terça-feira, 11 de março de 2014

COLEIRA E PEITORAL ANTI CARRAPATOS E ANTI PULGAS BELLA GOELLA

SEJA  NOSSO  REPRESENTANTE  EM   SUA  REGIÃO.
019 99137 1059



Justiça mantém condenação de ex-diácono por estupro


Na época dos crimes, o acusado, ex-diácono Amadeu Archanjo Domingues, 67 anos, era obreiro da igreja Assembleia de Deus Independente.

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo manteve na última semana a condenação de 35 anos de prisão do ex-diácono Amadeu Archanjo Domingues, 67 anos, por ser acusado de estuprar quatro garotas, entre 9 e 13 anos. Ele também foi condenado por atentado violento ao pudor. Os crimes aconteceram entre dezembro de 2008 e março de 2009 no Jardim do Trevo, em Araçatuba. Ele segue preso.

Quando Domingues foi condenado, em 2011, seu advogado, Rodrigo Rocha de Freitas, já havia afirmado à Folha da Região que recorreria da sentença proferida pelo juiz Emerson Sumariva Júnior. No entanto, ele foi assassinado no ano seguinte, em São Caetano do Sul. Atualmente, o réu está sem defensor, segundo a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça.

Na época dos crimes, o acusado era obreiro da igreja Assembleia de Deus Independente. O caso foi descoberto no dia 23 de março de 2009, depois que o pai de uma das meninas que era violentada chegou em casa mais cedo do trabalho e flagrou o então diácono com a vítima. A garota, de 13 anos, ficou grávida. Domingues conseguiu escapar, mas foi preso pela Polícia Rodoviária dentro de um ônibus, tentando fugir para São Paulo.

FUGA

Para escapar do cerco da polícia, ele usou ônibus e linha convencional e até moto-táxi. Quando foi detido, estava com R$ 200 na carteira e uma bolsa com roupas e remédios. Ele disse que foi a Andradina depois de ter sido flagrado pelo pai da menina e ficou na cidade até o início da noite, quando foi a Valparaíso.

Fonte: Folha da Região

MATADOR DE CRISTÃOS - Líder da Coréia do Norte ordena execução de 33 pessoas por se converterem ao cristianismo


Os 33 convertidos serão executadas em uma célula secreta do Departamento de Segurança do Estado, sob as acusações de tentar derrubar o regime da Coréia do Norte.

Segundo relatos, o líder supremo da Coreia do Norte, Kim Jong Um, ordenou a execução de 33 pessoas por terem se convertido ao cristianismo, e por receber ajuda de um missionário batista da Coreia do Sul para abrir 500 igrejas subterrâneas.

Open in new windowSegundo o The Chosunilbo, os 33 convertidos serão executadas em uma célula secreta do Departamento de Segurança do Estado, sob as acusações de tentar derrubar o regime da Coréia do Norte, estabelecendo igrejas subterrâneas. O missionário Kim Jung Wook também foi preso, por tentar plantar igrejas no país no ano passado.

Especialistas afirmam que o objetivo de Kim Jong Um com as execuções é mostrar um o castigo como exemplo para os convertidos no país, como uma forma de intensificar os esforços para fortalecer a doutrina da autossuficiência do país e manter seus cidadãos longe das crenças e práticas capitalistas.

Alguns dos presos relataram terem sido informados de que “o regime entraria em colapso” caso fosse aberta uma igreja em Pyongyang, perto de onde está a estátua de Kim Il Sung, considerado o “fundador da nação”. Porém, outros afirmam que a prisão é uma estratégia do governo para descobrir a localização de igrejas subterrâneas no país.

Ao comentarem a perseguição sofrida pelos cristãos no país, muitos afirmam que isso acontece porque os norte-coreanos estão desiludidos com o regime e estariam buscando no cristianismo uma alternativa à ideologia imposta no país.


GOSPEL+

Diocese de Amparo investiga PADRE PEGO DIRIGINDO BEBÁDO.

A Diocese de Amparo (a 130 km de São Paulo) informou que abriu um procedimento para investigar a conduta do padre Paulo Henrique Dias, 31, que foi detido pela polícia na última terça-feira (4), enquanto dirigia embriagado um veículo da diocese pelas ruas de Nova Odessa. A informação é do bispo Dom Pedro Carlos Cipolini, responsável pela instituição.
Cipolini lamentou a atitude do padre, mas não comentou as possíveis punições ao pároco. "Estamos fazendo nossa investigação, que inclui ouvir o próprio padre antes de tomar qualquer providência", disse, em nota oficial. O religioso, entretanto, continua a desempenhar suas funções normalmente até que a investigação seja finalizada.
O padre Paulo Henrique Dias, que integra a paróquia Divino Espírito Santo, em Holambra, foi detido pela Guarda Municipal de Nova Odessa após bater o carro que dirigia contra o portão da Secretaria de Educação e também contra uma árvore. Ele também atravessou um trecho de uma avenida da cidade em marcha-a-ré. Na ocasião, o padre foi detido por um vigia particular, que chamou a Guarda Municipal. Levado à delegacia, ele admitiu ter ingerido bebida alcoólica e concordou em deixar o carro no pátio da delegacia.
O caso foi registrado como embriaguez ao volante e o religioso autorizou a retirada de sangue para a realização do exame de dosagem alcoólica. O resultado ainda não ficou pronto. Segundo registrado pela polícia, o interior do veículo estava bastante bagunçado e havia uma garrafa de vinho sobre o banco. Procurada, a Polícia Civil de Nova Odessa informou que o caso está sendo investigado, mas não forneceu detalhes sobre o andamento das investigações.
Condição
Segundo depoimento dos guardas municipais, o padre Paulo Henrique dias não tinha condições de dirigir e mal conseguia ficar em pé. Por conta disso, o carro ficou detido no pátio da Delegacia de Nova Odessa e só foi retirado na quinta-feira (6) pelo religioso. Na ocasião, ele afirmou que a situação foi motivada por um "mal entendido relacionado ao uso de remédios".
À polícia, o padre disse que veio à região para visitar a mãe, que mora em Americana. Na noite do ocorrido, ele havia bebido vinho em uma pizzaria de Nova Odessa. O padre afirmou que sofreu os efeitos da reação da bebida alcoólica com os remédios que toma regularmente. Também declarou que, como havia sido afetado pela bebida, ele tentava chegar a um hotel, mas acabou batendo o carro antes.
O padre Paulo Henrique Dias foi procurado pela reportagem do UOL, mas a paróquia Divino Espírito Santo informou que ele estava em visita a famílias que moram na área rural de Holambra.


http://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/brasil/2014/03/11/diocese-investiga-padre-que-dirigia-embriagado-no-interior-de-sp.htm

Mãe paga R$ 150 para dupla matar filho adolescente em Guaxupé (MG)

Cristiane Aparecida de Oliveira, 31, confessou à Polícia Civil de Minas Gerais ter encomendado a morte de seu filho Pablo de Oliveira Santana, 15. O adolescente foi morto por Antônio Célio Máximo (que desferiu cerca de 30 facadas no jovem) e Marcelo Henrique Alves (que o segurou), ambos de 19 anos. O primeiro receberia R$ 100 pelo crime e, o segundo, seria remunerado em R$ 50. O crime aconteceu na sexta-feira (7), em Guaxupé (434 Km de Belo Horizonte).
"Ela custou a confessar o crime e não demonstrou nenhum remorso ou arrependimento. Foi um crime fora do comum. Muito cruel porque [com a facada] a pessoa demora mais para morrer. É mais sofrido", afirmou o delegado regional de Guaxupé Sérgio Elias Dias.
Cristiane Oliveira é separada, não tem emprego fixo, e mãe de mais três filhos: uma adolescente de 16 anos, que teria participação no crime contra o irmão, e mais duas crianças. "Eles moram numa casinhas pobres próximas do condomínio Alto da Colina, o mais sofisticado da cidade. É uma família totalmente desestruturada", disse o delegado.
Ele afirmou que conhecia a vítima há muitos anos. "Ele [Pablo Santana] era muito conhecido nosso. Não saía daqui. Freqüentemente era detido por pequenos roubos e uso de drogas", afirmou. "Ela [a mãe] falou que não conseguia controlar o menio. Que era muito difícil porque ele era usuário de drogas."
Em seu depoimento, o acusado de desferir os golpes, Antônio Máximo, que também confessou o crime, disse que matou "por causa do dinheiro e porque ele [a vítima] tava dando muito trabalho no bairro".
"Tinha saído a proposta pra matar ele e eu aceitei".

Laços de família

Entre 7h30 e 8h da sexta-feira (7), os dois acusados pelo assassinato chamaram a vítima para fumar maconha, nas proximidades de sua casa. Armado de uma "faca de cozinha grande", Máximo desferiu os 30 golpes. Alves segurou o garoto.
Os dois deixaram o local, mas em questão de minutos a PM (Polícia Militar) de Minas Gerais recebia a denúncia do crime. Às 10h, os dois rapazes e a mãe já estavam presos na Delegacia de Guaxupé. A irmã do rapaz assassinado, de 16 anos, detida também, namorada de Máximo, procurou assumir a culpa pela encomenda do crime, mas foi desmentida pelo réu confesso de ter desferido os golpes. Alves, que segurou o rapaz assassinado, por sua vez, é cunhado de Máximo.
"É muito complicado. Menor não pode ser indiciado e devemos [no inquérito] apenas apontar a sua participação de menor importância já que ela sabia do crime. Ela disse em seu depoimento que ela e a mãe apanhavam muito do irmão que morreu."


http://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/brasil/2014/03/11/mae-paga-r-150-para-dupla-matar-filho-adolescente-em-guaxupe-mg.htm

Tribunal condena organismo evangélico por misturar religião e política


A Aliança Evangélica da Costa Rica ao pagamento por “danos e prejuízos” por pedir que pastores e fiéis votem em um candidato nas eleições presidenciais.

O Supremo Tribunal Eleitoral emitiu sentença condenando a Aliança Evangélica da Costa Rica ao pagamento por “danos e prejuízos” pelo fato de pedir que pastores e fiéis votem no segundo turno das eleições presidenciais, no dia 6 de abril, no candidato Johny Araya, do Partido de Libertação Nacional, no poder.

O Supremo entende que o organismo “ultrapassou as faculdades que lhe outorga o direito à liberdade de culto”. Araya prometeu, se eleito, a não aprovar qualquer lei que regulamente o aborto e o casamento entre pessoas do mesmo sexo. O seu opositor, o candidato Luiz Guillermo Solís, do Partido Ação Cidadã, apoia a união civil de pessoas do mesmo sexo, mas não se posicionou de forma irrestrita em favor do aborto, apenas em situações especiais.

Ainda no primeiro turno, a Aliança Evangélica publicou na imprensa, seis dias antes do pleito, chamamento aos fiéis para que definissem o voto com base nos valores e princípios cristãos. O Supremo avaliou o anúncio como um atentado à liberdade de consciência, o que, em matéria eleitoral, “é inadmissível”, misturando política e religião.

A Aliança Evangélica agrupa igrejas e organizações protestantes do país. Num encontro de líderes evangélicos, Araya pediu o voto deles, comprometendo-se a governar “sob a guia de Deus” e defender os valores cristãos.

Fonte: ALC

Silas revela preconceito no meio futebolístico por ser evangélico


"Eu sofro muito preconceito no meio por ser evangélico.", desabafou Silas em relação à forma como é encarado profissionalmente por conta de sua religião

O treinador Silas, que marcou época como jogador no time do São Paulo campeão brasileiro em 1986, sendo incluído na ‘geração dos Menudos’, ao lado de Pita, Careca, Muller e Sidney, revelou neste domingo que sofre preconceito no meio futebolístico por ser evangélico.
"Eu sofro muito preconceito no meio por ser evangélico. Falam coisas sobre mim que não são verdade. Quando eu estava para ir para o Grêmio, por exemplo, publicaram que eu fazia orações fervorosas no vestiário e não é assim", declarou em entrevista ao programa Mesa Redonda, da TV Gazeta.

Na visão do técnico, os brasileiros ainda têm dificuldade em encontrar uma forma de fazer futebol e religião caminharem juntos.

"Quando se mistura religião e futebol aqui no Brasil é muito difícil. As pessoas aqui não estão preparadas para aceitar que estas duas coisas podem funcionar juntas", complementou.

Por fim, Silas, que tem passagens, como técnico, por Grêmio, Flamengo, Avaí e futebol do Catar, falou sobre momentos que ele pensa serem os mais difíceis para o futebolista e como ele foi ajudado nestas fases.

"Tem esse grupo do qual eu participo, o Atletas de Cristo - também tem o Baltazar, o João Leite. O grupo ajuda os jogadores nas fases mais difíceis, principalmente: o início da carreira, ajudando o jogador a criar uma base sólida para não se perder com todo o brilho, e no fim da carreira, que também é complicado, uma fase de transição", concluiu.

Fonte: iG

Pastor choca igreja ao anunciar conversão ao catolicismo


Ulf Ekman, um influente pastor protestante na Suécia anunciou neste domingo que vai se converter ao catolicismo, juntamente com a sua mulher.

Ulf Ekman fundou e liderou, durante mais de 30 anos, uma igreja de grandes dimensões na Suécia. Ao longo desse tempo enviou missionários para dezenas de países, fundou a maior escola bíblica e construiu a maior igreja da Escandinávia, fundou um programa de media com estações de televisão nos cinco continentes e publicou livros em mais de 60 línguas.

A sua Igreja, Palavra da Vida, tem mais de 3000 membros permanentes, uma escola com mais de mil alunos e pelo menos 12 pastores ao serviço.

Ekman, que era conhecido também como “pastor de pastores”, pela influência que tinha sobre ministros protestantes, chocou grande parte dos seus seguidores durante uma homilia neste domingo passado, ao anunciar que depois de longa reflexão tinha decidido entrar para a Igreja Católica.

Num comunicado publicado no site do seu ministério, Ekman escreve sobre seus contatos com a Igreja Católica: “Encontramos um grande amor por Jesus e uma teologia sã, fundada na Bíblia em dogma clássico. Experimentamos a riqueza da vida sacramental. Vimos a lógica de ter uma estrutura sólida de sacerdócio, que mantém a fé da Igreja e a passa de uma geração para a seguinte. Encontramos uma força moral e ética consistente que se atreve a enfrentar a opinião pública, e uma simpatia para com os pobres e fracos.”

Ekman conclui dizendo que um dos passos decisivos foi ter entrado em contato com representante de movimentos carismáticos católicos, grupos que no seu estilo de celebração estão próximos dos protestantes, mas que se encontram em comunhão com Roma.

O casal deixa claro que a decisão diz respeito unicamente a eles e que "nem faria sentido" terem tentado fazer uma integração de toda a "Palavra de Vida" na Igreja Católica.

A entrada de Ekman para a Igreja Católica é um fato muito significativo num país muito descristianizado. Embora a maioria dos suecos pertença, nominalmente, à Igreja da Suécia, que é de tradição luterana, sondagens revelam que apenas 18% da população acredita em Deus de uma forma compatível com o Cristianismo. Apenas 2% da população é católica.

Fonte: Renascença - Portugal

ALERTA GERAL- AS MENTIRAS SOBRE A VACINAÇÃO CONTRA HPV .

Em outro post já se tratou do caráter imoral, que é uma vacinação forçada em crianças entre 10 e 11 anos, ação desejada pelo Ministério da Saúde. Depois do artigo citado, houve muitas reclamações de visitantes e amigos, argumentando que o governo não disse que a vacinação será compulsória. Em minha defesa afirmo que o governo também não disse que não será. Então, como não há afirmações nem contra nem a favor, deixaremos a discussão para depois. Contudo, deixo um dado curioso: não há campanha de vacinação mais ambiciosa no Brasil! Nem a vacinação contra a poliomelite, que tem eficácia comprovada, tem um projeto tão agressivo de disseminação. Se o ministério da saúde respeita, de fato, a liberdade dos pais sobre seus filhos, que não leve a vacinação às escolas. Os pais que desejarem a vacinação que levem seus filhos aos postos de saúde para receberem a vacina contra HPV. Mas cuidado com a vacina contra HPV, pois ela é muito estranha…
Para os que não sabem do estamos falando, aviso aos navegantes: não se enganem, não estamos falando de saúde; nem de bem-estar da população. Muito menos de aplicação do dinheiro público em saúde. Absolutamente, não se trata disso. Estamos falando do uso da ciência como propaganda, uso do discurso científico como manobra ideológica, como arma sociológica. Aos que desejarem saber mais sobre o assunto, sugiro o livro de Trevor Pinch e Harry Collins, The Golem: what you should know about science. Não se trata de ser contra ou a favor da saúde, ou do bem-estar humano. A discussão está muito aquém disso. Trata-se da tentativa, explícita em alguns discursos, de vender ilusões para os que não sabem como a ciência funciona no seu dia-a-dia. Trata-se de combater uma forma cada vez mais clara de manipulação, que é manipulação por meio do discurso científico ideologizado. Mas não confiem em mim (aliás, não confiem em ninguém), vamos às provas:
1. A divulgação publicitária da campanha de vacinação nos jornais do país não deixa claro se a vacina imunizará as crianças do vírus HPV, dando a falsa impressão de que estarão protegidas contra todos os vírus existentes e de forma definitiva. Alguns visitantes defensores do discurso “a ciência é boazinha” disseram literalmente no blog (procure lá nos comentários) que a tal vacina imuniza contra o vírus. É mentira! De fato, não existe qualquer vacina no mundo capaz de imunizar permanentemente qualquer indivíduo contra HPVA vacina proposta pelo ministério da saúde, que é a Gardasil, tem validade entre 4 e 5 anos e protege, sendo otimista e no melhor dos mundos, apenas 70% dos casos de HPV existentes. Isso significa que uma criança que toma a vacina aos 11 anos estará vulnerável à doença quando tiver 16 anos; se tomar com 10, aos 15 estará sem efeito. Idade a partir da qual a vacinação não é tem qualquer eficácia.
3. Há informações que garantem que a vacina dispensará as pessoas do exame papanicolauÉ mentira! Nas melhores expectativas da vacina da farmacêutica, o exame papanicolau não está dispensado. Pelo contrário, mesmo nos 70% dos casos em que a vacina se aplica, mesmo nos anos de vigência da vacina, mesmo assim, o exame papanicolau é necessário. Do mesmo modo que campanhas publicitárias como acima cometem erro gravíssimo ao divulgarem essa mentira, outras poderão ocorrer.
Outros pontos importantes precisam ser informados, de forma clara e fundamentada, para as famílias que pretendem dar a vacina a suas filhas, ou às jovens e adolescentes que ouçam a proposta nas salas de ginecologia do país:
Depois de tudo isso, alguém acha realmente que essa campanha nacional tem alguma coisa a ver com o bem da população ou com a saúde da mulher brasileira?
Senhores, eis a questão: a vacina custará aos cofres brasileiros 360 milhões, a primeira dose. São três doses, então o gasto beira 1 milhão de reais aos cofres públicos (se o Ministério da Saúde mantiver o projeto originalmente proposto aqui). E tudo isso sem qualquer benefício real aos vacinados, já que a proteção as crianças expirará 5 anos após a última dose, sem qualquer benefício ulterior, deixando essas crianças a mercê da contaminação. E pior: alguns, acreditando na imunização, se colocarão em situação de risco, não só quanto ao HPV, mas também em relação as outras DSTs.
Por essas razões é que a vacinação desejada pelo Ministério da Cultura é uma armadilha e um enorme  desperdício de dinheiro público. 
 
Links necessários para quem quer saber o que há por detrás da vacinação contra HPV:


VIA BISPO   ROBERTO TORRECILHAS