sábado, 25 de junho de 2011

Violência contra cristãos e muçulmanos moderados tem aumentado

   
 
Igreja em que a pastora Susianty Tinulele foi morta, em 2004  
  Um grupo internacional de direitos cristãos expressou “sérias preocupações” sobre a crescente violência contra os cristãos e outras minorias religiosas na Indonésia, instando com o governo para que combata o extremismo islâmico.

A Solidariedade Cristã Mundial (CSW) visitou sobreviventes dos conflitos que mataram várias pessoas e falou com representantes de igrejas nas cidades de Bekasi e Bandung, que foram “forçadas a fechar”.

O Pastor Palti Panjetan da igreja Filadélfia disse que, apesar de ter conseguido licença na justiça para construir um prédio, o prefeito proibiu a congregação de usá-lo. “Continuamos a fazer cultos do lado de fora, na estrada”, disse Palti. “Alguns pais até batizam seus filhos na estrada”. E disse também que a igreja realiza a “ceia na estrada”, acrescentando, porém, que isto “não é adequado nem seguro”.

Muçulmanos moderados também têm sido alvejados. Em 6 de fevereiro, três deles foram mortos e muitos outros feridos na província de Banten.

Outras pessoas entrevistadas disseram que chegou o tempo de uma intervenção internacional, devido à preocupação com o crescente extremismo islâmico na Indonésia. Buscando formar um Estado islâmico, militantes têm concentrado a atenção sobre os líderes cristãos e muçulmanos moderados, assim como membros do que eles entendem como seitas “depravadas”.

Entre outros incidentes em abril, militantes islâmicos tentaram, sem sucesso, explodir bombas em uma igreja antes das celebrações da Páscoa, o que teria acontecido enquanto milhares de pessoas chegavam para os cultos, disse a polícia.

Eles também queriam filmar e transmitir o inferno esperado, mas a trama foi descoberta pelas forças de segurança. Os 19 suspeitos detidos teriam levado as autoridades a bombas depositadas por baixo de uma canalização de gás, próxima à Igreja Catedral de Cristo, perto de Jakarta. Outras bombas foram deixadas em bolsas, não muito longe da entrada, disseram os investigadores. Contudo, o governo da Indonésia não tem feito muito para proteger as minorias na nação de maior população muçulmana do mundo, com mais de 245 milhões de pessoas.

A CSW tem insistido com a Indonésia, para que convide o Relator Especial da ONU para liberdade religiosa a visitar o país este ano e “conduzir uma investigação independente” sobre violações de liberdade religiosa.

Segundo a CSW, a Indonésia, como membro do Conselho de Direitos Humanos da ONU e do G-20 e como presidente da Associação das Nações do Sudeste Asiático, tem responsabilidade de agir. “É seu próprio interesse fazê-lo, pois sua reputação está em jogo”.

Tradução: Getúlio Cidade



Fonte: Worthy Christian News

Escolhendo a liderança da igreja

É Deus quem escolhe, chama e capacita a liderança da sua igreja. É Deus quem dá pastores à sua igreja. É o Espírito Santo quem constitui presbíteros na igreja. A igreja expressa a vontade de Deus pelo voto, mas em última instância é o próprio Deus quem escolhe aqueles a quem ele mesmo quer para pastorear as suas ovelhas. Hoje, esta igreja estará escolhendo, sob a orientação divina, presbíteros e diáconos. Nossa oração é que, aqueles que forem eleitos, sejam homens cheios do Espírito Santo, dedicados ao pastoreio do rebanho de Deus. Qual deve ser o perfil do líder na igreja de Deus?

1. O líder precisa andar com Deus antes de fazer a obra de Deus. Quando Jesus chamou os apóstolos, designou-os para estarem com ele; só depois, os enviou a pregar. Vida com Deus precede trabalho para Deus. A vida do líder é a vida da sua liderança. Deus está mais interessado em quem o líder é do que naquilo que o líder faz. Primeiro o líder anda com Deus, depois ele trabalha para Deus.
2. O líder precisa ter consciência do seu chamado divino. Paulo diz para os presbíteros de Éfeso: “Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos para pastoreardes a igreja de Deus”. É o Espírito Santo quem constitui presbíteros na igreja. O presbiterato é uma obra e uma obra excelente. Ninguém deve buscar esse ministério a menos que tenha consciência de que o Espírito Santo o convoca para esse mister. O presbiterato não é um posto de privilégio, mas uma plataforma de serviço. De igual modo, o diácono deve ter consciência do seu chamado para servir. O diaconato é uma sacrossanta vocação, uma vez que o próprio Filho de Deus veio para servir e não para ser servido.
3. O líder precisa cuidar de si mesmo e do rebanho de Deus. Cuidar de si sem cuidar do rebanho é egoísmo; cuidar do rebanho sem cuidar de si é incoerente. O líder precisa ter vida consistente e ministério eficiente. O presbítero precisa cuidar de todo o rebanho e não apenas de parte dele. O líder não pode fazer acepção de pessoas. Ele precisa pastorear as ovelhas e os cordeiros, os adultos e as crianças, e isso, com fidelidade, inteligência, sabedoria, graça, mansidão e amor. O líder precisa ser firme e também amável. O líder espiritual é aquele que cuida, ensina, protege e consola o povo de Deus.
4. O líder precisa proteger as ovelhas dos falsos ensinos. O apóstolo Paulo exortou os presbíteros de Éfeso a estarem atentos acerca dos lobos que estão do lado de fora querendo entrar no aprisco para destruir as ovelhas e dos lobos travestidos de ovelhas que estão dentro do aprisco buscando uma ocasião para se manifestarem e arrastarem após si as ovelhas. Cabe aos presbíteros velar pela vida espiritual das ovelhas de Cristo. Eles devem proteger as ovelhas de Cristo das perniciosas heresias e vigiar para que os falsos mestres não tenham acolhida na igreja de Deus. Cabe aos diáconos estarem atentos às necessidades físicas e espirituais dos crentes, a fim de que na igreja de Deus as necessidades dos santos sejam supridas.

5. O líder precisa ter motivações corretas no pastoreio do rebanho de Deus. O líder espiritual deve fazer a coisa certa, cuidar do rebanho de Deus, com a motivação certa. O presbítero deve pastorear a igreja de Deus em vez de apascentar a si mesmo. Ele deve pastorear a igreja de Deus não como uma pesada obrigação, mas espontaneamente. Nessa lida, o presbítero deve buscar os interesses de Cristo e da igreja e não vantagens pessoais. Ele deve ser amável com as ovelhas de Cristo, tratando-as com acendrado amor, servindo-lhes de exemplo, em vez de dominá-las com rigor. Por sua vez, os diáconos devem servir às mesas, cuidar dos pobres, assistir os necessitados e expressar por intermédio de seu ministério a misericórdia divina.
REVERENDO HERNANDES

EU FAÇO PARTE DESSA REVOLUÇÃO - A PREPARAÇÃO DA IGREJA PARA O ENCONTRO COM A NOIVA


A Revolta Desperta a Fé

Deus não escolhe pessoas moles, covardes e débeis. Porém, os que são fortes, corajosos e possuem uma fé definida, Deus os chama para manifestar a Sua glória, em suas vidas. Foi o caso de Gideão, que era um dos homens de Israel que estava trabalhando na tentativa de salvar o pouco que havia em sua terra. 

Todas as vezes que Israel semeava, os midianitas, os amalequitas e os povos do Oriente subiam contra ele, ou seja, destruíam tudo o que o povo de Deus possuía para que Israel não se Fortalecesse e não fizesse guerra contra eles. Esta situação revoltou Gideão, e quando o Anjo do SENHOR lhe apareceu e disse: 
O SENHOR é contigo, homem valente. Respondeu-lhe Gideão: Ai, Senhor meu! Se o SENHOR é conosco, por que nos sobreveio tudo isto? E que é feito de todas as suas maravilhas que nossos pais nos contaram, dizendo: Não nos fez o SENHOR subir do Egito? Porém, agora, o SENHOR nos desamparou e nos entregou nas mãos dos midianitas. (Juízes 6. 12.13)
Por conta da revolta que trazia dentro de si, Deus escolheu Gideão. Nos dias de hoje não é diferente. Deus escolhe as pessoas revoltadas. Outro exemplo foi Davi. Ele era jovem e ainda nem servia ao Exército, mas quando ouviu falar que um gigante chamado Golias desafiou o Exército de Israel, perguntou: Quem é este incircunciso de coração? Em outras palavras, quem é este incrédulo que ousa desafiar o Exército do Deus Vivo? Davi também manifestou sua revolta porque cria no Deus de Abraão, de Isaque e de Israel.
Crer no Deus dos nossos antepassados, dos heróis da fé, é crer no Deus Vivo. Isso significa crer que, o que Ele fez no passado, faz no Presente e fará no futuro. Esta é a crença inteligente que traz resultado.

Contudo, essa crença não pode ser acompanhada apenas de uma teoria, Como por exemplo: Ah, Deus é bom. Aleluia. Temos que nos revoltar Contra a situação econômica, de enfermidade ou de injustiça que estamos sofrendo. Não se revolte contra as instituições ou o governo, mas contra os espíritos que têm provocado essa situação na sua vida.
Quando se manifesta a revolta, se manifesta a fé. A revolta é um combustível da fé.

Caro leitor, guarde isto: quando estamos revoltados por quaisquer circunstâncias e colocamos essa revolta à serviço do Espírito de Deus, então arrebentamos.

REVOLTE SE COM ESSE SISTEMA CORRUPTO.
REVOLTE SE CONTRA O PECADO.
REVOLTE SE CONTRA O DIABO.
DIGA NÃO AOS ENVIADOS DOS INFERNOS.

DIGA NÃO AOS POLÍTICOS ENVOLVIDOS COM CORRUPÇÃO.
DIGA NÃO AOS POLÍTICOS ENVOLVIDOS COM APROVAÇÃO DO CASAMENTO GAY.
DIGA NÃO AOS LOBOS EM PELE DE CORDEIRO.

PREPARE SE O IGREJA PARA ENCONTRARES COM TEU DEUS.

Um Casamento que Glorifica a Deus

casal feliz 150x150 Um Casamento que Glorifica a DeusExistem certas coisas neste mundo que não podem ser vistas, mas que podem ser ilustradas ou demonstradas de alguma forma:
* Eletricidade: você não pode vê-la, mas experimente colocar o dedo na tomada e perceberá que ela realmente existe;
* Oxigênio: tente prender a respiração por apenas cinco minutos e verá não só que o oxigênio existe, mas que você precisa dele para viver;
* Gravidade: jogue uma agulha de cima de um prédio e ela cairá (não tente pular do prédio, pois as conseqüências podem ser ruins).

A Palavra de Deus nos mostra que existem certos aspectos da vida cristã que também não podem ser vistos, mas que podem ser demonstrados. E a relação entre Cristo e a Igreja é uma delas! 
“Mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, como ao Senhor, 23-pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador. 24-Assim como a igreja está sujeita a Cristo, também as mulheres estejam em tudo sujeitas a seus maridos. 25-Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se por ela 26-para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, 27-e para apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável. 28-Da mesma forma, os maridos devem amar cada um a sua mulher como a seu próprio corpo. Quem ama sua mulher, ama a si mesmo. 29-Além do mais, ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida, como também Cristo faz com a igreja, 30-pois somos membros do seu corpo. 31-or essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne. 32-Este é um mistério profundo; refiro-me, porém, a Cristo e à igreja. 33-Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito. “ Efésios 5.22-33
Deus deseja ilustrar no casamento uma relação única que existe entre Cristo e a Igreja. Nenhum outro tipo de relacionamento representa tão intimamente esta união. Nem mesmo o amor entre mãe e filho é tão íntimo quanto o casamento, pois apenas marido e mulher formam “uma só carne”. Portanto, se os casados querem cumprir seu propósito neste mundo de glorificar a Deus com suas vidas, precisam ter um casamento que reflita a união entre Cristo e a Igreja. Tanto o marido como a esposa têm a sua participação nisso, embora de formas diferentes.

1. As esposas glorificam a Deus refletindo a submissão da Igreja à Cristo (vv. 22-24).

“Mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, como ao Senhor,” Efésios 5.22
Quando o texto bíblico acrescenta a expressão “como ao Senhor”, está colocando um padrão altíssimo para a mulher. Ela deve ser submissa ao marido da mesma forma em que deve estar debaixo da autoridade do próprio Cristo.
Este tipo de submissão não é devida apenas ao marido. Todas as pessoas devem ser submissas a todas as autoridades, pois a Bíblia afirma que toda autoridade procede de Deus. É Ele quem concede autoridade ao presidente, aos governadores, aos juízes, ao seu patrão, etc. Por isso, aqueles que têm problemas em se submeter a elas, demonstram ter problemas em se submeter à autoridade do próprio Deus.
Por outro lado, a mulher que se submete ao marido demonstra ter um coração submisso ao próprio Cristo, e, neste sentido, sua vida manifesta o tipo de submissão que a Igreja deve ao Senhor. Deus é glorificado por isso, pois Sua autoridade é exaltada por mulheres que voluntariamente se sujeitam ao marido por reconhecerem, por detrás dele, a autoridade que vem do próprio Deus.
Em seguida, Paulo mostra porque a submissão da mulher ao marido é algo tão importante: porque representa a submissão que a própria Igreja deve a Cristo.
“23-pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador. 24-Assim como a igreja está sujeita a Cristo, também as mulheres estejam em tudo sujeitas a seus maridos.” Efésios 5.23-24
Ser submissa não significa ser inferior ao homem, ou que a mulher tem menos valor dentro da família, mas sim que, dentro do lar, o marido foi colocado por Deus como sendo a autoridade final. E podemos perceber que submissão não é sinônimo de ser inferior dentro da Trindade. Temos três pessoas distintas: Pai, Filho e Espírito Santo. Os três são igualmente Deus, mas, no entanto, existe uma hierarquia de autoridade entre Eles, na qual o Pai está acima. O fato de Jesus estar abaixo nesta hierarquia não significa que Ele é menos Deus, ou menos importante.
Todos os seres humanos são iguais perante a lei. Não existe alguém que tenha mais valor do que outro. No entanto, existe diferença de autoridade entre as pessoas. Um juiz, como pessoa, possui o mesmo valor do que eu, mas por causa de sua função, ele tem autoridade sobre mim, e eu devo me submeter a ele.
Diante disso, podemos chegar às seguintes conclusões práticas:
  • Depois que o marido tomar uma decisão final (após uma conversa com a esposa), a esposa deve acatar a decisão sem crítica negativa ou rebeldia.
  • a mulher não deve tentar mandar no marido de forma indireta, através de chantagem emocional (lágrimas) e usando o sexo como arma.
  • é sábio que o marido tome as decisões junto com a esposa. Porém, em caso de divergência, a decisão final é do marido;
  • mulheres, consultem seus maridos antes de tomar uma decisão;
  • evite criticar de maneira errada as decisões do marido;
  • fale para seu marido aquilo que você espera dele como líder, não espere que ele adivinhe sua vontade;
  • não se rebele diante das decisões de seu marido, a menos que tenha um motivo bíblico.

2. Os maridos glorificam a Deus refletindo o amor de Cristo pela Igreja (vv. 25-33).

“Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se por ela” Efésios 5.25
O texto bíblico nos mostra que o padrão de Deus para os maridos também é altíssimo. Eles devem amar suas esposas da mesma forma que Jesus amou a Igreja. E o amor de Cristo se manifestou por nós especialmente através de Seu sacrifício na cruz em nosso favor.
A Bíblia nos mostra que o sacrifício de Jesus pela igreja teve um objetivo. Ele foi feito com o propósito de santificá-la, para aperfeiçoá-la.
“26-para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, 27-e para apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável.” Efésios 5.26-27
No verso 28, Paulo diz: “Assim também os maridos devem amar a sua mulher”. Isso significa que, de certa forma, Deus espera que o amor dos maridos se manifeste em sacrifício que produza crescimento e santificação na vida das esposas. Os maridos são, portanto, pastores de suas esposas.
O sacrifício que Deus espera dos maridos em relação às suas esposas não é de qualquer natureza. Existem maridos que se sacrificam no trabalho para dar boas condições financeiras para a esposa. Existem aqueles que se empenham em satisfazer a esposa emocionalmente, socialmente ou sexualmente. Porém, a Bíblia ordena que os maridos cuidem de suas esposas espiritualmente. O sacrifício, de acordo com o texto, é para produzir santificação.
Maridos, não vale a pena conquistar o mundo (negócios) e perder a sua esposa e família. Dedique tempo à sua esposa. Não precisa ser horas do seu dia, mas planeje-se para sempre ter tempo para ela.
  • proporcione tempo para que sua esposa busque a Deus;
  • lidere espiritualmente o seu lar (orações, conversas, culto doméstico, etc);

Veja algumas sugestões práticas:

  • Tempo de sofá: Pode ser apenas quinze a vinte minutos do seu dia para se sentar com sua esposa e perguntar como foi o dia dela e ouvi-la.
  • Tempo devocional: o marido também é o líder espiritual da família. Separe um tempo para orar e ler a Bíblia com sua esposa para que vocês possam crescer juntos.
Assim como Cristo ama a Igreja, que é o Seu corpo, nós devemos amar nossa esposa, pois ela é o nosso corpo. A Bíblia diz que quando nos casamos ocorre a união mais profunda entre dois seres humanos: os dois se tornam uma só carne. Também ensina que já não temos mais poder sobre o nosso corpo, pois ele pertence ao nosso cônjuge (1 Coríntios 7.4). Por isso, ao amar sua esposa, na verdade, estará amando a si mesmo:
“Da mesma forma, os maridos devem amar cada um a sua mulher como a seu próprio corpo. Quem ama sua mulher, ama a si mesmo. Além do mais, ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida, como também Cristo faz com a igreja, pois somos membros do seu corpo. “Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne.” “Este é um mistério profundo; refiro-me, porém, a Cristo e à igreja.” Efésios 5.28-32
Ao fazer isso, estamos manifestando o amor que Cristo tem pela Igreja. A relação entre as duas coisas é tão íntima que Paulo começa o verso 31 falando do casamento e no 32 afirma estar se referindo, na verdade, a Cristo e à igreja. E a conclusão, em seguida é:
“Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito.” Efésios 5.33
O seu casamento está sendo uma ilustração fiel do relacionamento entre Cristo e a igreja? Para que seja assim, é preciso investir no relacionamento. É preciso conversar, buscar a Deus (separados e juntos), orar, e praticar os princípios bíblicos.
Que a glória do Deus invisível se torne visível às pessoas por meio do seu casamento.

Autor: Ivis Fernandes

BABILONIA A VISTA - IGREJA ANTI CRISTO REALIZA CASAMENTO GAY.

321 645 kedma 201x300 Igreja que se acha evangélica realiza 
casamento de duas mulheres
Cercada por polêmicas envolvendo outdoors da Igreja Cristã Contemporânea, a dupla Anne Flores, de 31 anos, e Kédma Costa, de 33, cumpre os últimos preparativos para o casamento gay, marcado para esta terça-feira, mesma data em que a igreja comemora quatro anos de existência. A cerimônia está prevista para começar às 18h, e deve receber mais de mil convidados, em caravanas vindas de Minas Gerais, São Paulo e do interior do Rio. De acordo com Anne, que trabalha como consultora comercial, as duas estão ansiosas para o evento.— Já está quase tudo pronto, mas queremos mesmo a benção de Deus. Nós duas estaremos com vestidos de noiva. O meu será um tomara-que-caia e o dela, que tem um estilo um pouco mais esportivo, será um pouco mais fechado.
A recepção será mais reservada, apenas para convidados mais íntimos, no terceito andar do Clube Monte Líbano, no Leblon.
Anne e Kédma se conheceram em uma igreja evangélica no Mato Grosso do Sul, onde nasceram, e estão juntas há sete anos. Elas eram amigas e o primeiro beijo aconteceu em uma noite em que estavam lendo a Bíblia.
Por causa da repulsa das religiões com gays, a dupla passou por vários templos. Anne conta que, após um culto evangélico no Rio, a pastora orientou que as duas se separassem:
— Ela disse que nós estávamos endemoniadas e precisávamos de libertação.
Dificuldades e tentativa de suicídio
As duas chegaram a se separar por um tempo devido aos conflitos internos e também envolvendo familiares, que não aceitavam a relação. Em um desses momentos, Kédma, que trabalha como técnica em informática e veio de uma família de pastores do interior do Mato Grosso do Sul, conta que tentou acabar com a própria vida.
— Eu chamei a Anne no meio da noite para tirar da minha frente um canivete que estava no banheiro. Depois que ela me disse que eu a afastava de Deus, fiquei louca — lamentou Kédma.
Foi depois que Anne descobriu, na internet, um site da Igreja Contemporânea, que tem como representantes os pastores casados Fábio Inácio e Marcos Gladstone, que as duas decidiram oficializar a união. Kédma e Anne estão fazendo um curso para pastoras, para que uma nova sede seja aberta em Niterói.
Do Padom: “A Igreja Evangélica, é aonde a Palavra de Deus é a base de todo o ensinamento, e onde é pregado a verdade com amor, mas com mudança de vida. Só consideramos igreja evangélica aquela que realmente tem a PALAVRA DE DEUS como regra de fé, e não aquelas que tentam deturpar a Palavra SANTA!!” “União homossexual, nunca terá bençãos de Deus, e sempre será pecado, e todo pecado separa o homem de Deus”

Jornal Extra / Portal Padom

Igreja estava em construção quando anti-cristãos extremistas pararam o projeto


Igreja estava em construção quando 
anti-cristãos extremistas pararam o projeto Questões legais interromperam projeto de construção de igreja
O missionário Satyankar Gedam, do ministério Evangelho para a Ásia, e sua congregação foram impedidos de construir uma nova igreja em uma grande área urbana do sul da Ásia. O edifício estava quase terminado quando anti-cristãos extremistas os acusaram de quebrar os códigos de construção da área e, em seguida desfiguraram a obra.

Os extremistas afirmaram: "Vocês não podem construir qualquer prédio de igreja na localidade. Vocês só estão autorizados a construir uma casa para viver, não uma igreja”.

Eles então passaram a desfigurar a propriedade da igreja, a pintura na parede da frente da igreja.

Como muitas congregações cristãs no sul da Ásia estão sendo abençoadas com o crescimento em Cristo, a necessidade de um edifício torna-se imediata. A aglomeração em casas ou edifícios arrendados se torna uma luta com o grande número de pessoas aceitando a Cristo.

Nestas circunstâncias, uma igreja torna-se mais do que apenas outro ponto de encontro. É uma área designada para a adoração e comunhão entre os crentes.  Como a igreja cresce no Sul da Ásia, a necessidade de edifícios de igreja cresce também.

O missionário pede oração para que Deus mude os corações daqueles opostos a sua obra e pelas autoridades que rejeitam as acusações legais.


Fonte: Mission Network News/Redação CPADNews

Projeto ´Dia do Orgulho Hétero` espera ser votado em SP


Projeto ´Dia do Orgulho Hétero` espera ser votado em SP Autor propõe reflexão: ´os gays querem direitos ou privilégios?`
A Câmara Municipal de São Paulo terminou as sessões extraordinárias da última quarta-feira (22) sem votar o projeto de lei 294/2005, do vereador do DEM, Carlos Apolinário (foto), que institui, no município, o Dia do Orgulho Heterossexual. O projeto foi incluído entre os itens a serem apreciados pela manhã, mas sofreu obstrução durante todo o dia. Caso fosse aprovado, demandaria apenas a sanção do prefeito Gilberto Kassab para que entrasse em vigor.

A proposta foi para a lista de projetos a serem apreciados nas próximas sessões. Porém, sua inclusão na ordem de itens prioritários dependerá de novo acordo.

O texto propõe que a data deverá ser comemorada  todo terceiro domingo do mês de dezembro. Segundo autor do projeto, o dia foi escolhido aleatoriamente, sem razão especial, mas estabelece no projeto que ele passe a constar no calendário oficial do município.

O vereador enfatiza que agora está nas mãos da Prefeitura de São Paulo “conscientizar e estimular a população a resguardar a moral e os bons costumes”.
Carlos Apolinário afirmou ainda que a decisão de apresentar o projeto não tem vínculo com sua atuação religiosa. “Não misturo as coisas. Aqui eu sou o vereador Carlos Apolinário. A Assembleia de Deus é algo coisa particular.”

Apolinário explica que a lei não é contra a comunidade LGBT. “Hoje se fazem dezenas de leis favoráveis aos gays. Esse meu projeto é muito mais para fazer uma reflexão. Será que os gays querem direitos ou privilégios?”, afirmou.

O vereador também reforçou a contradição de a Parada LGBT ser mantida na Paulista, enquanto a Marcha para Jesus foi deslocada da avenida. “Tiraram Jesus da Paulista e deixaram os gays. Eu acho que está errado. Se não pode a Marcha para Jesus, não pode também a Parada Gay.”

Fonte: G1 / Redação CPAD News

ATENÇÃO - O JORNAL IMPACTO REAL ESTA A TODO VAPOR , SENDO PREPARADO MAIS UMA TIRAGEM - ANUNCIE VOCÊ TAMBÉM - JORNAL IMPACTO REAL , O JORNAL EVANGÉLICO DE CAMPINAS E REGIÃO

Cristãos da Síria se preocupam diante de protestos contra o regime


Cristãos da Síria se preocupam diante de protestos contra o
 regime Durante anos, povo luta por mudanças políticas e sociais
 “Somos sírios antes de sermos cristãos”: por muito tempo esse foi o mote da comunidade cristã perseguida em Alep, Damasco e Homs, três cidades onde está ancorada. Eles, que são membros de uma minoria (de 5% a 10% da população, segundo estimativas), estão reagindo diante da preocupação com a vida de muitos irmãos, desde o início dos protestos na Síria, no dia 15 de março.

Protestantes, ortodoxos e católicos, muitos veem na hipótese de o regime baathista ser derrubado não a esperança de uma nova ordem, mas sim o risco de emersão do fundamentalismo muçulmano. “Seríamos, assim, as primeiras vítimas”, afirmou um cristão.

Essa tensão é alimentada em parte pela propaganda do governo, que tem brandido a ameaça islâmica desde o início dos levantes. A posição oficial foi repassada por diversos membros eclesiásticos, que reafirmaram sua lealdade ao presidente Bashar Al-Assad e alertam o povo contra a desestabilização do país.

A preocupação desses irmãos também se explica por razões mais profundas. A Síria foi uma das principais terras no Oriente Médio a acolherem iraquianos que fugiam do caos depois de 2003. Os relatos dos refugiados cristãos iraquianos chocaram seus irmãos em Cristo sírios. A angústia também se fundamenta naquilo que parece ser uma deterioração nas condições dos cristãos na região. Eles, que há muitos anos se preocupam com a ascensão do islamismo, sobretudo em Alep, viram muita resistência em um governo que se declara laico.

Os que participam das manifestações são somente uma minoria. A maioria optou pelo silêncio frente aos acontecimentos: “A comunidade que não reage não está mais à vontade do que os outros. Ela sabe bem que vive sob um regime ditatorial. Todos aspiram à democracia. Mas esses cristãos acreditam que neutros garantem melhor o seu futuro, e que estão nas mãos de Deus, independentemente do sistema que saia vitorioso”, explica um missionário libanês na Síria.

Porém, esse silêncio, reforçado pelo temor da repressão, corre o risco de “marginalizar os cristãos”, teme Samir Franjié. Esse intelectual libanês, grande nome da coalizão do 14 de Março, fez um apelo à comunidade para que “não tenham medo”.

Durante anos, cristãos lutaram muito por mudanças, promovendo o espírito crítico e a liberdade, denunciando a corrupção e o sistema policial. Embora reconhecessem gestos de abertura por parte de Bashar Al-Assad em relação aos cristãos, muitos nunca se deixaram enganar. As igrejas – assim como outros cultos nos lares – continuaram sendo vigiados. A comunidade nunca se sentiu representada só por ter deputados.

Para o líder cristão Paolo, “nós, cristãos, não podemos apostar em uma identidade repressiva, mas sim na possibilidade de que a sociedade evolua com nossa participação.” Ele diz “ainda ter esperanças de que a presidência guie o Estado para um processo democrático, obtido sem uma guerra civil.” Paolo pede por esforços diplomáticos, para se chegar a uma mediação e afastar o fantasma de um conflito interno.
 
Fonte: Le Monde /  Redação CPAD News

Identificando Gogue e Magogue


“VEIO a mim a palavra do Senhor, dizendo: Filho do homem, dirige o teu rosto contra Gogue, terra de Magogue, príncipe e chefe de Meseque, e Tubal, e profetiza contra ele. E dize: Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu sou contra ti, ó Gogue, príncipe e chefe de Meseque e de Tubal; E te farei voltar, e porei anzóis nos teus queixos, e te levarei a ti, com todo o teu exército, cavalos e cavaleiros, todos vestidos com primor, grande multidão, com escudo e rodela, manejando todos a espada;” Ezequiel 38.1-4

Assim começa o famoso capítulo 38 de Ezequiel...
Após o grande Dilúvio, Noé e seus três filhos repovoaram toda a terra. Claro que suas esposas ajudaram também! Mas, falando seriamente, nós todos descendemos de Noé e seus três filhos: Sem, Cão e Jafé. Então, de certo modo, somos todos parentes. Em Gênesis, capítulo 10, a Bíblia lista os 70 grupos tribais originais. Os estudiosos da Bíblia normalmente se referem a isso como A Tábua das Nações. Para entender apropriadamente Ezequiel 38 e 39, precisamos identificar Gogue, Magogue e seus aliados. A Bíblia é sempre a melhor fonte para entender a profecia.

Assim, é da Tábua das Nações que começamos a conhecer a identidade de Gogue e Magogue.
Magogue era um dos filhos de Jafé.

“Os filhos de Jafé são: Gomer, Magogue, Madai, Javã, Tubal, Meseque e Tiras.” Gênesis 10.2

A maioria dos experts identifica Magogue como estando associado com os povos antigos conhecidos como “Scythians”. O historiador antigo, Flávio Josefo, claramente identifica Magogue:

“Magogue fundou os Magoguianos, assim chamados por causa dele, mas que eram chamados pelos Gregos de Scythians.” Outra fonte confiável vem de Heródoto, conhecido como o “Pai da História”. Heródoto escreve sobre as práticas bizarras e selvagens dos descendentes de Magogue, conhecidos como Scythians. Eles bebiam o sangue do primeiro inimigo que matassem; levavam as cabeças de seus inimigos para seus chefes; eles escalpelavam seus inimigos e usavam seus escalpos como “guardanapos”; usavam a pele de seus inimigos para cobrir suas aljavas; bebiam no crânio de seus inimigos; praticavam a irmandade de sangue bebendo o sangue um do outro misturado com vinho. Os Scythians “banhavam-se” no vapor de sementes de maconha aquecidas. Quando seu rei morria, eles sacrificavam uma de suas concubinas e vários servos.

Após um ano, comemoravam sua morte sacrificando cinqüenta servos e cinqüenta cavalos. E você pensava que morava numa vizinhança ruim!

Conhecemos os descendentes de Magogue através de seu nome Grego, Scythians. Na mitologia Grega, os Scythians descendiam de Scythes, o mais novo dos três filhos de Hércules, de se deitar com uma meio-víbora e meio-mulher. O nome Scythian cobre várias tribos nômades das estepes Russas, uma área fértil da Ucrânia, ao norte do Mar Morto. Outras tribos aparentadas ocuparam a área a leste do Mar Cáspio. A área abrangida pelos Scythians se extendia do meio-Volga até os Urais do norte e além. Eles colonizaram a Média, Parta, Pérsia, Ásia Central e até à fronteira da China. Escritores Árabes confirmam que na língua Árabe a Grande Muralha da China é chamada de “a muralha de Al Magogue”, porque a muralha foi construída para barrar os exércitos invasores de Magogue. No total, uma área de cerca de 3.200 quilômetros quadrados. Então, claramente esta era a antiga União Soviética, atual Rússia.

Quem, então, é Gogue? Ele é, obviamente, o líder de Magogue, é o “príncipe de Rosh, Mesech e Tubal ”. Então, Gogue será o líder desse Exército comandado pela Rússia. A Bíblia não nos diz exatamente quem é Gogue. Chuck Missler, professor de Bíblia e autoridade internacional sobre a Rússia e o Oriente Médio, lança mais luz sobre a identidade de Gogue. Em seu livro, ‘A Invasão de Magogue’, ele descobriu uma provocante referência a Gogue no Livro de Amós, que tem sido largamente negligenciada. A tradução tradicional de Amós 7.1 diz o seguinte:

“O SENHOR Deus assim me fez ver, e eis que ele formava gafanhotos no princípio do rebento da erva serôdia, e eis que era a erva serôdia depois de findas as ceifas do rei.” Amós 7.1
Nossa Bíblia em português toma sua tradução do texto Masorético, uma fonte do século nove.

Entretanto, uma tradução mais antiga do Velho Testamento para o Grego, conhecida como Septuaginta, incorpora uma leitura diferente de Amós 7.1:

“Assim me mostrou o SENHOR, e eis um bando de gafanhotos estava vindo, e eis que um dos gafanhotos devastadores era Gogue, o Rei.” Amós 7.1 (LXX)

A identificação de Gogue como rei dos gafanhotos teria profundas implicações. Provérbios 30.27 revela que “os gafanhotos não têm rei”, o que implica que os gafanhotos de Amós 7.1 não devem ser gafanhotos naturais, mas um expressão para outra coisa. Encontramos uma passagem similar em Apocalipse 9, onde os gafanhotos são descritos como tendo um rei, e são claramente demoníacos em natureza.

“E da fumaça vieram gafanhotos sobre a terra; e foi-lhes dado poder, como o poder que têm os escorpiões da terra. E foi-lhes dito que não fizessem dano à erva da terra, nem a verdura alguma, nem a árvore alguma, mas somente aos homens que não têm nas suas testas o sinal de Deus. E foi-lhes permitido, não que os matassem, mas que por cinco meses os atormentassem; e o seu tormento era semelhante ao tormento do escorpião, quando fere o homem. E naqueles dias os homens buscarão a morte, e não a acharão; e desejarão morrer, e a morte fugirá deles. E o parecer dos gafanhotos era semelhante ao de cavalos aparelhados para a guerra; e sobre as suas cabeças havia umas como coroas semelhantes ao ouro; e os seus rostos eram como rostos de homens. E tinham cabelos como cabelos de mulheres, e os seus dentes eram como de leões. E tinham couraças como couraças de ferro; e o ruído das suas asas era como o ruído de carros, quando muitos cavalos correm ao combate. E tinham caudas semelhantes às dos escorpiões, e aguilhões nas suas caudas; e o seu poder era para danificar os homens por cinco meses. E tinham sobre si rei, o anjo do abismo; em hebreu era o seu nome Abadom, e em grego Apoliom.” Apocalipse 9.3-11

Abadon, uma palavra Hebraica, significa:
. ruína, destuição (Jó 31.12);. lugar de destruição, o Abismo, reino dos mortos (Jó 26.6, Provérbios 15.11);. ocorre personificado (Apocalipse 9.11) como Abadon e é escrito em Grego como Apoliom, denotando o anjo príncipe do inferno. A Vulgata traduz o Grego Apoliom pelo Latim Exterminans (isto é, “destruidor”). A identificação de Abadon com Asmodeu, demônio da impureza, foi declarada, mas não provada.

Em Jó 26.6 e Provérbios 15.11, a palavra ocorre em conjunto com Sheol.
Assim, agora temos Gogue, regente da terra de Magogue (Rússia), rei dos gafanhotos, líder da invasão comandada pela Rússia a Israel, associado com o anjo príncipe do inferno, Satanás! Então, claramente, essa invasão Russa é, na verdade, outra tentativa de Satanás de subverter o plano de Deus.

Fonte: http://www.olharprofetico.com.br/estudos-sobre-profecias/27-gogue-e-magogue?start=1

O MUNDO SE PREPARA PARA GOGUE E MAGOGUE

Quando a União Soviética desmoronou, em 1991, muitos disseram: “O urso está morto!” Mas o urso russo não morreu; ele simplesmente hibernou e hoje está acordando com grande fúria, uma vez que o primeiro-ministro Vladimir Putin tenta restaurar à nação moderna a glória anterior da Mãe Rússia.
O “urso” russo tem estado ocupado fazendo novos amigos. Os mais significativos são os países islâmicos dedicados à destruição de Israel, com os quais a Rússia está formando alianças. O mais notável de todos eles é a Pérsia, ou seja, o Irã dos dias modernos.
Olhando milhares de anos à frente, através das lentes da história profética (a profecia é simplesmente a história antecipada), o profeta Ezequiel viu vários eventos surpreendentes (Ez 36-39), alguns dos quais nos avisam para mantermos os olhos voltados para o urso.
Primeiro, Ezequiel disse que o povo de Israel, espalhado por todo o mundo, retornaria à terra de Israel, sua antiga pátria, dada a ele por Deus. E os judeus já retornaram. Vieram da Europa, da Rússia, da Etiópia, da América, de nações da antiga União Soviética, e de um grande número de outros países para os quais haviam sido espalhados.
E, segundo, em 14 de maio de 1948, aconteceu um milagre que tanto os eruditos quanto os céticos haviam dito que era impossível: Israel renasceu como nação.

A invasão vindoura

Entretanto, Ezequiel escreveu sobre uma ainda futura guerra na qual a Rússia (chamada “Magogue”, Ez 38.1-4) e uma coalizão de nações (todas atualmente islâmicas) virão contra Israel em uma tentativa de destruí-lo: “a Pérsia, a Etiópia e a Líbia estão com eles, todos com escudo e capacete” (v.5).
A primeira nação que as Escrituras mencionam na coalizão é a Pérsia, agora chamada de Irã. O estudioso da Bíblia David Jeremiah escreveu o seguinte:
As muitas alianças de Vladimir Putin da Rússia:

Putin aplaude enquanto o chefe da corporação nuclear estatal da Rússia troca documentos com o ministro do Exterior do Japão.

Putin com o príncipe-herdeiro dos Emirados Árabes Unidos, xeique Mohamed bin Zayued Al Nahyan.

O próximo país que Ezequiel cita é a Pérsia, nome que aparece trinta e cinco vezes no Antigo Testamento. Para nós é fácil identificar a Pérsia, porque ela reteve o nome que tinha nos tempos da Antigüidade até o ano de 1935, quando se tornou a nação do Irã. Aproximadamente quatro décadas e meia mais tarde, o Irã trocou seu nome oficial para República Islâmica do Irã. Hoje, com sua população de 70 milhões de habitantes, o Irã tornou-se o viveiro para o desenvolvimento rápido do islamismo militante e do ódio anti-semita.[1]
A realidade do aquecimento das relações do urso russo com o Irã é evidente a partir das manchetes na mídia:
• “A Rússia Planeja Mais Cinco Usinas Nucleares no Irã” – por Peter Baker, The Washington Post, 27 de julho de 2002.
• “Em Israel, Putin Defende Negócios com a Síria e o Irã” – por Molly Moore, Washington Post Foreign Service, 29 de abril de 2005.
• “O Kremlin Está Pronto Para Defender o Irã” – por Mikhail Zyar e Dmitri Sidorov, Mosnews.com, 13 de setembro de 2005. Os autores dizem que o Irã quer “aliados confiáveis como a Rússia e a China”.
• “A Rússia Faz Acordo de um Bilhão de Dólares em Armas Com o Irã” – Associated Press, 2 de dezembro de 2005. Esse artigo, publicado pelo site da FOX News, chama a Rússia de “o aliado-chave do Irã”.
Durante anos, a Rússia não ficou feliz por ter de sentar-se nos bancos de trás do ônibus, por assim dizer. No ano passado, depois dela ter invadido a Geórgia, Robert Baer escreveu na revista Time que a Rússia quer um império:
A invasão da Geórgia pela Rússia tem menos a ver com a Ossétia do Sul do que com uma Rússia que nunca se perdoou por perder um império – ou por ser tratada como uma potência de segunda categoria durante todos esses anos. O ressentimento da Rússia apenas cresceu à medida que os preços do petróleo aumentaram. (...) Ao invadir seu país vizinho, a Rússia cruzou o Rubicão. (...) A questão agora é: o que mais ela está tramando por causa daqueles 17 anos de humilhação? Uma coisa deveríamos aguardar com certeza: agora mesmo Moscou está lançando olhares para o Irã, a rota mais direta para a restauração de sua influência no Oriente Médio.[2]

Resgate e redenção

Que chances o pequenino Israel teria contra o urso russo e seus muitos filhotes islâmicos? A resposta está em Ezequiel 38.18: “Naquele dia, quando vier Gogue contra a terra de Israel, diz o Senhor Deus, a minha indignação será mui grande”. Deus ficará enfurecido, Se levantará em defesa de Israel e finalmente destroçará a coalizão (Ez 38.18-39.10).
O resultado do resgate divino será a redenção de Israel:
“Saberão que eu sou o Senhor, seu Deus, quando virem que eu os fiz ir para o cativeiro entre as nações, e os tornei a ajuntar para voltarem à sua terra, e que lá não deixarei a nenhum deles. Já não esconderei deles o meu rosto, pois derramarei o meu Espírito sobre a casa de Israel, diz o Senhor Deus” (Ez 39.28-29).
Deus não esquecerá as promessas de Sua aliança; Ele não abandonará o povo de Sua aliança.
A Rússia e o Irã estão em marcha, e têm más intenções com relação a Israel. Mas o Deus que fez os judeus retornar será o Deus do resgate e da redenção de Israel. (Patrick Neff - Israel My Glory - http://www.beth-shalom.com.br)
Patrick Neff é o diretor dos ministérios eclesiásticos de The Friends of Israel.

Notas:

  1. David Jeremiah, What in the World is Going On? Nashville, TN: Thomas Nelson, 2008). 167.
  2. Robert Baer, “The Russian Empire Strikes Back” [O Império Russo Revida], revista Time, 12 de agosto de 2008, www.time.com/time/world/article/ 0,8599,1831857,00.html.

Divulgue e recomende a edição online:


Publicado anteriormente na revista Notícias de Israel,

O que Acontece Depois da Morte?

Em Hebreus 9.27 está escrito que aos seres humanos está ordenado morrerem uma vez. Depois disso, vem o juízo. Mas isso não quer dizer que, imediatamente após a morte, as pessoas são levadas a um julgamento. O que acontece entre a morte e o Juízo Final?
Embora a vida após a morte ainda seja um mistério para nós, a Bíblia fornece-nos detalhes importantes a respeito do estado intermediário. Todas as pessoas, ao morrerem - salvas ou perdidas -, ficam sob o controle de Deus (Ec 12.7; Mt 10.28; Lc 23.46). Os salvos em Cristo são levados ao Paraíso, no Céu (Fp 1.23; 2 Co 5.8; 1 Pe 3.22). E os ímpios vão para o Hades (hb. sheol), que não é a sepultura, e sim um lugar de tormentos (Sl 139.8; Pv 15.24; Lc 16.23).
Nos tempos do Antigo Testamento, Paraíso e Hades ficavam na mesma região. Eram separados por um abismo separador intransponível (Lc 16.19-31). Ao morrer, o Senhor Jesus desceu em espírito a essa região e transportou de lá os salvos para o terceiro Céu (cf. Mt 16.18, Lc 23.43, Ef 4.8,9; 2 Co 12.1-4). Quanto aos ímpios, permanecem no Hades (uma espécie de ante-sala do Inferno), o qual não deixa de ser “um inferno”, um lugar de tormentos para a alma (Lc 16.23).
Conquanto, em algumas passagens da Bíblia, o vocábulo grego hades tenha sido traduzido para “inferno”, o Hades e o Inferno final não são o mesmo lugar. O Inferno final é chamado de Lago de Fogo (Ap 20.14,15 [gr. limnem ton puros]); de “fogo eterno” (Mt 25.41 [gr. pur to aiõnion]); de “tormento eterno” (Mt 25.46 [gr. kolasin aiõnion]); e de Geena (Mt 5.22; 10.28; Lc12.5).
Diferentemente do Hades, o Inferno final está vazio. O seu povoamento começará quando Cristo voltar em poder e grande glória e lançar o Anticristo e o Falso Profeta no Inferno (Zc 14.4; Ap 19.20). Em seguida, os condenados do Julgamento das Nações irão para “o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos”, “o tormento eterno” (Mt 25.41,46). Mais tarde, será a vez do Diabo e seus anjos conhecerem o lugar para eles preparado (Ap 20.10). E, finalmente, após o Juízo Final, todos os ímpios estarão reunidos no Inferno final (Ap 20.15; 21.8).
Em Apocalipse 20.13 está escrito que o mar dará os mortos que nele há. E Jesus também afirmou que “vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz” (Jo 5.28). Onde quer que estiverem, os pecadores ressuscitarão para comparecer diante do Trono Branco. Segundo a Palavra de Deus, a morte (gr.thanatos) e o inferno (gr. hades) darão os seus mortos, os quais, após o Juízo Final, serão lançados no Lago de Fogo.
O vocábulo “morte”, em Apocalipse 20.13,14, tem sentido figurado. Trata-se de uma metonímia (figura de linguagem expressa pelo emprego da causa pelo efeito ou do símbolo pela realidade), numa alusão a todos os corpos de ímpios, oriundos de todas as partes da Terra, seja qual for a condição deles. Há pessoas cujos corpos são cremados; outras morrem em decorrência de grandes explosões, etc. Todas terão os seus corpos reconstituídos para que, em seu estado tríplice (pleno), espírito + alma + corpo (cf. 1 Ts 5.23), compareçam perante o Juiz.
Entretanto, para que os ímpios compareçam ao Juízo Final em seu estado pleno, acontecerá a reunião de espírito, alma e corpo, os quais se separam na morte. Daí a menção de que “a morte” e também “o inferno” darão os seus mortos (Ap 20.13). Aqui, “inferno” é hades, também empregado de forma metonímica. A “morte” dará o corpo. E o “Hades”, a parte que não está neste mundo físico, isto é, a alma (na verdade, alma + espírito).
Com base no que foi dito acima, podemos entender melhor a frase “a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo” (Ap 20.14). Isso denota que os corpos e as almas dos perdidos - que saíram do lugar onde estavam e foram reunidos na “segunda ressurreição”, a da condenação (Jo 5.29b) -, depois de ouvirem a sentença do Justo Juiz, serão lançados no Inferno propriamente dito, o Lago de Fogo.
Segue-se que a frase “a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo” tem uma correlação com o que Jesus disse em Mateus 10.28: “Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno [geena] tanto a alma como o corpo” (ARA). Ou seja, as almas (“o Hades”) e os corpos (“a morte”) serão lançados no Geena.
E quanto aos que têm morrido salvos, em Cristo? Graças a Deus, nenhuma condenação há para eles (Rm 8.1). Serão julgados também, é evidente, logo após o Arrebatamento da Igreja, mas apenas para efeito de galardão (Rm 14.10; Ap 22.12). Depois da ressurreição dos que morreram em Cristo, nunca mais haverá morte, o último inimigo a ser vencido (1 Co 15.26).
Apesar de já se encontrarem na presença de Deus, os salvos mortos em Cristo ainda não estão desfrutando do gozo pleno preparado para eles. Isso só acontecerá depois da ressurreição (1 Co 15.51). Seu estado agora é similar ao daqueles mártires que morrerão na Grande Tribulação (Ap 6.9-11). Esta passagem e a de Lucas 16.25 indicam que, no Paraíso, os salvos são consolados, repousam, estão conscientes e se lembram do que aconteceu na Terra (Ap 14.13). Contudo, após o Arrebatamento, estarão - no sentido pleno - “sempre com o Senhor” (1 Ts 4.17).
Em 1 Tessalonicenses 3.13 está escrito: “que sejais irrepreensíveis em santidade diante de nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, com todos os seus santos”. Isso significa que os santos, de todas as épocas, que estão com o Senhor, no Paraíso, virão com Ele, no Arrebatamento da Igreja. Como assim? O espírito e a alma (ou espírito + alma) deles se juntarão aos seus corpos, na Terra, para a ressurreição, num abrir e fechar de olhos (1 Co 15.50-52).
Consolemo-nos com essas palavras (1 Ts 4.18). Aleluia! “Ora, vem, Senhor Jesus” (Ap 22.20).


CRISTIAN POST

Bola de Neve São Sebastião faz aniversário

 
A Cia Teatral Jeová Nissi apresenta a peça "Retratos" no próximo sábado, dia 25, às 20h no Teatro Municipal em São Sebastião para comemorar o 3° aniversário da Igreja Bola de Neve. No domingo, dia 26, às 19h30 a igreja vai ter a presença do Pastor Giba, do Bola de Neve de Santo André.
Para a apresentação da Cia Jeová Nissi, a entrada é um quilo de alimento não perecível. O culto de domingo, será na Igreja Bola de Neve São Sebastião e a entrada é gratuita.
Não fique fora dessa! Vá até lá e leve mais um!
Comemoração do 3° aniversário da Igreja Bola de Neve de São Sebastião / SP
25/06- Sábado: Cia Teatral Jeová Nissi (peça Retratos)
Horário: 20h
Local: Teatro Municipal em São Sebastião
Entrada: 1kg de alimento não perecível
26/06- Domingo: Culto (Pastor Giba)
Horário: 19h30
Local: Igreja Bola de Neve São Sebastião
Endereço: Rua Três Bandeirantes, 151- Centro
Entrada: gratuita
Informações: comunicacao.saosebastiao@boladeneve.com

Fonte: Bola de Neve

Culto de mulheres na Bola de Neve em Brasília

O Ministério de Mulheres de Brasília, no Distrito Federal, convida para o Culto de Mulheres que acontece nessa sexta, dia 24 de junho, às 20h, na quadra 5 C em SIA.
A entrada é gratuita!

Culto de Mulheres na Bola de Neve Brasília / DF
Endereço: quadra 5C - SIA
Data: 24 de junho
Horário: 20h
Entrada: Gratuita
 
Fonte: Bola de Neve

Levado por Muller a igreja, ex-jogador e hoje pastor tenta “salvar” amigo tetra campeão

O ex-lateral Ronaldo Luís ficou marcado na história do São Paulo ao impedir em cima da linha o gol do Barcelona na decisão do Mundial Interclubes de 1992, conquistada pelo time paulista. Ronaldo Luís, agora com 44 anos, se tornou pastor evangélico há nove anos. A aproximação com a religião aconteceu por intermédio de Muller ainda nos tempos de São Paulo.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel O pastor e ex-jogador do São Paulo quer ajudar Muller. Ronaldo Luís entende que o amigo cometeu deslizes na vida e oferece apoio ao ex-atacante, que admitiu recentemente ter gastado praticamente todo o dinheiro conseguido com o futebol.
“Eu digo com absoluta certeza que ele terá uma grande transformação na vida. Ele é uma pessoa muito querida, bastante religiosa, que conhece profundamente a palavra de Deus. Infelizmente não aplicou o dinheiro ganho com o futebol e confiou em pessoas que se diziam amigos. Tentamos falar com o Muller para que participasse do nosso culto, mas não conseguimos trazê-lo”, disse Ronaldo Luís.
Como empreendedor religioso, Muller teve prejuízos. Ainda como jogador, ele investiu na criação da Igreja Pentecostal Vida com Deus, em Minas Gerais. A instituição foi fechada pouco depois por Muller, dando grande prejuízo.
“A igreja do Muller acabou não indo. Ele decidiu vender”, relembra Ronaldo Luís, pastor da Igreja Batista Getsêmani, de Belo Horizonte.
Muller e Ronaldo Luís eram atletas de Cristo na década de 90. Então jogadores do São Paulo, Muller convidou Ronaldo Luís a um culto na Assembléia de Deus. Desde então, o ex-lateral afirma ter encontrado sua outra vocação.
“Eu também tive um momento muito difícil na vida, mas consegui superar”, diz o pastor, que desenvolve programa assistencial com crianças de 6 a 14 anos em Contagem/MG.
Decisivo na conquista do primeiro título mundial do São Paulo, quando impediu o gol de Beguiristáin, do Barcelona, Ronaldo Luís conta que salvar bola em cima da linha era sua especialidade.
Ele contabiliza 15 lances em que evitou o gol de rivais debaixo do travessão, todos eles defendendo o São Paulo.
“Eu salvei aquela bola em cima da linha na final contra o Barcelona e uma semana depois salvei de novo em jogo contra o Palmeiras. Em 1994 eu impedi o gol também do Palmeiras. Lembro que evitei o gol do Amoroso, na época do Guarani. Foi Deus quem tirou essas bolas”.
Fonte: UOL Esporte

STF rasgou a Constituição ao permitir união entre gays, diz pastor

A afirmação foi do pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, durante a 19ª edição da Marcha para Jesus, em São Paulo.

O pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, afirmou nesta quinta-feira, durante a 19ª edição da Marcha para Jesus, em São Paulo, que o STF (Supremo Tribunal Federal) rasgou a Constituição ao permitir a união entre homossexuais e liberar a Marcha da Maconha.

"Se governador, prefeito e presidente for contra a família, não vai ter o nosso voto. Se amanhã alguém quiser fazer a marcha a favor da pedofilia, vai pode fazer", disse Malafaia. "Não estamos querendo fundar o Estado evangélico", reiterou.

Malafaia apoiou o tucano José Serra na campanha presidencial do ano passado.

Milhares de fiéis participam desde as 10h de ontem do evento religioso no centro de São Paulo.

Entre os presentes também estavam o casal fundador da Igreja Renascer em Cristo, Estevam e Sônia Hernandes, e o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ).

"Meu Deus é o dono do ouro e da prata. Enquanto meu Deus age, ninguém pode impedir", disse a bispa Sônia.

No ano passado, segundo a Polícia Militar, a Marcha reuniu 2 milhões de pessoas. Os organizadores esperavam 5 milhões. Neste ano, eles preferiram não divulgar uma estimativa.

De acordo com a Renascer, 800 caravanas com 35 mil pessoas de outras cidades vieram para o ato.

Houve representantes de outras igrejas como Assembleia de Deus, Bola de Neve, Batista Betel e Sara Nossa Terra.

Marcha para Jesus reúne 5 milhões de fiéis em SP, dizem organizadores
Cerca de 5 milhões de fiéis participam nesta quinta-feira da 19ª edição da Marcha para Jesus, em São Paulo, segundo organizadores do evento.

Open in new windowA Polícia Militar, no entanto, estima cerca de 1 milhão, mas o número corresponde apenas às pessoas concentradas na praça Heróis da FEB (zona norte).

Entre os presentes estão o casal fundador da Igreja Renascer em Cristo, Estevam e Sônia Hernandes, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) e o pastor Silas Malafaia.

"Meu Deus é o dono do ouro e da prata. Enquanto meu Deus age, ninguém pode impedir", disse a bispa Sônia.

O evento partiu da praça da Luz (centro) às 10h e percorreu quatro quilômetros até a praça.

A partir das 13h, começaram os atos religiosos e os shows de música gospel. A previsão é que o evento termine por volta das 21h.

No ano passado, segundo a Polícia Militar, a Marcha reuniu 2 milhões de pessoas. Os organizadores esperavam 5 milhões.

De acordo com a Renascer, 800 caravanas com 35 mil pessoas de outras cidades vieram para o ato. Há representantes de outras igrejas como Assembleia de Deus, Bola de Neve, Batista Betel e Sara Nossa Terra.

Marcha reúne 18 mil evangélicos de 400 igrejas em Uberlândia

Cerca de 18 mil pessoas participaram nesta quinta-feira (23) da Marcha Para Jesus 2011, de acordo com dados da Polícia Militar. O evento foi organizado pelo Conselho de Pastores de Uberlândia (Conpas) e contou com a presença de membros de 400 igrejas evangélicas de toda a cidade.

Os fiéis partiram às 9h da manhã do estacionamento do prédio da Prefeitura de Uberlândia, no bairro Santa Mônica, zona leste, e fizeram um percurso de aproximadamente quatro quilômetros até a praça Tubal Vilela, no Centro. Dois trios elétricos e dois trens infantis acompanharam a multidão em marcha até o fim do trajeto. “Saíram da concentração, na praça da prefeitura, aproximadamente 12 mil pessoas. Ao longo do caminho, mais gente foi aderindo”, disse o capitão da PM Osmar Duque, responsável pela equipe de 50 policiais que fizeram a segurança do evento.

Um palco foi montado na praça Tubal Vilela para recepcionar o público, que, ao fim da caminhada, pôde acompanhar os shows de quatro grupos de música gospel.

Marcha para Jesus reúne mais de 130 mil e critica o casamento gay em Teresina

A Marcha para Jesus é um evento internacional e interdenominacional (ou seja, realizada conjuntamente por diversas denominações evangélicas) que ocorre anualmente em milhares de cidades do mundo. No Piauí, é organizada pela aliança evangélica de pastores de Teresina.

Sem fins lucrativos, a caminhada deveria começar às 15h desta quinta-feira (23/06), mas sofreu um pequeno atraso por conta de uma ameaça de chuva. Não choveu forte e o evento seguiu, saindo do balão do bairro São Cristovão, zona Leste de Teresina. É um evento que já faz parte do calendário da cidade.

Os organizadores não gostam de comparações, mas a Marcha para Jesus, que reúne boa parte de seu público com evangélicos, bate de frente, literalmente, com a Caminhada da Fraternidade, feita pela Igreja Católica. Até o caminho é feito no sentido contrário. Enquanto a Caminhada da Fraternidade reuniu, neste ano, cerca de 70 mil pessoas, a Marcha para Jesus, que no ano passado reuniu cerca de 100 mil, este ano atraiu 130 mil, segundo o pastor Marcos Sérgio.

Open in new window

Estimativas da Polícia Militar, no entanto, dizem que estavam cerca de 120 mil, não 130 mil. Vários trios elétricos, com bandas gospel agitaram o evento, que só terminou no Centro da capital, com muita paz, demonstração de saúde e alegria. Autoridades políticas como o casal, deputada estadual Rejane Dias e senador Wellington Dias (ambos PT), participaram da marcha. Segundo o Pastor Marcos Sergio, que é um dos organizadores do evento, a Marcha para Jesus de Teresina superou todas as expectativas. “Esta edição da Marcha para Jesus me surpreendeu, superando o ano passado, e a cada ano a tendência é crescer cada vez mais”, disse o Pastor.

Como a principal bandeira da Marcha para Jesus deste ano é a paz na família, o assunto 'casamento gay' não fugiu das discussões. O coordenador da marcha, presidente da Aliança de Pastores de Teresina, José Ribamar, disse que os evangélicos só consideram que uma família é formada por homem com uma mulher. Ele informa que a igreja nunca se manifestou sobre as relações homossexuais.
"Defendemos é o que está na Bíblia", disse. Mais polêmico, o pastor Oliveira disse que está se criando uma espécie de "ditadura gay", onde não se pode criticar a conduta dos homossexuais. "Todo mundo pode falar da presidente, pode falar de vocês da imprensa, da igreja, de tudo, menos dos gays, como se todos fossemos proibidos".

Fonte: Folha Online e 180 Graus

DEUS QUE VEIO HABITAR CONOSCO




“...Eis o tabernáculo de Deus com os homens... Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles.”
Ap 21.3

João apresenta Jesus como o Verbo que estava com Deus no princípio e esse Verbo era Deus. O Verbo é eterno, pessoal e também divino. Jesus não é apenas um grande homem ou espírito iluminado. Ele é o criador dos homens e a Luz do mundo. É aquele para quem os profetas apontaram, o Messias, o Salvador do mundo. Ele não nasceu para ser o rei dos judeus, mas ele é o Rei dos reis e o Senhor dos senhores, diante de quem todos os joelhos se dobram nos céus, na terra e debaixo da terra. Jesus não é apenas uma divindade.

Ele é o Deus que se fez carne e habitou entre nós. Os deuses dos povos são ídolos mortos, criados pela imaginação dos homens, mas Jesus é o Deus vivo e soberano, que na plenitude dos tempos veio ao mundo e se encarnou. Para cumprir o propósito do Pai, Jesus veio e morreu na cruz para nos resgatar do pecado, da morte e do inferno. Jesus é o onipotente Deus que venceu a morte, reina absoluto no universo e voltará em glória para buscar-nos, a fim de reinarmos para sempre com ele!

Ore


Pai, a vinda de Jesus é o momento da história onde o Senhor se identificou e partilhou nossas dores na carne. É por isso que não canso de render glórias ao nome de Jesus. Nele.

Com ataque à Globo, Domingo Espetacular debate a arte com apologia à pedofilia

Programa Domingo Espetacular, na Record TV O debate sobre as exposições de arte com apologia à pedofilia e outros temas no Brasil marc...