domingo, 5 de março de 2017

Kleber Lucas - Top 10

O III TEMPLO - Profecias vs teologia

ESPOSAS QUE DESTRUYEN MATRIMONIOS 1 ♥ PREDICA PARA MATRIMONIOS

O real papel da esposa (Série Guerra contra a Família)

A esposa VERDADEIRAMENTE cristã - Série "CRISTO, EU E MEU CASAMENTO" - (...

Todo cuidado com seus filhos! (Série Guerra contra a Família)

Filhos Rebeldes: Qual a Melhor Forma de Lidar

DORME IGREJA , DORME - Islã irá superar cristianismo como maior religião do mundo em 2070, prevê pesquisa

O islamismo poderá ser a maior religião do mundo até 2070, segundo um novo levantamento publicado esta semana pelo Centro de Pesquisa Pew.
Imagem redimensionadaO estudo intitulado "Muçulmanos e Islã: principais descobertas nos EUA e ao redor do mundo", sugere que o islamismo terá um crescimento de 73% até 2050, comparado com uma taxa de 35% para o cristianismo.

É estimado que toda a população mundial cresça 37% — o que significa que o Islã crescerá quase o dobro da taxa do mundo. Em 2010, os cristãos totalizaram 2,17 bilhões e os muçulmanos 1,6 bilhão. Em 2070, esses números chegarão a 2,92 bilhões e 2,76 bilhões, respectivamente.

Nos Estados Unidos, é previsto que os muçulmanos constituam 2,1% da população em 2050. Atualmente, o grupo religioso constitui apenas 1% da população. Na Europa, os muçulmanos chegarão a 10% da população, em 2050.

Por outro lado, o ateísmo e a classificação não-religiosa irão declinar, conforme indica o relatório. Enquanto esses grupos crescerão nos EUA e na Europa, em termos globais, eles vão diminuir de 16,4% da população para 13,2% até 2050.

O estudo sugere dois fatores por trás do crescimento rápido do Islã: os muçulmanos têm a maior taxa de fertilidade, com 3,1 filhos por mulher, e também têm a idade média mais jovem — 34% dos islâmicos têm menos de 15 anos.

A pesquisa indica que a maioria das pessoas que vivem em países muçulmanos têm uma visão negativa do grupo terrorista Estado Islâmico. Na maioria das vezes, a população de países predominantemente muçulmanos se demonstra preocupada com a ameaça do extremismo islâmico no Ocidente.

Fonte: Guia-me

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...