sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Estado Islâmico está prestes a invadir Israel


Estado Islâmico está prestes a invadir Israel
Existem vários indícios que o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) está prestes a invadir Israel. Assim que o antigo ISIS declarou a instauração de um Califado, afirmou que entre seus planos estava tomar conta do território onde fica o Estado judeu e tomar Jerusalém, terceira cidade sagrada mais importante para o islamismo.

Esta semana, o EI emitiu um comunicado reivindicando a explosão de uma bomba no Centro Cultural Francês, na cidade de Gaza. O Hamas, por sua vez, afirmou que a explosão foi um acidente.

Apesar da violência da explosão, com um artefato explosivo de 200 quilos, não houve vítimas. Ainda assim, trata-se de um sinal claro de que os dois grupos não estão operando em conjunto. O primeiro ministro Benjamin Netanyahu comparou, semana passada, o Hamas com o “Estado Islâmico” e foi criticado por isso.

O jornal israelense Yedioth Aaronot afirma que o incidente é a “estreia operacional do grupo Estado Islâmico na Faixa de Gaza”. A nota que chegou aos jornais afirma que o objetivo era “sabotar o centro para a imoralidade e a heresia conhecido como Centro Cultural Francês”.

Em julho, quando o Hamas, que domina a Faixa de Gaza desde 2005, lançava foguetes contra Israel, surgiram vídeos no Youtube mostrando que existia uma ligação entre eles.

Na mesma época, soldados do Estado Islâmico foram vistos no Líbano, mais especificamente nas Colinas de Golã, região que já foi parte do território de Israel. Anan Abbas, vice-comandante da Brigada Golã, disse ao Canal 10 de Israel que “todos na região sabem que a intenção do EI é invadir Israel”.
O número mais recente da revista digital Dabiq, publicada pelo EI, afirma:

“As ações [do Estado islâmico] falam mais alto que suas palavras. É só uma questão de tempo e paciência antes de atingirmos a Palestina para combater os judeus bárbaros e matá-los.” O nome da revista é o mesmo da cidade, segundo a tradição islâmica, que os muçulmanos e os exércitos ocidentais irão se enfrentar antes do final do mundo.

A contracapa da publicação traz o aviso: “Você vai invadir a Península Arábica e Deus vai permitir que você a conquiste. Então irá invadir a Pérsia [atual Irã], e Deus vai permitir que você a conquiste. Você, então, vai invadir Roma e Deus vai permitir que você a conquiste. Então você vai lutar contra o Dajjal [Anti-Cristo] na Palestina [Israel], e Deus vai permitir que você o conquiste”.

O ataque aos combatentes do EI na Síria e no Iraque desde 8 de agosto representam uma nova fase da guerra dos Estados Unidos contra os terroristas. Contando com o apoio do que chama de coalizão, o governo Obama já se prepara para um aumento da violência na região.

O ministro da Defesa de Israel, Moshe Yaalon, afirmou que o país pretende reagir com força contra qualquer ameaça e que os soldados do EI não passavam de 10 mil, contudo vêm crescendo rapidamente com a chegada de voluntários de diversos países.

A inteligência israelense acredita que, na fuga dos ataques da coalizão, os guerrilheiros podem querer conquistar novos territórios, inclusive em Israel. O EI alega que tem acesso a armas nucleares e vontade de usá-las para “libertar” a Palestina de Israel como parte de sua “Primavera Islâmica”, segundo noticiou meses atrás o site WND.

Batistas são acusados de crime eleitoral por evangelizarem durante as eleições

Uma igreja resolveu fazer um projeto de evangelismo durante as eleições do último domingo (5) entregando folhetos aos eleitores. Porém, uma promotora conseguiu que a Justiça autorizasse a apreensão do material alegando “crime eleitoral”.
O caso aconteceu em Glória de Dourados, no Mato Grosso do Sul, e atingiu os fiéis da Igreja Batista da cidade, inclusive gerando intimação ao pastor Luiz Gomes de Sousa.
O material distribuído pelos evangélicos trazia a mensagem: “Vote em Jesus Cristo para governar sua vida – Nenhum candidato se compara a Ele” tendo em seu conteúdo algumas promessas bíblicas dadas aos que creem em Deus.
Os evangélicos se espalharam pela cidade para entregar os folhetos nas escolas onde estava acontecendo as eleições. Por volta das 13h a Juíza Eleitoral Kelly Gaspar Duarte Neves mandou apreender o material, depois de ser procurada pela representante do Ministério Público Eleitoral, a promotora Juliana Martins Zaupa.
O pastor foi chamado para prestar esclarecimentos e se mostrou indignado com a acusação de que estava ferindo a lei eleitoral. “Trata-se de um trabalho de evangelismo realizado pela Igreja, aproveitando exatamente a data das eleições para propor uma reflexão ao eleitor. Nosso pessoal não provocou aglomeração, não fez apologia à candidatura humana”, disse ele.
Os fiéis estavam vestidos com a camiseta da seleção brasileira com os dizeres “nossa paixão vai além do futebol” e a apreensão do material foi vista com pesar pelo pastor.
“É muito triste que as autoridades legalmente constituídas, e que deveriam garantir o nosso direito, sirvam exatamente para o contrário”, afirmou Gomes de Sousa.
Quando o material foi apreendido 75% dele já havia sido entregue e agora o restante dos folhetos serão guardados para os próximos eventos. “A Igreja continuará a levar a sua mensagem; outras eleições ou datas comemorativas virão, e todas elas serão aproveitadas”, finalizou o líder religioso. Com informações Fátima News.

MATADORES DE CRISTÃOS - Família iraquiana vive em constante fuga de extremistas islâmicos



Família iraquiana vive em constante fuga de extremistas islâmicos
Uma mãe de aproximadamente 30 anos disse a voluntários da Portas Abertas na cidade de Erbil que esta é a terceira vez que a sua família teve de fugir de extremistas islâmicos nos últimos oito anos.
Segundo relatado, inicialmente, a família foi ameaçada por extremistas islâmicos enquanto vivia em Bagdá, em 2006. A mãe conta que recebeu o seguinte alerta: "Vocês são cristãos, se ficarem, vamos matá-los". Eles então fugiram, mas o grupo seguiu o carro da família e o empurrou para a beirada de um viaduto. Dois membros da família morreram. A mãe quase não sobreviveu ao acidente, sofrendo ferimentos graves na cabeça e ferimentos profundos no pescoço e no rosto. Seus dois filhos tiveram lesões físicas leves, mas um deles ficou tão traumatizado que não conseguiu falar ou andar por três dias.
Após o incidente, a família mudou-se para Qaraqosh e viveu em paz até junho, quando soube que os combatentes do Estado Islâmico (EI) estavam se aproximando de sua cidade. Eles fugiram novamente, temendo outro ataque. Depois de três dias em Erbil, voltaram porque ouviram que o local estava em segurança.
Semanas depois, em 8 de agosto, fugiram novamente após receberem a notícia que rebeldes estavam se aproximando de Qaraqosh. Desta vez, tinham menos de três horas para saírem antes da previsão de chegada dos rebeldes. Assim, tiveram de abandonar tudo, e fugir apenas com a roupa do corpo.
A mãe disse: "Se ficarmos, isso não vai parar de acontecer. No começo, queria ficar no Iraque, é a nossa casa, nós amamos esta terra, mas está demais. Não podemos mais viver assim".
A sogra acrescentou: "Deus nos enxugará todas as lágrimas e nos recompensará por tudo que perdemos, seremos compensados no céu. Esta é sempre a nossa esperança e fé!".

No Rio, suspeito de ebola passa por exames e colhe amostra de sangue

Protagonista do primeiro caso de suspeita de ebola no país, um guineano de 47 anos chegou na manhã desta sexta-feira (10) ao Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, na Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), em Manguinhos na zona norte do Rio de Janeiro. Após dar entrada na unidade, ele foi submetido aos primeiros exames, como medição de temperatura e pressão, e colheu amostras de sangue.
O material será enviado para análise ainda hoje para o IEC (Instituto Evandro Chagas) do Pará, onde são feitos os procedimentos laboratoriais da Fiocruz. O resultado mostrará se o paciente, que veio para o Rio após se atendido em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do município de Cascavel, no Paraná, na quinta-feira (9), foi ou não infectado pelo vírus que já vitimou milhares de pessoas em países da África.
As assessorias da Fiocruz e da Secretaria de Estado de Saúde, que participaram da operação montada para receber o africano na base aérea do Galeão, nesta manhã, informaram que mais detalhes sobre a transferência e o atendimento médico serão informados pelo ministro da Saúde, Arthur Chioro, e pelo secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, em entrevista marcada para 10h30, em Brasília.
Até a manhã desta sexta, o governo brasileiro não havia informado à OMS (Organização Mundial de Saúde) o caso de suspeita de ebola. A entidade, em declarações ao jornal "O Estado de S.Paulo", indicou que está sabendo da suspeita, mas apenas por meio de "artigos de imprensa".
"Por enquanto, não houve qualquer tipo de informação oficial para a OMS vinda das autoridades brasileiras sobre o caso suspeito de ebola", declarou Fadela Chaib, porta-voz da entidade em Genebra. Segundo ela, cerca de 50 casos suspeitos e rumores são monitorados diariamente pela OMS em Genebra.
Pelos regulamentos internacionais da OMS, "cada país deve notificar, pelos meios mais eficientes de comunicação, pelo ponto focal nacional, dentro de 24 horas, todos os eventos que possam constituir uma emergência de saúde pública de preocupação internacional dentro de seu território, assim como medidas de saúde implementadas em resposta a esses eventos".
Ampliar
A Secretaria de Estado de Saúde do Rio informou já ter elaborado um plano de contingência para tratar casos de contaminação pelo vírus ebola. De acordo com o órgão estadual, além do PLANO elaborado em parceria com Fiocruz, Corpo de Bombeiros e Secretaria Municipal de Saúde, há EPIs (equipamentos de proteção individual) estocado para os profissionais de saúde.
Natural de Guiné, o paciente tem 47 anos e relatou ter tido febre alta entre quarta (8) e quinta (9). Até o início da noite de ontem, ele estava em bom estado geral e, mantido em isolamento total. O paciente viajou de Cascavel para o Rio em uma aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira).
A transferência exigiu uma série de medidas que fazem parte de um protocolo internacional quando há casos suspeitos de ebola. A equipe estava paramentada com roupas especiais para evitar uma possível contaminação. O paciente, que também recebeu roupas especiais para a viagem, foi paramentado durante meia hora antes de seguir para o aeroporto.
Os três pilotos da aeronave da FAB também precisaram usar as vestimentas especiais para a viagem. O avião desembarcou na base aérea do Galeão, na Ilha de Governador, na zona norte do Rio. O paciente não passou pelas áreas comuns do aeroporto. Ele ficará totalmente isolado durante o período de observação.

Bancada evangélica cresce e tem 80 deputados federais eleitos


Com 80 deputados federais eleitos, a bancada evangélica na Câmara crescerá 14% a partir do ano que vem.

Hoje, tem 70 representantes, entre bispos, pastores e seguidores de igrejas. O aumento, ainda que menor que os 30% esperados pela Frente Parlamentar Evangélica, deverá tornar ainda mais difícil a aprovação de projetos ligados a causas de homossexuais ou em defesa do aborto.

São Paulo, o maior colégio eleitoral do país, e Rio de Janeiro, o terceiro, elegeram a maior parte dos candidatos evangélicos: cada um dos estados terá 14 deputados. O Paraná vem em seguida, com oito.

Entre novatos e veteranos, estão nomes como o do cantor Irmão Lázaro (PSC), Sóstenes Cavalcante (PSD-RJ), Marco Feliciano (PSC) - que foi o terceiro mais votado -, Arolde Oliveira (PSD) e Roberto de Lucena (PV).

Ao todo, 39 deputados federais que hoje integram a Frente Parlamentar Evangélica não se reelegeram, mas alguns conseguiram fazer de parentes seus sucessores. No Rio, por exemplo, foi eleita Clarissa Garotinho (PR), filha de Anthony Garotinho, com 335.061 votos. Ela se tornou a campeã de votos entre os deputados evangélicos. Entre os novatos, vários são apadrinhados por nomes DE PESO  dentro de suas igrejas. É o caso de Sóstenes Cavalcante (PSD-RJ), que contou com o apoio do pastor Silas Malafaia em sua campanha.

Malafaia se gaba por influenciar parlamentares no Congresso Nacional: "Dou cidadania há 28 anos, ensino como é o voto. Falo para o pessoal que é o voto da representação do segmento. Converso com esses caras e com vários deputados que não contaram com minha participação na campanha, que, mesmo assim, ligam para mim, agradecendo."

Um dos líderes da bancada, o deputado reeleito Eduardo Cunha (PMDB-RJ), autor do projeto de lei que pune discriminação contra heterossexuais, diz que lutará para impedir uma ampliação de direitos de homossexuais: "A minha posição é clara. Eu sou contra projetos de lei progressistas. Uma grande parcela da sociedade, diria que a maioria, concorda comigo. Não vejo nada de mais.

Segundo o cientista político e professor da Universidade de Brasília (UnB) David Fleischer, a bancada evangélica é "bastante organizada" e deve repetir a performance dos últimos quatro anos na Câmara, alternando vitórias e derrotas: "É uma bancada que tem uma liderança e um apoio forte, apesar de reunir seitas bem diferentes. A Igreja Universal ainda é maioria. As igrejas evangélicas têm mais sucesso ao induzir fiéis a votar em pastores e bispos."

Confira abaixo os nomes dos deputados federais evangélicos eleitos por estado:

Acre
Alan Rick (PRB-AC)

Amazonas
Silas Câmara (PSD-AM)

Bahia
Erivelton Santana (PSC-BA)
Irmão Lázaro (PSC-BA)
Márcio Marinho (PRB-BA)
Sérgio Brito(PSD-BA)

Ceará
Ronaldo Martins (PRB-CE)

Distrito Federal
Ronaldo Fonseca (PROS-DF)

Espírito Santo
Manato (SD-ES)
Sérgio Vidigal (PDT-ES)

Goiás
Fábio Sousa (PSDB-GO)
João Campos (PSDB-GO)

Mato Grosso
Victório Galli Filho (PSC-MT)

Maranhão
Cleber Verde (PSDB-MA)
Eliziane Gama (PPS-MA)

Minas Gerais
George HILTON  (PRB-MG)
Lincoln Portela (PR-MG)
Leonardo Quintão (PMDB-MG)
Stefano Aguiar (PSB-MG)
Weliton Prado (PT-MG)

Pará
Julia Marinho (PSC-PA)
Josué Bengtson (PTB-PA)

Paraná
Christiane Yared (PTN-PR)
Edmar Arruda (PSC-PR)
Fernando Francischini (Partido da Solidariedade-PR)
Hidekazu Takayama (PSC-PR)
Marcelo Belinati (PP-PR
Sandro Alex (PPS-PR)

Piauí
Rejane Dias (PT-PI)

Pernambuco
Anderson Ferreira (PR-PE)
Pastor Eurico (PSB-PE)

Rio de Janeiro
Arolde de Oliveira (PSD-RJ)
Aureo (SD-RJ)
Benedita da Silva (PT-RJ)
Clarissa Garotinho (PR-RJ)
Eduardo Cunha (PMDB-RJ)
Ap. Ezequiel Teixeira (SD-RJ)
Francisco Floriano (PR-RJ)
Marcos Soares (PR-RJ)
Rozãngela Gomes (PRB-RJ)
Sóstenes Cavalcante (PSD-RJ)
Washington Reis (PMDB-RJ)

Rio Grande do Norte
Antônio Jácome (PMN-RN)

Rio Grande do Sul
Ronaldo Nogueira (PTB-RS)
Onyx Lorenzoni (DEM-RS)

Rondônia
Marcos Rogério (PDT-RO)
Nilton Capixaba (PTB-RO)

Roraima
Johnathan de Jesus (PRB-RR)
Carlos Andrade (PHS-RR)

Santa Catarina
Geovania de Sá (PSDB-SC)

São Paulo
Antônio Burlhões (PRB-SP)
Bruna Furlan (PSDB - SP)
Edinho Araújo (PMDB-SP)
Gilberto Nascimento (PSC-SP)
Jefferson Campos (PSD-SP)
Jorge Tadeu Mudalen (DEM-SP)
Pr. Marco Feliciano (PSC-SP)
Miss. José Olímpio (PP-SP)
Paulo Freire (PR-SP)
Roberto de Lucena (PV-SP)
Vinicius Carvalho (PRB-SP)

Sergipe
Pastor Jony (PRB-SE)
Laércio Oliveira (SD-SE)

Tocantins
César Halum (PRB-TO)

Fonte: Diário da Manhã e Guia-me

Cristãos são julgados em tribunal da Etiópia


Cristãos são julgados em tribunal da Etiópia
Ore por dois missionários que têm exercido o seu ministério no norte da Etiópia. Hoje, eles irão enfrentar o tribunal, acusados de incendiar uma igreja local, enquanto um terceiro cristão está sendo acusado de financiar o ataque. Se forem considerados culpados, esses cristãos enfrentarão 15 anos de prisão.
A equipe da Portas Abertas, na região, acredita que falsas testemunhas fizeram parte no processo, o que dificulta ainda mais a defesa desses cristãos. Interceda para que a justiça seja feita. Peça pela graça abundante de Deus sobre os irmãos que enfrentam esse julgamento. Ore para que o coração de cada um deles seja preenchido com a paz que excede todo o entendimento.

Católicos queimam acampamento de evangélicos


Católicos queimam acampamento de evangélicos
Se no Oriente Médio católicos e evangélicos são igualmente perseguidos por radicais muçulmanos, no México a realidade é outra.
Um grupo de católicos da comunidade indígena Mitzitón, na região de Chiapas queimou semana passada um acampamento onde viviam cerca de 26 famílias evangélicas. O ataque foi parte de uma campanha do Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN).
Todos os evangélicos tiveram suas casas queimadas e foram expulsos da região. O conflito que opôs os indígenas teve início em junho deste ano. Os católicos ligados ao EZLN já anunciaram que desejam erradicar definitivamente os evangélicos de Chiapas.
Segundo a missão Portas Abertas, especializada em ajudar cristãos perseguidos, nos últimos anos a intolerância religiosa aumentou significativamente no México. Em especial na região sul (onde fica Chiapas) os evangélicos são multados, presos, espancados e até mesmo assassinados por causa de sua fé.
Um dos motivos para isso são os movimentos políticos. As Igrejas não são bem vistas na região pois ensinam que as drogas não são compatíveis com o evangelho. Outro motivo é que existe um imposto obrigatório destinado a cobrir despesas com festividades católicas no país. Os evangélicos se recusam a contribuir e por isso são perseguidos nas cidades onde essas tradições são mais fortes. 

Três cristãos novos convertidos são presos no Irã


Três cristãos novos convertidos são presos no Irã
Agentes do Ministério de Inteligência e Segurança do regime iraniano prenderam mais três cristãos na província de Isfahan na semana passada. A localização atual dos três homens é desconhecida.
Os três homens haviam se convertido ao cristianismo recentemente. Um deles, Shahram Ghaedi estava envolvido na produção de um FILME sobre a vida de Jesus, mas a gravação foi interrompida devido à prisão de todos os envolvidos no projeto.
Ghaedi, Heshmat Shafiei e Emad Haqi foram presos em 27 de setembro, na cidade de Fooladshahr. Os agentes invadiram a casa de Ghaedi às 6h30 da manhã. Eles vasculharam todos os cômodos e confiscaram seus bens pessoais antes de o prenderem.
Até então, não há informações sobre o paradeiro desses três cristãos.
No ano passado, Hassan Rouhani tornou-se o presidente do regime clerical no Irã ao lado da oposição política e minorias étnicas, incluindo curdos, árabes e Baluchis; e minorias religiosas, incluindo os cristãos, que sofreram com a violência do regime.
Por CONTA disso, muitos cristãos foram detidos e condenados a uma pena de longo prazo, além de exílio e não têm acesso a um advogado ou um julgamento justo.