sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Quem é Yosef Nadarkhani?

Yosef Nadarhani na prisão

A luta de Nadarkhani
Até completar 19 anos de idade, quando se converteu a Jesus Cristo, Nadarkhani não praticou nenhuma religião.

Hoje, ele é um pastor evangélico com 32 anos, iraniano, casado com Fatemeth - que ficou presa quatro meses, de 8 de junho à outubro de 2010 -, pai de dois garotos pequenos -
Joel 7 anos, e Daniel com 9 anos - , obreiro de uma congregação em que os irmãos reúnem-se com o nome Igreja em Casa, que é filiada ao ministério Igreja Iraniana do Evangelho Pleno, situada ao norte da cidade Rasht.

O Irã é um país de maioria islâmica, os cristãos são minoria.

Ele foi detido em outubro de 2009 quando tentou registrar sua igreja na cidade onde mora. Houve acusação de apostasia, abandono da religião islâmica, porque questionava a supremacia dos mulçumanos e a recusou-se a doutrinar crianças cristãs de sua igreja ao islamismo.

Ele recebeu ordem judicial o obrigando a converter-se ao islamismo. A sentença foi proferida pela corte da província de Gilan, na cidade de Rasht. Ele não atendeu as autoridades do judiciário da República Islâmica para rejeitar sua fé cristã. A primeira condenação aconteceu em 2010, quando a Suprema Corte do Irã interveio e conseguiu adiar a sentença. Mas o processo foi revisto, e na quinta-feira, 29 de setembro de 2011, o resultado foi condená-lo à morte pelo enforcamento. Na ocasião, o pastor disse que não tinha intenção de professar o islamismo, chamando a crença islâmica de "blasfêmia".

O tribunal iraniano

Em setembro de 2010, Nadarkhani foi julgado e condenado à morte porque o acusaram de organizar cultos domésticos, compartilhar em reuniões caseiras a sua fé em Jesus Cristo como Senhor e Salvador com famílias iranianas, e apelar para que todos aceitassem a Cristo em suas vidas e frequentassem cultos de adoração a Deus.

O tribunal, baseado na lei islâmica, alega que Nadarkhani é muçulmano, por ser filho de pais ligados ao Islã, apesar de sua declaração que nunca praticou o islamismo, que ao se converter a Cristo aos 19 anos não era muçulmano. E por ele considerado um cristão, ex-muçulmano, o acusam de apostasia. A apostasia é considerada uma ofensa capital na maioria dos países muçulmanos, o réu recebe a pena de morte por enforcamento. É assim que o Mullah, governo iraniano, se relaciona com cidadãos cristãos, que abandonam a religião islâmica.

Nadarkhani apelou ao Supremo Tribunal do Irã para reverter à sentença de morte que recebeu, mas esta solicitação de recurso foi rejeitada.

A expectativa de execução está após término do processo de apelação, terminou ontem, 29 de julho. O tribunal manteve a decisão de primeira instância.

Nadarkhani corre o risco entrar na lista de mártires cristãos enforcados no Irã, que desde 1990 não executava pessoas por serem praticantes do cristianismo.


Mohammad Ali Dadkhah, advogado de Nadarkhani, recebeu a sentença com muita surpresa, pois suas impressões há um mês era que o trâmite do julgamento era favorável ao cliente.

Na quinta-feira, 29 de setembro, surgiram rumores que haveria revogação da execução de morte, no entanto Dadkhah firmemente alegou que poderia se tratar de estratégia de desinformação para que os meios de comunicação do Ocidente percam o interesse no caso, pois ele não recebeu relatório oficial afirmando que o tribunal derrubou a sentença capital e busca. Então, ainda buscando confirmação da decisão judicial favorável, segue a angústia de um iminente enforcamento.

Caso o advogado esteja correto quanto à mentira, a morte poderá acontecer a qualquer instante.

E, caso houver mesmo a mudança da pena, por haver convicção em seu coração que Jesus Cristo é seu Senhor e Salvador, com certeza Nadarkhani continuará como prisioneiro do Estado Iraniano.

Por favor, continuem a orar por Pastor Youcef, sua família e sua equipe de advogados no Irã.

Fontes: Belverede, com consultas em:

The NeoConservative Christian RightNewmax.ComCNS NewsA C L J

Irã - pastor Yosef Nadarkhani sentenciado a morrer na forca



Na quarta-feita, dia 28, o site Portas Abertas, e até o portal UOL, mídia secular, deram a notícia que Yosef Nadarkhani, pastor evangélico, foi sentenciado a morrer na forca pelo crime de apostasia - afastar-se das doutrinas do islamismo - pelo tribunal da província de Gilan, no Irã.



Por três vezes os juízes, em audiência, o pressionaram a negar sua fé em Jesus Cristo e voltar a ser muçulmano. Yosef respondeu: “Arrependimento significar voltar. Eu devo voltar para o quê? Para a blasfêmia que vivia antes de conhecer a Cristo?” Os juízes responderam: “você deve voltar para a religião dos seus antepassados, deve voltar ao Islã”. Yousef insistiu: “Eu não posso fazer isso.”



Ontem, quinta, 29, foi a última audiência. Segundo a lei do Islã (a Sharia), foi concedido ao pastor três oportunidades para "arrepender-se" de ser cristão e abandonar o islamismo. Nas três vezes ele manteu-se firme em sua fé em Jesus Cristo. Agora os advogados de defesa tentarão apelar ao Tribunal Supremo para que revejam a sentença, e assim estender a pena de Nadarkhani na prisão. Existe a informação de que o Supremo Tribunal Federal do país deseja que essa situação seja resolvida o quanto antes.



O ministério Portas Abertas pede que ore por Yosef Nadarkhani para que Deus o proteja e o livre da morte e o liberte da prisão.



“Yousef é conhecido como um herói, se ele for libertado, o governo será visto como derrotado. Se eles o deixarem na prisão, haverá mais pressão internacional. Provavelmente não irão matá-lo hoje, mas podem fazer isso quando quiserem. Podem enforcá-lo ao meio dia ou então daqui a 10 dias. Às vezes entregam o corpo para a família junto com o veredito. Eles têm ultrapassado as fronteiras da lei” disse uma fonte para o Compass.



A mesma fonte disse que a esposa de Nadarkhani está muito apreensiva com relação a decisão do tribunal. Eles tem dois filhos: Joel, 7 anos, e Daniel, 9 anos. “A mulher dele está em depressão e preocupada. É uma situação difícil para toda a família.”



Fontes: Portas Abertas via Compass Direct, com tradução de Lucas Gregório

VOCÊ QUER ISSO AQUI NO BRASIL ? EU NÃO . Ritual Islâmico de apedrejamento de uma MULHER


Quando eu digo que determinadas religiões devem ser erradicadas do mundo, não estou errada. É por estas e por outras atrocidades cometidas contra o próprio ser humano em nome de deuses que não existem . O vídeo está em espanhol, mas a tradução está logo abaixo:
“O apedrejamento é um dos métodos mais selvagens e bárbaros para punir uma pessoa. O método varia dependendo do critério do juiz.
Pode-se amarrá-lo em uma estaca ou como neste caso enterrando até os cotovelos em volta de uma savana.
Qualquer apedrejamento precisa de uma certa quantidade de pessoas, pois eles formam uma parte do castigo.
As pedras são escolhidas de tal forma, que não sejam tão grandes para matar e nem tão pequenas para causar nenhum dano. A 1ª pedra [...], seguido dos membros do tribunal e do público.
A vítima morre após uma lenta agonia pelos vários traumatismos causados pelas pedradas”.
Olhem quanta ignorância
Olhem esse outro vídeo transmitido pela TV do Qatar  que orienta os maridos muçulmanos a surrarem suas esposas como forma de disciplina. Para o clérigo do video, tal orientação foi permitida pelo Criador do Homem. Uma verdadeira apologia gratuita à violência.
VIA GRITOS DE ALERTA

VAMOS NOS MOBILIZAR E MANDAR MUITOS EMAILS PEDINDO O CANCELAMENTO DA PENA CONTRA NOSSO IRMÃO , YOSSEF , QUE FOI PRESO POR APENAS QUERER REGISTRAR SEU MINISTÉRIO NAQUELE PAÍS.

MOBILIZAÇÃO URGENTE


VAMOS NOS MOBILIZAR E ENTUPIR A CAIXA DE EMAIL , FONES ETC DESSE CONSULADO .
SENDO UM PAÍS CRISTÃO NÃO PODEMOS ACEITAR DE FORMA ALGUMA ESSA POSIÇÃO , QUE DETERMINOU O ENFORCAMENTO DE NOSSO IRMÃO EM CRISTO YOSSEF , QUE RECEBEU ESSA CONDENAÇÃO POR NÃO NEGAR A JESUS CRISTO.
A SUA ACUSAÇÃO  O ATACA APENAS POR QUERER REGISTRAR SEU MINISTÉRIO NAQUELE PAÍS .
QUERO INFORMAR QUE ISSO SEMPRE OCORRE EM PAÍS DE REGIME ISLÂMICO , ATACAM E MATAM CRISTÃOS , E TODOS QUE SÃO CONTRA SEUS ENSINAMENTOS.
VAMOS FICAR DE OLHOS BEM ABERTOS , POIS ESSE REGIME DE MORTE ESTA RONDANDO O BRASIL PARA QUERER IMPLANTAR AQUI TAMBÉM ESSAS BARBÁRIES.
POIS NO COMEÇO SE MOSTRAM BONZINHOS , MAS DEPOIS E FORCA E OUTRAS COISAS MAIS.

Setor Consular da Embaixada - Brasília - DF

SES Av. das Nações, Qd. 809, Lote 31 Brasília Distrito Federal 70421-900 (0xx61) 3242-5733 

Embaixada do Irã no Brasil
Embaixada da República Islâmica do Irã em Brasília - DF
SES - Av. das Nações, Quadra 809, lote 31
CEP 70421-900 - Brasília - DF
tel. (0xx61) 242-5733fax (061) 244-9640
e-mail: webiran@webiran.com.brsite: www.webiran.org.br
Expediente: de segunda a sexta-feira, de 08:30 às 12:30h e 14:30 às 17:30h

Consulados do Irã no Brasil
Setor Consular da Embaixada do Irã em Brasília - DF
SES Av. das Nações, Qd. 809, Lote 31
CEP70421-900 - Brasília - DF
tel. (0xx61) 242-5733


VIA GRITOS DE ALERTA , CONTRA A EXECUSSÃO DE NOSSO IRMÃO EM CRISTO, YOSEF.

CUIDADO PAPAI E MAMÃE - Pesquisa revela que maioria dos evangélico solteiros tem relações sexuais

Quase 80% dos solteiros evangélicos jovens adultos nos Estados Unidos tiveram relações sexuais, segundo estudo da revista cristã Relevante.

Jovens adultos com idades entre 16 e 29 que se identificam como evangélicos são quase tão sexualmente ativos quanto seus colegas não-cristãos, de acordo com o artigo "(Quase) Todo mundo está fazendo isso".

O artigo, que traz a análise de um estudo realizado pela Campanha Nacional de Prevenção da Gravidez Adolescente e não planejada em dezembro de 2009, observa que dos solteiros não-cristãos adultos entrevistados, 88 por cento disseram ter feito sexo - apenas um pouco mais do que os evangélicos.

Desses 80 por cento de Cristãos que afirmaram ter tido relações sexuais antes do casamento, 64 por cento o fizeram no último ano e 42 por cento estão em um relacionamento sexual atual, disse escritor Charles Tyler da Relevante, analisando o estudo que não olhou para identificação religiosa inicialmente.

O que talvez seja ainda mais preocupante, Charles observou, é que 65 por cento das mulheres obter abortos identificar-se como protestantes (37 por cento) ou católicos (28 por cento). "Isto é 650.000 abortos obtidos pelos Cristãos a cada ano".

A Igreja deve reconhecer a realidade e enfrentá-la. "é um chamado à Igreja a viver na realidade", citou Charles Williams Jenell Paris como dizendo. Paris é o autor de O Fim da Identidade Sexual: Por que sexo é muito importante para definir quem somos.

Pedido On-line: O Fim da Identidade Sexual: Por que sexo é muito importante para definir quem somos
A raiz do problema, o artigo sugere, é a vontade de ter relações sexuais antes do casamento. é difícil salvar sexo para o casamento, Charles escreveu, identificando razões, incluindo o marketing pela mídia do sexo, o endosso cultural da mentalidade "faça o que se sente bem", a prevalência da pornografia e da incompreensão generalizada do sexo.

Charles citou um conselheiro licenciado, Carissa Woodwyk, como dizendo que a maioria dos Cristãos conhece a Deus quer que esperar até o casamento. Mas o problema, segundo ela, é que a maioria não tem um entendimento pessoal do porque é importante. Eles devem "voltar ao início" e "O foco sobre as origens da masculinidade e feminilidade", sugeriu, acrescentando que os Cristãos não devem pensar falar sobre sexo é uma "coisa má". A Igreja deve ajudar as pessoas a verem a "imagem de sexo e casamento de Deus".

Scot McKnight, professor de estudos religiosos da Universidade North Park, em Chicago, indicou no artigo que enquanto a mensagem de abstinência tem sido voltada para adolescentes, nos últimos anos, a idade média para o casamento tem consistentemente aumentado. Quando os Cristãos chegam aos seus 20 anos, eles normalmente reavaliam suas crenças, disse ele.

Joanna Hyatt, diretora do Reality Check, um grupo que promove a integridade sexual, perguntou, se o sexo é apenas físico, por que jovens sexualmente ativos, muitas vezes encontram a depressão? Ela disse que há uma necessidade de promover a "abstinência renovada", uma maneira de cometer novamente "uma vida de pureza de coração corpo e mente".

Fonte: The Christian Post

MEGA VIGILHÃO - DIA 11 DE OUTUBRO - LOCAL SOCIETY GAUCHÃO - AS 21 HORAS - ENTRADA FRANCA

     

mega-coliseuproducoes-vigilhao-outubro2011

2012 É O ANO DA MÚSICA E DO SALÃO GOSPEL





A palavra "Gospel", derivada do inglês antigo "God-spell" que significa good tidings, ou good news, em português, "boas novas," aludindo ao Evangelho Bíblico que nos narra as "boas novas ao mundo" — ou seja, a vinda de Cristo ao Mundo —, pelos livros dos Evangelhos Canônicos de Mateus, Marcos, Lucas e João. Ainda que o termo, "Música Gospel", possa abranger um campo da Música muito vasto, seus estilos, embora com nomes variados, possuem todos uma mesma essência e raiz — a música cristã negra nos Estados Unidos da América. Talvez, um dos velhos estilos da música negra que realmente se aproximou do Gospel, foi o Negro Spirituals (em Português, as canções harmoniosas dos "Espirituais dos Negros"). O foco desta breve história é a música que fluiu da igreja afro-americana e inspirou uma abundância de corais modernos, artistas do mercado Rhythm & Blues, e o atual Gospel contemporâneo, além de outros estilos musicais do gênero. Os primeiros registros da evolução da música Gospel acontece com Thomas A. Dorsey (1899-1993), compositor de sucessos como "There Will Be Peace in The Valley", que foi largamente versionada em Português pelos grandes expoentes da música Gospel contemporânea virando o famoso hit "Paz no Vale", e é considerado por muitos, "O Pai da Música Gospel". No início de sua carreira, ele era um importante pianista de Blues, conhecido aliás por Georgia Tom. Ele começou a escrever Gospel depois que ouviu Charles A. Tindley (1851-1933), numa convenção de músicos na Filadélfia, e depois, abandonando as letras mais agressivas de outras canções, não abandonou, contudo, o ritmo de Jazz, tão parecido com o de Tindley. A Igreja, inicialmente, não gostou do estilo de Dorsey e não achou apropriado para o santuário, na época. Em 1994, após o seu falecimento, a revista norte-americana Score, publicou um artigo com o título: The Father of Gospel Music (em português, "O Pai da Música Gospel"). Neste artigo, a revista declara que quando Dorsey percebeu, no início de sua carreira com o Gospel, que muita gente estava brigando contra a música Gospel, ele estava "determinado para carregar a bandeira" a favor do Gospel. Assim ele fez. Investiu em 500 cópias da canção dele, If you See My Saviour (em português, "Se Você Ver o meu Salvador") e enviou para diversas igrejas do país. Levou quase três anos para ele conseguir mais pedidos da música e ele quase retornou a tocar o Blues. Mas Dorsey não desistiu e com ajuda de outros bons músicos ele foi em frente. Trabalhou com as cantoras Sallie Martin (1896-1988) e Willie Mae Ford Smith (1904-1994), escreveu centenas de músicas Gospel e testemunhou a sua música subir no púlpito das igrejas, onde, por vários anos tinha sido proibida veementemente! Dorsey fundou a Convenção Nacional de Corais Gospel nos EUA, em 1932.

Nessa época, muitos outros novos nomes apareceram. Talvez fossem "prisioneiros de uma velha corrente, mas agora estavam salvos" prontos para alimentar a nova corrente do Gospel, como Mahalia Jackson, Clara Ward e James Cleveland. Mahalia Jackson (1911-1972) foi convidada para cantar no televisionado Ed Sullivan Show, minutos antes do eternizado discurso pró-liberdade negra de Martin Luther King, em que ele disse as palavras certas na hora certa: I have a dream (em Português, "Eu tenho um sonho"). Mahalia acabou sendo a convidada para cantar durante a cerimônia do funeral do Reverendo King. Talvez, como num toque de mágica, ela escolheu uma canção de Dorsey: Take My Hand, Precious Lord (em Português, "Segure a minha mão, Amado Pai"). Clara Ward (1924-1973) junto ao The Ward Singers, foi uma artista com presença e substância. Sua canção Surely God is Able foi comentada como o primeiro disco de platina após a Segunda Guerra Mundial. Mas esta informação não pode ser confirmada pois a Recording Industry Association of America (RIAA, em português "Associação da Indústria de Gravação da América"), mantém que Edwin Hawkins Singers foi o primeiro vencedor do disco de ouro com um Gospel, em 1968, com o famoso sucesso, "Oh, Happy Day". Mas, Ward influenciou muitos artistas com seu estilo, incluindo nomes como Little Richard e Aretha Franklin, que mantém que Ward era seu ídolo. James Cleveland (1932-1991): se Dorsey foi aclamado, por muitos da indústria e seus seguidores, como o pai da música Gospel, o cantor Cleveland foi coroado, pelos seus admiradores, "The King of Gospel" (em Português, "O Rei do Gospel"). Ele recebeu nada menos do que quatro GRAMMYs, incluindo um póstumo pelo seu álbum "Having Church". Assim como Clara Ward, James Cleveland tinha muita presença com sua audiência. Ele não teve uma reputação de ter uma boa voz, mas conseguia agradar a todos que o ouviam. O seu grande feito foi fundar sua organização, em 1967, a "Gospel Music Workshop of America", considerada a maior convenção de Gospel do mundo, hoje, com mais de 185 escritórios de representações.
O Gospel Moderno, em sua forma original, era geralmente interpretado por um solista, acompanhado de um coro e um pequeno conjunto instrumental. Grandes intérpretes da música norte-americana começaram assim, como cantores de Gospel nas igrejas. Foi o caso da já citada Mahalia Jackson, Bessie Smith e Aretha Franklin, além de Ray Charles e Solomon Burke. O Gospel foi também se influenciando, assumindo formas às vezes surpreendentes em se tratando de música religiosa. É o caso dos quartetos Gospel, surgidos após a Segunda Guerra Mundial, com suas músicas gritadas, com danças e roupas extravagantes. Deste estilo foram influenciados grupos e cantores de Rock dos anos 1950, desde Bill Haley e seus Cometas, passando por Jerry Lee Lewis, até Elvis Presley na década de 1960. Nas décadas de 80 e 90, no exterior, o destaque é para os corais e solistas, como para Kirk Franklin e Fred Hammond.

No Brasil, nesta mesma época, acontece a popularização do estilo musical. Nomes como Actos 2, Banda Rara, Rebanhão, no rap DJ Alpiste e no rock Oficina G3 e Katsbarnéa, começam a quebrar tabus dentro dos templos evangélicos, provando que a adoração à Deus pode ser feita em vários estilos musicais.


Passado quase duas décadas da popularização do estilo no Brasil, a música Gospel brasileira hoje é um sucesso! Fatura bilhões e chama atenção de mídias, gravadoras, políticos e investidores dispostos a mergulhar nesse mar de ritmos, cheio de oportunidades e grandes peixes, é fato. Pesquisas recentes revelam que esse mercado é um dos mais rentáveis no país.
 Segundo dados da Associação Brasileira de Produtores de Disco (ABPD), o estilo está presente entre os 20 CDs mais vendidos no Brasil.
 A Música Gospel que tinha espaço apenas dentro das igrejas no início do século XIX, hoje é executada em todos os cantos do mundo. No Brasil, espalhada em hipermercados, lojas de conveniência e lojas de discos, ela é um sucesso!
Acha se tratar de um exagero na hora dos cálculos? Nada disso!
A verdade é que atualmente esse mercado não para de crescer e se multiplicar, movimenta R$ 1,5 bilhão por ano e é o único segmento fonográfico que cresce em venda de discos no País.
O termômetro de tudo isso é a popularização do estilo, notado nos últimos anos nas grandes mídias: em 2007, na novela "Duas Caras", da Rede Globo, a cantora evangélica Aline Barros teve sua música "Recomeçar" incluída na trilha sonora da novela.
 Em 2009, o sucesso "Faz um milagre em mim", do cantor Regis Danese, virou tema até dos gols do "Fantástico". Em 2010, anúncios do Ministério Diante do Trono, Irmão Lázaro, participações de Fernanda Brum, Aline Barros e Ana Paula Valadão no "Domingão do Faustão" e muitas premiações como o prêmio Hutúz onde Dj Alpiste, rapper gospel, foi um dos premiados e até o Grammy Latino, que em anos passados premiou a cantora Soraya Moraes e esse ano Marina de Oliveira na categoria Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa, confirmam que o mercado do Senhor tem a força.

É fato que o destaque para a Música Gospel não está apenas nos números, que por sinal não faltam para quem conhece a fundo esse oceano Gospel e pretende navegar nele. Esse mercado tem se afirmado pela estética, mas também pelo poder econômico.
 A mesma ABPD, em entrevista à revista Isto É Dinheiro, chegou a dizer que "as gravadoras evangélicas não reportam o número de discos vendidos, mas que, na preferência do consumidor os cantores Gospel aparecem como os primeiros para 10% dos compradores". Essa opção do consumidor também é percebida no ramo de eventos, o que é o caso do grupo Chevrolet Hall, que passou a investir em eventos cristãos (Shows, Conferências e Congressos de Adoração).
A revista Veja chegou a classificar o segmento como "um mercado que não conhece crise" por ser pouco afetado pela pirataria moderna e pelo compartilhamento de mp3 na internet.O que era antes um mercado pequeno, fechado em si, com produções de baixa qualidade, passou a ser um mercado forte com um poder econômico que movimenta de R$ 1,5 bilhão até R$ 3 bilhões anualmente.

Outro fenômeno bastante interessante ligado ao mercado fonográfico da música Gospel é o fã-clube e as comunidades. Apesar de ser um tema controverso para cristãos, que envolve às vezes fanatismo, tem sido bem aceito no meio.
 Não limita a criação do que o público tem chamado de "Clube de Admiradores" e "Rede de Amigos". Mas traz uma carga maior de interatividade, ao apontar para uma atividade ministerial: envolvendo intercessão, evangelização e trabalho social em conjunto com ministérios e igrejas.

Na esfera política, não faz muito tempo que foi discutido pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) o Projeto de Lei PLC 29/09, que garante à Música Gospel os benefícios previstos na Lei Federal de Incentivo à Cultura, também conhecida como Lei Roaunet (Lei 8.313/91). Contudo, para que eventos de Música Gospel recebam os benefícios de tal lei, não podem ser promovidos por igrejas.
 Em contraposição, pessoas físicas e jurídicas poderiam aplicar parte do Imposto de Renda devido em ações culturais de Música Gospel. No Estado do Rio de Janeiro, a Música Gospel já é reconhecida como manifestação cultural e está inclusa na Lei 5.826, de 20 de Setembro de 2010, de autoria do Deputado Edson Albertassi, sancionada pelo Governador Sérgio Cabral.
 A lei cria facilidades na obtenção de patrocínios de empresas privadas para os eventos, ampliando ações e estimulando o crescimento do segmento. A iniciativa, que foi comemorada por profissionais e interessados no mercado, não deixa dúvidas que o estilo musical chegou para ficar.
Tal realidade vem atraindo diversos empresários dispostos a investir no setor. Gravadoras antigas e reconhecidas mundialmente são exemplos desses investidores, que vêm se fixando no mercado e, com sua chegada, traz um grande acréscimo em qualidade de gravação, produção e distribuição ao mercado Gospel, além das grandes emissoras que têm investido pesado no segmento. Isso prova o reconhecimento do celeiro de talentos e oportunidades que existem nesse setor.
Outra questão, que não deve ser esquecida, é que com a popularização da Música Gospel, começa a se formar um novo tipo de público consumidor: aquele que compra porque aprecia o estilo, sem maiores comprometimentos religiosos. Um relatório da Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI, na sigla em inglês), revelou que a venda de música digital cresceu 12% no mundo em 2009, representando 27% da receita do setor. Em 2008, esse patamar era de 21%. No site Sonora, um dos principais portais de download legalizado da América Latina, que pertence ao grupo Terra, cantores evangélicos se mantêm na lista dos favoritos do site, destacando-se por várias semanas consecutivas.


Só no Brasil, segundo uma matéria publicada recentemente no site do Uol, o mercado evangélico, num todo, cresce 8% ao ano, sendo mais de 45 milhões de evangélicos e anualmente são abertos 14 mil templos, sendo que a expectativa é que, até o final de 2011, este número atinja a casa das 55 milhões de pessoas, incrementando ainda mais os negócios Gospel. Luís André Brunet, pesquisador da SEPAL, prevê que em 2020 os evangélicos chegarão à marca de 109,3 milhões (52%) num total de 209,3 milhões de brasileiros, isto obviamente se a taxa de crescimento se mantiver nos patamares anteriores, sendo metade da população brasileira formada por evangélicos o que consequentemente também reflete no segmento da Música Gospel. Estamos diante de uma revolução musical!

De um outro lado, os cantores do universo Gospel estão se profissionalizando mais e aprendendo a usar as mídias a seu favor, para divulgação dos seus trabalhos, explorando muito bem, por exemplo, a internet, com sites e espaços em redes sociais.
 O crescimento dos programas de tevê, jornais, revistas, portais, blogs e sites especializados, além de um grande número de rádios apenas tocando o segmento, somam a essa expansão do mercado de Música Gospel.
 Outro aspecto é a demanda pela procura de profissionais capacitados em assessoria de imprensa e de marketing substituindo de vez o antigo divulgador amador por profissionais gabaritados para trabalho de imagem com escritórios especializados. Essas iniciativas tornam o artista conhecido em outros segmentos. Tudo isso reverte em vendas.

Além disso, a diversidade cultural do nosso país propicia o crescimento de muitos estilos, como Rap, Funk, Pagode, Sertanejo, entre outros.
O mais consumido continua sendo o estilo “Adoração”, mais ligado à pregação ou ao próprio culto. Também é muito forte o estilo “Pentecostal”, mais carregado de palavras proféticas. O "Pop Gospel" aparece em terceiro lugar e agrada muito ao público mais jovem.

Junto com esse mercado em expansão, chamado "Gospel", onde o céu parece ser o limite, outros crescimentos também são notados, como, por exemplo, o crescimento do mercado de instrumentos musicais. O Brasil importou, em 2009, cerca de US$ 170 milhões em instrumentos musicais e exportou US$ 10 milhões, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic).
Grande parte desse crescimento é consequência da demanda gerada pela expansão do mercado musical Gospel nas últimas duas décadas.

Em entrevista para uma revista do segmento musical, o especialista e professor de produção de som e coordenador de audiovisual da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Luiz Cláudio, relatou que "antes dos anos 90, o mercado de instrumentos e equipamentos musicais brasileiro era muito fraco. Na mesma época que a indústria automobilística se aqueceu no Brasil, no fim do século XX, também observamos a entrada de produtos musicais" – comenta Luiz Claudio.
 Ele lembra que o crescimento da competitividade interna influenciou o nascimento de fortes marcas brasileiras, que hoje são reconhecidas mundialmente. Além disso, o professor acredita que está havendo um maior interesse dos jovens por música. Segundo recente pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Música - entidade que reúne os principais fabricantes, importadores e distribuidores do segmento - em cada dez consumidores de instrumentos musicais e acessórios, quatro são evangélicos
. A entidade estima que 40% da indústria musical seja absorvida pelos evangélicos, transformando o meio cristão no principal representante e comprador destes produtos.

De olho neste filão de mercado e atentos ao potencial consumidor dos evangélicos, empresas buscam se aproximar deste público e movimentar ainda mais um mercado que vai de vento em popa. Diversas empresas do setor de instrumentos musicais, áudio, iluminação e acessórios afirmam que o poder de compra dos evangélicos vem aumentando de forma representativa a cada ano.

Diante desse universo de possibilidades e como todo segmento tem uma feira que o representa, chega no coração financeiro e cultural do país, em São Paulo, o primeiro SALÃO INTERNACIONAL GOSPEL, realizado pela empresa MR1 Comunicação & Marketing em sociedade com empresários que estão no ramo de feiras e negócios há mais de 30 anos, que vai acontecer dos dias 12 a 14 de Abril de 2012, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo. Situado em local privilegiado, na Rodovia dos Imigrantes, a 1.200m da Avenida dos Bandeirantes, apenas 850m do Terminal Jabaquara do Metrô, 3 km do Aeroporto de Congonhas e 20 km do Aeroporto Internacional de Cumbica, 7 km do centro hoteleiro e financeiro da cidade, estando, inclusive, no centro de dois dos maiores polos econômicos brasileiros: a Cidade de São Paulo e o ABCD paulista.
Com fácil acesso para todas as regiões da capital via metrô e para todo o litoral e interior por meio do Rodoanel Mário Covas, facilitando o deslocamento dos visitantes e expositores, desviando do trânsito das marginais. Serão corredores de pura adrenalina para quem visitar a feira. O evento terá duração de três dias, todos eles abertos ao público. Segundo a agência MR1 Comunicação & Marketing, o nome escolhido é diferente em relação aos eventos que já existem, único dirigido ao segmento musical gospel e moderno já que o crescimento da Música Gospel no Brasil é uma realidade dos dias atuais; direto, pois insinua que o participante terá grandes chances de sair do evento com um alto índice de venda e de institucionalização, gerando negócios e relacionamento direto com o público e com as mídias; e segmentado, já que despertará interesse quase que exclusivo dos interessados em Música Gospel.

As novidades confirmadas são: Já na Cerimônia de Abertura, a homenagem ao jornalista da Rede Globo, Cid Moreira, por ser o primeiro a gravar a Bíblia na íntegra no Brasil e os Salmos com imagens no mundo, depois, o "Prêmio MR1 de Música Gospel", que ocorre em paralelo à feira. Um evento de gala, segundo seus idealizadores à altura dos grandes nomes que existem no circuito da Música Gospel e com credibilidade, pois não está ligado a nenhuma gravadora. Julgado por um júri seleto, onde o que vai ser avaliado entre os muitos quesitos são a técnica e o profissionalismo, nomes de destaque da Música Gospel brasileira serão premiados, homenageados e reconhecidos. Nessa premiação única no universo Gospel, que tem como objetivo estimular a profissionalização do segmento e os investimentos técnicos na carreira dos artistas. Também vão ser lembrados os melhores profissionais e personalidades do ano que têm ligação direta e indireta com o mercado da Música Gospel, bem como por meio de uma categoria especial, "Projeto Social", onde é destacada a importância da responsabilidade que este segmento tem com a sociedade. São de Marcelo Rebello as palavras: "Melhoramos muitos detalhes pensando nos expositores, nos visitantes, na imprensa, nos músicos e nos líderes. Grandes sócios chegaram para somar esforços, experiências, ideias e prestígio na concepção desse novo formato de feira: o que era bom, ficou ainda melhor, mais confortável e dinâmico. Além da área de exposição dos estandes, agora temos também mais 6 auditórios, com palcos e iluminação profissional, onde vão se apresentar simultaneamente grandes nomes da música Gospel. Serão mais de 200 shows, teremos o Espaço Hip-Hop, que vai homenagear a cultura Hip-Hop com a presença dos 4 elementos, o Break (B-Boys): que representa o corpo através da dança; o MC (Mestre de Cerimônias): a consciência, o cérebro; o DJ (Disk-Jockey): a alma, essência e raiz; e o Graffitii: a expressão da arte, o meio de comunicação. No mesmo local vão acontecer batalhas de MC´s e DJ´s, e vai existir uma representação da Estação São Bento, para abrilhantar a festa por onde vão passar vários "poetas de rua" do Gospel e laico, além do público; Espaço Samba Gospel para quem gosta de swing, tem samba no pé e Jesus no coração; a Exposição Gospel Memórias - Dias Que Não Voltam Mais, que pretende levar o público à uma emocionante viagem ao tempo, grandes eventos, igrejas e estádios lotados, mídias que noticiaram o crescimento do estilo, músicas que marcaram gerações, conversões, nomes que escreveram a história da Música Gospel no passado vão ser lembrados e homenageados. A exposição vai poder ser visitada por todo o público presente na feira e vai ser liberado o uso de máquinas fotográficas e filmadoras; o Fórum Nacional de Música Gospel, discutindo tendências e o futuro do estilo musical, além da grande novidade, o SING FESTIVAL, 3 Festivais simultâneos de Bandas, Cantores e Dança, feitos especialmente para descobrir novos talentos e abrir uma inédita vitrine, unindo as igrejas e ministérios neste grande evento musical; a Exposição Música Para os Olhos, do fotógrafo Décio Figueiredo, entre outras novidades que ainda serão divulgadas pela assessoria do evento.

No SALÃO INTERNACIONAL GOSPEL, o social também é assunto importante. O evento servirá como ponte para pontos de arrecadação de alimentos, brinquedos e agasalhos, que serão doados para entidades beneficentes.

Segundo a organização, o objetivo do Salão Internacional Gospel é oferecer ao mercado um evento jamais visto antes, com toda estrutura, transparência, seriedade e preocupação em atender às normas de qualidade total. A intenção é preencher lacunas que sempre existiram dentro do mercado Gospel. Criando um espaço totalmente dedicado à música, onde gravadoras, cantores independentes, indústrias de instrumentos musicais, lojistas, imprensa e, principalmente, o público serão muito bem-vindos. Aproximar os artistas do seu público, os lojistas dos seus consumidores diretos e a imprensa do evento, pois tem na imprensa que tem compromisso com a verdade e com a informação grandes parceiros. O evento tem uma proposta totalmente inovadora e o que o torna diferente é exatamente o comprometimento com todo o mercado musical cristão, independentemente de tamanho, raça, cor, denominação ou poder aquisitivo. Que todos venham, participem, tenham liberdade para adorar, que os expositores façam bons negócios, que a imprensa faça brilhante cobertura e visitantes saiam satisfeitos com tudo que ouviram, viram e participaram.

Maiores informações sobre a feira: www.salaointernacionalgospel.com.br


Luciana Mazza
MR1 Comunicação & Marketing
SALÃO INTERNACIONAL GOSPEL
mr1assessoriadeimprensa@gmail.com
13 7813.5186 | 87*13165

Sen. Marcelo Crivella, PRB/RJ, quer pedir ao governo do Irã pela vida do pastor Yousef Nadarkhani

http://www.youtube.com/watch?v=FQ52BMGEfJg

VIA GRITOS DE ALERTA

Ex-padre é batizado na Itália com líderes de paróquia


Ex-padre é batizado na Itália com líderes de paróquiaSua família o abandonou acusando-o de agora pertencer a uma seita protestante

O ex-sacerdote da igreja católica Luca De Pero foi batizado neste último sábado (24), numa praia em Cesena/Itália, pelo Pr. Fabiano Nicodemo, missionário da Junta de Missões Mundiais. O batismo era aguardado com muita expectativa. O ex-padre foi excomungado pelo bispo da região de Monte Cerignone e chamado de herege. Sua família também o abandonou acusando-o de agora pertencer a uma seita protestante.

Além do ex-padre, também a jovem Eliza e o casal Gioachino e Maria Roza Gandolfi, que eram líderes na mesma paróquia, deram sua pública confissão de fé em Jesus por meio do batismo. A cerimônia foi marcada por muita emoção, tanto dos irmãos batizados quanto da Igreja Evangélica Batista de Cesena e outras igrejas ali representadas.

O novo padre da paróquia Beato Domenico, da localidade de Monte Cerignone, onde Luca ministrava, havia pedido para que ninguém fosse ao batismo, entretanto, muitos amigos de Luca estiveram no culto.

Os dias que antecederam à cerimônia foram de muita pressão para esses novos crentes. A jovem Eliza, que era uma das catequistas da paróquia, chegou a ser ameaçada de morte pela própria mãe.

O culto aconteceu na tenda de um clube localizado na beira da praia. Cerca de 300 pessoas estiveram presentes. Os que seriam batizados deram breves e emocionados testemunhos da transformação que Jesus fez em suas vidas. O mensageiro foi o Pr. Fabiano Nicodemo, que pregou sobre o texto de João 3.1-13. Citando a história de Nicodemos, disse que as tradições religiosas não transformam as pessoas nem a religião salva o homem. Ao final, seis pessoas se decidiram por Cristo, algumas delas eram da mesma paróquia onde Luca De Pero era padre. Os batismos foram realizados no Mar Adriático.

Luca De Pero se converteu em 2008, mas continuou realizando os serviços na igreja católica. No ano passado, procurou o Pr. Fabiano Nicodemo e foi discipulado pelo missionário. Em agosto, anunciou o rompimento com a igreja católica, quando então começou a pressão por parte do bispo da região de Cesena. Ele foi procurado pelo clero católico e instado a abandonar a ideia de "se tornar protestante". A história de Luca ganhou destaque na imprensa local. Na semana passada, vários jornais o procuraram para falar um pouco mais sobre o caso.

A conversão de Luca De Pero é uma prova do que Deus está fazendo na Itália. A chegada desses novos irmãos deu um grande renovo à igreja em Cesena e um grande ânimo ao trabalho missionário no campo italiano.
Fonte: Junda de Missões Mundiais

Igreja protestante sofre ataque durante culto na Indonésia


Igreja protestante sofre ataque durante culto na Indonésia
No ataque suicida à Igreja Betel, 27 pessoas ficaram feridas

Um homem-bomba atacou uma igreja protestante no centro da Indonésia, província de Java, no último domingo. O ataque feriu vinte pessoas e matou um, segundo informações da polícia e das autoridades.

“Podemos confirmar que houve um ataque suicida na Igreja Betel Injil às 10:55”, disse um porta-voz da polícia da província da Java Central. O hospital e outros funcionários mais tarde disseram que até 27 pessoas ficaram feridas no ataque.

A polícia e outros funcionários do governo haviam dito que duas pessoas foram mortas, mas depois retificaram e esclareceram que a única pessoa que morreu era o homem-bomba.

O ministro de coordenação para assuntos políticos, legais, e de segurança, Djoko Suryanto, disse que as autoridades irão analisar as imagens do circuito fechado de câmeras da Igreja para identificar o homem-bomba.

Não existem provas concretas de que algum grupo terrorista estava por trás do ataque, mas suspeita-se do líder muçulmano radical Abu Bakar bashir, que foi preso por 12 anos acusado de financiar um grupo terrorista que planejava ataques contra ocidentais e líderes políticos.

Além disso, as igrejas cristãs tem sido alvo de militantes islâmicos que se opõem à propagação do cristianismo no país e desejam estabelecer as leis islâmicas em várias partes do país mais muçulmano do mundo.

Confrontos entre muçulmanos e cristão teriam matado mais de 9 mil pessoas na Indonésia entre os anos de 1999 a 2002.
Fonte: Worthy Christian News/Portas Abertas/Redação CPADNews
VIA GRITOS DE ALERTA

Pastor Yusef Nadarkhani não nega a Jesus no último julgamento e é condenado a morte; Líderes mundiais comentam

Pastor Yusef Nadarkhani não nega a Jesus no último julgamento e é condenado a morte; Líderes mundiais comentamNo julgamento que aconteceu na quarta-feira, 28, o pastor Yousef Nadarkhani voltou a afirmar sua fé em Jesus Cristo e de acordo com a Sharia [lei islâmica] ele foi condenado pelo crime de apostasia (abandonar o islamismo) e sentenciado a morte por enforcamento.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica GospelNa noite de ontem a ACLJ (Centro Americano pela Lei e a Justiça) chegou a divulgar uma nota dizendo que um dos juízes havia revogado essa sentença, mas que essa informação não era certa, já que pode ser apenas uma mentira espalhada pelo serviço secreto iraniano para enganar os meios de comunicação que estão acompanhando o caso.
Representantes do Portas Abertas também receberam essa informação, mas não há certeza do que pode acontecer com o pastor. O ministério também informou que a família de Nadarkhani está bastante abalada, inclusive sua esposa está em estado de depressão.
“Estou em contato com o Irã”, disse uma fonte próxima a família do pastor para o Portas Abertas. “Mas as notícias não são muito boas, mas vamos esperar. Se eles realmente quiserem, eles podem matá-lo porque ele se recusou a negar sua fé. Deixamos tudo nas mãos de Deus.”
Para o Compass Direct, uma fonte informou que eles podem matar o pastor Nadarkhani a qualquer momento. “Eles podem enforcá-lo ao meio dia ou então daqui a 10 dias. Às vezes entregam o corpo para a família junto com o veredito. Eles têm ultrapassado as fronteiras da lei”.

Líderes mundiais pedem liberdade

O Irã está atraindo críticas difundidas sobre os relatos de que um pastor iraniano enfrentará a execução por se recusar a negar sua fé cristã e voltar ao Islamismo.
Presidente da Câmara, John Boehner, emitiu quarta-feira uma declaração pedindo ao Irã para poupar a vida de Yusef Nadarkhani.
“Peço aos líderes iranianos que venham abandonar este caminho obscuro, e poupem a vida de Yusef Nadarkhani, concedendo-lhe uma liberdade completa e incondicional”, disse Boehner, republicano de Ohio.
“A liberdade religiosa é um direito humano e universal”, disse Boehner. Disse ainda da perspectiva de que Nadarkhani poderia ser executado “a menos que ele nega a sua fé cristã, é angustiantes para as pessoas de cada país e credo
“Enquanto governo iraniano afirma que promove a tolerância, ele continua a aprisionar muitos do seu povo por causa de sua fé. Isso vai além da legislação, sendo um problema de respeito fundamental pela dignidade humana”, disse Boehner.
O Secretário Britânico das Relações Exteriores, William Hague disse que “lamentou” os relatórios da sentença do pastor. Ele pediu que o governo iraniano venha respeitar os seus compromissos internacionais de direitos humanos e revogue a decisão.
Nadarkhani tem 30 anos, se converteu do islamismo ao cristianismo a 19 e depois se tornou pastor de uma pequena congregação evangélica chamada de Igreja do Irã, informou a AFP.

Abaixo assinado por liberdade para o Pastor

A Igreja brasileira pode ajudar as organizações internacionais a tentar impedir que o pastor Nadarkhani seja morto em razão de sua fé. É possível assinar uma petição pública no site da Christian Solidarity Worldwide através deste link e-activist.com/ea-action/action?ea.client.id=88&ea.campaign.id=12209.
Tutorial para preencher o abaixo assinado.
2) preencha os espaços requeridos com seus dados pessoais: nome, sobrenome, endereço, Cidade, CEP e email.
3) no espaço onde está escrito ADD YOUR MESSAGE HERE, copie e cole o email abaixo (favor, não acrescentar nada além do que já está escrito)
Your Excellency, the Ambassador of Iran
Dear Sir,
Along with many other people around the world, I have been following with great concern the case of Pastor Yousef Nadarkhani, who is being tried by a court in Rasht due to his religious beliefs.
I am writing to express my concern and hope that the court will drop all charges against Pastor Yousef, in accordance with international law and especially Iranian law and constitution, which clearly allows freedom for Christians to maintain their religious beliefs and practices.
I am also requesting Your Excellency to pass on my appeal and that of many others to the Iranian government, as a matter of great urgency in this case, so that an innocent person may not be condemned and the constitution of Iran may not be violated.
I am very grateful for your attention to this request.
Respectfully and sincerely,
Com informações de Gospelprime e Padom
VIA GRITOS DE ALERTA

Homem mata gestante a tiros e tira a própria vida em igreja

Assassinato seguido de suicídio ocorreu em igreja de Madri, na Espanha. Equipe de emergência salvou bebê fazendo cesariana dentro do templo.

Um homem armado entrou em uma igreja católica em Madri, na Espanha, e matou uma mulher grávida logo antes de tirar a própria vida nesta quinta-feira (29), segundo informou um oficial da polícia local. Ainda de acordo com o policial, a equipe de paramédicos que prestou socorro teria conseguido fazer uma cesariana dentro da igreja e salvado o bebê.

O tiroteio ocorreu pouco antes de uma missa na Igreja de Santa Maria, em um bairro de classe média-alta em Madri, de acordo com a polícia. Uma mulher que estava sentada perto da vítima foi ferida por um dos tiros.

A gestante morta estava a apenas dias de dar à luz.
O jornal espanhol "El Mundo" afirma em seu site que o atirador tinha 34 anos, e a grávida, 36. Também diz que a criança é um menino, e que ele foi encaminhado ao Hospital de La Paz, onde permanece em UTI.

A mulher que foi ferida por um disparo, também segundo o jornal, foi atingida no tórax e se encontra em estado grave em um centro hospitalar. A mãe da vítima fatal, que se encontrava ao lado da filha no momento dos tiros, teria sofrido um ataque de ansiedade durante o tiroteio.

Segundo o vigário local, o atirador chegou a ser visto durante a tarde nas cercanias da igreja levando uma bolsa. O homicídio ocorreu pouco antes da missa das 20h locais (17h em Brasília).

Fonte: G1

VOCÊ QUER ISSO AQUI NO BRASIL ? PORQUE O PT NÃO FAZ NADA AGORA ? SE TEM TANTA AMIZADE COM ESSE BANDO ? Pastor cristão é condenado a pena de morte no Irã. EUA pedem clemência .

O pastor Youcef Nadarkhani, 34, que se converteu do islamismo para o cristianismo foi condenado à pena de morte no Irã por recusar voltar à sua antiga religião.
( POIS PARA OS ISLÂMICOS , A MORTE PARA OS CRISTÃOS É POUCO )
Youcef Nadarkhani, 34, se recusou a cumprir uma ordem judicial que o obrigava a se converter novamente ao islamismo. ESSA ORDEM É DADA EM TODOS PAISES COM UM GOVERNO ISÇÂMICO .  A sentença foi proferida por uma corte na província de Gilan, na cidade de Rasht.

O pastor foi detido em outubro de 2009 quando tentava registrar sua igreja na cidade. Youcef começou a questionar a supremacia dos muçulmanos para doutrinar as crianças, e acabou acusado de tentar "evangelizar" muçulmanos e de abandonar o islamismo, o que pode levar à pena de morte no país.
Sua primeira condenação aconteceu em 2010, mas a Suprema Corte do Irã interveio e conseguiu adiar a sentença. Ao ser revisto, o processo resultou na mesma condenação ao fim do sexto dia de audiência, nesta quinta-feira.

No tribunal, o pastor disse que não tinha intenção de voltar ao islamismo, chamando sua crença anterior de "blasfêmia".

Agora, a defesa de Youcef tentará novamente recorre à Suprema Corte, pedindo a anulação da pena. O advogado de Youcef, Mohammed Ali Dadkhah acredita que tem 95% de chance de anular a sentença. No entanto, alguns apoiadores temem que a Suprema Corte demore para analisar o pedido e o pastor seja executado nos próximos dias.

O ministro de Relações Exteriores britânico, William Hague, comentou o caso e pediu que o Irã cancele a sentença. "Eu repudio o fato de que Youcef Nadarkhani, um líder cristão, possa ser executado por se recusar a cumprir a ordem da Suprema Corte para que ele se convertesse ao islamismo. Isso demonstra que o regime iraniano continua não respeitando o direito à liberdade religiosa".

EUA pedem clemência ao Irã por pena de morte contra pastor
Os Estados Unidos afirmaram nesta quinta-feira que o Irã mostrará um "desprezo total" pela liberdade religiosa se suas autoridades executarem um pastor iraniano que se recusa a negar sua fé cristã para se converter ao islã.

"Os Estados Unidos condenam a pena de morte imposta ao pastor Youssef Nadarkhani. A execução da pena capital constituirá uma nova prova do desprezo das autoridades iranianas pela liberdade de culto", declarou o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, em um comunicado. "O pastor Nadarkhani não fez nada além de manter sua fé devota, que é um direito universal de todas as pessoas".

"A tentativa das autoridades iranianas de forçá-lo a renunciar a sua fé viola os valores religiosos que elas alegam defender, atravessa todos os limites da decência e viola as próprias obrigações internacionais do Irã", disse Carney. "Nós convocamos as autoridades iranianas a libertar o pastor Nadarkhani e a demonstrar compromisso com os Direitos Humanos básicos e universais, incluindo a liberdade de religião".

O tribunal onde estão sendo realizados os julgamentos está cercado por forças de segurança desde que começaram as audiências do pastor. O tribunal concedeu a Yousef três chances para que ele pudessem se retratar, negar o cristianismo e voltar ao Islã. Somente dessa maneira ele poderia ter sua vida poupada. Mas em todos os casos, ele se recusou a negar a Cristo.

“Estou em contato com o Irã”, disse uma fonte próxima a família do pastor. “Mas as notícias não são muito boas, mas vamos esperar. Se eles realmente quiserem, eles podem matá-lo porque ele se recusou a negar sua fé. Deixamos tudo nas mãos de Deus.”

Um advogado de defesa disse a família Nadarkhani e amigos que havia uma maneira de levar o caso ao Tribunal Supremo, o que poderia estender a pena de Nadarkhani na prisão, mas existe a informação de que o Supremo Tribunal Federal do país deseja que essa situação seja resolvida o quanto antes.

“Yousef é conhecido como um herói, por isso, se ele for libertado, o governo será visto como alguém que foi derrotado”, disse ele. “Mas se eles o deixarem na prisão, haverá mais pressão internacional.”

“Eles provavelmente não irão matá-lo hoje, mas podem fazer isso quando quiserem”, disse a fonte para o Compass. “Eles podem enforcá-lo ao meio dia ou então daqui a 10 dias. Às vezes entregam o corpo para a família junto com o veredito. Eles têm ultrapassado as fronteiras da lei”

A fonte disse que a esposa de Nadarkhani está muito apreensiva com relação a decisão do tribunal. Eles tem dois filhos: Joel, 7 anos, e Daniel, 9 anos. “A mulher dele está em depressão e preocupada. É uma situação difícil para toda a família.”

O último cristão executado por questões religiosas no Irã foi o pastor da Assembleia de Deus, Hossein Soodmand, em 1990. No entanto, dezenas de iranianos que se converteram ao cristianismo foram misteriosamente assassinados nos últimos anos.

Fonte: UOL, Terra e Missão Portas Abertas
VIA GRITOS DE ALERTA

Geração de Yousef...


Confesso que meus olhos marejaram hoje de manhã, ao pensar na situação do Pastor Yousef Nadarkhani, enquanto a maior parte dos cristãos tem se dobrado a Baal e a Mamon, ainda há um remanescente, um povo que não se dobra diante do sistema, e que dá a sua própria vida, mas não nega o Jesus, que um dia se entregou por eles na cruz.
Fico meditando nas canções que ouço, produzidas pela mídia gospel, na maioria das vezes só com o intuito de vender.
Na minha turma de teologia tem um senhor, que sempre diz, que os hinos da harpa cristã foram inspirados, depois disso os hinos foram todos catados, feitos sem compromisso nenhum com Deus.
É claro que não penso como ele, que todos os hinos atuais sejam ruins, tem muita gente séria que esta louvando e compondo para o Senhor, sem querer nada em troca...
Mas fico ouvindo, e vejo que muitos hinos falam de Geração, é Geração de Daniel, Geração de Samuel, Geração de Davi...
E o que muda?
Qual o propósito?
Gerações e gerações passam diante dos nossos olhos, dizendo que mudarão a história da nação, e no fim acabam frustrados...
A grande verdade é que a geração em que nós vivemos é a geração de DEMAS.
Do qual Paulo fala em II Timóteo 4:10:
- Por que Demas, me abandonou, tendo amado o mundo presente...
Geração que se rende as riquezas, as falsas doutrinas, aos prazeres desse presente século e nega seu criador.
Que Deus nos dê sim uma nova Geração, uma geração de Yousef, de pessoas que prefiram morrer a negar a Cristo, de pessoas que abandonem tudo por ele...
Faço minhas as palavras de Spurgeon:
Preparem-se, meus jovens amigos, para se tornarem cada vez mais fracos; preparem-se para mergulhar a níveis cada vez mais baixos de auto-estima; preparem-se para a auto-aniquilação e orem para que Deus apresse este processo.
Graça e Paz a todos...
Lennon Carvalho, Orando pelo Pr Yousef Nadarkhani, una-se a nós, ore por ele antes de repousar sua cabeça sobre o travesseiro...
P.S.:Para saber a história de Yousef Nadarkhani clique aqui.

VIA GRITOS DE ALERTA

Pastor iraniano permanece firme na fé, em face da Execução


Tribunal para determinar o destino Yousef Nadarkhani na próxima semana.
ISTAMBUL, 28 de setembro (CDN) - Pastor Yousef Nadarkhani se recusou a negar sua fé cristã hoje na audiência, quarta e última, no Irã para apelar sua sentença de morte por apostasia (abandono do islã).
A casa de corte em Rasht, 243 km (151 milhas) a noroeste de Teerã, tem swarmed com forças de segurança durante quatro dias consecutivos desde domingo (25 de setembro), o primeiro dia de suas quatro audiências de recurso. Ao aplicar a sharia (lei islâmica), o tribunal na segunda-feira, terça-feira e hoje deu a Nadarkhani três chances para negar o cristianismo e retornar ao islamismo a fim de que sua vida seja poupada. Em todos os casos, Nadarkhani se recusou.
“Estou em contato com o Irã,” uma fonte próxima à família Nadarkhani disse, “mas a notícia não é muito boa. Vamos ver… Se eles realmente querem, eles podem matá-lo, porque ele não renunciou à sua fé. Terminou hoje. Nós deixamos tudo nas mãos de Deus. ”
As autoridades prenderam Nadarkhani em sua cidade natal de Rasht em outubro de 2009, porque ele teria questionado aulas de religião obrigatória nas escolas iranianas. Em setembro de 2010, o tribunal de apelações em Rasht o considerou culpado de apostasia e em novembro foi emitida uma confirmação por escrito de seus encargos e sentença de morte.
Em uma audiência de apelação, em junho, a Suprema Corte do Irã confirmou sentença Nadarkhani, mas pediu ao tribunal em Rasht para determinar se ele era um muçulmano praticante antes de sua conversão. A Suprema Corte também determinou que sua sentença de morte poderia ser anulada se ele negasse sua fé.
No domingo (25 de setembro) nas duas primeiras horas e meia do tribunal, os juízes determinaram que Nadarkhani de fato não era um muçulmano praticante antes de sua conversão ao cristianismo. A fonte disse que neste período de tempo as coisas pareciam mais promissores para Nadarkhani, e que o tribunal poderia reverter a sentença com base nas conclusões.
No final, no entanto, o tribunal declarou que, embora Nadarkhani não fosse um muçulmano praticante antes de sua conversão, ele ainda era culpado de apostasia, devido à sua ascendência muçulmana, a fonte disse ao Compass.
Agentes do serviço secreto cercaram o tribunal e mantiveram uma presença lá durante todo o dia seguinte, nem para sua mulher, Tina, era permitido entrar no tribunal. No domingo (25 de setembro), ela foi autorizada a ficar na porta por alguns minutos para ver o marido, disse a fonte.
Um advogado de defesa disse à família Nadarkhani e amigos, há uma maneira de levar o caso ao Tribunal Supremo, ou estender a pena Nadarkhani de prisão, mas a fonte disse que as diretrizes do Supremo Tribunal Federal eram claras e que não achava que havia muita esperança.
“Yousef é conhecido como um herói, por isso, se ele for liberado vai parecer que o governo foi derrotado”, disse ele, “mas se deixá-lo na prisão poderia haver mais pressão internacional”.
É difícil, mas não é impossível, para governos estrangeiros negociar e se engajar em diplomacia com autoridades iranianas sobre o caso Nadarkhani, a fonte disse, acrescentando que sua situação poderia ser mais esperançosa se eles interviessem.
“Eles precisam começar a negociar”, disse a fonte. ”É o momento de negociar, porque se o fizerem, a situação poderia ser regulamentada.”
A fonte e a comunidade internacional disseram temer por que as autoridades podem matar Nadarkhani a partir desta noite à meia-noite ou em qualquer momento na próxima semana. O tribunal disse que um veredicto sobre Nadarkhani seria emitido na próxima semana.
“Eles provavelmente não irão matá-lo hoje, mas podem fazê-lo quando quiserem”, disse a fonte.”Eles podem enforcá-lo no meio da noite ou em 10 dias. Às vezes, no Irã, eles chamam a família e entregar o corpo com o veredicto. Eles têm ido além das fronteiras da lei. Isso não está na lei iraniana, esta é a sharia. Às vezes, eles nem sequer dão o corpo. ”
Os apelos finais audiência de hoje duraram cerca de uma hora e meia, terminando por volta da 01:00, após o advogado de defesa Nadarkhani, Mohammad Ali Dadkhah, dar a sua defesa de fechamento.Dadkhah também enfrenta acusações por “ações e propaganda contra o regime islâmico”, devido a suas atividades de direitos humanos.
As audiências na segunda-feira (26 de setembro) e ontem durou apenas 30 minutos, tempo suficiente para Nadarkhani recusar-se a negar o cristianismo.
A fonte disse que a esposa Nadarkhani de 30 anos de idade está muito apreensiva sobre o que os tribunais podem decidir esta semana. Eles têm dois filhos: Joel, 7 e Daniel, 9.
“A mulher está sob pressão e preocupada; podemos dizer a sua esposa está muito preocupada”, disse ele. ”É difícil para toda a sua família, é difícil para nós.”
Nadarkhani, cujo primeiro nome é também escrito Youcef, pertence à Igreja do Irã, um grupo que tem sido marginalizado por outros grupos cristãos iranianos sobre as preocupações de sua doutrina sobre a Trindade, que seria “inadequada”.
Esta é a de declaração de fé de sua igreja no Irã, em seu site http://www.eglisediran.org/?page_id=8 afirma que Deus é “revelada nas Escrituras como Pai, Filho e Espírito Santo (Mateus 3:16-17, 28: 19) “.
Declaração da igreja da fé também afirma que “… o senhorio de Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, o Verbo manifestado em carne. Nós acreditamos que Ele é do Espírito Santo (Mt 1:20) e Ele nasceu de uma Virgem Maria (Mt 1:23, Lucas 1:34). Nós acreditamos na Sua morte expiatória e redenção (Hb 9:28), em Sua ressurreição corporal (Lucas 24:39), em Sua ascensão (Atos 1:9-11), em seu retorno em pessoa para reunir Sua Igreja (1 Tess. 4:17), seguido por sua vinda em glória para julgar a todos e estabelecer o reino de mil anos (Apocalipse 1:7). ”
A igreja também afirma que acredita que o batismo “do Espírito Santo (Mateus 03:11, Marcos 01:08, Lucas 3:16, João 1:33, Atos 1:5, 2:38) é o novo nascimento ( João 3:5-8). Introduz o cristão na vida eterna de Deus e leva a toda a verdade, à santidade na comunhão com Cristo. ”


VIA GRITOS DE ALERTA

Em nome da Liberdade

 


A liberdade é um dom de Deus para nós, para escolhermos e vivermos de acordo com os Seus propósitos divinos mostrados na Bíblia. Esta é a liberdade que eu defendo, mas ela não significa que qualquer um pode fazer o que quiser, quando quiser em prejuízo de outros. Esta não é o tipo de liberdade que Deus aponta para os seres humanos. Esta é o tipo de “liberdade” que Alá advoga no islamismo, ordenando aos muçulmanos a obrigar os não muçulmanos a seguirem o islamismo ou serem mortos ou, na melhor das hipóteses, pagarem os humilhantes impostos de sobrevivência. Em outros países, os muçulmanos vivem pedindo liberdade de culto e de expressão de acordo com a Constituição de países como o Brasil, os Estados Unidos e de outras nações livres. E eles têm este direito garantido, o qual eu também defendo. Eles têm de ter os mesmos direitos dos cristãos de construir seus lugares de culto.
O problema é que esses lugares de culto podem se transformar em centros de violência (como eles têm em outros países), para treinar muçulmanos jovens e adultos a usar armas, equipar muçulmanos para realizar os seus sonhos de controlar o ocidente e o mundo inteiro. Os cristãos precisam acordar e tomar conhecimento destas situações.
Mesquitas e centros islâmicos coletam dinheiro para os fundamentalistas islâmicos do Irã, Iraque, Afeganistão, Paquistão e Egito, estabelecendo esses centros de violência contra os Estados Unidos da América, chamado pelos muçulmanos do Oriente Médio de “o grande satanás”, e contra outras nações livres!
Nos países islâmicos não há liberdade de culto nem de expressão para os cristãos. Por exemplo, o governo do Egito fecha igrejas, prende os pastores que têm coragem suficiente de reformar suas igrejas sem permissão por escrito da polícia secreta, acusa falsamente um conhecido bispo da igreja ortodoxa do Egito e o prende porque ele escreveu aos egípcios que moram no exterior falando das mortes e torturas de cristãos em sua aldeia!
Se os muçulmanos da América pedem mais liberdade para promover o islamismo em programas de rádio e televisão e de centros islâmicos, precisamos estar atentos a tudo isto e não permitir a liberdade muçulmana nos EUA, para evitar que tenhamos de fazer o mesmo em países islâmicos. Por exemplo, o governo do Irã fechou a Sociedade Bíblica, exilou seu diretor e torturou alguns dos membros da família dele. A Arábia Saudita não dá aos cristãos liberdade de visitar nem de passar pela cidade de Meca, porque são infiéis e vão macular Meca se passarem por ela.
Nós, como cristãos, precisamos saber o real valor no uso do rádio, da televisão e da Internet para ganhar muçulmanos para Cristo e ajudá-los a crescer nEle. Enquanto os muçulmanos tentam conquistar a máxima liberdade nos EUA, eu recebo cartas de muitos deles ameaçando-me, tentando me fazer parar de escrever ou esclarecer os outros sobre o islamismo. Eu não os culpo pelas seguintes razões:
1. A permanência nas trevas dos ensinos islâmicos em todos estes séculos tornou os muçulmanos muito sensíveis à luz de Cristo, a qual usamos para conquistar as trevas. O poder das trevas tem medo da simples mensagem cristã sobre a redenção disponível em Jesus Cristo.
2. Ao tomarem conhecimento da maior parte dos ensinos do islamismo e dos ensinos de Cristo Jesus, e ao ficarem sabendo da realidade de ambos, os muçulmanos ficam chocados e reagem com violência.
3. Por terem nascido e crescido num ambiente de ódio aos cristãos, os muçulmanos não querem ouvi-los mesmo que seja para o seu próprio bem. Ibn Hazem (um comentarista muçulmano) declara em seu livro (vol. 8, parte 11, p. 274): “É mandatório matar qualquer um do povo da aliança que maldiga um muçulmano, seja ele judeu ou cristão, porque Deus diz: ‘Pague o tributo prontamente e seja rebaixado (humilhado)’” (Sura 9.29). Isto significa que os cristãos nos países muçulmanos não podem falar nada contra os muçulmanos. Os crentes verdadeiros não amaldiçoam, ao contrário, abençoam até os seus inimigos.
4. O aprofundamento na leitura do Alcorão e dos livros islâmicos, especialmente o Hadith, e a leitura dos ensinos do profeta do islamismo, impede que os muçulmanos entendam o que queremos dizer por amor e de manter bons relacionamentos com os cristãos. Há uma declaração muito conhecida do profeta do islamismo que diz: “Não cumprimente judeus nem cristãos. Se encontrar um deles na rua, obrigue-o a passar pela parte mais apertada” (Sahih do Muçulmano, interpretação de Nawawi, vol. 5, p. 7).
5. Na revista de AlAzhar, Al-Liwa Al-Islami, número 153, o Dr. Ahmed Umar Hashim disse: “O islamismo não proíbe [muçulmanos] de fazer negócios com não muçulmanos, mas proíbe a amizade sincera porque a amizade sincera só pode existir entre um muçulmano e seu irmão muçulmano!”
6. Desde os primórdios do islamismo, a luta física era o único jeito que o muçulmano conhecia de ganhar uma batalha com outra religião! Daí porque eu não os culpo, não os odeio, nem revido. Ao contrário, desafio todos a orar por eles, se interessar por eles e a amá-los. Uma das coisas mais eficazes que atraem os muçulmanos a Cristo é quando eles encontram um cristão de verdade. Eles sentem o amor verdadeiro que esse cristão tem por eles apesar do ódio que os muçulmanos têm dos cristãos.

Em Nome da LiberdadeDr. Salim Almahdy
VIA GRITOS DE ALERTA
Porque eu creio que as nossas orações tornam o impossível possível, vamos orar por nossos amados muçulmanos.

CHINA: Pastor é condenado a trabalho forçado

A repressão contra igrejas domiciliares na China continua intensa como nunca. Num dos exemplos mais recentes dessa repressão, temos a condenação do pastor Shi a dois anos de trabalho forçado em campos de concentração. A condenação aconteceu no mês de julho deste ano. Esse caso revela um interesse especial do governo chinês nas igrejas que não tem um prédio próprio para realizar os cultos. O pastor Shi, é o vice-presidente da Igreja Aliança Chinesa, na cidade costeira de Suqian. Ele foi acusado de realizar “reuniões ilegais em lugares ilegais para realizar cultos religiosos”, uma vez que os membros da Aliança Chinesa reúnem-se nas casas dos próprios membros. Em 31 de maio, a polícia deteve o pastor Shi preso por 12 dias. Em seguida, no dia 21 de junho a Secretaria de Segurança Pública de Suqian redigiu um novo documento pedindo novamente a detenção do pastor. O Departamento de Proteção de Segurança Doméstica também ordenou o fim das reuniões domiciliares e confiscou o carro da congregação, instrumentos musicais e roupas do coral, além de 140 mil yuans (cerca de 32 mil reais). O pastor Shi e sua esposa, Zhu Guangyun, são ambos de 55 anos. Sua mãe de 86 anos, Liu Guanglan, requer cuidados constantes, que é fornecido pela esposa do pastor. Seu filho, pastor Shi Yongyang, e sua esposa estão no ministério em tempo integral. Foi ele quem assinou a papelada da sentença do seu pai na delegacia, mas a polícia se recusou a dar-lhe uma cópia dos documentos assinados. Todos os três filhos do pastor Shi, com seus respectivos cônjuges, foram ameaçados pela polícia. A sentença de dois anos de “reeducação pelo trabalho” é uma punição extrajudicial, que pode ser emitida pela polícia sem a necessidade de nenhum julgamento, nenhuma condenação por um crime e nenhuma revisão de um tribunal ou juiz. Ele é frequentemente usado como punição para aqueles que cometeram pequenos delitos ou para os dissidentes da política do país e adeptos a grupos religiosos, como igrejas domésticas e cristãos praticantes.


 Fonte: China Aid Association

O Pastor Y Wo Nie foi preso no dia 18 de agosto de 2004

25
O Pastor Y Wo Nie foi preso no dia 18 de agosto de 2004, por liderar uma manifestação exigindo mais liberdade religiosa e a liberação dos bens confiscados pelo governo vietnamita. Ele recebeu uma sentença de nove anos. As autoridades não permitiram sua família de visitá-lo durante meses seguidos.
Pedimos aos irmãos de todo Brasil que escreva uma carta de encorajamento ao pastor para que ele saiba que não está só, que existe alguém intercedendo por ele e pelos fiéis no Vietnã. Tabém incentivamos a você a divulgar essa perseguição no Vetnã aos seus amigos. Incentive-os a orara e a também escrever aos prisioneiros. Além disso, escreva para as autoridades vietnamitas solicitando liberação de Nie. Suas letras fazem a diferença.
Envolva-se! Orar e escreva para Nie hoje.
Carta da esposa do pastor Y Wo Nie
Recentemente, recebemos uma carta da esposa do pastor Y Wo Nie. Ela escreveu: “A situação de nossa família está muito difícil. Eu não tenho um emprego fixo que possa garantir o salário mensal. Trabalho como diarista alguns dias por mês e o que ganho é muito pouco. Meu filho mais novo é muito doente e está sempre precisando de médico e medicação. Não está fácil”.
Recentemente, ela pode visitar o marido na prisão, graças a doadores VdM. Seu marido está doente. Ela disse: “Estou preocupado com meu marido, mas Deus me dá Seu conforto que Ele está sempre conosco e que temos de enfrentar situações de doença ou dificuldade. Ele vai me ajudar a superar os meus tempos difíceis.”
Você pode ajudar financeiramente essa família através do projeto Famílias de Mártires. Se houver interesse, entre em contato com a VdM e peça mais informações.
Por favor, orem pela família do pastor Y Wo Nie.

VÓZ DOS MARTIRES.
VIA GRITOS E ALERTA

COMO AS MULHERES SÃO TRATADAS NO ISLâMISMO ?

Tratamento para as mulheres

Como as Mulheres são Tratadas no Islamismo
Dr Salim Almahdy
Este mês, vamos continuar tratando da questão da mulher no islamismo, assunto que tocamos de leve no mês passado. É um dos assuntos mais críticos que os muçulmanos tentam esconder dos ocidentais, pois ninguém consegue imaginar que possa existir uma religião que confesse ter este tipo de tratamento para com as mulheres. Estarei mencionando o que o Alcorão e o Hadith (ensinos, palavras e atos de Maomé) mencionam sobre as mulheres no islamismo, assim como a opinião de Maomé e dos Califas.
O Que É A Mulher No Islamismo?
No islamismo, a mulher é considerada um “brinquedo” (daí porque usei a palavra “que” em vez de “quem”). Isto é tirado literalmente do que o profeta Maomé e o Justo Califa Umar Ibn Al Khattab (um dos sogros de Maomé) declararam; do verdadeiro tratamento que as mulheres recebem nos dias de hoje na maioria dos países islâmicos; e da diferentes doutrinas do islamismo a respeito das mulheres (casamento no islamismo, direitos da mulher, status da mulher em comparação com os homens, os deveres da mulher para com o seu marido, etc.).
Em seu livro, Al-Musanaf (Vol. 1, parte 2, página 263), Abu Bakr Ahmed Ibn Abd Allah (um dos sábios muçulmanos) disse: “Umar (o Justo Califa) estava certa vez falando, quando sua esposa o interrompeu, e ele disse a ela: ‘Você é um brinquedo, se precisar de você, eu a chamo’”. Amru Bin Al Aas (também um Califa) disse: “Mulheres são brinquedos; escolha uma” (Kans-el-Ummal, Vol. 21, Hadith N° 919). O próprio Maomé disse: “A mulher é um brinquedo, quem quiser levá-la, deve cuidar dela”, segundo Ahmed Zaki Tuffaha, na página 180 do livro Al-Mar’ah wal-islam (A Mulher e o Islamismo).
A Superioridade do Homem Sobre a Mulher
Sura 4.34 (um capítulo do Alcorão) declara: “Os homens têm autoridade sobre as mulheres porque Alá fez um superior à outra”. Na página 36 deste livro, A Mulher e o Islamismo, Ahmed Zaki Tuffaha escreveu: “Deus estabeleceu a superioridade do homem sobre a mulher pelo verso acima (Sura 4.34), o que não permite a igualdade entre o homem e a mulher. Porque aqui o homem está sobre a mulher devido à sua superioridade intelectual. . .”
Como cristãos, podemos nos alegrar com o que a Bíblia diz: “Não há judeu nem grego, escravo nem livre, homem nem mulher; pois todos são um em Cristo Jesus” (Gálatas 3.28).
No Islamismo, não somente a mulher é considerada um brinquedo e inferior ao homem, mas as mulheres são consideradas como tendo muitas deficiências.
1. A mulher é deficiente em inteligência e em religião.
No livro de Sahih Al Bukhari, que os muçulmanos consideram o livro mais autêntico depois do Alcorão, lemos: “Certa vez, o Apóstolo de Alá disse a um grupo de mulheres: ‘Não conheço ninguém mais deficiente em inteligência e religião do que vocês. Um homem prudente, sensível pode ser desencaminhado por qualquer uma de vocês’. As mulheres perguntaram: ‘Ó Apóstolo de Alá, qual a deficiência da nossa inteligência e da nossa religião?’ Ele disse: ‘Não é a evidência de duas mulheres igual ao testemunho de um homem?’ Elas responderam que sim. Ele disse: ‘Essa é a deficiência da sua inteligência’… ‘Não é verdade que as mulheres não podem orar nem jejuar durante a menstruação?’ As mulheres responderam que sim. Ele disse: ‘Essa é a deficiência da sua religião’”. Este Hadith é inteiramente aceito, o que lhe dá um alto grau de autenticidade no islamismo. Por isso ele é aceito e usado por eminentes estudiosos como Ghazali, Ibn Al Arabi, Razi e muitos outros.
2. A mulher é deficiente em gratidão.
Em Sahih Al Bukhari (Parte 1, Hadith N° 28), lemos: “As mulheres são mal agradecidas aos seus maridos pelos favores e o bem [atos de caridade feitos a elas]. Se você sempre tiver sido bom [benevolente] a alguma delas e então ela vir alguma coisa em você [que não seja do agrado dela], ela vai dizer: ‘Nuca recebi nenhum bem de você’”.
3. As mulheres são semelhantes a uma costela curvada.
Em Sahih Al Bukhari (Pasrte 7, Hadith N° 113) está afirmado: “A mulher é como uma costela; se você tentar endireitá-la, ela se quebra. Portanto, se você quer tirar proveito dela, faça-o mesmo sendo ela defeituosa”. Todos concordam com este Hadith.
Casamento
Na questão do casamento, o islamismo prova que a mulher é considerada um brinquedo.
1. Casamento forçado.
“A virgem pode ser obrigada por seu pai a ser dada em casamento sem ser consultada”. Isto é o que Ibn Timiyya (conhecido entre os muçulmanos como o xeque do islamismo) declarou em Ibn Timiyya, Vol. 32. página 39. E, no mesmo volume, páginas 29 e 30, ele escreveu: “Mesmo a virgem adulta, o pai pode obrigá-la a casar-se”. Isto está em acordo com Malek Ibn Ons, Al Shafi e Ibn Hanbals, que estão entre os principais Legisladores do Islamismo (especialistas na Lei Islâmica).
Ibn Hazm (um dos maiores estudiosos do islamismo) mencionou em seu livro Al-Muhalla (O Adocicado) Vol. 6, Parte 9, páginas 458 a 460, “O pai pode consentir em dar a sua filha em casamento sem a permissão dela, porque ela não tem escolha, exatamente como Abu Bakr El Sedick [o primeiro Califa depois de Maomé e seu sogro] fez com sua filha, Aisha, quando ela estava com seis anos de idade. Ele a deu em casamento ao profeta Maomé sem a permissão dela”. Aisha disse: “O mensageiro de Alá tomou-me como sua noiva quando eu tinha seis anos, e tomou-me como sua esposa quando eu completei nove anos de idade”. Ele estava com 54 anos de idade quando casou-se com ela.
2. A importância do contrato de casamento
Em seu livro As Mulheres no Islamismo, Rafiqul Haqq resumiu a importância do contrato de casamento de acordo com três diferentes escolas islâmicas. Citando o livro Al-Fiqh ala al-Mazahib al-Arba’a (Vol. 4, página 488) de Abd Ar Rahman Al Gaziri, ele diz: “O entendimento aceito nas diferentes escolas de jurisprudência é que aquilo que foi contratado no casamento é para o benefício que o homem pode ter da mulher e não o contrário”. Os seguidores do Imã Malik declararam que o contrato de casamento é um contrato de propriedade do benefício do órgão sexual da mulher e do resto do seu corpo.
Os seguidores do Imã Shaffi disseram: “A visão mais aceita é que o que foi contratado é a mulher, isto é, o benefício derivado do seu órgão sexual”. Outros declaram: “O que foi contratado é tanto o homem quanto a mulher”. Segundo a primeira opinião, a esposa não pode exigir sexo de seu marido porque o direito é dele, não dela. Segundo a segunda opinião, ela pode exigir ter sexo com ele.
Os seguidores do Imã Abu Hanifa disseram: “O direito ao prazer sexual pertence ao homem, não à mulher; isto quer dizer que o homem tem o direito de forçar a mulher a gratificá-lo sexualmente. Ela, por sua vez, não tem o direito de forçá-lo a fazer sexo com ela, a não ser uma vez (na vida). Mas, ele precisa, do ponto de vista da religião, fazer sexo com ela para protegê-la de ser moralmente corrompida”.
3. O número de esposas
O homem pode se casar com até quatro mulheres livres ao mesmo tempo, e pode divorciar-se de uma delas e casar-se com uma quinta, desde que não mantenha mais do que quatro esposas ao mesmo tempo. Ele pode ter sexo com um número ilimitado de moças escravas e concubinas. Sura 4.3 diz: “Se você tem medo de não poder tratar com justiça os órfãos, case-se com as mulheres que você escolher, duas ou três ou quatro, mas se você tem medo de não poder agir com justiça [com elas], então somente uma, ou aquela que a sua mão direita possui que seja mais apropriada, para evitar que você cometa injustiça”.
Em seu livro Al-Fiqh ala al-Mazahib al-Arba’a (Vol. 4, página 89), Abd Ar Rahman Al Gaziri escreveu: “Pois se um homem comprar uma moça escrava, o contrato de compra inclui o seu direito de ter sexo com ela”. Este contrato visa, em primeiro lugar, a posse dela e, em segundo lugar, desfrutar dela sexualmente.
Um sábio muito famoso entre os muçulmanos citou uma das justificativas para um homem casar-se com mais de uma mulher: “Alguns homens tem um desejo sexual compulsivo tão grande, que uma mulher não é suficiente para protegê-los [do adultério]. Tais homens, portanto, devem casar-se com mais de uma mulher e podem ter até quatro esposas”. (Ihy’a ‘Uloum ed-Din, de Ghazali, Vol. 2, Kitab Adab Al-Nikah, página 34). Ghazali deu um exemplo para este desejo sexual excessivo no mesmo livro (Parte 2, página 27): “Ali [que os xiitas consideram o profeta de Alá], que foi o mais ascético de todos os companheiros, teve quatro esposas e dezessete escravas como concubinas”. No Sahih Bukhari (parte 7, Hadith N° 142) diz: “O Profeta costumava passar [ter relações sexuais com] todas as esposas numa só noite, e naquele tempo ele tinha nove esposas”. “Certa vez, ele falou acerca de si mesmo que tinha recebido a potência sexual de quarenta homens”, conforme escrito no Al Tabakat Al Kobra (Vol. 8, página 139) de Mohammed Ibn Saad (sábio muçulmano).
Queridos irmãos e irmãs, louvamos ao Senhor porque Ele não faz acepção de pessoas. Ele ama homens e mulheres igualmente e Ele não faz discriminações com base no sexo.


OBS. AS PROVAS ESTÃO EM SEUS ESCRITOS .

VIA GRITOS DE ALERTA.

Como vivem os cristãos sob islamismo

 

Como Vivem Os Cristãos sob o Regime Islâmico
Dr Salim Almahdy
Queridos irmãos e irmãs,
Este mês eu estou lhes trazendo palavras do Alcorão, do Hadith e de alguns eruditos muçulmanos sobre como os cristãos devem ser tratados numa sociedade islâmica. Na medida em que forem lendo essas palavras, lembrem de estar orando por seus irmãos e se regozijem por saberem que a nossa cidadania está nos céus com o nosso Pai eterno.

Segundo o Alcorão

Alá ordena que os muçulmanos aterrorizem os não muçulmanos em seu nome:
“Eu instilarei terror nos corações dos infiéis, golpeai-os acima dos seus pescoços e arrancai todas as pontas dos seus dedos. Não fostes vós quem os matastes; foi Deus” (Sura 8:13-17).
“Imprimi terror [nos corações dos] inimigos de Deus e vossos inimigos” (Sura 8:60).
“Combatei-os [os não muçulmanos] e Deus os punirá através das vossas mão, cobri-os de vergonha” (Sura 9:14)
Segundo o Hadith (Ensinamentos, palavras ou atos de Maomé)
Maomé também exige que os Muçulmanos pratiquem a jihad, a guerra santa – lutar contra os infiéis em nome de Alá. Infiel é qualquer pessoa que não confessa os dois credos do Islã: que não há outro Deus além de Alá e que Maomé é o mensageiro de Alá. Certa vez perguntaram a Maomé: “Qual a melhor coisa que um muçulmano pode fazer além de crer em Alá e no seu apóstolo?” Sua resposta foi: “Participar da jihad pela causa de Alá” (Al Bukhari, Vol. 1, p. 25).
Maomé também teria dito: “Eu recebi a ordem de lutar com as pessoas até que digam que ninguém tem o direito de ser adorado a não ser Alá e Maomé é o seu mensageiro, e que eles estabeleceram a oração e o pagamento do zakat (esmola obrigatória). Se elas fizerem isto, seu sangue e suas propriedades estão salvas de mim” (Al Bukhari, Vol. 1, p. 13).
As palavras lutar e matar aparecem no Alcorão com mais freqüência do que as palavras oração e amor.
Segundo eruditos muçulmanos (inspirados no Alcorão e outras fontes)
Os mais poderosos califas (seguidores de Maomé), que governaram a nação islâmica depois da morte de Maomé, foram Abu Bakr e Umar Ibn Khattab (conhecido como o Califa Justo). Os dois eram sogros de Maomé. Maomé costumava dizer: “Sigam o exemplo daqueles que vêm após mim, Abu Bakr e Umar” (Ibn Timiyya, Vol. 28, p.651). O Califa Justo defendia o seguinte, com a bênção de Maomé:
* Um muçulmano não pode ser condenado à morte por tirar a vida de uma pessoa da aliança (cristão ou judeu), de um homem livre (que não é muçulmano), ou de um escravo.
Ibn Timiyya escreveu: “Nada na lei de Maomé diz que o sangue do infiel é igual ao sangue do muçulmano, porque a fé é necessária para haver igualdade. As pessoas da aliança não crêem em Maomé e no Islã, portanto, o seu sangue e o sangue do muçulmano não podem ser iguais… mas, um muçulmano livre deve morrer por tirar a vida de outro muçulmano livre, independentemente da raça” (Vol 14, p. 85).
* Não é permitido construir nem reformar igrejas, nem reconstrui-las se forem destruídas.
Conforme citado por Ibn Hazm e Ibn Timiyya, e confirmado por todos os historiadores, quando Uma Ibn Al Khattab assinou o tratado de paz com os cristãos da Síria, ele ditou algumas condições que deveriam ser cumpridas pelos governadores muçulmanos de todos os países cristãos conquistados. Uma dessas condições era que os cristãos estavam proibidos de construir mosteiros e de reconstruir os que fossem destruídos, mesmo que fosse a cela de um monge (Ibn Hazm, Vol. 4, Parte 7, p.346).
O tratado de paz também exigia que os cristãos dessem o seu assento a um muçulmano que quisesse sentar-se, e os proibia do seguinte:
* Impedir qualquer muçulmano de ficar nas suas igrejas por três dias, durante os quais eles deveriam oferecer comida e servir os muçulmanos.
* Imitar os muçulmanos em qualquer coisa, como as suas roupas, tiaras, turbantes ou o penteado dos seus cabelos.
* Montar um burro usando sela (cavalgar um burro usando cela é mais confortável, o que lembra certo tipo de riqueza e dignidade no Oriente Médio).
* Enterrar os seus mortos próximo de um muçulmano.
* Ler em voz alta nas igrejas.
* Prantear ruidosamente os seus mortos.
* Assumir qualquer posição em que tenham qualquer autoridade sobre um muçulmano.
Após ter apresentado estas condições aos cristãos, disse-lhes enfaticamente: “Se qualquer cristão violar qualquer um destes termos, será permitido matá-lo”(Ibn Timiyya, Vol. 28, p. 654).
Exemplos de Perseguição
Ibn Timiyya, um xeque muçulmano e mufti (juiz) dos muçulmanos, foi certa vez abordado com um pergunta. Um pastor cristão mora numa casa perto de um terreno onde existe uma igreja em ruínas e sem telhado. O pastor comprou o terreno e reformou a igreja para poder reunir o seu povo para orar. Ele pode fazer isto?
Ibn Timiyya respondeu que ele não tem o direito de fazer isto, porque os muçulmanos conquistaram esses lugares à força e as igrejas lhes pertencem, e de acordo com os eruditos muçulmanos elas podem ser destruídas. Portanto, todos os que ajudaram o pastor devem ser punidos, e o seu sangue deve ser derramado e as suas propriedades confiscadas porque ele violou os termos impostos aos cristãos (Ibn Timiyya, Vol. 28, p. 648).
No Egito, para construir uma igreja, os cristãos precisam de uma ordem assinada pelo Presidente do Egito. Se os cristãos precisarem renovar ou reformar uma igreja, eles precisam ter uma permissão assinada por um oficial da polícia secreta. Em minha última visita ao Egito, visitei uma igreja numa aldeia muito pobre, onde um oficial da polícia tinha dado ordens aos seus comandados para passar com um trator por cima dos dois únicos banheiros da igreja. O pastor tinha reformado um dos banheiros sem a sua permissão, pois sabia que tal permissão jamais seria concedida.
O Pastor “Samir” do Egito ficou preso por dois meses, porque um muçulmano informou que ele estava reformando a sua igreja, quando na verdade Samir estava reformando a sua casa.
A seguir, estão alguns exemplos de outros tipos de proibições para os não muçulmanos que vivem em países muçulmanos:
* Os não muçulmanos não podem testemunhar sobre nenhum assunto nos tribunais.
O Ímã Al-Shaffi, em seu livro As Ordenanças do Alcorão, diz: “Não é permitido o testemunho de uma pessoa da aliança [judeus e cristãos]. A testemunha tem de ser alguém que pertença à nossa religião e precisa ser um homem livre, não um escravo. O testemunho é aceitável somente do nosso homem livre se ele pertencer à nossa religião” (Parte 2, p. 142). Todos os eruditos confirmam que porque Maomé disse não acreditar no povo do Livro (Sahih Al Bukhari, Parte 3, p. 237).
* Há certos empregos que os não muçulmanos não podem ter.
No Vol. 28, p. 644, Ibn Timiyya narra o seguinte evento: “Khalid Ibn Al Walid [o famoso comandante militante que conquistou muitos países para os muçulmanos] escreveu a Umar Ibn Al Khattab dizendo: ‘Temos, na Síria, um secretário cristão que está encarregado do recebimento dos impostos’. Umar respondeu-lhe: ‘Não o use’. Khalid replicou: ‘Ele é indispensável e se nós não o usarmos como encarregado, o tesouro estará perdido’. Umar respondeu mais uma vez: ‘Não o use’.”
O cirurgião egípcio, Dr. Magdi Yacoub, declarou num programa de rádio que tinha de sair do Egito, pois, como cristão, ele não tinha permissão para estudar ginecologia nas universidades egípcias. Os muçulmanos não permitem que os ginecologistas cristãos tratem das suas esposas.
Outras situações que os cristão enfrentam nos países islâmicos:
* Se um muçulmano abraçar o cristianismo, ele tem trinta dias para mudar de idéia e voltar ao islamismo; caso contrário, ele poderá ser morto por qualquer muçulmano, sem que este venha a ser considerado criminoso.
* Na Arábia Saudita, nenhum cristão pode viajar próximo ou através de Meca, a cidade sagrada dos muçulmanos, para não “macular” a cidade.
Queridos irmãos e irmãs, a despeito das trevas que os cristãos enfrentam nos países islâmicos, as Escrituras dizem: “Mas, quanto mais os afligiam, tanto mais se multiplicavam e tanto mais se espalhavam” (Êxodo 1.12). A cada ano, milhares vêm a Cristo nas nações islâmicas. Alegremo-nos com o seu novo nascimento em Cristo!

Pastor diz que igreja está aberta para Naldo, se ele quiser

Jaime Soares, pastor da Assembleia de Deus de Bonsucesso, igreja da Zona Norte do Rio que era frequentada por Naldo Benny desde antes da...