terça-feira, 26 de abril de 2011

13 CONGRESSO - GLORIFICA BRASIL -

UM POVO QUE SE CHAMA PELO MEU NOME.

"se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra."
2 Crônicas 7:14

Governo do Irã proibe a Assembléia de Deus de realizar cultos as sextas-feiras!



Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
A maior igreja no Irã, que realiza cultos abertos e públicos no país, não poderá abrir a igreja às sextas-feiras, por causa da pressão do governo. De acordo com relatos, as autoridades ameaçaram o pastor Sourik, líder e administrador das igrejas vinculadas Assembléia de Deus no Irã, dizendo que iriam fechar definitivamente a congregação central em Teerã, a menos que ele parasse de cultuar às sextas-feiras, com o prazo máximo do dia 31 de outubro.Sourik, que havia resistido às exigências das autoridades, finalmente anunciou que não haveria mais cultos às sextas-feiras, mas somente aos domingos. ''O anúncio do término dos cultos de sextas-feiras foi recebido com comoção e surpresa, e provocou muita tristeza na congregação'', divulgou a rede de notícias cristã farsi.De acordo com informações, Sourik obedeceu as ordens para garantir a segurança e o bem-estar dos membros e visitantes que frequentam os cultos. O pastor, que tem problemas cardíacos, foi muito pressionado pelos oficiais do Ministério de Informação para que fechasse a igreja às sextas-feiras, que é, oficialmente, o dia sagrado no Irã."Pedimos que o Irã respeite os direitos dos cristãos de praticarem sua religião livremente, sem a interferência do governo, ou ordem autoritária'', disse Aidan Clay, representante do ICC no Oriente Médio.A Assembléia de Deus em Teerã é uma igreja independente, fundada por diversos pastores e líderes muito antes da revolução islâmica. A igreja continuou com seu ministério depois da revolução e muitos pastores foram martirizados por extremistas, incluindo alguns ligados ao regime.

Em Pequem, chineses cristãos são vítimas da mais crueis torturas!! - چھوٹی سی میں چینی عیسائیوں کا سب سے ظالمانہ اتیاچار کا شکار ہیں. - 在小型,中國的基督徒受害最殘酷的折磨! - In small, Chinese Christians are victims of the most cruel tortures! - ב קטן, נוצרים סינים הם קורבנות של עינויים אכזריים ביותר!


Missionária chinesa teve sua casa invadida por quatro homens da policia secreta de Pequim, quando voltava de um culto, feito de forma secreta, por razões de segurança.A China é um país aonde o Estado se declara oficialmente ateu.Diferente dos tempos do socialismo, quando se podia ao menos debater as idéias, mesmo as que eram contra os princípios da nação, o atual governo de Pequim, não respeita mais os direitos humanos e tem se dedicado exclusivamente a perseguição dos cristãos evangélicos.Segundo informções da Frente de Missionários A Voz dos Martires, a China tem hoje cerca de 30 mil prisioneiros cristãos.Na foto a jovem Hu Jia, demonstra bem como é o dia-a-dia dos cristãos perseguidos na República Popular da China.Nesta sociedade de “socialismo com características chinesas”, o dinheiro significa poder e estatuto social. A polarização da riqueza conduziu o povo trabalhador a uma pobreza abjecta; como resultado, perdeu o seu estatuto social e todos os direitos que antes tinha desfrutado. Já não são trabalhadores socialistas dignos; pelo contrário, são forçados a vender a sua força de trabalho como mercadoria para sobreviverem: transformaram-se em ferramentas que podem ser livremente compradas pelos capitalistas.Parte do povo trabalha para as chamadas empresas estatais, mas o termo “estatal” significa de facto capitalista porque todo o estado é propriedade da classe capitalista.Os trabalhadores já não trabalham para si próprios; estão a trabalhar para criar mais-valia para a classe capitalista. Uma outra parte do povo trabalhador transformou-se em escravos efectivos dos grandes e pequenos capitalistas. Sofrem uma cada vez maior e mais cruel exploração e opressão. Além disso, centenas de milhões de trabalhadores e camponeses estão constantemente sujeitos a despedimentos e à migração forçada e vivem miseravelmente, mudando constantemente de local, procurando trabalho e lutando pela mera sobrevivência. O trabalho tornou-se no seu único meio de sobrevivência e das suas famílias. O trabalho já não é um direito garantido. Em resultado da mercantilização da educação, dos cuidados de saúde, das actividades culturais, do desporto e da assistência legal, foram efectivamente privados do direito a enviar os seus filhos à escola, de acesso a cuidados de saúde, do direito a uma pensão e de outros direitos associados a uma idade avançada, do direito a participar em actividades culturais, recreativas e desportivas e mesmo do direito a protecção legal. Além disso, em resultado do desperdício de recursos e da poluição ambiental causados directamente pelo ávido desenvolvimento provocado pela classe capitalista, o povo trabalhador perdeu até o seu direito a uma alimentação saudável, água limpa e ar fresco. A pobreza trouxe-lhe um sofrimento inenarrável!
Oremos para que Deus proteja nossos irmãos chineses perseguidos por causa da fé em Jesus!

GOVERNO CHINES CAÇA CRISTÃOS - caça aberta a igrejas cristãs clandestinas, autoridades chinesas invadiram ontem dezenas de casas e prenderam ao menos 36 pessoas em Pequim.

China prende 36 fiéis de igrejas "subterrâneas"
   
 
Culto em igreja não-registrada na China  
CHINA (16º) - Na terceira semana da caça aberta a igrejas cristãs clandestinas, autoridades chinesas invadiram ontem dezenas de casas e prenderam ao menos 36 pessoas em Pequim.

Os fiéis estavam prestes a celebrar a Páscoa em uma praça pública ao noroeste da capital chinesa.

Os detidos integram a Shouwang, uma das maiores "igrejas subterrâneas" de Pequim -nome dado às igrejas que se recusam a deixar o Partido Comunista controlar a sua crença, e, por isso, são consideradas ilegais e caçadas.

O governo alega que no país há liberdade de religião, garantida pela Constituição chinesa.

Mas a lei só permite o credo em igrejas registradas oficialmente. As igrejas oficiais do país têm cerca de 20 milhões de fiéis, mas calcula-se que haja 50 milhões de fieis em "igrejas subterrâneas".





Fonte: Folha de São Paulo

Radiação na área de usina do Japão é 400 vezes maior que o normal


O Ministério da Ciência do Japão informou hoje (22) que foi identificada radiação superior a 400 vezes o nível normal no solo da região a 40 quilômetros da Usina Nuclear de Fukushima Daiichi, no Nordeste do país. Os peritos analisaram material do solo retirado a 5 centímetros abaixo da superfície. O ministério detectou no solo a existência de substâncias radioativas de iodo e césio. As informações são da rede estatal de televisão NHK.
Segundo o professor Keigo Endo, da Universidade de Gunma, a radiação liberada de iodo está acima 430 vezes do nível normal e a de césio é de 47 vezes maior.

Especialistas japoneses e estrangeiros trabalham para evitar o agravamento da situação em Fukushima. Ontem (21), depois do surgimento de fumaça na usina, os peritos determinaram o esvaziamento do local. Paralelamente, está sendo feito um esforço para resfriamento dos reatores. Helicópteros e aeronaves são usados para ajudar na tentativa de manter a temperatura baixa na usina.

As autoridades japonesas estão preocupadas com os sinais de contaminação de radioatividade na água, no leite, nos produtos alimentícios e no meio ambiente. Por precaução, os moradores da área foram orientados a não beber água nem leite oriundos desta região do país./Exame

Absurdos que abalaram a Igreja Católica e seus fiés



A Igreja Católica volta a estar sob forte escrutínio, depois de novas denúncias de abusos sexuais cometidos por padres em vários países europeus. Acusações que se seguem aos escândalos conhecidos nos últimos anos nos Estados Unidos

Holanda:
Mais de 200 holandeses revelaram ter sido vítimas de abusos depois de, no início de Março, a Netherlands Worldwide e o jornal NRC Handelsblad terem noticiado que, há décadas, três padres da ordem salesiana abusaram de alunos de um internato.

Alemanha:
A diocese de Ratisbona revelou, na semana passada, que um padre abusou sexualmente de dois rapazes em 1958 e que foi condenado a dois anos de prisão. Outro sacerdote esteve 11 meses preso, em 1971, por abuso.
A declaração mencionava, também, o caso de três homens que disseram ter sido vítimas de abusos sexuais, no início dos anos de 1960, por vários professores, enquanto frequentavam internatos com ligações à diocese.
O arcebispo Robert Zollitsch, presidente da Conferência Episcopal alemã, pediu desculpas, no mês passado, pelos abusos sexuais de crianças por padres católicos, depois de mais de cem casos terem sido reportados pelas escolas jesuítas do país.

Irlanda:
Abril de 2002: O bispo Brendan Comiskey de Ferns, um dos clérigos mais conhecidos da Irlanda, resignou ao cargo porque um padre da sua diocese se suicidou, em 1999, depois de ser acusado de 66 crimes de abuso sexual.
Maio de 2009: A Comissão de Inquérito aos Abusos de Menores divulgou um relatório que demorou nove anos a compilar. Concluiu que durante décadas vários padres espancaram e violaram crianças, em instituições católicas.
Novembro de 2009: O relatório Murphy, resultado de um inquérito financiado pelo Governo sobre os abusos em Dublin entre 1975 e 2004, revelado a 26 de Novembro de 2009, revela que as autoridades da Igreja encobriram casos de abuso sexual de crianças até meados dos anos 1990.
Dezembro de 2009: Depois de uma reunião com dois líderes da Igreja irlandesa, o Papa disse partilhar do sentimento de “ultraje, traição e vergonha” relativamente ao escândalo da Irlanda. No mês passado, Bento XVI iniciou uma série de reuniões com 24 bispos irlandeses no Vaticano. Uma declaração emitida pelo Vaticano depois dos encontros apelidou de “crime hediondo” o abuso sexual de crianças por padres e disse que os bispos asseguraram estar dispostos a cooperar com as autoridades. Quatro bispos pediram demissão, mas, até agora, o Papa só aceitou uma delas.

Canadá:
Outubro de 2009: O bispo Raymond Lahey, de Antigonish, na Nova Escócia, foi formalmente acusado pela posse e importação de pornografia infantil. Nesse ano, antes de ser acusado, negociou uma indemnização de 12 milhões de dólares para as vítimas de abusos sexuais na diocese de Antigonish, em casos que remontavam a 1950.


México:
Março de 2009: O Papa Bento XVI ordenou uma investigação à Legião de Cristo, fundada por um padre que se descobriu ser pedófilo. Em 2006, o então cardeal Ratzinger disse ao fundador, Marcial Maciel, para se retirar para uma vida de “oração e penitência”. Maciel morreu em 2008.

Austrália:
Julho de 2008: Numa visita à Austrália, o Papa Bento XVI pediu desculpas pelos crimes de abusos sexuais cometidos por padres, condenando-os e dizendo que deviam ser julgados. Nessa altura, sabia-se de 107 casos de abusos sexuais no seio da Igreja australiana.

Áustria:
Julho de 2004: A revista austríaca Profil publicou de padres a beijarem e a apalparem alunos, num seminário católico na diocese de Sankt Pölten.

Reino Unido:
Julho de 2000: O cardeal de Londres, Cormac Murphy-O'Connor, reconheceu ter cometido um erro, quando ocupava outro cargo, na década de 1980, por ter permitido a um padre pedófilo continuar a trabalhar. O padre foi preso em 1997, por ter abusado de nove rapazes durante cerca de 20 anos.

Estados Unidos:
Dezembro de 2002: O Cardeal de Boston, Bernard Law, demitiu-se depois de ser acusado de transferir padres pedófilos para outras paróquias, para encobrir escândalos.
Junho de 2002: A Conferência Episcopal dos Estados Unidos deu instruções às dioceses para que investigassem todos os crimes de abusos.
Fevereiro de 2004: Investigadores independentes referiram que 10.667 pessoas acusaram os padres americanos de crimes de abusos sexuais cometidos entre 1950 e 2002. Mais de 17 por cento dos queixosos tinham irmãos alegadamente vítimas de abuso e outros 47 por cento admitiram ter sido violado várias vezes.
Julho de 2007: A arquidiocese de Los Angeles aceitou pagar 660 milhões de dólares às vítimas de abusos sexuais desde os anos 1940, na maior indemnização de sempre deste tipo.
Abril de 2008: O Papa Bento XVI encontrou-se, durante uma visita aos Estados Unidos, com as vítimas de abusos cometidos por padres. A Igreja norte-americana pagou cerca de dois mil milhões de dólares às vítimas desde que o escândalo rebentou em 1992.

: publico.pt

DENÚNCIA: médica prescreve surra para o tratamento de criança levada ao PA do Cervezão

CASO ACONTECEU NA ÚLTIMA SEXTA-FEIRA (22) NO PA DO 
CERVEZÃO. MÃE IRÁ FORMALIZAR DENÚNCIA POR ESCRITO À OUVIDORIA DA 
FUNDAÇÃO DE SAÚDECASO ACONTECEU NA ÚLTIMA SEXTA-FEIRA (22) NO PA DO CERVEZÃO. MÃE IRÁ FORMALIZAR DENÚNCIA POR ESCRITO À OUVIDORIA DA FUNDAÇÃO DE SAÚDE
CASO ACONTECEU NA ÚLTIMA SEXTA-FEIRA (22) NO PA DO CERVEZÃO. MÃE IRÁ FORMALIZAR DENÚNCIA POR ESCRITO À OUVIDORIA DA FUNDAÇÃO DE SAÚDE

ARQUIVO

Fachada do Pronto-Atendimento do Cervezão. Mãe reclama de mau atendimento na unidade de saúde

Ednéia Silva

Um caso ocorrido no Pronto-Atendimento (PA) do Cervezão na última sexta-feira (22) deixou uma família indignada. Por volta das 23h30, Élida Rosângela da Silvas levou o filho de nove anos ao PA após ele ter reclamado de dores no peito e dificuldades para respirar. Como o menino tem um histórico de problemas com bronquite, inclusive algumas situações graves, a mãe decidiu procurar a unidade de saúde preventivamente.

Ela conta que a criança foi atendida pela médica de plantão. Ela examinou rapidamente o garoto e disse à mãe que ele precisava de "uma boa sova". A criança, sem entender a palavra, questionou a mãe sobre o significado da mesma. Já a mãe, indignada, perguntou o porquê da prescrição. A médica então respondeu que o menino não tinha nada e só precisava de uma surra.

Élida diz que respondeu à médica que quem merecia a sova era o filho dela e saiu do consultório. Em casa, por conta própria, ela fez inalação no filho para não retornar ao PA, mesmo com ele ainda reclamando de dores.

A mãe ficou indignada com o fato e decidiu divulgar a história para evitar a ocorrência de novos casos e para que as autoridades de saúde tomem providências. Ela também procurou a ouvidoria da Fundação Municipal de Saúde para denunciar o ocorrido. Ela foi orientada a formalizar a denúncia por escrito e está tomando as providências para isso.

Élida reclama do atendimento oferecido na rede pública. "Parece que a gente está pedindo esmola, implorando para ser atendida", comenta. "Além da demora a gente ainda é mal atendida", completa, dizendo que não sairia de casa à noite para procurar a unidade de saúde sem necessidade.

Em nota encaminhada pela assessoria de imprensa, a Fundação Municipal de Saúde, informou que "não recebeu reclamação sobre o assunto e orienta a reclamante a apresentar sua queixa de maneira formal para que a Fundação tome ciência e, então, passe às providências para apuração dos fatos. A Fundação esclarece que a comunidade pode estabelecer comunicação pelo setor de Ouvidoria ou diretamente com o setor administrativo".


Ouvidoria

A Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro dispõe de ouvidoria para atender a população. Na ouvidoria, o cidadão pode apresentar sua reclamação, fazer sugestões e solicitar informações sobre a rede municipal de saúde. O contato pode ser feito pelo telefone 3533-6863 ou através do e-mail ouvidoria@saude-rioclaro.org.br. 


FONTE  http://jornalcidade.uol.com.br/rioclaro/dia-a-dia/dia-a-dia/75035

Jovem suspeito de estuprar menina de 5 anos é preso no RS

Um jovem de 22 anos acusado de estuprar uma menina de 5 anos no início do mês foi preso na segunda-feira em Xangri-lá, no litoral do Rio Grande do Sul. Segundo o delegado titular da Delegacia de Polícia da cidade, as investigações iniciaram após denúncia da mãe da criança.
O abuso sexual foi comprovado após atendimento médico e assistencial à vítima. A prisão temporária do suspeito foi deferida pela Justiça, e o homem foi encaminhado à Penitenciária de Osório, também no litoral gaúcho. Segundo a polícia, outro estuprador já havia sido preso na região em menos de 10 dias, após denúncias da comunidade.
Terra

DEUS ESTA NO CONTROLE DE TUDO

Pastores da CGADB entram com representação criminal contra a convenção

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel Balanços, registros, relatórios financeiros, pareceres do Conselho Fiscal, receitas e despesas, locações, gastos em congressos, pagamentos de viagens e hotéis, envio de dinheiro ao exterior, pagamentos de 40 cheques, com valores de R$ 192 mil (o maior), R$ 60 mil, R$ 40 mil e R$ 30 mil (o menor), registros contábeis de transferências de verbas da CPAD à CGADB, dentre outros, fazem parte da lista dos pedidos de investigação que, pela lista, caracteriza verdadeira varredura nas movimentações financeiras da Convenção Geral e CPAD.
A Representação Criminal MPRJ 201100408114 foi protocolada neste dia 25, na Promotoria de Justiça do 7º Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Investigação Penal do Rio de Janeiro. É assinada por membros pertencentes às regionais da Confradesp, Comaderj, Ceader, Confrateres, Ceadam, Cieadep e Cemiadap.
Com citação do presidente e de todos os membros da mesa diretora, a Representação Criminal pede investigação do Ministério Público nas contas da CGADB desde 2004, quando da primeira eleição do atual presidente. Afirma que o mesmo galgou a presidência em “diversas reeleições, algumas ocorridas sob a sombra de graves denúncias” e que “vem sendo acusado de atuação irregular da gestão” da administração “do patrimônio, das receitas e dos recursos da própria CGADB e CPAD”.
Dizem ainda os autores, terem buscado todas as formas possíveis de obterem informações verdadeiras, para confirmar ou afastar definitivamente as suspeitas. Isto por meio de solicitações oficiosas, requerimentos e notificações extra-oficiais, mas todas sem respostas.
Depois disso, pedem ao MP a “deflagração de investigação penal, inclusive com busca e apreensão imediata de documentos e computadores”, com vistas ao impedimento de ocultação de provas.
Daí o pedido de investigação dos possíveis ilícitos penais, com o desvio de finalidade, benefício próprio e de terceiros, ilícitos fiscais e tributários, violação da Lei 9.613-98 (Dispõe sobre os crimes de “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores; a prevenção da utilização do sistema financeiro para os ilícitos previstos nesta Lei…) e crimes contra a fé pública.
Possíveis ilícitos e fontes listados a serem investigados
- Balanço de encerramento nas datas de 31 de dezembro, dos anos de 2004 a 2009;
- Livros diários e registros (Registro Civil das Pessoas Jurídicas);
- Demonstração analítica de resultado; demonstrações de fluxo de caixa e de patrimônio líquido de 2004 a 2009;
- Atas de análises e aprovações do Conselho Fiscal de 2004 a 2009;
- Relatórios financeiros; registros e históricos com a identificação de participantes, pagamentos de congressos em 2005, 2007 e 2009, e outros registros;
- Receita de locação de espaço; contratos de locação; receitas e despesas de viagens (passagens e hotéis) por meio da empresa de turismo (com nome citado) em 2005, 2007 e 2009, além de cotações de preço;
- Financiamentos fora do sistema financeiro e atas de aprovação de tais operações;
- Pagamentos de cerca de 40 cheques (com lista de cheques e respectivos bancos, número de contas, datas e valores de cada um), com valores de R$ 192 mil a R$ 30 mil;
- Envio de valores para o exterior;
- Emissão de cheques sem fundos;
- Verificação de declarações de IR;
- Recolhimento de obrigações sociais nos últimos 5 anos e seus trâmites;
- Registros contáveis de transferências de valores convencionais da CPAD;
- Registro do pagamento de anuidades e inscrições de convencionais por meio de empresa terceirizada (com citação do nome da mesma), sua contratação, custos e impostos.

G+

Decapitado o cristão Mansur Mohamed , video muito pesado , aconselho ver somente maiores de 18 anos , e isso que os radicais islãmicos fazem .



"Eu instilarei terror nos corações dos infiéis, golpeai-os acima dos seus pescoços e arrancai todas as pontas dos seus dedos. Não fostes vós quem os matastes; foi Alá" (Alcorão, Sura 8: 13-17).


Extremistas islâmicos do grupo Al Shabab (a juventude) que lutam contra o governo de transição na Somália, em 23 de setembro, cortou a cabeça do cristão Mansur Mohamed, 25 anos, trabalhador humanitário, diante de espectadores horrorizados da vila Manyafulka, a 10 quilômetros de Baidoa.
Os militantes interceptaram Mohamed e um motorista que conseguiu fugir no início da manhã. Fontes próximas a Mohamed, gente de sua família, disse que ele se converteu do islamismo ao cristianismo .
A testemunha, que pediu anonimato, por razões de segurança, disse que os militantes se reuniram à tarde com os moradores de Manyafulka, dizendo-lhes que iriam preparar-lhes uma festa. As pessoas se reuniram pensando que seria abatido uma ovelha, cabra ou camelo, segundo o costume local.
Cinco homens mascarados apareceram carregando armas (espadas somalis) e trouxeram Mohamed algemado. Um deles puxou Mohamed pela cabeça, expondo seu rosto e passando a espada sobre o seu cabelo curto. Um outro recitou o Alcorão e proclamou que Mohamed era um "murtid", termo árabe para designar aquele que se converte ao cristianismo.
Os militantes anunciaram que Mohammed era um infiel e um espião dos soldados etíopes.
Mohamed permaneceu calmo, com o rosto inexpressivo e não proferiu uma palavra, disse a testemunha.
Com o canto de "Deus é maior", um dos milicianos torceu-lhe a cabeça para que os expectadores vissem cortar-lhe o pescoço. Quando a cabeça foi finalmente separada do tronco, os assassinos comemoraram exibido-a para o público petrificado.
Os militantes permitiram que um dos seus cúmplices fizesse a filmagem do massacre usando um telefone celular. O vídeo foi posteriormente divulgado e vendido secretamente na Somália e nos países vizinhos; muitos vêem nesse vídeo uma estratégia para instilar o medo entre aqueles que desejam se converter do islamismo ao cristianismo.
 
Obs.: o vídeo 1, por ser extremamente pesado,
é aconselhável somente para maiores de 18 anos.

Igreja Mundial do Poder de Deus, reúne 50 mil no Rio

Cerca de 50 mil pessoas celebraram nesta quinta-feira o 13º aniversário da Igreja Mundial do Poder de Deus no Aterro do Flamengo, em frente ao Monumento dos Pracinhas. Diferentemente de outros eventos na região, desta vez não houve congestionamentos pela cidade provocados pelo culto, apesar do fechamento de algumas vias importantes de acesso.
A estimativa do total de pessoas foi realizada pela Polícia Militar. A previsão dos organizadores era de que 100 mil pessoas fossem ao culto, que começou às 9h30 e terminou por volta de 13h.
De acordo com o secretário de Conservação e Serviços Públicos da Prefeitura do Rio, Carlos Roberto Osório, não havia engarrafamento nas redondezas do evento, por conta da localização e do planejamento de trânsito.
Para viabilizar o culto, as pistas do Aterro do Flamengo – vias expressas que ligam Botafogo ao Centro – foram interditadas, assim como o viaduto do Elevado da Perimetral – que conecta o Centro à Avenida Brasil e à Ponte Rio-Niterói – e a pista lateral da Avenida Presidente Vargas, sentido centro, para o estacionamento de ônibus dos fiéis.
Cultos evangélicos e shows musicais anteriores na Praia de Botafogo, com centenas de milhares de pessoas, causaram grandes engarrafamentos na zona sul do Rio, o que levou a Prefeitura do Rio a proibir a realização de grandes eventos no local. O Aterro passou a ser a opção “para não parar a cidade”, segundo Osório.
A Polícia Militar fez exigências para autorizar o culto. Dezenas de banheiros químicos e postos de atendimento médico foram montados no gramado de parte do Aterro do Flamengo.
Bandas de estilo gospel deixaram o palco e deram lugar à pregação de pastores. A multidão, apesar do sol forte, cantou, orou e se emocionou. Pelo menos 510 ônibus do 800 previstos chegaram ao local com pessoas de todas as partes do Estado, segundo a Prefeitura.
Milhares de evangélicos viajaram de madrugada. José Roberto Conceição, de Vassouras, passou seis horas na estrada – quase o triplo do tempo normal – porque dois dos seis ônibus da caravana quebraram no caminho. “Mas vale muito a pena, somos abençoados por Deus”, disse.
A auxiliar de serviços gerais, Eva Aparecida saiu de Petrópolis, onde mora, às 3h e chegou às 5h, com a família. Ela montou um acampamento, com banquinho, sombrinha e cadeira de praia e isopores com comida.
Também teve quem vendesse chapéus, bonés e sombrinhas para proteger os fieis do sol forte. Cada banquinho de plástico foi vendido no local por R$ 10.


Fonte: Último Segundo

MENTIRA SOBRE A CONVERSÃO DE FERNANDA BRUM AO CATOLICISMO.

Tem alguns sites catolicos trazendo uma informação equivocada sobre a conversão de Fernanda Brum ao catolicismo , veja a resposta da assessoria de Fernanda Brum.




Presados;

Essa notícia não tem absolutamente nenhum fundamento. A Pastora Fernanda Brum congrega na Igreja Batista Central da Barra da Tijuca, RJ.
Por favor observe a letra da música citada. Ela fala apenas de Maria como mãe, mulher, exemplo virtuoso, nada, absolutamente nada diferente do que a Bíblia menciona.

Maria
Fernanda Brum
Era uma mulher sensível
  A Deus a serva submissa
Viveu ao Senhor sempre rendida
Bendita entre as mulheres
Exemplo será pra sempre
Bendito é o fruto do seu ventre
Alcançou graça no Senhor
  Ela disse em seu coração
Engrandece alma minha
A meu Deus e meu Salvador
Pois sua graça e misericórdia
São de geração
Em geração
O anjo de Deus lhe disse
Não temas és escolhida
E a ti um favor foi concedido
Teu filho será investido
De glória e poder divino
Virá salvação desse menino




A grande diferença entre católicos e evangélicos é a divindade que atribuem a Maria, que a Bíblia não atribui, nem a ela nem a
ninguém, exceto a Deus. Todas as nacóes a chamariam bem-aventurada e é somente isso que a música relata.
Falar de Maria deveria ser algo muito normal a todos os evangélicos.
Ela não é intercessora entre nós e Deus, pois a Palavra nos aponta um único mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo.
A pastora Fernanda Brum cita Maria como exemplo de mulher que foi escolhida para trazer o Salvador ao mundo.
Apenas isso.
Essa música está sendo usada como “fonte” por interpretação equivocada.

Via Gritos de Alerta.

Aos crentes que não gostam de hierarquia nas igrejas


hieraquia Aos crentes que não gostam de hierarquia nas igrejasAumenta a cada dia o número de crentes que não se sujeitam aos líderes e pensam que estão certos. Não respeitam pastores, verberam contra a liderança e afirmam que só devem obediência a Deus. “Igreja não é quartel general”, argumentam. E, generalizando, chamam qualquer liderança firme, segura, de coronelista.
Entretanto, vemos na Bíblia que o próprio Deus prioriza e hierarquiza. Ele — que podia ter formado todas as coisas com uma única palavra — fez questão de formar tudo a seu tempo, dia a dia (Gn 1). O Senhor também pôs em ordem as tribos de Israel (Nm 2), pois o nosso Deus é um Deus de ordem (1 Co 14.40).
De acordo com 1 Coríntios 12.28, há uma hierarquização dos dons e ministérios — estabelecida por Deus, é evidente. Ela existe, não para que um portador de certo dom e ministério se considere superior aos outros, e sim para que haja ordem na casa do Senhor.
Deus pôs na igreja “primeiramente apóstolos” (1 Co 12.28; Ef 4.11). Existem apóstolos hoje? Sim! Mas é claro que há também pseudo-apóstolos, que propagam muitas “apostolices”. Quem são os apóstolos do Senhor, então? São homens de Deus, enviados por Ele, com grande autoridade, e não autoritarismo. Eles formam a liderança maior da igreja, independentemente dos títulos empregados pelas denominações (pastores-presidentes, bispos, reverendos, pastores, presbíteros, etc.).
É importante não confundir títulos com ministérios e dons. Estes vêm do Espírito Santo, enquanto os títulos são recebidos dos homens. Na Assembleia de Deus, por exemplo, não existe o título de apóstolo. Mas isso não significa que não exista o ministério apostólico. Este, segundo a Bíblia, perdurará “até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo” (Ef 4.13).
O texto de 1 Coríntios 12.28 afirma, ainda, que Deus pôs na igreja “em segundo lugar, profetas”, mencionados — na mesma posição, depois dos apóstolos — em Efésios 4.11. Não confunda esses profetas com os crentes que falam em profecia nos cultos, também chamados de profetas em 1 Coríntios 14.29. O ministério profético neotestamentário é formado por pregadores (pregadores, mesmo!) da Palavra de Deus, portadores de mensagens proféticas.
Em seguida, a Palavra do Senhor, em 1 Coríntios 12.28, assevera: “em terceiro, doutores”. Veja como essa hierarquização ocorria na igreja de Antioquia da Síria: “havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé, e Simeão, chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo” (At 13.1). Nesse caso, os doutores, que atuam juntamente com os profetas, são ensinadores da Palavra de Deus.
Há casos, como o de Paulo, em que três ou dois dos ministérios mencionados (apóstolo, profeta e doutor) se intercambiam (1 Tm 2.7). Os ministérios de pastor e evangelista certamente fazem parte dos três escalões mencionados em 1 Coríntios 12.28, posto que são títulos relacionados com a liderança maior da igreja.
Finalmente, em 1 Coríntios 12.28, está escrito: “depois, milagres, depois, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas”. Milagres só vêm depois de apóstolos, profetas e doutores? Isso mesmo. Na hierarquização feita por Deus, o ministério da Palavra é mais prioritário que os milagres, haja vista serem estes o efeito da pregação do Evangelho (Mc 16.17). Observe que João Batista foi considerado por Jesus o maior profeta dentre os nascidos de mulher, mesmo sem ter realizado sinal algum (Jo 10.41).
Se não houver hierarquia nas igrejas, para que servirão os cargos e funções? Qualquer pessoa, dizendo-se usada por Deus, poderá mandar no pastor. Aliás, isso estava acontecendo na igreja de Tiatira, e o próprio Senhor Jesus repreendeu o obreiro frouxo que não estava exercendo a liderança que recebera do Senhor (Ap 2.20).
Deus é Deus de ordem! O princípio divino da hierarquização aparece em várias outras passagens neotestamentárias. Em 1 Coríntios 14.26, vemos que, no culto coletivo a Deus, deve haver ordem. Quanto à ressurreição, está escrito: “Mas cada um por sua ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda” (1 Co 15.23). E, no Arrebatamento, tal princípio também será aplicado: “os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens” (1 Ts 4.17).
Em 1 Tessalonicenses 5.23, vemos que Deus prioriza o espírito, na santificação. Muitos pregadores têm dito: “Deus nos quer por inteiro: corpo, alma e espírito”. Mas a Bíblia afirma: “e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. Essa ordem mostra que a obra santificadora do Espírito Santo ocorre de dentro para fora, e não de fora para dentro.
O apóstolo Paulo também parabenizou os crentes da cidade de Colossos porque naquela igreja havia ordem (Cl 2.5). E ordem também significa respeitar a hierarquia! Afinal, os ministérios não são invenção humana. Eles foram dados por Deus para edificação do Corpo de Cristo (Ef 4.11-15).
Amém?
Ciro Sanches Zibordi

O RESULTADO DA "LÓGICA" ISLÂMICA: 270 MILHÕES DE CADÁVERES EM 1400 ANOS

Homem somali está sendo parcialmente enterrado, após ser condenado por um "tribunal islâmico de anciãos" por adultério. A Somália, nordeste da África, é um dos países que mais sofre com o crescente avanço do radicalismo islâmico, atualmente. Milícias terroristas islâmicas praticam atos cruéis, de assassinatos, torturas e estupros contra os "infiéis", além de bizarras sessões de enforcamento, apedrejamento e decapitação públicos. Oremos pelos milhões e milhões de pessoas que vivem neste verdadeiro campo de concentração sem muros, que é o Islã.
Entrevista realizada pela Frontpage Magazine a Bill Warner, diretor do Centro para o Estudo do Islã Político (CSPI). O objetivo do CSPI é ensinar a doutrina do Islã através de seus livros e ele já produziu uma série com este enfoque. O sr. Warner não escreveu a série do CSPI, mas atua como agente para o grupo de estudiosos que são os autores. Observe bem suas sinceras (e preocupantes) respostas.
FP: Bill Warner, bem-vindo à Frontpage Magazine.

Warner: Obrigado, Jamie, por esta oportunidade.

FP: Fale-nos sobre o Centro para o Estudo do Islã Político.

Warner: O Centro para o Estudo do Islã Político é um grupo de estudiosos dedicados ao estudo científico dos textos fundamentais do Islã - Corão, Sira (vida de Maomé) e Hadith (tradições sobre Maomé). Há duas áreas para se estudar no Islã, sua doutrina e sua história, ou, na visão do CSPI - a teoria e seus resultados. Nós estudamos a história para ver os resultados práticos ou experimentais da doutrina.

O CSPI parece ser o primeiro grupo a usar a estatística para estudar a doutrina. Os estudos científicos anteriores do Corão se dedicavam primariamente aos estudos da língua árabe. Nosso primeiro princípio é que o Corão, a Sira e o Hadith devem ser vistos como um todo. Nós os chamamos de "a Trilogia Islâmica" para enfatizar a unidade dos textos. Nossa maior inovação intelectual foi ver que o dualismo é a fundação e a chave para a compreensão do Islã. Tudo no Islã vem em pares, a começar por sua declaração fundamental: (1) não há outro deus além de Alá e (2) Maomé é Seu profeta. Portanto, o Islã é Alá (Corão) e a Suna (palavras e feitos de Maomé, encontrados na Sira e no Hadith).

Um mar de tinta foi desperdiçado tentando responder a pergunta: o que é o Islã? O Islã é a religião da paz? Ou o verdadeiro Islã é uma ideologia radical? Um muçulmano moderado é que é verdadeiro muçulmano? Isto lembraria a um cientista a as velhas discussões sobre a luz. A luz é uma partícula ou uma onda? As discussões pendiam para um lado e para outro. A mecânica quântica nos deu a resposta. A luz é dual. Ela é tanto uma partícula quanto uma onda. A qualidade que se manifesta depende das circunstâncias. O Islã funciona da mesma maneira.

Nossa primeira pista sobre o dualismo está no Corão, que, na verdade, são dois livros, o Corão de Meca (inicial) e o Corão de Medina (final). A descoberta da lógica do Corão vem do grande número de contradições nele. Num nível superficial, o Islã resolve estas contradições recorrendo à "abrogação". Isto significa que o verso escrito posteriormente se sobrepõe ao verso anterior. Mas, na verdade, como o Corão é considerado pelos muçulmanos como a palavra perfeita de Deus, ambos os versos são sagrados e verdadeiros. Esta é a fundação do dualismo. Ambos os versos estão "certos." Ambos os lados da contradição são verdadeiros na lógica dualista. As circunstâncias decidem qual verso é usado.

Por exemplo:
(Corão de Meca) 73:10: Ouve o que eles [os infiéis] dizem com paciência e afasta-te deles com dignidade.
Da tolerância nós vamos para a máxima intolerância, nem mesmo o Senhor do Universo consegue suportar os infiéis:
(Corão de Medina) 8:12: Então teu Senhor falou a Seus anjos e disse, "Eu estarei contigo. Dá força aos fiéis. Eu infundirei terror nos corações dos infiéis, cortarei suas cabeças e até as pontas de seus dedos!"
Toda a lógica ocidental está baseada na lei da contradição - se duas coisas se contradizem, então pelo menos uma delas é falsa. Mas a lógica islâmica é dualista; duas coisas podem contradizer uma à outra e ambas serem verdadeiras. Nenhum sistema dualista pode ser medido por uma só resposta. Esta é a razão pela qual as discussões sobre o que constitui o "verdadeiro" Islã prosseguem indefinidamente e nunca são resolvidas. Uma única resposta correta não existe. Sistemas dualistas só podem ser mensurados pela estatística. É inútil argumentar que um só lado do dualismo é verdadeiro. Para usar uma analogia, a mecânica quântica sempre dá uma resposta estatística a todas as perguntas.


Como exemplo do uso da estatística, olhe a pergunta: qual é a verdadeira jihad, a jihad da luta interior, espiritual, ou a jihad da guerra? Procuremos a resposta em Bukhari (o Hadith), já que ele fala repetidas vezes da jihad. Em Bukhari, 97% das referências à jihad são sobre guerra e 3% sobre luta interior. A jihad é guerra? Sim - 97%. A Jihad é luta interior? Sim - 3%. Então, quando se escreve um artigo, pode-se argumentar a favor de uma ou outra. Mas na verdade, quase toda discussão sobre o Islã pode ser respondida com: todas as alternativas acima. Ambos os lados da dualidade estão corretos.

FP: Porque, na sua opinião, há tanta ignorância sobre a história e a doutrina do Islã político no Ocidente?

Warner: Primeiramente, vejamos o quanto somos ignorantes sobre a história do Islã político. Quantos cristãos conseguem dizer como a Turquia ou o Egito se tornaram islâmicos? O que aconteceu com as Sete Igrejas da Ásia, mencionadas nas cartas de Paulo? Encontre um judeu que consiga falar sobre a história da "dhimmitude" (cidadãos de segunda classe que servem ao Islã). Que europeu sabe que as mulheres brancas eram o tipo de escravo mais valorizado em Meca? Todo mundo sabe quantos judeus Hitler matou, mas encontre um infiel que saiba te dizer quantos morreram na jihad nos últimos 1400 anos.

Nossa ignorância é a mesma em relação à doutrina do Islã. Um agente do FBI recebe duas horinhas de treinamento sobre o Islã e a maior parte disto é sobre como não ofender o imã. Estamos lutando no Iraque. Quem utiliza a doutrina política e militar do Islã para planejar a estratégia? Quem consegue achar um só rabino ou pastor que tenha lido o Corão, Sira e Hadith? Qual governador, senador, parlamentar ou líder militar demonstra um conhecimento da doutrina política do Islã? Tente encontrar um curso disponível em uma faculdade sobre a doutrina política e a ética islâmica. Os universitários estudam arte, arquitetura e poesia islâmica, Sufismo e uma história gloriosa que ignora o sofrimento dos infiéis inocentes. Os universitários lêem comentários sobre o Corão e o Hadith, mas não lêem a doutrina de fato.

FP: Então, por que esta ignorância?

Warner: Comecemos pelo princípio. Quando o Islã explodiu da Arábia para dentro de um mundo bizantino em decadência, os infiéis registraram isto como uma invasão árabe. Igualmente, a invasão da Europa Oriental foi por turcos; a invasão da Espanha, por mouros. Nossos estudiosos foram incapazes de sequer dar nome aos invasores. Maomé matou cada um dos intelectuais ou artistas que se opuseram a ele. Foi o medo que levou a imensa maioria da mídia a não publicar as charges de Maomé, não alguma sensibilidade imaginária. O medo é uma base fabulosa para a ignorância, mas não basta para explicar tudo. O que explica a aversão quase que psicótica ao conhecimento sobre o Islã? Além do medo, é a percepção de que o Islã político é profundamente alheio a nós.

Examinemos a base ética de nossa civilização. Toda a nossa política e ética estão baseadas em uma ética unitária que está melhor formulada na Regra de Ouro: Trate os outros como gostaria de ser tratado. A base desta regra é o reconhecimento de que, em certo nível, somos todos a mesma coisa. Não somos todos iguais. Qualquer partida esportiva mostrará que não temos habilidades iguais. Mas todo mundo quer ser tratado como um ser humano. Na base da Regra de Ouro - a igualdade dos seres humanos - nós criamos a democracia, acabamos com a escravidão e tratamos as mulheres em pé de igualdade política. Então a Regra de Ouro é uma ética unitária. Todas as pessoas devem ser tratadas da mesma forma. Todas as religiões têm alguma versão da Regra de Ouro, exceto o Islã.

Militantes paquistaneses protestando contra as charges do profeta Maomé, que saírem em jornal da Dinamarca. Uma das formas de protestarem - com passeatas e discursos prontos, previamente organizados e politicamente pensados - foi o fim de Israel (?!?!?!?!) e a destruição do Ocidente.

FP: Então, como o Islã é diferente, neste contexto?

Warner: O termo "ser humano" não tem nenhum significado dentro do Islã. Não existe essa coisa de humanidade, apenas a dualidade entre o fiel e o infiel. Olhe as afirmações éticas que se encontram no Hadith. Um muçulmano não deve mentir, matar ou roubar de outros muçulmanos. Mas um muçulmano pode mentir, enganar ou matar um infiel, se isto beneficiar o Islã.

Não existe essa coisa de afirmação universal de ética no Islã. Os muçulmanos devem ser tratados de uma forma e os infiéis de outra. O mais próximo que o Islã chega de uma afirmação universal de ética é que o mundo inteiro deve se submeter ao Islã. Depois que Maomé se tornou profeta, ele nunca tratou um infiel do mesmo modo que um muçulmano. O Islã nega a verdade da Regra de Ouro. Aliás, está ética dualista é a base para a jihad. O sistema ético coloca o infiel como menos que humano e, portanto, é fácil matar, prejudicar ou enganar o infiel.

Veja bem, os infiéis frequentemente falham em aplicar a Regra de Ouro, mas nós podemos ser julgados e condenados a partir dela. Deixamos a desejar, mas é o nosso ideal. Já houve outras culturas dualistas. Podemos lembrar a KKK. Mas a KKK é um dualismo simplista. O membro da KKK odeia todos os negros em todas as ocasiões; só há uma escolha. Isto é muito direto e fácil de ver.

O dualismo do Islã é mais enganador e oferece duas escolhas em relação a como tratar o infiel. O infiel pode ser tratado com simpatia, do mesmo modo que um fazendeiro trata bem seu gado. Então, o Islã pode ser "simpático", mas sob nenhuma hipótese o infiel é um "irmão" ou um amigo. Na verdade, há cerca de 14 versos no Corão que são enfáticos - um muçulmano nunca é amigo de um infiel. Um muçulmano pode ser "amistoso", mas nunca é um amigo de fato. E o grau em que um muçulmano é de fato um verdadeiro amigo é o grau em que ele não é um muçulmano, mas um hipócrita.

FP: O sr. mencionou anteriormente como a lógica é um outro ponto de profunda divergência. O sr. pode abordar o assunto?

Warner: Para reiterar, toda ciência é baseada na lei da contradição. Se duas coisas se contradizem, então pelo menos uma delas tem de ser falsa. Mas dentro da lógica islâmica, duas afirmações contraditórias podem ser verdadeiras. O Islã usa a lógica dualista e nós usamos a lógica unitária científica. Como o Islã tem uma lógica dualista e uma ética dualista, ele nos é completamente alheio. Os muçulmanos pensam de forma diferente de nós e sentem de forma diferente de nós. Esta aversão faz com que evitemos aprender sobre o Islã, então somos ignorantes e permanecemos ignorantes.

Uma outra parte da aversão é a percepção de que não há acordo com a ética dualista. Não há um lugar a meio caminho entre a ética unitária e a dualista. Se uma pessoa está numa transação comercial com alguém que é um mentiroso e um trapaceiro, não há meio de evitar de ser trapaceado. Não importa o quanto se seja simpático com um golpista, ele vai se aproveitar da pessoa. Não há acordo com a ética dualista. Em resumo, a política, ética e lógica islâmicas não podem fazer parte de nossa civilização. O Islã não se deixa assimilar, ele domina. Não existe nunca esta história de "conviver" com o Islã. Suas exigências nunca cessam e as exigências devem ser cumpridas nos termos do Islã: submissão.


A última razão para nossa aversão à história do Islã político é nossa vergonha. O Islã pôs na escravidão mais de um milhão de europeus. Como muçulmanos não podem ser escravizados, era uma cristã branca que era a escrava sexual do sultão turco. Estas são coisas que não queremos encarar. Os judeus não querem reconhecer a história do Islã político, porque eles eram dhimmis, cidadãos de segunda classe ou semi-escravos, igual aos cristãos. Os judeus gostam de se lembrar de que eram conselheiros e médicos para muçulmanos poderosos, mas não importa o que o judeu fizesse ou que posição ele ocupasse, ele ainda era um dhimmi. Não há meio-termo entre ser igual e ser um dhimmi.

Por que um hindu quereria relembrar a vergonha da escravidão e a destruição de seus templos e cidades? Depois que artesãos hindus construíram o Taj Mahal, o governante muçulmano mandou cortar suas mãos direitas, par que eles não pudessem construir nada de tão belo para ninguém mais. A prática do suttee, a viúva se jogando na pira funeral do marido, surgiu como uma resposta ao estupro e à brutalidade da jihad islâmica enquanto ela varria o antigo Hindustão.

Os negros não querem encarar o fato de que foi um muçulmano que caçou seus ancestrais na África para vendê-los no atacado para o comerciante de escravos branco. O árabe é o verdadeiro mestre do africano. Os negros não conseguem aceitar o elo comum que eles possuem com os brancos: que tanto os europeus quanto os africanos foram escravos sob o Islã. Os negros gostam de imaginar que o Islã é seu contra-peso ao poder branco, e não que o Islã os dominou por 1400 anos.
Lógica dualista. Ética dualista. Medo. Vergonha. Não há meio-termo. Estas são as razões por que nós não queremos saber sobre a história política do Islã, sua doutrina ou ética.

FP: Então, será que existe mesmo algo como um Islã não-político?

Warner: O Islã não-político é o Islã religioso. O Islã religioso é o que um muçulmano faz para evitar o Inferno e ir para o Paraíso. Estes são os Cinco Pilares - oração, caridade aos muçulmanos, peregrinação a Meca, jejum e declarar que Maomé é o último profeta. Mas a Trilogia é clara em relação à doutrina. Pelo menos 75% da Sira (vida de Maomé) é sobre a jihad. Cerca de 67% do Corão escrito em Meca é sobre os infiéis ou política. Do Corão de Medina, 51% é dedicado aos infiéis. Cerca de 20% do Hadith de Bukhari é sobre a jihad e política. Religião é a parte menor dos textos islâmicos fundamentais.

A dualidade mais famosa do Islã político é a divisão do mundo entre fiéis, 'dar al Islam', e infiéis, 'dar al harb'. A maior parte da Trilogia relata o tratamento dos infiéis, kafirs. Até o Inferno é político. Há 146 referências ao Inferno no Corão. Só 6% daqueles que estão no Inferno estão lá por faltas morais - assassinato, roubo, etc. Os outro 94% das razões para estar no Inferno são pelo pecado intelectual de discordar de Maomé, um crime político. Logo, o Inferno Islâmico é uma prisão política para aqueles que falam contra o Islã.

Maomé pregou sua religião por 13 anos e amealhou apenas 150 seguidores. Mas quando ele se voltou para a política e a guerra, em um período de 10 anos ele se tornou o primeiro governante de toda a Arábia, com uma média de um evento de violência a cada sete semanas, durante 9 anos. Seu sucesso não veio como líder religioso, mas como líder político.
Enfim, o Islã político define como se deve tratar os infiéis e lidar com eles.

FP: O sr. pode abordar rapidamente a história do Islã político?

Warner: A história do Islã político começa com a migração de Maomé para Medina. A partir daquele ponto, o apelo do Islã para o mundo sempre foi a opção dualista de se aderir a uma gloriosa religião ou ser objeto de de pressão e violência políticas. Após a migração para Medina, o Islã se torna violento quando a persuasão falha. A jihad veio ao mundo. Após a morte de Maomé, Abu Bakr, o primeiro califa, resolveu as discussões teológicas dos que desejavam deixar o Islã com a ação política da morte pela espada. A jihad de Omar (o segundo califa, um rei-papa) explodiu para dentro do mundo dos infiéis. A jihad destruiu um Oriente Médio cristão e um Norte da África cristão. Logo, o destino dos zoroastristas persas e dos hindus foi serem vítimas da jihad. A história do Islã político é a destruição da Cristandade no Oriente Médio, Egito, Turquia e Norte da África. Metade da Cristandade se perdeu. Antes do Islã, o norte da África era a parte sul da Europa (parte do Império Romano).

Cerimônias de autoflagelação, como a que você vê, acima, são comuns em países de forte presença islâmica. Não há tinta, nestas roupas, mas o vermelho é de sangue, mesmo, oriundo das muitas feridas que os manifestantes imputam em si mesmos. A jihad islâmica é essencialmente ilustrada nesta icônica imagem: o desejo dos fiéis é que o Islã prevaleça, a despeito da própria morte e sofrimento. Logo, não importa, também, imputar dor e sofrimento àqueles que não aceitam a doutrinação islâmica.

Cerca de 60 milhões de cristãos foram massacrados durante a conquista jihadista. Metade da gloriosa civilização hindu foi aniquilada e 80 milhões de hindus foram mortos. Os primeiros budistas ocidentais foram os gregos descendentes do exército de Alexandre o Grande, no que hoje é o Afeganistão. A jihad destruiu todo traço de budismo ao longo da rota da seda. Cerca de 10 milhões de budistas morreram. A conquista do budismo é o resultado prático do pacifismo.Os zoroastristas foram eliminados da Pérsia. Os judeus se tornaram dhimmis permanentes por todo o Islã. Na África, mais de 120 milhões de cristãos e animistas morreram nos últimos 1400 anos de jihad.

Aproximadamente 270 milhões de infiéis morreram nos últimos 1400 anos pela glória do Islã político. Estas são as Lágrimas da jihad sobre as quais ninguém é ensinado na escola.
FP: Como nossos intelectuais têm respondido ao Islã?

Warner: A base de todo o pensamento do infiel desmoronou em face do pensamento político, da ética e da lógica do Islã. Já mencionamos como nossos primeiros intelectuais nem sequer nomearam os invasores como muçulmanos. Não temos nenhum método de análise do Islã. Não conseguimos concordar sobre o que seja o Islã e não temos conhecimento de nosso sofrimento como vítimas de uma jihad de 1400 anos. Olhe como os cristãos, judeus, negros, intelectuais e artistas lidaram com a doutrina e a história islâmica. Em todos os casos, suas idéias iniciais são um fracasso.

Os cristãos acreditam que "o amor vence tudo." Bem, o amor não vence o Islã. Os cristãos tem dificuldade em ver o Islã como uma doutrina política, não uma religião. A natureza sectária do pensamento cristão significa que o cristão não-ortodoxo médio não tem nenhum conhecimento ou simpatia pelo sofrimento dos cristãos ortodoxos. Os judeus têm uma teologia que postula uma relação única entre os judeus e o Deus criador do universo. Mas o Islã vê os judeus como macacos que corromperam o Velho Testamento. Os judeus não vêem nenhuma conexão entre a doutrina política do Islã e Israel.

Os intelectuais negros basearam suas idéias na condição de escravo/vítima e como foi errado os cristãos brancos os terem feito de escravos. O Islã nunca reconheceu nenhuma parcela da dor ou sofrimento que causou na África com seu comércio de escravos de 1400 anos. Mas os negros não fazem qualquer tentativa de obter um pedido de desculpas dos muçulmanos e ficam em silêncio na presença do Islã. Por que? Será que é porque os árabes são seus senhores? O multiculturalismo é paralítico em relação à exigência do Islã de que toda civilização se submeta. A cultura da tolerância desaba em face da intolerância sagrada da ética dualista. Os intelectuais respondem ignorando este fracasso.

Nossos intelectuais e artistas têm sido abusados há 1400 anos. De fato, a psicologia de nossos intelectuais é exatamente como a psicologia da esposa abusada, da criança sexualmente abusada ou da vítima de estupro. Veja as semelhanças entre a resposta das vítimas de abusos e nossos intelectuais. Veja como a violência causou a negação. A vítima nega que o abuso aconteceu: nossa mídia nunca relata a maior parte da jihad em todo o mundo. Nossos intelectuais não falam sobre como toda esta violência está ligada a uma doutrina política.

O abusador usa o medo para controlar a vítima: qual foi a razão pela qual os jornais não quiseram publicar as charges de Maomé? Salman Rushdie ainda tem uma sentença de morte por seu romance. Qual artista "de vanguarda" cria uma afirmação artística sobre o Islã? O medo domina nossos intelectuais e artistas. As vítimas encontram meios de culpar a si mesmas: nós somos culpados pelo 11 de setembro de 2001. Se continuarmos tentando, os muçulmanos vão se comportar melhor. Nós temos que acomodar suas necessidades.

A vítima é humilhada: os brancos não querem falar sobre como seus ancestrais foram escravizados pelo Islã. Ninguém quer clamar pelas as vítimas da jihad. Por que não queremos clamar pelo sofrimento de nossos ancestrais? Por que não choramos pela perda de culturas e povos? Temos vergonha demais para nos importarmos. A vítima se sente indefesa: "O que vamos fazer?" "Não podemos matar 1.3 bilhões de muçulmanos." Ninguém tem nenhum discernimento ou otimismo. Ninguém tem uma idéia do que tentar. O único plano é "ser mais simpático."

A vítima volta a raiva para dentro: Qual é o assunto mais divisor na política de hoje? O Iraque. E qual é o verdadeiro problema do Iraque? O Islã político. Há um vídeo na internet sobre como a CIA e Bush planejaram e executaram o 11 de setembro. Repugnância cultural a si mesmos é o lema de nossos intelectuais e artistas.
Odiamos a nós mesmo porque somos mentalmente molestados e abusados. Nossos intelectuais e artistas responderam ao abuso da jihad da mesma maneira que uma criança sexualmente abusada ou uma vítima de estupro responderiam. Estamos muito doentes intelectualmente e estamos falhando em pensar com clareza. Não conseguimos olhar nossa negação.

FP: Então, resuma para a gente por que é crucial aprendermos sobre a doutrina política do Islã.

Warner: O Islã político aniquilou todas as culturas que invadiu ou para a qual migrou. O tempo total para a aniquilação leva séculos, mas depois que se torna predominante, ele nunca falha. A cultura hospedeira desaparece e se torna extinta. Nós devemos aprender sobre a doutrina do Islã político para sobrevivermos. A doutrina é muito clara sobre todas as formas de força e persuasão poderem e deverem ser usadas para nos conquistar. O Islã é um inimigo auto-declarado de todos os infiéis. O brilhante filósofo da guerra chinês Sun Tzu tinha o moto "conheça seu inimigo". Nós devemos conhecer a doutrina de nosso inimigo ou seremos aniquilados.

Ou pondo as coisas de outro modo: se não aprendermos sobre a doutrina do Islã político, nossa civilização será aniquilada, da mesma forma que a civilização copta do Egito foi aniquilada. Como os infiéis devem conhecer a doutrina política do Islã para sobreviver, o CSPI escreveu todos os seus livros em um inglês simples. Nossos livros são de base erudita, mas simples de ler. Por exemplo, qualquer um capaz de ler um jornal pode pegar um Corão Simples, ler e entender. Ele não ficou "tosco" e contém cada palavra do original.

Extremista islâmico espancando mulheres de burka, no Afeganistão. Em países com leis costumes islâmicos mais fundamentalistas, quaisquer homens podem, em última análise, bater em quaisquer mulheres, bastando apenas que aqueles entendam que houve um gesto ou palavra que considere "indecente" ou "inapropriado(a)". As mulheres são as que mais têm sofrido sob o domínio fundamentalista islâmico. Oremos por estas milhões de vidas que são terrivelmente oprimidas.

Não só a linguagem é simples, mas foi usada lógica para separar e categorizar. O contexto e a cronologia foram restaurados. O resultado é um Corão que é uma história épica terminando com o triunfo sobre todos os inimigos de Alá. Todos os nossos livros e nossa filosofia se encontram no site de nosso centro. O Islã declara que nós somos os inimigos de Alá. Se não aprendermos sobre a doutrina política do Islã, vamos terminar como as primeiras vítimas do Islã - os árabes politeístas e tolerantes da Arábia Saudita, que se tornaram os Wahabbis (um ramo muito severo do Islã) de hoje, a cultura mais intolerante da face da Terra.

FP: Bill Warner, obrigado por estar com a gente hoje.

Warner: Jamie, obrigado por sua gentileza e seus esforços.

 
 
NOTA: Frize-se, de tudo o que foi dito pelo sr. Warner, o completo tolhimento da liberdade de expressão, de consciência e de culto. Impedidos de pensar, os escalões não dominadores da pirâmide social da maioria dos países árabes e fundamentalistas islâmicos simplesmente não podem responder às manipulações dos exércitos de clérigos radicais, a serviço de interesses escusos e mundanos de seus co-líderes civis. Enquanto não entendermos que o deus desta liderança islâmica não é "Alá", mas o dinheiro, estaremos em desvantagem. "Alá" impinge medo nos corações dos fiéis e continuará impondo, uma vez que o tolhimendo das liberdade individuais parece bem mais contundente!
Em cristo Jesus,
Pr. Artur Eduardo

Em São Paulo, ao menos oito igrejas foram assaltadas no último mês



    Nos últimos meses pelo menos 8 igrejas da cidade sofreram furtos em vários bairros da cidade. Na maioria delas os acusados entraram durante a madrugada e levaram instrumentos musicais e equipamentos de som entre os quais estão microfones, amplificadores e caixas de som. Para se proteger da onda de assaltos as igrejas e os membros agem como podem reforçando as fechaduras e até mesmo instalando modernos sistemas de monitoramento e alarme.
    Os roubos acontecem em igrejas de vários tamanhos e locais. Entre os bairros que já sofreram esse tipo de ação estão o jardim Salete, São Judas, Jardim Roberto, Jacarandá, Pirajuçara. Por conta do número crescente de assaltos os pastores querem chamar a atenção do comando geral da Polícia Militar da região e agendar uma reunião a fim e discutir os assaltos nas igrejas.
   O integrante de uma igreja do jardim Salete vítima da ação dos assaltantes disse que eles foram em busca dos instrumentos musicais. Segundo ele, os equipamentos foram comprados com a ajuda de todos os membros da igreja. “O prejuízo aqui foi grande. Não ficamos sem realizar os cultos, mas de uma só vez perdemos tudo o que passamos anos para comprar”, lamentou, acrescentando que a igreja não prestou queixa do roubo apenas decidiu reforçar as fechaduras para evitar novos ataques. “Vamos instalar alarmes”, adiantou.
    Foi durante a madrugada que os assaltantes entraram numa igreja do Jacarandá e levaram todos os instrumentos, entre eles contra baixo, guitarra, violão, os pratos da bateria, caixas de som, mesa de som e o raque de potência. O crime aconteceu há seis meses, mas até agora os prejuízos permanecem.
    Nas proximidades do jardim São Judas os criminosos entraram na igreja pela janela e levaram todo o material usado na santa ceia foi levado, os equipamentos de som e vários instrumentos.
    No Jardim Roberto uma igreja pertencente a uma denominação centenária foi arrombada. Segundo os dirigentes os acusados levaram mais de R$ 20 mil em equipamentos de som e instrumentos musicais diversos.
    No jardim São Judas uma igreja que está instalada no bairro há mais de quinze anos teve suas portas arrombadas. Os assaltantes levaram do local várias ferramentas de pedreiros que trabalhavam na reforma do prédio da igreja. Eles ainda destruíram bancos e várias portas a procura de mais objetos para roubar.
    Os responsáveis pelas igrejas que prestaram queixa na polícia reclamam que os assaltos não foram devidamente investigados. Eles dizem que mesmo quando um dos pastores de Taboão da Serra sofreu um sequestro relâmpago na divisa da cidade nada foi feito. Na ocasião os criminosos forçaram o pastor a fazer saques nos cartões de credito pessoal e dos cartões da contas da igreja.

Fonte: Jornal na net

Franklin Graham Incomodado com Obama, Agrada Donald Trump

franklin-graham-on-abcFranklin Graham disse neste domingo que o país está em "grande problema," sob a liderança do presidente Obama e que ele está tendo uma visão cada vez mais positiva do bilionário Donald Trump para o presidente quando ele ouve mais dele.
(Foto: ABC News via The Christian Post)
Franklin Graham, presidente / CEO da Associação Evangelística Billy Graham e Samaritan's Purse, fala à jornalista Christiane Amanpour, da "This Week" da ABC nesta Páscoa, domingo 24 de abril de 2011.
Obama é "um homem muito bom" e "muito gentil," disse Graham à Christiane Amanpour do "This Week" do ABC no domingo de Páscoa.
"Mas acho que nosso país está em apuros," disse Graham, presidente / CEO da Associação Evangelística Billy Graham e Samaritan's Purse.
Enquanto Graham não especificou por que os Estados Unidos estão em apuros com Obama, fez o apoio expresso ao questionamento de Trump de por que Obama não apresentou sua certidão de nascimento.
"Eu não sei por que ele não pode produzir aquilo (certidão de nascimento)," disse Graham. "Eu não sei, mas é uma questão que parece que ele poderia responder muito rapidamente."

Graham foi um dos proeminentes líderes cristãos, sendo o outro Pastor Tim Keller, convidados para discutir o tema de Deus e do governo em uma entrevista de um-para-um com a jornalista Christiane Amanpour, no domingo.
As perguntas e as respostas foram mantidas breve, mas mesmo respostas curtas de Franklin Graham conseguiram chamar a controvérsia.
Entre seus comentários mais surpreendentes é que Graham encontra-se politicamente atraído por Donald Trump, o promotor imobiliário dos EUA divorciado duas vezes. Graham Trump descrito como "muito capaz" de alguém e que "provou a si mesmo."
"Donald Trump, quando eu vi que ele estava ficando, eu pensei, bem, isto tem que ser uma piada. Mas quanto mais você o escuta, mais você diz para si mesmo, sabe? Talvez o cara está certo," disse Graham.
Quando Amanpour perguntou se Trump poderia ser "candidato de escolha” de Graham, o líder evangélico respondeu: "Claro que sim, com certeza."
Em uma recente entrevista com David Brody da Rede de Transmissão Cristã de TV, Trump disse que ele era um Cristão e se descreveu como um presbiteriano. Mas sua descrição de sua vida religiosa deixa alguns perplexos e cépticos sobre a sua fé cristã.
Trump na entrevista com a CBN disse que ele é uma "pessoa de ir à Igreja de domingo," mas também disse que vai sempre no Natal, Páscoa, ocasiões importantes e "tanto quanto eu posso." E ele revelou que ele guarda todas as suas Bíblias que as pessoas enviam em um "lugar muito agradável."
"Não há maneira, eu nunca iria jogar fora nada, fazer nada negativo para uma Bíblia, então o que fazemos é manter todas as Bíblias," disse Trump. "Eu teria medo de fazer algo diferente de forma muito positiva na verdade eu os armazeno e os mantenho e, às vezes os dou a outras pessoas."
O magnata de Manhattan expressou recentemente o seu interesse em concorrer à presidência como candidato republicano e fez uma série de entrevistas sobre sua possível candidatura política.
Graham na entrevista à ABC também questionou a definição de Obama de Cristãos, dizendo para Obama que um Cristão pode ser simplesmente alguém que vai à Igreja.
"Para mim, a definição de um Cristão é saber que temos dado a nossa vida a Cristo e o seguimos na fé, e temos confiança nele como nosso Senhor e Salvador," disse Graham, cujo pai, Billy Graham recebeu Obama na Carolina do Norte em sua casa em abril de 2010. "Essa é a definição de um Cristão, não é a que você é membro da Igreja. A associação não faz de você um Cristão."
Graham também observou mais uma vez que o espírito do anti-Cristo, ou o laicismo, está no mundo de hoje, e apontou a desastres naturais como sinais bíblicos que o mundo está no fim dos tempos.


CRISTIAN POST

Polícia prende grupo de cristãos que iria realizar culto de Páscoa

A polícia em Beijing prendeu mais de 30 cristãos evangélicos quando eles tentaram se reunir ao ar livre para realizar o culto de Páscoa e decretou prisão domiciliar para outros 500, dando continuidade à perseguição aos dissidentes, que incluem advogados, bloggers e ativistas de direitos humanos.

Líderes de igreja e a organização cristã ChinaAid confirmaram que cerca de 30 cristãos foram detidos. Foi a terceira vez nas últimas semanas que a polícia prendeu os membros dessa igreja enquanto tentavam se reunir para cultuar.

Shouwang é uma das igrejas não registradas – nome dado às congregações que não são reconhecidas oficialmente pelo governo – mais conhecidas da China, e tem cerca de mil membros.

O pastor da igreja, Jin Tianming, está entre os que receberam ordem de prisão domiciliar. Ele disse que os policiais vigiaram sua casa 24 horas seguidas, para impedir que ele saísse.

“Eu não estou com medo”, diz o pastor. “Eu não penso muito em minha situação individual. Como pastor, minha preocupação é com as convicções religiosas”.

A maior parte dos cristãos ficou detida até a noite de domingo.

Fonte: Missão Portas Abertas

Cristãos argelinos são presos por proselitismo e blasfêmia

No dia 14 de abril, dois cristãos argelinos foram presos em Orã por compartilharem sua fé com seus vizinhos. Eles deverão se apresentar ao tribunal para responder às acusações de proselitismo e blasfêmia, e poderão enfrentar a sentença de um ano de prisão.

Um dos cristãos, Sofiane, foi liberado um dia depois de sua prisão, mas Krimo permaneceu preso durante três dias. Após a prisão, a polícia Argelina revistou a casa de Krimo procurando por Bíblias e outros materiais cristãos.

Krimo é conhecido por realizar cultos de orações em sua casa. Os cristãos argelinos suspeitam que as reuniões estavam sendo monitoradas pela polícia.

Uma audiência, inicialmente para o dia 27 de abril, foi adiada. Os cristãos argelinos temem que uma lei apresentada em 2006 – exigindo que os cultos necessitassem de permissão do governo – seja aplicada, o que pode resultar em cinco anos de prisão e uma multa de US$ 1.390,00. A liderança da igreja demonstrou frustração em relação à negligência do governo em registrar as igrejas.

“A Igreja Protestante da Argélia (EPA) contratou um advogado para defender Krimo e Sofiane. Estamos esperançosos de que eles serão inocentados. Apesar de a constituição dizer que devemos respeitar outras religiões além do islamismo, o governo é islâmico, e o Artigo 2 diz que o ‘Islã é a religião do Estado’. Não há respeito pelos direitos humanos ou pela liberdade religiosa e a igreja protestante está sofrendo”, diz um pastor.

Fonte: Missão Portas Abertas