quinta-feira, 13 de junho de 2013

TEM QUE SAI MESMO . Mais de 100 mil presbiterianos deixam igreja após ordenação de gays

presbiterianos igreja sacerdote gay Mais de 100 mil presbiterianos deixam igreja após ordenação de gays
A Assembleia Geral da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos (PCUSA) revelou que durante o ano passado viu a maior saída de congregações, com 121 abandonos solicitados. No ano anterior tinha sido 21 congregações que deixaram a grande maioria por sua discordância após a aprovação da ordenação de pastores homossexuais.
Em 2010, a 219ª Assembleia Geral, formada por sua maioria de presbíteros, votou a favor da aprovação da Emenda 10, que permite a ordenação de clérigos abertamente homossexuais. Devido a esta modificação, muitas congregações conservadoras decidiram sair da Comunhão, a maior das presbiterianas dos Estados Unidos e uma das mais antigas denominações protestantes do país.
Emily Enders Odom, coordenadora de comunicação da Assembleia, explicou em um comunicado da situação, indicando que apesar da dor que a separação produz, apenas ’29% dos 173 presbitérios’ haviam oposto a norma.
No entanto, outros veem uma grande importância no crescimento repentino dos conservadores denominacionais presbiterianos nos Estados Unidos.
Em janeiro de 2012, o grupo da Confraternidade de Presbiterianos dos Estados Unidos, uma organização conservadora, celebrou seu encontro com cerca de 2.100 presbiterianos de 500 congregações em Orlando. O resultado da conferencia foi à criação de um “novo corpo reformado” conhecido como a Ordem da Aliança Evangélica de Presbiterianos (ECO).
Jim Miller, do Instituto sobre Religião e Democracia, escreveu em fevereiro que ECO, cujas igrejas-membro procedem exclusivamente de congregações desligadas da Igreja Presbiteriana PCUSA, foi se tornando cada vez mais forte. ECO celebrou seu primeiro sínodo nacional no dia 30 de janeiro a 1 de fevereiro de 2013 em Orlando, com a presença de 1.200 pessoas.
ECO agora tem 28 igrejas membros, todas saídas da Igreja Presbiteriana. Há outras 48 igrejas que se encontram em processo de transição e outros 75 estão estudando uma possível união. Este é um movimento em crescimento“, diz Miller.
Enquanto isso as congregações da PCUSA estão sofrendo uma diminuição no numero de membros regulares. No final de 2012 contavam com cerca de 1,84 milhões, e no final de 2011 contava com 1,95 milhões. Representando então uma merda de mais de 102 mil membros.


PADON

Pastor iraniano enfrenta pena de morte; tem complicações de saúde

Pastor Behnam IraniO pastor iraniano Behnam Irani, preso em Teerã, no Irã por apostasia, pode enfrentar uma possível pena de morte e passa por sérios problemas de saúde, informou uma fonte próxima à ele, de acordo com o Worthy News.

  • (Foto: Present Truth Ministries)
    Pastor Behnam Irani sorrindo em uma foto não atualizada.
“Depois de dois anos na prisão ele sofre de terríveis complicações, incluindo problemas intestinais e reumatismo”, disse Firouz Khandjani para a publicação.
Khandjani, que é um membro do conselho do movimento ‘Igreja do Irã’ a qual o pastor pertence, disse que as condições higiênicas da prisão são precárias e que os presos não tem acesso regular ao vaso sanitário.
A prisão de Ghezel Hesar é considerada uma das mais duras do país, localizada na cidade de Karaj, cerca de 20 quilômetros a oeste da capital do Irã, Teerã.
Khandjani, que já esteve preso por um momento devido às suas atividades cristãs, também apontou que no local os presos abusam sexualmente de garotos jovens publicamente. Entretanto, não há sinais de que Behnam possa ter sofrido abuso.
Behnam Irani, 42, foi inicialmente penalizado com uma sentença de 1 ano, mas que depois foi estendida para 5 anos, com a alegação de crimes contra a segurança nacional.

O veredito do tribunal recente sugere que Irani “merece” a pena de morte e Khandjani diz que teme que o Ministério Público prossiga com o caso.
“Irani, é, até onde sabemos, o único pastor atualmente no país atrás das grades, que foi implicitamente condenado à morte.”
Atualmente, outros líderes cristãos se encontram presos por causa de sua fé. Um deles é o pastor Saeed Abedini, cidadão americano que está preso na prisão de Teerã. Similarmente ao Behnam, Saeed vem sofrendo complicações de saúde na prisão enquanto não se decide o seu futuro. Ele foi condenado a uma pena de oito anos por “pôr em risco a segurança nacional”.
Outros líderes cristãos presos incluem Mohammad-Reza Farid, Saeed Safi, e Hamid-Reza Ghadiri. Eles teriam sido detidos em 29 de maio, durante um culto de uma igreja doméstica na cidade de Isfahan, cerca de 340 quilômetros ao sul de Teerã.
No ano passado, o mundo assistiu a liberação do pastor Youcef Nadarkhani que foi solto depois de três anos preso por apostasia e condenado à morte. O caso ganhou grande repercussão internacional, o que contribuiu para a sua soltura.


CP

Pastor é restaurado à sua posição na igreja depois de escândalo sexual

Jim BolinO bispo Jim Bolin, pastor fundador da Trinity Chapel Church of God in Powder Springs, Geórgia, foi reinstalado no domingo passado como pastor sênior da congregação. O pastor foi forçado a renunciar em 2008 depois de confessar que teve "comportamento sexual impróprio" com uma mulher adulta.

  • (Foto: http://www.trinitychapel.org)
    Bispo Jim e pastor Robin Bolin são pastores principais da Trinity Chapel in Powder Springs, Ga.
De pé em meio a aplausos e vaias e gritos de fiéis, o bispo Bolin e sua esposa e seu colega pastor, Robin Bolin, foram recebidos após o anúncio feito pelo orador convidado Dr. Sam Chand, um consultor de ministério, autor que reuniu em um ponto adoradores para declarar: "Está tudo bem!"
"O que está acontecendo na Trinity Chapel, esta manhã pode ser incomum para algumas pessoas, mas o plano de Deus, se eu estou olhando para isso corretamente, é [amar, aceitar e perdoar]", disse Chand com a ajuda de membros da igreja. "Nós não estamos olhando para o passado, mas estamos nos movendo para [o futuro]."
"Eu quero dar a honra e celebrar o pastor desta casa, o bispo Jim Bolin", acrescentou Chand, enquanto fiéis davam aplausos.
O ministro cristão continuou: "Você sabia que hoje é o seu aniversário de casamento de 41 anos? Deus tem um plano. Ele faz bem todas as coisas. Você não poderia ter planejado dessa forma, mas aqui está."
Chand precedeu o anúncio sobre o bispo Bolin agradecendo o pastor sênior anterior da Trinity Chapel, Jason Bolin, que anunciou sua renúncia e afastamento da megaigreja da Geórgia em 26 de maio. Jason Bolin, o filho do ancião Bolin, entregou sua mensagem final para a congregação Trinity Chapel em 2 de junho, e revelou planos de se mudar com sua esposa e seus dois filhos para a Flórida. Ao longo de seus anos no Trinity Chapel, Jason Bolin serviu em vários cargos ministeriais, incluindo o pastor de ensino médio, pastor de missões e pastor executivo. Ele foi escolhido em 2008 para assumir o controle de seu pai como pastor sênior.
O ancião Bolin teria sido sancionado por funcionários da Church of God e forçado a demitir-se das suas posições como pastor e bispo em 2008, depois que ele confessou "a conduta sexual consensual imprópria com uma adulta." Arrependendo-se de seus atos, Bolin se submeteu à decisão dos oficiais da igreja e tomou um tempo para se curar e curar o seu casamento, de acordo com o Atlanta Journal-Constitution. Ele teria se submetido a um programa de restauração de dois anos da Church of God. A natureza exata do comportamento inapropriado do bispo Bolin nunca teria sido revelada.
Antes de voltar em tempo integral para Trinity Chapel neste fim de semana passado, o bispo Jim e Robin Bolin vem servindo desde fevereiro de 2012, como os pastores líderes da The Landing Church em McDonough, também na Geórgia.
O ex-pastor senior Bolin, que estava servindo como pastor assistente antes de seu pai renunciar, explicou em sua carta de despedida para os fiéis que o conselho da igreja do Trinity Chapel, guiado por seu estatuto social, foi cuidadoso no seu acordo unânime em re-estabelecer o bispo Bolin como pastor sênior.
"O estatuto social levam-me, como o pastor sênior a renunciar em boas condições, a oferecer recomendações ao Conselho da Igreja a respeito de um sucessor e o desdobramento de um plano de transição", escreveu ele em sua carta de 26 de maio.
"Tenha coragem de saber que o seu Conselho da Igreja seguiu o processo e protocolos com extrema piedade, sabedoria e integridade", acrescentou Bolin.
Bispo Bolin teria dito a fiéis no domingo: "O que você pensou que estava perdido e que você nunca pensou que iria ser mais uma vez, está voltando."
Ele acrescentou depois do culto no Facebook: "WOW que dia ... Que grande Deus a quem servimos. Da canção e abertura até o último AMEN, a sua presença encheu o lugar. Dr. Sam Chand deixou isso claro - alto e forte ... É bem! Então agora é bola para frente". Ele acrescentou: "... Robin e eu agradecemos do fundo do nosso coração ... Vamos ... Está tudo bem!"
Um membro da igreja presente para o culto especial disse ao Atlanta Journal-Constitution que encontro de domingo foi "poderoso".
"É a sua restauração ao trono, em certo sentido," Conrad Maynard disse à publicação. "Ele foi colocado de volta em seu lugar de direito."
A Trinity Chapel Church of God, uma congregação multirracial, pentecostal, carismática, foi fundada pelo bispo Bolin e sua esposa há 30 anos. A igreja começou com um punhado de membros em uma loja e eventualmente cresceu para 7.000 fiéis. Um membro Trinity Chapel estima, no entanto, que a associação conta atualmente com cerca de 3.000.
Enquanto os relatórios sobre os pastores que perdem a sua posição devido à infidelidade ou outras imprudências são comuns, é notavelmente menos comum ouvir relatos de pastores sendo restaurados às funções da igreja depois de um período de tempo.
Segundo uma pesquisa de 2012 da Associação Nacional de Evangélicos (NAE), "Quase todos os líderes cristãos evangélicos, incluindo cabeças denominacionais, concordam que um pastor culpado de adultério possa ser restaurado a uma posição pastoral." Cinco por cento dos líderes cristãos evangélicos que responderam à pesquisa discordaram, acreditando que o adultério desqualificaria um ministro para sempre obtendo outra posição pastoral.
"O objetivo do Evangelho é restaurar. Pastores não devem ser isentos dessa mesma graça", John Jenkins, um pastor da megaigreja, disse ao NAE.
Berten Waggoner, diretor nacional da Vineyard EUA, acrescentou: "Não há pecado que uma pessoa, incluindo pastores, não possa ser perdoada e restaurada em todos os sentidos. Esta é a mensagem da graça e a esperança de vida de ressurreição."


CP

Cachorros assistem ao culto em igreja nos Estados Unidos

A igreja Metodista Unida Wesley, em Sheboygan, no estado de Wisconsin, nos Estados Unidos decidiu permitir que os cães dos fiéis participassem dos cultos dominicais junto com seus donos. “Cachorros vão para o céu. Como o céu seria sem nossos cães?”, brinca a pastora Ann Bullis.

    cão
  • (Foto: Reprodução)
    Cachorros têm permissão para participarem de culto na igreja Metodista Unida Wesley, em Sheboygan, nos Estados Unidos.
Ela afirma que, já que os cães têm lugar reservado no céu, seus lugares nos cultos de domingo também estão reservados. “Há uns dois meses alguns fiéis vieram a mim e disseram, ‘Puxa, gostaria de poder trazer meu bichinho de estimação para a igreja. Podemos fazer isso?’ E nós [da igreja] respondemos ‘Porque não?’. Não encontramos uma razão para negar o pedido”, conta Ann.
Quando ela apresentou a proposta para a congregação, ninguém se opôs à ideia, desde que os donos e seus cães se sentassem nos fundos da igreja para não atrapalhar os fiéis que tivessem alergia.
Louise Hansen foi quem deu a ideia à pastora Ann e afirma que já levou seus dois cães para o culto. “Eles são parte da minha vida e os considero membros da família. Eles são verdadeiras bênçãos e Deus se preocupa com os animais... Sempre me lembro de Noé salvando sua família e os animais do dilúvio e sinto que os animais refletem o amor incondicional que Deus tem por seus filhos”, conta Louise.
Diego, o Golden Retriever de Todd Hueppchen também é considerado da família. “Ele vai a todo lugar comigo. E agora eu posso levá-lo à igreja e ele vai participar de tudo. Das duas vezes que vim com Diego, todos pareceram gostar dele. E ele adora ficar perto de gente”, conta Todd.
Louise acredita que abrindo as portas da igreja para os cachorros, a igreja terá novos fiéis. “Existem pessoas cujos animais são a única família que eles têm. Chegar a uma nova igreja pode ser assustador, mas com seu cão ao lado, pode ser que as pessoas se sintam mais confortáveis”, afirma.
“Não somos formais. Acredito que ter uma abordagem mais casual combina com a sociedade atual. Temos aqui uma atmosfera de família. Se posso pregar para crianças, posso pregar para cachorros. Não me incomoda em nada”, assegura a pastora Ann.
A única preocupação é a possibilidade de ocorrerem barulhos e interrupções durante os cultos. Mas a congregação afirma estar preparada para o que puder acontecer. “Não tínhamos certeza de como funcionariam os cultos. Mas, assim como as crianças fazem barulho durante o culto, como os bebês choram, os animais podem fazer algum barulho sim”, afirma Louise.

CP

MILAGRE FORTE - Após 2 dias no fundo do mar, homem é achado vivo dentro de banheiro

Harrison Okene sobreviveu dentro de navio por mais de 60 horas; "peixes comiam o meu corpo. Era um terror". (Foto: Reuters)


Harrison Okene estava em navio quando chuvas fortes o afundaram.
'Ouvia os peixes comendo os corpos que boiavam ao meu lado', conta.

Harrison Okene sobreviveu dentro de navio por mais de 60 horas. (Foto: Reuters)
Harrison Okene, de 29 anos, estava no fundo do mar, dentro de um banheiro de um navio rebocador, quando foi encontrado por mergulhadores. Okene passou mais de 60 horas respirando graças a uma bolha de ar que se formou ali na hora do naufrágio, no dia 26 de maio, a 30 quilômetros da costa da Nigéria. Okene tinha certeza de que ia morrer.
O cozinheiro de  29 anos estava dentro do rebocador "Jascon-4" quando chuvas fortes atingiram o navio no oceano Atlântico. Das 12 pessoas a bordo, só ele foi encontrado com vida.
"Eu estava lá na água em total escuridão e tinha certeza de que era o fim. Fiquei pensando que a água ia encher a sala, mas isso não aconteceu", disse o rapaz, que contou também que partes da sua pele descascando após dias de imersão na água salgada.

"Eu estava com tanta fome, mas principalmente, com muita sede. A água salgada tirou a pele da minha boca", disse ele.
Às 4:50, Okene diz que estava no banheiro quando percebeu que o rebocador estava começando a virar. Como a água entrou e o navio virou, ele forçou a porta de metal.
"Três rapazes estavam na minha frente e de repente a água entrou muito forte. Vi o primeiro, o segundo, o terceiro apenas sendo levados. Eu sabia que esses caras já estariam mortos”, disse ele à Reuters.
O que ele não sabia era que ele iria passar os próximos dois dias e meio preso no fundo do mar rezando para que ele fosse encontrado.
Para ser resgatado, Okene foi arrastado ao longo de uma estreita passagem entre o banheiro e o quarto. Para a surpresa dos mergulhadores, ele ainda estava respirando.
Peixes comendo cadáveres
Okene, vestindo apenas cueca, sobreviveu a cerca de um dia no banheiro quadrado de quatro pés, segurando a bacia virada para manter a cabeça fora da água, que só enchia uma parte do banheiro, permitindo com que o rapaz respirasse.

Ele sentiu que ele não estava sozinho na escuridão. "Estava muito, muito frio e estava muito escuro. Eu não conseguia ver nada", diz Okene.
"Mas eu podia perceber os corpos da minha tripulação estavam nas proximidades. Que eu podia sentir o cheiro deles. Veio o peixe e começou a comer os corpos. Eu podia ouvir o som. Foi um horror."
Okene não sabia que uma equipe de mergulhadores enviada pela Chevron e os proprietários do navio, Ventures África Ocidental, estavam à procura de membros da tripulaçãoe pensavam que todos já estariam mortos.
Em seguida, na tarde de 28 de maio de Okene ouviu.
"Ouvi um som de um martelo batendo no navio. Boom, boom, boom. Nadei para baixo e encontrei um dispensador de água. Puxei o filtro de água e martelei o lado do navio esperando que alguém me ouvisse. Então, o mergulhador deve ter ouvido um som."

Os mergulhadores invadiram o navio e Okene viu a luz de uma lanterna, presa à cabeça de alguém que nadava em sua direção.
"Quando eu comecei a acenar, ele ficou chocado”,  disse Okene, seu alívio ainda visível. Ele pensou que estava no fundo do mar, embora a empresa afirme a distância era de 30 metros abaixo.
A equipe de mergulho colocou em Okene uma máscara de oxigênio, roupas de mergulhador e um capacete para que ele conseguisse chegar à superfície, mais de 60 horas depois que o navio afundou.
O cozinheiro descreve a sua extraordinária história de sobrevivência como um "milagre", mas a memória de seu tempo na escuridão ainda o assombra, e ele não tem certeza se um dia voltará para o mar.
"Quando estou em casa, às vezes parece que a cama que eu estou dormindo está afundando. Acho que ainda estou no mar novamente", Okene disse, balançando a cabeça.
"Eu não sei o que parou a água enchendo o quarto. Eu só fiquei chamando a Deus. Ele me protegeu. Foi um milagre."


REUTERS

O JESUS PALESTINO


Sabia que Jesus era palestino? Não sabia? Pois Ele também não...
Aquilo que o terrorista Yasser Arafat e seus pares não conseguiu com a suas propagandas anti-semitas, visando apagar a História judaica, alguns modernos evangélicos americanos estão agora a tentar promover. E com algum sucesso.

JESUS, 100% JUDEU
Que Jesus nasceu, viveu e morreu como judeu é um fato in desmentível. A família onde Ele nasceu está bem identificada nas páginas da Bíblia. A Sua própria genealogia é tema importante nos relatos de dois dos Evangelhos. Nunca a Sua identidade de judeu foi posta em causa pelos Seus inimigos da época, apenas a Sua divindade e revindicações messiânicas. 
Ao longo destes 2 milênios de História cristã nunca a identidade judaica de Jesus foi posta em causa.

A REINVENÇÃO DE JESUS
Mas hoje os tempos são outros. Alguns "iluminados" evangélicos norte-americanos - respeitados até em outras áreas - têm no entanto andado a prestar um ótimo serviço aos palestinos inimigos de Israel ao revisionarem a História bíblica, algo que seus pais nunca imaginaram fazer, uma vez que não só os "palestinianos" são uma invenção criada em 1967 pelos árabes e muçulmanos, como tal ideia nunca passaria pela cabeça de alguém com um mínimo de discernimento e respeito pela verdade.
Mas, tal como disse antes, os tempos são outros, e eis que famosos como Philip Yancey (para meu constrangimento) se referem a Jesus como "o rabino palestino" nas páginas da conceituada revista "Christiniaty Today"...
Ed Stetzer, presidente de pesquisa da editora "LifeWay" - pertencente à Convenção Baptista do Sul - referiu-se a Jesus como "o judeu palestiniano", numa postagem no seu blog feita em 12 de Setembro de 2011, sob o tema da "contextualização"...
Mas eles não estão sós no erro:
Em 2012, num blog postado em Maio, o pastor das Assembleias de Deus e professor no Seminário Palmer, Paul Alexander, referiu-se a Jesus como "o judeu palestiniano." 

AGENDA PALESTINA
Que tudo isto faça parte da agenda palestina de revisionismo da História, diluindo cada vez mais a existência do Holocausto e da presença dos judeus na Terra Santa de Israel, não é de admirar. 
O que não se esperava é que teólogos, pastores e escritores evangélicos - supostamente conhecedores da revelação bíblica - contribuíssem também - inocente mente ou não - para esta mesma agenda...
Negando cada vez mais a identidade judaica de Jesus, os palestinianos chegam ao ponto de dizer que Ele era um palestiniano que andou a pregar o islamismo, negando assim toda a História judaica e a própria essência e legitimidade do Cristianismo...!
Num artigo publicado num jornal palestiniano  - "Al-Hayat Al-Jadida" - nesta passada Páscoa, o escritor Adel Abd Al-Rahman, afirmou o seguinte:
"A Páscoa...não é um feriado para os cristãos palestinianos só, mas um feriado do nacionalismo palestiniano, porque Jesus, que a sua alma descanse em paz, é um palestiniano cananita. A sua ressurreição, três dias depois de ter sido crucificado e morto pelos judeus - tal como relatado no Novo Testamento - reflete a narrativa palestiniana, que conflitua contra os descendentes do moderno sionismo judaico no seu novo formato colonialista, e que conspira com os capitalistas ocidentais que alegam pertencer ao cristianismo."
E continuou: "Jesus, que a sua alma descanse em paz, o virtuoso pai dos palestinianos patriotas,  que renovou o Velho Testamento, rompeu com os seus seguidores, trouxe o seu Novo Testamento e espalhou-o pela humanidade - o que levou a que os judeus o perseguissem até o apanharem - o matassem e crucificassem. Ele depois ressuscitou dos mortos e começou a espalhar a sua mensagem que ainda hoje existe e existirá enquanto a humanidade perdurar."

REVISIONISMO EVANGÉLICO
Apesar destas disparatadas ambições palestinas, a ideia de um "Jesus palestiniano" ganha cada vez mais adeptos no evangelicalismo moderno.
UM CONHECIDO CARTOON ANTI-SEMITA
A própria menção da "Palestina" em textos e comentários feitos por evangélicos, e nos próprios mapas bíblicos que estão incluídos em muitas Bíblias é a clara prova disso. Como se sabe, o termo "Palestina" apenas começou a ser usado a partir do 2º século pelos romanos, que, após arrasarem por completo Jerusalém e grandes partes da Judeia, tentaram também apagar os nomes judaicos para  a Terra de Israel, convertendo assim a Judeia em "Palestina", e Jerusalém em "Aelia Capitolina."
Se o próprio Jesus nunca conheceu, muito menos utilizou um termo que só seria usado mais de 100 anos depois da Sua existência na terra...como é que é possível que os Seus seguidores o utilizem?
Uma das formas em como os verdadeiros seguidores da Bíblia devem lutar contra essa deslegitimização de Israel é reagindo contra e esclarecendo aqueles que - talvez por desconhecimento - se referem a Israel como "Palestina" e que descuidadamente usam esse nome para tudo aquilo a que a Bíblia se refere como Israel.
Shalom, Israel!

Cientista é demitido por acreditar que Jesus cura

Um pesquisador da Unviersidade Católica de Leuven, na Bélgica, foi recentemente demitido por acreditar que Deus pode curar e levantou questões sobre a liberdade religiosa e secularismo da instituição.

A Universidade que é uma das mais antigas e maiores da Bélgica teve a aprovação do Vaticano na sua fundação, mas atualmente tem visto a fé dos funcionários sendo minada.

Fernando Pauwels, que trabalhou no Instituto de Pesquisa para o Trabalho e Sociedade na Universidade durante 11 anos, descobriu que foi demitido por expor vídeos de cura pelo poder de Deus em seu site pessoal.

Segundo a CBN, Fernando não tinha nenhum tipo de problema dentro da Universidade. “Se alguém me perguntasse: ‘Você quer um novo contrato, eu diria ‘sim, claro’. “Você tem qualquer problema com seus colegas de trabalho?` Eu diria `não, tudo está bem.’”

Segundo Fernando, a Universidade não estava de acordo com vídeos de testemunhos de pessoas curadas milagrosamente.

“A Universidade viu alguns desses clipes de pessoas sendo curadas e dando seus testemunhos e os chamaram de ‘anticientíficos’”, disse ele à publicação.

A ação foi vista com grande estranheza por parte dos próprios docentes da Universidade, que apontaram para uma ofensa à liberdade religiosa de Fernando.

“A liberdade de religião significa que as pessoas podem acreditar em qualquer coisa que eles gostam ou qualquer coisa da qual eles se sintam atraídos”, afirmou Rik Torfs, um membro do corpo docente.

Fonte: The Christian Post

Pastor batista cria programa de combate à pornografia entre evangélicos

O objetivo de combater a escravidão e a destruição causadas pela pornografia, que se infiltrou em milhões de lares americanos

Jay Dennis, pastor da Primeira Igreja Batista no Mall, em Lakeland, na Flórida, criou o seu próprio programa “One Million Men Porn Free” (um milhão de homens livres do pornô, em tradução livre).

O pastor também está esperançoso de que mais pastores passem a abordar o problema depois de aprender mais sobre o assunto na reunião anual da Convenção Batista do Sul, em Houston na próxima semana.

- Minha oração é urgente, que todas as igrejas da SBC (Convenção Batista do Sul, na sigla em inglês) e de cada denominação irão abrir as portas e iniciar a conversa sobre a nova peste bubônica da igreja – declarou Dennis, que compartilhou a ideia do programa com a sua congregação em 2010, e, posteriormente, lançou a campanha em uma igreja em Regina, no Canadá, no ano passado.

- Se os pastores iniciarem a discussão, as pessoas nas igrejas os seguirão. Tal como está, casamentos, famílias e lideranças espirituais estão sendo destruídos, e estamos praticamente mantendo o silêncio sobre o assunto – completou o pastor.

O pastor prosseguiu afirmando, segundo informações do The Christian Post, que apesar de se tratar de um tema sensível, e até mesmo ofensivo para alguns, é necessário que pastores deem um basta e comecem a discutir o assunto. Segundo ele, esse “será um poderoso movimento que resulta em renascimento”, e que “os puros de coração verão a Deus”.

- Se queremos ver a obra de Deus em nossas vidas, casamentos, igrejas e casas, a pureza tem que ser praticada – ressaltou Jay Dennis.

O pastor iniciou ainda trabalhos voltados para as mulheres de sua congregação, de forma a instruí-las como lidar com esse problema em relação a seus maridos, e também quando elas mesmas são acometidas por esse vício. Dennis abordou o assunto também entre os pais na sua igreja, para que eles possam proteger seus filhos desse problema.

Nos dois dias de conferência SBC próxima semana, Dennis estará falando no banquete União Missionária das Mulheres no SBC, e estará compartilhando sobreo programa durante o relatório WMU e de Ética e Liberdade Religiosa relatório da Comissão, na terça-feira.

Arrependimento, comunicação, um compromisso com a pureza e a responsabilidade são itens essenciais, segundo Dennis, para quebrar a escravidão da pornografia. Porém, ele enfatiza que o que é absolutamente necessário para superar o vício em pornografia é confiar no poder do Salvador ressuscitado, Jesus Cristo.

Fonte: Gospel+

Lei que autoriza o DF a colaborar com eventos religiosos é inconstitucional

O Conselho Especial do TJDFT julgou inconstitucional a Lei Distrital nº 4.876/2012, que dispõe sobre a colaboração de interesse público do Distrito Federal com entidades religiosas.

A matéria legislativa já tinha sido objeto de pelo menos outras duas ações diretas de inconstitucionalidade (ADI) julgadas procedentes (em 2002 e 2010), cujas leis impugnadas também visavam conceder benefícios ou custear despesas com a realização de eventos de cunho religioso.

A Procuradora Geral de Justiça do DF, autora da ADI, alegou que a norma distrital afronta a Lei Orgânica do DF (LODF) ao ampliar indevidamente o conceito de ‘colaboração de interesse público’, permitindo que simples ‘eventos religiosos’ possam vir a ser custeados pelo Poder Público. Além disso, permite que esse custeio seja concedido sem a devida licitação.

Em informações prestadas, tanto a Procuradoria da Câmara Legislativa quanto o Governador do DF e a Procuradoria do DF defenderam a legalidade da Lei. De acordo com o chefe do Poder Executivo local, há interesse público na subvenção de determinadas atividades religiosas, que também possuiriam interesse turístico e cultural. Todos sustentaram, em preliminar, que a alegada afronta aos artigos 17, § 1º e 26 da Lei Orgânica, que tratam da exigência de licitação, caracterizaria mera ofensa reflexa ao texto constitucional e não poderia ser objeto de ADI.

O Conselho, à unanimidade, julgou que a lei impugnada viola frontalmente a LODF, ao ampliar o conceito de interesse público, bem como ao possibilitar, de forma velada, a concessão de subvenção a cultos religiosos ou igrejas pelo Poder Público, sem prévio procedimento licitatório. Segundo a relatora, "o enquadramento artificioso de meros ‘eventos’ religiosos como eventos artísticos ou culturais, para fins de colaboração de interesse público, para fins de repasse de recursos públicos, contraria a toda evidência os objetivos da LODF".

Foram declarados inconstitucionais os artigos 2º, incisos II, III e IV, 3º, 4º, parágrafo único, 8º, 9º, 10 e 12 e, por consequência, todos os outros ficam prejudicados. A inconstitucionalidade tem efeitos para todos e retroage à data de edição da Lei 4.876/2012.

Fonte: Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios

Marco Feliciano critica Marina Silva por ser a favor do casamento gay


Marco Feliciano (foto) usou uma notícia veiculada pelo site do jornal Estado de Minas para afirmar que Marina Silva apoia o casamento gay.

O pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), reagiu às críticas feitas a ele pela ex-senadora e ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, por ocasião de sua eleição à Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM).

Hoje, usando seu perfil no Twitter, Feliciano partiu para o ataque ao comparar os discursos da pré-candidata à presidência da República: “Em 2010, a nossa irmã Marina Silva, candidata, para assegurar votos evangélicos se declarou contra o casamento gay. Em 2013, pré-candidata, Marina Silva se declara a favor do casamento gay. Negou seus princípios, o que houve?”, questionou o deputado.

Feliciano usou uma notícia veiculada pelo site do jornal Estado de Minas em fevereiro deste ano para afirmar que Marina Silva agora apoia o casamento gay. A notícia do Estado de Minas relata que o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) criticou o partido que Marina Silva pretende fundar dizendo que a Rede Sustentabilidade defenderia um plebiscito para a legalização ou não do casamento gay.

No mesmo texto, o jornal afirma que Marina afirmou que é a favor que todos os brasileiros tenham o mesmo direito e rebateu as críticas feitas a ela por Jean Wyllys dizendo que a questão em torno do casamento gay “não demanda um plebiscito”, e que sugerindo assim que a questão seja resolvida pelo Poder Legislativo.

Feliciano criticou Marina Silva ao afirmar que, apesar de discordar de determinados pontos das propostas da então candidata, a apoiou.

Open in new window


“Eu a apoiei, mesmo sabendo que seus posicionamentos eram dúbios, como sobre o aborto. Questionada ela disse que era questão de saúde publica. A irmã Marina Silva sabe muito bem que aborto é questão de consciência, é assassinato. Mas para discursar politicamente e convencer, falou assim. Como disse, espero que tudo isso seja um engano, um mal entendido, afinal, negar princípios por questões meramente progressistas é traição”, disparou.

Marco Feliciano também comentou um discurso de Marina Silva em que ela afirma que a inadequação do pastor para a presidência da CDHM não se dava pelo fato de ser evangélico, e sim, pela falta de envolvimento dele com questões ligadas aos Direitos Humanos. “Quanto ao ‘despreparo’ para o cargo que ocupo, ninguém nasce pronto, posso aprender, e ela com experiência poderia me ajudar, afinal somos irmãos”, ironizou o pastor.

Fonte: Gospel+

Com ataque à Globo, Domingo Espetacular debate a arte com apologia à pedofilia

Programa Domingo Espetacular, na Record TV O debate sobre as exposições de arte com apologia à pedofilia e outros temas no Brasil marc...