sábado, 20 de novembro de 2010

Balada Gospel Jerusalem acontece em Dezembro

De casa nova à partir de novembro, a igreja da Vila Matilde receberá a última balada do ano de 2010, intitulada ” Jerusalém Festival”.
Uma noite repleta de arte, música, cultura e espiritualidade, trazendo não somente entretenimento, mas também uma mistura de  ritmos culturais, juntamente com tendências de sons pós modernos. Em uma mesma noite você ouvirá ritmos judaicos com raízes de até 2000 anos atrás, até sons de bandas de rock, axé e sets de música eletrônica gospel .
O projeto que foi idealizado no ano de 2009, traz como proposta original , uma festa de música eletrônica cristã ao ar livre,  que seria realizada no parque ecológico do Tamboré em Barueri nesse ano de 2010. O projeto acabou não acontecendo, pois não houve acordo com  o local considerado apropriado pelos idealizadores. MP7, dj e um dos produtores das baladas da igreja Renascer em Cristo, acredita que há grandes chances do projeto original acontecer no próximo ano , mas que o projeto no formato indoor (em local fechado) , não deixará a desejar em nada ao público e ainda servirá como aperitivo para o que há de vir em 2011.
“O projeto open air sai ano que vem, mas decidimos realizar  a Jerusalém Festival em formato Indoor com três intuitos : Atrair e evangelizar em peso os jovens da região da zona leste, trazer a galera para conhecer o novo templo da Vila Matilde  e mostrar um pouco do que vai ser esse festival no ano de 2011. “- finaliza.
A Jerusalém Festival acontecerá sábado, dia 18 de Dezembro na Renascer Vila Matilde à partir das 23 h. Além do próprio Dj Mp7, Banda Baque, Banda Dopa e uma banda com ritmos judaicos confirmaram presença no evento. Uma decoração temática está sendo preparada , assim como uma alimentação judaica e árabe que estarão como opção no cardápio no dia do evento.
Jerusalem festival música tema
A carga total de  antecipados colocados à venda será de 2000 convites , e  já estarão disponíveis à partir do dia 07 de novembro em todas igrejas Renascer em Cristo da zona leste , além do Renascer Hall , Renascer Osasco, Renascer Santana , Renascer Jabaquara e Renascer Alphaville.
Ainda perguntado sobre quais baladas acontecerão no ano de 2011 , MP7 citou pelo menos 7 grandes eventos .
” As baladas já fazem parte do calendário do Projeto Amar. Além das tradicionais LOVE, SKY, CONNECTION E FANTASY, estamos estruturando uma balada dentro de um túnel na cidade de Alphaville , além da Jerusalém Festival Open air e o SOS da vida.
Veja a lista das baladas :
LOVE (janeiro 2011), SKY (Abril 2011) , Fantasy (Setembro 2011)  – todas no Espaço Renascer.
CONNECTION ( Junho 2011 ) – Renascer Osasco.
Rave do Túnel ( a definir data ) – em Alphaville.
Festivais : SOS da Vida ( maior festival música gospel da América Latina – data a definir )  e Jerusalém Festival ( 1ª rave cristã open air de São Paulo ), também com a presença de uma tenda de rock e black.

Ficha Técnica :

“Jerusalém Festival “
Dia : Sábado, 18 de Dezembro 2010
Horário : 23 h
Local : Renascer Vila Matilde – Rua Maria Carlota 856
Artistas: Banda Baque, Banda Dopa , Hebrew Songs Orquestra e Dj MP7
Carga de convites antecipados : 2000 convites ( R$ 10,00 )
Convites na hora : R$ 15,00
email : jerusalemfestival@hotmail.com
site : jerusalemfestival.com.br ( à partir do dia 18 novembro )
Produção: Ministério Remix
Realização: Projeto Amar Vila Matilde / Projeto Amar Leste

Dilma escreve ao papa por trégua com a Igreja - Dilma writes truce with the pope by the Church

Depois de enfrentar uma campanha dominada pela polêmica do aborto em dois turnos, Dilma Rousseff fez mais um gesto para se aproximar da Igreja Católica, agora como presidente eleita.
Em tom bastante cordial, Dilma enviou uma carta ao papa Bento XVI, na qual pede sua bênção para o novo governo e assegura que deseja manter amplo diálogo com o Vaticano.
O emissário da correspondência será Gilberto Carvalho, chefe de gabinete do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que embarcou ontem à noite para Roma. Carvalho vai se encontrar na segunda-feira com o secretário da Santa Sé para Relações com os Estados, Dominique Mamberti, que receberá a mensagem endereçada ao papa.
Na carta, Dilma não mexe no vespeiro do aborto, mas promete se dedicar, nos quatro anos de seu mandato, à erradicação da miséria e à redução da desigualdade social. “A intenção dela é fazer uma saudação ao papa e garantir que as relações do próximo governo com a Igreja continuarão sendo as melhores possíveis”, disse Carvalho, que vai representar Lula, no fim de semana, na cerimônia em que o arcebispo de Aparecida (SP), d. Raymundo Damasceno, será nomeado cardeal.
A três dias do segundo turno, Bento XVI condenou a descriminalização do aborto e da eutanásia e recomendou aos bispos brasileiros que emitissem “juízo moral” sobre essas questões, mesmo em “matérias políticas”. Embora não tenha feito referência direta à eleição, o papa pediu aos bispos que orientassem os fiéis a usar o voto para a “promoção do bem comum”.
Antes disso, sob pressão de religiosos, Dilma lançou uma carta-compromisso dirigida aos cristãos, em que destacava ser contrária ao aborto. Na prática, foi a segunda versão de um texto preparado por um grupo de católicos e evangélicos. Dilma se recusou a assinar o primeiro rascunho, que condenava o casamento entre homossexuais.
A polêmica relativa à interrupção da gravidez foi motivo de vários embates entre Dilma e o candidato do PSDB, José Serra, e dividiu o comitê petista. Serra bateu na tecla de que a adversária defendera o aborto, em 2007, e mudara o discurso.
A então candidata do PT disse que sempre tratou o assunto como “questão de saúde pública”. Pela lei, o aborto é permitido somente em casos de estupro e risco de morte para a mãe.
“Não acredito que numa campanha entre dois homens esses temas teriam tanta relevância”, afirmou Dilma ao Estado, às vésperas do segundo turno. “Pôr no centro da disputa a questão religiosa não foi bom para o Brasil. Isso foi dose pra mamute na campanha, viu!”, completou.
Fonte: Estadão

Lares cristãos são incendiados no sul do Egito - Christian homes are burned in southern Egypt

Muçulmanos atearam fogo durante a noite em pelo menos 10 casas pertencentes a cristãos coptas em uma aldeia no sul do Egito.
Segundo as autoridades locais houve boatos de que um residente cristão teve um caso com uma jovem muçulmana.
A polícia prendeu vários muçulmanos suspeitos de terem queimado cinco casas e um armazém na localidade de Al Nawahid, na província de Qena (450 km ao sul do Cairo).
A maioria das pessoas envolvidas são parentes da jovem muçulmana suspeita de envolvimento com o cristão.
A região de Qena, com uma grande comunidade copta ortodoxa, já foi no ano passado palco de episódios violentos entre grupos religiosos.
Em janeiro passado, seis coptas foram mortos por homens que abriram fogo contra eles quando saíam de uma igreja na véspera do Natal copta.
Os coptas, ou cristãos do Egito, representam entre 6 e 10% da população egípcia, em sua grande maioria de confissão muçulmana sunita, e denunciam que são marginalizados.
Há duas semanas, os coptas foram alvo de ameaças por parte de uma facção da Al-Qaeda no Iraque, que os acusa de sequestrar dois cristãos convertidos ao islã.
Fonte: Missão Portas Abertas

Abandono – Bebê recém-nascido é encontrado no banheiro de igreja evangélica - Abandonment - Newborn baby is found in the bathroom of the evangelical church

Foi encontrato dentro do banheiro da igreja evangélica Deus é Amor, na Rua da Conceição, no Centro do Rio de Janeiro, um bebê de aproximadamente uma semana de vida. A criança estava dentro de uma bolsa e foi localizada pela aposentada Ruth Gabriel, de 66 anos.
Ruth contou aos policiais do 5º BPM (Harmonia)  que foi ao banheiro após o término do culto nesta quarta-feira (7) e viu a bolsa próxima a lixeira. Ao abrir encontrou o bebê dormindo. Na bolsa ainda tinha um pacote de fraldas.
Equipe de Jornalismo

Padre é acusado de transformar igreja em masmorra erótica - Father is accused of turning the church into erotic dungeon

Acusado de transformar a casa paroquial da Igreja Divino Espírito Santo de Realengo, em 2007 , em ‘masmorra erótica’, o padre polonês M. M. S., de 44 anos, vai para o banco dos réus. Ontem, o juiz da 1ª Vara Criminal de Bangu, Alexandre Abrahão, decretou a prisão preventiva do sacerdote. Segundo a denúncia do Ministério Público Estadual, o religioso teria algemado um jovem, então com 16 anos, e feito sexo oral nele, na casa paroquial. A vítima conta que M. chegou a oferecer dinheiro para calá-lo e o ameaçou, dizendo que “já sabia as flores que colocaria em seu caixão”.
“O indiciado é uma pessoa compulsivamente ligada a sexo com adolescentes. O acusado arregimentava esse rebanho de inocentes para sua casa paroquial”, escreveu o juiz na decisão. O jovem detalhou as tentativas do padre em aliciá-lo. Ele havia deixado a igreja em 2006, após dois anos servindo como coroinha. Mas M. o convenceu a voltar a frequentar a paróquia em 2007. O abuso teria ocorrido próximo ao Carnaval daquele ano. “Ele solicitou a presença do jovem na casa paroquial, que estava deserta. No quarto, no segundo andar, após algemá-lo à cama, o despiu e nele praticou sexo oral”, descreve a denúncia. Diante da recusa do garoto por sexo , M. teria lhe oferecido dinheiro pelo silêncio.
A denúncia relata ainda que o padre, ao perceber a recusa do menor em atender a suas ligações, ameaçou de morte a vítima. Se condenado por atentado violento ao pudor, M. pode pegar 10 anos de prisão. Embora o crime atualmente tenha sido revogado por lei, à época dos fatos estava previsto no Código Penal.
Pároco tentava aliciar mais vítimas com mensagens pornográficas
A denúncia do Ministério Público traz também que o padre M. M. S. aliciaria suas ‘potenciais vítimas’ pela Internet. A troca de mensagens com um coroinha ficou mais frequente quando o rapaz deixara a igreja, no fim de 2006. “Consta nos autos farto material erótico enviado à vítima, com o intuito de seduzi-la”, destacou o juiz.
A intensa atividade do padre na Internet também pesou na decisão do magistrado de conceder a prisão preventiva. “É necessário que se cumpra, até porque o acusado, pela postura erótica das ‘sedutoras’ conversas, onde inclusive troca fotos, descreve intensa vida sexual com outros”, escreveu. Ele ressalta que as “orgias” eram descritas entre risos nas “‘conversinhas’ mantidas com seus amigos na Internet”. “E o perfil desenhado pela prova indiciaria sua franca capacidade de usar sua postura de padre para executar ‘lavagem cerebral’”.
O juiz atenta para o fato de que M., por ser polonês, pode deixar o Brasil, e ratifica sua decisão afirmando que “a liberdade do acusado põe em sério e concreto risco a garantia da ordem pública, em especial o bem-estar da juventude religiosa que frequenta as igrejas.
Pedófilo pego na Vila da Penha
Na Vila da Penha, policiais prenderam ontem em flagrante C. C. R., 28 anos, acusado de oferecer R$ 500 à família de menina de 13 anos para fazer fotos dela nua. C. chegou a conversar por telefone com a mãe da jovem, a quem proibiu de acompanhar a ‘sessão’. Assustada, a mãe procurou a 38ª DP (Brás de Pina), onde foi orientada a marcar encontro com C. no Largo do Bicão. O acusado confessou que iria tirar as fotos no carro “para saciar o desejo”.
Fonte: O Dia

Revista erótica(Playboy) é proibida após publicar Jesus com mulher nua na capa - Erotic magazine (Playboy) is banned after publishing Jesus with naked woman on the cover

A intenção da “Playboy” portuguesa era causar polêmica com a capa ilustrada por Jesus Cristo e uma mulher nua, mas a repercussão foi longe demais. A Playboy Entertainment anunciou, nesta quinta-feira, que vai rescindir o contrato com a versão de Portugal por causa da edição que homenageia o livro “Evangelho segundo Jesus Cristo”, de José Saramago.
“Não vimos nem aprovamos a capa e as fotografias do número de Julho da ‘Playboy’ Portugal. Trata-se de uma violação chocante das nossas normas e não teria sido permitida a publicação, se tivéssemos conhecimento antecipado”, declarou Theresa Hennessy, vice-presidente da Playboy, ao site Gawker. A duração da versão portuguesa da revista foi curta. O primeiro número saiu em março de 2009, com a cantora Mônica Sofia na capa.
Fonte: Globo

Notícias Gospel – Jornal blasfema: “Obama é, com certeza, maior do que Jesus” - Gospel News - Newspapers blasphemous: "Obama is certainly bigger than Jesus"

obamaJornal deifica presidente americano e descarta Cristo. O editorial de um jornal dinamarquês, citando tanto as políticas externas quanto internas adotadas pelo presidente Barack Obama, está deificando o líder político americano.“Obama é, com certeza, maior do que Jesus — se tivermos de jogar esse absurdo jogo do Natal”, opinou o editorial não assinado ontem em Politiken, que se gaba de ser o maior jornal da Dinamarca, publicado desde 1884.
O editorial continuou: “Mas, provavelmente, é mais importante insistir em que com o triunfo dele hoje nos EUA, ele já garantiu para si um lugar nos livros de história — um espaço que ele tem boas chances de expandir de modo considerável nos próximos anos”.
O jornal diz que Obama “é provocativo ao insistir em estender a mão, onde outros só vêem animosidade”.
E embora “seus resultados tangíveis em curto prazo sejam escassos”, suas palavras “permanecem na consciência de sua audiência e têm efeitos de longo prazo”.
“Ele vem de origem humilde e defende os fracos e vulneráveis, pois ele pode se identificar com a condição deles”, disse o jornal. “E não estamos pensando em Jesus Cristo, cuja data de nascimento acabamos de celebrar. Estamos falando do presidente dos Estados Unidos Barack Hussein Obama”.
O editorial comentou que “seria natural chegar-se à idéia de uma comparação entre Jesus e Obama. Se se fizesse tal comparação, é certeza que Obama levaria vantagem”.
O editorial, escrito na ocasião de um voto legislativo em favor do plano de saúde de Obama que institui controle governamental total, citou “o direito de todos os cidadãos de não se arruinarem financeiramente quando sua saúde não está bem”, assim como “o maior pacote de ajuda financeira da história dos EUA, um importante acordo de desarmamento e o mais rápido restabelecimento da reputação americana da História”.
“Por outro lado, há os milagres de Jesus, dos quais todos ainda se lembram, mas que só beneficiaram poucas pessoas. Ao mesmo tempo, há as maravilhosas parábolas sobre sua vida e obras que conhecemos a partir do Novo Testamento, mas que têm sido interpretadas de formas tão diferentes durante os 2000 anos passados que é impossível dar um resultado claro de suas obras”, disse o jornal.
“Todos nós sabíamos que esse dia chegaria”, escreveu Jeremy Wiggins no blog da Associação da Família Americana. “Sabíamos que alguém da esquerda acabaria tentando comparar Barack Obama com Jesus”, escreveu ele.
“O que quero saber é isto: Como é que dá para comparar uma pessoa que não fez NADA com alguém que fez TUDO? O presidente Obama se prostrou diante de reis, mas diante de Jesus reis vão se prostrar, pois ELE é o Rei dos Reis. Suponho que a comparação mais próxima que eu poderia usar na comparação de Obama com Jesus é comparando uma formiga com um edifício arranha-céu. Não só Jesus é VASTAMENTE maior do que Obama, mas eles nem mesmo estão na mesma categoria para se comparar!” escreveu ele.
WND fez várias reportagens sobre múltiplas referências e sugestões da deidade de Obama, inclusive quando o cantor britânico Sting disse que o presidente Obama poderá ser a resposta para os problemas do mundo — a resposta divina. “De muitas maneiras, ele foi enviado por Deus, pois o mundo está uma bagunça”, ele disse em entrevista à Associated Press na época.
Antes, foi uma das redatoras de um jornal universitário que escreveu: “Obama é meu Jesus”.
Maggie Mertens, uma das redatoras do jornal da Faculdade Massachusetts’ Smith, disse: “Obama é meu amigo. E não estou dizendo isso porque ele é negro — estou dizendo isso em referência a uma camiseta estampada de uns dois anos atrás que dizia ‘Jesus é meu amigo’. Sim, foi o que eu quis dizer. Obama é meu Jesus”.
A confissão dela apareceu recentemente na seção de comentários do jornal universitário Smithsophian sob o título: “Eu O Seguirei: Obama como Meu Jesus Pessoal”.
“Embora os religiosos vejam isso como idolatria ou embora outros pensem que tudo nessa sentença ofende, temo que seja verdade”, escreveu ela.
Além disso, um artista que planejou apresentar um retrato de Obama numa pose como de Cristo com uma coroa de espinhos na cabeça cancelou o evento devido à “esmagadora revolta do público”.
E foi Louis Farrakhan, o líder do grupo muçulmano Nação do Islã, que declarou no ano passado que quando Obama fala, “é o Messias que está realmente falando”.
Houve também outro acontecimento durante a campanha de Obama quando um site perguntou: “Será que Barack Obama é o Messias?” Essa manchete sintetizou a onda de euforia que seguiu o crescimento espetacular do senador do Partido Democrata.
O site ficou famoso com uma declaração de Obama estrategicamente extraída de um discurso dele na Faculdade Dartmouth, em 7 de janeiro de 2008, logo antes da eleição do Partido Democrata para escolher um candidato à presidência. Foi nessa ocasião que Obama declarou aos estudantes: “Uma luz brilhará por essa janela, um raio de luz descerá sobre vocês. Vocês experimentarão uma presença divina, e de repente compreenderão que precisam ir votar” em Obama.
O site inclui isto:
SEJA O TEU NOME OBAMA
TUA MUDANÇA VIRÁ
TUA VONTADE SERÁ FEITA…
Fonte: Verbo/JulioSevero

Cristãos vietnamitas travam batalhas diárias contra a perseguição

 
Em desfile, vitnamitas comemoram os 35 anos da reunificação do país com o fim da Guerra do Vietnã  
VIETNÃ (21º) - Os cidadãos vietnamitas comemoraram hoje os 35 anos da vitória de seu país na chamada Guerra do Vietnã. O conflito, que durou mais de 20 anos e matou mais de 3 milhões de vietnamitas e 50 mil norte-americanos, marcou a vitória do regime socialista, implantado em todo o território desde então.

O povo vietnamita tem muito do que se orgulhar, pois, conseguiu sair vitorioso de uma sucessão de invasões que incluíam, além de americanos, franceses e japoneses, em mais de 30 anos ininterruptos de confronto.

Porém, a vitória do socialismo representou para os cristãos do país uma dura ameaça. Tida como a religião do invasor, o cristianismo foi severamente combatido pelo regime. Com o fim da guerra, todos os missionários estrangeiros foram expulsos do país, igrejas foram fechadas, cristãos foram presos e mortos. Era o fim da Guerra do Vietnã, mas o início de uma dura batalha para a Igreja.

Superando obstáculos

De maneira análoga a seu povo, os cristãos vietnamitas têm resistido bravamente neste período. Apesar de toda a perseguição e de todas as dificuldades, a Igreja permanece firme, graças ao suporte que recebe de irmãos de todo mundo, que se juntam a organizações como a Portas Abertas para interceder por ela e ajudá-la em todo o tempo.

Um dos participantes de um treinamento ministrado aos líderes de igrejas no ano passado afirmou: “O treinamento me encorajou, me ensinou e me alertou para várias coisas. Todos os dias enfrento muitas dificuldades e obstáculos no ministério. Ao estudar a vida dos profetas, vi que eles também sofreram, mas continuaram a obedecer a Deus, a proclamar a sua Palavra e a completar a obra. Eles confiaram em Deus, por experimentarem o poder de Deus em suas vidas, e entenderem que Ele é suficiente para sustentar os seus servos.”

Com testemunhos desse tipo, a Igreja vietnamita também tem muito a comemorar. Contrariando todas as expectativas, toda a intenção do governo, ela sobreviveu e tem crescido nos últimos anos. Lembre-se de sustentar em oração os nossos irmãos vietnamitas, para que a cada dia eles superem as barreiras da perseguição e levantem ainda mais alto a bandeira do evangelho de Cristo no país.

Cristina Ignacio





Missão Portas Abertas
 

Dr. Fan detido por "fazer barulho"


   
 
Bíblia chinesa  
CHINA (13º) - Dr. Fan Yafeng, oito membros da sua família e amigos, se reuniam para cultuar por volta das 15h40 do dia 07 de novembro de 2010, quando a polícia de Pequim preparou uma invasão domiciliar. Dois policiais entraram na sala e exigiram que eles parassem o culto doméstico, além da identificação de cada um dos cristãos presentes.

O Dr. Fan recusou-se a se identificar e insistiu que a polícia apresentasse bases legais para suas ações. Assim, as autoridades acusaram-no de “fazer barulho” e o levaram para a delegacia de Shuangyushu. Ele não foi liberado até às 6 horas daquela tarde.

Após a liberação, o Dr. Fan afirmou que não importa o que aconteça, o culto de domingo realizado em sua casa nunca será interrompido. Também disse que "nunca respeitará uma ordem que viole os princípios da Bíblia e sua consciência”. O cristão citou Josué 24:15 dizendo: "... mas quanto a mim, eu e minha casa serviremos ao Senhor".

O comportamento de Pequim com o Dr. Fan durante as últimas semanas tem sido terrível. O tratamento do governo é semelhante ao que outros ativistas dos direitos humanos, como Chen Guangcheng ou Gao Zhisheng, recebem e a ChinaAid teme que ele possa estar a caminho de passar pelo mesmo sofrimento.

A segurança do Dr. Fan está em grande risco, e a ChinaAid incentiva todos a orarem por este fiel advogado dos direitos humanos e líder cristão.

Tradução: Ana Maria Umbelino



Fonte: China Aid Association

Paquistanesa condenada por "blasfêmia" está triste e abalada

 
Asia Bibi com suas duas filhas. (Fofo: CNN)  
PAQUISTÃO (14º) - A primeira mulher a ser condenada à morte no Paquistão por suposta blasfêmia contra o profeta islã está abalada e triste que nunca foi convidada para uma declaração em sua defesa.

Em entrevista a Compass Direct News na prisão de Sheikhupura, Asia Noreen declarou emocionada e com uma voz trêmula que estava muito triste e abalada.

A mãe de dois filhos e madrasta de outros três se voltou para a Compass e fez uma pergunta que ninguém foi capaz de responder por ela:  "Como pode uma pessoa inocente ser acusada, ter um caso em tribunal depois de um falso FIR [Primeiro Relatório de Informações], e então ser dada a sentença de morte, sem sequer uma vez levando em consideração o que ele ou ela tem a dizer?"

Presa em junho 19, de 2009, Asia (alternativamente escrito Aaysa) Noreen foi acusado de blasfêmia contra Maomé e difamação do islã. Sob pressão de islâmicos, um juiz a condenou ante os estatutos de blasfêmia do Paquistão em 8 de novembro.

"Eu não sei por quê - quando entrei no tribunal naquele dia, eu já sabia", disse ela. “E quando o juiz anunciou a minha sentença de morte, eu chorei e lamentei. Em todo o ano que passei nessa prisão, não fui uma vez sequer fazer a minha declaração no tribunal. Nem por parte dos advogados e pelo juiz. Depois disso, perdi a esperança de que algum tipo de justiça possa ser dado a mim.”

Noreen disse que o incidente foi resultado de uma "conspiração planejada" para "ensinar-lhe uma lição” já que os aldeões em Ittanwali, perto Nankana Sahib cerca de 75 km (47 milhas) de Lahore, não gostavam de ela e sua família.

"Eles dizem que eu confessei o meu crime, mas o fato é que eu disse que estava arrependida por qualquer palavra que poderia ter dito durante o argumento que poderia ter ferido os seus sentimentos", declara. "O que as pessoas da minha aldeia me acusaram é uma mentira completa".

Tradução: Carla Priscilla Silva

Obreiro é atacado a caminho da igreja

ÁSIA - O obreiro da Gospel for Asia, Jethu Monin, foi atacado por anticristãos extremistas enquanto caminhava para a igreja no domingo, dia 14 de novembro. Hoje ele se recupera dos ferimentos.

Jethu serve numa área denominada por pessoas que adoram os deuses e deusas de suas religiões tradicionais.

Os agressores exigiram que o cristão deixasse a região, caso contrário haverá consequências piores. Também o noticiaram de que “não deveria conduzir reuniões cristãs de oração nesta área”.

Essa não foi a primeira vez que o obreiro de 25 anos enfrentou perseguição. Quando ele e sua família decidiram seguir Cristo, foram expulsos do povoado onde viviam.

Mas Jethu tem compaixão por seus agressores. Entende seu ponto de vista já que foi um deles. Ele e sua família foram fiéis seguidores desta religião tradicional, até Jethu ouviu sobre o amor do Jesus da Bíblia de um estudante.

Até este momento, ele já estava desencorajado por conta dos muitos problemas de sua vida, que seus deuses e deusas não pareciam se importar. 
 
Os pais do jovem ficaram chocados ao ver a transformação de seu filho para uma pessoa alegre. Eles logo seguiram os passos de Cristo e isto causou certo alvoroço no povoado.

“Eles tentaram nos converter de volta a ex-religião. Como não puderam mudar nossa decisão de seguir Jesus, nos ameaçaram e expulsaram do povoado”, explicou o rapaz. “Neste tempo de tormento, Deus se tornou nossa força e coragem, nos mantém seguro em Suas mãos”.

A família seguiu Cristo firmemente desde então e oram para que os agressores conheçam a Cristo.

A igreja de Jethu pede oração por sua cura completa e que esse incidente não cause a ele nenhum desencorajamento.

Tradução: Tatiane Lima



Fonte: Gospel for Asia
 

Esquisitices Neopentecostais



Por: Pr. Elder Cunha

Com a invasão da doutrina Neopentecostal, muitos evangélicos deixaram de lado a verdadeira doutrina de Cristo e passaram a se alimentar de alimentos indigestos. Qualquer ser humano que tenha o mínimo de raciocinio, consegue discernir das "babaquices e loucuras" desenvolvidas pelos lideres Neopentecas.

Pastores e demais líderes evangélicos começam a demonstrar preocupação diante das extravagâncias que estão surgindo nos púlpitos brasileiros. A cada dia que passa surgem novas práticas anti e extrabíblicas.

As críticas que antes corriam apenas à boca pequena, agora tomam corpo e são divulgadas em sites de expressão. A Igreja Evangélica já não pode calar diante de tamanha irracionalidade. Não desejamos ser julgados pelo pecado de omissão. O povo brasileiro precisa saber que tais tolices, como a seguir exemplificamos, estão à margem do Evangelho que nos foi ensinado por Jesus. Na verdade, se trata de um outro evangelho, gostaria, então, de semear mais um pouco a verdadeira Doutrina de Cristo

Em detrimento da Palavra, multiplicam-se os púlpitos festivos. Luzes, coreografias, encenações inusitadas, objetos ungidos e mágicos, entrevistas com demônios, amuletos, e outras mercadorias, tudo é válido no desvario em que se envolvem pregadores e ouvintes.

A impressão que se tem é que o evangelho, da forma que foi anunciado pelos apóstolos nos primeiros tempos, já não serve para os dias atuais, afinal Deus tem uma "Nova Unção" (que tragédia esse comentário). Falar de pecado, arrependimento, perdão e santidade se tornou antiquado, obsoleto, repreensível. É preciso entreter os ouvintes, apresentar uma nova atração ou unção, a cada semana, tudo semelhante ao que vemos na sociedade consumista. Mas o que é preciso mesmo, e com urgência, é botarmos a boca no trombone, tocar a trombeta e denunciar o que estão fazendo com o evangelho.

Ovelhas que já perderam a noção do que é ser cristão. Não sabem sequer por que Jesus morreu. Têm o dízimo como meio de obter bênçãos espirituais e materiais. Não conhecem o evangelho da renúncia, da resignação, do sofrimento, do carregar a cruz, do contentar-se com o pouco. Certa vez um jovem neopentecostal, disse: “Se sirvo a Jesus, quero ser rico, ter uma boa casa e carro importado”. Os anos se passaram e nada disso aconteceu. Ele e seus pais pararam de ofertar e estão com a fé em declínio. É o que está acontecendo: gazofilácios cheios, pessoas vazias.

É difícil de acreditar que um grupo de cristãos, liderados pelo pastor, alugue um helicóptero e, com dezenas de litros de óleo, passe a ungir a cidade do Rio de Janeiro, derramando uma caneca de óleo aqui, outra ali. Fico a meditar como um líder conseguiu envolver irmãos de boa fé nesse projeto inusitado. O óleo da “unção” deve ter caído em lugares pouco recomendáveis para o mister, tais como animais mortos, fezes e valas fétidas.

Mais incrível é o uso de urina para demarcar território. Essa você não vai acreditar. Em Curitiba, um grupo de irmãos, liderado pelo pastor da igreja, entendeu que deveria demarcar seu território com urina, como fazem os leões e lobos. Após beberem muita água para encher bem a bexiga, seguiram para pontos estratégicos da cidade e passaram a urinar. Foram horas e horas urinando. O comboio de veículos parava em pontos preestabelecidos, e ali, a um sinal, um deles aliviava a bexiga. Ora, esse tipo de lógica poderá levar irmãos a situações mais degradantes ainda. Degradantes, patéticas e irracionais. Algum irmão desse grupo poderá descobrir que determinada espécie animal demarca seu território com suas próprias fezes. Certamente não atentaram para o contido no Art. 233 do Código Penal que trata da prática de “ato obsceno em lugar público”, e estipula a pena de detenção de três meses a um ano, ou multa. A jurisprudência indica que a micção em lugar público configura o crime previsto no referido Artigo, ainda que não haja intenção de vulnerar o pudor público.

Pelas perguntas e respostas a seguir é possível comparar o evangelho de ontem com o de hoje. Após ouvirem a pregação de Pedro, muitos, compungidos, perguntaram: “Que faremos?” Pedro respondeu: “Arrependei-vos”, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo” (At 2.37-38). A resposta, hoje, seria: “Participe das campanhas, faça o sacrifício do dar tudo, e seja próspero”.

Atendendo à curiosidade de Nicodemos, Jesus disse: “Quem não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” (Jo 3.3). A resposta no outro evangelho: “Seja dizimista fiel”.

Se alguém perguntasse a Tiago o que deveria fazer para livrar-se dos encostos, ele prontamente diria: “Sujeitai-vos a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós” (Tg 4.7). A resposta do evangelho festivo seria: “Use sal grosso, sabonete de descarrego, vassouras, fitas, colares, cajados, pedras, e seja dizimista fiel”.

Se o pecado do rei Davi – adultério e co-autoria num homicídio - fosse nos dias de hoje, a culpa seria do encosto que estaria nele. Uma série de exorcismos, cinqüenta quilos de sal grosso, uma dúzia de sabonetes seriam necessários para pôr o encosto em retirada.

Às indagações sobre como ter o necessário à vida, Jesus respondeu: “Não pergunteis que haveis de comer, ou que haveis de beber, e não andeis inquietos. Buscai antes o reino de Deus, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Lc 12.29,31). A resposta noevangelho da prosperidade: “Toque no lençol mágico”.

O Apóstolo Paulo confessa que “orou três vezes ao Senhor” para que o livrasse de um espinho na carne. Mas o Senhor, em vez de atendê-lo, respondeu: “A minha graça te basta, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”. Reconhecendo a vontade soberana de Deus, Paulo se conforma e continua com seu espinho. E declara: “Portanto, de boa vontade me gloriarei nas minhas fraquezas”, pelo que “sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Pois quando estou fraco, então é que sou forte” (2 Co 12.7-10). A orientação para esses casos, nos púlpitos festivos, é a seguinte: “Exija de Deus seus direitos”. Sofredores como o Apóstolo, o servo Jó e muitos outros desconheciam esse caminho “legal” para exigir direitos assegurados.

Pedir, do grego aiteõ, sugere a atitude de um suplicante que se encontra em posição inferior àquele a quem pede. É esse o verbo usado em João 14.13 – “E tudo quanto pedirdes em meu nome...” – e 14.14 – “Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei”. “Pedir”, do grego erõtaõ, indica com mais freqüência que o suplicante está em pé de igualdade ou familiaridade com a pessoa a quem ele pede, como, por exemplo, um rei fazendo pedido a outro rei. “Sob este aspecto, é significativo destacar que o Senhor Jesus NUNCA usou o verbo aiteõ na questão de fazer um pedido ao Pai”, por ter dignidade igual Àquele a quem pedia. (Jo 14.16; 17.9,15,20 – Fonte: Dic. VINE). Por essas e outras, há muita gente confundindo alhos com bugalhos.

Repassa-se a idéia de que crente não deve chorar nem passar por qualquer tipo de sofrimento. Crente deve ser próspero. A verdade, por muitos desconhecida, é que a fidelidade a Deus não nos garante uma vida livre de dores, aflições e sofrimento. Dizer que aos crentes e fiéis dizimistas está garantia uma vida de flores, sem lágrimas, sem luta espiritual, sem aperto financeiro, é conversa para boi dormir. Jesus disse que seus seguidores deveriam carregar sua própria cruz, caminhar por um caminho apertado e passar por uma porta estreita “No mundo tereis aflições; na verdade todos os que desejam viver piamente em Cristo padecerão perseguições” (Jo 16.33; 2 Tm 3.12). Era da vontade de Deus que Paulo pregasse o evangelho em Roma. Apesar de sua fidelidade a Deus, os caminhos lhe foram difíceis. Enfrentou provações várias, naufrágio, tempestade, prisões.

Não podemos nos fazer de surdos à zombaria e piadas em torno desse “outro evangelho”. As pessoas tendem a nivelar todas as Igrejas Evangélicas pelo que vê na televisão, ou pelo que vê num ou outro culto. Eu pensaria da mesma forma se não fosse evangélico. É preciso esclarecer a opinião pública sobre o que diz a Bíblia a respeito de cada nova idéia extravagante. Que se façam ouvir as vozes e o protesto dos líderes que defendem a pregação de um evangelho livre de heresias e irracionalidade.

Sem conhecer a verdade bíblica se torna difícil detectar as heresias. Ouça este conselho: não coma pela mão dos outros, mas examine você mesmo se o que o seu pastor prega está de acordo com a Palavra. Se você não estiver devidamente preparado para esse exame, consulte outros irmãos. Faça como os bereanos fizeram em Atos 17.11


Autor: Pr. Elder Cunha.Bibliografia: Evangélicos em Crise, Paulo Romeiro
Fonte: [ Semeando a verdadeira doutrina de Cristo ]

PARA RELEMBRAR - Preso traficante que se passava por pastor evangélico

Cleber Souza Rocha, traficante preso em Guarapari. Foragido da JustiçaCleber Souza Rocha, traficante preso em Guarapari. Foragido da Justiça

Cleber Souza Rocha, braço direito do traficante internacional de drogas Ivanildo "Tigrão"
Mais um traficante da quadrilha que movimentava aproximadamente R$5 milhões em drogas somente no Espírito Santo foi preso pela Polícia Civil durante operação que contou com apoio de 20 investigadores da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (Deten) e do Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Guarapari. A detenção de Cleber Souza Rocha, de 30 anos, aconteceu na noite desta quinta-feira (15) no bairro Kubitschek.
O delegado Lorenzo Pazolini, esclareceu que a polícia já investigava o bandido há cerca de seis meses e recebeu a informação de que ele estaria no município. Os investigadores cercaram as principais ruas do bairro até que prenderam o acusado. Ele saía de uma residência em uma moto quando foi surpreendido pela equipe da Deten e recebeu voz de prisão.
Em um primeiro momento, Cleber negou ser traficante e disse aos policiais que era pastor de uma Igreja Evangélica. Para tornar a versão ainda mais real, ele chegou a mostrar uma Bíblia aos policiais.
"Ele tentou se passar por pastor, mostrou uma Bíblia e afirmou que tinha acabado de sair de um culto religioso. Só que ele foi reconhecido e depois acabou confessando que usava a Igreja como forma de evitar a polícia".
Segundo as investigações policiais, Cleber era braço direito do bandido Ivanildo Macedo dos Santos, o "Tigrão", preso no mês de agosto no Estado de Goiás. O criminoso é apontado com um dos maiores traficantes do Brasil e chefe de uma quadrilha que tem ramificações em São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, e Espírito Santo.
Conforme explicou o delegado Lorenzo Pazolini, Ivanildo tinha vários gerentes do tráfico no Estado e, em Guarapari, o homem de confiança dele era justamente o comparsa Cleber.
"Era o Cleber que gerenciava a venda de drogas em Guarapari. Ele era o responsável por receber a droga e vendê-la em bocas de fumo do município".
De acordo com a polícia, o bando que o traficante fazia parte chegava a movimentar mais de R$5 milhões com a venda de entorpecentes por mês. Desse total, aproximadamente R$800 mil era arrecadado em Guarapari.
A quadrilha comercializava principalmente cocaína e maconha. A primeira droga vinha da Bolívia e a segunda, chegava ao Brasil após ser comprada no Paraguai. Cleber está preso e aguarda vaga em alguma penitenciária do Estado.

Gazeta 0nline/Notícias Cristãs

Evangélicos com suas postura mostram que não é Cristão? Postado por Pastor Roberto Torrecilhas

Muitos evangélicos mostram com suas atitudes uma falta do verdadeiro Cristo e do ensinamentos de Jesus,pois muitos carregam em seus corações vaidade e egoísmo.
Vaidade quando se colocam povo escolhidos e que estão salvos,muitos dizem que o Espírito Santos estão em suas igrejas e recusam a presença em outras religiões,isso é um ato de vaidade, pois se sente superiores e vivem mostrando seus pontos positivos e esquecendo seu lado negativo.
Egoísta,pois os mesmo se acham conhecedores da palavra e não aceitam e muitas vezes fecham os ouvidos para ouvir outras denominações,colocando como única verdade suas compreensão e defendendo seus interesses sem pesquisar ou ouvir pessoas para ter uma base melhor,podemos notar em muitos evangélicos que dizem que outras religiões são guiadas pelo demônio,mesmo nem sabendo o que é a religião e as pessoas que estão nelas.
Nesses dois pontos podemos perceber que essa forma de agir está totalmente fora dos padrões de um cristão,que busca principalmente a humildade,mansidade e pacifidade e não encontramos essas características nos evangélicos,peço desculpas aos evangélicos,mas avaliando a postura de muitos vemos muita falta do verdadeiro ensinamento de Jesus em suas posturas e a postura é a principal forma de sentirmos o coração das pessoas e através das posturas dos evangélicos e suas arrogâncias percebemos que vive uma crença falsa de seguidores de Jesus, e mostram que não são conhecedores da bíblia,pois o livro é para estudar e melhorar condutas pessoais e muitos usam a bíblia para corrigir as pessoas e assim faltando com respeito e tirando a liberdade dessas mesmo decidirem sobre suas vidas,levando assim uma falta de respeito com Deus que deu livre arbítrio as pessoas e os evangélicos não respeitam esse direito perante a sociedade e a Deus e atacam condenando e dizendo que as pessoas andam no caminho errados como donos da verdade.
A bíblia é a verdade,mas quando é usada corretamente,mas uma arma em muitas mãos despreparadas,por isso Jesus nos orientou a examinar bem as escrituras e não ler e gravar e se achar donos da verdade,pois o diabo usa a palavra para enganar os escolhidos.
Com tudo isso peço novamente desculpa,mas em meu ver estão longe da postura de Cristão e deverão reviver suas fé e buscar realmente os ensinamentos de Jesus com conhecimento e amor a verdade de cristo que muitos evangélicos não vivem.

Advogado paranaense pode assumir caso Bruno - “Cheguei ao fundo do poço”, disse Quaresma, ontem, em entrevista por telefone ao Paraná Online.

Mara Cornelsen
O advogado Cláudio Dalledone Júnior, criminalista paranaense, deverá ser o novo defensor do ex-goleiro Bruno Fernandes, caso se confirme o afastamento temporário de Ércio Quaresma, 46 anos, o polêmico advogado que, depois de ser filmado fumando crack com outros viciados, em um bar de Belo Horizonte (MG), confirmou sua dependência química e afirmou que há um ano e meio faz tratamento com psiquiatra para se livrar do vício. “Cheguei ao fundo do poço”, disse Quaresma, ontem, em entrevista por telefone ao Paraná Online.

Sem demonstrar abatimento pela repercussão negativa do caso, Quaresma declarou que sua dependência é “um ato de covardia, uma escravidão”, que começou com o consumo de pequenas quantidades de cocaína até chegar ao crack.
Porém, considera “ato de coragem” enfrentar a exposição pública do problema, que abala inclusive sua vida familiar. Ele e o psiquiatra Ronaldo Laranjeira, PhD em dependência química na Inglaterra e um dos maiores especialistas do País, estão escrevendo o livro chamado “Bico na lata”, que vai contar como é a luta contra o vício em crack.

Suspensão


Quanto à posição do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil de Minas Gerais (OAB-MG), Luís Cláudio Chaves, que determinou a abertura de um processo disciplinar contra ele, pedindo a suspensão preventiva do exercício da profissão, Quaresma diz que a entidade está certa e não poderia ficar omissa diante de tal situação.
E, quando afastado, passará o caso para Cláudio Dalledone, que já conhece o processo e atua na defesa de Luiz Henrique Ferreira Romão, o “Macarrão”, amigo de Bruno.

Ontem, Quaresma e Dalledone estavam em Maceió (AL), para acompanhar o depoimento do legista George Sanguinetti, contratado pela defesa para periciar o sítio de Bruno, na Grande Belo Horizonte, onde Eliza teria ficado em cativeiro. Ele afirmou que o homicídio de Eliza Samudio foi “virtual”.
“Não há crime sem o cadáver, sem indícios”, disse o perito à reportagem do jornal mineiro O Tempo. Ele também orientou Quaresma a entrar com pedido de anulação do processo. Esta é a última fase de depoimentos no processo.
Também deverá ser ouvido por precatória o delegado Wagner Pinto. Depois, a defesa e a acusação apresentarão as alegações finais e a juíza Marixa Rodrigues, do 1.º Tribunal do Júri de Contagem, decidirá quais dos nove réus serão levados a julgamento.

Guarda


Sônia Fátima Moura (mãe de Eliza Samudio, a ex-amante do goleiro que está desaparecida e que teria sido assassinada a mando dele) comemora a vitória que obteve junto à 11.ª Câmara Civil do Tribunal de Justiça, que deferiu anteontem, em Curitiba, liminar permitindo que ela permaneça com a guarda de Bruno Samudio, filho de Eliza supostamente com ex-goleiro.
O menino mora com a avó em Campo Grande (MS). O processo tramita na Justiça de Foz do Iguaçu. Só o julgamento definitivo do processo definirá quem terá a guarda permanente do garoto.

Chute no preconceito- Estudantes judias e não judias conectadas pela rede

Vivian E. (à esquerda), Vivian J., Sarah, Vicky, Wanessa e Camila: conectadas pela rede e derrubando estereótipos. Fotos: Fábio Guimarães/Extra

Praia de Ipanema, cinema em Botafogo ou balada. As três opções estão nos planos das novas amigas Vivian Engelender, Vivian Joory, Sarah Disitzer, Vicky Melgar, Wanessa Sabino e Camila Ferreira. Conectadas por e-mail, Orkut e Msn desde o primeiro encontro, elas estão conseguindo quebrar o estereótipo que tinham umas das outras.

— Elas nos achavam fechadas e queriam saber sobre o Judaísmo — conta Vicky.

Para Wanessa, foi surpresa saber que uma aluna do Eliezer andava de ônibus:

— Ela não é patricinha.

Belezas diferentes

Os alunos enxergaram ainda beleza na diversidade.

— No Eliezer é uma beleza única. Lá no José de Alencar, não. Tem uma beleza que as meninas daqui não têm — diz Fábio Schechtr.
— No José de Alencar, há mais cores —  define Francisco Ferreira.

Alunas do Eliezer Max e do José de Alencar posam para foto após uma partida de handball.

Entre as meninas, a percepção foi parecida:

— Os meninos do Eliezer são lindos, mas as meninas de lá os acham feios. E acham os do José de Alencar lindos e maravilhosos  — diz Wanessa.


Alunos de colégio judaico e escola municipal se conhecem pelo esporte

Da esquerda para a direita: Francisco, Gustavo e Gabriel, do José de Alencar, e Fábio e Martin, do Eliezer Max. Fotos: Fábio Guimarães/Extra

Do toque de bola entre meninos como Fábio Diamante Schechtr, de 15 anos, e Francisco Ferreira, de 14, derrubou-se uma barreira imaginária, que alimentava o preconceito — social, racial e religioso. Estudantes do 9 ano do ensino fundamental do Colégio Eliezer Max e da Escola Municipal José de Alencar, eles começaram a descobrir, recentemente, que há gostos comuns dos dois lados do muro que os separa em Laranjeiras. No segundo jogo do torneio de futebol criado para promover o diálogo entre as diferenças, no último dia 28, sequer houve “lados”: ambos defenderam a mesma equipe.

— O objetivo era integrar as escolas pelo esporte. Não adiantava pôr uma contra a outra. Misturamos os alunos. No fim do jogo, eles se abraçam. A diferença, ali, não aparece. É uma vitória social — diz Felipe Wrencher, coordenador de educação física do Eliezer.

Alunas dos dois colégios, numa mesma equipe, combinam as jogadas antes de uma partida de handball.



Coordenador do ensino fundamental 2 do colégio judaico, (o não judeu) Alexandre Valuzuela acredita que a iniciativa forma cidadãos melhores, com visão abrangente:

— A gente se deu conta de que eram duas escolas, com um muro no meio. Era preciso integrar. Eles têm muito que aprender uns com os outros. Quanto mais conviverem com o diferente, melhor.




Estranhamento


Na primeira partida do torneio, na quadra do José de Alencar, a ideia que cada grupo fazia do outro chegou a retardar, por alguns instantes, o contato inicial.

— Achava que era totalmente diferente deles. A gente ficou uma meia hora se estranhando, se conhecendo com os olhos. Depois, vimos que gostamos das mesmas coisas, como (a banda) Restart — explica Fábio.

Francisco, católico, gostou de conhecer amigos de outra religião:

— Eles são humanos como nós.

Madureira: igreja vazia devido à violência

Bruno Rohde

Bancos de madeira vazios na Assembleia de Deus da Avenida Ministro Edgard Romero. O pastor usa microfone, mas nem precisaria. No culto da noite desta quarta-feira, 15 pessoas ouviam a pregação do líder evangélico Izael Jacinto em sua igreja. Normalmente, segundo ele, o número é quatro vezes maior. Com a violência que vem assustando os moradores de Madureira, os fiéis se afastaram. Por enquanto, resta ao pastor orar para que esse período acabe.

— A frequência tem sido pequena. Quem vai querer correr risco? — questiona o pastor, que iniciou o culto com 40 minutos de atraso porque ainda não havia fiéis na igreja.

Moradora da parte baixa da Serrinha, uma senhora resolveu ir ao culto mesmo depois do susto que tomou no último domingo, quando precisou se esgueirar pelos muros e paredes da rua para chegar em casa com segurança, em meio ao tiroteio.

— Quando a polícia dá as costas, o tiroteio recomeça. Se a situação está muito agitada, nem venho, porque não consigo subir. De segunda para terça-feira, ninguém dormiu na comunidade. Dava para ver os traçantes (tiros) passando — contou.

Brasil se abstém em resolução contra apedrejamento e violações no Irã

 Powered by Max Banner Ads

bandeira_brasilGENEBRA – A diplomacia brasileira se absteve de apoiar uma resolução da Organização das Nações Unidas (ONU) que pede o fim do apedrejamento no Irã e o condena como forma de punição. A resolução ainda condena Teerã por “graves violações de direitos humanos” e por silenciar jornalistas, blogueiros e opositores. A votação da resolução ocorreu na noite da quinta-feira, 17, em Nova York. O governo iraniano acusou a ONU de estar “politizando a questão do apedrejamento”. Veja também:Brasil se abstém de condenar abusos em MianmarAs punições da Sharia, a Lei Islâmica As origens do sistema jurídico do IslãEntenda o caso Sakineh Ashtiani Nos últimos anos, a estratégia do Itamaraty tem sido a de não usar os órgãos da ONU para condenar outros países. A ideia é de que a cooperação e o diálogo são as melhores formas de garantir que um país caminhe em direção ao respeito dos direitos humanos. A posição brasileira é criticada por ONGs, que insistem que o País, na condição de democracia, deveria pressionar demais governos para que sigam no caminho da abertura política. Na quinta-feira, porém, o Brasil voltou a demonstrar que não está disposto a criticar o Irã publicamente, nem mesmo no caso do apedrejamento. O Brasil ainda tem esperanças também de ser chamado para fazer parte do grupo que negociaria uma solução para o impasse nuclear no Irã. O País foi um dos 57 países que optaram pela abstenção na votação da resolução na Terceira Comissão da Assembleia Geral da ONU. Entre os outros países que se abstiveram estão Angola, Benin, Butão, Equador, Guatemala, Marrocos, Nigéria, África do Sul e Zâmbia. Um dos pontos principais da resolução aprovada é a condenação do apedrejamento como método de execução. O texto pede o fim da prática, assim como a discriminação contra mulheres. O documento foi apresentado pela delegação do Canadá como uma forma de mandar uma mensagem de que não se poderia tolerar atitudes como a de condenar a iraniana Sakineh Ashtiani à morte por apedrejamento. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a oferecer asilo à iraniana, o que foi recusado por Teerã. Há uma semana, a presidente eleita Dilma Rousseff criticou o método iraniano. Mas na ONU o Brasil não deu seu voto a favor da resolução. Votaram ainda contra a proposta países como Venezuela, Síria, Sudão, Cuba, Bolívia e Líbia. A resolução foi aprovada com o apoio de 80 países, entre eles um dos membros do Mercosul, a Argentina, além de todos os países europeus, EUA, Canadá, Chile e Japão. ‘Politização’ Para o governo iraniano, o que está sendo feito é a “politização” do assunto como forma de pressionar Teerã. “Essa resolução não é justa e não contribui com os direitos humanos. Essa resolução é fruto da hostilidade americana em direção ao Irã. É a politização dos direitos humanos”, acusou Mohammad-Javad Larijani, representante de Teerã para a reunião. Para ele, o país tem o direito de usar a ameaça do apedrejamento e insistiu que há anos ela não é usada. Ativistas negam que haja uma moratória na prática. “O apedrejamento significa que você deve fazer alguns atos, jogando um certo número limitado de pedras, de uma forma especial, nos olhos de uma pessoa. Apedrejamento é uma punição menor que a execução porque você a chance de sobreviver. Mais de 50% das pessoas podem não morrer”, defendeu Larijani. O texto ainda condena as violações contra mulheres, assim como a perseguição contra Baha’i. A resolução ainda pede o fim da restrição de liberdade de expressão e de associação, o fim da intimidação contra ativistas, advogados, políticos da oposição, bloggers e jornalistas, além de condenar o desaparecimento de pessoas que tenham participado de demonstrações. O documento ainda pede o fim de restrições para jornalistas, como as interferências nos sinais de satélite, uma prática comum adotada por Teerã, segundo ONGs. O texto ainda exorta o governo de Mahmoud Ahmadinejad a lançar investigações “independentes e imparciais” sobre as violações de direitos humanos e que acabe com a impunidade. Larijani se defendeu, alegando que não há um silenciamento de advogados e nem jornalistas. “Todos podem falar com a imprensa estrangeira. Mas depende do que querem dizer”, disse o iraniano. “Se estão difamando o sistema legal, devem ser responsáveis por isso”, acusou. A resolução condena a alta taxa de casos de pena de morte anunciadas pelo governo iraniano, a execução de pessoas com menos de 18 anos que tenham cometido crimes e a existência de leis que permitem a pena de morte contra pessoas que sejam “inimigas de Deus”. Em uma declaração enviada à imprensa após a votação, a embaixadora dos EUA na ONU, Susan Rice, comemorou a aprovação da resolução. “O governo do Irã continua a assediar, prender de forma arbitrária e reprimir de forma violenta sua própria população”, afirmou.
Estadao

Padre se converte ao protestantismo e gera polêmica na Diocese de Cajazeiras e já esta pregando na AD

Atualmente o padre servia as paróquias de Sousa e Cajazeiras, já que tinha entregado a paróquia de Belém do Brejo do CruzO Padre Lourival Luiz de Sousa pediu na manhã deste sábado (01), o afastamento dos serviços sacerdotais da Igreja Católica. O documento foi entregue ao próprio Bispo da Diocese de Cajazeiras, Dom José Gonzáles.
Atualmente Lourival estava servindo em paróquias de Sousa e Cajazeiras, já que tinha entregado a paróquia de Belém do Brejo do Cruz, onde tinha recentemente ganhado desta comunidade uma passagem aérea com tudo pago para a comunidade Canção Nova em Cachoeira Paulista. Lá Padre Lourival, segundo informações foi bem recebido e teria participado de programa da emissora católica, na volta ao sertão da Paraíba, em cada missa que o sacerdote celebrava pregava muito que os católicos deixassem de idolatria e que se apegasse mais em Jesus Cristo, fonte de tudo.
Entenda o caso
Em entrevista exclusiva ao Portal Diário do Sertão, Lourival afirmou que sua mudança de religião se dá por não aceitar algumas coisas que acontecem dentro da crença católica, mais o ponto principal seria a questão da idolatria.
“Eu deixe a igreja católica, tirei a batina como se diz, e fui ao vivo entregar a carta de renúncia ao bispo Diocesano.” Disse o ex-padre.
Perguntado pela reportagem se ele poderia voltar atrás em sua decisão, Lourival foi rápido em sua resposta.
“Não tem condição de eu voltar porque eu conheço a palavra. Deixe eu dizer uma coisa a você, 90% das pessoas que estão na igreja, porque gostam deste negócio de imagem, gosta de procissão, a gente prega sobre a idolatria e aí as pessoas não aceitam que está na palavra, então este foi um dos grandes motivos da minha saída”. Disse.
O ex-padre sabe que a sua saída da igreja católica causará uma grande polêmica no meio católico, mas ele disse que está disposto a sofrer todas as conseqüências, em nome da palavra de Deus.
Currículo
Padre Lourival recebeu a ordenação ao sacerdócio católico em 18/06/2000 e exercia o sacerdócio há quase 10 anos. Ao longo desse período ele foi o pároco das cidades de Aguiar/PB, Igaraci/PB, Diamante/PB, Boa Ventura/PB, Curral Velho/PB e Belém do Brejo do Cruz/PB, tendo visitas marcantes em igrejas de outras cidades, e, ainda era auxiliar nas igrejas de Sousa e Cajazeiras.
Diocese se pronuncia
O portal Diário do Sertão procurou o Vigário Geral da Diocese, Padre Agripino Ferreira, que confirmou o afastamento de Padre Lourival de Sousa das suas funções sacerdotais. Agripino lamentou a saída do colega e afirmou à reportagem que espera que Lourival possa rever sua decisão.

Ex-padre já prega na Assembleia de Deus como evangélico em Sousa. Notícia ganha repercussão…

A cidade de Sousa viveu um reboliço com a notícia, que tomou conta das principais rádios da cidade, dando conta de que um padre havia se tornado evangélico. Trata-se do ex-padre Lourival Luiz de Sousa, ele que reside no Núcleo II, recebeu a ordenação ao sacerdócio católico (padre) em 18/06/2000 e exercia o sacerdócio há quase 10 anos, ao longo desse período ele foi o pároco das cidades de Aguiar/PB, Igaraci/PB, Diamante/PB, Boa Ventura/PB, Curral Velho/PB e Belém do Brejo do Cruz/PB, tendo visitas marcantes em igrejas de outras cidades, e, ainda era auxiliar nas igrejas de Sousa e Cajazeiras.
Ocorre que o mesmo, estudando a Palavra de Deus – a Bíblia Sagrada – percebeu, quando ainda exercia o sacerdócio na cidade de Diamente/PB em 2003 que estava ensinando uma doutrina que contraria a Bíblia Sagrada e, naquela cidade, começou a ensinar às pessoas que a Bíblia reprova a adoração às imagens de escultura (Sabedoria 15.15-18 – livro apócrifo; Êxodo 20.4,5; Isaías 45.20; Deuteronômio 4.15-19; ) e que o único Salvador é Jesus Cristo (João 4.23; Atos 4.12; I Timóteo 2.5) e nãos as tradições das igrejas. E prosseguiu ensinando que a Bíblia é o caminho para conduzir as pessoas a fazerem a vontade de Deus e se aproximarem de Deus (Tiago 4.8), devendo servi-lo de toda alma e de todo o coração (Marcos 12.30-33) e não apenas com obras de caridade, visto que a salvação é obtida pela graça de Deus, por meio da fé, sendo um dom de Deus e não vem das obras (caridades e coisas semelhantes) para que ninguém se glorie (Efésios 2.8,9).
Após, as reiteradas leituras da Bíblia integralmente o ex-padre Lourival passou a sentir forte desejo de ser evangélico e congregar numa igreja onde se adorasse a Deus verdadeiramente, onde os verdadeiros adoradores adoram ao Pai em espírito e em verdade (João 4.23). Baseado em João 8.32 (E conhecereis a verdade e a verdade – Jesus – vos libertará) e em João 8.36 (Se, pois, o Filho vos libertar verdadeiramente sereis livres).
Havia mais de um ano que o ex-padre era ouvinte cativo do Programa A Bíblia no Ar, programa radiofônico da AD-Sousa, levado ao ar pela Rádio Progresso de Sousa – AM 610, das 21 as 22 horas, de segunda a sexta-feira, e, no domingo, das 13 as 14 horas. O que chamava a atenção dele é que em tais programas nunca se falava contra a Igreja Católica, apenas se pregava a Palavra de Deus, e o genuíno e verdadeiro Evangelho de Jesus Cristo e, aos poucos ele foi entendendo que Deus o queria na Assembleia de Deus, congregando com os irmãos da AD-Sousa.
E na última quarta-feira, dia 28/abril/2010, o ex-padre compareceu à Igreja Católica do Núcleo II, onde ele celebrava missas, para se despedir das pessoas e dizer em público que não mais seria celebraria missas, nem seria mais sacerdote, pois estaria assumindo Jesus como único salvador e governador de sua vida.
Na quarta-feira (2804/2010), às 19 horas, ao chegar na Igreja Católica, que estava lotada, ele pediu para abrirem a Bíblia em I Timóteo 2.5, onde diz que “há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem” e disse: “Na Primeira Carta de Timóteo, capítulo 2 e versículo 5, está escrito que só há um Mediador entre Deus e os homens – Jesus Cristo, e a partir de hoje eu tomei a decisão de não mais ser católico e nem sacerdote e a partir de hoje eu sou evangélico da Igreja Assembleia de Deus”. As pessoas escandalizadas não acreditavam no que ouviam, uns choravam, outros diziam que o padre estava louco/doido, outros choravam… os parentes, pais e irmãos e irmãs tomaram um choque muito grande e estão chateados e escandalizados, inclusive uma sobrinha do mesmo disse que estava com raiva do mesmo e ele simplesmente disse que a perdoava, pois Deus é amor e nele havia agora o verdadeiro amor de Deus em seu coração.
Muito enfático, o ex-padre Lourival Luiz de Sousa disse que nem de longe passou pela cabeça de titubear, embora estivesse vendo muita gente chorando na igreja e muitos escandalizados, mas eles estava convicto da decisão de aceitar a Jesus como Salvador, pois a Bíblia diz que “quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e o quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim” (Mateus 10.37).
Já na sexta-feira, dia 30/abril/2010, o irmão Lourival participou de um grande culto na AD-Sousa, onde foi bem acolhido, com a presença do Pastor Alexandre Duarte da Costa, com a igreja superlotada, onde o mesmo adorou a Deus e testemunhou sobre a decisão de aceitar a Jesus, pedindo aos irmãos que orassem por ele, pois tem sido alvo de rejeição e de perseguição na sociedade sousense, sofrendo inclusive forte pressão da Igreja Católica para desistir da decisão de ser crente.
O Pastor Alexandre Duarte da Costa, juntamente com a Assembleia de Deus em Sousa/PB, acolheu muito bem o irmão Lourival e está prestando toda a assistência necessária ao novo irmão na fé, fornecendo apoio espiritual, social e material necessários ao fortalecimento da fé do novo irmão.
A Carta de Renúncia ao Sacerdócio Católico, preparada de próprio punho pelo ex-padre Lourival Luiz de Sousa, foi entregue, na manhã do sábado, dia 01/maio/2010, pessoalmente ao Bispo Diocesano D. José González na Diocese da Igreja Católica em Cajazeiras/PB, diocese a qual o ex-padre estava vinculado.
Jornal a Hora Online / Gazeta da Paraiba / Padom

CHAMADO OU TRABALHO ? - Pastor não consegue vínculo empregatício com Assembléia de Deus

A 9ª Câmara do TRT-15 negou o vínculo empregatício entre o pastor João Ribeiro Muniz e a Igreja Evangélica Assembléia de Deus da cidade de Santos (SP) e manteve a sentença de primeira instância, da Vara do Trabalho de Itanhaém (SP), que julgou improcedente a reclamação trabalhista.
O relator do acórdão, desembargador Gerson Lacerda Pistori, ressaltou a excepcionalidade do caso, ainda mais porque previsto excepcionalmente pela Lei Previdenciária que admite o recolhimento como autônomo para pastores e padres das religiões sem fins lucrativos.
O pastor Muniz não se conformou com a decisão de origem, que não reconheceu a existência de vínculo de emprego, na função de ministro evangélico, com as reclamadas.
Para o reclamante, não houve a correta valoração das provas, que, no seu entender, demonstraram a existência de todos os requisitos do vínculo empregatício, uma vez que, segundo ele, foi provada a existência de subordinação jurídica; exclusividade na prestação dos serviços; jornada de trabalho, com fiscalização inclusive, pelo uso de bipe inicialmente e depois de celular; imposição de metas, com exigência de arrecadação de valores acima das necessidades da igreja, o que comprova inclusive o desvirtuamento da entidade; existência de poder disciplinar da igreja; onerosidade.
O relator afirmou que o sacerdócio deve ser entendido como uma vocação e não como uma profissão, não podendo ser visto como uma relação meramente comercial, de merchandising ou de promoção de vendas de coisas espirituais, mas sim de uma opção de vida, de conceitos, de norteamentos que fazem parte de quem se dirige para o caminho do Ministério das coisas que entende divinas.
O próprio reclamante admitiu que trabalhava como ministro evangélico e realizava cultos e atendimentos aos fiéis em suas residências, hospitais e funerais.
Segundo o julgado, "tal trabalho diz respeito à assistência espiritual e divulgação da fé". Atua em nome da Igreja o advogado Fábio da Costa Vilar. (Proc. nº 173100-15.2007.5.15.0064 com informações do TRT-15 e do Espaço Vital).

O poder da fé

Em reunião realizada em Campinas (SP), bispo Romualdo ensina como vencer os problemas

Por Paula Guedes / Fotos: Moisés Nascimento



No feriado do dia 15 de Novembro, às 9 horas da manhã, o bispo Romualdo Panceiro realizou a Concentração de Fé e Milagres em Campinas (SP), onde falou sobre o poder da fé.

O bispo ensinou aos presentes que a fé não está relacionada a sentir algo, mas ela é um poder que existe dentro de cada pessoa. “Você nem imagina o poder que há dentro de você: o poder da fé. Pois, quando você tem como foco a sua fé no Senhor Jesus, você passa a vencer seus problemas”, orientou.

Ele também exortou a respeito dos dois tipos de pessoas dentro da Igreja, aquela que ouve a Palavra de Deus e pratica e aquela que ouve e não obedece. “Quem ouve e pratica está construindo a vida sobre a rocha. Quando vêm as dificuldades, a vida continua firme. Já, aquela que não pratica, é como se construísse a vida sobre a areia, sobre o nada. Por isso, acaba não resistindo aos problemas. Quando construirmos a nossa vida sobre a rocha, vencemos tudo”, ressaltou. 

Para finalizar a mensagem, o bispo fez questão de enfatizar os efeitos positivos da fé e as consequências negativas que a dúvida acarreta na vida das pessoas. “A fé traz lucro, a dúvida traz perda. Se você se entrega de corpo, alma e espírito, aí você vai arrebentar! Não há lugar que você não possa ir. A partir de hoje, nada será impossível para você!”, determinou o bispo. 

A Catedral da Fé de Campinas fica na Avenida João Jorge, número 256, Centro.

Falashas, os negros de Israel

Comunidade de etíopes que respeita leis e costumes bíblicos participou de operação da polícia secreta israelense para imigrar a Israel

Por Amanda Aron
amanda.arca@r7.com.br


Em 1984, o governo israelense, com a ajuda da polícia secreta do país, o Mossad, decidiu dar fim ao sofrimento de milhares de judeus negros que viviam na Etiópia sob o terrível regime do ditador Mengistu Haile Mariam.
Mas, antes de continuar a contar sobre o resgate, é preciso esclarecer alguns pontos. Para quem vive no Brasil, onde a comunidade judaica é composta maciçamente por judeus ashkenazim, caucasianos oriundos do Leste Europeu, é difícil imaginar judeus negros, que são, acima de tudo, reconhecidos e respeitados pelo governo de Israel como cidadãos daquele país.
Quem são eles?
Os falashas, nome dado aos judeus etíopes, foram descobertos por viajantes britânicos, em 1860, quando, em uma viagem à Etiópia, conheceram membros de uma comunidade que respeitavam o sábado e mantinham leis e rituais contidos na Torah. Acreditou-se, então, que eles eram membros de uma das doze tribos hebraicas, descendentes do rei Salomão e da rainha de Sabá.
Operação Moisés
Voltando ao resgate. Em novembro de 1984, o governo de Israel, apoiado pelo Mossad, realizou a Operação Moisés, que em 45 dias resgatou etíopes que chegavam a pé até um acampamento no Sudão, país que faz fronteira com a Etiópia. Muitos deles não aguentaram a longa jornada, estavam muito fracos e debilitados devido à miséria que enfrentavam na Etiópia. Os que conseguiram chegar ao acampamento foram transportados pela Marinha e a Força Aérea Israelense. 
Operação Salomão
Em maio de 1991, o então embaixador de Israel na Etiópia, Asher Naim, quis dar continuidade à Operação Moisés. Ele foi o idealizador da Operação Salomão, que salvou mais de 14 mil judeus etíopes da guerra civil que assolava o país. Naquela operação, um avião com capacidade para 760 passageiros, transportou 1.087, devido ao leve peso dos etíopes. O episódio entrou para o livro dos recordes, e, durante este voo, dois bebês nasceram.
Adaptação a uma cultura diferente
Israel foi o único país do mundo que retirou negros da África para transformá-los em verdadeiros cidadãos, e não para escravizá-los. Projetos pedagógicos foram especialmente desenvolvidos para facilitar a integração das crianças etíopes na comunidade israelense.
Grande parte deles nunca havia tido contato com uma civilização aos moldes ocidentais.Boa parte deles eram membros de tribos. Muitos nunca haviam sentado em uma cadeira ou sequer calçado um sapato.
Atualmente, a comunidade etíope em Israel conta com aproximadamente  100 mil habitantes, a maioria já nascida em solo israelense.
Consciência Negra
Neste dia 20 de novembro comemora-se no Brasil o Dia da Consciência Negra, e a história dos judeus etíopes é um bom exemplo para o País. Em Israel, o governo não mediu esforços para que todos os judeus, independentemente de diferenças sociais ou da cor da pele, possuíssem os mesmos direitos como cidadãos. É dessa forma que a igualdade deve ser praticada. Um exemplo para o Brasil chegar um dia a ser, de fato, um país de todos.

Famoso pastor fala sobre suas polêmicas e responde as acusações de “herege” e “mundano”

Fim de culto na Betesda. A igreja ocupa um imenso galpão na zona sul de São Paulo. Ricardo Gondim chama um dos pastores para fazer a oração final e deixa a plataforma a passos rápidos enquanto a congregação está de olhos fechados. No entanto, em vez da saída à francesa, ele opta pela “versão Ceará”, postando-se à porta do templo para cumprimentar as pessoas. Tudo como manda o mais autêntico figurino presbiteriano. Posa para fotos, autografa livros e distribui sorrisos e abraços para aos que se comprimem à sua volta.
Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel Para desapontamento de inúmeros desafetos, o escritor e pastor parece revestido de uma espécie de couraça contra os rótulos que lhe são atirados com freqüência. “Arrogante”, “herege”, “polêmico” e “mundano” são apenas alguns, digamos, publicáveis. Após receber muitos protestos sobre as supostas heresias defendidas por seu articulista, a revista evangélica Ultimato se pronunciou no ano passado (edição 308) usando dois adjetivos sobre os textos de Gondim: “Apreciados” e “saudáveis”.
Um rápido exame nas dezenas de textos de seu visitadíssimo site já é suficiente para identificar algumas preferências pouco (ou nada) ortodoxas para um líder pentecostal. De Vinicius de Moraes a Lenine, a lista para lá de eclética inclui nomes como Almodóvar, Rubem Alves e Simone Weil. Com o fôlego de quem correu onze maratonas e dezesseis vezes a São Silvestre, Gondim revela que a corrida funciona como espécie de exorcismo para ele e para os amigos que o acompanham. “Após vários quilômetros percorridos, costumamos dizer que suamos vários demônios”, graceja.
Confira abaixo a entrevista concedida à revista Cristianismo Hoje
Agora em maio, duas grandes catástrofes – o ciclone em Mianmar e o terremoto na China – assustaram o mundo e novamente levaram os crentes a pensar sobre as razões do sofrimento humano. Como o senhor, que na época do tsunami ocorrido na mesma Ásia em 2004 causou polêmica com um artigo sobre as tragédias, analisa a questão do sofrimento humano diante da existência de um Deus que se apresenta ao homem como pleno de amor?
RICARDO GONDIM – Discordo da explicação fundamentalista de que “todas as tragédias são provocadas pelo pecado original”. É um simplismo cruel e inútil. Como escrevi inúmeras vezes, não consigo acreditar numa divindade que tudo ordena e orquestra. Em Os irmãos Karamazov, de Dostoievski, Ivan diz num certo momento: “Há uma coisa no Universo que clama: o choro de uma criança”. O Deus da Bíblia não é sádico de provocar a morte de milhares de vidas. Exatamente pelo fato de Deus ser amor, ele possibilita a felicidade e a infelicidade. Nossas escolhas, decisões e articulações sociais interferem nos resultados. Ao mesmo tempo, a vida é trágica e feliz. Deus é sempre parceiro do homem nessa busca de tornar a vida mais intensa e prazerosa. Como afirma André Comte-Sponville, “somos os únicos seres do Universo que podem humanizar ou desumanizar”.
Na época do tsunami, teólogos se insurgiram contra alguns de seus textos, desfiando uma série de argumentos. Hoje, o senhor é mestrando em ciências da religião na Universidade Metodista. É importante estudar teologia?
Depende de como você entende a teologia. Deus não pode ser dissecado. Como disse Paul Tillich, “Deus está além de Deus”. Entendo teologia como o estudo e a maneira como organizamos nossa vida a partir da compreensão que temos de Deus, ou, lembrando Rudolf Otto, do nosso “encontro com o sagrado”.
Mesmo entre as pessoas que não professam nenhuma religião, a sucessão de fatos trágicos e de episódios de crueldade humana explícita, como o assassinato da menina Isabella Nardoni, sugerem que algo muito grave e de contornos ainda indefinidos esteja acontecendo. O atual recrudescimento da brutalidade humana aponta a proximidade dos eventos escatológicos bíblicos ou são apenas novas expressões de um quadro que sempre houve?
Todos esses fatos recentes são apenas expressões de algo que sempre aconteceu. Repare que, ao longo da história, foram comuns perseguições contra judeus, hereges, escravos… A própria Reforma Protestante foi um episódio violento. Em Casa grande & senzala,Gilberto Freyre discorre sobre o que algumas senhoras faziam por ciúme da beleza das escravas. Quebravam-lhe os dentes com chutes ou mandavam-lhes cortar os peitos. De certa maneira, creio que o que aumentou foi o nível de intolerância social à brutalidade – por isso a comoção e a revolta provocadas por esses episódios.
Quando foi a última vez que o senhor chorou?
Na semana passada, durante reportagem na TV sobre o terremoto da China. Depois de quatro dias, conseguiram resgatar uma criança com vida. Um pai tentou invadir a ambulância ao imaginar que era seu filho. Chorei ao ver o desespero daquele homem.
Quais são as principais diferenças entre o Ricardo Gondim de hoje e aquele que começou o ministério há três décadas?
Eu era um homem com um idealismo ingênuo. Não sabia diferenciar ilusão e encantamento. Ilusão é baseada em fantasias; já o encantamento nasce da observação da realidade. Continuo encantado com o Evangelho, com “E” maiúsculo.
Então, quem é Ricardo Gondim?
Um homem introspectivo e nostálgico. Gosto de ambientes intimistas e tenho profunda necessidade de estabelecer relacionamentos significativos, sem trocas ou quaisquer tipos de interesses.
Nos últimos cinco anos, o senhor tem se notabilizado como um crítico do segmento evangélico. Iniciativas como o blog Outro Deus e a maciça produção de textos nesta linha têm marcado seu ministério. Até que ponto isto se confronta ou complementa sua atuação pastoral?
Comecei a escrever pelo fascínio da própria literatura, cuja excelência intrínseca é maior que a da oralidade. Esse exercício adensa pensamentos e complementa idéias que surgiram nas mensagens. Todas as semanas posto textos inéditos e meu site recebe cerca de 1.400 visitantes por dia e mais de 1,5 mil e-mails por mês.
Em seus pronunciamentos recentes, o senhor revela a vontade de afastar-se de tudo e chega a sugerir que as pessoas não compareçam sequer aos eventos que promove. No entanto, o senhor continua participando e promovendo eventos destinados ao público evangélico e permanece na direção da Betesda – uma igreja com corte social de classe média urbana, presença na mídia e atuação institucionalizada, como tantas outras denominações cuja existência legitimam suas críticas. Não é um paradoxo?
É preciso definir os acampamentos. Há um movimento evangélico que mostra ter exaurido as forças. Alguns sinais dessa exaustão são a falência ética e as campanhas constantes para trazer pessoas à igreja. Para mim, agenda cheia demonstra fraqueza. Para fidelizar o público, há gente buscando atrações cada vez mais fantásticas. No caso da Betesda, é explícita a posição de não repetir modelos falidos e teologias engessadas da década de quarenta. O que faço hoje são eventos voltados para a própria igreja. Recentemente, decidi suspender o Congresso de Reflexão e Espiritualidade, voltado basicamente para pastores, que acontece há vários anos. E não compactuo com nenhum messianismo do tipo “impactar a nação por meio de eventos”.
Falar de gigantismo e inchaço da Igreja brasileira tornou-se atitude recorrente nos últimos 20 anos, período no qual a população evangélica do país quase triplicou. Quais são, na sua opinião, os efeitos de tal avanço? Existem premissas equivocadas na tradição evangélica e na práxis desta Igreja?
Alguns efeitos são perigosíssimos. A Igreja passou a ser vista como outra força, entrando na disputa de poder. O crescimento acentuado enfraqueceu o zelo pelo conteúdo da mensagem. Isso promoveu sentimentos de ufanismo e triunfalismo desmedidos. Mas não ocorreu avivamento. O que aconteceu foi uma confluência de fatores sociológicos que explicam o crescimento do rebanho. Não é necessário enfatizar princípios espirituais para explicar o aumento do número de evangélicos.
O movimento da Igreja emergente, que tem ganhado força nos EUA, começa a influenciar lideranças no Brasil. Qual é o seu posicionamento acerca dele?
Depois de muitos anos de crescimento do fundamentalismo, nomes como Brian McLaren, Rob Bell e o próprio Phillip Yancey representam um certo ar fresco na ambiência evangélica dos Estados Unidos. Ainda assim, vejo o movimento como algo norte-americano, sem diálogo com outras tradições cristãs ao redor do mundo.
A dinâmica dos grupos pequenos cresce no contexto do Evangelho urbano. Eles vão representar necessariamente a extinção das grandes igrejas?
O futuro mais lúcido da Igreja Evangélica está nos pequenos grupos. As instituições não vão acabar; porém, não serão solo fértil para as grandes inovações. Enquanto as grandes igrejas repetem clichês, pessoas reunidas em grupos menores vão experimentar o enriquecimento da alma.
Quais foram os motivos da recente divisão ocorrida na Igreja Betesda, cujo núcleo em Fortaleza, no Ceará, desligou-se da sede em São Paulo?
Não houve desligamento de São Paulo. O que aconteceu foi uma divisão dentro da Betesda de Fortaleza. Um grupo alegou que minhas propostas teológicas eram “incompatíveis”. No entanto, na realidade tratava-se apenas de disputa interna de poder. Na época, a igreja perdeu alguns líderes e cerca de 40% dos membros.
Igrejas pentecostais como a Assembléia de Deus, à qual o senhor foi ligado, foram durante muito tempo estigmatizadas devido ao perfil de sua membresia, prioritariamente formada por pessoas dos estratos sociais mais populares. De acordo com sua observação, essa visão ainda persiste?
Um dos fenômenos comprovados em relação aos pentecostais foi a ascensão social do segmento. Obviamente, isso trouxe benefícios e problemas. A produção teológica e literária é um fator positivo. Por outro lado, muitas pessoas passaram a se comportar como os demais estratos da população, supervalorizando o status e outros sinais de riqueza. Daí para a teologia da prosperidade pregada pelos neopentecostais a distância foi curta.
“Ao tentar transformar-se em ciência, a teologia só conseguiu produzir uma caricatura do discurso racional, porque essas verdades não se prestam à demonstração científica.” As palavras são de Karen Armstrong, autora do livro Em nome de Deus – O fundamentalismo no Judaísmo, no Cristianismo e no Islamismo. Qual a face mais aguda do fundamentalismo no Cristianismo de hoje?
O fundamentalismo confunde fé com aceitação de conceitos doutrinários. Seus defensores acreditam numa verdade que pode ser totalmente abraçada a partir de certas lógicas. Crêem chegar a uma verdade plena, fechando-se ao diálogo.
Quem são, hoje, as lideranças e pensadores que influenciam sua atuação ministerial?
Além da ala “emergente” (Bell, McLaren), tenho lido autores católicos latino-americanos, como Juan Luis Segundo. Gosto bastante também das obras do espanhol Andrés Torres Queiruga, além de teólogos judeus como Jonathan Sacks e Abraham Heschel.
Ideologicamente, como o senhor se define?
Sou um pensador independente, de esquerda. Não acredito no neoliberalismo capitalista. Ele produz os excluídos. O Evangelho defende os pobres e os marginalizados.
O senhor é um autor bastante apreciado pelos crentes brasileiros. Qual sua opinião sobre a literatura evangélica em nosso país?
A produção literária evangélica é deficiente. A razão é o freio dogmático que gera pessoas mais preocupadas com a defesa da fé do que em produzir literatura.
Quais os autores que mais o influenciam?
Entre vários escritores que fazem parte da minha vida, posso citar José Lins do Rego, Machado de Assis, Thomas Mann e Victor Hugo. O clássico Os miseráveis é uma das minhas obras favoritas.
Lançado em 1998, É proibido é um de seus livros mais vendidos. Dez anos depois dele, o que a Bíblia permite e a Igreja ainda proíbe?
A Igreja brasileira ainda não soube, por exemplo, lidar com a questão do álcool. Os conceitos lembrados remetem à Lei Seca dos Estados Unidos. Portugal já resolveu essa questão de forma equilibrada há muito tempo e ninguém fica escandalizado ao ver um cristão tomar vinho.
E a relação do povo evangélico com a arte, por exemplo?
É esquizofrênica e mal-resolvida. Dicotomizaram as manifestações artísticas em “sacra” e “profana” – mas não fazemos essa mesma distinção na hora de ler um texto. Em resultado disso, os cristãos sofrem empobrecimento generalizado na hora de saborear e desfrutar da vida. As expressões mais belas de uma geração estão em sua produção artística.
No ano passado, a Editora Ultimato publicou Eu creio, mas tenho dúvidas, obra que traz vários de seus artigos. Quais são suas principais dúvidas e inquietações?
Reflito com freqüência sobre a banalidade da vida. Basicamente, essas reflexões são ressonâncias do livro de Eclesiastes: nem sempre o justo prevalece, nem sempre o forte vence, nem sempre a vida faz sentido…
Em mensagem pregada recentemente, o senhor afirmou que às vezes lhe vêm à mente pessoas que o machucaram, e confessou ter mágoa de algumas delas. Como é esse sentimento?
Tenho mágoa de pessoas que lidaram comigo a partir de rótulos e preconceitos. Tenho mágoa de pessoas que foram intelectualmente desonestas comigo, tentando desconstruir meus textos sem sequer ler as referências. Tenho mágoa de pessoas que me chamaram de “herege” e “apóstata”, uma verdadeira perversidade de gente que não conhecia toda a extensão das questões em debate.
Fonte: Cristianismo Hoje