sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Após reabertura de igreja, cristãos continuam ameaçados


Após reabertura de igreja, cristãos continuam ameaçados
Igreja doméstica foi aberta na província oriental, após sete anos de luta com as autoridades locais

Cristãos protestantes, incluindo turcos, azeris, afegãos, curdos e iranianos, abriram uma igreja doméstica na província oriental de Van, na Turquia. O lpastor local disse que existem mais de 100 locais de culto alugados por todo o país.

Um grupo de protestantes em Van finalmente conseguiu abrir uma igreja doméstica na província oriental, após sete anos de luta com as autoridades locais. No entanto, muitos na congregação continuam preocupados com a retórica hostil dos funcionários.

“Eles nos veem como pessoas que enganam o povo e têm uma agenda secreta”, disse recentemente Vahit Yildiz, um dos anciãos da igreja, ao jornal Hürriyet Daily. “Não é apenas o conceito de missão que causa preconceito, mas também os conceitos de ‘casa de oração’ e ‘igreja doméstica’. A razão fundamental atrás do medo é a retórica empregada por alguns dos líderes (do país), o que nos entristece profundamente, além do preconceito formado junto ao povo”.

Pouco tempo depois que a igreja foi inaugurada, Mustafá Bilici, adjunto do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) de Van, disse: “É uma grande imprudência abrir, nas sociedades muçulmanas, novas igrejas que são como fantoches das atividades sionistas”.

Tachando os comentários de Bilici de “infelizes”, Yildiz disse que o único desejo da congregação, composta de turcos, azeris, afegãos, curdos, iranianos e outros, era a liberdade de culto.

“Nossas portas estão abertas para qualquer pessoa que queira nos conhecer”, disse o dirigente. O grupo havia se reunido em uma casa de dois andares por sete anos e tinha apelado às autoridades locais muitas vezes para obter uma licença, para que a casa seja reconhecida como um local de culto.

“Devido à falta de prédios de igrejas suficientes e à recusa [das autoridades] em conceder uma Licença de Designação Religiosa, existem mais de 100 grupos domésticos e locais de culto alugados por toda a Turquia”, disse Yildiz.

Yildiz também observou que os clérigos cristãos têm sido atacados e ameaçados na Turquia Oriental nos últimos anos, destacando o assassinato de Andrea Santoro, um padre italiano morto em Trabizonda em 2006, e os assassinatos na Editora Zirve, em Malatya, em 2007. “É curioso que incidentes [esses] têm acontecido nas províncias orientais. Por esta razão, estamos sendo muito cuidadosos”, disse.

“O terreno está sendo preparado para ataques similares, enquanto a verdade perpetradora permanece resguardada e as penalidades judiciárias não são aplicadas. Ninguém terá coragem de cometer ataques tão abomináveis, se o mecanismo judiciário funcionar como deve”, disse Yildiz.

A menos que tais medidas sejam implantadas, os cristãos do leste continuarão se reunindo nas igrejas domésticas, apesar dos ataques e das ameaças, observou Yildiz.

“Estamos travando uma grande luta nesse sentido. Nosso verdadeiro propósito nesta luta é adotar uma atitude aberta e transparente para com ambos os governos locais, bem como para com nosso estado”, disse.



Fonte: Hurriyet Daily News
via Gritos de Alerta

Colunista da Folha critica vereador evangélico que criou “Dia do Orgulho Hétero” - SERÁ QUE ELE CRITICOU TAMBEM A CRIAÇÃO DO ORGULHO GAY ?

Gilberto Dimenstein que integra o conselho editorial da Folha, fez duras críticas ao vereador Carlos Apolinário que criou o “Dia do Orgulho Hétero”.

O conselheiro diz em seu artigo que o Dia do Orgulho Hétero que foi recentemente aprovado na Câmara da cidade de São Paulo, é mais um preconceito do que uma simples tolice, e compara o Dia do Orgulho Hétero com o Dia do Orgulho dos Corinthianos.

“E ainda existe quem defenda esse tipo de bobagem. Se tivessem aprovado o Dia do Orgulho dos Corintianos teria a mesma relevância cívica.”

Para Gilberto esse projeto de lei é para pessoas preconceituosas que não aprenderam a conviver com a diferença. E que não sabe das dificuldades que tem uma minoria quando é diferente da sociedade, como por exemplo, os judeus, mulheres, islâmicos, negros, portadores de deficiência...

O conselheiro da Folha, destaca que os Heterossexuais não sabem o que é ter problema de auto-estima ou de perseguição, e que o projeto de lei do “Dia do orgulho Hétero” é uma tolice, patrocinada por um político que se diz evangélico.

Gilberto conclui fazendo duras críticas aos líderes evangélicos, os chamando de intolerantes.

Para Gilberto o “Dia do Orgulho Hétero” “...apenas reforçam a imagem de intolerância de lideranças evangélicas”.

Gilberto Dimenstein, 54, integra o Conselho Editorial da Folha e vive nos Estados Unidos, onde foi convidado para desenvolver em Harvard projeto de comunicação para a cidadania.

Fonte: The Christian Post

VIA GRITOS DE ALERTA
BISPO ROBERTO TORRECILHAS

NO BRASIL ONDE TEMOS QUE AGUENTAR CARNAVAL , CORRIDAS DE AUTOMOVEIS NAS RUAS , RODEIOS ETC - Justiça interdita igreja Assembleia de Deus - POUCA VERGONHA IMPERA NO BRASIL.

Uma Igreja Assembleia de Deus da Missão foi interditada ontem, 04, por causar transtornos a moradores do centro da cidade ribeirinha, no município de Penedo (AL).

Uma decisão judicial expedida pelo juiz da 3° vara Civil de Penedo, Luciano Américo Galvão Filho, resultou na interdição da Igreja Assembleia de Deus da Missão. Segundo o juiz, o que motivou a decisão foi um descumprimento a uma ordem da justiça que por várias vezes tentou entrar em acordo com os responsáveis pelo estabelecimento, que há tempo estava em conflitos com os vizinhos da sede. Os moradores reclamam do excesso do barulho causado pela igreja.

De acordo com o advogado José Glivaldo Souza Nunes, o templo religioso foi advertido inúmeras vezes sobre o barulho que incomodava os vizinhos da localidade, principalmente pessoas idosas. Ainda de acordo com ele, uma planta falsa do imóvel chegou a ser apresentada à justiça, alegando que uma das paredes de uma casa vizinha pertencia a igreja. O vizinho provou o inverso.

O advogado ainda sugeriu certo limite de horário para os gritos de louvores ou até mesmo algum revestimento nas paredes com espuma, o que geraria um ambiente fechado e acústico, sem causar transtornos aos moradores da região.

“Todas as possibilidades foram discutidas e algumas idéias acatadas pelos responsáveis da Igreja, no entanto, o desrespeito ao acordo resultou na interdição do local”, declarou o advogado.

A gritaria

Segundo informações de uma das moradoras que preferiu não ter seu nome divulgado, não seria nada demais a prática religiosa no local, no entanto, o barulho é muito alto e realmente incomoda os vizinhos.

“Se os fieis da igreja tem o direito de praticar a sua fé, nós também temos o direito de termos o silêncio garantido dentro de nossas casas. Também sou cristã e não acredito que Jesus Cristo seja surdo”, reclamou a moradora.

Decisão do TJ/AL
Para finalizar o caso, o advogado José Glivaldo informou que a Igreja Assembleia de Deus da Missão já recorreu da decisão ao Tribunal de Justiça de Alagoas, mas a sentença foi mantida. Nenhum líder religioso quis comentar sobre o caso.

Fonte: Primeira Edição

VIA GRITOS DE ALERTA
COM BISPO ROBERTO TORRECILHAS

AMME EVANGELIZAR - BENÇÃO DE DEUS SOBRE AS NAÇÕES

www.evangelizabrasil.com
Casa da Palavra, 05 de agosto de 2011

Saudações em Cristo

Finda-se o segundo quadrimestre. Já passamos por mais da metade desse ano. Quando olhamos para os milhões de pessoas que ainda precisam ser evangelizadas, o tempo parece muito pouco. Pensando nisso, em como remir o tempo, tenho duas perguntas a lhe fazer:

1. Você já enviou seu pedido de oração?
Na semana que vem, de 8 a 14 de agosto, a AMME Evangelizar celebra 11 anos de ministério e a festa é de oração. Nós oramos por você e você ora por nós. No portal da evangelização você posta seu pedido de oração e conhece os nossos pedidos. Se você ainda não enviou seu pedido, [veja aqui] como fazer.

2. Você já está participando da campanha 40 dias
?Nosso ministério está apoiando a iniciativa de 40 dias de jejum e oração e inclusive preparamos os pedidos de oração pelo Brasil. Fazemos isso porque sabemos da importância da unidade e saúde da Igreja para cumprirmos o IDE de Cristo. Hoje em dia há muita gente reclamando, mas não vemos tais pessoas jejuando e orando pela melhoria e fortalecimento da Igreja. Se você ainda não se inscreveu e à sua igreja, faça isso agora.

Veja a mensagem do pastor Edison Queiroz.

http://jejum40dias.com.br/cadastro.php

Na caríssima graça salvadora,

José Bernardo
Salva Vidas e
AMME Evangelizar

AMME Evangelizar existe para ajudar as igrejas evangélicas brasileiras a cumprir sua missão bíblica de evangelizar todo mundo: motivando, treinando, suprindo e apoiando. A AMME ajuda cerca de quatro mil igrejas a alcançar 10 milhões de pessoas por ano em média. O sustento desse trabalho é provido pelos Ceifeiros, crentes que investem tempo na intercessão, recursos no sustento e talento no trabalho voluntário. Se você quer se tornar um ceifeiro visite o portal da evangelização em www.evangelizabrasil.com.

REPASSANDO EMAIL RECEBIDO - Abaixo-assinado pela aprovação do Projeto de Lei 2784/2003,do Deputado Antonio Carlos Mendes Thame (PSDB/SP) incluindo a Hepatite C na relação de doenças graves passíveis de aposentadoria por invalidez.

logo







Estimado (a) Bispo Roberto Torrecilhas
Visando atender a centenas de milhares de portadores de Hepatite C, apresentamos na Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei n.º 2.784/2003, que inclui a Hepatite tipo "C" na relação de doenças graves passíveis de aposentadoria por invalidez .

Entretanto, na Comissão de Finanças e Tributação (CFT), o parecer apresentado pelo Relator, deputado Audifax (PSB-ES), é pela incompatibilidade e inadequação financeira e orçamentária do PL 2784/03 . Caso seja aprovado esse parecer, a matéria será arquivada.

Por isso, levando-se em conta o benefício que esta proposição trará aos portadores de Hepatite C, surgiu da iniciativa popular a elaboração de um abaixo-assinado, em favor da aprovação do PL 2784/03. Estamos convidando todos os pacientes, familiares e amigos para aderirem ao documento, unindo-se nessa luta, o que pode ser feito clicando aqui ou pelo link:
http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2011N11954
Caso deseje contatar diretamente o gabinete do Relator, deputado Audifax (PSB-ES), favor encaminhar suas manifestações para os seguintes endereços: dep.audifax@camara.gov.br, ou, Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, Anexo III, Gabinete 574, Brasília/DF, CEP: 70160-900.

Um grande abraço,

Antonio Carlos Mendes Thame

Religião movimenta mercado de produtos segmentados

 


Rio de Janeiro – O mercado de produtos religiosos brasileiro mostra um potencial crescente de vendas. O melhor exemplo está no setor fonográfico, com o sucesso dos padres Marcelo Rossi e Fábio de Melo e as cantoras evangélicas Aline Barros e Cassiane. Empresas como Sony Music, Som Livre, MK Publicitá e Paulinas estão entre as principais gravadoras que apostam neste segmento.
Mas não são apenas os CDs e DVDs que ganham popularidade neste mercado. A área editorial também é muito procurada pelos consumidores e disponibiliza diversas obras, além do livro mais vendido e traduzido em todo mundo: a Bíblia. Há ainda outros nichos para investimento, como a produção de alimentos para judeus e produtos ligados a crenças orientais, como hinduísmo e budismo.
Após analisar o mercado fonográfico brasileiro durante 10 anos, a Sony Music lançou em 2010 o selo “Gospel” e começou o processo de construção de seu casting nacional. Atualmente, a gravadora conta com 15 artistas e o plano para 2011 é a consolidação no segmento.
“Nos Estados Unidos, a Sony Music é a principal gravadora gospel do país. Aqui no Brasil estamos entre as três primeiras em menos de dois anos”, afirma Maurício Soares, diretor executivo do segmento Gospel da Sony Music.
Sony investe no público evangélico
Para alcançar este resultado, a empresa investe na distribuição em canais específicos. Estudando o comportamento do público evangélico, a gravadora compreendeu a importância que as livrarias têm para este tipo de consumidor.
O ponto de venda é encarado pelos clientes como verdadeiras “lojas de conveniência”, onde eles encontram não somente livros e CDs, mas também camisas, canecas e objetos para decoração de igrejas e domicílios.
Outra grande aposta da companhia neste ano é a gravação do DVD da cantora Damares de Oliveira, intérprete do álbum “Diamante”, lançado em novembro do ano passado e que vendeu mais de 350.000 cópias.
Também está previsto para setembro a produção de um DVD especial em comemoração aos 100 anos da Assembleia de Deus no Brasil, completados em junho, e a produção de materiais de merchandising, como canecas, camisetas e canetas.
Entre os evangélicos, os pentecostais, representados por grupos como a Igreja Universal do Reino de Deus e a própria Assembleia de Deus, são os consumidores mais expressivos dos produtos do selo Gospel da Sony.
Em sua maioria são pertencentes às classes C e D, que preferem adquirir CDs e DVDs em lojas físicas do que comprar pela internet. Segundo dados da empresa, 95% das vendas do selo Gospel ainda são originadas nas revendas.


Fonte:Exame.abril

Globo irá matar personagens gays de “Insensato Coração” para fazer apologia a PLC 122

Depois de causar polêmica e enfrentar a censura a ponto de ter que cortar as cenas mais íntimas entre Eduardo (Rodrigo Andrade) e Hugo (Marcos Damigo) que vivem um casal gay na novela Insensato Coração da Rede Globo, os atores Ricardo Linhares e Gilberto Braga resolveram matar os dois personagens nos últimos capítulos da trama.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
O assassinato do casal foi planejado pelos autores por dois motivos: o primeiro seria um protesto contra a censura e o corte das cenas, feito, de acordo com eles, “por causa do preconceito”.
O segundo motivo é para alertar ao Brasil sobre a necessidade de se ter uma lei que agrave a pena de quem comete um crime contra homossexuais. Linhares e Braga vão falar sobre a importância da Lei contra a homofobia e mostrar que a legislação brasileira está atrasada em relação a esse tema.
Antes de assassiná-los o vilão Vinícius (Thiago Martins) vai falar: “Veado bom é veado morto”.

Jejum de informação da Igreja Universal seria na verdade devido a briga entre Bispos de Edir Macedo na Record

A direção da Record está sob ataque de bispos da Igreja Universal. Segundo esta coluna apurou, o bispo Romualdo Panceiro, rival de Honorilton Gonçalves (vice da Record), está aconselhando fiéis da igreja a não assistir “A Fazenda 4″. Panceiro também estaria fazendo a cabeça de Edir Macedo, para que ele proíba uma quinta edição do programa.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Dentro da Universal, o grupo de Panceiro é rival declarado do grupo de Gonçalves. A pressão de Panceiro pode ser a causa primordial que levou Edir Macedo a anunciar que os fiéis deveriam fazer um “jejum de informação”, que começou anteontem e vai durar até o dia 21. Os fiéis devem se abster de ter contato com qualquer tipo de mídia (TV, rádio, jornal e internet).
Panceiro tem abertamente dito a fiéis que o programa “jamais deveria ir ao ar”, e que (ele) “vai contra tudo o que a gente prega e ensina”. Ele chama os participantes de “ignorantes indecentes”. Panceiro se recusa a falar com jornalistas. Ele é hoje o segundo em hierarquia na Universal e foi apontado por Macedo em sua biografia como seu “herdeiro espiritual”. É ele também quem cuida da relação econômica entre igreja e emissora (leia-se: quem assina o cheque)
Sob ataque, a direção da Record, por sua vez ataca a direção de “A Fazenda”, exigindo saber o porquê de o ibope estar decepcionante. Nesta semana, o custoso reality show da emissora caiu para a média de 11 pontos, acendendo o alerta. Cada ponto vale por 58 mil domicílios sintonizados.
A Record não revela quanto custa a produção de cada edição do reality.
A primeira edição do programa marcou 14 pontos de média. A segunda desabou para 10. A terceira foi a de maior sucesso, com média de 15 pontos. Já “A Fazenda 4″ marca 12 pontos de média até o episódio de ontem.
Cobrados pela cúpula da emissora, os responsáveis pela escolha de elenco se eximiram, dizendo que não havia outras alternativas.

AD no Belenzinho prepara-se para a 65ª Escola Bíblica de Obreiros


AD no Belenzinho prepara-se para a 65ª Escola Bíblica de Obreiros
Programação acontece de 18 de Setembro a 03 de outubro

De 18 de setembro a 03 de outubro de 2011, a Assembleia de Deus em São Paulo, Ministério do Belém, unida a Confradesp, Convenção Fraternal das ADs em São Paulo, vai realizar sua 65ª Escola Bíblica de Obreiros sob a liderança do pastor José Wellington Bezerra da Costa.

A escola bíblica do Belenzinho é considerada a maior do país por receber renomados preletores, ensinadores de todo Brasil e exterior, por atingir em média de cinco a seis mil inscritos a cada edição e por seu longo período, que compreende quinze dias ininterruptos de estudo.

A inscrição é gratuita. Mais informações no blog da EBO: http://eboadbelemsp.blogspot.com/

O templo central da AD no Belenzinho está localizado a Rua Conselheiro Cotegipe, nº. 273, São Paulo. Tel.: (11) 2796-9122.

Fonte: Assessoria de Comunicação AD do Belenzinho

Após reabertura de igreja, cristãos continuam ameaçados


Após reabertura de igreja, cristãos continuam ameaçados
Igreja doméstica foi aberta na província oriental, após sete anos de luta com as autoridades locais

Cristãos protestantes, incluindo turcos, azeris, afegãos, curdos e iranianos, abriram uma igreja doméstica na província oriental de Van, na Turquia. O lpastor local disse que existem mais de 100 locais de culto alugados por todo o país.

Um grupo de protestantes em Van finalmente conseguiu abrir uma igreja doméstica na província oriental, após sete anos de luta com as autoridades locais. No entanto, muitos na congregação continuam preocupados com a retórica hostil dos funcionários.

“Eles nos veem como pessoas que enganam o povo e têm uma agenda secreta”, disse recentemente Vahit Yildiz, um dos anciãos da igreja, ao jornal Hürriyet Daily. “Não é apenas o conceito de missão que causa preconceito, mas também os conceitos de ‘casa de oração’ e ‘igreja doméstica’. A razão fundamental atrás do medo é a retórica empregada por alguns dos líderes (do país), o que nos entristece profundamente, além do preconceito formado junto ao povo”.

Pouco tempo depois que a igreja foi inaugurada, Mustafá Bilici, adjunto do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) de Van, disse: “É uma grande imprudência abrir, nas sociedades muçulmanas, novas igrejas que são como fantoches das atividades sionistas”.

Tachando os comentários de Bilici de “infelizes”, Yildiz disse que o único desejo da congregação, composta de turcos, azeris, afegãos, curdos, iranianos e outros, era a liberdade de culto.

“Nossas portas estão abertas para qualquer pessoa que queira nos conhecer”, disse o dirigente. O grupo havia se reunido em uma casa de dois andares por sete anos e tinha apelado às autoridades locais muitas vezes para obter uma licença, para que a casa seja reconhecida como um local de culto.

“Devido à falta de prédios de igrejas suficientes e à recusa [das autoridades] em conceder uma Licença de Designação Religiosa, existem mais de 100 grupos domésticos e locais de culto alugados por toda a Turquia”, disse Yildiz.

Yildiz também observou que os clérigos cristãos têm sido atacados e ameaçados na Turquia Oriental nos últimos anos, destacando o assassinato de Andrea Santoro, um padre italiano morto em Trabizonda em 2006, e os assassinatos na Editora Zirve, em Malatya, em 2007. “É curioso que incidentes [esses] têm acontecido nas províncias orientais. Por esta razão, estamos sendo muito cuidadosos”, disse.

“O terreno está sendo preparado para ataques similares, enquanto a verdade perpetradora permanece resguardada e as penalidades judiciárias não são aplicadas. Ninguém terá coragem de cometer ataques tão abomináveis, se o mecanismo judiciário funcionar como deve”, disse Yildiz.

A menos que tais medidas sejam implantadas, os cristãos do leste continuarão se reunindo nas igrejas domésticas, apesar dos ataques e das ameaças, observou Yildiz.

“Estamos travando uma grande luta nesse sentido. Nosso verdadeiro propósito nesta luta é adotar uma atitude aberta e transparente para com ambos os governos locais, bem como para com nosso estado”, disse.



Fonte: Hurriyet Daily News/Missã Portas Abertas/Redação CPAD News

Líder religioso polígamo é condenado nos EUA por abuso sexual infantil

A Corte americana do Texas condenou nesta quinta-feira o líder religioso polígamo Warren Jeffs por abuso sexual infantil.

Jeffs foi considerado culpado por ter forçado duas adolescentes a aceitar o que ele chamou de “casamento espiritual” e por abusado de uma delas, que teria 15 anos quando teve um filho dele.

A condenação veio após uma prisão em massa em um rancho no Texas, em 2008. Na ocasião, mais de 400 crianças foram retiradas do local depois de acusações de abusos físicos e sexuais contra adolescentes.

Jeffs era o líder da Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Últimos Dias, uma cisão da Igreja dos Mórmons, quando esta abandonou a prática da poligamia.

Conduzindo sua própria defesa, o líder religioso disse que foi vítima de perseguição religiosa. Ele pode pegar prisão perpétua.

A seita tem cerca de 10 mil seguidores e tem como premissa a crença de para ir ao céu, homens precisam se casar com pelo menos três mulheres, enquanto elas precisam ser subservientes ao marido.

Fonte: BBC Brasil

Vereadores de São Luís tentam barrar título a Silas Malafaia

Projeto quer dar ao pastor Silas Malafaia (foto) título de cidadão honorário da capital do Maranhão, mas, vereadores afirmam que o pastor é homofóbico.

Uma proposta de concessão de título de cidadão honorário de São Luís, capital do Maranhão, para o pastor Silas Malafaia, líder da Igreja Assembleia de Deus - Vitória em Cristo, gerou uma crise na Câmara de Vereadores de São Luís. Pela primeira vez na atual legislativa, vereadores suspenderam a sessão de votação de uma proposta de concessão de título afirmando que o pastor é homofóbico.

A proposta partiu da vereadora Rose Sales (PC do B), integrante da bancada evangélica da Câmara de Vereadores de São Luís. A vereadora justificou a concessão do título pelos “vários serviços prestados em favor da família maranhense”, segundo ela.

A matéria constava na sessão de terça-feira desta semana, mas o vereador Ivaldo Rodrigues, líder do PDT na Câmara, pediu vistas do processo por um período de 72 horas. A intenção é que a proposta volte a plenário na semana que vem.

Ivaldo Rodrigues afirmou que Silas Malafaia não poderia receber o título por diversas ações contra a comunidade GLBT em todo o Brasil.

“Ele é homofóbico e São Luís não pode conceder um título a uma pessoa que discrimina outras pessoas”, criticou o vereador. Rodrigues afirmou nesta quinta-feira ao iG que “não medirá esforços para que o requerimento não seja aprovado”. Comunidades e representantes da Comunidade GLBT também se manifestaram contra o título de cidadão ludovicense ao pastor evangélico.

Rose Sales defendeu Malafaia e disse que o pastor não é homofóbico. Outros vereadores, como João Batista Matos (PPS), também defendem o título a Malafaia. “Ele é um defensor da família. E ama a todos todos”, afirmou o vereador.

Durante a sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) que decidiu a favor da união homoafetiva, Malafaia fez campanha contra. Em junho, durante a Marcha para Jesus, em São Paulo, ele disse: "O STF rasgou a Constituição que, no artigo 226, parágrafo 3º, diz claramente que união estável é entre um homem do gênero masculino e uma mulher do gênero feminino. União homossexual uma vírgula", disse o pastor. "Ninguém aqui vai pagar de otário, de crente, não. Se for contra a família não vai ter o nosso voto", ameaçou.

Institucionalmente, a bancada contrária à concessão do título pretende utilizar uma brecha na resolução da Câmara para negar o título ao pastor. Conforme a resolução 027/2005, de 23 de dezembro de 2005, um dos pré-requisitos para que um homenageado receba a honraria é ter residido em São Luís por um período de cinco anos. Em 2009, porém, a Câmara de Vereadores de São Luís concedeu o título de cidadão ludovicense ao presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. Ele nunca morou em São Luís. A proposição, na época, foi do vereador Ivaldo Rodrigues.

Fonte: Último Segundo

Templo de Salomão, da Igreja Universal, é visto fora do Brasil como “gozação”: “Um ato de arrogância voltado para sua própria gloria”

A Igreja Universal do Reino de Deus, liderada pelo Bispo Edir Macedo, anunciou seus planos de construir uma réplica gigante do Templo de Salomão. A estimativa de custo é de R$360 milhões, 55 metros de altura (18 andares), e com lugar para 10.000 pessoas. O plano também conta com um estacionamento para 1.000 carros, estúdios de TV e rádio, e salas com espaço para 1.300 alunos.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
“Vai ser sensacional”, disse Macedo, “ Será lindo, lindo, lindo. A coisa mais bonita de todas. O lado de fora será exatamente igual o que foi construído em Jerusalém”.O Instituto do Templo em Jerusalém vê isso com outros olhos, para eles é “um ato de arrogância voltado para sua própria gloria. Esse plano é uma gozação que vai diretamente contra tudo aquilo que o Templo Santo de Jerusalém representa.”
A Igreja Universal já gastou em torno de R$ 14,4 milhões para importar pedras de Israel. De acordo com o jornal britânico, The Guardian, o templo será inspirado no Templo do Rei Salomão e contará uma replica da Arca da Aliança no centro do santuário.
O Rabino Chaim Richman do Instituto do Templo escreve, “Nós somos hoje testemunhas de um fenômeno que tenta tirar a legitimidade da relação de Israel com Jerusalém. Esse plano de construir uma mega igreja representa o próximo passo de tirar toda essa legitimidade de Jerusalém.”.
“A Bíblia ensina que a essência de Jerusalém é a presença de Deus”, disse o Rabino Richman, que continua citando uma profecia do livro de Isaias 2:2: ”Nos últimos dias, acontecerá que o monte da Casa do Senhor será estabelecido no cimos dos montes e se elevará sobre os outeiros, e para ele afluirão todos os povos. Irão muitas nações e dirão: Vinde, e subamos ao monte do Senhor e à casa do Deus de Jacó, porque de Sião sairá a lei, e a palavra do Senhor, de Jerusalém.”
“A mega igreja planejada pelo Bispo Macedo”, diz o Rabino Richamn, “é uma usurpação e um abuso ao espaço sagrado e ao conceito de Templo Santo que é representado na Bíblia, e também é uma brusca forma de se apropriar de valores sagrados do Judaísmo. A Divina Presença de Deus não pode ser copiada ou simplesmente usurpada e transportada para outro lugar. Isso não é nada mais que uma tentativa sínica e manipuladora da Igreja Universal do Reino de Deus de encaixar a mensagem universal da Bíblia em sua própria agenda.”
O Instituto do Templo, uma organização religiosa e educacional sem fins lucrativos, é dedicada para cuidar de todos os aspectos dos mandamentos Bíblicos sobre a construção do Templo Santo de Deus no Monte Moriah em Jerusalém. Seu maior foco e esforço é reconstruir o Templo Santo em Jerusalém.
Em 1992, Bispo Macedo ficou onze dias preso por fraude. No ano passado, um processo de São Paulo alegou que Macedo e outro pastor sênior embolsaram bilhões de doações em dólares e usaram o dinheiro para comprar propriedades e carros. Macedo, um defensor da teologia da prosperidade e dono de um jato particular de R$81 milhões, negou as acusações.


Fonte: Adonainews

Macedo constrói mansão com 35 cômodos em Campos de Jordão


Fachada de uma das 'choupanas' de Edir

O bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal, está construindo sua nova residência, em Campos do Jordão. Trata-se de quatro andares com 35 cômodos. Dezoito deles são suítes equipadas com banheiras de hidromassagem. Há ainda adega, sala de cinema, quadra de squash e elevador panorâmico, informa o repórter de Veja José Edward, que esteve no local.

Com o valor estimado de R$ 6 milhões, o imóvel deverá ser inaugurado ao final de julho deste ano. Para isso, 180 funcionários trabalham em ritmo acelerado, inclusive nos fins de semana.

Quem acompanha as obras é a mulher do bispo, a Ester, que chega ao local de helicóptero. Às vezes, ela aparece em Campos com o senador Marcelo Crivella (RJ/PRB), sobrinho e herdeiro do Edir. Quando o bispo vai lá, os empregados, antes, são dispensados e ficam apenas os engenheiros.

Alguém pode argumentar que o bispo tem dinheiro e pode fazer o que bem quiser com ele. Não é bem assim. É preciso saber a origem dessa grana toda.

Se for dos fiéis da Universal, é desvio de dinheiro, porque a arrecadação do dízimo é isenta de impostos e, obviamente, não pode ser usado na construção de palacete para o bispo.



Transcrevo o texto da revista, edição 2015:



O bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, está construindo um paraíso na terra. Trata-se de uma casa de 2.000 metros quadrados, localizada em Campos do Jordão, o refúgio de inverno dos paulistas ricos. A casa, que deve ficar pronta dentro de dois meses, é avaliada em 6 milhões de reais.

VEJA visitou os 35 cômodos do imóvel, distribuídos em quatro andares. Ao todo, são dezoito suítes, todas equipadas com banheiras de hidromassagem. A maior delas, a do bispo, tem 100 metros quadrados, sauna e uma banheira suficiente para seis pessoas. Por meio de uma escada de seu quarto, Macedo terá acesso a um mirante do qual se descortina uma vista aprazível da cidade. De lá, ele também poderá apreciar uma réplica do jardim do Monte das Oliveiras, em Jerusalém, onde Jesus Cristo foi preso pelo Sinédrio judaico. A casa conta, ainda, com adega, sala de cinema, quadra de squash e elevador panorâmico.

O projeto é um mix de estilos europeus devidamente tropicalizados. Os arquitetos mesclaram linhas normandas, típicas das construções de Campos do Jordão, com elementos neoclássicos e barrocos. O telhado pontiagudo eleva-se com molduras neoclássicas. As sacadas têm balaústres barrocos. Colunas gregas, de capitéis improváveis, ladeiam os portais da casa. Alguns tetos foram forrados com gesso, em que se destacam motivos florais. Outros foram enfeitados com detalhes de madeira. O piso das salas e das áreas de passagem dos andares superiores é de mármore botticino – 600 metros quadrados da pedra foram importados da Itália, a um custo estimado em 240.000 reais. No andar térreo e nas calçadas dos jardins optou-se por uma alternativa mais em conta: o granito brasileiro do tipo capão bonito.

Como o terreno de 8.000 metros quadrados é muito acidentado, o acesso à rua se dá por duas passarelas suspensas. Juntos, esses pequenos viadutos têm 200 metros de extensão e atravessam o jardim do Monte das Oliveiras e se sobrepõem a um espelho-d'água. Um muro de 5 metros de altura resguarda a privacidade de Macedo. Ele foi recoberto com pedras-madeira de cor ocre, semelhantes às das ruínas de Jerusalém. O material foi transportado por vinte caminhões do Rio de Janeiro, onde é produzido, até Campos do Jordão.

O líder da Universal já era proprietário de um recanto em Campos do Jordão. Num terreno de 4.000 metros quadrados, contíguo ao da nova casa, há uma outra de quinze cômodos e seis suítes, adquirida por 600.000 dólares em 1996. Quando a construção terminar, a casa mais modesta será usada como ponto de apoio. Ela dispõe de academia de ginástica e de um heliponto, que, agora, está sendo ampliado.

No momento, é mais usado por Ester, a mulher do bispo, que vai de helicóptero supervisionar a obra. Macedo aparece com menos freqüência. Por vezes, Ester tem a companhia do senador Marcelo Crivella, sobrinho e herdeiro do bispo. As visitas do casal Macedo são as únicas ocasiões em que os 180 operários das cinco empresas envolvidas na obra param de trabalhar. Só engenheiros e arquitetos podem continuar no local quando os proprietários estão lá.

O bispo pressiona as empreiteiras a entregar a casa até o fim de julho, quando serão comemorados os trinta anos da Igreja Universal. Como o cronograma está atrasado, eles trabalham doze horas por dia de segunda a sábado. No aniversário da igreja, Macedo pretende abrir as portas do seu reino particular aos bispos mais próximos. Será uma celebração à riqueza material, que, de acordo com a teologia dessa corrente evangélica, é uma dádiva de Deus.

Afiliadas do SBT vendem horário até para Igreja Universal

Enquanto resiste bravamente ao assédio de pastores e líderes religiosos, interessados em adquirir a madrugada do SBT, Silvio Santos é menos dogmático em relação às afiliadas.

Elas podem negociar e vender a madrugada para igrejas.

Curiosamente, enquanto que em São Paulo o SBT rechaçou várias ofertas de emissários de Edir Macedo, para que vendesse algumas horas, afiliadas do SBT Brasil afora, como a VTV (Santos e Campinas), TV Alagoas e a TV Aratu (Bahia) já vendem espaço para a Igreja Universal.

No caso da VTV a lista de clientes é ainda mais ecumênica, e inclui igrejas como "Leão de Judá" e "Cristo é a Resposta". Outros programas como o "Vamos Celebrar" também têm espaço nas madrugadas.

As afiliadas retransmitem a programação do SBT em São Paulo, ou podem substitui-la por programação própria em determinados horários. O fato é que as madrugadas para essas redes é extremamente deficitária e elas acharam nas igrejas, com trocadilho, umaespécie de tábua de salvação.

Em São Paulo, atualmente o SBT é a única empresa totalmente "laica", que não exibe programação religiosa de nenhum tipo. Nos últimos meses, além da Universal, igrejas como a Mundial do Poder de Deus ofereceram fortunas pelas madrugadas da TV de Silvio Santos --valores que podem chegar a R$ 300 milhões anuais.

Fonte: F5 - Folha.com

A contramão dos direitos e liberdades na Internet

 


Proteção, sim; violação de privacidade, não. Esse é o desejo dos consumidores brasileiros que navegam na Internet. E esse é o mote – mais que o mote, o alerta – que orienta a campanha lançada pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) na última terça-feira, contra o Projeto de Lei 84/99, que trata de crimes cibernéticos. A campanha “Consumidores contra o PL Azeredo” pretende chamar a atenção da sociedade para a ameaça que o PL 84 representa ao direito à privacidade e liberdade na rede, aos direitos dos consumidores no acesso aos produtos e serviços e no direito fundamental de acesso à cultura, à informação e à comunicação.

'Para os consumidores, a aprovação do projeto traz consequências drásticas', prevê advogado do Idec
No Congresso desde 1999, o PL 84/99 segue na Câmara dos Deputados nos termos do texto substitutivo proposto pelo deputado Eduardo Azeredo (PSDB-MG). O PL Azeredo tramita em caráter de urgência na Casa e está prestes a ser votado no início de agosto, quando termina o recesso parlamentar. Se aprovado, desviando-se de sua pretensa função de combater os crimes na Internet, o projeto vai instaurar um cenário de vigilância e monitoramento na rede, restringindo sensivelmente os direitos e liberdades e criminalizando condutas que são cotidianas dos cidadãos no mundo virtual.
Para os consumidores, a aprovação do projeto traz consequências drásticas, especialmente se considerarmos que a Internet é inteiramente permeada por relações de consumo. Desde a conexão até o acesso a conteúdos em sites, produtos e serviços via comércio eletrônico, passando pela utilização de e-mails, plataformas colaborativas e redes sociais, em menor ou maior grau, tudo é relação de consumo e deve entendido na lógica da defesa dos direitos consagrados pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC).
Há 20 anos, esse mesmo CDC tenta fazer valer um de seus princípios básicos: a boa-fé. Pressupõe-se que todos são legítimos titulares de direitos e praticam seus atos cotidianos com base na legalidade, na confiança e no respeito. Por óbvio, essa premissa é válida também para a Internet. O que o PL Azeredo faz, no entanto, é inverter essa lógica. No lugar da presunção da boa-fé, instaura-se a constante suspeita. No lugar do respeito à privacidade dos dados e informações dos usuários, o projeto determina a sua vigilância constante, como se a qualquer momento fossem praticar um crime, um ato de vandalismo, uma atitude ilícita. Para o PL Azeredo, como norma penal que é, na Internet todos passam a ser suspeitos até que se prove o contrário.
Para possibilitar esse monitoramento, o texto do substitutivo dá aos provedores de acesso à Internet um “poder de polícia virtual”, coletando obrigatoriamente vários dados dos usuários e guardando-os pelo período exacerbado de três anos. Durante esse período, não se sabe exatamente o limite de utilização desses dados, pois não há regulamentação a respeito. Hoje, como inexiste no Brasil uma norma específica sobre proteção de dados pessoais, atribuir tamanho poder de manipulação de informações a esses atores dá margem a violações de privacidade e uso indevido dos dados, inclusive com interesses comerciais. Um fenômeno que já ocorre hoje – evidente em contratos e políticas de privacidade abusivas das empresas -, como apontou pesquisa recente do Idec, e que deve ganhar dimensões incontroláveis se não houver regulação específica anterior ao PL em tramitação.
Leia também:
O AI-5 Digital
Outra inconsistência extremamente prejudicial, que coloca a carroça do PL na frente dos bois, é a inversão da própria lógica jurídica sobre o estabelecimento de direitos na Internet. Como ultima ratio, o direito penal serve para criminalizar condutas que atinjam bem jurídicos protegidos e atentem contra direitos. Porém, antes de qualquer criminalização, por uma questão lógica, é preciso estabelecer quais são esses direitos. O Marco Civil da Internet, colocado em consulta pública pelo Ministério da Justiça e discutido abertamente pela sociedade, traz um avançado arcabouço civil para regulamentar não apenas direitos, mas princípios, valores, deveres e responsabilidades na rede. Sem essa determinação do espectro da cidadania virtual, é impossível estabelecer com exatidão as condutas passíveis de pena. Porém, é exatamente isso que o PL Azeredo faz.
E, assim, desastrosamente, passa a criminalizar ações triviais e cotidianas dos consumidores na Internet. Atos que praticamos todos os dias, a todo momento. Objetivando enquadrar os grandes criminosos da rede, o PL concede o status de criminoso a todo aquele que: desbloquear aparelhos que já adquiriu legitimamente (como Ipods e celulares), para utilizá-lo com aplicativos de outra empresa; habilitar programas específicos de comunicação na rede, como os de voz sobre IP (ex: Skype), muitas vezes bloqueados indevidamente pelas empresas de banda larga; e digitalizar músicas e filmes pelos quais já pagou, para uso em plataformas diferentes (como dvd players, softwares diversos e aparelhos portáteis). Todas essas ações, diga-se, completamente amparadas no direito à fruição integral dos produtos e serviços, à liberdade de escolha e à não subserviência a práticas abusivas, conforme disposto nos incisos II e IV do art. 6, do Código de Defesa do Consumidor (CDC). Porém, atropelando o CDC, o PL Azeredo impõe a pena de 1 a 3 anos de reclusão a todos esses “criminosos”, que somos nós, consumidores.

O deputado Eduardo Azeredo (PSDB-MG), que pede urgência na aprovação da lei de crimes digitais. Foto: Brizza Cavalcanti/ Ag. Senado
O cerceamento a direitos pelo PL 84/99 – que não por acaso recebeu a alcunha de AI-5 Digital, em alusão ao ato que suspendeu direitos civis na Ditadura Militar -, entretanto, não para por aí. Num país que ainda possui uma longa caminhada para garantir a inclusão digital da população, o PL vai no sentido oposto, restringindo, de antemão, um potencial direito: o direito à Interner banda larga, universalizada, em todos os territórios brasileiros. Com imensas barreiras econômicas e geográficas para a infraestrutura de rede em várias regiões, poderíamos contar com políticas públicas de acesso via redes sem fio, de forma eficiente e desburocratizada. Porém, a obrigação imposta pelo PL, de cadastro obrigatório de todos os acessos e de concentração das informações nas mãos dos provedores, como explica o professor Tulio Vianna, burocratiza o processo e elimina sumariamente essa possibilidade.
Por fim, talvez o maior retrocesso trazido pelo PL Azeredo esteja no campo cultural. Primeiro, em seu aspecto mais estrito, de produção artística e cultural. O caráter recrudescedor e punitivo do projeto acaba limando as possibilidades de trocas simbólicas, de compartilhamento, de liberdade de acesso a informações e conteúdos trazidas pela Internet e pelas tecnologias digitais – inclusive com repercussões muito negativas no que tange à inovação, conforme apontou estudo do Centro de Tecnologia e Sociedade, da Fundação Getúlio Vargas.
Depois, na esfera cultural mais ampla, que se refere ao comportamento dos indivíduos e à própria cultura de utilização da rede. Para o direito do consumidor, uma interferência muito séria e perniciosa. Durante todos os anos que antecederam a Internet, o consumidor permaneceu numa posição passiva, de simples recepção e assimilação dos produtos, serviços, conteúdos e informações, sem qualquer possibilidade de questionamento.
Com o advento da cultura digital, baseada na liberdade, interatividade, construção colaborativa e comunicação em rede, o consumidor passa a ocupar uma posição política ativa, não apenas de questionamento do que recebe, mas igualmente de produção de informação e conteúdos. Na rede, a cultura consumerista adquire potencial crítico e os consumidores passam a ser protagonistas de suas relações, possuindo mais ferramentas para exercer a cidadania e exigir seus direitos. Isso tudo, naturalmente, se lhes for garantido os direitos fundamentais à liberdade e à privacidade. Justamente os direitos que lhe são arrancados pelo PL Azeredo. E aqui, o principal motivo para não ser aprovado. Se o for, teremos fatalmente uma lei na contramão dos direitos e liberdades na Internet.
*Guilherme Varella, Advogado do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, é formado pela Faculdade de Direito da USP e mestrando em políticas públicas de cultura pela mesma. Foi diretor do Núcleo de Cursos do Instituto Pensarte e coordenador cultural da Caravana da Saúde, Educação e Cultura, parceria da União Nacional dos Estudantes com o Ministério da Saúde. É especialista em direito autoral e acesso à cultura e ao conhecimento.

Processo por discriminação racial contra Marco Feliciano é arquivado

O deputado corregedor deu sentença dizendo que não há provas de que a fala do pastor e deputado tenham sido proferidas praticando o preconceito.

O processo aberto na Corregedoria da Câmara contra o pastor e deputado federal Marco Feliciano para apurar as acusações de que ele teria praticado discriminação racial e religiosa contra afro-descendentes em suas mensagens no Twitter , foi arquivado nesta semana.

O processo foi aberto em abril depois que muitos usuários do microblog se revoltaram com o pastor que escreveu em sua página que os “africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé. Isso é fato. O motivo da maldição é polêmica. Não sejam irresponsáveis twitters rsss”. Em seguida, outra mensagem, ele tento explicar dizendo que “sobre o continente africano repousa a maldição do paganismo, ocultismo, misérias, doenças oriundas de lá: ebola, Aids. Fome…(sic)”.

A Câmara precisou ser acionada para analisar as acusações e durante essa semana a Mesa Diretora, liderada pelo deputado Eduardo da Fonte, deu a sentença dizendo que o caso precisa ser arquivado por não constar nos autos ” narração de fato que represente a prática de discriminação racial e religiosa alegada.”

Leia o comunicado na íntegra:

- “Após a manifestação do Representado, ao iniciar a fase de instrução do procedimento de apuração da representação, constatei a inexistência de narrativa, pelo Representante, do fato supostamente indecoroso. Simplesmente não consta dos autos narração de fato que represente a prática de discriminação racial e religiosa alegada. Apenas pra exemplificar, seria o mesmo que denunciar um parlamentar por perturbar a ordem das sessões da Câmara sem narrar o fato causador da perturbação ou denunciar a prática de ofensas físicas e morais nas dependências da Casa sem narrar o fato provocador das ofensas”.

- “Desse modo, verifica-se que a representação padece de pressuposto básico de existência, não me restando outra manifestação a não ser pelo arquivamento da representação por inépcia, em consonância com o art. 1º, § 21, I, do Ato da Mesa nº 37, de 2009″.

- Arquivamento por inépcia: – Dito ou afirmação absurda; disparate.
Considerando a gravidade desta acusação injusta e descabida, bem como a enorme repercussão do fato na imprensa nacional, o Parlamentar estuda juntamente com sua assessoria jurídica um processo contra seus acusadores, por calúnia e difamação.


Fonte: Gospel Prime

DENÚNCIA URGENTE - Ameaça à Internet no Brasil

SE NÃO BASTASSE A SENADORA MARTA SUPLICY QUERER NOS PROIBIR DE TERMOS A LIVRE EXPRESSÃO NA INTERNET , AGORA TEM MAIS UMA PL VINDO AI , PARA IMPOR RESTRIÇÕES AO USO LIVRE DA MESMA.



Na semana que vem, o Congresso poderá votar um projeto de lei que representa um golpe contra a liberdade da internet dos brasileiros. A pressão da opinião pública barrou o projeto de lei em 2009 e nós podemos fazer isso de novo. Vamos usar a web para derrotar esse projeto de lei! Envie agora mesmo uma mensagem aos parlamentares sobre o assunto:


”Envie
Na semana que vem, o Congresso poderá votar um projeto de lei que restringiria radicalmente a liberdade da Internet no Brasil, criminalizando atividades on-line cotidianas tais como compartilhar músicas e restringir práticas essenciais para blogs. Temos apenas seis dias para barrar a votação.

A pressão da opinião pública derrotou um ataque contra a liberdade da Internet em 2009 e nós podemos fazer isso de novo! O projeto de lei tramita neste momento em três comissões da Câmara dos Deputados e esses políticos estão observando atentamente a reação da opinião pública nos dias que antecedem à grande votação. Agora é nossa chance de lançar um protesto nacional e forçá-los a proteger as liberdades da internet.

O Brasil tem mais de 75 milhões de internautas e se nos unirmos nossas vozes poderão ser ensurdecedoras. Envie uma mensagem agora mesmo às lideranças das comissões de Constituição e Justiça, Ciência e Tecnologia e Segurança Pública e depois divulgue a campanha entre seus amigos e familiares em todo o Brasil:

http://www.avaaz.org/po/save_brazils_internet/?vl

O projeto de lei do deputado Azeredo sobre a internet supostamente teria o objetivo de nos proteger contra fraudadores e hackers. Porém, como alguém que faz uma cirurgia com uma motosserra, as normas excessivamente cautelosas impostas pelo projeto de lei trariam altíssimos custos sem de fato cumprir seu objetivo. Em vez de capturar os verdadeiros criminosos, elas penalizariam todos nós. Por esse motivo, até mesmo o importante site anti-pedofilia, o SaferNet é contra A PL Azeredo.

Se esse projeto de lei for aprovado, nossa privacidade e liberdade de expressão, criação e acesso on-line ficarão gravemente limitadas. Pior que isso, os provedores de internet que mantêm informações detalhadas sobre nosso histórico de navegação na internet passarão a ser “policiais virtuais” monitorando os usuários a todo momento.

O projeto de lei tem circulado em Brasília por mais de uma década, e a pressão da opinião pública já o derrotou antes. Em 2009, uma consulta pública sobre o “Marco Civil da Internet” barrou o andamento do projeto. Mas alguns meses atrás, o deputado Azeredo tentou apressar a aprovação no Congresso, usando os ataques de crackers aos sites do governo como desculpa. Um novo Congresso e uma maior conscientização sobre as amplas implicações do projeto de lei significam que nossas vozes poderão fazer a diferença. Envie agora mesmo uma mensagem às lideranças na Câmara:

http://www.avaaz.org/po/save_brazils_internet/?vl

Infelizmente, A PL Azeredo não é a única lei desse tipo. Em todo o mundo, na Índia, Turquia, Estados Unidos e outros países, a liberdade da internet está sob ataque promovido por iniciativas similares. Mas os membros da Avaaz nesses países estão se mobilizando. Vamos fazer a nossa parte neste movimento popular global em defesa da web barrando A PL Azeredo.


FONTES:

Petição do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, instituição parceira da Avaaz:
http://www.idec.org.br/campanhas/facadiferenca.aspx?idc=24

Liberdade de internautas no Brasil pode estar com os dias contados (Portal Imprensa):
http://portalimprensa.uol.com.br/noticias/brasil/43707/liberdade+de+internautas+no+brasil+pode+estar+com+os+dias+contados/

Entenda o que é o marco civil da internet (UOL):
http://tecnologia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2010/06/09/entenda-o-que-e-o-marco-civil-da-internet.jhtm

'AI-5 digital' volta a circular no Congresso (Rede Brasil Atual):
http://www.redebrasilatual.com.br/temas/tecnologia/2011/06/ai-5-digital-volta-a-circular-pelo-congresso

Bispo da Universal manda fiéis ignorarem "A Fazenda 4"

 
O bispo da Igreja Universal, Romualdo Panceiro, rival de Honorilton Gonçalves (vice da Record), está aconselhando fiéis da igreja a não assistir "A Fazenda 4".

A direção da Record está sob ataque de bispos da Igreja Universal. Segundo esta coluna apurou, o bispo Romualdo Panceiro, rival de Honorilton Gonçalves (vice da Record), está aconselhando fiéis da igreja a não assistir "A Fazenda 4". Panceiro também estaria fazendo a cabeça de Edir Macedo, para que ele proíba uma quinta edição do programa.

Dentro da Universal, o grupo de Panceiro é rival declarado do grupo de Gonçalves. A pressão de Panceiro pode ser a causa primordial que levou Edir Macedo a anunciar que os fiéis deveriam fazer um "jejum de informação", que começou anteontem e vai durar até o dia 21. Os fiéis devem se abster de ter contato com qualquer tipo de mídia (TV, rádio, jornal e internet).

Panceiro tem abertamente dito a fiéis que o programa "jamais deveria ir ao ar", e que (ele) "vai contra tudo o que a gente prega e ensina". Ele chama os participantes de "ignorantes indecentes". Panceiro se recusa a falar com jornalistas. Ele é hoje o segundo em hierarquia na Universal e foi apontado por Macedo em sua biografia como seu "herdeiro espiritual". É ele também quem cuida da relação econômica entre igreja e emissora (leia-se: quem assina o cheque)

Sob ataque, a direção da Record, por sua vez ataca a direção de "A Fazenda", exigindo saber o porquê de o ibope estar decepcionante. Nesta semana, o custoso reality show da emissora caiu para a média de 11 pontos, acendendo o alerta. Cada ponto vale por 58 mil domicílios sintonizados.

A Record não revela quanto custa a produção de cada edição do reality.

A primeira edição do programa marcou 14 pontos de média. A segunda desabou para 10. A terceira foi a de maior sucesso, com média de 15 pontos. Já "A Fazenda 4" marca 12 pontos de média até o episódio de ontem.

Cobrados pela cúpula da emissora, os responsáveis pela escolha de elenco se eximiram, dizendo que não havia outras alternativas.

Fonte: F5 da Folha.com

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...