam. É como se nós é quem dizemos o que as pessoas estão pensando, não elas mesmas. Não é isto um comportamento inadequado para um pensamento honesto, tolerante e justo?
Quando alguém fala algo para nós, devemos identificar como esta pessoa contextualiza e o que ela pretende que nós entendamos, não o que nós queremos entender para concluirmos o que queremos, em especial quando nossas palavras agridem uma ou mais pessoas. Você disse que Jesus pregava tolerância. Sim, tolerância às pessoas, não aos erros. Seria bom você meditar sobre este tema: tolerância.
Quando convidamos alguém para ir à igreja, é um ato de carinho e consideração. Não uma ofensa. Quando alguém sente-se ofendido, é uma inversão de sentido que parte de quem se ofende. Já imaginou se eu me ofendesse quando um católico me convidasse a ir em sua igreja? Ou mesmo se um agnóstico me chamasse para uma reunião? Ele está me chamando para um ambiente nobre para ele.
A tolerância e o respeito ao direito dos ateus e crentes, de um modo geral, de crer ou não crer em algo, é uma premissa do evangelho. A aceitação do evangelho só tem valor se for voluntária. A Bíblia fala isto. Portanto, quem faz diferente está errado.
Tenho muitos vídeos na internet falando sobre temas variados. Algumas pessoas podem discordar de opiniões que apresento nos vídeos. Isto é normal. Contudo, pessoas que se identificam como ateus, por vezes, me ofendem, com argumentos frágeis, genéricos e de forma arrogante, demonstrando preconceito, por intermédio de vídeos, e-mails ou Twitter. Contudo, há outros que se identificam como ateus que mandam e-mails contestando-me, sem me ofenderem. Apenas apresentam suas opiniões. Fico feliz ao recebê-los. Não me sinto ofendido.
Assim, as ofensas a mim dirigidas pela internet não me dão o direito de dizer que os ateus são intolerantes, arrogantes ou preconceituosos. Posso dizer que são alguns poucos, mas conheço muitos outros que toleram e respeitam a minha fé. Eu também os respeito. Eles têm o direito de acreditar no que quiserem e eu também. Busco confirmações de tudo que eu acredito. Eu mesmo investigo e atesto o que acredito, falo e sigo a respeito da minha fé.
Aumento ou diminuição do número de crentes ou ateus, não ameaça nem privilegia um ou outro grupo para fins de liberdade de opinião, expressão ou religiosa. Conflitos de opiniões há entre famílias, amigos, colegas, torcedores, etc. Você elegeu um dos muitos temas, focos naturais e históricos de discordâncias, colocando a discordância como forma de preconceito ou ofensa, quando as coisas não são bem assim. Há mais discussões, debates, brigas e até mortes, no Brasil, por conta de rivalidades no futebol do que entre religiosos e ateus. Você exagerou um pouco aí, não acha?
Com relação às mudanças sociológicas, culturais, sabemos que no mundo inteiro, no espaço e no tempo, isso é uma dialética continuada. Não há muito o que fazer, apenas tentar influir da melhor maneira, sempre com tolerância e respeito.
Evangélicos pentecostais, neopentecostais, tradicionais, são todos evangélicos. Um evangélico reconhece outro pela sua profissão de fé, não pelo nome da sua igreja. Você associa os neopentecostais ao capitalismo. E os ateus, seriam o que, socialistas? Qual seria a melhor associação fé versus sistema político-econômico? Tem algo a ver esta análise? Acho que ficaram confusas as coisas aí. Tudo bem. Vamos deixar para lá este ponto.
Em seu texto, você afirma que vender produtos religiosos para ateus é como vender gelo para esquimó. Não, não é. Esquimó provavelmente não compraria gelo porque ele tem em excesso o produto que lhe seria vendido. Por outro lado, ateus não possuem artigos religiosos por falta de interesse, não por terem em excesso. Há uma diferença fundamental aí. Comparação boa seria, por exemplo, você dizer que oferecer drogas, vícios ou prostituição para evangélicos é o mesmo que oferecer esgoto como alimento para alguém saudável.
Com relação a ser ateu ou agnóstico, acho que ateus afirmam que Deus não existe, sem provar. Possuem uma forma de fé. Agnósticos, não afirmam se Deus existe ou não. Acho mais razoável ter dúvida do que afirmar algo sem ter comprovação, a menos que seja por fé, que deve fundamentar-se em algo, pelo menos para si mesmo. Aos agnósticos, eu aconselho a continuarem investigando sobre a existência de Deus.
A matéria faz referência a muitos prêmios jornalísticos que você recebeu. Cumprimento-a por cada um deles. Contudo, você faz uma afirmação ao final que me deixa muito preocupado, em especial porque a sua profissão lida com informação. Você afirma que “Se Deus existe, que nos livre de sermos obrigados a acreditar nele”.
Ora, se Deus existe, por dever de verdade, devo afirmar que Ele existe. Se eu admito a hipótese de Ele existir e quero o direito de dizer o contrário, ou seja, o que não seria verdade, deixa de ser uma dúvida, um questionamento, mas sim um pleito por um direito de negar uma verdade. Isto é algo inadmissível para a ciência, para a fé e, profissionalmente, extremamente pernicioso quando se trata da profissão de jornalista, como para todas as demais.
Como tenho um ânimo muito forte de achar que você é uma pessoa que luta para ser honesta e ter boa fé, só me resta ser generoso e acreditar firmemente que você tenha se colocado muito mal neste seu artigo. Você generalizou uma leitura preconceituosa contra evangélicos e deixou muitas brechas para alguns, desprevenidos, fazerem um péssimo e generalizado juízo contra os ateus, ainda que de forma injusta para muitos.

Parabéns pelas suas qualidades!
Muito obrigado pela sua atenção!
Rubens Teixeira”

VIA GRITOS DE ALERTA