terça-feira, 13 de setembro de 2011

A abominável igreja cristã


Imagine que você é um não-cristão vivendo no Brasil de nossos dias e que, em determinado momento da vida, sente uma enorme sede por algo que venha a preencher o vazio de sua alma.
 
Quero te convidar para um exercício de imaginação. Imagine que você é um não-cristão vivendo no Brasil de nossos dias e que, em determinado momento da vida, sente uma enorme sede por algo que venha a preencher o vazio de sua alma. Decide buscar na fé o sentido da vida e a razão da sua existência. Resolve, assim, antes de optar de cara por uma religião, fazer uma pesquisa. Você parte, talvez por insistência de amigos ou parentes evangélicos, a tentar descobrir o que significa afinal, ser um cristão e o que é a igreja evangélica brasileira dos nossos dias. Pois, quem sabe, não está ali a resposta? É uma tradição religiosa que, afinal, tem crescido, algo de bom deve ter ali. Então você decide ver como é essa tal de igreja evangélica. E, acima de tudo, você quer encontrar esse tal de Jesus, que dizem que preenche a nossa vida e a nossa alma. Mas…por onde começar?
Na dúvida, em vez de ir a um templo pessoalmente, prefere ligar a TV. Mais fácil, rápido e sem envolvimento com todas as questões (e pessoas) de uma igreja local. Você sabe que na TV tem pastores (quem não sabe, hoje em dia? Tem tantos!). Não conhece muitos, logo, conclui, naturalmente, que aqueles ali devem ser a representação fiel de todo e qualquer pastor. Mas engraçado… quem você vê não se parece com um sacerdote, afinal pelo que você se lembra da época de catecismo, Jesus falava com amor e mansidão, chamando os que estão cansados e sobrecarregados para os braços do Pai. Mas, pelo contrário, vê um homem que só berra. Em vez de falar sobre dar a outra face, amar os inimigos e caminhar a segunda milha, ele fica meia hora falando sobre gays e blogueiros que querem denegrir sua imagem. Critica até outros pastores, veja você! Aí você ouve esse senhor chamando outro pastor de “cachorro morto” e esbravejar aos cuspes, berros e olhares que lembram os de Bela Lugosi. E você, o não-cristão, que ligou naquele programa ávido por aprender mais sobre Jesus e sobre o que é a vida com Cristo, começa a achar que aquilo ali é ser cristão. Afinal, aquele senhor é um pastor, embora ele não diga nada parecido com o que você esperava, como, por exemplo, “bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa, os insultarem, os perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês“.
Decide esperar um pouco mais e, de repente, parece que valeu a pena… vê o mesmo pastor mudar de discurso, adotar uma postura mais suave, um tom de voz mais brando. Você sente-se aliviado, achando que agora ele vai falar de Jesus ou algo como “Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam” ou mesmo “Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por quem perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar Cristo“. Mas, para sua surpresa, o pastor começa a falar de dinheiro, dinheiro, dinheiro e a vender produtos e mais produtos, livros, bíblias, CDs, DVDs… montes de coisas, no cartão ou cheque pré. Parece a grande queima de estoque gospel de um camelódromo qualquer. Você acha aquilo muito estranho.
Ainda tentando entender se o cristiansimo é a fé que vai preencher seu coração, decide procurar informações em outras fontes. Acessa então o website de outro conhecido pastor, que faz transmissões diárias pela Internet. Ah, agora sim, longe das pressões financeiras de manter uma mega estrutura de TV, você tem certeza que ouvirá o Evangelho genuíno. Naquele dia, curiosamente, em vez de falar sobre o amor de Jesus ou a eternidade, aquele pastor está comentando uma reportagem que saiu numa revista sobre os evangélicos. Uau, que legal! Agora você vai aprender muito sobre o cristianismo. Vc espera que o tal pastor ensine algo como “Vocês ouviram o que foi dito aos seus antepassados: ‘Não matarás’ e ‘quem matar estará sujeito a julgamento’. Mas eu lhes digo que qualquer que se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento. Também, qualquer que disser a seu irmão: ‘Racá será levado ao tribunal. E qualquer que disser: ‘Louco!’, corre o risco de ir para o fogo do inferno“. Mas, em vez disso, o pastor começa a dizer que todos os outros pastores que foram mencionados na matéria são “bundões”. Você não entende nada. Não era afinal o cristianismo aquela religião em que seu fundador disse “Amem os seus inimigos, façam o bem aos que os odeiam, abençoem os que os amaldiçoam, orem por aqueles que os maltratam“? E no entanto aquele pastor que fala tanto sobre amor chama outros pastores de “bundões”. Você fica confuso. Muito confuso.
Decide então ir para uma mídia social. Entra no twitter. Mas sai rapidinho, pois a quantidade de coisas que os cristãos falam ali são tão diferentes, sem uma linha em comum, são tantas visões diversas, tanta opinião sem embasamento bíblico, tanta frase tuitada fora de contexto, tanta gente defendendo tanta coisa díspare. Aquilo te deixa meio zonzo. Ficar 5 minutos no twitter faz você achar que Cristo era um cara muito confuso e que a fé cristã é uma grande Babel. Resolve então que vai buscar mais sobre Jesus e a igreja em outro lugar. Que tal… a rádio! Sim! A rádio! Ali certamente só haverá coisa boa! Então você sintoniza numa rádio gospel e ouve um grupo famoso que começa uma canção com o cantor dizendo “Senhor, eu quero ter um romance contigo!”. Você se assusta. Como assim? Seria esse o mesmo Senhor a quem o salmista diz “Pois tu, Senhor, és o Altíssimo sobre toda a terra! És exaltado muito acima de todos os deuses!“? Você acha estranhíssima essa coisa de ter um romance com Deus e muda de estação. Outra rádio gospel. Se assusta de cara, pois parece que a cantora está chorando. É o que ela chama de “ministrar”. Mas, meu Deus, que choradeira! Que tom de voz artificial! Quanta falação que não leva a nada! Aquilo te incomoda tanto que você resolve então mudar para uma rádio onde haja pregações.
Sim! Se a Bíblia diz que é por ouvir a Palavra que vem a fé, nada melhor do que ouvir uma pregação. O pregador começa. E, rapaz, ele grita tanto! Berra! O povo em volta se sacode e se remexe muito, uma coisa estranhíssima. O homem no púlpito agarra o microfone e, em gritos alucinados, grita para Deus, repreende coisas que você não entende direito, grita, grita, grita…parece afinal que o Deus dos cristãos é surdo. Por um desses acasos, você se lembra da oração silenciosa de Jesus em que Ele diz “Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; O pão nosso de cada dia nos dá hoje; E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; E não nos conduzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém“. E não entende por que aquele rapaz da rádio pecisa gemer e gritar tanto.
Você decide perguntar para alguém da sua família que frequenta uma igreja e essa pessoa explica que aquilo é “manifestação do poder de Deus”. Você pensa então nas milhares de igrejas pelo mundo onde se ora num tom de voz normal, sem impostação, sem grito, apenas numa conversa franca, suave e aberta com o Pai… e pega-se pensando “será que, afinal, nessas igrejas não está o poder de Deus? Será que em igrejas em que não se grita nem se rodopia Jesus não salva almas, não cura enfermos, não restaura os caídos, não abraça os feridos?”. Você ouve até esse seu parente fazer uma piada com outros irmãos em Cristo, falando sobre “igreja sorveteriana, de tão fria”, e tem a nítida sensação (que não pode estar certa, deve ser impressão sua) que os cristãos são muito desunidos. Esse pensamento, de tão absurdo, foge rápido da sua mente, e você volta a refletir sobre a questão de se igrejas que não são barulhentas não têm o poder de Deus. E aí você se lembra que é impossível o poder de Deus estar ausente de onde Deus está e que a Bíblia assegura, nas palavras do próprio Cristo que “onde se reunirem dois ou três em meu nome, ali eu estou no meio deles” e repara que o poder de Deus se manifesta em qualquer ambiente em que haja pessoas reunidas em seu nome. E decididamente fica sem entender aquela coisa de que para haver poder de Deus é preciso berrar, bater no púlpito e se comportar de modo até meio descontrolado. “Mas tudo bem, faz parte da cultura dessa ou daquela denominação” e, conformado, decide continuar em sua busca.
Afinal, você tem um vazio na alma. Então, embora tudo aquilo lhe pareça muito estanho, você insiste. Muda de estação de rádio. O que ouve ali é um pastor… conversando com um demônio! Aquilo então lhe soa bizarro, pois pelo que já ouvira, a forma bíblica de Jesus de lidar com os demônios era não lhes dar nenhum papo, como diz Mateus 8.16 “Ao anoitecer foram trazidos a ele muitos endemoninhados, e ele expulsou os espíritos com uma palavra”. Repare, uma única palavra! (mais sobre isso no post Batalha espiritual ou bandalha espiritual?). E, de repente, tem pastores usando espaço em que poderiam estar pregando que “Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores“, como ensina 1 Tm 1.15, mas…ficam dando oportunidade a demônios para tagarelarem sobre um altar que deveria estar sendo usado para exaltar o Todo-Poderoso.
Cansado de tentar entender a fé cristã pela mídia – sem conseguir entender, pois a cada nova tentativa a coisa parece mais complicada – você opta por vencer a preguiça e visitar diferentes tipos de igrejas e comunidades cristãs. Vai primeiro a uma igreja de um pastor famoso, que tem milhares de seguidores no twitter. Mas o homem começa a ensinar que Deus não está no controle de tudo o que acontece, que as desgraças que ocorrem no mundo não têm anuência do Onipotente… só que aquilo contraria toda a lógica de dois mil anos de cristianismo, como você conhecia. Você se lembra de Jó, se lembra do Dilúvio, dos exércitos de faraó sendo afogados…não, aquilo não pode ser cristianismo, Deus ainda deve estar no controle. Mesmo que um ou outro pastor-celebridade diga que não.
Sai do culto e vai a outra igreja. Linda, pessoas muito bem arrumadas, opa, quem sabe nao é ali que você vai compreender Cristo? A pregadora começa a falar sobre Jesus te dar carro do ano se você crer, em ganhar uma bolsa Louis Vuitton se declarar a vitória e tomar posse da bênção, sobre como Deus pode fazer sua empresa prosperar se você der uma gorda oferta…. mas estranhamente nada daquilo preenche o vazio da sua alma. Você abre a Bíblia que comprou (uma cheia de estudos, de capa colorida e que estava numa promoção única) e lê “Aquele que é cobiçoso corre atrás das riquezas; e não sabe que há de vir sobre ele a penúria” e percebe que aquele discurso daquela senhora soa muito contraditório. Aí vira mais algumas páginas da sua Bíblia e lê lá no Novo Testamento que o próprio Jesus de Nazaré afirma: “Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam. Mas acumulem para vocês tesouros nos céus, onde a traça e a ferrugem não destroem, e onde os ladrões não arrombam nem furtam“. Tem algo muito estranho acontecendo nessa tal igreja, mas você ainda não conseguiu definir o que é. Resolve continuar procurando.
E você, incansável, segue num périplo para entender o que é a igreja. E, mais que isso, para tentar conhecer esse tal de Jesus que dizem que preenche a nossa vida. Mas percebe que a linguagem de muitas igrejas é apenas dirigida pelo marketing, que sabe que cliente satisfeito volta, e por isso, muitas estão regendo suas práticas pelo mercado e buscam satisfazer o cliente. Nota ainda uma característica presente em quase todas: não se fala de morte, pois pelo discurso geral o negócio é aqui e agora, é o imediatismo (igrejas essas cheias de pessoas desesperadas, que estão atrás de uma ajuda rápida para situações urgentes). E sua cabeça dá um nó, pois afinal Jesus afirmou sem sombra de dúvida que o que importa no grande esquema das coisas é a eternidade, é a vida eterna, é o porvir: “Não trabalhem pela comida que se estraga, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem lhes dará. Deus, o Pai, nele colocou o seu selo de aprovação“.
Já cansado da busca, você ouve falar de comunidades alternativas, que fogem do modelo institucional de igreja. Os chamados desigrejados, que saíram de igrejas tradicionais decepcionados não só com práticas e doutrinas, mas com pessoas. Resolve ir ao encontros de alguns desses grupos, vai que ali sim existe um cristianismo mais cristalino, longe da poluição das instituições maquiavélicas que “manipulam a Palavra de Deus”. Descobre, no entanto, que as pessoas que frequentam essas comunidades criticam hierarquias mas têm modelos hierárquicos, que criticam liturgias mas seguem liturgias, que abominam pastores mas têm seus “irmãos mais experientes na fé”, que não se reúnem em templos mas se reúnem em algum lugar. Mudam o nome das coisas (em vez de “igreja” se chamam “comunidades”, por exemplo), mas na essência nada muda, pois são formadas por pessoas e pessoas pecam (mais sobre esse assunto você pode ler nos artigos Jesus X Igreja: tornei-me cristão quando saí da igreja e Jesus nunca construiu templos). E aí você percebe que a igreja dos sem igreja é apenas mais do mesmo, só que com cores diferentes, e não se empolga com esse modelo.
Disposto a dar mais uma chance, pois aquele vazio continua, você vai junto com aquele seu primo crente que é adepto de um negócio chamado “batalha espiritual’ a um seminário onde ensinam montanhas de coisas sobre demônios, hierarquias demoníacas, nomes e cargos de demônios, mapeamento espiritual….rapaz, é demônio pra tudo que é lado. Curioso, você indaga, cochichando, ao seu primo de que lugar da Bíblia eles tiraram tanto conhecimento assim e ele gageja, hesita e diz que na verdade são revelações obtidas ou da boca dos próprios demônios (que, curiosamente mentem o tempo todo) ou de “ex-satanistas” que juram que faziam parte dos mais altos escalões do movimento satanista e começam a escrever livros e mais livros sobre o tema. Claro que viajam dando seminários (cobrando taxas bem gorduchas) , dando palestras e “ministrando” sobre o assunto. Mas nada daquilo veio da Bíblia! (você pode ler mais sobre isso no artigo Batalha espiritual ou bandalha espiritual?). E, adivinha só, você que esperava conhecer mais sobre Cristo e o cristianismo, só fica mais e mais e mais confuso – e, agora, cheio de doutrinas de demônios na cabeça.
Exausto por tentar entender o que são afinal de contas a igreja e o cristianismo (e esse Cristo, que até agora você não encontrou), começa a detectar problemas gerais. Falta de acolhimento, frustração com o estilo de liderança, frustração com as ênfases doutrinárias, ênfase excessiva na contribuição e escândalos pululam em cada esquina. Abre o jornal e vê deputados, senadores, governadores e outros políticos da chamada “bancada evangélica” metidos em um monte de escândalos. É tanta coisa, tanto troço, tanta tramoia que você se vira para os seus parentes e diz:
- Querem saber de uma coisa?! Desisti desse negócio de tentar conhecer Jesus! Não entendi se ser cristão é ser manso ou agressivo, se tenho de orar berrando ou não, se devo seguir a Bíblia ou coisas ensinadas por demônios, se devo cantar a Deus com respeito ou se devo ter um romance com Ele, se devo ir a uma igreja ou a uma comunidade que se reúne numa sala de estar…o que, afinal, é ser cristão?! Cadê a união?! Cadê a unidade?! Cadê “para que sejam um, assim como somos um”? Chega! Cansei! Preciso de um lugar onde eu encontre amor verdadeiro, unidade, paz e esperança! E não estou encontrando isso nessa tal igreja evangélica! Fui!
Aí, convidado por um colega de trabalho, você vai visitar um centro de outra religião. Ali você encontra pessoas mansas e humildes de coração, que falam com carinho e ajudam o próximo. Fala-se ali muito de amor. Faz-se muita caridade. E você descobre que ali é o lugar onde tudo faz sentido. Igreja evangélica? Não, obrigado.
E aqui acaba nosso exercício de imaginação, com a derrota total do cristianismo. Com uma chamada “igreja evangélica” tão falida que mais espanta que atrai. Que não tem apresentado nem representado Jesus de Nazaré. The End.
Mas…
Um segundo só. Por favor, ainda não vá embora.
Pois essa história pode não acabar aqui.
Façamos outro rápido exercício de imaginação. Imagine uma igreja onde o Evangelho é pregado como Jesus ensinou. Sem shows, sem balbúrdia, sem marketing. Sem palcos iluminados, com sistemas de som espetaculares e sem nenhum equipamento de filmagem. Que siga hierarquias e liturgias bíblicas, não opressoras, mas defensoras da ordem e da boa administração e condução do Corpo de Cristo. Que tenha um modelo discipular, voltado a formar não consumidores da fé, mas discípulos do Senhor Jesus. Onde a leitura da Biblia, o jejum, a meditação, a oração e outras disciplinas fundamentais da fé cristã sejam estimuladas. Onde haja poucos membros, mas que esses poucos se conheçam pelo nome, se tolerem, se ajudem, intercedam uns pelos outros. Onde seja pregado o verdadeiro Evangelho, o Evangelho da renúncia, do “tome a sua cruz e siga-me“. Onde a mensagem não seja “o que eu posso ganhar”, mas “o que eu posso dar”. Onde ame-se a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo (pelo menos tente-se fazê-lo). Onde dinheiro não seja causa, mas consequência, e algo que fique lá no fim da fila em termos de importância. Onde os pecadores não sejam apedrejados e expulsos, mas amparados, acolhidos, orientados, discipulados e postos novamente de pé. Onde Cristo seja glorificado na simplicidade. Onde uns lavem os pés dos outros. Onde haja contrição e confissão de pecados. Onde se pregue sobre morte, sofrimento, derrotas e dor – porque sim, isso também faz parte da fé. Essa igreja é possível. Acredite, é possível. Não há uma igreja perfeita. Mas essas igrejas onde busca-se o Evangelho puro e simples, longe dos holofotes e das colunas sociais gospel existem. Geralmente são anônimas, desconhecidas da mídia ou do grande público. Geralmente, seus pastores têm nomes que você nunca ouviu falar. Geralmente é onde se reune aquele remanescente que não dobrou seus joelhos a Baal.
Não desista dessa busca. Ainda há igrejas onde você encontra Jesus de Nazaré. E onde você consegue viver o cristianismo como o cristianismo foi feito para ser. Desligue a TV com seus astros da fé, pare de ouvir grupos e cantores da moda, esqueça os ventos e os modismos, fuja de seminários estranhos, tire o diabo do centro e concentre-se em Deus… e procure essas igrejas. São igrejas anônimas, pequenas e desconhecidas, mas onde Jesus se orgulha de entrar e de dizer: “Aqui sim me sinto em casa”.
Paz a todos vocês que estão em Cristo

por Mauricio Zágari
VIA GRITOS DE ALERTA

MEDITAÇÃO DO DIA

Arriscar-se

É isto que eu quero dizer: “Arrisque-se em sua vida e você conseguirá muito mais do que sonhou.” Lucas 19:26


Risco de verdade tem que deixar você com medo. Um incidente que teve lugar há muitos anos fala da coragem frente ao risco. Um homem, cambaleante e morrendo de sede, estava atravessando o deserto quando viu um poço. Ao se aproximar, encontrou uma pequena lata, e dentro dela um papel com anotações que diziam: “Estimado amigo, há suficiente água neste poço para todos, mas algumas vezes o couro da bomba seca, e você precisa preparar a bomba para poder puxar a água. Se você procurar embaixo da pedra à sua esquerda, encontrará uma garrafa fechada cheia de água. Calma. Por favor, não beba a água. O que você tem que fazer é pegar a garrafa d’água e derramar a primeira metade vagarosamente no poço para umedecer o couro da bomba. Depois disso, derrame o restante vagarosamente e comece a bombear imediatamente. Você obterá água. Este poço nunca secou. Tenha fé. E quando terminar, não se esqueça de encher a garrafa e colocar o papel de volta na latinha, deixando-a no mesmo lugar. Boa sorte e boa viagem. Atenciosamente: seu amigo, Pedro Deserto.”


A garrafa com água é suficiente apenas para matar sua sede, mas não para salvar sua vida. O que você faria? Você se arriscaria?


Como seria diferente a Bíblia se Noé não se arriscasse a construir um barco que nunca tinha visto antes; se Abraão tivesse dito não ao convite de Deus para ir a um lugar que não sabia onde ficava; se Davi decidisse continuar cuidando das ovelhas em vez de lutar contra o gigante; se Maria tivesse dito ao anjo que, como adolescente, não estava interessada em ser mãe. Se Jesus não tivesse Se arriscado a deixar o Céu, não haveria esperança para nós. Acrescente-se ainda uma legião de personagens bíblicos que se tornaram heróis porque se arriscaram.


Em cada dia há um convite para você se arriscar, inovar, crescer, criar, aprender, sair da mesmice, ousar. Quem sabe hoje seja um dia para isso. Arriscar-se a formar uma nova amizade, a dizer “o erro foi meu”, a cumprimentar o vizinho, escrever uma poesia, a começar aquele projeto que há tempo você sonha executar.


Faça como o homem que tinha dez talentos, a quem Jesus sugeriu imitar: “Arrisque-se e você conseguirá muito mais do que sonhou.”

GIDEÕES 2012 - O PODER DE DEUS SENDO DERRAMADO SOBRE AS NAÇÕES.



Os Gideões, que são da ordem Gideões Missionários da Última Hora, são pessoas religiosas unidas em um único propósito: divulgar o evangelho de Cristo no Brasil e no mundo. Para isso contam com a ajuda de contribuintes e voluntários que têm participado intensamente na divulgação da palavra de Deus em todos os lugares por onde passam. São vários missionários que atualmente ajudam cerca 1.227 famílias.
As obras são realizadas com recursos próprios e graças a iniciativa dos voluntários muito já se foi feito pela população de diversos países.
No Brasil, por exemplo, os Gideões atuam na Amazônia com várias embarcações e atendimento odontológico, no Nordeste houve a criação de poços para os moradores de regiões secas e na base, em Santa Cantarina eles contam com atendimento cardiológico, odontológico e clínico.
Todos os anos, na cidade de Camboriú, ocorre o encontro anual dos missionários de todos os lugares do mundo.
O palco fica repleto de irmãos do Brasil e de outros países. Esse evento acontece geralmente no mês de abril e conta com jograis, mensagens de pregadores e apresentações de diversos cantores evangélicos.
Em 2011 esse encontro ocorreu entre os dias 23 de abril a 3 de maio e teve como tema:
“Ei, Gideões, cuidado! Ao tardar do noivo, não durmam, trabalhem, avancem.”

O principal objetivo desses evento é integrar toda a comunidade evangélica e com isso conquistar aqueles que ainda estão perdidos pelo mundo.
Se você se interessou e também gostaria de fazer parte dessa obra de Deus, acesse agora mesmo o site oficial do GMUH e tenha acesso a todas as notícias, novidades, eventos e informativos.
Conheça um pouco mais sobre a história, os missionários e as obras que já foram realizadas, acesse:
http://www.gideoes.com.br

VIA GRITOS DE ALERTA

Cristãos convertidos são atacados e espancados na Índia


Cristãos convertidos são atacados e espancados na Índia
Os jovens se converteram ao cristianismo há cerca de seis meses

Traz uma grande preocupação ver como os cristãos são regularmente atacados na cidade de Karnataka por nacionalistas hindus, enquanto as autoridades “fazem ‘vista grossa’, porque a sua sobrevivência política depende desses grupos”, denuncia Sajan Geroge, presidente do Conselho Global de Cristãos Indianos (GCIC).

Bhasker Naik, 20 anos, e Hemanth Naik, 22, que moram na aldeia de Mank, trabalharam por mais de um ano na cidade de Udupi, empregados de uma empresa privada do país.

Cerca de seis meses atrás, os meninos começaram a seguir os sermões do pastor Sadananda, da Igreja da Comunhão com Cristo, em Hiberettu, e se converteram ao cristianismo. Em 7 de setembro os dois voltaram para sua aldeia, mas alguns ativistas do Bajrang Dal (grupo hindu ultranacionalista) souberam das conversões e começaram a agredi-los, ordenando-lhes que voltassem ao hinduísmo.

Confrontados com a recusa de Bhaskar e Hamenth em negar a Cristo, os ativistas hindus relataram à delegacia de polícia de Honnavar que eles estavam realizando conversões forçadas. O inspetor de polícia conduziu uma investigação e prendeu os dois, que ainda permanecem na prisão.

“Desde maio de 2008, quando o BJP chegou ao poder em Karnataka, a liberdade de culto na região para a comunidade cristã está sob ameaça, mesmo quando se trata de casas particulares”, disse Sajan George.

“Nossos locais de culto estão sob controle constante de forças fundamentalistas, que sistematicamente não deixam os fiéis orarem nem realizarem cultos, agredindo pastores e membros. Enquanto isso, a polícia está cada vez mais disponível para acusar e prender os cristãos.”


Fonte: Portas Abertas
VIA GRITOS DE ALERTA

Deputado Roberto de Lucena condena terrorismo e cobra mais investimento



Em pronunciamento que durou mais de 20 minutos, no Grande Expediente no Plenário da Câmara, em Brasília, o deputado federal Roberto de Lucena (PV-SP) condenou nesta segunda-feira (12) as práticas terroristas que ceifaram a vida de milhares de pessoas nos últimos dez anos, a exemplo do atentado às Torres Gêmeas, em Nova York, os atentados a bomba na sede da AMIA, em Buenos Aires, em 1994, e à Oslo, na Noruega, em julho deste ano.
O pano de fundo dessas ações do mal, segundo o deputado, é a intolerância, a radicalidade e o preconceito. "É a indisposição ao diálogo — a imposição de uma leitura da vida. A isso precisamos combater nessa Casa!" , conclamou.
O deputado disse que é chegada a hora de o Brasil possuir uma legislação específica para o assunto. "Temos um projeto tramitando na casa há mais década. Nela há contribuições valiosíssimas de grandes brasileiros e legisladores do mais alto gabarito. No entanto, essa legislação não avança. Dorme em silêncio sepulcral", criticou Roberto de Lucena, que completou: "O crime de terrorismo sequer é tipificado em nosso Código Penal. O que não podemos mais aceitar!".
Vice-líder do Partido Verde na Câmara, o parlamentar disse ainda que o Brasil necessita investir mais na segurança interna, com a criação da Polícia de Fronteira, reaparelhamento e aumento do efetivo da Polícia Federal, além de maior prestígio orçamentário para as Forças Armadas.
Roberto de Lucena elogiou a iniciativa do Governo Dilma em criar o plano de ação interministerial, denominado Plano Estratégico de Fronteiras, cuja liderança do grupo de trabalho ficou a cargo do vice-presidente da República, Michel Themer.
Mas, para o deputado, aliado a uma estrutura de defesa, devemos trabalhar por um planeta seguro e um mundo de paz. "Esse ideal torna-se inatingível sem que, dentre outros componentes, nos empenhemos na reorganização e fortalecimento da família e no respeito à fé, ainda que sejamos partes de um Estado Laico — e é bom lembrar que o Estado é Laico, mas não é ateu. Esse foi o entendimento dos honoráveis constituintes, quando evocaram a proteção de Deus no preâmbulo da nossa Carta Magna", lembrou.
O deputado Roberto de Lucena encerrou o discurso homenageando as vítimas dos atentados em todo o mundo e se solidarizando com suas famílias.
Veja o discurso completo acessando o link: http://migre.me/5G544.
Foto: Luiz Cruvinel, Serviço Fotográfico (SEFOT-SECOM).

EXIBIR GOSPEL
VIA GRITOS DE ALERTA

Brasil: Impossível não falar de Corrupção

Primeiro, calma, muita calma.
 Não aconteceu nada específico
 ou extraordinário que justificasse
 um título tão dramático como
 o usado neste artigo. Sou assim,
 gosto de chamar a atenção dos
 leitores, especialmente quando
 o assunto é sério. Corrupção é
desses assuntos que me deixam
 bastante irritado. Chateado, até.
 Vejamos qual será sua reação
depois de alguns importantes
 dados divulgados recentemente.
O André, leitor , decidiu nos enviar um resumo de uma recente pesquisa realizada
pelo Vox Populi/UFMG e publicada, com exclusividade pelo jornal Valor Econômico,
 que trata da corrupção desde o ponto de vista dos brasileiros. Ao todo, foram
entrevistados 2421 cidadãos entre os dias 10 e 16 de maio de 2008, em todo o Brasil.
Uma conclusão óbvia, mas ao mesmo tempo chocante, me impressionou:
os brasileiros consideram mais graves os efeitos colaterais e problemas
causados pela corrupção quando esta é originada no governo ou nos empresários
 de nosso país. Por outro lado, quando atitudes cotidianas dos brasileiros são
 cercadas pelos "truques", o brasileiro se sente mais vítima que bandido.
Quadro simplificado da corrupção
A corrupção no Brasil é muito grave: 77% dos entrevistados concordam com
 esta afirmação. Pois sabemos que ela existe, que ela prejudica o país e ainda
assim não tratamos de combatê-la de forma mais entusiasmada? Ai começa
minha indignação. Certo, 73% disseram ter percebido um aumento da corrupção
 nos últimos cinco anos. A indignação aumenta.
No entanto, um número interessante muda um pouco o foco da discussão:
 75% dos participantes dizem que, na verdade, o que aumentou não foi a
 corrupção, mas a apuração de casos em que ela ocorre. A corrupção aumentou,
 mas os casos investigados e que se tornam públicos também. Será que a exposição
 é mesmo mostra de que os casos estão sendo levados mais a sério? A indignação
 dá lugar a uma reflexão.
Fico com a sensação de que este "conforto" é, além de passageiro, ilusório e perigoso.
 E, ufa, não estou sozinho: 82%, um dos maiores percentuais de concordância,
 acreditam que novas leis, com penas maiores e mais duras, devem ser criadas
 e aplicadas nos processos que envolvem a corrupção. Sinais de amadurecimento
 vêm acompanhados de dados intrigantes:
"Quanto mais próximos os atos corruptos estiverem do cidadão, mais inversamente proporcional é a lógica. Daí por que pagar propina para obter uma licença ou invadir uma terra pública são atos mais aceitáveis do que o achaque por parte de um policial ou o abuso do poder econômico de um empresário que financia ilicitamente uma campanha eleitoral." (Maria Cristina Fernandes - Valor Econômico de 01/08/2008)
O que eu acho da corrupção?
Acreditar que atos cotidianos deliberados e associados à corrupção merecem menor
destaque e importância que aqueles perpetrados pelas figuras públicas ou governo é
a prova das distorções sociais, de valores e de educação vivida pela população
 brasileira. Sustento duas razões centrais para a questão da corrupção e seu
quadro crônico no país:
1. O governo ainda faz pouco para fazer chegar ao cidadão a transparência
 necessária em suas decisões. Os inúmeros escândalos protagonizados pelo
 governo, as sabidas falcatruas políticas e a demora em se promover importantes
reformas traduzem uma realidade cruel: a corrupção existe, assusta, mas não
 mobiliza nem o governo, nem a população. Há que se combater a impunidade,
principal motor da corrupção.
2. Poucos brasileiros sabem explicar o que é o poder público, quais são
 suas responsabilidades e em que esferas ele atua. A educação incipiente
contribui para formar superficiais indivíduos, cujos objetivos e interesses
pessoais passam a se basear apenas nos princípios éticos transferidos pela
nação durante sua formação. No país das filas duplas, das invasões de terra,
 do "está tudo certo" e dos assaltos aos cofres públicos, justificar sem ser
punido ainda é mais fácil que trabalhar duro para conquistar algo. Ainda.
Odeio corrupção! A certeza da impunidade move muitas forças ocultas dentro
de cada um de nós. As mesmas forças que, de repente, mostram-se alarmadas
 com informações como as publicadas pela pesquisa citada. Infelizmente, o
 sentimento passa rápido demais. Não deveria, mas passa. !

 



PERIGO - População Devota ao Alcorão Cresce no Brasil

Refletindo um fenômeno que já se verifica na Europa, particularmente na Inglaterra, o número de brasileiros convertidos ao islamismo cresceu 25% na última década.
No Rio de Janeiro, 85% dos frequentadores de mesquitas são convertidos, ou, na preferência dos religiosos, revertidos. Já em Salvador, são 70%. As informações são do site IG.
Tratamento islâmico a mulheres desobedientes
Na visão de Paulo Hilu da Rocha Pinto, autor de Islã – Religião e Civilização - uma abordagem antropológica”, são dois os fatores que influenciaram o crescimento dos adeptos à religião: o ataque às Torres Gêmeas, nos Estados Unidos em 2001 e a novela O Clone, exibida pela Rede Globo entre 2001 e 2002.
“Na novela, o Islã chega com um perfil de pessoas alegres, que gostam de festa, devotadas à família. No caso da repercussão do ataque de 11 de Setembro, na América Latina, onde existe uma marca forte de oposição e denúncia a políticas americanas, teve um efeito forte.” As declarações foram dadas ao IG.
A cabeleireira Pamela Juliana Gomes Pereira, que aderiu ao Islamismo há seis meses quando frequentava uma mesquita na Suíça, já frequentou várias religiões, pois possui em sua família vertentes espíritas, católicas, umbandistas e evangélicas. Pamela afirma que enfrenta preconceitos que ligam o Islã ao machismo. “Eles acham que há submissão aos homens, que vou apanhar do marido”, desabafa.
Para Paulo Hilu da Rocha Pinto, “a imagem de uma religião extremista, sisuda e complicada vem dando lugar a uma mais simpática e atraente à sociedade brasileira”.
A característica de valorização feminina foi o que atraiu a comerciante Alexsandra Alves de Brito. “O que me chamou a atenção foi a valorização da mulher. Na sociedade brasileira, a mulher é muito vulgarizada, tem que atrair os homens. No Islã, a mulher tem que ser recatada, bem educada. Até falar baixo faz parte dos costumes”, diz Alexsandra.
Convertida há 13 anos, casou com um Muçulmano e tem dois filhos, de 13 e 5 anos. “Meus filhos já nasceram Muçulmanos”, conta, Alexsandra, que já frequentou a igreja Assembléia de Deus.

VIA GRITOS DE ALERTA

AOS GAYS COM CARINHO

DEUS NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS , RECEBE TODAS , AMA O PECADOR , MAS ABOMINA O PECADO E TUDO O QUE VAI CONTRA ELE .
HOMOSSEXUALISMO É PECADO CONDENADO POR DEUS .

ENGOLIR SAPO ? E SE FOR GIGANTE IGUAL ESSE ?

 



Um aborígene malaio encontrou um sapo de 20 kg – o que é praticamente o tamanho de uma criança de quatro anos. O batráquio colossal foi encontrado perto de um rio na região montanhosa de Gemencheh, na Malásia. Um turista inglês chegou a ver o bicho e, espantado, perguntou ao malaio se ele estaria disposto a vender. Como o aborígene pediu mais de R$ 500, o turista não topou e pediu para, pelo menos, tirar uma foto do monstrão. Ao voltar para seu hotel, o tal turista ficou remoendo a idéia e achou que, de fato, o sapo valia o que estavam pedindo. No dia seguinte, ele passou num caixa, sacou a grana toda e colou na casa do malaio, perguntando pelo sapão. Para sua surpresa, o inglês descobriu que o malaio tinha fatiado o sapo-monstro e comido no jantar da noite anterior.
Por dois motivos, rangar o bicho não foi boa ideia: o malaio deixou de ganhar quinhentinhos e, ainda por cima, teve um piriri fulminante e ficou de cama por semanas.
 
VIA GRITOS DE ALERTA

Candomblé, umbanda e macumba: Religiões de Satanás

 



O Candomblé, macumba, Umbanda, Quimbanda são práticas espíritas, e como tal condenadas por Deus.

A autoridade suprema no Candomblé - festa religiosa de origem demoníaca africana, dos iorubas, povo africano do sudoeste da Nigéria – é o Babalorixá, pai-de-santo, babá ou babalaô. Ele é o mestre, guia e chefe de um terreiro, encarregado de dirigir o culto aos satânicos Orixás, Mas quem são os malditos Orixás? Que são essas abomináveis entidades a quem os candomblecistas prestam culto e adoram? Vejamos alguns conceitos:

a) "A liturgia do candomblé reverencia a memória dos malignos orixás, praticada por aqueles que se acreditam seus descendentes, como forma de trazer seus espíritos de volta ao convívio dos vivos pela reencarnação durante o culto. O nome orixá se aplica às terríveis divindades trazidas ao Brasil pelos negros escravizados da África ocidental. Entre os escravos, orixá foi traduzido por santo, em analogia com os santos católicos, expediente destinado a proteger o culto contra a intolerância oficial. As cerimônias de invocação aos orixás se realizam nos terreiros".

b) "Cada orixá do diabo é reverenciado com suas cores, insígnias e comidas características, danças e gritos de saudação. Algumas das principais entidades dos cultos afro-brasileiros são: Ogum, irmão Obaluiê e de Oxóssi, é a divindade dos que trabalham ou utilizam o ferro. Manifesta-se como um guerreiro que dança com a espada. Seu dia da semana é terça-feira, e suas contas são azul-escuras. Recebe sacrifícios de bodes e galos e gosta de inhame assado com azeite. É sincretizado com santo Antônio, na Bahia, e com são Jorge, no Rio de Janeiro. Seu grito de saudação é "Ogum iê!".

c) "Oxóssi é o deus dos caçadores, muito popular na Bahia. Recebe sacrifícios de porcos e bodes. Sua comida é axoxô (milho branco cozido com lascas de coco). Corresponde na Bahia a são Jorge e no Rio de Janeiro a são Sebastião. Seu grito de saudação é "Okê arô!"

d) "Omolu, ou Obaluaiê, é a divindade das doenças contagiosas. Recebe sacrifícios de bodes e porcos. Gosta de pipoca e aberém (massa de milho branco assado em folhas de bananeira). Identifica-se com são Lázaro e são Roque. Sua saudação é "Atotô!".

e) "Oxumaré é a cobra e o arco-íris, e simboliza a riqueza e o dinamismo dos movimentos. É sincretizado em são Bartolomeu. Recebe homenagens especiais no dia 24 de agosto, o seu dia. Usa colares de búzios enfiados em forma de escamas de cobra, e come guguru (mistura de feijão fradinho com milho, cebola, azeite e camarão) e caruru sem caroços de quiabo. Recebe sacrifícios de galos. Quando dança, leva na mão uma cobra de ferro. Sua saudação é "Aô boboi!".

f) "Iemanjá é a maldita divindade associada à água salgada no Brasil, mas na África apenas ao rio Ogum (que não tem nenhuma relação com o orixá Ogum). É a mãe dos outros orixás demoníacos. Geralmente é representada sob a forma de sereia: cabeça, tronco e busto femininos e apêndice caudal de peixe. Sincretizada com Nossa Senhora da Conceição, das Candeias, do Carmo ou da Piedade, recebe oferendas rituais levadas ao mar por embarcações. Seus alimentos sagrados são o pombo, a canjica, o galo e o bode castrado, e o seu dia da semana é sábado. Dança vestida de azul, imitando o movimento das ondas do mar. Festejada na Bahia em 2 de fevereiro, e em 31 de dezembro, no Rio de Janeiro. Sua saudação é "Odô-iá!".

g) "Xangô é a divindade diabólica que domina trovões, raios e tempestades, simbolizada por machados de pedra num alguidar de madeira. É sincretizado em são Jerônimo. Recebe sacrifícios de carneiros, galos e cágados. Come amalá (quiabo com camarão ou carne) e begiri (quiabo com azeite, camarão, inhame, sal e cebola). A saudação que se dirige a ele é "Kawô kabiecilê!".

h) "Iansã, uma das esposas de Xangô, é o orixá dos ventos e das tempestades. É sincretizada com santa Bárbara. Recebe sacrifícios de cabras, dança com mímica guerreira, e come acarajé. Sua saudação é "Epa hei!".

i) "Oxum, também mulher de xangô, representa na Bahia a água doce. É sincretizada com Nossa Senhora das Candeias. Come mulucu (feijão fradinho com cebola, sal e camarão) e adum (fubá de milho com mel e aceite). Sua dança é faceira, mas ocasionalmente também belicosa É saudada com o grito "Ora Iêiê ô!".

j) "Obá, a mais velha das três mulheres de Xangô, é a divindade de Satanás ligada ao rio Obá, na Nigéria. Raramente aparece no candomblé, mas quando o faz quase sempre briga com sua rival Oxum. Come cabra e galinha d'angola".

k) "Oxalá, ou Obatalá, é a divindade que preside a procriação. Aceita sacrifícios de pombas, cabras e galinhas. É saudada com o grito "Êpa-babá" e sincretizado na Bahia, com o Senhor do Bonfim".

l) "Erê é um orixá filho de Xangô. Manifesta-se por meio de linguagem infantil e se comporta como criança".


Como se vê, Candomblé nada tem a ver com Cristianismo. O deus-orixá, de múltiplas faces e nomes, não é o nosso Deus, é o Satanás. A alegação de que Deus está em toda parte, todos são filhos de Deus, que Deus ama a todos, e por isso devemos nos aproximar dos cultos afro-brasileiros, é, no mínimo, ingênua.

O Candomblé lida com demônios; a finalidade de seus rituais é agradar aos orixás com oferendas e sacrifícios; as saudações são dirigidas aos demônios; os cânticos expressam homenagens aos demônios; nos rituais de iniciação as filhas-de-santo são obrigadas a beber sangue podre; a entregar seus corpos para serem possuídos pelos demônios; a obedecer cegamente ao pai-de-santo, etc. E mais: nas festas do Candomblé todas as filhas-de-santo recebem (incorporam, ficam possuídas) seus respectivos espíritos-guias. Este não é o lugar apropriado para um filho de Deus, um crente em Jesus, um cristão verdadeiro. Candomblé e Cristianismo são irreconciliáveis.

Os espíritas devem ser amados e evangelizados. Mas para isso não precisamos tocar seus atabaques, comer suas iguarias contaminadas e cantar seus hinos satânicos. Não precisamos ir aos quintos dos infernos para evangelizar a satanás. Não existe e nunca existirá conciliação entre as trevas e a luz: "Que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Pelo que saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; e eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-poderoso" (2 Coríntios 6.14-18).

Uma coisa é certa: a Igreja do Senhor Jesus, assim entendido o Corpo de Cristo, não come, nunca comeu e jamais comerá das mãos dos Orixás, do Exu, do Pomba-gira, do Preto-Velho, de Iemanjá ou de qualquer demônio. Jamais nos alegraremos com os cânticos de louvor a satanás; nossos templos estarão sempre fechados a qualquer prática espírita, seja do Candomblé, da Umbanda ou Quimbanda. Mas estaremos sempre de braços abertos para receber homens e mulheres oriundos de qualquer seita, para lhes dizer que só em Jesus Cristo há salvação, "porque em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos" (Atos 4.12).

A Igreja se manterá distante dessas práticas satânicas. Não só distante mas sempre pronta para combatê-las com a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus.

Nota: Graças a Deus, essas religiões afros estão em decadência no Brasil e no mundo. O evangelho está suprimindo todas elas. Elas vão desaparecer por completo desse país.
 
VIA GRITOS DE ALERTA

 

Bispa Fernanda ministrará nesta sexta ( 16/09/2011 ) em Sorocaba

Nesta sexta-feira (16), a partir das 19h30, acontece a Noite de Poder com a Bispa Fernanda na Igreja Renascer em Cristo Sorocaba. A Palavras ministrada no culto tem o objetivo de abençoar todas as áreas da vida das pessoas, como financeira, profissional, familiar, sentimental e ministerial. O evento contará também com a presença do Renascer Praise.

Curas de enfermidades, libertação de maldições, feitiçarias, curas emocionais. A Noite de Poder é marcada por uma Palavra poderosa e por vários milagres. Pessoas afastadas voltam para os caminhos do Senhor, testemunhos de conquistas e vitórias são compartilhados com todos; e enfermos vão à frente para receber oração.

Mais informações podem ser conseguidas pelo telefone 0300 210- 1212, válido para todo o Brasil.

Bispa Fernanda
Filha do Apóstolo Estevam e Bispa Sonia, desde criança, ela tem dedicado sua vida ao evangelho de Jesus Cristo. É uma das principais mulheres que pregam a Palavra de Deus atualmente. E mais: é uma das mulheres que ministraram em programas de TV e rádio no País.


Serviço
Noite de Poder com a Bispa Fernanda na Renascer Sorocaba
Data: 16 de setembro
Horário: 19h30
Endereço: Rua Quinze de Novembro, 464 - Centro

Tiago Simas - Redação iGospel
Fonte: Igospel
 
VIA GRITOS DE ALERTA

A MARCA DA BESTA -

Dentre todos os tópicos da Bíblia, talvez a marca da besta seja o que mais tem suscitado especulações e argumentações ridículas e bombásticas. Cristãos e não-cristãos debatem o significado de seu valor numérico. Mas o que diz, realmente, o texto bíblico?
O Número 666: Marca Registrada da Tribulação?
A questão central da Tribulação é: Quem tem o direito de governar, Deus ou Satanás? Deus vai provar que é Ele quem tem esse direito. Pela primeira e única vez na história, as pessoas terão uma data limite para aceitarem o Evangelho. Por enquanto, todos podem aceitar ou rejeitar essa mensagem em diferentes momentos da vida; alguns o fazem na infância, outros no início da fase adulta, outros na meia-idade, e alguns até na velhice. Mas, quando vier a Tribulação, as pessoas terão que tomar essa decisão de forma imediata ou compulsória por causa da marca da besta, de modo que toda a humanidade será deliberadamente dividida em dois segmentos. O elemento polarizador será precisamente a marca da besta.
A Bíblia ensina que o líder da campanha em defesa da marca da besta será o falso profeta, que está ligado à falsa religião (Ap 13.11-18). Apocalipse 13.15 deixa claro que o ponto-chave em tudo isso é adorar "a imagem da besta". A marca da besta é simplesmente um meio de forçar as pessoas a declararem do lado de quem estão: do Anticristo ou de Jesus Cristo. Todos terão que escolher um dos lados. Será impossível manter uma posição neutra ou ficar indeciso com relação a esse assunto. A Escritura é muito clara ao afirmar que os que não aceitarem a marca serão mortos.
O falso profeta vai exigir uma "marca" em sinal de lealdade e devoção à besta, e essa marca será "sobre a mão direita" – não a esquerda – "ou sobre a fronte" (Ap 13.16).
Toda a humanidade será forçada a escolher um dos lados: "...todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos" (Ap 13.16). O Dr. Robert Thomas comenta que essa construção retórica "abrange todas as pessoas, de todas as classes sociais, [...] ordenadas segundo sua condição financeira, [...] abrangendo todas as categorias culturais [...]. As três expressões são um recurso estilístico que traduz universalidade".[1] A Escritura é muito específica. O falso profeta vai exigir uma "marca" em sinal de lealdade e devoção à besta, e essa marca será "sobre a mão direita"– não a esquerda – "ou sobre a fronte" (Ap 13.16).
A palavra "marca" aparece em muitas passagens da Bíblia. Por exemplo, ela é usada várias vezes em Levítico, referindo-se a um sinal que torna o indivíduo cerimonialmente impuro, e está geralmente relacionada à lepra. É interessante notar que o modo como Ezequiel 9.4 usa a idéia de "marca" é semelhante ao de Apocalipse: "E lhe disse: Passa pelo meio da cidade, pelo meio de Jerusalém, e marca com um sinal a testa dos homens que suspiram e gemem por causa de todas as abominações que se cometem no meio dela". Nessa passagem, o sinal serve para preservação, assim como o sangue espalhado nas ombreiras das portas livrou os hebreus durante a passagem do anjo da morte, como relata o Livro do Êxodo. Em Ezequiel, a marca é colocada na fronte, semelhantemente à do Apocalipse. Todas as sete ocorrências da palavra "marca" ou "sinal" (gr. charagma) no Novo Testamento em grego, encontram-se no Livro do Apocalipse, e todas se referem à "marca da besta" (Ap 13.16,17; 14.9,11; 16.2; 19.20; 20.4). O Dr. Thomas explica o significado desse termo na Antigüidade:
A marca deve ser algum tipo de tatuagem ou estigma, semelhante às que recebiam os soldados, escravos e devotos dos templos na época de João. Na Ásia Menor, os seguidores das religiões pagãs tinham prazer em exibir essas tatuagens para mostrar que serviam a um determinado deus. No Egito, Ptolomeu IV Filopátor (221-203 a.C.) marcava com o desenho de uma folha de trevo os judeus que se submetiam ao cadastramento, simbolizando a servidão ao deus Dionísio (cf. 3 Macabeus 2.29). Esse significado lembra a antiga prática de usar marcas para tornar pública a fé religiosa do seu portador (cf. Isaías 44.5), e também a prática de marcar os escravos a fogo com o nome ou símbolo de seu proprietário (cf. Gl 6.17). O termo charagma ("marca") também era usado para designar as imagens ou nomes dos imperadores, cunhadas nas moedas romanas e, portanto, poderia muito bem aplicar-se ao emblema da besta colocado sobre as pessoas.[2]
Alguns se perguntam por que foi usado um termo tão específico para designar a marca do Anticristo. Essa marca parece ser uma paródia do plano de Deus, principalmente no que se refere aos 144.000 "selados" de Apocalipse 7. O selo de Deus sobre Suas testemunhas muito provavelmente é invisível e tem o propósito de protegê-las do Anticristo. Por outro lado, o Anticristo oferece proteção contra a ira de Deus – uma promessa que ele não tem condições de cumprir – e sua marca é visível e externa. Como os que receberem a marca da besta o farão voluntariamente, é de supor que as pessoas sentirão um certo orgulho de terem, em essência, a Satanás como seu dono. O Dr. Thomas afirma: "A marca será visível e identificará todos os que se sujeitarem à besta".[3]
Uma Identificação Traiçoeira
Verificação da identidade pela leitura da íris. O Anticristo fará uso da moderna tecnologia.
Além de servir como indicador visível da devoção ao Anticristo, a marca será a identificação obrigatória em qualquer transação comercial na última metade da Tribulação (Ap 13.17). Este sempre foi o sonho de todos os tiranos da história – exercer um controle tão absoluto sobre seus vassalos a ponto de decidir quem pode comprar e quem pode vender. O historiador Sir William Ramsay comenta que Domiciano, imperador romano no primeiro século, "levou a teoria da divindade Imperial ao extremo e encorajou ao máximo a ‘delação’; [...] de modo que, de uma forma ou de outra, cada habitante das províncias da Ásia precisava demonstrar sua lealdade de modo claro e visível, ou então era imediatamente denunciado e ficava impossibilitado de participar da vida social e de exercer seu ofício".[4] No futuro, o Anticristo aperfeiçoará esse sistema com o auxílio da moderna tecnologia.
Ao longo da história, muitos têm tentado marcar certos grupos de pessoas para o extermínio, mas sempre houve alguns que conseguiram achar um meio de escapar. Porém, à medida que a tecnologia avança, parece haver uma possibilidade cada vez maior de bloquear praticamente todas as saídas. Essa hipótese é reforçada pelo emprego da palavra grega dunétai– "possa" (Ap 13.17), que é usada para transmitir a idéia do que "pode" ou "não pode" ser feito. O Anticristo não permitirá que alguém compre ou venda se não tiver a marca, e o que possibilitará a implantação desta política será o fato da sociedade do futuro não usar mais o dinheiro vivo como meio de troca. O controle da economia, ao nível individual, através da marca, encaixa-se perfeitamente no que a Bíblia diz a respeito do controle do comércio global pelo Anticristo, delineado em Apocalipse 17 e 18.
A segunda metade de Apocalipse 13.17 descreve a marca como "o nome da besta ou o número do seu nome". Isso significa que "o número do nome da besta é absolutamente equivalente ao nome, [...]. Essa equivalência indica que, como nome, ele é escrito com letras; mas, como número, é o análogo do nome escrito com algarismos".[5] O nome do Anticristo será expresso numericamente como "666".
Calculando o Número
O Anticristo não permitirá que alguém compre ou venda se não tiver a marca, e o que possibilitará a implantação desta política será o fato da sociedade do futuro não usar mais o dinheiro vivo como meio de troca.
Nesse ponto da profecia (Ap 13.18), o apóstolo João interrompe momentaneamente a narrativa da visão profética e passa a ensinar a seus leitores a maneira correta de interpretar o que havia dito. Uma leitura do Apocalipse demonstra claramente que os maus não entenderão o significado, porque rejeitaram a Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Por outro lado, os demais que estiverem atravessando a Tribulação receberão sabedoria e entendimento para que possam discernir quem é o Anticristo e recusar a sua marca. A Bíblia deixa claro que aqueles que receberem a marca da besta não poderão ser salvos (Ap 14.9-11; 16.2; 19.20; 20.4) e passarão a eternidade no lago de fogo. O fato de João usar essa passagem crucial para transmitir sabedoria e entendimento aos crentes, com relação a um assunto de conseqüências eternas, mostra que Deus proverá o conhecimento necessário para que o Seu povo possa segui-lO fielmente.
Mas o que essa sabedoria e esse conhecimento permitem que os crentes façam? A passagem diz que podemos "calcular". Calcular o quê? Podemos calcular o número da besta.
O principal propósito de alertar os crentes sobre a marca é permitir que eles saibam que, quando em forma de número, o "nome" da besta será 666. Assim, os crentes que estiverem passando pela Tribulação, quando lhes for sugerido que recebam o número 666 na fronte ou na mão direita, deverão rejeitá-lo, mesmo que isso signifique a morte. Outra conclusão que podemos tirar é que qualquer marca ou dispositivo oferecido antes dessa época não é a marca da besta que deve ser evitada.
Portanto, não há motivo para os cristãos de hoje encararem o número 666 de forma supersticiosa. Se o nosso endereço, número de telefone ou código postal incluem esse número, não precisamos ter medo de que algum poder satânico ou místico nos atingirá. Por outro lado, temos que reconhecer que muitos ocultistas e satanistas são atraídos por esse número por sua conexão com a futura manifestação do mal. Porém, o número em si não tem poderes sobrenaturais. Quando um crente acredita nisso, já caiu na armadilha da superstição. A Bíblia ensina que não há nenhum motivo para atribuir poderes místicos ao número 666.
A Carroça na Frente dos Bois
Muitos têm tentado descobrir a identidade do Anticristo através de cálculos numéricos. Isso é pura perda de tempo. A lista telefônica está cheia de nomes que poderiam ser a solução do enigma, mas a sabedoria para "calcular" o nome não é para ser aplicada agora, pois isso seria colocar a carroça adiante dos bois. Esse conhecimento é para ser usado pelos crentes durante a Tribulação.
Em 2 Tessalonicenses 2, Paulo ensina que, durante a presente era da Igreja, o Anticristo está sendo detido. Ele será "revelado somente em ocasião própria" (v.6). Ao escolher a palavra "revelado", o Espírito Santo quis indicar que a identidade do Anticristo estará oculta até a hora de sua revelação, que ocorrerá em algum momento após o Arrebatamento da Igreja. Portanto, não é possível saber quem é o Anticristo antes da "ocasião própria". O Apocalipse deixa bem claro que os crentes saberão na hora certa quem é o Anticristo.
Como apontamos acima, o Apocalipse não deixa dúvida de que durante a Tribulação todos os crentes saberão que receber a marca da besta será o mesmo que rejeitar a Cristo. Durante a Tribulação, todos os cristãos terão plena consciência disso onde quer que estejam. Nenhuma das hipóteses levantadas no passado, ou que venham a ser propostas antes da Tribulação, merece crédito.
Apocalipse 13.17-18 diz claramente que o número 666 será a marca que as pessoas terão que usar na fronte ou na mão direita. Em toda a história, ninguém jamais propôs a utilização desse número em condições semelhantes às da Tribulação, de modo que todas as hipóteses já levantadas a respeito da identidade do Anticristo podem ser descartadas.
O mais importante nessa passagem é que podemos nos alegrar em saber que a identificação do futuro falso Cristo ainda não é possível, mas o será quando ele ascender ao trono. Com certeza, aquele a quem o número 666 se aplica é alguém que pertence a uma época posterior ao período em que João viveu, pois ele deixa claro que alguém iria reconhecer esse número. Se nem a geração de João nem a seguinte foi capaz de discerni-lo, isso significa que a geração que poderá identificar o Anticristo forçosamente estava (e ainda está) no futuro. No passado, houve várias figuras políticas que tipificaram características e ações desse futuro personagem, mas nenhum dos anticristos anteriores se encaixa perfeitamente no retrato e no contexto do Anticristo do final dos tempos.[6]
A Relação entre Tecnologia e a Marca da Besta
Muitos têm feito as mais variadas hipóteses sobre a marca da besta. Alguns dizem que ela será como o código de barras utilizado para identificação universal de produtos. Outros imaginam que seja um chip implantado sob a pele, ou uma marca invisível que possa ser lida por um scanner. Contudo, essas conjeturas não estão de acordo com o que a Bíblia diz.
A marca da besta – 666 – não é a tecnologia do dinheiro virtual nem um dispositivo de biometria. A Bíblia afirma de forma precisa que ela será:
  • a marca do Anticristo, identificada com sua pessoa
  • o número 666, não uma representação
  • uma marca, como uma tatuagem
  • visível a olho nu
  • sobre a pele, e não dentro da pele
  • facilmente reconhecível, e não duvidosa
  • recebida de forma voluntária; portanto, as pessoas não serão ludibriadas para recebê-la involuntariamente
  • usada após o Arrebatamento, e não antes
  • usada na segunda metade da Tribulação
  • necessária para comprar e vender
  • recebida universalmente por todos os não-cristãos, mas rejeitada pelos cristãos
  • uma demonstração de adoração e lealdade ao Anticristo
  • promovida pelo falso profeta
  • uma opção que selará o destino de todos os que a receberem, levando-os ao castigo eterno no lago de fogo.
A marca da besta é uma opção que selará o destino de todos os que a receberem, levando-os ao castigo eterno no lago de fogo.
Talvez na história ou na Bíblia nenhum outro número tenha atraído tanto a atenção de cristãos e não-cristãos quanto o "666". Até mesmo os que ignoram totalmente os planos de Deus para o futuro, conforme a revelação bíblica, sabem que esse número tem um significado importante. Escritores religiosos ou seculares, cineastas, artistas e críticos de arte fazem menção, exibem ou discorrem a respeito dele. Ele tem sido usado e abusado por evangélicos e por membros de todos os credos, tendo sido objeto de muita especulação inútil. Freqüentemente, pessoas que se dedicam com sinceridade ao estudo da profecia bíblica associam esse número à tecnologia disponível em sua época, com o intuito de demonstrar a relevância de sua interpretação. Mas, fazer isso é colocar "a carroça na frente dos bois", pois a profecia e a Bíblia não ganham credibilidade ou legitimidade em função da cultura ou da tecnologia.
Conclusão
O fato da sociedade do futuro não utilizar mais o dinheiro vivo será usado pelo Anticristo. Entretanto, seja qual for o meio de troca substituto, ele não será a marca do 666. A tecnologia disponível na época da ascensão do Anticristo será aplicada com propósitos malignos. Ela será empregada, juntamente com a marca, para controlar o comércio (como afirma Apocalipse 13.17). Sendo assim, é possível que se usem implantes de chips, tecnologias de escaneamento de imagens e biometria para implementar a sociedade amonetária do Anticristo, como um meio de implantar a política que impedirá qualquer pessoa de comprar ou vender se não tiver a marca da besta. O avanço da tecnologia é mais um dos aspectos que mostram que o cenário para a ascensão do Anticristo está sendo preparado. Maranata! (Thomas Ice - Pre-Trib Perspectives - http://www.chamada.com.br)

a: evangélicos trancam-se em igreja, por "vontade de Deus"

Em torno de 60 evangélicos estão trancados há três semanas numa igreja pentecostal no centro de Havana e só vão sair "pela vontade de Deus".

Cerca de 60 evangélicos estão encerrados há três semanas numa igreja pentecostal no centro de Havana e só vão sair de lá "pela vontade de Deus", disse à AFP seu porta-voz, em resposta à comoção despertada no bairro, o que acarretou a mobilização de vários policiais.

"Estamos realizando, apenas um retiro espiritual, por ordem de Deus, e será assim, segundo a Sua vontade, não cabe a nós decidir", disse por telefone William Herrera, filho do pastor Braulio Herrera, trancado na igreja da Assembléia de Deus.

Desde sexta-feira, o templo foi isolado por policiais que tentam afastar os curiosos, cujo número aumenta mais e mais, constatou a AFP.

Os vizinhos, pouco habituados a este tipo de prática religiosa, dizem que foi o modo escolhido pelos evangélicos para se preparar para o "dia do julgamento final" e o "fim do mundo" que preveem para meados de outubro.

O porta-voz descartou essa possibilidade a afirmou à AFP que "o único motivo é trabalhar pela perfeição cristã e a santificação".

Em comunicado oficial, as autoridades cubanas disseram que vão intervir para tentar chegar a uma "solução favorável". Há preocupação com a presença de crianças que não estão frequentando a escola e de mulheres grávidas, que precisam fazer exames médicos.

Fonte: AFP

Pastor da diretoria da CGADB é condenado a dois anos de prisão acusado de usar dinheiro da igreja para reformar própriedades próprias

Pastor da diretoria da CGADB é condenado a dois anos de prisão acusado de usar dinheiro da igreja para reformar própriedades própriasO pastor Isamar Pessoa Ramalho, presidente da Assembleia de Deus em Roraima, foi condenado pela Justiça pelo crime de apropriação indébita, previsto no artigo 168, do Código Penal. O processo foi julgado, no último dia 30, pelo juiz Renato Albuquerque, mas a decisão só se tornou pública na terça-feira, 6, com a publicação no Diário do Poder Judiciário (DPJ). Na mesma decisão o juiz absolveu o pastor de outro crime, falsificação de documento particular, previsto no artigo 298, também do Código Penal.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Conforme o site do Tribunal de Justiça de Roraima (TJR), o processo contra Isamar Ramalho foi distribuído na 4ª Vara Criminal em junho de 2009. O pastor foi defendido por pelo menos cinco advogados, conforme consta na publicação de sentença do réu. A reportagem conseguiu contato com a assessoria jurídica do pastor, e de acordo com a advogada Manuela Dominguez, a defesa dele irá recorrer a instâncias superiores, pedindo a absolvição do cliente.
Explicou que esse mesmo crime pelo qual Isamar Ramalho foi condenado foi recusado por outro juiz, Jesus Rodrigues do Nascimento, em uma primeira decisão anos atrás. O magistrado naquela ocasião entendeu que não havia crime e não aceitou a denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual (MPE), que não se deu por satisfeito e recorreu ao Tribunal de Justiça de Roraima (TJR).
O TJR, por sua vez, acatou o recurso oferecido pelo MPE e determinou que a denúncia fosse recebida pelo juiz, pois entendeu que a mesma preencheu todos os requisitos legais para que o processo contra o pastor prosseguisse. A decisão foi encaminhada para o juiz titular da 4ª Criminal, mas ele se deu por suspeito e encaminhou os autos para o seu substituto legal. Agora, cerca de dois anos depois da formalização da denúncia, veio o veredicto do juiz. Isamar Ramalho foi condenado à pena dois anos de reclusão, porém o magistrado que julgou o processo substituiu a pena restritiva de liberdade por duas restritivas de direito, podendo ser de prestação de serviço à comunidade ou de pagamento de cestas básicas.
CASO – De acordo com matéria publicada na Folha em setembro de 2007, o Ministério Público Estadual (MPE) apresentou denúncia no Poder Judiciário contra o pastor, com base em um inquérito policial que apurou a conduta de Isamar Ramalho nos anos de 2000 e 2002, à frente daquela igreja evangélica, quando foi acusado por um grupo de membros da igreja de se apropriar indevidamente de dinheiro pertencente à Assembleia de Deus. A investigação chegou a um montante de R$ 430 mil, razão pela qual a promotoria do MPE formalizou a denúncia por crime de apropriação indébita. O MPE entendeu que ele fez o uso indevido do recurso em razão da sua condição de presidente daquela congregação evangélica.
Ainda de acordo com o que foi apurado no inquérito, o denunciado teria utilizado o dinheiro para a reforma de sua residência, da casa de sua sogra, bem como para realizar obras em seu sítio localizado às margens da BR-174, inclusive na construção de uma ilha artificial, além de outros gastos. O pastor efetuava compras em nome da igreja, porém todas as mercadorias compradas eram revertidas em seu proveito.
Também conforme a denúncia, além de se apropriar indevidamente do dinheiro pertencente à igreja, o pastor, após ter conhecimento de que estava sendo investigado, providenciou, com data retroativa, Ata do Conselho de Administração e Finanças, autorizando a Tesouraria Geral da igreja efetuar os pagamentos das notas fiscais e recibos em nome da igreja, destinados a obras na casa do mesmo, o que é vetado pelo Estatuto da Igreja Assembleia de Deus. Por essa razão o MPE também apresentou denúncia por crime de falsificação de documento particular, mas que não foi corroborado pelo juiz Renato Albuquerque.
Por outro lado a defesa do pastor explica que o dinheiro de fato foi usado para reforma da casa pastoral e que posteriormente os membros da Assembleia de Deus fizeram uma assembleia geral e aprovaram (avalizaram) o uso do dinheiro na reforma, fato pelo qual a defesa entende que não houve crime. “Dessa mesma forma foi entendido pelo primeiro juiz, Jésus do Nascimento, que naquela ocasião não recebeu a denúncia do PME”, disse a advogada.


Fonte: Folha de Boa Vista
VIA GRITOS DE ALERTA

Procurado, falso padre já se passou por delegado e advogado

O homem que foi preso após fingir ser um padre e celebrar uma missa, em Araraquara, também é acusado de se passar por um delegado e um advogado.

Ele foi preso na sexta-feira (9), pois era procurado pela Justiça por furto.

A missa foi realizada em uma capela, no bairro Quitandinha. Durante a cerimônia, o ministro da eucaristia César Mateus Gileno percebeu que havia algo errado com o padre e resolveu fazer um teste. “Eu induzi ele ao erro, porque eu estava desconfiado. Eu fazia parte da oração eucarística, fazia ele ler parte da oração eucarística cinco, fazia ele ler parte de outra coisa e ele ia abraçando”, disse.

Os fiéis afirmaram que Fabrício Gomes Moraes era bom de conversa e ganhou confiança porque conhecia a coordenadora da capela, Magda Gomes Leite. “Eu conheci ele de criança, eu trabalhei no INSS e ele foi guarda mirim lá. Ele tinha um carisma muito grande, toda a postura de sacerdote, as vestes”, disse.

Magda só suspeitou durante a missa. Ela resolveu fazer uma pesquisa na internet e descobriu dois perfis do falso religioso na rede social facebook. “Ele como um homem normal, procurando até mulheres. Dizendo que é dono de uma agência de publicidade, que ele é formado em turismo e eu acho que é mentira”, explicou.

Golpe

Durante uma semana, ele também frequentou uma livraria católica, onde tentou aplicar um golpe de R$ 30 mil comprando roupas e acessórios usados por padres.

A mercadoria foi recuperada. A comerciante Sheila Silva chegou a dar carona para Moraes. “Quando eu lembro dessa cena me dá arrepio. De ter colocado o bandido no meu carro e ter ido até a casa dele”, explicou.

Moraes também foi a uma outra igreja, mas o padre Marcelo Aparecido de Souza logo percebeu a farsa e chamou a polícia. “Ele dizia ter 35 anos e 19 anos de padre. É impossível aos 16 anos ser padre”.

Ao perceber que estava sendo perseguido pela PM, ele entrou em uma delegacia, que fica perto da igreja, para fazer uma reclamação à corregedoria.

Foi quando a polícia descobriu que o falso padre era procurado. Ele já havia se passado por delegado da Receita Federal e advogado. “Já respondeu cerca de oito inquéritos policiais que viraram processos criminais. Está procurado pela Justiça em um mandado de prisão expedido na capital paulista e agora ele está falando um pouquinho sobre Deus na cadeia”, disse o delegado Vinicius Ferraz Moreira.

Como ninguém de Araraquara denunciou o falso padre, ele está preso em Jaboticabal porque é condenado por um furto cometido na capital.

Fonte: EPTV

Ex-noiva volta a denúnciar impunidade de pastor golpista

Segundo a vítima, o falso pastor teria deixado uma dívida de R$ 14 mil em compras e empréstimos na cidade de Capela (AL).

Desde que conheceu seu ex-noivo, uma moradora da cidade de Capela, que preferiu não ter sua identidade revelada, vive com a constante sensação de injustiça. O jornal Primeira Edição foi procurado pela mulher neste domingo (11), que contou como foi enganada e teve que pagar várias dívidas, somando cerca de R$ 14 mil, por ter se envolvido com Dorvalino João Ferrari, conhecido na cidade como pastor Ferrari, que fugiu depois de aplicar vários golpes.

A estória da ex-noiva chegou a ser contada na época por alguns veículos de comunicação de Alagoas, mas até hoje nada foi feito contra o falso pastor que, segundo a vítima de Capela, já teria aplicado golpes em outras mulheres nos estados do Paraná, Rio Grande do Norte, Mato Grosso e, atualmente estaria vivendo em Sergipe, no povoado Saúde, localizado na cidade de Santana.

“Ele veio morar em Capela e abriu sua igreja, Assembleia Tenda dos Milagres. Nos envolvemos e ficamos noivos. Nesse meio tempo ele contraiu dívidas na cidade em meu nome e pediu um cheque de cinco mil reais para a minha mãe. Depois de um tempo descobri que ele usava o dinheiro dos fiéis da igreja para levar mulheres promíscuas para motéis”, afirmou a ex-noiva do pastor.

Ferrari teria fugido de Capela depois de engravidar uma adolescente de 16 anos. “Ele fugiu com essa menina, que era uma ‘perdida’. Agora ele mora em Santana [Sergipe] e abriu outra igreja lá. Com certeza ele vai aplicar outros golpes. Ele vive disso. Tem casa, carro, tudo por conta das mulheres que ele engana”.

Segundo a mulher, o que mais a deixou indignada foi o fato do pastor voltar à cidade e mesmo com queixa na polícia, as autoridades da cidade do interior de Alagoas não fizeram nada. “Eu dei queixa na polícia pelo crime de estelionato que ele cometeu, fui no fórum, fiz de tudo para ver se as autoridades faziam alguma coisa. O delegado da época chegou a dizer na minha cara que não iria dar em nada o caso. Espero que o novo titular da delegacia faça alguma coisa, entre em contato com a justiça de Sergipe. Eu não me conformo de ver aquele homem impune, enquanto eu até hoje pago pelas dívidas que ele deixou na cidade, até um imóvel eu já tive que vender”, desabafou.

A mulher afirma que o pastor Ferrari chegou a receber três intimações, mas não compareceu à delegacia.

Segundo informações de uma estagiária do Fórum de Capela, existem cerca de 5 mil processos para serem julgados e, dentre esses, pode estar o caso do pastor Ferrari.

A denúncia contra a impunidade foi novamente divulgada pela imprensa. Resta às autoridades capelenses cumprirem com seu papel, de julgar o acusado e fazer com que a sociedade tenha a sensação de que a Justiça foi feita. Fato que não tem acontecido muito na cidade, se levar em consideração o andamento de outros casos onde as vítimas se sentem injustiçadas com a impunidade recorrente.

Fonte: Primeira Edição

Apostolo Estevam Hernandes responde as acusações da Revista IstoÉ

O líder da Igreja Renascer, apóstolo Estevam Hernandes, usou púlpito do Renascer Hall neste domingo, para comentar as acusações publicadas pela Revista IstoÉ.

A edição desta semana da revista IstoÉ fala sobre o declínio da denominação e ainda trás uma entrevista com sua esposa, a bispa Sônia Hernandes.

A matéria diz que o livro lançado por Sônia (Vivendo de Bem com a Vida – Editora Thomas Nelson) seria vendido pelos bispos a R$300,00. ” ‘Quero cinco pagando R$ 300 por cada um destes livros até o final do culto’, anunciarão os bispos, como já fazem com os CDs, DVDs e livros nos templos da instituição”, escreveram os jornalistas da revista Isto É que se basearam em depoimentos de pastores dissidentes. “A sede deles por dinheiro é absolutamente insaciável e está destruindo a igreja”, afirma o ex-bispo.

No culto de domingo Estevam Hernandes tentou desmentir que isso acontece nas igrejas Renascer. “Vocês alguma vez viram eu vender um livro por R$300? Nunca queridos. Um jornalista que não respeita a dor de uma mãe, escreve absurdos em uma revista de maneira criminosa com intuito de desestabilizar o corpo de Cristo. Eu não precisaria ser pastor para sobreviver, sou porque amo a Deus, porque amo as vidas” concluiu.

devotos oferecem sexo em troca de cura

Vinte "curadores neotântricos", pertencentes a um grupo chamado "Templo da Deusa" foram presos nos EUA.

Vinte "curadores neotântricos", pertencentes a um grupo chamado "Templo da Deusa", foram detidos no oeste dos Estados Unidos por oferecer serviços sexuais sob o pretexto de praticar curas religiosas "new age".

A polícia ainda procura outros 17 suspeitos e se espera que se anunciem mais prisões em breve, informou o sargento Steve Martos, da polícia de Phoenix, Arizona (sudoeste dos Estados Unidos).

O inquérito sobre o Templo da Deusa em Phoenix durou seus meses, segundo o escritório da promotoria do condado, e derivou, em 7 de setembro, em batidas em Phoenix e na cidade de Sedona, ao norte do estado e refúgio de turistas.

Segundo o promotor de Maricopa, Bill Montgomery, há evidências suficientes para mostrar que "curadores" homens e mulheres praticavam atos sexuais em troca de "doações" em dinheiro ocultas, sob o pretexto de oferecer serviços religiosos.

Sexo como prática espiritual
O Templo da Deusa - que abriu sua sede em Phoenix em 2005 e a sucursal em Sedona em 2008 - supostamente oferece terapias "neotântricas", uma versão moderna e ocidentalizada do "tantra" indiano, que tem no sexo uma de suas principais práticas espirituais.

O templo se define como uma organização "de trabalhadores corporais, assessores sexuais, terapeutas táteis, substitutos sexuais, curadores intiuitivos, terapeutas tântricos certificados, educadores sexuais e curadores que praticam ioga e outros sistemas de cura e doação de poderes".

Segundo informe da ABC News, o templo oferecia sessões de educação sexual e aulas com brinquedos sexuais, e promovia uma sessão de "cura do bloqueio sexual" por 650 dólares.
É "desanimador que alguns tentem disfarçar seus crimes na liberdade religiosa", disse o chefe de polícia de Phoenix, Joseph Yahner.

Entre os detidos está a fundadora do Templo da Deusa, Tracy Elise, que já foi objeto de uma investigação similar por um suposto bordel em Seattle, Washington, fechado em 2009.

Elise é acusada de prostituição, controle ilegal de uma empresa, proxenetismo e operação de uma casa de encontros, enquanto os demais presos são acusados de formação de quadrilha, prostituição e prática de massagens sem licença.

"A proteção da primeira emenda (da Constituição americana) ao livre exercício da religião não permite aos indivíduos trocarem sexo por dinheiro, independente de como isto seja representado", disse Montgomery.

No Brasil
Um líder de uma igreja brasileira também foi investigado por oferecer a cura de uma doença em troca de sexo. O caso foi denunciado no programa Brasil Urgente, da Band.

Uma paulista caiu no golpe e cedeu às promessas do líder em busca de melhoras na saúde.

Fonte: Band

Personalidades comentam sobre a gravação do DVD de Estevam Hernandes


Personalidades comentam sobre a gravação do DVD de Estevam Hernandes
APOSTOLO E THALES ROBERTO

Todo ser humano que gosta de música e que ainda preserva o senso crítico já deve ter notado que a músicaexerce uma grande influência no comportamento das pessoas e certamente deve ter questionado o porque disto acontecer. Há quem discorde e diga que a música não exerce influência no comportamento e personalidade da pessoa e sim que a escolha da música é consequência de sua personalidade.

Sabe quando uma música descreve exatamente quem você é? Ou então quando você quer dizer alguma coisa a alguém e a música diz tudo? Ou então uma música que relata exatamente o que você pensa da vida? Assim é a música composta pelo Apóstolo Estevam.

A gravação do primeiro CD e DVD do Apóstolo Estevam, intitulado “Inesquecível”, no feriado de 7 de setembro, no Renascer Hall foi um marco para música gospel nacional.

Confira o depoimento de personalidades que participaram do evento:






Fonte: Igospel

FINAL DOS TEMPOS , A PERSEGUIÇÃO CONTRA A PALAVRA DE DEUS - Correios se negam a entregar Bíblias porque teriam “conteúdo ofensivo” para pessoas

Correios se negam a entregar Bíblias porque teriam “conteúdo ofensivo” para pessoas
Várias igrejas pagaram pela produção de gravação de CDs do Evangelho de Marcos em celebração aos 400 anos de aniversário da versão King James (a tradução em inglês mais lida nos EUA e em países de língua inglesa).
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Eles deveriam entregar para todas as casas em Jersey (que é parte do arquipélago das Ilhas do Canal, no Canal da Mancha, e que é uma dependência da coroa britânica), mas os líderes das igrejas ficaram espantados quando foram informados de que os trabalhadores dos correios não entregariam os 45.000 CDs.
O Reverendo Liz Hunter do Centro Metodista de Helier disse: “Inicialmente, os correios de Jersey pareceram bem receptivos sobre nos ajudar com a entrega dos CDs. Mas duas semanas depois alguém do departamento de marketing deles nos telefonou dizendo que eles não poderiam fazer a entrega pois poderia ser considerado ofensivo. Disseram que havia regras sobre o envio de material em certa quantidade na ilha e que gravações religiosas poderiam ofender as pessoas. Isso não é evangelho abertamente invasivo, era apenas uma boa idéia dar às todos um CD que eles poderiam escolher ouvir se quisessem”
Grupos de igrejas de toda a ilha se uniram para o projeto, com a meta de entregar 45.000 gravações do Evangelho de Marcos a todas as casas em Jersey.
O Reverendo Hunter acrescentou: “O impacto se dissipou de certa forma. Nós lançamos o esquema ‘Ligar’ na segunda passada e queríamos que cada casa tivesse seu CD ao mesmo tempo nessa semana. Agora nós dependemos de voluntários para fazer a entrega para cada casa, então isso provavelmente demorará quase todo o mês de setembro”.
Os correios de Jersey se desculparam pelo incidente, dizendo que a equipe interpretou mal as regras.
O Diretor Kevin Keen disse: “Entendo que um dos meus colegas disse que o material era ofensivo. Essa decisão foi feita com base nos nossos termos e condições, as quais declaram que eles têm o direito de recusar a distribuição de material que caia na categoria de ‘material promocional que possa causar ofensa’. Claramente isso foi interpretado de forma incorreta. Falei com a pessoa envolvida e escrevi a todos os meus colegas pedindo que viessem até mim se houvesse qualquer dúvida no futuro”.
Os CDs são agora entregues por voluntários

Cinco cristãos são presos e interrogados pelo governo MUÇULMANO

Na terça-feira, 6 de setembro, o Irã emitiu um mandado de prisão a cinco cristãos iranianos, incluindo uma mulher grávida, sob a acusação de estarem ligados a atividades cristãs, segundo informações de um grupo missionário que trabalha na região.

“Os cinco cristãos foram presos por crimes contra a Ordem Islâmica, na cidade de Shiraz (sudoeste do Irã)”. Na prisão, foram interrogados e sentenciados a um ano de prisão e trabalho, explicou Jason DeMars, que lidera o ministério Verdade Presente.

DeMars identificou os cristãos: Behrouz Sadegh-Kandjani, Mehdi Furutan, Mohammed Belyad, Blyad Nasly e Khalaj Parviz.

Segundo Demars, “Nazly está grávida de sete meses. Essa informação quebra os nossos corações”. Ele disse que tem estado junto com esses cristãos e pede: “Por favor, orem por esses irmãos e por nossa irmã grávida.”

Ele disse que pediu aos cristãos presos que “orem para que milagres aconteçam nesse tempo em que eles estarão privados de sua liberdade.”

A liderança do Irã não fez nenhum comentário sobre esse caso. No entanto, o governo do Irã e os funcionários ligados ao presidente Mahmoud Ahmadinejad têm alertado para o “perigo de o cristianismo se espalhar” dentro da nação islâmica, através dos jovens.

“O Islã aprova o cristianismo em geral, mas no que diz respeito aos ensinamentos religiosos do cristianismo, infelizmente estamos vendo a difusão deles entre os jovens”, disse o aiatolá Jahangosha Hadi, um influente pensador islâmico próximo ao governo.

O líder religioso supremo do Irã, Ali Khamenei, também condenou as atividades e o crescimento das igrejas.

Fonte: Missão Portas Abertas

Marco Feliciano responde a comparação de cultos pentecostais a centros espíritas feita por Edir Macedo

ntre as diferenças o pastor assembleiano cita que nas igrejas o único Deus é adorado, já nos cultos afros são anjos caídos.

O pastor Marco Feliciano usou seu site para responder ao vídeo que o bispo Edir Macedo publicou em seu blog questionando se há diferença entre os cultos pentecostais e cultos de religiões afros. O líder da Igreja Universal do Reino de Deus publicou uma montagem de vídeos dizendo que o chamado “cair no espírito” é semelhante a possessão demoníaca de centros espíritas.

Open in new windowAo defender o pentecostalismo, Marco Feliciano, que inclusive aparece no vídeo postado por Macedo, tenta esclarecer que a maior diferença é que nos cultos pentecostais as pessoas são movidas pelo Espírito de Deus.

“Na questão dos cultos comparados pelo nobre Bispo, notamos sim semelhanças inúmeras, mas por que tanta semelhança? Vamos a explicação: O diabo tem poder isso é inegável, todavia Deus tem TODO o PODER!”, escreveu Feliciano que deu vários exemplos bíblicos de manifestações divinas que foram imitadas por magos e por pessoas possessas por espíritos malignos.

Respondendo a pergunta que dá nome ao vídeo de Macedo “Qual a Diferença?”, Feliciano diz que em primeiro lugar diferença é que nos cultos pentecostais o único Deus é adorado. “no nosso Adoramos ao Deus único e verdadeiro, no outro adoram a espíritos expulsos do céu que querem ser como deus, por isso imitam nosso culto”, escreve ele que se diz “pentecostal genuíno, criado no fogo de Jeová”.

Entre outras diferenças citadas pelo pastor da igreja Assembleia de Deus Catedral do Avivamento estão: “no [culto] deles seus espíritos os chamam de cavalos, no nosso Deus nos chama de Ovelhas pois Ele é o eterno pastor do salmo 23; no nosso culto, tais manifestações geram vida, alegria, esperança, no outro as pessoas saem mais vazias e confusas do que quando chegaram;’no nosso ao terminar o culto, todos sabem o que aconteceu não tem duvidas! No deles as pessoas não sabem o que houve, ou onde estão, ou seja no nosso o Espírito que opera trabalha em conjunto com o homem no deles os espíritos dominam suas vontades”.

Fonte: Gospel Prime

OVELHAS - QUEM SÃO ?

     No capítulo 34 do livro do profeta Ezequiel, o Senhor faz uma relação de tipos de ovelhas e acusa os pastores de Israel (os sacerdote...