terça-feira, 23 de agosto de 2011

FIM DO MUNDO -Terremoto atinge costa leste dos EUA sem deixar vítimas nem grandes danos

Miriam Burgués.
Washington, 23 ago (EFE).- Um forte terremoto de 5,8 graus Richter atingiu nesta terça-feira a região de Washington e foi sentido em boa parte da costa leste dos Estados Unidos sem causar vítimas nem grandes danos, apesar de ter provocado atrasos em aeroportos, o fechamento de dois reatores nucleares e sobretudo muito pânico.
O último relatório atualizado do Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS) indica que o epicentro do terremoto, registrado pouco antes das 14h hora local, se situou a 8 quilômetros ao sudoeste da cidade de Mineral, no estado da Virgínia, limite a Washington.
A magnitude do tremor, de 5,8 graus na escala Richter segundo o último relatório do USGS - que corrige a prévia, de 5,9 graus - e a pouca profundidade à qual se registrou (6 quilômetros) fizeram com que se sentisse em boa parte do litoral leste do país, incluindo Nova York.
Desde 1897, o USGS não registra nesta zona dos EUA um terremoto de tal magnitude. Em Washington, milhares de pessoas saíram às ruas por temor de possíveis réplicas e todos os edifícios públicos foram evacuados temporariamente, desde os museus até o Capitólio, a Casa Branca e o Pentágono, cujas instalações estão perto do epicentro do sismo.
O Serviço de Bombeiros informou que apenas se registraram ferimentos leves. A Prefeitura de Washington foi isolada, assim como a Casa Branca e suas imediações após evacuar os turistas que habitualmente ficam na praça de Lafayette.
A embaixada do Equador e a catedral de Washington foram os dois edifícios mais prejudicados na capital, segundo um relatório preliminar do Departamento de Bombeiros, enquanto o responsável de negócios da embaixada do Equador nos EUA, Efraín Baus, explicou à Agência Efe que três chaminés foram derrubadas e provocaram danos no telhado e na parte interna onde estão os escritórios da legação diplomática e do consulado.
Enquanto isso, na Virgínia dois reatores nucleares próximos ao epicentro foram desativados como medida de precaução, informou a Comissão para a Regulação Nuclear (NRC). Os dois reatores, operados pela empresa Dominion Generation, estão localizados na estação North Anna, na localidade de Mineral, próximo do epicentro do terremoto.
Quanto aos aeroportos, segundo a Administração Federal de Aviação (FAA, da sigla em inglês), os três da zona metropolitana de Washington - National Reagan, Dulles e Baltimore - funcionam com normalidade, mas há atrasos de mais de 40 minutos nos voos procedentes e com destino ao de Newark de Nova York.
Em relação ao metrô, Dan Stessel, um porta-voz do sistema, pediu paciência aos usuários, já que os trens circulam em uma menor velocidade e aglomerações estão surgindo decorrente de atrasos durante o fim do expediente de trabalho.
Em Nova York, além do grande volume de chamadas recebido pelo Departamento de Bombeiros, as torres de controle dos aeroportos internacionais John F. Kennedy e Newark foram paralisadas, o que provocou uma breve suspensão dos voos e atrasos.
Além disso, o sismo provocou evacuações em edifícios oficiais e paralisou as obras de reconstrução do World Trade Center ao sul de Manhattan, enquanto a sede do Tribunal Federal do Distrito Sul de Nova York vibrou, segundo testemunhas citados pelo canal de televisão 'CNBC'.
De fato, o terremoto interrompeu temporariamente a coletiva de imprensa do promotor de Manhattan, Cyrus Vance, após a decisão do juiz Michael Obus de retirar todos as acusações contra o ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss-Kahn por agressão sexual e tentativa de violação.
O presidente dos EUA, Barack Obama, que está de férias na ilha de Martha's Vineyard, em Massachusetts e que, segundo a Casa Branca, não sentiu o sismo, realizou uma teleconferência para receber dados do terremoto. Obama foi informado que 'até o momento não se produziram danos sérios na infraestrutura da área, incluindo os aeroportos e as usinas nucleares', indicou a Casa Branca.
Por sua vez, a Agência Federal para a Gestão de Emergências (Fema) pediu aos americanos para se comunicarem através de mensagens de texto e e-mails para não congestionar as redes de telefonia celular.

EFE

PERSEGUIÇÃO: Pastor Sadraque Muniz da Assembléia de Deus de Rondônia é Denunciado ao Ministério Público por Grupo Gay

Um Grupo Gay do estado de Rondônia entrou no dia 12 de agosto de 2010 com uma denúncia junto ao Ministério Público contra um pastor da Igreja Assembléia de Deus daquele estado, pelo fato de o pastor assembleiano estar alertando, por meio de panfletos, a comunidade local sobre o perigo à nação brasileira do 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3).


O Grupo Gay alega, em sua ação, que o pastor faz comentários ardilosos contra o PNDH-3, e por isto tomaram a decisão.
Uma flagrante tentativa de colocar uma mordaça na boca do pastor.

A motivação principal do grupo deve-se ao desespero, pois a senadora Fátima Cleide (candidata à reeleição) e grande aliada dos gays, é uma ardorosa defensora do PNDH-3. Por conseguinte, eles precisam de um fato, a fim de tentarem uma repercussão nacional, dando uma visibilidade maior à senadora, que não anda bem nas pesquisas eleitorais, com enorme possibilidade de não ser reeleita.
Segundo a última pesquisa Ibope, divulgada no dia 30 de julho, se as eleições fossem hoje, Ivo Cassol teria 45% dos votos; Valdir Raupp, 39% e Fátima Cleide, na terceira posição, com apenas 29% das intenções.
O PNDH-3 tem sido rechaçado, desde sua origem, por diversos setores da sociedade, por sua linha radical e princípios de desconstrução da cultura arraigada por séculos.
Recentemente a Igreja Católica aprovou uma declaração com ressalvas sobre a terceira edição do PNDH descriminalização do aborto, ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, à adoção de crianças por casais homoafetivos e à profissionalização da prostituição. (Programa Nacional de Direitos Humanos). Na 48ª Assembleia da CNBB (Conferência Nacional de Bispos do Brasil) os 248 bispos presentes à votação reafirmaram a posição contrária da CNBB à prática e à descriminalização do aborto, ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, à adoção de crianças por casais homoafetivos e à profissionalização da prostituição.
O pastor é mais uma das vozes da sociedade que discorda do que está amarrado no Plano, procurando, portanto, alertar as pessoas que estão à sua volta. Na verdade ele está brilhantemente exercendo seu direito constitucional de livre expressão. Uma ação de cidadania. Todavia isto não é aceito, de forma alguma, pelos radicais que não suportam opiniões contrárias. Criam, então, um factóide, e partem, com tudo, para cima das autoridades, a fim de tentarem impor suas vontades.
Alguns pontos polêmicos do Plano que merecem destaques e repúdio:
1) Ações educativas para desconstruir os estereótipos relativos às profissionais do sexo. Ações para que a prostituição seja vista como algo normal.
2) Apoiar projeto de lei que disponha sobre a união civil entre pessoas do mesmo sexo. Apoio do governo a projetos de lei para o ‘casamento gay’.
3) Promover ações voltadas à garantia do direito de adoção por casais homoafetivos. Adoção de crianças por ‘casais’ homossexuais.
4) Reconhecer e incluir nos sistemas de informação do serviço público todas as configurações familiares lésbicas, gays, bissexuais,travestis e transexuais, com base na desconstrução da heteronormatividade. A idéia é o estado reconhecer como configuração familiar todos os itens que foram grifados.
5) Desenvolver meios para garantir o uso do nome social de travestis e transexuais. Se um cidadão se chama João, mas quer ser conhecido como Joana, por ser travesti, o estado deverá prover meios para que assim ele possa ser chamado.
6) Estabelecer o ensino da diversidade e história das religiões, inclusive as derivadas de matriz africana, na rede pública de ensino, com ênfase no reconhecimento das diferenças culturais, promoção da tolerância e na afirmação da laicidade do Estado. As escolas públicas terão aulas de umbanda e candomblé (com a desculpa de cultura africana), mas não poderão ter aulas de outras religiões. A idéia é uma apologia aos cultos oriundos da África.

Joelmir Betting, da Band, criticou o PNDH/3, no vídeo abaixo:
A senadora Fátima Cleide não tem tido boa relação com os cristãos (católicos e evangélicos) de Rondônia, conforme pode-se perceber no artigo abaixo.

Fonte: holofote.net

Movimento pelo Estado laico em todo Brasil

Separação entre Igreja e governo é tema de manifestações que começaram neste domingo.

Para manter a separação entre Igreja e Estado, organizações seculares e religiosas estão organizando uma série de manifestações em defesa do Estado laico – a primeira acontece neste domingo, dia 21 de agosto, em São Paulo. A Marcha pelo Estado Laico surgiu em resposta a uma série de projetos de lei que visam impor a religião dentro da administração pública, e tem sido divulgada através das redes sociais. No dia 30 de agosto a marcha acontece também em Florianópolis.

Segundo o assessor de comunicação da Diocese de Joinville, padre Ivanor Macieski, a separação entre política e religião é uma das bases de quase todos os países ocidentais. “Tivemos momentos na história em que a Igreja foi o Estado, e nenhuma dessas experiências foi boa”, afirma. Segundo o sacerdote, para garantir a liberdade de credo, os governos precisam representar igualmente todas as formas de crer, assim como aqueles que não creem. “No caso de símbolos religiosos nas escolas e órgão públicos, eu sou do ponto de vista de que ou se colocam todos, ou não se coloca nenhum”, afirma o religioso, ressaltando que representar apenas uma fé exclui aqueles que não pertencem a ela.

O advogado paulista Daniel Sottomaior, presidente da Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea) é mais direto – para ele, o governo não tem respeitado sua própria laicidade. “Certos grupos recebem privilégios claros, como isenção de impostos para igrejas – e só para algumas religiões, pois várias não são oficialmente reconhecidas”, explica. No seu ver, o Estado sem perceber discrimina quem não é cristão. “E não é uma coisa sutil, temos uma frase religiosa e monoteísta nas cédulas de dinheiro, para que ninguém esqueça que este é um país cristão”, critica, referindo-se à frase “Deus seja louvado” nas cédulas do Real – o que estaria implicitamente excluindo ateus, agnósticos e politeístas. Além disso, afirma, os agentes públicos não estão preparados para lidar com abusos e discriminação por credo.

Representação desigual
Para o assessor da Diocese, qualquer tentativa de misturar a Igreja e o Estado está fadada a abusos. “Temos que respeitar e incluir todas as crenças, até quem não crê. Quando essa linha que se separa os dois é ignorada e a religião vira o poder, o resultado acaba sendo o que se vê com estados islâmicos radicais”, afirma.

“Como o Estado é para todos, ninguém deveria ser considerado digno de atenção maior”, afirma o presidente da Atea. Segundo Sottomaior, alguns grupos religiosos, por questões sectárias, pedem o fim da laicidade – “um dos valores fundamentais de qualquer Estado moderno”. Mas mesmo sem o sucesso dessas investidas, afirma, o Brasil não está sendo igualitário com questões de credo. “O que acontece é que se você não é católico, é um cidadão de segunda categoria, e, se não é cristão, cai para uma terceira”, afirma. Como exemplo maior, cita os ateus. “Nem o IBGE nos reconhece como cidadãos – tem crenças que aparecem no Censo completo com apenas seis pessoas, mas ateus são inclusos apenas como ‘sem religião’, junto com várias formas de crença, apesar de termos quatro milhões de ateus”.

Fonte: Correio do Povo

NOSSO IRMÃO EM CRISTO , NA CIDADE DE RIB . PRETO , COLOCOU UM CARTAZ COM DIZERES BÍBLICOS E FOI PROIBIDO PELA JUSTIÇA - ISSO É O QUE ?

ISSO CHAMASSE DITADURA GAY - POR ELES OS VERSÍCULOS DA BÍBLIA QUE CITAM ESSE TEMA DEVERIA SER BANIDO.

John Piper: Coloque os Holofotes em Jesus; Impacto no Trabalho, Casamento, Amor

Citando a passagem de João 10: 22-40 explica sobre a identidade de Jesus e urge os Cristãos a que coloquem os holofotes nele.
 
Jesus fala em figura de linguagem que ele é o pastor e protege as suas ovelhas, diz Piper. Há ovelhas que lhe pertencem e ovelhas que estão de fora do rebanho judaico.
“E ele diz que suas ovelhas conhecem a sua voz quando ele as chama, e elas o seguem”, disse Piper.
Apesar da figura de linguagem, Piper afirma que a mensagem é clara para que o “véu de sua divindade seja parcialmente levantado”. Mas muitos pensam que ele está louco e o acusam de ter demônio ao não entender o significado da parábola.
“Rodearam-no, pois, os judeus, e disseram-lhe: Até quando terás a nossa alma suspensa? Se tu és o Cristo, dize-no-lo abertamente (João 10:22)”, cita Piper na mensagem.
Assim, não sendo suficiente as palavras iniciais de Jesus, os judeus pedem que ele fale plenamente se ele é Cristo [o Messias]. “Você é o Messias”.
Piper encoraja os Cristãos neste momento a prestar atenção no texto de maneira que haja um grande impacto em suas vidas, na fé, no amor, no casamento, no trabalho, etc.
“Quem ele é?” Piper pergunta e ele mesmo responde: “não é apenas a verdade, mas mais do que isso”.
Através disso o pregador coloca “Como que o fato de saber quem ele é, determina a maneira que ele te ama e te cuida e te ajuda? Ainda há tempo para você? é muito tarde?...”
Piper explica mais claramente dividindo a passagem em 5 partes: 1) Resposta de Jesus (vers. 25-30); 2) Resposta deles (vers. 31-33); 3) Manobra de Jesus (vers. 34-36); 4) Convite final (vers.37-39); 5) Chave para a fé (vers. 40-42).
O pastor da igreja Batista de Bethelehem explica na primeira parte que o Pai dá as ovelhas para o filho, mas ainda está nas mãos do Pai.
“Jesus explica ‘Eu e o Pai somos um’. Sua resposta implica que isso é mais além do messianismo. ‘é a união com Deus, o Pai’. E ele nos mostra como esta unidade serve a nossa salvação”, afirmou ele.
“Nossa eterna salvação e gozo. ‘O Pai e eu somos um. Ninguém pode te separar do meu Pai, porque meu Pai é mais forte do que tudo’”.
Jesus nos dá uma lição aqui, diz Piper, “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus...” Assim, a resposta de Jesus, afirmou o pastor, é de que ele é o “Messias e infinitamente mais”.
Em sua resposta, os judeus, então o acusam de blasfemar ao se chamar o próprio Deus. Mas sabiamente Jesus prepara a manobra “Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Sois deuses?” e com isso ganha tempo de fazer mais um convite.
‘Mas, se as faço, e não credes em mim, crede nas obras; para que conheçais e acrediteis que o Pai está em mim e eu nele (João 10: 38)”.
Isso é misericordioso, diz Piper, “se não se pode ver através de suas palavras então que ao menos entendam através de seus atos. Essa foi a última oferta de Jesus e depois vieram prendê-lo”.
Apesar da história de raiva e incredulidade, além do Jordão eles acreditavam, Piper aponta e diz que existe uma chave aqui e João Batista é quem dá a dica.
“Aqui foi o lugar onde João Batista havia pregado e batizado ou seja, sua mensagem foi abraçada e a fé em Jesus floresceu”, disse Piper, acrescentando que o ministério de João Batista era despretensioso, e ele não estava atrás de fama.
“Ele jogou os holofotes completamente em Jesus. E onde quer que seja que essa mentalidade de humildade é admirada e abraçada, a fé em Jesus floresce”.
Piper conclui a mensagem destacando essa mentalidade humilde e motivando os crentes para que seus corações sejam um solo bom onde a fé em Jesus brote e continue a crescer.

CRISTIAN POST

Alguém nasce homossexual?

 




Muitas pessoas dizem que elas foram feitas assim, que nasceram desse jeito, que nasceram homossexuais.

Na verdade eu mesmo pensei deste jeito por um tempo, quando eu vim a perceber que...

Como eu fiquei assim? Eu realmente não sei como fiquei assim, mas eu sei que é contrário ao que a Palavra de Deus diz. A Palavra de Deus é muito clara.

As pessoas tentam suprimir esta verdade, eles tentam mudá-la, eles tentam adequá-la de acordo com as suas necessidades, mas não é o que a Palavra de Deus diz.

A Palavra de Deus é muito clara que isto é errado. Para aqueles que dizem que isto é natural, normal , foi extamente desta mesma maneira que senti no início. Depois eu percebi o que fiz. Eu desfrutava do prazer sexual disso, eu desfrutava da natureza pecaminosa disso. O pecado é prazeroso por um tempo, mas eventualmente este tempo termina, sem esperança e indo para o inferno. Nós vamos pagar por este pecado.

"ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados (homossexuais), nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus." I Corintios 9:9-10

Eu diria para aqueles que pensam que isso é normal, para examinarem a si mesmos, e ter certeza de que o que você está sentindo é normal, se é do prazer pecaminoso que você está desfrutando. Porque isso é normal, isso é natural. É natural que o homem caído desfrute do pecado e ter grande prazer disso.

Eu sei, porque foi assim na minha vida, eu desfrutava do meu pecado e obviamente foi o que eu fiz, eu não queria desistir, eu não queria abrir mão daquele pecado, e quando me aproximei de Deus e Ele me mostrou a verdade de que eu nunca seria perdoado, de que eu nunca seria capaz de cair aos pés da Cruz enquanto eu não abandonasse aquele pecado.

Esse pecado que eu amava, esse pecado no qual eu me segurava. Então eu abandonei. Então lancei-o na cruz e dei um passo de fé em Cristo. Ele me salvou disso. Ele me redimiu disso. Ele me fez uma pessoa real, eu sei que o que estou dizendo é verdade porque Ele me transformou. Ele me fez uma nova pessoa com novos desejos. Ele tirou todos aqueles desejos pecaminosos. E me fez uma nova criatura. E Ele pode fazer o mesmo por você.

Ele me salvou do poder do pecado e Ele pode te salvar também. E eu oro para que você clame a Ele. De que você pode ser tranformado em uma nova criatura, ser livre do seu estilo de vida pecaminoso, do teu pecado que te aprisiona.

Mesmo sabendo, talvez você esteja disposto a ser um prisioneiro agora, mas algum dia você será prisioneiro do inferno. A dor que a justiça produz, a dor que a aleatoridade produz. Porque você vai descobrir naquele dia que Cristo sofreu pelos seus pecados na Cruz e agora você sofrerá os seus.






BRASIL COVARDE - FAZ PASTOR CHORAR POR DIZER A VERDADE - DEUS VAI COBRAR DESSES COVARDES .

“Não estou chorando porque estou com medo. Estou chorando porque estou vendo uma igreja morta! Dormi em um país democrático e acordei em um país ditatorial!”,

Pastor Antônio Hernandez Lopes

COVARDIA GAY - Pastor acionado na justiça por gays devido a versículos da Bíblia diz que chora e que vive em um país com ditadura

Em entrevista ao site Portal Cristão News, o pastor Antônio Hernandez Lopes, da Casa de Oração de Ribeirão Preto (SP), lamenta a decisão da Justiça de, a pedido da Defensoria Pública do Estado, retirar um outdoor considerado homofóbico.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
O painel, carimbado com o apoio da casa evangélica, continha três citações bíblicas, entre as quais um trecho do Levítico que sustenta que “se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável”.
“Não estou chorando porque estou com medo. Estou chorando porque estou vendo uma igreja morta! Dormi em um país democrático e acordei em um país ditatorial!”, protestou o pastor, que diz agora estar acessível apenas a fiéis. “O fone da igreja eu desliguei. Só mantenho o fone pessoal celular no qual eu atendo as ovelhas.”
A decisão da Justiça ocorreu dois dias antes da realização da 7ª Parada do Orgulho LGBTT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) da cidade, que aconteceu no domingo, e determina multa de R$ 10 mil para cada ato de descumprimento da decisão.


Fonte: Terra
Procurada pelo Terra, a Nóbile Painéis, responsável pelo outdoor e também citada pela Defensoria, disse que não comentaria o assunto.

Vocalista do grupo de pagode Art Popular é pastor da Igreja Renascer e faz parte do Renascer Praise


Vocalista do grupo de pagode Art Popular é pastor da Igreja Renascer e faz parte do Renascer PraiseQuem ouve falar do Evandro Soares Marcelo Malli Márcio com certeza fará algum tipo de ligação com o grupo de pagode e samba-canção Art Popular, que surgiu em 1984 e até hoje está nas paradas de sucesso do gênero. Mas por traz de uma voz peculiar e muito gingado, existe uma vida marcada por uma grande restauração.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Evandro aceitou a Jesus em um culto do AREPE ministrado pelo apóstolo Estevam. Mal sabia que o convite de um amigo poderia mudar radicalmente o curso de sua vida. “Depois que aceitei Jesus, minhas atitudes mudaram e isso passou a influenciar a vida de todos os fãs do Art Popular no Brasil”, declarou o cantor.
Depois de um período de caminhada e conversão, Evandro foi convidado pela bispa Sonia a participar do Renascer Praise. “Na época, a bispa me convidou pra gravação do Renascer Praise 11 e eu aceitei na hora. Estava há três anos orando por isso”, comentou.
Em 2008, Evandro foi ungido pastor na Ceia de Oficiais “Eu tenho um GCD em casa há mais de 10 anos, acompanho e aconselho vidas, mas a unção foi algo maravilhoso. Quando o apóstolo Estevam me ungiu vi uma luz muito forte e senti um calor sobrenatural. Chorei muito. Minha vida hoje é cuidar de pessoas”, conta emocionado.
Mesmo com a unção pastoral, com o grupo Art Popular e as participações nas gravações do Renascer Praise, Evandro também é apresentador do programa Gospel Brasil, programa voltado ao público que curte samba, pagode e afins, que é transmitido todas as terças-feiras, a partir das 22h pela rádio Gospel FM.

Acústico, o novo projeto do pastor Evandro

Evandro continua no Art Popular e no Renascer Praise, mas decidiu ampliar o leque de opções no gênero gospel criando um grupo voltado ao evangelismo e adoração. Confira o bate papo com o cantor referente a nova banda.
Hoje, alem de todos os seus trabalhos como músico e pastor, você está a frente da Banda “Acústico”. Como surgiu a ideia de montar esse grupo?
A banda “Acústico” está no meu coração há dez anos e com a experiência profissional que tenho no Art Popular queria fazer o mesmo para louvar e evangelizar.
Qual é o estilo da banda? Quais são as influências?
Misturamos o black com rap, rap com rock, pop com rock , samba com pop, samba com rap e outras misturas harmônicas e melódicas…A nossa influência é escutar todas bandas e cantores gospel que tenham unção, isso nos influencia. Mas a nossa essência é única e exclusiva…o Renascer Praise é a minha escola de adoração.
Vocês já têm músicas prontas? Fale um pouco sobre elas.
O repertório já está praticamente fechado e as músicas são das nossas experiências diárias com o senhor, ministrações, vida de pessoas, fatos do cotidiano, batalha espiritual, intimidade com Deus, Amor a deus, Amor às vidas e amor à família e às ovelhas e consideração aos líderes espirituais.
A banda possui alguma versão do Art Popular?
Vamos regravar a música “Aleluia”, que foi gravada em uma catedral do Harlem, nos Estados Unidos e vamos regravar a música “Encontro”, que tem muito a ver com o livro de Cantares.
Tem previsão da gravação do primeiro CD?
Estaremos em estúdio em setembro. Vai ser maravilhoso.


Fonte: Igospel

Igrejas sofrem com a discriminação e ameaças

Desafiando a chuva e as ruas alagadas, mais de duas dúzias de pessoas se reuniram em frente à igreja de Putalisadak, que fica no coração da capital, Kathmandu, na quinta-feira, para sua reunião de estudo bíblico, trazendo um sorriso de satisfação ao rosto do pastor Dev Kumar Chetri.

O sorriso desaparece, porém, quando ele fala sobre os problemas da igreja do Nepal, a segunda mais antiga a enfrentar perseguição. Centenas de outras igrejas espalhadas pelo país têm o mesmo problema.

“De acordo com as antigas leis, as igrejas não foram autorizadas a se registrar como instituições religiosas”, disse Chari Gahatraj, um pastor protestante. “Em 2006, quando o Parlamento declarou formalmente que o Nepal era uma nação secular, pensamos que tudo iria mudar e que as igrejas seriam reconhecidas como instituições religiosas.”

Cinco anos mais tarde, no entanto, a discriminação contra os cristãos continua, segundo Gahatraj. “Nem sequer fomos mencionados nas novas políticas e programas que o governo propôs ao Parlamento este ano”, disse ele.

A igreja de Putalisadak também sofreu uma crise, quando os dois homens que eram coproprietários daquela terra foram ao tribunal para pedir suas partes. O terreno da igreja teve de ser retalhado para se resolver a disputa.

“Esta é a história mais triste”, disse o pastor Chetri. “Nossa igreja possui registros que dizem que existem cerca de dois milhões de cristãos e quatro mil igrejas no Nepal atualmente. Mas a maioria deles não tem um lugar para realizar os cultos, pois o cristianismo ainda não é reconhecido no Nepal. É como se nós não existíssemos.”

A estimativa de dados internacionais é de que o número de cristãos no Nepal é inferior aos dados da igreja – 850 mil. Mas a última pesquisa estima um número maior de congregações – 9.780 – do que os dados da igreja de Putalisadak.

A terceira igreja mais antiga do Nepal, Nepali Isahi Mandali, fundada em 1957, também foi levada ao tribunal por causa de um vizinho ressentido.

“Quando nossa congregação começou a crescer, em 2006, começamos a construir um grande templo para acomodar todos”, disse o pastor Samuel Karthak. “Mas houve oposição de um vizinho, que foi ao tribunal reclamar."

"Sentiríamos mais confiança se fôssemos considerados instituições religiosas. No entanto, ainda somos considerados cidadãos de segunda classe e nossas igrejas, lugares que convertem pessoas. Nós ainda não temos uma voz ativa.”


Fonte: Portas Abertas

Igrejas continuam sendo atacadas no país

Uma multidão de insurgentes deixou uma igreja em Kirkuk, Iraque, severamente danificada na segunda-feira (15 de agosto), em uma segunda rodada de ataques contra a comunidade cristã da região nas duas últimas semanas.


O bombardeio da Igreja Siríaca Ortodoxa de Mar Afram foi mais um alvo de ataques contra cristãos, em meio a uma onda de violência que varreu o Iraque ontem, atingindo 17 cidades, com e quase 70 pessoas mortas, de acordo com a Associated Press.

Um explosivo foi colocado perto de uma das paredes da igreja, e tendo explodidou na madrugada de segunda-feira. Fotos mostravam os tijolos de uma das paredes laterais espalhados pelo chão da igreja, e móveis virados e ainda uma das portas de metal aberta e retorcida.

Em outros dois ataques separados, os insurgentes colocaram bombas dentro de um veículo no centro de Kirkuk, matando uma pessoa e ferindo outras quatro. Nenhum cristão foi morto no ataque contra a igreja. A polícia anunciou mais medidas de proteção para as igrejas de Kirkuk, segundo a rede de TV iraquiana Alsumaria.

Em 2 de agosto, os insurgentes atacaram três igrejas na cidade. A polícia descobriu e desarmou uma bomba perto de uma igreja protestante e outrauma perto de uma igreja ortodoxa. Uma terceira bomba explodiu em frente à Igreja Católica Siríaca, ferindo 13 pessoas que viviam nas proximidades.

Um pastor protestante que pediu anonimato falou àao Compass por telefone, enquanto estava sob os escombros da igreja em Mar Afram. “Agora eu estou aqui porque queria ver com meus próprios olhos”, disse o pastor, vendo que a igreja estava destruída. “Agora Eeles terão que demolir tudo agora e reconstruir tudo.”


Fonte: Portas Abertas

Crivella lamenta decisão da Justiça pela retirada de ‘outdoor’ contra homossexualidade em São Paulo

 


O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) lamentou, em pronunciamento nesta segunda-feira (22), decisão da Justiça de
Ribeirão Preto, em São Paulo, pela retirada das ruas de outdoor instalado pela igreja evangélica Casa da Oração com versículos bíblicos que condenando a homossexualidade. Para o senador, a decisão foi tomada “de maneira arrogante e antidemocrática” e feriu o direito à liberdade de expressão do grupo evangélico.
Na semana em que se realizaria a 7ª Parada do Orgulho Gay de Ribeirão Preto, marcada para o domingo (21), a Casa da Oração divulgou em outdoor três trechos retirados da Bíblia (Levítico 20:13; Romanos 1:26-29 e Atos 3:19), reprovando a união entre pessoas do mesmo sexo. Provocado por uma ação da Defensoria Pública, o juiz substituto da 6ª Vara Cível de Ribeirão Preto, Aleksander Coronado Braido da Silva, determinou a retirada do material e aplicou multa de R$ 10 mil ao pastor responsável em caso de descumprimento.

Na avaliação do senador Marcelo Crivella, o Senado não pode se calar diante do que classificou como um “atentado à liberdade de expressão e de religião”.
- Isso aqui é a Bíblia, isso aqui é a palavra de Deus. Isso aqui é o primeiro livro impresso nas prensas de Gutemberg e o mais lido nas civilizações ocidentais de origem cristã. Isso não pode ser censurado. Esse país iniciou-se com uma missa. Esse país começou com princípios cristãos, de família, com a Bíblia aberta nos lares. E nós não podemos abrir mão de que essa palavra seja pregada. Eu não estou fazendo nada mais do que citar a Bíblia – defendeu o senador.
Marcelo Crivella argumentou que, se os homossexuais querem respeito, precisam respeitar também a opinião de quem discorda deles. E enfatizou que a decisão do Supremo Tribunal Federal de reconhecer a união entre pessoas do mesmo sexo não autorizou a censura à Bíblia nem o cerceamento da liberdade de pensamento no país. Para o senador, “a Bíblia é, como ela é” e qualquer um tem o direito de pregá-la.
- Não podemos retroceder, não podemos aceitar retrocesso -, afirmou.
Em aparte, o senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) concordou com a crítica de Crivella à decisão da Justiça de Ribeirão Preto. Ataídes disse estar indignado com a medida e a considerou um “preconceito” contra a igreja.
Agência Senado

Prefeito de Recife investe nos grupos religiosos

O prefeito do Recife, João da Costa (PT), tenta se aproximar da população e mostrar aos aliados que tem condições de derrotar a oposição em 2012.

Com o objetivo de viabilizar o seu nome como candidato à reeleição, o prefeito do Recife, João da Costa (PT), não tem medido esforços para se aproximar da população e mostrar aos aliados que tem condições de derrotar a oposição em 2012.

Além de transformar as ações administrativas, dentro e fora do prédio-sede da PCR, em grandes eventos – como fez na a abertura das plenárias do Orçamento Participativo e nas inaugurações das quadras externas do ginásio de esportes Geraldão e da Academia da Cidade do Parque 13 de Maio – ele vem investindo em reuniões com públicos segmentados, como os grupos religiosos.

No sábado (20), o prefeito esteve na sede da loja maçônica Grande Oriente Independente de Pernambuco, no Bairro de São José, e assinou um documento, na Praça Frei Caneca, para que o local seja adotada pela maçonaria dentro do programa Adote o Verde, que preserva as praças da cidade. Para prestigiar a maçonaria, João da Costa levou quase todos os integrantes de seu primeiro escalão.

O prefeito tomou a mesma iniciativa ao prestigiar, no final de semana anterior, um evento das igrejas evangélicas contra o uso de drogas, no Parque Dona Lindu, organizado pelo líder do governo na Câmara do Recife, vereador Luiz Eustáquio (PT). Nas próximas semanas, ele deve seguir o mesmo roteiro, comparecendo a eventos organizados por outras religiões.

Mas não é só esse tipo de iniciativa que está impulsionando a pauta do prefeito. O ritmo das ações da gestão está sendo acelerado para mostrar à opinião pública os resultados dos programas desenvolvidos nesses dois anos e oito meses de governo. Ao longo das próximas semanas, João da Costa quer comandar eventos que possam repercutir na imprensa e, consequentemente, nas ruas.

Fonte: JC Online

"Gritai" será o single do novo CD de Cassiane; ouça

O diretor artístico da Sony Music Maurício Soares, divulgou em seu twitter que a nova música de trabalho, e primeiro single do novo CD de Cassiane será a faixa "Gritai"

"...'Gritai' sera o primeiro single de Ao Som dos Louvores de @cassianecantora ... Em meio a tantos hits ..." postou Maurício em seu Micro-blogging.

"Essa música é impactante!Linda d+! Pensa... A vóz foi a arma que Deus deu ao povo para derrubar as muralhas de Jericó! Fico arrepiada com essa música! É a minha cara! rsrs ... Gritai...que as muralhas romperão! Gritai...se despedaçarão no chão! Gritai...Que a terra vai estremecer, O que Deus prometeu, pode receber! Eita Glória!! " - Isso foi o que Cassiane comentou dia 13/08 em seu site oficial sobre essa canção.

Agora a única coisa que resta é a divulgação desse single. Maurício soares comentou ainda mais, e disse que o CD "Ao som dos louvores" está FANTÁSTICO.

Ouça o novo single aqui


O álbum traz 14 canções inéditas que marcam o retorno da cantora às suas raízes pentecostais. O CD foi produzido por Jairinho Manhães, esposo de Cassiane, que já garantiu que as músicas possuem letras “muito fortes com canções bastante populares para que toda a igreja cante junto.”
Confira a lista de músicas:
1- Gritai
2- Ao Som dos Louvores
3- Descanso
4- A Glória do Senhor
5- Só o Senhor é Deus
6- Cristo ou Barrabás
7- Amigo Espírito Santo
8- 24 Horas
9- Libera o Milagre
10- Vem Oh Mestre!
11- Receba de Deus
12- Não Vos Conformeis
13- Rio de Deus
14- Vou Adorar

VIA GRITOS DE ALERTA.
BISPO ROBERTO TORRECILHAS

A DITADURA GAY COMEÇOU NO BRASIL - Senador lamenta decisão da Justiça pela retirada de outdoor contra homossexualidade

Para o senador Marcelo Crivella, o Senado não pode se calar diante do que classificou como um "atentado à liberdade de expressão e de religião.

O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) lamentou, em pronunciamento nesta segunda-feira (22), decisão da Justiça de Ribeirão Preto, em São Paulo, pela retirada das ruas de outdoor instalado pela igreja evangélica Casa da Oração com versículos bíblicos que condenando a homossexualidade. Para o senador, a decisão foi tomada "de maneira arrogante e antidemocrática" e feriu o direito à liberdade de expressão do grupo evangélico.

Na semana em que se realizaria a 7ª Parada do Orgulho Gay de Ribeirão Preto, marcada para o domingo (21), a Casa da Oração divulgou em outdoor três trechos retirados da Bíblia (Levítico 20:13; Romanos 1:26-29 e Atos 3:19), reprovando a união entre pessoas do mesmo sexo. Provocado por uma ação da Defensoria Pública, o juiz substituto da 6ª Vara Cível de Ribeirão Preto, Aleksander Coronado Braido da Silva, determinou a retirada do material e aplicou multa de R$ 10 mil ao pastor responsável em caso de descumprimento.

Na avaliação do senador Marcelo Crivella, o Senado não pode se calar diante do que classificou como um "atentado à liberdade de expressão e de religião".

"Isso aqui é a Bíblia, isso aqui é a palavra de Deus. Isso aqui é o primeiro livro impresso nas prensas de Gutemberg e o mais lido nas civilizações ocidentais de origem cristã. Isso não pode ser censurado. Esse país iniciou-se com uma missa. Esse país começou com princípios cristãos, de família, com a Bíblia aberta nos lares. E nós não podemos abrir mão de que essa palavra seja pregada. Eu não estou fazendo nada mais do que citar a Bíblia", defendeu o senador.

Marcelo Crivella argumentou que, se os homossexuais querem respeito, precisam respeitar também a opinião de quem discorda deles. E enfatizou que a decisão do Supremo Tribunal Federal de reconhecer a união entre pessoas do mesmo sexo não autorizou a censura à Bíblia nem o cerceamento da liberdade de pensamento no país. Para o senador, "a Bíblia é, como ela é" e qualquer um tem o direito de pregá-la.

"Não podemos retroceder, não podemos aceitar retrocesso", afirmou.

Em aparte, o senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) concordou com a crítica de Crivella à decisão da Justiça de Ribeirão Preto. Ataídes disse estar indignado com a medida e a considerou um "preconceito" contra a igreja.

'Acordei em país ditatorial', diz pastor de painel contra gays

Em entrevista ao site Portal Cristão News, o pastor Antônio Hernandez Lopes, da Casa de Oração de Ribeirão Preto (SP), lamenta a decisão da Justiça de, a pedido da Defensoria Pública do Estado, retirar um outdoor considerado homofóbico. O painel, carimbado com o apoio da casa evangélica, continha três citações bíblicas, entre as quais um trecho do Levítico que sustenta que "se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável".

"Não estou chorando porque estou com medo. Estou chorando porque estou vendo uma igreja morta! Dormi em um país democrático e acordei em um país ditatorial!", protestou o pastor, que diz agora estar acessível apenas a fiéis. "O fone da igreja eu desliguei. Só mantenho o fone pessoal celular no qual eu atendo as ovelhas." A decisão da Justiça ocorreu dois dias antes da realização da 7ª Parada do Orgulho LGBTT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) da cidade, que aconteceu no domingo, e determina multa de R$ 10 mil para cada ato de descumprimento da decisão. Procurada pelo Terra, a Nóbile Painéis, responsável pelo outdoor e também citada pela Defensoria, disse que não comentaria o assunto.

Fonte: Agência Estado e Terra

Revista IstoÉ: O novo retrato da fé no Brasil

Pesquisas indicam o aumento da migração religiosa entre os brasileiros,
 o surgimento dos evangélicos não praticantes e o crescimento dos adeptos
 ao islã.

Acaba de nascer no País uma nova categoria religiosa, a dos evangélicos não praticantes.
 São os fiéis que creem, mas não pertencem a nenhuma denominação. O surgimento dela
 já era aguardado, uma vez que os católicos, ainda maioria, perdem espaço a cada ano
 para o conglomerado formado por protestantes históricos, pentecostais e neopentecostais.
 Sendo assim, é cada vez maior o número de brasileiros que nascem em berço evangélico –
e, como muitos católicos, não praticam sua fé. Dados da Pesquisa de Orçamento
 Familiar (POF), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelaram,
 na semana passada, que evangélicos de origem que não mantêm vínculos com a crença
 saltaram, em seis anos, de insignificantes 0,7% para 2,9%. Em números absolutos,
são quatro milhões de brasileiros a mais nessa condição. Essa é uma das constatações
 que estatísticos e pesquisadores estão produzindo recentemente, às quais ISTOÉ teve
 acesso, formando um novo panorama religioso no País.

Isso só é possível porque o universo espiritual está tomado por gente que constrói a
 sua fé sem seguir a cartilha de uma denominação. Se outrora o padre ou o pastor
 produziam sentido à vida das pessoas de muitas comunidades, atualmente celebridades
, empresários e esportistas, só para citar três exemplos, dividem esse espaço com essas
 lideranças. Assim, muitas vezes, os fiéis interpretam a sua trajetória e o mundo que
 os cerca de uma maneira pessoal, sem se valer da orientação religiosa.
 Esse fenômeno, conhecido como secularização, revelou o enfraquecimento
da transmissão das tradições, implicou a proliferação de igrejas e fez nascer a
 migração religiosa, uma prática presente até mesmo entre os que se dizem sem
 religião (ateus, agnósticos e os que creem em algo, mas não participam de nenhum
 grupo religioso). É muito provável, portanto, que os evangélicos pesquisados pelo
 IBGE que se disseram desvinculados da sua instituição estejam, como muitos
 brasileiros, experimentando outras crenças.

É cada vez maior a circulação de um fiel por diferentes denominações –
ao mesmo tempo que decresce a lealdade a uma única instituição religiosa.
 Em 2006, um levantamento feito pelo Centro de Estatística Religiosa e
 Investigações Sociais (Ceris) e organizado pela especialista em sociologia
da religião Sílvia Fernandes, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ),
 verificou que cerca de um quarto dos 2.870 entrevistados já havia trocado de crença.
 Outro estudo, do ano passado, produzido pela professora Sandra Duarte de Souza,
de ciências sociais e religião da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp),
para seu trabalho de pós-doutorado na Universidade de Campinas (Unicamp),
revelou que 53% das pessoas (o universo pesquisado foi de 433 evangélicos)
 já haviam participado de outros grupos religiosos.

“Os indivíduos estão numa fase de experimentação do religioso, seja ele
institucionalizado ou não, e, nesse sentido, o desafio das igrejas estabelecidas
 é maior porque a pessoa pode escolher uma religião hoje e outra amanhã”,
 afirma Sílvia, da UFRRJ. “Os vínculos são mais frouxos, o que exige das
 instituições maior oferta de sentido para o fiel aderir a elas e permanecer.
É tempo de mobilidade religiosa e pouca permanência.” Transitar por diferentes
 crenças é algo que já ocorre há algum tempo. A intensificação dessa prática,
 porém, tem produzido novos retratos. Denominadores comuns do mapa da
circulação da fé pregam que católicos se tornam evangélicos ou espíritas,
assim como pentecostais e neopentecostais recebem fiéis de religiões afro-brasileiras
 e do protestantismo histórico. Estudos recentes revelam também que o caminho
 contrário a essas peregrinações já é uma realidade.

Em sua dissertação de mestrado sobre as motivações de gênero para o trânsito de
 pentecostais para igrejas metodistas, defendida na Umesp, a psicóloga Patrícia
Cristina da Silva Souza Alves verificou, depois de entrevistar 193 protestantes
históricos, que 16,5% eram oriundos de igrejas pentecostais. Essa proporção era
de 0,6% (27 vezes menor) em 1998, como consta no artigo “Trânsito religioso no
 Brasil”, produzido pelos pesquisadores Paula Montero e Ronaldo de Almeida, do
 Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap). Para Patrícia, o momento
 econômico do Brasil, que registra baixos índices de desemprego e ascensão
 socioeconômica da população, reduz a necessidade da bênção material, um dos
 principais chamarizes de uma parcela do pentecostalismo. “Por outro lado, desperta
 o olhar para valores inerentes ao cristianismo, como a ética e a moral cristã, bastante
 difundidas entre os protestantes históricos”, afirma.

Em busca desses valores, o serralheiro paraibano Marcos Aurélio Barbosa, 37 anos,
passou a frequentar a Igreja Metodista há um ano e meio. Segundo ele, nela o culto é
ofertado a Deus e não aos fiéis, como acontecia na pentecostal Assembleia de Deus,
 a instituição da qual Barbosa foi devoto por 16 anos, sendo sete como presbítero.
O serralheiro cumpria à risca os rígidos usos e costumes impostos pela denominação.
 “Eu não vestia bermuda nem dormia sem camisa, não tinha tevê em casa, não bebia
 vinho, não ia ao cinema nem à praia porque era pecado”, conta. Com o tempo,
 o paraibano passou a questionar essas proibições e acabou migrando.
 “Na Metodista encontrei um Deus que perdoa, não um justiceiro.”

A teóloga Lídia Maria de Lima irá defender até o final do ano uma dissertação
 de mestrado sobre o trânsito de evangélicos para religiões afro-brasileiras.
 A pesquisadora já entrevistou 60 umbandistas e candomblecistas e verificou
 que 35% deles eram evangélicos antes de entrar para os cultos afros. Preterir
as denominações cristãs por religiões de origem africana é outro tipo de migração
 até então pouco comum. Não é, porém, uma movimentação tão traumática, uma
 vez que o currículo religioso dos ex-evangélicos convertidos à umbanda ou ao
candomblé revela, quase sempre, passagens por grupos de matriz africana em
algum momento de suas vidas. Pai de santo há dois anos, o contador Silvio Garcia,
 52 anos, tem a ficha religiosa marcada por cinco denominações distintas –
e a umbanda é uma delas. Foi aos 14 anos, frequentando reuniões na casa de uma
vizinha, que Garcia, batizado na Igreja Católica, aprendeu as magias da umbanda.
 Nessa época, também era assíduo frequentador de centros espíritas. Aos 30,
ele passou a cursar uma faculdade de teologia cristã e, com o diploma a tiracolo
, tornou-se presbítero de uma igreja protestante. Um ano depois, migrou para uma
 pentecostal, onde pastoreou fiéis por seis anos. “Mas essas igrejas comercializam
 a figura de Cristo e eu não me sentia feliz com a minha fé”, diz.

A teóloga Lídia sugere que os sistemas simbólicos das religiões evangélica e
 afro-brasileira têm favorecido a circulação de fiéis da primeira para a segunda.
 “Há uma singularidade de ritos, como o fenômeno do transe. Um dos entrevistados
me disse que muito do que presenciava na Igreja Universal (do Reino de Deus) ele
 encontrou na umbanda”, diz. Em suas pesquisas, fiéis do sexo feminino foram as
que mais cometeram infidelidade religiosa (67%). Os motivos que levam homens
e mulheres a migrar de religião foram investigados pela professora Sandra, da
 Umesp. Em outubro, suas conclusões serão publicadas em “Filosofia do Gênero
 em Face da Teologia: Espelho do Passado e do Presente em Perspectiva do
Amanhã” (Editora Champanhat)

Uma diferença básica entre os sexos é que as mulheres mudam de religião em
busca de graça para quem está a sua volta (a cura para filhos e maridos doentes
 ou a recuperação do casamento, por exemplo). Já os homens são motivados por
 problemas de fundo individual. Assim ocorreu com o empresário paulista Roberto
 Higuti, 45 anos, que se tornou evangélico para afastar o consumo e o tráfico de
drogas de sua vida. Católico na infância, budista e adepto da Igreja Messiânica e
 da Seicho-No-Ie na adolescência, Higuti saiu de casa aos 15 anos e se tornou um
 fiel seguidor do mundo do crime. Sua relação com as drogas foi pontuada por
 internação em hospital psiquiátrico, prisão e duas tentativas de suicídio. Certo
 dia, cansado da falta de perspectivas, viu uma marca de cruz na parede, ajoelhou-se e
disse: “Jesus, se tu existes mesmo, me tira dessa vida maldita.” Há cinco anos,
 o empresário é pastor da neopentecostal Igreja Bola de Neve, onde ministra dois
cultos por semana. “Quero, agora, ganhar almas para o Senhor”, diz.

Antes de se fixar na Bola de Neve,
 Higuti experimentou outras quatro
denominações evangélicas. Mobilidades
 intraevangélicas como as dele ocorrem
 com aproximadamente 40% dos
 adeptos de igrejas pentecostais e
 neopentecostais, segundo a especialista
 em sociologia da religião Sílvia, da
 UFRRJ. Os neopentecostais, porém
, possuem uma particularidade. Seus
 fiéis trocam de igreja como quem
descarta uma roupa velha: porque ela
 não serve mais. São a homogeneização
 da oferta religiosa e a maior
visibilidade de algumas denominações
 que produzem esse efeito
. “Esse grupo, antigamente, era o tal receptor universal de fiéis, para onde
 iam todas as religiões. Hoje, a singularidade dele é o fato de receber membros
de outras neopentecostais”, diz Sandra, da Umesp. “Quanto mais acirrada a
concorrência, maior a migração.” A exposição na mídia, fundamentalmente
 na tevê, é a principal estratégia dos neopentecostais para roubar adeptos da
 concorrente direta. E cada vez mais as pessoas estabelecem uma relação
utilitária com a religião. De acordo com a pesquisadora Sandra, se não há o
retorno (material, na maioria das vezes), o fiel procura outra prestadora de serviço
religioso. Estima-se, por exemplo, que 70% dos atuais adeptos da Igreja Mundial
 – uma dissidente da Universal – tenham migrado para lá vindos da denominaçã
o de Edir Macedo. “Entre os neopentecostais não se busca mais um líder
religioso, mas um mago que resolva tudo num estalar de dedos”, diz Sandra.
“Essa magia faz sucesso, mas tem vida curta, uma vez que o fiel se afasta,
caso não encontre logo o que quer.”

Cansada de pular de uma crença para outra, a artesã paulista Lucina Alves,
57 anos, não sente mais necessidade de pertencer a uma igreja. Há oito anos,
 ela diz ser do grupo dos sem-religião. No entanto, recorre a ritos de fé,
principalmente católicos, espíritas e da Seicho-No-Ie, sempre que sente
vontade de zelar pelo bem-estar de alguém. “Há um mês, fui até uma
benzedeira ligada ao espiritismo para ajudar meu filho que passava por
problemas conjugais”, diz. Dados do artigo “Trânsito religioso no Brasil”
revelaram que 30,7% das pessoas que se encontram na categoria dos
 sem-religião frequentam algum serviço religioso anualmente e 20,3% fazem
 o mesmo mais de uma vez por mês. “Já participei de reuniões evangélicas
 de orações em casa de familiares”, conta Lucina.

A artesã não cultua santos, crê em Deus, Jesus Cristo e acende vela para anjos.
No campo das ciências da religião, manifestações espirituais como as dela são
recentes e vêm sendo tema de novos estudos. A migração de brasileiros para o
 islã é outro fenômeno que cresce no País. O número de convertidos na
comunidade muçulmana do Rio de Janeiro, por exemplo, saltou de 15%
em 1997 para 85% em 2009. Ex-umbandista que hoje atende por Ahmad
 Abdul-Haqq, o policial militar paulista Mario Alves da Silva Filho tem
um inventário religioso de dar inveja. Batizado no catolicismo, aos 9 anos
estreou na umbanda em uma gira de caboclo e baianos. Um ano depois,
juntando moedas que ganhava dos pais, comprou seu primeiro livro, sobre
 bruxaria. Aos 14, passou a frequentar a Federação Espírita paulista, onde
fez cursos para trabalhar com incorporações e psicografia. Aos 17 anos,
trabalhou em ordens esotéricas ao mesmo tempo que dava expediente na
 umbanda. O policial, mestrando em sociologia da religião na Pontifícia
Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), decidiu se converter ao
 islã quando fazia um retiro de padres jesuítas. Em uma noite, sonhou com
um árabe que o indicava o islã como resposta para suas dúvidas. Aos 29 anos,
ele entrou em uma mesquita e disse que queria ser muçulmano. Saiu dela
batizado e, desde então, faz cinco orações e repete frases do “Alcorão”
diariamente. “Descobri que sou uma criatura de Deus e voltarei ao seio do Criador.”

Faz dez anos que o número de convertidos ao islã no País aumentou.
E não são os atentados às Torres Gêmeas, em 11 de setembro de 2001,
que marcam esse novo fluxo, mas a novela “O Clone”, da Globo. Foi ela
 que “introduziu no imaginário cultural brasileiro imagens bastante positivas
 dos muçulmanos como pessoas alegres e devotadas à família”, como defende
 Paulo Hilu da Rocha Pinto em “Islã: Religião e Civilização – Uma Abordagem Antropológica” (Editora Santuário), de 2010. “De lá para cá, a conversão de
 brasileiros cresceu 25%. Em Salvador, 70% da comunidade é de convertidos”,
 diz a antropóloga Francirosy Ferreira, pesquisadora de comunidades muçulmanas
da Universidade de São Paulo (USP), de Ribeirão Preto.

Assistente financeiro, o paulista Luan Nogueira, 23 anos, tornou-se muçulmano
 há um ano. Por indicação de um amigo, passou a pesquisar o islã e descobriu
 que o discurso estigmatizado criado após o 11 de setembro, que relacionava
 a religião à intolerância e à violência, não era verdadeiro. “Encontrei na
mesquita e no “Alcorão” a ética da boa conduta”, diz. “Me sinto mais próximo
 de Deus no islã.” Para o professor Frank Usarski, do Centro de Estudo de
 Religiões Alternativas de Origem Oriental, da PUC-SP, o atrativo do islã é
 o fato de não ter perdido, diferentemente de outras religiões, a competência
 da interpretação completa da vida. “Ele oferece um guarda-chuva de referências
 para esferas como economia e ciência”, diz Usarski.

Segundo o escritor Pinto, que também é professor de antropologia da religião
 na Universidade Federal Fluminense, o islã permite aos adeptos uma inserção
 e compreensão sobre questões atuais, como, por exemplo, a Palestina, a Guerra
 do Iraque e segurança internacional, para as quais outros sistemas religiosos
 talvez não deem respostas. “Se a adoção do cristianismo em contextos não
europeus do século XIX pôde ser definida com uma conversão à modernidade,
 a entrada de brasileiros no islã pode ser vista como uma conversão à globalização”,
 escreve ele, em seu livro.

É cada vez mais comum, no País, fiéis rezando com a cartilha da autonomia religiosa.
 Esse chega para lá na fé institucionalizada tem conferido características
mutantes na relação do brasileiro com o sagrado, defende a professora
Sandra, de ciências sociais e religião da Umesp. “Deus é constituído de
 multiplicidade simbólica, é híbrido, pouco ortodoxo, redesenhado a lápis,
cujos contornos podem ser apagados e refeitos de acordo com a novidade
 da próxima experiência.” Agora é o fiel quem quer empunhar a escrita de
 sua própria fé.

Open in new window


Open in new window


Open in new window




Fonte: Revista IstoÉ - edição 2180

PRECISAVA DISSO ? Pastor “turismólogo” envolvido em fraude de R$2,5 milhões consegue doações de fiéis e parentes e não ficará preso

Pastor diz que deputada o queria como 'laranja' em convênio de R$ 2,5 milhões
O pastor Waldimir Furtado (foto), do Macapá (AP), conseguiu cobrir o cheque se fundo de R$ 109 mil que deu à Justiça como fiança, livrando-se, assim, de voltar a ser preso sob a acusação de ter participado de esquema de desvio de recursos do Ministério do Turismo.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Furtado pediu dinheiro aos fiéis, mas até sexta-feira (19) só tinha arrecadado R$ 30 mil. Ele só conseguiu a soma com empréstimos consignados tomados por sua mulher, uma irmã, uma cunha e a sogra.
Furtado é uma das 36 pessoas que foram presas pela Polícia Federal sob a suspeita de desvio de recursos.
Com a ajuda da deputada Fátima Pelaes (PMDB-AP), o pastor conseguiu para sua empresa , a Conectur (Cooperativa de Negócios e Consultoria Turística), cerca de R$ 2,5 milhões para prestar um serviço de pesquisa, que não foi feito.
Além de pastor da Assembleia de Deus de Oração Betel, Furtado diz ser ‘turismólogo’.
Maurício Pereira, advogado do pastor, criticou o valor de R$ 200 salários mínimos da fiança fixado pelas autoridades policiais. “É um absurdo.”
Furtado, entre outros, vai responder em liberdade pelo sumiço de recursos. Ele já estava encrencado com a Justiça porque o Ministério Público o acusou de desviar verba da merenda de uma escola de Ferreira Gomes (AP), cidade da qual foi prefeito.

Acreditar em Deus faz bem para a saúde, reconhece a ciência


Acreditar em Deus faz bem para a saúde, reconhece a ciênciaO médico Andrew Newberg autor do livro Why Gos Won`t Go Way (“Por que Deus não vai embora”), por meio de tomografias computadorizadas pesquisa como a oração e a meditação se manifestam no cérebro. Para o médico americano, especializado na neurofisiologia da experiência religiosa, a religião faz bem para a saúde e a explicação desta afirmação está na arquitetura neurológica do cérebro humano.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Andrew acredita que um médico terá mais chances de conquistar a confiança de um paciente, e consequentemente ser bem-sucedido nos tratamentos, se mortrar-se firmado em sua crença, por esta razão, julga necessário cursos de teologia e de princípios das religiões para os profissionais da área de saúde.
“Acho que a religião nunca se separou completamente da medicina (…). A saúde e o bem-estar de um paciente dependem bastante da capacidade do médico de lidar com sua fé e religiosidade, e não apenas com seu quadro clínico. Os dois aspectos estão interligados.”
A pesquisa:
A pesquisa revela que o cérebro não é exatamente o pelas nossas experiências religiosas. O estudo revela que as experiências religiosas envolvem emoção e conhecimento, distribuindo-se por várias estruturas. Sendo estas estruturas:
  • Lobo Frontal: Parte do cérebro que determina nossas vontades;
  • Região do Lobo Parietal: responsável por controlar nosso senso próprio;
  • Sistema Límbico e Hipotálamo: responsáveis pelas reações emotivas.
O efeito dessas experiências ligadas a religião e fé, podem ser percebidos nas mudanças hormonais e nos sistemas imunológico e nervoso autônomo, que levam a diminuição dos batimentos cardíacos, pressão sanguínea e estresse. Um grande número de estudos aponta que a religiosidade resulta em benefícios para a saúde.
Há evidências de que pessoas que praticam o ato de oração meditação estão associadas a quadros de redução da tensão muscular e de menor incidência de doenças coronarianas, apresentando redução da ansiedade, da depressão e da irritabilidade, e aprimoramento da capacidade de aprendizagem, da memória e da estabilidade emocional..
Uma pesquisa com um grupo de pacientes operados do coração mostrou que a incidência de mortes durante o período de recuperação era maior entre os que não praticavam nenhuma fé. Outro estudo, feito com mulheres negras com câncer de mama, mostrou que as que não pertenciam a nenhuma religião tinham tendência a viver menos.
Para o médico americano não há uma afirmação “se foi Deus quem criou o cérebro ou se é o nosso cérebro que cria Deus”. “Pode-se dizer que o cérebro humano tem duas funções básicas a serem consideradas sob as perspectivas biológica e evolucionária: auto-preservação e auto-transcendência”, relata ele. Nessas funções básicas é segundo ele estão interligadas a razão da fé e crença em um ‘Ser maior’.
A auto-preservação:
É a função de sobrevivência do indivíduo. Para nos manter vivos, o cérebro nos afasta dos perigos. A religião também tem funções importantes nesse sentido: promove comportamentos de vida sustentáveis e ajuda a desenvolver e manter sociedades e famílias voltadas para nossa proteção.
A Autotranscendência:
é nossa necessidade natural de passar de um estágio para outro, sendo a religião a expressão máxima de trancedencia, estimulando a evoluir cada vez mais como ser humano, para alcançar no final da vida o desejado encontro com Deus (segundo o cristianismo).


Fonte: Gospel+