segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Cristãos são mortos e igreja é destruída no Sudão


As Forças Armadas do Sudão, nas últimas duas semanas, bombardearam áreas das Montanhas Nuba - matando três cristãos, destruindo duas estruturas de agência de socorro e o prédio de uma igreja

De acordo com relatos, Dawla Angalo, 60, um membro da Igreja em Heiban, morreu durante o bombardeio em Kordofan do Sul. Fontes disseram que ele morreu enquanto estava sendo levado às pressas para um hospital. A explosão matou ainda Khamisa Kuku (40), que era uma mulher cristã.

O ataque à bomba, feito por um avião de fabricação russa, feriu Mariam Hamdan (55) e quebrou suas duas pernas. Suliman Kuku, um cristão de 42 anos de idade e uma menina de seis anos de idade chamada Nadia Tutu também foram encontrados mortos. Três casas, incluindo a de Kuku foram destruídas no bombardeio, de acordo com relatórios online de notícias do portal Nuba.

"É muito triste - estamos perdendo nossos membros", disse um pastor da região, que pediu anonimato.

Mohammod Idris, 25, e Stephen Yousif, 23, foram feridos no ataque, segundo relatórios de Nuba. "Eles estão mirando igrejas - eles destruíram a escola bíblica da última vez, e agora a Igreja local", disse o pastor. A Escola Bíblica já havia sido reduzida a cinzas em 1º de fevereiro também num atentado aéreo por um avião Antonov.

O Sudão foi divido entre norte e sul em um referendo realizado em 9 de julho 2011. Com a divisão do país em Sudão do Sul e Sudão (norte), o Sul ficou com uma população majoritariamente cristã, e o norte, muçulmana. Desde que o conflito militar começou, militares sudaneses bombardearam igrejas Nuba, escolas e fazendas, causando muitas mortes.

Milhares de civis supostamente se refugiaram em cavernas nas montanhas Nuba. Muitas pessoas têm queixas de negligência, opressão e conversões forçadas ao Islã em uma jihad*. O movimento rebelde crescendo nas Montanhas Nuba provocou tensões e o Sudão teria bombardeado civis no Sudão do Sul Estado de Bahr El Ghazal do Norte, em novembro,matando sete pessoas.

* "jihad" é o esforço e empenho em fazer a pessoa se converter ao islamismo, através de uma ação.

Fonte: ANS

Pastor é solto após meses de prisão no Cazaquistão


O pastor Makset Djabbarbergenov foi solto após passar meses em uma prisão no Cazaquistão e pôde voltar em segurança para o Uzbequistão

"A libertação de Djabbarbergenov é um marco de vitória para aqueles que lutam contra a perseguição religiosa em todo o mundo" disseram colaboradores da Portas Abertas ao The Christian Post, homenageando as Nações Unidas por seu importante papel na libertação "milagrosa" do pastor uzbeques.

"Esta é uma realização enorme, porque muitas vezes, quando os cristãos estão presos por tanto tempo, eles acabam não sendo mais liberados", disse Lindsay Vessey, diretor de advocacia da Portas Abertas EUA.

Vessey chegou a dizer que o Comissário das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) desempenhou um papel fundamental na libertação do pastor, representando-o perante a prisão em Almaty, no Cazaquistão, onde foi detido. Representantes da ONU também acompanharam Djabbarbergenov até o aeroporto, garantindo sua segurança ao sair do país para não haver problemas de última hora.

"Isso é muito importante porque [o ACNUR] não costuma levar a perseguição cristã a sério. Isso foi maravilhoso!", disse Vessey.

Vessey afirma também que uma das principais razões para o ACNUR ter atitudes como essa em relação à perseguição de cristãos é porque muitos escritórios do ACNUR em todo o mundo são formadas por funcionários muçulmanos e, portanto, questões de perseguição cristã muitas vezes não são abordadas.

Pedidos de oração

• Agradeça a Deus por esse "grande milagre" e ore para que outros líderes sejam encorajados com o testemunho do pastor Djabbarbergenov, a continuarem pregando no Cazaquistão.

• Peça a Deus que proteja seus filhos de qualquer ataque físico ou espiritual que os impeçam de segui-lo.

• Ore pelo trabalho da Portas Abertas nos países onde há maior perseguição aos cristãos.

Fonte: Cristhian Post

Cristina Kirchner privilegia Igreja Católica e irrita evangélicos com nova Lei de Mídia


A Lei de Midia, a menina dos olhos da presidente Cristina Kirchner (foto), está gerando grande irritação entre os evangélicos argentinos, além de outros grupos religiosos.

A Lei de Midia, aprovada em 2009 pelo Parlamento argentino – e que entrará em plena vigência a partir da meia-noite desta sexta-feira – está gerando grande irritação entre os evangélicos deste país, além de outros grupos religiosos da sociedade argentina. O pivô dessa irritação é que a lei – a menina dos olhos da presidente Cristina Kirchner – determina em seu artigo número 37 que a Igreja Católica será a única entidade religiosa que terá direito a canais de TV e e estações de rádio sem necessidade de autorizações prévias ou licitações.

Gastón Bruno, vice-presidente de relações externas da Aliança Cristã de Igrejas Evangélicas da Argentina (ACIERA), afirmou que a entidade defende “a igualdade religiosa” na Argentina. “Não estamos contra credo algum. Simplesmente queremos tratamento igualitário”, afirma Bruno, lamentando a exclusão das igrejas evangélicas da lei de mídia. “Nós representamos 5 milhões de pessoas”, afirma.

“Para o Estado argentino as igrejas evangélicas são entidades civis e não uma fé. E isto ocorre 200 anos depois da independência do país, momento no qual se produz a igualdade de vários direitos de vários setores. Mas nós, embora sejamos uma minoria crescente e dinâmica, não somos tratados de forma igualitária”, explica.

O Conselho Nacional Cristão Evangélico (CNCE) da Argentina sustenta que lei de mídia gera “uma dolorosa e inexplicável discriminação religiosa”.

As outras entidades religiosas, entre elas, as vinculadas comunidade judaica (a maior da América Latina) e a muçulmana, também ficam de fora desses privilégios que a presidente Cristina Kirchner – que cita Deus e o marido morto em seus discursos – concedeu à Igreja Católica. Oficialmente, a Argentina possui um Estado laico.

A decisão do governo de privilegiar a Igreja Católica constrange os militantes kirchneristas. O próprio Martín Sabbatella, diretor da Autoridade Federal de Serviços de Comunicação (Afsca), além de deputados, evitam falar sobre o assunto. No máximo alegam que a Igreja Católica possui um status legal especial, já que é uma entidade pré-existente ao próprio Estado argentino. Isto é: existia Igreja Católica antes da Argentina ser independente. “Se for por isso, as igrejas protestantes também existiam aqui antes da independência”, afirma Bruno. “Inclusive, vários evangélicos lutaram nas guerras da independência”.

Coincidentemente, a alta hierarquia do clero em Buenos Aires – que havia desferido duras críticas contra os Kirchners durante vários anos – desde a aprovação da lei de mídia, embora pronuncie alguma eventual crítica, manteve um perfil mais baixo e evitou participar das controvérsias sobre a norma que limitará a atuação das empresas privadas na área de jornalismo.

EM TEMPO: O Estado argentino, por uma lei da ditadura (a de número 21.950), paga os salários dos bispos e dos padres da Igreja Católica. Também subsidia seminaristas. O governo Kirchner nunca disse nada sobre este assunto. Quem quiser ver uma lista de algumas leis que beneficiam com exclusividade o setor citado, aqui há um link oficial, do Ministério das Relações Exteriores e Culto (assuntos burocráticos relativos à religião são tratados pela chancelaria): http://www.culto.gov.ar/dircatolico_normativa.php

MAIORIA ATEIA
Segundo uma pesquisa realizada em 2009 pelo governo, 76% dos argentinos foram originalmente batizados católicos. Mas, apenas 6% são praticantes.

A totalidade das igrejas evangélicas na Argentina não reúne mais de 10% da população. Mas, ao contrário dos católicos, o grupo evangélico é totalmente praticante. Os evangélicos argentinos não possuem uma bancada que os represente no Parlamento, e tampouco contam com redes de televisão.

Os ateus, no entanto, segundo a pesquisa, ultrapassam católicos e evangélicos praticantes, representando 11,3% da população.

O país conta com a maior comunidade judaica da América Latina – calculada entre 300 mil e 500 mil pessoas – além de uma presença muçulmana (estimada em 500 mil pessoas) nas províncias do norte e noroeste.

Até a reforma constitucional de 1994 a Carta Magna determinava que somente poderia ser presidente um católico apostólico romano. A reforma excluiu essa restrição.

Fonte: Estadão

MINHA AGENDA PARA 2013 JÁ ESTA ABERTA . AGUARDO SEU CONVITE .

MINISTRANDO NA IGREJA PODER DA FÉ EM SP
Durante esses anos todos estamos procurando fazer o melhor para o Reino de Deus.
Quando ministramos , levamos uma palavra do Coração de Deus para a igreja .
Mais um ano esta terminando , e com o sentimento de dever cumprido sei  que logo se inicia mais um .
E por isso já liberei minha agenda para 2013 .
Onde creio que DEUS ESTARÁ NOS DANDO MUITAS PALAVRAS PROFÉTICAS.
Creio que 2013  será um ano de muitas maravilhas .
Amados , minha agenda para 2013 já esta aberta .
AGUARDO SEU CONVITE PARA MINISTRARMOS EM SUA IGREJA.


Bispo Roberto Torrecilhas

"Dez Grandes Sinais da Volta de Jesus"


Quando são mencionados os sinais da volta de Jesus, algumas pessoas respondem mais ou menos assim: “Terremotos, fome e violência sempre existiram.” É verdade, muitas dessas mazelas sempre existiram, desde que Adão e Eva foram expulsos do paraíso após desobedecerem a Deus. Ao que tudo indica, terremotos são efeitos secundários do dilúvio, que causou a fragmentação da crosta terrestre em grandes placas mais ou menos instáveis. O que muitos não estão se dando conta é da intensidade e ocorrência simultânea de todos os sinais numa mesma época. É como as dores do parto que vão se tornando mais intensas e sentidas a intervalos cada vez menores à medida que vai chegando o momento de dar à luz. Jesus breve voltará para dar fim à história de pecado e para enxugar dos olhos toda a lágrima (Ap 21:4).
A Revista do Ancião (CPB) de abril-junho de 2011 traz um esboço de sermão interessante preparado por Frank Breaden, da Austrália. O título é “Dez Grandes Sinais da Volta de Jesus”. Confira a lista:
1. O sinal dos “escarnecedores” (2Pe 3:3, 4). Pedro anunciou que as condições prevalecentes nos “últimos dias” seriam de descrença a respeito dos sinais da vinda de Cristo. Sem dúvida, isso é verdade hoje. Cada escarnecedor moderno é um sinal que fala e se move. O cristão pode dizer ao escarnecedor: “Amigo, Pedro fez uma predição a seu respeito. Você é um dos últimos sinais que estou vendo!”
2. O sinal da “guerra” (Mt 24:6, 7). O século 20 testemunhou as duas maiores guerras da história (1914-1918; 1939-1945). No total, mais de 70 milhões de pessoas morreram, ficaram feridas ou desapareceram). O século 20 foi o mais sangrento já registrado. [E as guerras continuam...]
3. O sinal da “fome” (Mt 24:7). Os últimos cem anos testemunharam quatro das maiores fomes de toda a história (Rússia 1921, 1933; China 1928-1930; Bangladesh 1943-1944. Estima-se que cerca de 20 milhões de pessoas morreram).
4. O sinal da “pestilência” (Mt 24:7). O século passado testemunhou também uma das maiores pestilências de toda a sua história (“Gripe Espanhola” de 1918. Estima-se 21 milhões de vítimas). [Isso sem contar o iminente risco da superbactéria.]
5. O sinal dos “terremotos” (Mt 24:7). O último século ainda testemunhou dois dos maiores terremotos da história (China, 1920, 180 mil mortos; Japão, 1923. Total de feridos 1,5 milhão, dos quais 200 mil morreram). O terremoto no Japão foi descrito na ocasião como a “maior catástrofe desde o dilúvio”. [Faltou mencionar os terríveis terremotos do Haiti, no ano passado, e o quarto maior terremoto da história, ocorrido neste mês, no Japão, com intensidade máxima de 9 graus na escala Richter.]
6. O sinal dos “tempos difíceis” (2Tm 3:1-3). A despeito dos equipamentos mais engenhosos e caros para combater o crime, a violência, assassinato, roubo e estupro, estes estão aumentando em proporções alarmantes. Os governos podem restringir, mas não eliminar esses problemas.
7. O sinal do “temor” (Lc 21:25-26). Desde o advento da bomba nuclear, nosso sonho de paz e segurança se transformou em terrível pesadelo, quando o grande conhecimento que os seres humanos adquiriram deveria lhes garantir segurança. [O terrorismo crescente também gera medo.]
8. Sinal dos “Dias de Noé” (Mt 24:37-39). Nos dias de Noé, o avanço e grande conhecimento da civilização foram ofuscados pela violência desenfreada e pela escandalosa imoralidade. O mesmo ocorre hoje. [Mundo torto.]
9. O sinal do “evangelho” (Mt 24:14). Durante os últimos anos, por meio da página impressa, da internet, rádio e televisão, a pregação do evangelho em escala mundial se tornou uma possibilidade real. Um único homem pode atingir uma audiência de dezenas e mesmo centenas de milhões de pessoas! A Bíblia está traduzida em mais de 1.300 línguas e é distribuída a uma média de 100 milhões de cópias por ano.
10. O sinal “estas coisas” (Lc 21:28-32). Quando confrontadas com a impressiva relação de sinais, algumas pessoas argumentam: “Mas crimes, guerras, terremotos e pestilências sempre ocorreram. Não há nada de anormal nisso; portanto, como tratá-las como sinais? Além do mais, pessoas sinceras no passado esperaram a volta do Senhor em seus dias e foram desapontadas. Elas interpretaram mal os sinais. Não poderíamos estar cometendo o mesmo equívoco?” Aqueles que levantam essa objeção deixam de considerar uma diferença muitíssimo significativa entre a nossa geração e as gerações passadas: hoje, pela primeira vez, desde que Jesus ascendeu ao Céu, todos os principais sinais preditos para o tempo do fim estão sincronizados! Um ou mais desses sinais podem ter ocorrido nas gerações passadas, mas nunca todos eles ocorreram simultaneamente, como vemos hoje!
Conclusão 1. Jesus nunca nos pediu que crêssemos na proximidade de Sua vinda com base apenas em um sinal. Um floco de neve não provoca uma avalanche. Mas quando todos os sinais rapidamente se multiplicam, dando assim seu testemunho acumulado, se transformam em uma avalanche de irresistível poder. Portanto, inequivocamente esses sinais da vinda de Cristo não deixam margem para que pessoas inteligentes deixem de reconhecê-los. São tão claros como se Deus estivesse falando por intermédio dos trovões ou se estivesse escrevendo em letras gigantescas no céu!
2. Por que você imagina que Deus nos deu a oportunidade de ouvir essas maravilhosas boas-novas? Para que pudéssemos “discernir os sinais dos tempos” e estar prontos para receber Jesus com avidez e alegria.
3. Lucas 21:28: “Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai a vossa cabeça; porque a vossa redenção está próxima.”

VIA  GRITOS  DE ALERTA  / INF.  GUIA ME

INVEJA - PORQUE PESSOAS INVEJAM OUTRAS EM VEZ DE PROCURAR FAZER O MELHOR ?


A inveja e a maldade caminham
lado a lado; pois a pessoa que
sofre desse mal não se dá por
satisfeita enquanto não consegue
prejudicar quem está progredindo
Texto Áureo
    O sentimento sadio é vida para o corpo, mas a inveja é podridão para os ossos  (Pr 14:30).

Verdade Prática
    O cristão verdadeiro não se deixa levar pela inveja[1] e não age com maldade.

Leitura Bíblica em Classe
    1ª João 2:9-15 - Aquele que diz que está na luz, e odeia a seu irmão, até agora está em trevas. 10Aquele que ama a seu irmão está na luz, e nele não há escândalo. 11Mas aquele que odeia a seu irmão está em trevas, e anda em trevas, e não sabe para onde deva ir; porque as trevas lhe cegaram os olhos. 12Filhinhos, escrevo-vos, porque pelo seu nome vos são perdoados os pecados. 13Pais, 
escrevo-vos, porque conhecestes aquele que é desde o princípio. Jovens, escrevo-vos, porque vencestes o maligno. Eu vos escrevi, filhos, porque conhecestes o Pai.14Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno. 15Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.  

Esse sentimento maléfico
destrói a pessoa por dentro,
fazendo transparecer por
fora sua personalidade
maligna; não há como se
esconder por muito tempo:
a qualquer momento, o
invejoso não se aguenta e
acaba se revelando com
suas atitudes
Introdução

  •          A inveja, quase que inevitavelmente, gera a maldade: esse tipo de sentimento jamais deveria existir na vida de um crente.
  •          Tudo o que prejudica o próximo ou a si próprio afasta o homem de Deus; aonde existe atitudes malignas, o Espírito Santo não habita.
  •          Não é muito fácil identificar um invejoso porque nem sempre ele demonstra ter inveja, mas através de alguns mínimos detalhes é possível perceber os sintomas dessa terrível “doença”, pois um invejoso costuma agir das seguintes maneiras:
a)      Fala com falsidade: só é teu amigo na tua frente;
b)      Elogia exageradamente: tenta disfarçar para não transparecer o que ele fala de você pelas costas;
c)       Faz duras críticas sem provas: não importa se está certo ou errado, ele quer te derrubar;
d)      Imita as suas atitudes: não tem identidade própria;
e)      Faz várias tentativas de te fazer desistir: raramente te incentiva a realizar os seus sonhos, quase sempre te aconselha a não se arriscar;
f)       Coloca defeito em tudo: a frustração de não conseguir ser igual, não lhe permite admitir a tua superioridade;
g)      Acha que as coisas dele são sempre melhores: possui um terrível sentimento de orgulho que o faz valorizar apenas o que pertence a ele;
h)      Se diz melhor em tudo: ele nunca assume seus erros, mas enxerga falhas nos outros até onde elas não existem;
i)        Adora dar conselhos: fala muito e ouve pouco. Não sabe nada, mas quer sempre dar a sua opinião sobre tudo;
j)        Se afasta repentinamente: quando não te supera e nem te derruba, faz o favor de deixar de ser teu “amigo”.

  •          Há crentes tão imaturos que invejam até o ímpio em suas maldades, sendo que nosso único desejo deve estar nas coisas que edificam [Pr 23:17 - Não tenha o teu coração inveja dos pecadores; antes, sê no temor do Senhor todo o dia.].

A inveja foi o que derrubou
Satanás e os seus anjos; e é
esse sentimento que ele usa
para derrubar aqueles que
- de forma consciente ou
não - o seguem fazendo a
sua vontade
I – A inveja no princípio do mundo
1. Inveja, um sentimento maléfico

  •          O significado da palavra inveja também pode ser definido como cobiça; cobiçar é desejar algo a ponto de poder chegar até mesmo a cometer atos indevidos para consegui-lo.
  •          Quem tem esse sentimento reflete a personalidade de Satanás, pois conforme vemos em Isaías 14:12-20, ele desejou ser semelhante a Deus;
  •          De acordo com o que está escrito em Gênesis 3:1-5, foi exatamente isso que ele fez com: a induziu a desejar ser igual a Deus, levando-a a comer o fruto da árvore do conhecimento.
  •          O sentimento de inveja é sinal de carnalidade; crentes espirituais se alegram e não se entristecem com o sucesso alheio [1ª Co 3:3 - porque ainda sois carnais, pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois, porventura, carnais e não andais segundo os homens?].

2. Maldade, uma ação maligna

  •          Pessoas más são capazes de praticar qualquer tipo de crueldade em nome de sua ganância.
  •          Conforme aprendemos em Provérbios 11:20, a maldade é abominação ao Senhor.
  •          Há vários exemplos na Bíblia de como a maldade foi punida com a morte; esse foi o caso do rei Saul, dos filhos de Eli, de Hamã[2], da rainha Jezabel[3], de Judas, de Ananias e Safira e de muitos outros.
  •          A inveja é tão terrível que pode ser comparada com as piores maldades [Pr 27:4 - Cruel é o furor e a impetuosa ira, mas quem parará perante a inveja?].

Os sentimentos de um
"derrotado" podem por
a perder a realização de
projetos de uma equipe
inteira; por isso, temos
que ser sempre vigilantes
e estar espiritualmente
prontos para não cairmos
em ciladas diabólicas
3. A inveja leva à maldade

  •          O invejoso é uma pessoa infeliz que em vez de simplesmente lutar pela sua felicidade, perde seu tempo e sua paz tentando provocar a infelicidade dos outros porque não suporta se sentir inferior.
  •          Quase sempre, os atos de maldade são causados pelo maldito sentimento de inveja.
  •          A inveja levou Caim a matar Abel, os irmão de José a venderem-no como escravo, os sacerdotes a planejarem a prisão e a morte de Jesus e, até hoje, atua no meio da Igreja matando - ou tentando matar - a fé do povo de Deus.
  •          Esse tipo de sentimento pode levar a pessoa à total destruição; para escapar de suas consequências devemos sempre fazer o bem, pois essa é a vontade de Deus para continuar nos abençoando mais e mais [Sl 37:1-3 - Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniqüidade. 2Porque cedo serão ceifados como a erva e murcharão como a verdura. 3Confia no Senhor e faze o bem; habitarás na terra e, verdadeiramente, serás alimentado.].

A inveja desperta a cobiça que
provoca a maldade que leva à
destruição; e essa destruição
sempre acaba sendo muito mais
prejudicial a quem a comete do
que à sua própria vítima
II – A inveja e sua consequência
1. Na vida de Caim

  •          Caim não tinha motivos para matar Abel, ele simplesmente o invejou pelo seu sacrifício ter alcançado graça aos olhos de Deus;
  •          Para fazer inimigos não precisamos dar motivos, basta sermos fiéis cumprindo a vontade do Senhor que sempre haverão críticos insatisfeitos tentando nos derrubar;
  •          Se em vez de olhar para o sacrifício bem sucedido de seu irmão, ele tivesse se preocupado com a sua própria adoração ao Senhor, não teria se tornado um assassino e sofrido as consequências que lhe sobrevieram em decorrência disso;
  •          Há muitos crentes que sofrem porque deixam de olhar para Jesus e passam a desperdiçar seu tempo se preocupando com o que seu irmão está fazendo.
  •          Caim era o primogênito, talvez isso o fizesse achar que merecia mais reconhecimento do que Abel; mas para o Senhor não existem preferidos, Ele procura verdadeiros adoradores;
  •          Em Gênesis 4:7, vemos que Deus alertou Caim sobre o perigo do instinto pecaminoso que crescia em seu coração por ter se sentido rejeitado; mas a ira em seu coração era tão grande que ele não deu ouvidos à orientação divina que lhe recomendou que fizesse o bem.
  •          Os atos de maldade provocados pela cobiça - a qual é decorrente da inveja -, transformam a pessoa em vítima de suas próprias ciladas levando-a à condenação [Pr 1:18,19 - E estes armam ciladas contra o seu próprio sangue; e a sua própria vida espreitam. 19Tais são as veredas de todo aquele que se entrega à cobiça; ela prenderá a alma dos que a possuem.].

A maldade dos irmãos de José
causaram um imenso sofrimento
ao seu pai, mas nem isso os
sensibilizou a dizer a verdade;
pessoas movidas pela inveja
estão com o coração tão
apodrecido pelo pecado que não
conseguem mais sentir nem
mesmo a dor daqueles que os
amam
2. Na vida dos irmãos de José

  •          Jacó era um homem idoso que amava José, seu filho caçula, de uma forma especial; a Bíblia não relata, mas imaginamos que esse jovem tivesse algo diferente em seu comportamento que o fizesse merecer uma atenção especial de seu pai;
  •          Como filho de Deus, você quer ter uma atenção especial? Então seja diferente e adore-o de uma forma especial!
  •          Esse “tratamento vip” que ele recebia certamente incomodava seus irmãos, mas assim como Caim, em vez de melhorarem suas atitudes, se deixaram corroer pelo maligno espírito da inveja e procuraram um meio de destruí-lo.
  •          Complicando mais ainda a situação, Jacó deu a ele uma túnica[4]colorida que o diferenciava dos demais e, como se não bastasse, talvez ingenuamente, José lhes contou dois sonhos que o exaltavam perante eles;
  •          No que se refere a conflitos familiares, aprendemos duas coisas importantes aqui: não tratar os filhos com diferença e jamais dizer algo que possa fazer nossos entes queridos se sentirem inferiores, pois aqueles que não tiverem estrutura espiritual se deixarão levar por sentimentos diabólicos; mas não nos esqueçamos também que o que aconteceu nesse caso estava dentro dos propósitos divinos, assim também como pode acontecer conosco.
  •          Dominados pela fúria causada pela inveja, pretendiam matá-lo, mas decidiram vendê-lo como escravo ao Egito; mas foi lá que o Senhor o exaltou colocando-o como governador dessa nação, preparando-o para salvar o povo, inclusive sua família e seus irmão que o odiavam, durante um longo período de fome. Nesse caso, a inveja foi vencida pelo amor, a misericórdia e o perdão.
  •          Os que não se arrependerem das maldades praticadas pela inveja terão um triste fim, porque, apesar de sua grande misericórdia, Deus é justo e permite que o mal se volte contra aquele que o praticou [Pr 5:22,23 - Quanto ao ímpio, as suas iniquidades o prenderão, e, com as cordas do seu pecado, será detido. 23Ele morrerá, porque sem correção andou, e, pelo excesso da sua loucura, andará errado.].

Mínimos detalhes têm provocado
grandes quedas espirituais; mas a
raiz do problema não está no ato da
inveja propriamente, mas sim bem
antes dela acontecer, quando a
pessoa não adquiriu o costume de
orar, meditar, vigiar, se consagrar e
aprender a amar
3. Na vida do crente

  •          A inveja é um pecado que mata espiritualmente, pois ela provoca a fúria levando sua vítima a cometer outros atos pecaminosos que a fazem afundar cada vez mais no lamaçal da perdição.
  •          Conforme aprendemos em Romanos 12:15, devemos nos alegrar com os que se alegram e chorar com os que choram: isso é amor; mas, uma pessoa dominada pela inveja não consegue amar, porque o amor provém de Deus e em seu doente coração habita o maligno.
  •          Vergonhosamente, disputas ministeriais são constantes em nosso meio: há uma grande concorrência para ver quem canta, rege, prega, ensina, sabe, evangeliza, ora e até se consagra mais ou melhor; e, diante disso, esses “maratonistas espirituais” se esquecem que o chamado e o dom são de Deus e que o lugar que Ele nos deu ninguém pode tomar, basta trabalharmos com zelo!
  •          Os que não entendem isso vivem frustrados e amargurados e não percebem que além de estarem prejudicando a si próprios, ainda estão dando ponto para Satanás.
  •          No coração do cristão que ama não há espaço para a inveja, a cobiça ou a maldade; se algum desses sentimento floresce dentro de ti, tome cuidado, pois está faltando o amor de Deus em teu interior [1ª Co 13:4,5 - A caridade é sofredora, é benigna; a caridade não é invejosa; a caridade não trata com leviandade[5], não se ensoberbece, 5não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;]?

O maior erro de muitas famílias é o
fato de procurarem ajuda
espiritual apenas depois que os
problemas acontecem; os cristãos
precisam entender que o seu lar
deve ser habitado não somente por
pessoas, mas também pelo Espírito
Santo de Deus
III – A destruição advinda da maldade
1. No âmbito[6] familiar

  •          Muitas famílias estão hoje desagregadas pela inveja: são irmãos, pais e filhos que não se falam há anos, ou que, apesar de viverem juntos, mas não têm paz e harmonia dentro da própria casa; e o pior disso tudo é que quando morre um de seus membros, para quem fica, o que resta é a dor do remorso por não ter perdido perdão a tempo.
  •          Um lar dividido não consegue prevalecer; essa é a razão pela qual muitas famílias estão desmoronando e se destruindo aos poucos.
  •          A família cristã deve ser exemplo para os ímpios a sua volta, que moral teremos para evangelizar ou aconselhar famílias desestruturadas se o nosso próprio lar for um verdadeiro campo de batalhas aonde todos se confrontam por se julgarem, ou quererem ser, uns melhores do que os outros?
  •          Zelar pela família é uma obrigação daqueles que professam a fé em Cristo; dizer que serve ao Senhor e não honrar aqueles que têm o seu próprio sangue é um pecado que o torna pior do que ímpios [1ª Tm 5:8 -Mas, se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente dos da sua família, negou a fé e é pior do que o infiel.].

Os invejosos sempre se preocupam
mais com o sucesso alheio do
que com o seu próprio fracasso;
mesmo em questões materiais,
essas pragas precisam ser
combatidas espiritualmente
2. No trabalho

  •          O local de trabalho é um dos ambientes mais propícios para a manifestação dos invejosos de plantão; se lidar com alguns crentes na igreja já não é uma tarefa fácil, imagine então em lugares aonde ninguém conhece - ou não faz questão de respeitar - os mandamentos bíblicos ou mesmo as regras de ética para o convívio humano.
  •          Profissionalmente, a inveja é uma prova de incompetência e incapacidade, pois quem se garante naquilo que faz não se preocupa com o crescimento do seu próximo.
  •          A ganância pelo crescimento transforma pessoas honestas em criminosas e também crentes em pecadores; devemos cuidar para não vendermos nossa alma em troca de status e promoções que nada mais renderão do que algumas amizades falsas e uns trocados a mais no pagamento.
  •          Nossas atividades seculares devem ser suficientes apenas para satisfazerem nossas provisões; o que tem tirado muitas pessoas da presença do Senhor é o desejo de obter cada vez mais além daquilo que realmente necessita [Ec 6:7 - Todo trabalho do homem é para a sua boca, e, contudo, nunca se satisfaz a sua cobiça.].

Os crentes contenciosos - normalmente
chamados de contendeiros - são
aqueles cujo seu prazer não está no
crescimento da Obra de Deus, mas sim
no seu próprio bem-estar; para
combater esse tipo de inimigo, o
Senhor nos deu duas armas: Bíblia na
mão e joelho no chão!
3. Na igreja

  •          Muitos púlpitos têm se tornado palco de confrontos entre pregadores e cantores que colocam Jesus em segundo plano e trabalham para obter a honra e exaltar a glória de si próprios.
  •          Esse tipo de inveja provoca escândalos que dificultam a pregação do Evangelho, mas os falsos crentes sempre acabam sendo desmascarados por aquEle que tudo sabe e não consente com a injustiça.
  •          As perseguições que enfrentamos entre os nossos próprios irmãos podem ser amargas, mas ainda não se podem comparar às perseguições enfrentadas por muitos que entregaram - e ainda entregam - sua vida por amor a Cristo; por isso, não murmure, mas enfrente cada situação com paciência, amor e carinho, sabendo que os seus problemas são a forma que Deus escolheu para te exaltar.
  •          O segredo do sucesso ministerial não está na briga por cargos, mas sim na busca espiritual com sinceridade e amor pelas almas que necessitam ser resgatadas [Tg 4:2 - Cobiçais e nada tendes; sois invejosos e cobiçosos e não podeis alcançar; combateis e guerreais e nada tendes, porque não pedis.].

A mente maligna de um invejoso
só é capaz de maquinar o mal;
mas nem por isso temos o direito
de odiá-lo, pois ele não é feliz com
isso e precisa de ajuda! Ame o
invejoso, porque, por mais que ele
te odeie, no fundo, ele está é
implorando por sua ajuda!
Conclusão

  •          Crentes verdadeiramente edificados pelo Espírito Santo têmmaturidade[7] suficiente para não se deixarem levar por levianos sentimentos malignos como a inveja.
  •          Uma das causas da inveja é quando o crente deixa de olhar para o Senhor Jesus Cristo e passa a olhar para o homem e tudo o que está a sua volta.
  •          Olhar para Cristo significa entender o seu chamado e se dispor a cumprir a vontade daquEle que o chamou, tendo a plena confiança de que o que foi entregue a você ninguém pode tirar, e que aquilo que pertence a seu irmão deve ser encarado como motivo de glorificar a Deus e não de alimentar sentimentos que exaltam os instintos de maldade colocados por Satanás.
  •          O amor é o resumo de toda a nossa obrigação perante Deus, mas, carnalmente, somos constantemente tentados a descumprir esse mandamento; por isso, devemos, a cada momento, examinar a nós mesmos, vigiando para que nunca deixemos de andar em Espírito, ou seja: de agir de acordo com a vontade do Pai [Gl 5:14-17 - Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 15Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede não vos consumais também uns aos outros. 16Digo, porém: Andai em Espírito e não cumprireis a concupiscência da carne. 17Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne; e estes opõem-se um ao outro; para que não façais o que quereis.].
VIA  GRITOS  DE ALERTA  /  INF. http://ebvirtual.blogspot.com.br

O QUE NOS TRARÁ 2013 ?


Numa altura em que as caixas de correio eletrônico ficam pesadas de mensagens (muitas delas automáticas e nada pessoais) desejando um feliz/abençoado/próspero 2013, enfim, o costume - e nada tendo contra os bons sentimentos das pessoas - 
Penso que seria talvez melhor que escolhessemos antes enviar mensagens de desconforto e alerta para os tempos tenebrosos que se aproximam a passos largos sem que muitos se dêem conta, ou prefiram fingir que isso nunca vai acontecer - pelo menos com eles - 
Pois o relógio profético não pára, antes pelo contrário, teve neste ano de 2012 uma forte aceleração que para os mais atentos e vigilantes é claro sinal de que o Rei da Glória, o Messias de Israel está prestes a intervir neste mundo conflituoso, condenado e fracassado, trazendo o Seu Reino eterno:

 "O Deus do céu levantará um reino que não será jamais destruído; e esse reino não passará a outro povo; esmiuçará e consumirá todos esses reinos e será estabelecido para sempre" - Livro do profeta Daniel 2:44.

Sejamos então arautos da Verdade, não da oferta de vãs esperanças que nada mais são que enganosas, pois a Palavra avisa-nos que "este mundo irá de mal a pior", e que "nos últimos dias" aumentaria a violência, a corrupção e a imoralidade. 


Avisemos então a todos do destino trágico que os espera, caso não se arrependam dos seus pecados e se voltem para Deus com fé e confiança de que só n'Ele há paz e segurança para os dias que em breve iremos enfrentar, sabendo também que no Messias Yeshua, o Enviado de Deus, podemos receber perdão dos pecados e certeza de vida eterna, para sempre, com Deus!

Jerusalém estará cada vez mais no centro das atenções
O relógio profético de Deus indica claramente que "o tempo da redenção dos filhos de Deus" está próximo: "Ora, quando essas coisas (sinais no sol, e na lua, e nas estrelas, e na terra, angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas; homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo, porquanto os poderes do céu serão abalados) começarem a acontecer, olhai para cima, e levantai a vossa cabeça, porque a vossa redenção está próxima" (Lucas 21:28). Interessante que logo a seguir a esta informação, o Messias recomenda: "Olhai para a figueira". Ora bem sabemos que a figueira representa Israel, pelo que Israel estará cada vez mais no foco da atenção de Deus e do mundo.
O que podemos então esperar para 2013 ?

O ARRANQUE DE UMA NOVA ORDEM MUNDIAL

Tudo se prepara para a tão falada "Nova Ordem Mundial", com uma moeda única, aliás já desejada pelo próprio Vaticano, e que catapultará a ascensão e entrada em cena do "homem forte", o Anticristo, não se sabe para quando, mas certamente para breve. 

Essa Nova Ordem já secretamente organizada pela maçonaria e outros grupos secretos conseguirá durante algum tempo trazer a tão desejada "paz e segurança", mas não por muito tempo.

UMA GUERRA COM O IRÃN
Não só Israel se prepara diariamente para este conflito praticamente incontornável, como os próprios EUA acabarão por se envolver, uma vez que essa destruição do poder nuclear do Irão "interessa" a países "amigos" dos EUA, como a Arábia Saudita, etc. 
Ninguém calcula nesta altura quais as consequências de uma intervenção no Irão, mas também quase ninguém pergunta se a mesma irá ou não acontecer. A questão não é "se", mas "quando". E a situação atual não se pode aguentar por muito mais tempo. 

AUMENTO DO PREÇO DO PETRÓLEO

Com uma possível intervenção no Irãn, e o ameaçado encerramento do estreito de Ormuz por parte do Irãn, o preço do crude pode disparar, desestabilizando a já periclitante economia das grandes potências ocidentais dependentes do petróleo do Médio Oriente.

DESFRAGMENTAÇÃO DA EUROPA
A Europa tal como a conhecemos atualmente poderá sofrer uma completa reestruturação, em função dos "elos mais fracos" da comunidade não conseguirem aguentar a pressão para diminuir o défice e terem inclusivamente de sair do "clube do Euro", como será o caso mais evidente da Grécia e de Portugal.
Poderemos a qualquer momento ser surpreendidos com algo que nos fará lembrar a profecia da "besta que sobe do mar com 10 chifres - 10 reinos". No atual estado da Europa dos 27, tudo pode acontecer, e mais rapidamente do que podemos imaginar.

GRANDES CONVULSÕES GEOLÓGICAS
Conforme o Messias profetizou, nos últimos dias ouviríamos falar de "guerras e rumores de guerras... fomes e pestes, e terremotos em vários lugares", . 2012 viu muitos destes grandes sinais, e a previsão dos cientistas é que estes cataclismos aumentem de intensidade.

RADICALISMO ISLÂMICO OCUPANDO CADA VEZ MAIS ESPAÇO NO MÉDIO ORIENTE
A chamada "primavera árabe", inesperada e surpreendente na sua dimensão, levou à queda de regimes ditatoriais que de uma forma ou outra conseguiam suster a invasão islâmica a que agora se assiste. Especialmente preocupante no caso do Egipto, que fazendo fronteira com Israel se torna numa acrescida preocupação para o estado judaico, uma vez que a Irmandade Muçulmana já apela à anulação do acordo de paz com Israel, e ganha cada vez maior proximidade ao movimento terrorista do Hamas.

CRESCENTE PERSEGUIÇÃO AOS CRISTÃOS
Cumprindo também os avisos proféticos do Messias, haverá um aumento assinalável da perseguição aos cristãos, especialmente nos países do Médio Oriente e outros onde o Islão vai ganhando poder. A Europa, esvaziada de Deus, é a próxima candidata.

Não quero ser o "profeta da desgraça". Mas também não tenho quaisquer ilusões quanto ao futuro da humanidade. Muito menos as quero oferecer a alguém. A minha esperança está no Reino que em breve virá, por isso de cada vez que ouço as "más notícias" levanto a minha cabeça e olho para os céus, pois sei que dali virão em breve "boas notícias"!
"Assim também vós, quando virdes acontecer essas coisas, sabei que o Reino de Deus está perto" (Lucas 21:31).
A oração que quero fazer consigo neste dia, ao olhar para 2013 é aquela que o Messias nos ensinou a fazer: "Venha o Teu Reino!"E acrescento: que venha depressa!

Desejo muito sinceramente que o

 Shalom de Deus esteja sobre

cada um de nós neste Novo Ano