quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Diante da onda de violência presidente da Nigéria afirmou que é quase impossível proteger os cristãos do país

Diante da onda de violência presidente da Nigéria afirmou que é quase impossível proteger os cristãos do país
Na Nigéria aumenta a cada dia o número de ataques violentos contra cristãos. Liderada pelo grupo islâmico extremista Boko Haram, a onda de violência que assola o país está fazendo uma verdadeira “limpeza religiosa”.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
“Os líderes cristãos na Nigéria estão extremamente preocupados com as mortes que estão acontecendo no país. Eles estão classificando esse fato como ‘limpeza religiosa’, que está sendo liderada por extremistas islâmicos”, informou o porta-voz da International Christian Concern, Jonathan Racho.
Segundo o Portas Abertas Racho disse também que seus apontamentos mostram que mais de 80 cristãos foram assassinados nas últimas semana no norte da Nigéria, que está cada dia mais sob controle do Boko Haram.
Diante dessa situação e dos constantes pedidos de ajuda o presidente nigeriano, Goodluck Johathan, expressou a sua preocupação com a situação do país, mas disse que para o estado é quase impossível proteger os cristãos.
Fontes do Ministério Portas Abertas afirmam que a dificuldade do governo em agir nesse caso vem do fato o governo está dividido por existirem pessoas dentro dele que simpatizam com as ideias do Boko Haram.

ESSA É PARA DAR UMAS BOAS RISADAS . - . Em defesa do Capitão Schettino

Como todos devem estar acompanhando o caso do transatlântico de luxo que tombou no mar da Itália, sabem que o capitão do navio está preso e será processado por homicídio doloso por ter abandonado a embarcação.
No entanto, se o acidente sinistro tivesse ocorrido em mares brasileiros, com certeza várias teses defensivas surgiriam, dada a impressionante criatividade de nossos colegas advogados criminalistas e, com certeza, muitas delas poderiam ser utilizadas para livrar o capitão do navio da prisão e, até, para absolvê-lo.
Alguns colegas do MPF elaboraram as seguintes teses defensivas que, embora absurdas, com certeza poderiam ser acolhidas pelo nosso sistema de Justiça penal, pois em muitos casos já serviram de fundamento para várias decisões absolutórias:
1. o capitão não abandonou a embarcação pois, afinal, o bote é também uma embarcação;
2. como a rocha é uma ocorrência geográfica natural, o naufrágio foi simples evento natural sem repercussão para o direito penal;
3. como o cruzeiro estava no raso, não houve naufrágio;
4. não há prova que as mortes ocorreram em razão do acidente;
5. em um governo civil, não deve haver autoridade para o comandante da capitania dos portos sob pena de instalarmos o estado policial ditatorial militar;
6. o capitão é branco e de boa índole;
7. o naufrágio foi um acidente de consumo e os turistas são consumidores, não há repercussão penal em razão da subsidiariedade do direito penal;
8. é inconstitucional a definição de mar territorial, pois o mar é feito de água;
9. a denúncia é inepta;
10. qualquer coisa que ocupe mais de uma página, seja chamada de habeas corpus e fale que o capitão é vítima de forças superiores e mancomunadas;
11. fugir para o Brasil e alegar que a Itália vive num estado de exceção permanente (Bunga-Bunga State) e que, portanto, seria impossível obter um julgamento justo, sem perseguição política, nos tribunais italianos;
12. a prova de que o capitão abandonou o navio é ilícita: gravações interceptadas sem autorização judicial;
13. ele foi interrogado por um Procurador da República, e o MP não pode investigar.
14. atipicidade material: os danos causados a embarcação são insignificantes, que inclusive pode vir a ser rebocada e reparada. A quantidade de vitimas fatais (cerca de 30) é insignificante no contexto de 4.000 pessoas
15. O comandante tem profissão definida, endereço conhecido e bons antecedentes. A prisão é ilegal. A ofensa ao princípio da dignidade humana contamina toda a investigação e nulifica a ação penal.
16. O comandante foi ouvido sem a presença de advogado, nem mesmo da defensoria pública. Toda a prova colhida a partir daí está prejudicada pela teoria dos frutos da árvore envenenada e não permite oferecer denúncia.
17. Não há gravação visual do capitão entrando no bote e abandonando o navio. Outrossim, como era noite e não havia visibilidade, poderia ter sido pessoa qualquer com o celular do capitão, se passando pelo capitão. In dubio pro reo.
18. Não há comprovação de que o capitão abandonou o navio dolosamente. O navio adornou (fato público e notório), fazendo com que muitos tripulantes fossem jogados ao mar. Ele não abandonou o navio por vontade própria, foi jogado ao mar juntamente com o bote. Ausência de dolo.
19. Se não foi caso de interceptação, mas de gravação, ainda assim a prova é ilícita, porque obra de agente provocador: o capitão não ligou para o comandante para dizer onde estava; foi o comandante que ligou para o celular do capitão para acusá-lo de estar fora do navio. Prova unilateral, crime induzido, flagrante provocado, crime impossível.
20. As equipes de salvamento não tomaram as devidas cautelas ao entrarem sem autorização judicial no navio à deriva, inclusive utilizando explosivos. Alteraram a cena do crime antes da chegada dos peritos em desacordo com o art. 6, a, do CPP. A produção de prova é imprestável ao impedir que o investigado possa contraditar as conclusões com o corpo de delito intacto, violando o devido processo legal, o contraditório e a ampla defesa . Provas contaminadas pela nulidade que impedem a persecução penal
21. Ao capitão Schettino é assegurado o direito de ajuizar contra De Falco ação penal privada por crime contra a honra, sem prejuízo da ação de indenização por danos morais, pelo constrangimento de constatar a reprodução midiática em larga escala das ordens que lhe foram enfáticamente dadas, o que fere o princípio da dignidade humana e a Declaração Universal de Direitos.
NOTA DO BLOG:
1) Fiquem à vontade para acrescentar outras teses de defesa nos comentários;
2) A compilação da 'obra coletiva' foi feita por um colega no Facebook e aqui copiada.

ENGANOS - Temor do ‘fim do mundo’ faz empresa a vender abrigos contra o Apocalipse

fim-do-mundoTeorias apocalípticas sobre o final dos tempos em 2012 ganham força com a divulgação de profecias de povos ancestrais, como os maias, e uma empresa norte-americana já está oferecendo “acessórios” que poderiam constituir abrigos contra um possível um cataclisma global.

Roberto Vicino, criador do projeto Vivos, alega que os cristãos que esperam o arrebatamento também já pensar devem nos preparativos para a ocasião. Para isso, ele oferece bunkers subterrâneos que podem abrigar até 6 mil pessoas, ao custo de US$ 50 mil. Mas ele ressalta que existem opções mais econômicas: "o plano de 6 meses custa US$ 10.000, mas a duração é mais curta e não é da melhor qualidade", explica o empresário.
Vicino ressalta ainda que quanto maior a capacidade do abrigo, menor o custo por pessoa do mesmo. Segundo o fundador do Vivos, 25 mil pessoas já solicitaram a adesão ao projeto, mas nem todos podem arcar com os preços.
Quando questionado sobre as razões que impulsionam as pessoas a se inscrever no projeto, ele cita não um acontecimento específico, mas o ‘medo do desconhecido’.
“As pessoas geralmente se inscrevem por medo do desconhecido. Não conheço ninguém que tenha aderido com base em uma ameaça específica, mas sim com o temor de que ocorram uma série de possibilidades”. Ele ainda diz que pessoalmente, acredita que não será uma única ocasião cataclísmica, mas sim uma série de eventos que levarão ao fim do mundo.
Volta de Cristo

O dia 21 de dezembro de 2012 marca o fim do calendário maia e já provocou muita discussão sobre o que a data pode significar. Para os Cristãos, a data não significa o fim do mundo, mas a volta de Cristo será o evento da qual todos devem se preparar.
O produtor cristão André Van Heerden afirma que seria sábio que os cristãos estivessem preparados para tudo, independente do que possa acontecer nesse dia. Van Heerden produziu um documentário que analisa não só as possíveis previsões e desastres naturais que podem ocasionar o fim dos tempos, mas também o que a Bíblia diz sobre isso. E ele alerta para que os cristãos fiquem atentos para que a data prevista pela profecia maia não seja utilizada para enganar e até utilizar os rumores para vendas de itens relacionados ao apocalipse.
O documentário de Van Heerden, intitulado "2012: profecia ou pânico" diz que há muitas teorias sobre o fim do mundo circulando por aí, e algumas até parecem convincentes. “Apesar de opiniões sobre as teorias dizerem que elas podem realmente ser consideradas confiáveis, mas pessoas devem, contudo, estarem conscientes do que está acontecendo”, disse o produtor.
"O mundo está mudando, e uma dessas mudanças pode ser o retorno de Cristo," enfatizou Van Heerden. Ele aconselha os cristãos a não se envolverem em todas as especulações que pairam e surgem a todo momento.
“Precisamos olhar para esses rumores objetivamente, por meio da lente da Bíblia”, incentiva Van Heerden. E continua: “a Bíblia tem sido 100 % precisa, em termos de previsões, seja com o retorno dos judeus para Jerusalém, os problemas no Oriente Médio, e nós realmente acreditamos que o arrebatamento está chegando.”
Sobre a construção de abrigos, ele avalia que as pessoas estariam colocando sua fé em si mesmos e em objetos feitos pelo homem, e não no Deus Eterno.
Para o empresário Vicino, seus maiores adversários são justamente os evangelistas que dizem que não é necessário um abrigo subterrâneo, pois só é preciso crer em Jesus. “Acho que é muito arrogante acreditar que quando esses eventos ocorrerem será o arrebatamento. Não sabemos ao certo se ele vai chegar ou se vai chegar. Se não nos prepararmos e ficarmos somente com os braços levantados dizendo ‘eu acredito em Jesus, me leve!’, pode ser decepcionante”, diz.
Veja um vídeo de 12 minutos apresentado por Vicino em um abrigo em Indiana, que está em fase final de construção:
You Tube

Porteiro escapa de ser morto em assalto por causa de uma Bíblia

Bible-christian-postUm vigilante de um galpão escapou de morrer em um assalto ao local, em Vitória, (ES), por ser reconhecido como um cristão, e portar sua Bíblia.

  • (Foto: by DrGBB)
    O Senado aprovou um projeto de Kentucky, quarta-feira, 09 de fevereiro de 2011, que objetiva acrescentar classes de Bíblia para o currículo nas escolas públicas.
 
O trabalhador, 47 anos, ficou sob a mira de quatro pistolas, e o assaltante que teria reconhecido a Bíblia, disse: "Só não vou te matar, porque você é um homem de fé".
Em depoimento no Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Vitória, o porteiro relatou que o suspeito chegou a perguntar se ele era mesmo evangélico.
Segundo o jornal local Gazeta Online, o trabalhador foi trancado dentro de um banheiro, com as mãos amarradas para trás.
Tudo aconteceu por volta de 19 horas quando quatro bandidos armados quebraram a vidraça e invadiram o galpão.
O funcionário, que estava sozinho no local, foi obrigado a deitar no chão e manter a cabeça abaixada, enquanto os criminosos carregavam os objetos.
Depois que foram embora, o porteiro conseguiu se livrar das amarras e saiu em busca de socorro, chegando até o DPJ de Vitória.
Policiais militares fizeram buscas pela região, mas não conseguiu localizar nenhum suspeito. Na ocorrência, a vítima não soube precisar se os criminosos estavam de carro nem quanto tempo durou o roubo.
Os assaltantes fugiram levando computadores, cadeiras, um televisor, um DVD, baterias de carro e bebedouros de um galpão, que fica na Avenida Vitória.
A vítima ainda lembrou que o grupo prometeu voltar para buscar o restante das coisas.

VIA GRITOS DE ALERTA.
INF. CRISTIAN POST

Garota torturada por ser cristã recebe alta do hospital


Garota torturada por ser cristã recebe alta do hospital
Uma garota cristã de 15 anos que mora em Uganda e que foi presa por seu pai, um muçulmano que não aceitou sua conversão e a trancou em um pequeno quarto por seis meses, está começando a voltar a sua rotina normal.

Susan Ithungo, uma jovem cristã da aldeia de Isango, foi hospitalizada em setembro de 2010 após seus vizinhos, juntamente com a polícia, resgatarem ela de um quarto onde seu pai a mantinha presa há seis meses.

Seu pai a trancou no pequeno quarto por esse longo período sem dar a ela quase nenhuma água ou comida. Ele foi preso logo após a libertação de sua filha, mas foi libertado da prisão rapidamente.

Susan e seu irmão, Mbusa Baluku, moravam sozinhos com seu pai, que se divorciou de sua mãe há poucos anos atrás.

Depois do Compass publicaram o sofrimento que Susan passou em 11 de agosto de 2011, várias pessoas e ministérios de todo o mundo se disponibilizou para ajudá-la.Ela agora vive em uma casa alugada em uma localização confidencial.

Após ter recebido a alta hospitalar, Susan ainda anda com muitas dificuldades. Ela sente dores nas costas e não consegue se agachar. Para piorar seu quadro, ela ainda contraiu malária em seu período de reabilitação. Apesar de tudo, Susan diz que perdoa seu pai.

Crianças e adolescentes, como Susan, enfrentam grandes problemas por aceitarem e decidirem seguir a Jesus. Muitas vezes, seus pais os rejeitam e até os agridem para que a sua decisão seja revogada.

Ore por Susan Ithungo por todas as crianças e adolescentes e enfrentam perseguição por aceitarem e decidirem viver suas vidas para Deus. Peça que Deus derrame ousadia e paz, para que continue nessa caminhada com Jesus.


Fonte: Portas Abertas