sexta-feira, 2 de outubro de 2015

O CHAMADO E A PREPARAÇÃO DE ELISEU

Eliseu, cujo nome significa “Deus é salvação”, foi um extraordinário profeta do povo de Israel, que substituiu o grande profeta Elias e foi líder dos filhos dos profetas no reino de Israel por cerca de cinqüenta anos, a partir do início do reinado de Jeorão em 852 a.C. Como Elias, ele nada deixou escrito para a posteridade, mas alguns dos seus feitos estão registrados para o nosso conhecimento e ensino nos dois livros de Reis.

Há apenas uma referência a ele no Novo Testamento, mas foi feita pelo Senhor Jesus Cristo (Lucas 4:27), o que lhe dá plena autenticidade, se isso fosse necessário.

O seu chamado

Do lugar do seu nascimento, da sua linhagem, e da idade quando foi convocado para o serviço de Deus nada sabemos, o que nos lembra que Deus escolhe os Seus servos sem levar em conta esses e outros detalhes que às vezes julgamos tão importantes.
Mas temos informações suficientes para saber que ele era de uma família temente a Deus e trabalhava na fazenda do seu pai, Safate. Deus mesmo o acompanhava e tinha um plano sublime para a sua vida no meio de um povo que, naquele época, estava em grande parte longe de Deus, governado por uma sucessão de reis idólatras e perversos.
Assim, quando o profeta Elias chegava no fim do seu ministério, desgastado com a rebeldia do povo, e pediu ao SENHOR que o levasse (1 Reis 19:4), o SENHOR ordenou que ele ungisse dois reis, um sobre a Síria e outro sobre Israel, e a Eliseu como profeta em seu lugar. Segundo o relato bíblico, Elias se apressou em nomear Eliseu no caminho entre Sinai e Damasco.
Elias encontrou o jovem e forte Eliseu lavrando com doze juntas de bois adiante dele. Elias passou por ele e lançou o seu manto sobre ele. Era um gesto simbólico, imediatamente compreendido por Eliseu: ele seria o sucessor de Elias, que já havia passado adiante e seguia o seu caminho. Sua submissão foi imediata: correu após Elias, sem discutir condições, pedindo apenas oportunidade para despedir-se dos pais, o que Elias lhe concedeu.
Provou que sua decisão era definitiva, ao tomar e matar a junta de bois, usar os aparelhos de aragem para cozer as suas carnes e alimentar o povo com elas. Em seguida seguiu Elias, deixando o conforto do seu lar e tornando-se o seu servo (1 Reis 19:21).
Isso pode nos lembrar daquele episódio em que alguém se prontificou a seguir ao Senhor Jesus mas pediu que Ele o deixasse primeiro despedir os que estavam na casa dele (Lucas 9:61,62). Parece um pedido igual ao de Eliseu, no entanto há uma diferença sutil, mas muito importante: a despedida de Eliseu foi curta, consistindo apenas de um jantar, sem haver hesitação da parte dele pois sacrificou os animais que usava em seu trabalho. No outro caso, o pedido significava uma protelação em seguir o Senhor, pois quem pediu queria mais tempo com a família. Jesus lhe disse: “Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus.”

A sua preparação

Elias estava com pressa de deixar o cargo, mas Eliseu não estava preparado ainda. Era necessário tempo para aprendizagem e durante sete ou oito anos Eliseu foi assistente de Elias, prazo em que houve silêncio sobre os dois nas crônicas bíblicas.
O seu relacionamento com Elias era de servo, descrito ao rei Jeosafá, depois que Elias se fora, como “derramar água sobre as mãos de Elias”. A humildade, apego e submissão de Eliseu ao seu mestre não podiam ser descritas de maneira mais clara e abreviada, convencendo Jeosafá a ir procurá-lo para resolver um problema sério, certo de que a palavra do SENHOR estava com ele (2 Reis 3:11,12).
Há alguns entre nós que costumam desprezar, como desnecessário, um período de aprendizagem para os que são chamados para o trabalho do Senhor. Mas um intervalo tomado em uma escola bíblica, ou seminário evangélico, desde que bem orientado, pode ser de grande importância para o obreiro inexperiente.
Não se trata de conseguir um diploma, ou profissionalização, mas esse tipo de aprendizagem ensina a humildade e a submissão aos seus mestres, pode evitar erros sérios no ministério e permite adquirir em pouco tempo conhecimentos e experiências que serão de grande utilidade o seu ministério.

A partida de Elias (2 Reis 2:1-12)

A partida de Elias foi notável e singular em toda a história. Se há uma lição importante para nós, é o apego de Eliseu ao seu mestre, e a sua nobre ambição de ser dotado com o dobro do espírito de Elias.
Elias nos dá a impressão de estar testando Eliseu. Ambos sabiam que Deus estava para tirar Elias para que Eliseu o substituisse. Três vezes Elias disse a Eliseu que ficasse onde estava porque o SENHOR queria que Elias fosse a outro lugar. Em todas essas vezes, Eliseu insistiu em seguir junto com Elias, dizendo as mesmas palavras: “Vive o SENHOR, e vive a tua alma, que não te deixarei”.
Eliseu aparentemente já era aceito como o eventual sucessor de Elias, e os filhos dos profetas em Betel e Jericó sabiam que haveria a substituição naquele dia. Elias já se dispunha a se afastar, mas Eliseu insistiu em acompanhá-lo até ao fim - que caráter!
Há uma tendência entre os mais jovens de hoje de fazerem pouco caso dos anciãos mais idosos em suas igrejas - ele já foi, dizem! Eliseu amava o seu mestre e ficou com ele, submisso, até que Deus o tomasse. Foi grandemente recompensado por isso!
Após atravessarem o rio Jordão, simbolicamente terminando a missão de Elias ao afastar-se de Israel e voltar à sua origem do outro lado do rio (1 Reis 17:1), Elias perguntou a Eliseu o que ele gostaria de receber dele, e a resposta de Eliseu foi decerto inesperada: queria que Elias lhe concedesse porção dobrada do seu espírito! Uma dupla porção da herança cabia ao filho primogênito de um israelita, e a herança de Elias seria de ordem espiritual.
Elias servira a Deus de maneira sacrificial toda a sua vida, e Deus lhe concedera abundantes dons espirituais. Eliseu sabiamente queria o mesmo para si, e de forma duplamente abundante. É curioso notar que a Bíblia nos relata oito milagres feitos por Elias, mas dezesseis, o dobro, feitos por Eliseu.
Não era da competência de Elias conceder o pedido de Eliseu, mas prometeu que Eliseu saberia que ele lhe tinha sido concedido, se tivesse a oportunidade de ver a sua partida. Realmente Eliseu viu Elias ser elevado ao céu num redemoinho, e assim teve a confirmação.

O ministério de Eliseu

Em seu ministério, Eliseu provou ser um homem de grande energia, ativo no serviço a Deus, falando com autoridade em nome do SENHOR, de uma integridade incorruptível, confiante no poder de Deus, fiel em seu ministério e de grande visão espiritual. A sua influência se viu tanto na área pública quanto nas vidas particulares daqueles que tiveram o privilégio de participar da sua companhia. Foi sem dúvida, um exemplo a ser seguido por todo aquele que se dedica ao serviço de Deus.

Papa Francisco Canoniza Monstro Genocida para Forçar a Agenda da NOM


Papa Francisco irá tornar o assassino Junípero Serra em um santo

Papa Francisco celebrou uma missa de canonização para Junípero Serra em 23 de setembro na Basílica do Santuário Nacional da Imaculada Conceição, localizada em Washington, DC.

Nos últimos meses, Papa Francisco e os líderes da Igreja Católica têm gradualmente preparado o rebanho para a canonização do Padre Junípero Serra.

Ele é o monge franciscano conhecido por começar as missões espanholas na costa da Califórnia em 1700, usando o chicote e o mosquete em nome do Rei de Espanha.

Ele se tornou o protagonista do que é conhecido como a "Lenda Negra".

A ABC relata que Steven Hackel, professor de história na Universidade da Califórnia, em Riverside, afirma que a utilização da punição corporal por Serra era ainda controverso na época.

Em Los Angeles, a maior diocese católica dos EUA, os descendentes daquelas populações de Maias mexicanos que foram abusados por Serra imploraram em vão por uma audiência com o bispo de Los Angeles, José H. Gomez, declarando à imprensa que: "Quem matou o nosso povo não pode ser adorado entre os justos de Deus e pela igreja mundial".

A população nativa da Califórnia, que acusa Serra de genocídio e subjugação foi completamente ignorada, uma vez que este novo santo é imposto pelos poderosos Cavaleiros de Colombo, que entre eles você pode contar com Jeb Bush, e seu cavaleiro supremo e Grão-Mestre, Carl Anderson.

Houve uma conferência realizada em Roma em maio passado, no Pontifício Colégio Norte-Americano, para esclarecer dúvidas sobre a futura canonização do controverso missionário espanhol, Padre Junípero Serra.

Os Cavaleiros de Colombo parecem ansiosos para estabelecer Serra como "Patrono da América", e o evento co-patrocinado pela Pontifícia Comissão para a América Latina, sob o patrocínio da Arquidiocese de Los Angeles foi intitulado: "Nossa Senhora de Guadalupe, Mãe e Guia de Frei Junípero Serra."

O Padre Junípero Serra foi um criminoso e os nativos americanos que sofreram sua conversão metódica tentaram se rebelar na época.

Em 1775, O povo Kumeyaay ateou fogo à missão em San Diego, mas, posteriormente, a doutrinação forçada de Serra triunfou, usando métodos semelhantes ao que a Nova Ordem Mundial está agora impondo sobre nós.

A mensagem dada pelo Papa Francisco ao endossar uma figura criminosa tão óbvia como um santo, com uma apresentação incrivelmente bem encenada na Basílica Católica mais proeminente em Washington DC, deve ser muito evidente para o mundo: converter à Nova Ordem Mundial e do novo curso definido pela Igreja Católica para moldar uma Nova Religião Mundial, ou perecer como os nativos americanos pobres, cujos descendentes ainda não levados em consideração pela Igreja Católica ou pelo seu Papa.

Olin Tezcatlipoca, o fundador e diretor do Movimento Mexicano e organizador da oposição nativa contra a canonização de Serra, disse: "Ele não é um santo. A sua beatificação é um insulto a ser adicionado ao crime de genocídio - uma afronta como esta catedral construída sobre a terra sagrada do povo Tongva que já habitou estas terras."

O cavaleiro supremo dos Cavaleiros de Colombo respondeu de forma muito apologética à uma pergunta sobre a "lenda negra", quando perguntado por um correspondente religioso, respondendo:

"A suspeita da lenda negra é que os índios - os povos nativos - foram tratados cruelmente, talvez foram torturados, explorados. Quando o fato da questão é, o que levou e motivou Junípero Serra e os outros missionários foi a mensagem de Nossa Senhora de Guadalupe, que essas pessoas têm dignidade. Quando ela apareceu a Juan Diego, ela disse: 'Eu não sou sua mãe? Será que ela não vem com sua aparência, como um deles. Ela também disse: "Tenho a honra de ser sua mãe.'"

E quando perguntado "Quem foi o responsável por esta suspeita", ele respondeu sem vergonha culpando, claro, o Estado da Califórnia e não a Igreja Católica:

"Infelizmente, foi o Estado da Califórnia. Você ainda tem o governador da época dizendo que os índios devem ser exterminados. Não havia nenhum pensamento de tratar os povos nativos com o tipo de respeito e multiculturalismo que Junípero Serra queria. O governador afirmou isso claramente e usou a palavra "extermínio", por isso é muito claro o que estava acontecendo."

As mentiras e doutrinação feitas para promover o novo "Padroeiro da America," o Padre Junípero Serra, ocorrerá em 24 de setembro em Washington DC e será seguido pela abordagem histórica do Papa no Congresso dos EUA.

Será na manhã do dia 25 de Setembro de 2015, que a aceitação gradual em direção à uma única religião mundial pela Igreja Católica irá torna-se ainda mais evidente com a abordagem altamente antecipada da Assembléia Geral das Nações Unidas, onde o Papa Francisco vai visitar a famosa Sala da Meditação, criada sob a direção de Dag Hammarskjold segundo Secretário-Geral das Nações Unidas obcecado com a espiritualidade Nova Era. Isto é imediatamente seguido pelo serviço multi
-religioso realizado pelo Papa Francisco no 9/11 Memorial and Museum, World Trade Center.

Leia mais: http://www.anovaordemmundial.com/2015/10/papa-francisco-canoniza-monstro-genocida-para-forcar-a-agenda-da-nom.html#ixzz3nSJA3zW4

`Você verá Deus em um segundo´, dizia o atirador de Oregon (EUA) aos cristãos, antes de matá-los


`Você verá Deus em um segundo´, dizia o atirador de Oregon (EUA) aos cristãos, antes de matá-los
Um homem armado destacou cristãos, dizendo-lhes que iriam ver Deus em "um segundo", durante um tumulto em uma faculdade, no Estado de Oregon, na última quinta-feira (1º), que deixou pelo menos 10 pessoas mortas e 7 feridas.
"[Ele começou] a perguntar às pessoas, uma a uma, quais eram suas religiões. 'Você é cristão?', ele perguntava, e se fosse cristão, tinha que se levantar. Então ele dizia: 'Bom, como você é um cristão, vai ver Deus em apenas cerca de um segundo'. Aí ele atirava e matava", disse Stacy Boylen à CNN. Sua filha foi uma das pessoas feridas no ataque.
Um usuário do twitter nomeado @bodhilooney disse que sua avó estava na cena do massacre e deu um relato semelhante ao de Stacy. "Se as vítimas dissessem que eram cristãs, em seguida, eram baleadas na cabeça. Se elas dissessem que não, ou não respondiam, então eram baleadas nas pernas".
Apesar do atirador Chris Harper-Mercer ter demonstrado uma aparente aversão a religiões durante o ataque, foi descoberta em seu perfil online, a informação de que ele teria se tornado membro de um grupo de "religião não organizada" em um site de encontros pela internet.
Kortney Moore, de 18 anos de idade, disse que viu o professor de redação levar um tiro na cabeça em um dos salões da faculdade, antes de o atirador começar a fazer perguntas sobre religião às pessoas.
Harper-Mercer, 26, foi morto em um tiroteio com a polícia fora uma das salas de aula, segundo o xerife John Hanlin.
"Houve uma troca de tiros", disse ele. "O atirador que ameaçava a segurança das pessoas foi neutralizado".
Apesar de a polícia informar o número de mortos em 10 - incluindo Harper-Mercer, o autor dos ataques - e sete pessoas feridas, a procuradora-geral de Oregon Ellen Rosenblum Oregon disse que 13 pessoas morreram.
As pessoas estavam lutando "como formigas", quando o atirador abriu fogo em torno de 10:38 da manhã, de acordo com Brady Winder, um estudante de 23 anos de idade, natural do Estado de Portland (EUA).
"As pessoas [estavam] gritando: 'Fora!", Disse ele ao jornal 'The News-Review', acrescentando que ele viu uma garota nadando freneticamente em um riacho, para escapar da chacina.
A estudante Hannah Miles estava sentada em uma sala de aula ao lado quando ouviu um estampido que soava como um tapa em um quadro, segundo ela. Todos na sala de aula dela fugiu enquanto mais tiros ressoaram.
Já a aluna Brandy Winter postou no Facebook: "Eu corri até a borda do campus, abaixo de um monte e esperei. Depois conversei com um aluno na sala de aula onde tudo aconteceu. Quase todas as pessoas na sala foram baleadas por um homem que tinha quatro armas'.
Outro estudante, Luke Rogers disse que viu sangue em uma sala de aula quando o edifício estava sendo evacuado.
"À medida que passei pela sala de aula, vi no chão, que havia gotas de sangue", disse o aluno do primeiro ano da faculdade à CNN.
Uma testemunha disse ao jornal The New York Times que ouviu tiros fora de sua sala de aula. Ela disse que uma mulher de meia-idade, em seguida, tentou fechar a porta da sala para impedir que o atirador entrasse no local, mas a esta foi baleada várias vezes no estômago.
O xerife do corpo de bombeiros local, Ray Shoulfer disse que as vítimas foram encontradas em "diversas salas de aula", segundo a CNN.
Já o chefe da polícia disse que o atirador foi neutralizado por dois oficiais que correram para a cena do crime.
Em um discurso nacional, Obama lamentou que massacres como este tenham se tornado rotina nos Estados Unidos.
"Espero e oro para que eu não tenha que sair novamente durante meu mandato como presidente para oferecer minhas condolências às famílias em tais circunstâncias", disse ele. "Mas, com base na minha experiência como presidente, eu não posso garantir isso, e isso é terrível de se dizer".

CPAD

Estado Islâmico planeja matar milhões de cristãos com bomba nuclear


Estado Islâmico planeja matar milhões de cristãos com bomba nuclear
Uma reportagem de hoje no jornal inglês The Mirror traz uma grave denúncia. O grupo extremista Estado Islâmico planeja matar milhões de pessoas de uma vez com um holocausto nuclear.
Quem assina a matéria investigativa é o jornalista alemão Jurgen Todenhofer, de 75 anos. Ele passou-se por radical e ficou 10 dias com o grupo na Síria. Ele está lançando o livro “Dentro do EI — Dez dias no Estado Islâmico”.
Todenhofer explica que o plano do EI é fazer a “maior limpeza religiosa da história”. Segundo ele, a intenção é que o ataque seja um “tsunami nuclear”.
“Os terroristas planejam matar centenas de milhões de pessoas. O Ocidente está subestimando drasticamente o poder do Estado Islâmico”, relata ele no livro. A ideia é dizimar principalmente os cristãos.
O jornalista já esteve envolvido na política e trabalhou com a chanceler Angela Merkel, mas abandonou a carreira para se dedicar a sua profissão de origem. Ele conta que negociou a visita aos terroristas via Skype e que viajou, mesmo com medo. Durante sua passagem por Mosul, conheceu o assassino Mohammed Emwazi, conhecido pela mídia como “Jihadi John”.
“As decapitações são estratégias para provocar medo nos inimigos e têm funcionado bem. Observe a captura de Mosul, no Iraque, feita com menos de 400 homens”, enfatiza. “Eles são o inimigo mais brutal e perigoso que já vi na vida. Não vejo ninguém que tenha uma chance real de pará-los”, finaliza Jurgen.

CGADB lança operadora de telefonia móvel da AD, em São Paulo


CGADB lança operadora de telefonia móvel da AD, em São Paulo
A Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), sob a presidência do pastor José Wellington Bezerra da Costa, lançou, nesta quinta-feira, no templo-central da Assembleia de Deus - Ministério do Belém, a MAIS AD, operadora de telefonia móvel criada especialmente para os membros da maior denominação pentecostal do País.
Dentre tantos pontos altos desta novidade dedicada aos assembleianos, destacam-se planos a custos especiais, aplicativos exclusivos com informações da AD e CGADB, bem como aplicativos dedicados à evangelização.
Há mais de um ano, uma mega estrutura vem sendo montada para que a novidade seja um sucesso; a operadora também vem gerando empregos, cujas vagas são exclusivas para membros da denominação que atendam o perfil comercial exigido pela empresa que administrará a MAIS AD.
No primeiro momento a MAIS AD estará sendo lançada só no estado de SP; nos meses sequentes alcançará as demais regiões do país.
O lançamento faz parte da programação da 69ª Escola Bíblica de Obreiros da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em São Paulo.

Arábia Saudita aprova pena de morte para quem for pego com exemplares da Bíblia Sagrada

A perseguição religiosa contra cristãos na Arábia Saudita ganhou contornos mais extremos com a promulgação de uma lei que prevê a pena de morte para quem portar uma Bíblia.
A medida, indireta, faz parte de uma série de mudanças na legislação do país, é uma forma de atender às exigências da Sharia, lei muçulmana que é usada pelos governantes da Arábia Saudita como inspiração para as leis civis.
A pena prevista para quem for pego com uma Bíblia Sagrada é a morte, de acordo com informações da missão Heart Cry (“clamor do coração”, em tradução livre).
A medida foi implementada quando o governo alterou a legislação da importação de drogas ilegais e incluiu um artigo sobre literatura, prevendo que “todas as publicações de outras crenças religiosas não islâmicas e que tragam prejuízo” devem ser combatidas.
Na prática, tornou-se proibido entrar com Bíblias na Arábia Saudita, e quem for pego com um exemplar das Escrituras Sagradas do cristianismo deve ser condenado à morte por contrabando.
Na Arábia Saudita, país de maioria islâmica, o cristianismo é restrito a alguns estrangeiros que lá vivem, e as poucas igrejas existentes são pequenas e sem ligação com grandes ministérios internacionais.
Existe o temor de que, dessa forma, o plano para erradicar o cristianismo na Arábia Saudita alcance êxito, segundo informações do portal WND.
A Missão Portas Abertas divulga anualmente uma lista com os países que mais perseguem cristãos, e a Arábia Saudita figura na sexta colocação de piores nações para a divulgação do Evangelho.
“Se os muçulmanos verdadeiramente tivessem confiança que sua religião é verdadeira, não teriam medo de pessoas que leem a Bíblia”, comentou o teólogo Joel Richardson, autor de diversos livros sobre o islamismo.

Mensagens indicam que Dilma foi reeleita com dinheiro roubado. Acabou a desculpa contra o impeachment!

Dilma Edinho
Ô Edinho, ocê assume e eu finjo qui nun sabia, tá?
Para o impeachment de Dilma Rousseff, FHC queria “alguma coisa que seja clara para a população”, como, por exemplo, que “houve dinheiro do petrolão na campanha”.
Pronto, FHC. Agora a coisa está clara até para tucano.
Reveladas pelo Estadão, as mensagens encontradas pela Polícia Federal no celular do dono da UTC, Ricardo Pessoa, indicam que Dilma foi reeleita com dinheiro roubado da Petrobras:
1) As doações da empreiteira para a campanha de reeleição de Dilma estavam relacionadas ao recebimento de valores dos contratos que Pessoa detém na estatal.
2) Um executivo da UTC sugere a Pessoa que repasses da empreiteira à campanha foram “resgatados” de dinheiro desviado da Petrobras.
3) O chefe de gabinete do então tesoureiro da campanha Edinho Silva, Manoel Araújo Sobrinho, foi a ponte de cobrança desses valores, pagos em duas parcelas.
4) Walmir Pinheiro Santana, um dos executivos da UTC hoje presos, escreve para Ricardo Pessoa (“RP”) em 29 de julho de 2014, já no calendário oficial de campanha:
“RP, vc acha que eu devo ligar para o contato que o bovino religioso passou???.”
5) A PF não identificou o “bovino religioso”, mas o apelido faz remeter ao ex-deputado e ex-líder do governo na Câmara Candido Vaccarezza, já que o bovino seria a “Vacca” e o religioso… “rezza”. A PF abriu inquérito contra Vaccarezza em junho.
6) Duas horas depois, Pessoa responde que esteve com Edinho Silva (contra quem o STF já determinou abertura de inquérito) e que eles acertaram o pagamento de R$ 5 milhões para a campanha de Dilma.
7) O dono da UTC orienta o subordinado a procurar o chefe de gabinete da Secom:
“A pessoa que você tem que ligar é Manoel Araújo tel: 16 (…). Acertado 2.5 dia 5/8 (até) e 2.5 até 30/8. Ligue para ele que está esperando. O problema é bem maior. Me dê resposta.”
8) No dia 1ª de agosto, diante da dificuldade de realizar o depósito para a campanha de Dilma, Walmir pergunta:
“RP, posso resgatar o que fizemos de doações esta semana?? Tá pesado e não entrou um valor da PB que estava previsto para hj, +/- 5mm”.
O dono da UTC concorda:
“Ok pode. Você não resgatou nada ainda certo?”.
O executivo confirma:
“Esta semana já foi 6,35 de contribuição e não resgatamos nada”.
9) Os investigadores encaram os resgates como a compensação de valores pagos em propina.
Ou seja: a UTC doava para a campanha de Dilma quando entravam os pagamentos da Petrobras – “os valores da PB” – dos quais eram deduzidos os percentuais de propina destinados ao PT e conhecidos como “resgates”.
10) FHC já pode dizer ao povo que “houve dinheiro do petrolão na campanha”.
Caiu a última desculpa contra o impeachment.

GOVERNO MUNDIAL IRÁ SE APODERAR DE TERRAS BRASILEIRAS NA COP21 DA ONU


No marco da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, reunir-se-á de 30 de novembro a 11 de dezembro de 2015 em Paris a denominada COP21 (Conference of the Parties).

Ela reunirá as delegações oficiais de quase todos os países do mundo com vistas a aprovar um projeto de governo planetário para combater o aquecimento global e outros espantalhos considerados inexistentes por cientistas objetivos.

O plano já foi tentado em algumas das reuniões anuais precedentes, mas não teve sucesso. As COPs são conferências eminentemente políticas, e em Paris os movimentos ambientalistas e socialistas pretendem fazer aprovar uma mal definida “governança mundial”.

Essa “governança” visaria assumir o controle do mundo corroído pela corrupção e instalar um regime de tipo científico cooperativista com o pretexto de “salvar o planeta” do “aquecimento global gerado pelo homem”. 

Com algumas tarefas já definidas nos cenáculos ativistas verdes, nessa “governança” destaca-se prioritariamente o plano de submeter toda a região amazônica a uma administração “científica”, incluindo o território dos países que detêm soberania sobre ela.

Em poucas palavras, o Brasil perderia a soberania sobre uma parte essencial e imensa de seu território.

Essa soberania vem sendo sorrateiramente minada por múltiplas iniciativas nacionais promovidas pelas esquerdas tupiniquins, mas muito aplaudidas pelas esquerdas ambientalistas do mundo inteiro.

Sobre uma dessas recentes iniciativas falou o comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Villas Bôas, em audiência pública da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado. O objetivo primário da audiência foi analisar o controle de fronteiras e o combate ao tráfico de drogas e armas na região.


A imensa dimensão do 'Corredor Biológico Andes - Amazonas - Atlântico' ou AAA.


Na ocasião, o general destacou a necessidade de se prestar maior atenção na atuação das ONGs internacionais que operam no País. Com grande conhecimento de causa, ele ressaltou a ameaça representada pelo projeto do “corredor ecológico” proposto pelo governo da Colômbia.

De acordo com Villas Bôas, os militares estão apreensivos com situações que restringem a autoridade do País sobre seu território, bem como sobre questões estratégicas para o desenvolvimento da região, fundamental para atender às aspirações dos brasileiros – em especial os da população da Região Amazônica.

A proposta denunciada é conhecida como “Corredor Triplo A” e foi apresentada pelo presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, ao Congresso de seu país.

Ela visa a criação de uma zona de preservação ecológica que iria dos Andes até o Oceano Atlântico. Se implementada, poderá “esterilizar” 1,35 milhão de quilômetros quadrados dos territórios da Colômbia, Brasil e Venezuela.

A intenção é apresentar o projeto para análise da COP-21 acima mencionada, já podendo ter como garantida sua aprovação por lobbies de pressão ambientalista que trabalham ativamente para esse fim.

O general lembrou que a Amazônia representa 62% do território brasileiro e a eventual criação do “corredor” inviabilizaria a exploração de recursos naturais avaliados em mais de 23 trilhões de dólares, como reservas de minérios raros e biodiversidade.

Como há décadas afirmou o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira, lembra nosso blog, a soberania é plena ou não é soberania. Não existe soberania parcial, ou condicionada. 

Se um outro país, ou um conjunto de países, vem dizer o que o Brasil tem que fazer em mais de 60% de seu território, não adianta que eles apresentem distingos jurídicos ou científicos sofisticados: atentam contra a soberania brasileira.

Se eles conseguirem essa meta, vão amputar o Brasil. E isso é totalmente inadmissível.

Vilas Bôas aproveitou para se posicionar contra as propostas de manter os recursos naturais amazônicos “congelados” para sempre e disse que é possível conciliar a preservação ambiental com o uso racional das riquezas da região.

Para ele, tal condição configura um “déficit de soberania” produzido por ONGs misteriosas: “Esse déficit de soberania, esse processo todo é como combater fantasmas, porque a gente não sabe de onde vêm, o que são, o que fazem e quais são os seus objetivos, mas o resultado geral a gente pode verificar (Agência Senado, 16/07/2015).”

Como explicou o comandante do Exército, a proposta do “Corredor Triplo A” foi concebida pela ONG britânica Gaia International, cuja filial colombiana é a Fundación Gaia.

Além disso, Villas Bôas também criticou o modelo atual de demarcação de terras indígenas na Amazônia, inclusive em áreas com forte concentração de riquezas minerais:

“Não sou contra unidades de conservação em terras indígenas. (…) mas temos que compatibilizar esse objetivo com a exploração dos recursos naturais”, disse

E observou que a falta de projetos permitindo que a exploração das riquezas naturais amazônicas seja feita de forma organizada e com fiscalização tem provocado o contrabando ilegal desses mesmos recursos.

Como exemplo, citou o caso da exploração ilícita de diamantes cor-de-rosa em terras indígenas de Rondônia, que continuam sendo extraídos e exportados sem qualquer controle.

“Isso é uma hemorragia; são riquezas que o país perde, que saem pelas estruturas de contrabando, e o país não se beneficia em nada com isso”, questionou.

O comandante também expôs a situação do narcotráfico na região amazônica, e observou que o Brasil é usado como corredor de passagem de cocaína para o exterior, por fazer fronteira com os três maiores produtores da droga no mundo: Colômbia, Peru e Bolívia.

Villas Bôas informou que foram identificadas e destruídas pequenas plantações de coca no interior de nosso território, e que há informações da ação de traficantes brasileiros e mexicanos na Amazônia:

“Já foi detectada a presença de cartéis mexicanos, aqui, na Colômbia e no Peru. O cartel mexicano tem um modus operandi extremamente violento, e essa violência já começa a transbordar para o nosso lado.”


Logo da COP-21 sob enganosos véus científicos 
poderá ser vibrado um golpe de morte à soberania brasileira.


Já o tráfico de armas é mais presente em fronteiras no Sul do país, afirmou.

Para proporcionar um monitoramento mais efetivo das fronteiras, principalmente na Amazônia, está sendo implantado o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron), desenvolvido pelo Exército e composto de sistemas de comunicação, radares e veículos aéreos não tripulados (Vants), com 70% de tecnologia nacional.

O sistema começou a ser implantado em Mato Grosso, com previsão de conclusão em todo o País para 2023, embora possa haver atrasos, devido aos cortes orçamentários do governo federal, observou Villas Bôas.

O sistema pode recuperar o investimento realizado em dez anos, contribuindo para uma economia de mais de R$ 13 bilhões em gastos com segurança, nesse período.

É de extrema relevância que uma autoridade com a responsabilidade do comandante do Exército venha a público para denunciar o caráter danoso do radicalismo ambientalista-indigenista de ONGs internacionais que há mais de duas décadas colocaram o Brasil na sua alça de mira.

Entrementes, o dano causado pela atividade delitiva dos carteis do contrabando e do narcotráfico pode ser largamente agravado por decisões no sentido do plano denunciado e que circulam não só na ONU, no CIMI e nas ONGs, mas na cúpula do governo federal.

Todas essas instâncias verde-vermelhas preparam propostas que serão apresentadas na COP-21, talvez sonhando colocar o Brasil entre a espada e a parede.

Mas eles não sabem com quem estão lidando.


Via: http://ecologia-clima-aquecimento.blogspot.com.br/2015/09/cop21-da-onu-planeja-apoderar-se-da.html e anovaordemmundial.com

PARTIDO DE MARINA SILVA CHAMA ESTATUTO DA FAMÍLIA DE “RETROCESSO”


Marina Silva? A "presidente" "profetizada" em um culto evangélico...

A Rede Sustentabilidade, partido de Marina Silva que esta semana recebeu seu reconhecimento pelo STF, adota a postura política do ecossocialismo. Ou seja, por trás de todo seu discurso em prol do meio-ambiente estão as antigas bandeiras ideológicas do socialismo libertário. Postura estranha para uma agremiação política fundada por uma evangélica e missionária professa.

Em 2014, quando concorreu pelo Partido Socialista do Brasil,seu vice declarou-se abertamente favorável à causa gay e o aborto. Na eleição anterior, então candidata pelo Partido Verde, Marina perdeu muitos apoiadores ligados à bancada evangélica justamente por não se pronunciar claramente sobre questões que contrariariam os preceitos de sua fé.

Agora, poucos dias após a aprovação pela Câmara dos Deputados do Projeto de Lei (PL) 6583/13, chamado de Estatuto da Família, a Rede publicou nota oficial mostrando ser contrária. O ponto-chave que tem revoltado esquerdistas tupiniquins é justamente a definição de família como “união entre homem e mulher”. Os membros da Bancada Evangélica, que idealizaram o PL, sempre defenderam que esse é o conceito bíblico.

A nota oficial, que pode ser lida no site oficial da Rede e foi compartilhada pelas redes sociais, classifica de “retrocesso” e “um claro desafio à Constituição e ao Supremo Tribunal Federal”. O mesmo STF que foi usado em 2013 para fazer a vontade do partido que governa o país e aprovar o casamento gay à revelia da Constituição.

Em alusão a questão de configurações como os casais homossexuais, para o partido de Marina, “Já é assim na prática, não importa o que alguns deputados digam”. Nota-se que o questionamento da casa de leis provém de um partido que em breve ambicionará ter representantes nela, ainda que demonstra seu desprezo pelo sistema democrático vigente.

Curiosamente, a Rede diz torcer pelo veto, atribuição da presidente Dilma. Encerra dizendo que “família é amor, não é uma fórmula”. Esse tem sido o slogan da ala esquerdista do país, sendo usado com frequência nas postagens do governo petista e simpatizantes nas redes sociais.


Via: Jarbas Aragão - http://noticias.gospelprime.com.br/