segunda-feira, 24 de março de 2014

Polícia acha 20 corpos e resgata 23 vítimas de rituais em casa na Nigéria

Caveiras, esqueletos e corpos em decomposição foram achados perto da cidade de Ibadan, no sudoeste da Nigéria (Foto: Pius Utomi Ekpei/AFP)
Caveiras, esqueletos e corpos em decomposição foram achados perto da cidade de Ibadan, no sudoeste da Nigéria (Foto: Pius Utomi Ekpei/AFP)
A polícia da Nigéria encontrou 20 cadáveres e libertou 23 pessoas de uma casa em Ibadan, sudoeste do país, onde supostamente ocorriam rituais que deixaram mortos e prenderam vítimas por anos.
Chamada pela imprensa nigeriana como "casa dos horrores", o lugar era supostamente um "esconderijo de assassinos de rituais", disse uma das vítimas resgatadas pela polícia na floresta perto de Soka, informou nesta segunda o jornal local "The Punch".
A polícia encontrou no sábado vários corpos em estado avançado de decomposição e 23 pessoas que permaneciam presas na casa e nas matas que a cercam, no estado nigeriano de Oyo.
Multidão faz orações por vítimas no local onde corpos em decomposição e ossadas foram encontrados, na Nigéria (Foto: Pius Utomi Ekpei/AFP)A maioria das pessoas resgatadas havia sido sequestrada e estava em estado grave de desnutrição, além de ter sido torturada.
Multidão faz orações por vítimas no local onde corpos em decomposição e ossadas foram encontrados, na Nigéria (Foto: Pius Utomi Ekpei/AFP)
Uma delas, que quis manter anonimato, declarou ter sido sequestrada em setembro de 2013 e agora se recupera com outras sete vítimas no hospital de Adeoyo, em Ibadan, uma das cidades mais importantes do país.
A polícia de Oyo deteve um homem por sua suposta relação com a descoberta macabra e apreendeu armas e munição no interior da casa.
"Uma centena de jovens rastreavam a região na busca de dois ciclistas desaparecidos. Eles descobriram um recinto onde foram encontrados duas mulheres e cinco homens encadeados", diz o relatório policial sobre a descoberta da casa.
Roupas e sapatos que podem ser de pessoas desaparecidas são vistos à beira de um galpão perto de Ibadan, Nigéria (Foto: Pius Utomi Ekpei/AFP)Segundo moradores de Ibadan, tudo aponta que o lugar havia sido destinado a assassinatos para cerimônias rituais. "Há corpos em decomposição e mais de 50 crânios", disse Comrade Rasheed, um dos moradores. "Encontramos uma mulher que disse ter dado à luz lá. Resgatamos muita gente ainda com vida e um corpo em uma fossa", acrescentou.
População indignada chegou a atacar um ônibus estadual após a notícia dos sequestros causar revolta em Ibadan, na Nigéria (Foto: Pius Utomi Ekpei/AFP)Famílias cujos membros estão em paradeiro desconhecido visitaram o local nos últimos dias para buscar pistas sobre seus parentes. Um homem, aparentemente vinculado à casa dos crimes, também foi queimado vivo em uma estrada próxima à floresta, relataram várias testemunhas.
Roupas e sapatos que podem ser de pessoas desaparecidas são vistos à beira de um galpão perto de Ibadan, Nigéria (Foto: Pius Utomi Ekpei/AFP)
População indignada chegou a atacar um ônibus estadual após a notícia dos sequestros causar revolta em Ibadan, na Nigéria (Foto: Pius Utomi Ekpei/AFP)
 http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/03/policia-acha-20-corpos-e-resgata-23-vitimas-de-rituais-em-casa-na-nigeria.html

Pesquisadores falam sobre colaboração de igrejas cristãs com a ditadura militar no Brasil


Com foco em revelar o que realmente aconteceu durante esse período, a Comissão Nacional da Verdade (CNV), tem trabalhado para investigar os fatos ocorridos nessa época.

A ditadura militar é ainda um capitulo controverso da história do Brasil, uma parte do nosso passado quem vem sendo contada há anos, e que ainda carece de muitas respostas.

Entre os assuntos estudados pela comissão está o colaboracionismo das igrejas Católica e protestantes com o regime militar. Por isso, dentro da CNV um grupo específico reúne histórias sobre a resistência e tenta identificar os religiosos que colaboraram com os governos militares, ficaram em silêncio ou se omitiram.

Ao estudarmos a história, é fácil encontrar nomes de líderes religiosos que se opuseram ao regime militar, como o pastor presbiteriano Jaime Wright e bispos como Dom Paulo Evaristo Arns, Dom Hélder Câmara, Dom Adriano Hypolito, Dom Pedro Casaldáliga, Dom Clemente Isnard e Dom Waldyr Calheiros. Porém, os pesquisadores afirmam que a existe uma grande dificuldade em reunir material sobre a colaboração das diversas tradições cristãs à ditadura.

- Naquela época, prevaleceram o silêncio e a omissão das igrejas, mas mesmo hoje as pessoas têm dificuldade de falar sobre colaboracionismo – explica Magali Nascimento Cunha, pesquisadora que faz parte do grupo da CNV.

- Elas [as igrejas] absorveram a tendência da sociedade em geral, que se omitia e se negava a se preocupar com o que ocorria. Os evangélicos, em geral, preocupavam-se em ir para o céu, como se a igreja estivesse fora do mundo. Os católicos, por conta da ligação que sempre tiveram com o poder, preferiram a cautela, mesmo depois dos questionamentos sobre o que acontecia. Já os que ajudavam, muitas vezes, nem tinham afinidade ideológica. Faziam por ter consciência das vidas em risco – completa a pesquisadora.

De acordo com Anivalho Padilha, coordenador do grupo da CNV, é difícil encontrar documentos que relatem tal colaboração, e que para levantar dados sobre esse fato contam, principalmente, com relatos de testemunhas. Entre as histórias ele ressalta a dificuldade que foi para obter a confirmação de que um bispo e um pastor deram seu nome aos militares, culminando em sua prisão. Ele explica que além de fazer parte da Aliança Popular, era diretor do Departamento Nacional da Juventude da Igreja Metodista e que foi delatado por líderes da igreja da qual fazia parte.

- Os dois que me delataram, os irmãos Isaías Sucasas, que era bispo, e José Sucasas, pastor, já mortos, eram pessoas que eu conhecia. Numa das primeiras sessões de tortura, eu neguei ser comunista, e o torturador gritou: você quer que acredite em você ou no pastor? Achei que era um jogo, que era para quebrar minha moral. Como eram pastores, eu achava que isso (o cargo) exigia deles outra postura. – afirma Padilha, segundo reportagem do O Globo.

Ainda há uma cortina de silêncio. Mesmo quando encontramos indícios fortes, há tentativa de negação. Entre o clero, há quase uma relação mística, uma barreira muito difícil de ser superada. Em relação aos protestantes, a barreira é menor – completa, lembrando que documentos sobre colaboracionismo foram encontrados no Centro de Informação do Exército.

Fonte: Gospel+

PSDB e PT buscam apoio evangélico em SP

27 leit
Os principais nomes que disputarão a sucessão ao governo estadual iniciaram uma romaria em busca do apoio de líderes evangélicos.

No salão apertado de um hotel em Guarulhos (SP), o pré-candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, discursava entre gritos de "aleluia" e "glória" vindos da plateia. O petista fez questão de ressaltar a presença do pai, que é metodista, e apresentou-se como um homem que crê em Deus, sob o olhar desconfiado de alguns evangélicos.

Quatro dias depois, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), subia ao altar da Igreja Batista do Povo, na capital paulista, durante culto em comemoração aos 100 anos do pastor Enéas Tognini. Orou, fechou os olhos, levantou as mãos, mas errou diversas vezes a letra das canções de louvor.

"Feliz a cidade, feliz o Estado, feliz a nação cujo Deus é o Senhor", decretou.

A menos de sete meses das eleições, os principais nomes que disputarão a sucessão ao governo estadual iniciaram uma romaria em busca do apoio de líderes evangélicos, que dialogam com quase um quarto dos paulistas.

Em troca, os pastores reivindicam a inclusão de cinco pontos nos programas de governo dos pré-candidatos, entre eles, o ensino religioso na grade regular de escolas públicas e a neutralidade diante de temas como a legalização do aborto e a descriminalização das drogas.

Até o momento, os pré-candidatos, que abriram espaço em suas agendas para visitas a templos e encontros com pastores, têm evitado se comprometer com os pedidos, mas fazem discursos em reverência aos evangélicos.

"Vocês sabem que o presidente Lula começou no país uma era de crescimento, de ascensão, de redução da pobreza. E todos nós sabemos o quanto tem o dedo de Deus no crescimento individual no nosso país", disse Padilha há duas semanas, durante encontro com pastores.

No evento, pediu que orassem por ele, que trouxessem propostas para a elaboração do seu programa e se mostrou favorável à oferta de apoio espiritual durante tratamento para dependentes químicos.

"Com certeza nossas reivindicações vão entrar no plano de governo. São pedidos pertinentes e ele [Padilha] me disse isso pessoalmente", afirmou Luciano Luna, coordenador do setorial de assuntos religiosos do PT.

Além de ter visitado o templo batista na semana passada, Alckmin se encontrou no início do mês com lideranças evangélicas, na sede do governo paulista. Uma agenda com pastoras também deve ser estruturada para a primeira-dama, Lu Alckmin.

"O governador já foi a todas as igrejas evangélicas que você pode imaginar. Ele vai ao interior e é convidado a participar de cultos, assim como a missas", disse o presbítero Geraldo Malta, do PSDB.

O pré-candidato do PMDB, Paulo Skaf, é outro que mantém encontros com lideranças e participa de cultos. A meta dos peemedebistas é obter o apoio de um milhão de evangélicos em São Paulo.

"Pretendemos consolidar o apoio de mil lideranças [evangélicas]. Cada uma buscará mais cem pessoas, que buscarão mais dez, o que dá um milhão de eleitores", disse o coordenador do núcleo evangélico do PMDB, pastor Renato Galdino.

Fonte: Jornal Floripa

Cantora gospel que estava desaparecida se comunica pelas redes sociais

A cantora Carol Mouzinho, que estava desaparecida há dois dias, se comunicou com sua família e amigos nesta segunda-feira (24).
Na pequena mensagem ela apenas agradece a preocupação e diz que está colocando as ideias em ordem. “Obrigado pela preocupação, estou bem e breve darei notícias. Apenas organizando as ideias”, escreveu Carol.
Segundo seus familiares a cantora estava na casa de uma amiga de igreja e que tirou esses dias para pensar na vida. A mãe acredita que a jovem esteja com depressão.
“Isso deve ser um distúrbio, Carol sempre foi muito comunicativa, mas de uns tempos pra cá ela mudou os hábitos e estava muito introspectiva. Ficava calada e de poucas palavras”, disse a mãe da cantora.
Carol Mouzinho saiu de casa na sexta-feira (21) pela manhã. Ela mora na zona Norte de João Pessoa (PB) e desde então não dava notícias para a família.
Em desespero seus familiares foram até a Polícia para comunicar o desaparecimento e foram em hospitais e até no necrotério da cidade para tentar localizá-la. Com informações do Portal Correio.

Igreja “da moda” dispensa pastores “ao vivo” no púlpito

Toda vez que uma ou mais igrejas conseguem obter sucesso com algo “diferente”, não demora muito para que sejam imitadas por outras. Muitas vezes, a inovação é registrada em algum livro ou curso e reproduzido em diversas línguas pelo mundo. Pode ser algo como “Igreja com Propósitos”, vinda dos EUA ou “G12”, da Colômbia, que tiveram aceitação em várias partes do mundo.
A mais nova “onda” vinda dos Estados Unidos é a multisite church [Igreja em vários lugares], que basicamente aluga diferentes espaços em cidades ou até mesmos Estados longes da sede para servirem como um cinema onde assistem via telão, a pregação do pastor daquela noite.
Alguns modelos fazem a transmissão via internet em tempo real, outras optam pelo uso de DVDs, ficando assim uma semana atrasada em relação à sede. Há quem opte por ter sua banda de louvor local, executado da forma tradicional antes da projeção. O sistema de igreja em vários lugares conta com um ou mais pastores locais, que dão continuidade ao trabalho rotineiro, de visitação e discipulado, mas todo o ensino vem pelo telão.
Pregadores conhecidos como Mark Driscoll e Andy Stanley estão usando o sistema há alguns anos, mas uma pesquisa recente indica que cerca de um em cada 10 evangélicos norte-americanos já frequentam uma congregação neste sistema.
O estudo da Leadership Network/Generis aponta que atualmente cerca de 8.000 igrejas usam o sistema, que começou a ser monitorado em 2010. As chamadas “Igrejas satélites” atualmente funcionam inclusive em outros países de fala inglesa.
Segundo os dados divulgado este mês
- Até o final de 2013, as igrejas multisite cresceram em média cresceu 14% desde que implantaram o sistema.
- A grande maioria (88%) afirma que teve um aumento na participação dos leigos, que assumem cargos nas diferentes “igrejas satélites”.
- A tendência é crescente, sendo que 60% optaram pelo modelo multisite, ao invés da abertura de congregações novas, nos últimos cinco anos.
- Quase metade (47%) das igrejas satélites funciona numa área rural ou em uma cidade pequena.
- 37% tornaram-se satélite através de uma fusão com ministérios maiores.
Warren Bird, diretor de pesquisa da Leadership Network, ministério dedicado a fornecer apoio e treinamentos a igrejas, aponta que tudo começou com megaigrejas (congregações com 2.000 ou mais membros), mas atualmente até igrejas de pequeno porte tem usado o sistema.
O relatório chama a atenção para a diversidade de modelos, onde igrejas satélites ocupam desde teatros até espaço alugado em auditórios de escolas públicas. Há caso de grandes cidades que possuem satélites em bairros diferentes, por questões de logística de mobilidade urbana.  Jim Sheppard, presidente da Generis, empresa de consultoria que copatrocinou o relatório, alertou que nem sempre funciona, sendo que na média uma em cada dez igrejas satélites acaba fechando.
A ideia de multisite é um local intermediário para aqueles que já tinham o costume de assistir cultos pela TV e/ou pela internet no conforto de suas casas. Entre os entrevistados, mais de 50% dizem não se importar em não ter contato direto com os líderes da igreja sede, mas afirmam já conhecer o/s pastor/es responsáveis pela pregação transmitida pelo telão.
Os líderes da igreja mutisite relatam que eles estão encontrando maior aceitação entre os chamados “sem igreja”, que buscam conveniência e encontravam dificuldades em fazer parte de outras comunidades mais tradicionais. Para algumas denominações regionais, como os Metodistas Unidos, abrir igrejas satélites foi a opção mais viável para cortar custos e evitar fechar templos com pouca frequência. Com informações Religion News.

Candidatura de Rubens Teixeira é vetada por líderes da Assembleia de Deus

Mesmo com o apoio de diversos líderes evangélicos, grupos de bacharéis em direito, militares e uma multidão de jovens que já assistiram a suas palestras motivacionais, Rubens Teixeira, pré-candidato a deputado federal, não terá o apoio de sua igreja nas próximas eleições.
Pastor da Igreja Assembleia de Deus, Ministério de Madureira, Teixeira foi orientado a não se identificar como candidato dentro da denominação. Rubens Teixeira é evangélico desde a infância e foi criado na Assembleia de Deus.
Filho de pais pobres Teixeira superou diversas adversidades. Hoje Teixeira ocupa o cargo de diretor financeiro da Transpetro e teria aceitado o convite para candidatar-se devido o desejo de trabalhar em prol das comunidades mais carentes.
O pastor também é coautor do best seller “As 25 Leis Bíblicas do Sucesso” e estaria se preparando para lançar novos livros. Rubens tem uma proximidade com o ex-ministro Marcelo Crivella que deve disputar o governo do Rio de Janeiro.
Os líderes do Ministério não comunicaram o motivo de proibirem a menção do pastor como pré-candidato, sabe-se apenas que eles já teriam confirmado apoio político a outros parlamentares.
Acredita-se também que as opiniões do pastor, que é considerado um intelectual cristão devido seu excelente currículo acadêmico, tem constrangido a liderança da Assembleia de Deus no Rio de Janeiro.
Teixeira é Doutor em Economia pela UFF, Mestre em Engenharia Nuclear pelo IME, Pós-graduado em Auditoria e Perícia Contábil pela UNESA, Engenheiro de Fortificação e Construção (civil) pelo IME, Bacharel em Direito pela UFRJ (aprovado na prova da OAB-RJ) e Bacharel em Ciências Militares pela AMAN.
Recentemente Teixeira participou de um debate no programa “Antenados na Geral” falando sobre política e criticou a forma como as igrejas tratam a política no Brasil. No debate o pastor afirma que os fiéis devem questionar as indicações políticas feitas pelos líderes e afirma que quem não questiona acaba sendo “alienado”.
Pessoas próximas ao pastor confirmam que Teixeira estaria sendo proibido de anunciar uma provável candidatura em sua igreja, mas também informam que ele ainda não tomou nenhuma decisão sobre uma eventual candidatura.

GP

Jabes de Alencar deixa presidência do Conselho de Pastores de SP

O CPESP (Conselho de Pastores do Estado de São Paulo) tem nova diretoria. Pastor Edson Rebustini, da Igreja Bíblica da Paz, assume a entidade no lugar do pastor Jabes de Alencar, fundador do Conselho. A assembleia que elegeu a nova diretoria, aconteceu na Igreja Batista do Povo, na Vila Mariana em São Paulo, na quarta-feira, 19, e reuniu pastores e líderes das mais diversas denominações.
Além do tradicional café, o encontro serviu para agradecer a Deus pelo centenário do pastor Enéas Tognini. Fundador da Batista do Povo e formado em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, no Rio de Janeiro, pastoreou a Igreja Batista do Barro Preto, em Belo Horizonte, e a Igreja Batista de Perdizes, em São Paulo.
Tognini viajou por mais de 20 anos pelo Brasil, tornando-se um dos pioneiros da propagação de Renovação Espiritual. Autor de mais de 40 livros, foi condecorado confrade da Academia Evangélica de Letras. Recebeu também o título de Cidadão Paulistano.
Durante o culto especial, Enéas Tognini ainda recebeu uma homenagem do governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, e um placa do CPESP referente sua vida dedicada a obra cristã. “Ninguém faz cem anos se não for um sábio. Pastor Enéas tem uma vida dedicada ao Brasil. É um evangelizador”, declarou Alckmin.
Após a homenagem, pastor Jabes Alencar abriu a plenária para eleição da nova diretoria do CPESP, onde o nome do pastor Edson Rebustini foi conduzido ao cargo. “Meu desejo é levar mais pastores a este momento de oração um pelos outros. Quero servir a Igreja e este é o meu propósito”, enfatizou Rebustini, aproveitando para elogiar o trabalho do pastor Jabes Alencar com seus 21 anos à frente da entidade.

Nota  do Bispo Roberto Torrecilhas.
Quero  estender  meus  agradecimentos aos pastor Jabes pelo  brilhante  trabalho  feito por ele a frente do CPESP  durante esses 21  anos , e pedir  a Deus que  estenda as  bençãos  sobre  a  vida  do  pastor Edson Rebustini ,o  qual  conheço  a mais  de  25 anos .

Avião da Malaysia Airlines caiu e não há sobreviventes, diz premiê malaio

O premiê da Malásia, Najib Razak, anunciou na manhã desta segunda-feira (24) que o avião da Malaysia Airlines desaparecido desde o dia 8 de março caiu no sul do oceano Índico e que não há sobreviventes entre os 239 ocupantes.
O anúncio veio momentos depois de que a companhia aérea divulgou nota em que dizia: "Lamentamos profundamente dizer que temos de assumir, além de toda dúvida, que o MH370 sumiu e que nenhum daqueles a bordo sobreviveu. Temos de aceitar que todas as evidências sugerem que o avião caiu no sul do oceano Índico".
Familiares dos ocupantes do voo MH 370 da Malaysia Airlines, desaparecido desde o dia 8 de março, foram convocados para uma reunião extraordinária com autoridades da Malásia . Segundo a rede de TV SkyNews, eles receberam a opção de serem transportados em voos fretados para a Austrália.
Desde a semana passada, as buscas pela aeronave vinham se concentrando numa região a 2.500 km da costa sudoeste da Austrália, onde pedaços que seriam do avião foram localizados.
O voo MH370 desapareceu cerca de 40 minutos após decolar de Kuala Lumpur com destino a Pequim, na China.
Uma operação de buscas composta por pelo menos 26 países foi montada. Satélites de pelo menos 15 países foram utilizados para localizar o avião.
Segundo o comunicado divulgado no site da companhia, o avião transportava 227 passageiros, entre eles cinco crianças, e uma tripulação de 12 pessoas. Entre os passageiros havia 153 chineses, 38 malaios, 12 indonésios, sete australianos, quatro americanos, três franceses, dois neozelandeses, dois ucranianos, dois canadenses, um russo, um holandês, um austríaco, um italiano e um cidadão de Taiwan.

Mais informações em breve. (Com agências internacionais)
http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2014/03/24/familiares-de-ocupantes-do-mh370-sao-chamados-para-reuniao.htm

GERALDO LUÍS AFIRMA- QUASE FUI ABUSADO POR PADRES EM UM RETIRO .

Apresentador conta detalhes da sua vida (Foto: AgNews)Nova aposta da Record aos domingos,Geraldo Luís, 42, abriu o jogo sobre sua vida e revelou alguns detalhes bastante curiosos.

Em entrevista ao site "Notícias da TV", o apresentador do "Domingo Show",confessou que quase sofreu abuso sexual quando tinha 17 anos e visitou um seminário de padres. "Dois amigos e eu quase fomos abusados sexualmente. Quando eu vi aquela promiscuidade dentro do seminário, aquilo me enojou. Era um final de semana, como se fosse um retiro. Depois de uns três dias lá, pulamos a cerca e fugimos".
O jornalista também contou que descobriu o seu lado repórter policial na época em que trabalhou no IML (Instituto Médico Legal). "Ser agente funerário me deu dureza, passei a ver aquilo como natural e me interessei em acompanhar os trabalhos dos peritos de polícia. Foi assim que eu virei repórter, nada mais me chocava", declarou.
Sobre ganhar um programa na concorrida programação de domingo, Geraldo disparou: "Imagina para um cara que lavava defuntos o que é chegar aqui"

http://br.tv.yahoo.com/blogs/notas-tv/aposta-da-record-geraldo-lu%C3%ADs-revela-que-j%C3%A1-153015843.html

Com ataque à Globo, Domingo Espetacular debate a arte com apologia à pedofilia

Programa Domingo Espetacular, na Record TV O debate sobre as exposições de arte com apologia à pedofilia e outros temas no Brasil marc...