sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Haddad confronta Dilma com proposta de novo kit gay

 

Ministro da Educação propõe nova versão de programa dirigido a escolas públicas considerado "inadequado" pela presidente

Seis meses após o veto da presidente Dilma Rousseff ao chamado "kit gay", proposto pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, o político volta à carga com proposta de uma nova versão do material, que seria distribuído a estudantes do ensino público.

A nova versão incluiria, segundo o deputado Jair Bolsonaro, cota de professores gays no ensino público na tentativa de combater o preconceito contra homossexuais nas escolas. Além disso, seriam distribuídos cartilhas, cartazes e vídeos para 6.000 escolas do ensino médio, sem que a Câmara dos Deputados fosse chamada ao debate sobre a pertinência do material.
E vai contra mais uma vez à posição da presidente quando da proposta do primeiro kit.
À ocasião do veto da primeira versão do kit, o secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, apontou que "a presidente Dilma não gostou dos vídeos, achou o material inadequado, e determinou que não circule oficialmente. Estão suspensas todas as produções de materiais que falem dessas questões".
A proposta vem em meio à maior crise atravessada pelo Ministério da Educação e igualmente junto ao anúncio da candidatura de Haddad à Prefeitura de São Paulo. Polêmicas não faltam na trajetória do político.

No mais recente Enem, foi descoberto que 14 questões do exame, que mobilizou os estudantes do país nos dias 22 e 23 de outubro, já haviam sido aplicadas num simulado realizado pelo colégio Christus de Fortaleza duas semanas antes. Depois de muitos protestos e discussões, as questões foram canceladas para os alunos do colégio cearense.

O episódio lembrou outro, ainda mais grave, quando em 2009, a prova foi anulada depois de ter sido roubada. As questões foram roubadas de uma gráfica e os ladrões tentaram vendê-las para a imprensa antes da realização da prova.

A descoberta da fraude levou ao cancelamento do Enem. A prova foi totalmente refeita e remarcada, o que teria causado um prejuízo de R$ 46 milhões aos cofres públicos.

Na ocasião, o então presidente do Inep (Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais), Reynaldo Fernandes, deixou o cargo. A marcação da segunda prova levou os estudantes a protestarem nas ruas contra a confusão - as novas datas coincidiam com alguns vestibulares - e a abstenção chegou a 1,5 milhão de inscritos.

Ainda este ano, o ministro se viu mais uma vez no centro da polêmica como alvo por causa de um livro didático distribuído pelo governo em mais de 4.000 escolas com erros intencionais de concordância, para aproximar os alunos da língua popular.

Entre os erros gramaticais e incorreções, frases como “nós pega o peixe” ou “os menino pega o peixe”. O ministro defendeu a publicação e reagiu contra seus críticos.

via GRITOS DE ALERTA
FONTE ; R7

Muçulmana estuprada pelo cunhado é condenada a 12 anos de prisão e para não cumprir a pena, aceitou se casar com o estuprador

Uma mulher afegã que foi estuprada pelo cunhado, foi condenada a doze anos de prisão. Segundo as leis afegãs, uma mulher estuprada por um homem casado tem direito a decidir se cumpre a pena ou se opta por casar com o estuprador, a fim de recuperar sua honra. O mesmo vale para os casos de adultério.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Gulnaz, de 21 anos, estava só em casa quando seu cunhado chegou do trabalho e a violentou. “Ele estava com roupas nojentas, porque trabalha na construção civil. Quando minha mãe saiu, ele foi até a minha casa e fechou as portas e as janelas. Eu comecei a gritar, mas ele me calou, tapando minha boca com as mãos”, relata a afegã.
Porém, com medo de represálias do cunhado e das consequências legais perante as autoridades afegãs, a jovem, então com 19 anos, resolveu ficar em silêncio, até que descobriu a gravidez e foi obrigada a revelar o ocorrido.
Ela e o cunhado foram condenados por adultério, mas para fugir da prisão e poder cuidar da filha, fruto do estupro, Gulnaz aceitou juntar-se ao cunhado, agora, marido. O casamento proporciona que a filha e a mulher sejam aceitas pela sociedade.
O Tribunal em que o caso tramita, na cidade de Cabul, capital do Afeganistão, aceitou somente fazer uma redução da pena de Gulnaz, sob a alegação de que a mulher “demorou demais” a registrar a queixa de estupro, segundo a CNN.
Segundo o Pavablog, Rahmatullah Nazari, porta-voz do Procurador Geral de Cabul, afirmou que informações levantadas durante a investigação mostram que a relação foi consensual, e que a condenação se deu por adultério. “Gulnaz alega que foi estuprada, mas devido ao fato de que ela reportou o crime somente quatro meses depois, não conseguimos encontrar nenhuma evidência do ataque”, ponderou o porta-voz.

HIC, HIC - Pesquisa revela que líderes evangélicos fazem uso de bebidas alcoólicas “socialmente”

Pesquisa revela que líderes evangélicos fazem uso de bebidas alcoólicas “socialmente”

Uma estatística assustadora e não condizente com a fé cristã.
Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos, pela Associação Nacional dos Evangélicos com sede em Washington, mostrou que 40% dos líderes evangélicos dizem que bebem álcool socialmente.
Foram ouvidos representantes de 40 denominações diferentes que afirmaram beber, com moderação, em ocasiões especiais. Entre a maioria que diz que não consumiam álcool, a razão comum para a abstinência, não foi porque eles acreditam que é pecado beber.
“Ainda que haja proibição do consumo de álcool moderado nas Escrituras, devido às muitas implicações como um exemplo para família e aqueles que eu sirvo, eu gosto das palavras de Paulo, é melhor não,” disse Gary Benedict, presidente da Aliança Missionária e Cristã (The Christian and Missionary Alliance).
Um estudo anterior, mostrou que cerca de um quarto dos leigos disse que as pessoas não devem nunca beber álcool, de acordo com a Revista LifeWay. E que, 24 % dos pastores seniores concordaram.
Além disso, 68 % dos pastores disseram que o consumo racional do álcool é uma “liberdade bíblica,” somente mais da metade (54%) das pessoas leigas concordaram.

VIA GRITOS DE ALERTA
FONTE : REVISTA CÉLEBRE

Deputado Marco Feliciano discursa contra “conspiração” do Movimento LGBT e convoca lideranças cristãs para se “sacrificar pelas gerações futuras”

Deputado Marco Feliciano discursa contra “conspiração” do Movimento LGBT e convoca lideranças cristãs para se “sacrificar pelas gerações futuras”
O Pastor e Deputado Marco Feliciano fez um discurso inflamado na tribuna da Câmara dos Deputados, contra o que chamou de “conspiração da militância LGBTT” contra a família.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
No discurso, Feliciano convocou os deputados que fazem parte da Bancada Evangélica e os membros da Bancada Católica para se juntarem, superando as barreiras interdenominacionais, para fazer um sacrifício em prol dos valores cristãos, segundo informações disponibilizadas no site da Câmara dos Deputados.
“Sacrifiquem o conforto (pois falar deste assunto trás desconforto), sacrifiquem se preciso for, seus votos, e se preciso for, sacrifiquem até seus mandatos pelos nossos filhos e gerações futuras”, afirmou o Deputado.
Em seu discurso, Marco Feliciano se dirige aos membros do movimento LGBTT afirmando que são estrategistas: “Sou obrigado a tirar o chapéu pela estratégia, força e apoiamentos que possui e pelos respaldados diante das iniciativas baseadas nos altos ideais dos direitos humanos, não à violência e sim à cidadania e, por meio disso, conseguiu notoriedade, espaço privilegiado em relação ao Governo, aos intelectuais, artistas e mídia em geral”.
Em uma severa crítica ao poder judiciário, o Pastor condenou a atitude dos Ministros do Superior Tribunal Federal, que no entender dele, legislaram ao instituir a união estável entre pessoas do mesmo sexo, e citou o exemplo do Poder Judiciário francês, que optou por abster-se do debate e de decisões relativas ao assunto, declarando “que tal assunto era de competência do Parlamento, afinal o Parlamento foi eleito pelo povo e o povo é soberano”.
Marco Feliciano citou ainda todos os requerimentos que o movimento LGBTT fez através de seus representantes no Poder Legislativo, que incluem diversas cotas sociais, fiscalização da mídia e proibição de piadas contra homossexuais, classificação da Bíblia como conteúdo inadequado para as crianças, dentre outras.
Citando diversos líderes cristãos, reforçou seu pedido de união interdenominacional em torno da defesa “dos bons costumes”. “Fico Imaginando uma reunião com todos estes guerreiros, onde com uma visão, uma determinação, e liderança, poderemos resgatar as diretrizes do moral, do ético, dos bons costumes e mais, mostrar que pela Familia Brasileira quebramos as barreiras interdenominacionais. Estes homens e mulheres juntos, podem mobilizar 95% da população brasileira! Ainda da tempo. É possível!”, conclamou o Pastor e Deputado Federal Marco Feliciano.



VIA GRITOS DE ALERTA
INF. GOSPEL +

Lei de Araguaína obriga leitura diária da Bíblia nas escolas antes das aulas

A Câmara Municipal de Araguaína (TO) aprovou lei que obriga os alunos das escolas públicas a lerem um versículo da Bíblia por dia, antes das aulas.

lei, que vai ser sancionada pelo prefeito Félix Valuar de Sousa Barros, diz que o versículo poderá ser selecionado pelo professor ou escolhido aleatoriamente.

“Isso é um absurdo”, disse um leitor de Tocantins. “Num Estado laico, pode uma coisa dessas?”

Trata-se de uma ilegalidade porque o artigo 19 de Constituição proíbe que qualquer instância do Estado se envolva em atividades religiosas. O Ministério Público poderá recorrer à Justiça para para invalidar a lei.

Araguaína fica no norte de Tocantins e a 350 km de Palmas, a capital do Estado. Tem mais de 150 mil habitantes.

O autor da lei, o vereador Manoel Moreira de Brito, o Mané Mudança (foto), é do mesmo partido do prefeito, o DEM. Para ele, é “muito importante que as crianças e os professores reflitam” sobre os ensinamentos Bíblia.

Na Câmara, a Bíblia já é lida antes das sessões.

Fonte: Paulopes / via Gritos de Alerta

ESCÂNDALO BRUTO - União ignora R$ 26,5 bi enviados a ONGs

BENTO GONÇALVES (RS) - Informações sobre a destinação de R$ 26,5 bilhões do Tesouro, transferidos para organizações não governamentais (ONGs) e entidades entre setembro de 2008 e junho de 2011, não constam do banco de dados do Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse (Siconv), do Ministério do Planejamento. A revelação foi feita durante debates da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla), em Bento Gonçalves (RS).

O montante à margem do cadastro do Siconv representa 54% do total repassado por ministérios e outros entes do governo federal a título de transferências voluntárias. Do total, R$ 20 bilhões foram para convênios e R$ 6,5 bilhões para termos de parcerias e contratos de repasse. A exclusão dessas informações emperra a malha fina sobre convênios e licitações.

Essa situação foi comunicada à Enccla pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação, do Planejamento. "Apesar da obrigatoriedade do seu emprego e dos esforços dos gestores do Siconv em exigir dos órgãos concedentes o seu uso, ainda não há plena adesão ao sistema, o que dificulta o trabalho dos órgãos de fiscalização e controle", alerta documento submetido às discussões fechadas da Enccla.

O Siconv foi concebido a partir de proposição do Tribunal de Contas da União, em novembro de 2006, para ampliar a transparência do gasto público federal realizado mediante a liberação de verbas a outros órgãos e entidades, entes federados e entidades do setor privado.

A meta primordial era superar as limitações verificadas no Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), onde a execução financeira e orçamentária das transferências voluntárias alcança apenas as transações realizadas pelo concedente, "inexistindo informação quanto à execução do gasto no âmbito dos convenentes".

Todo o processo de execução de transferências voluntárias deveria ser registrado no sistema, em tempo muito próximo ao da realização dos atos. A Polícia Federal tem interesse direto nesses dados, tanto que faz parte do grupo que discute o aperfeiçoamento do Siconv.

Desde setembro de 2008 existe a obrigatoriedade de registro de todos os atos de celebração, liberação de recursos, acompanhamento da execução e prestação de contas de convênios, contratos de repasse e termos de parceria. Nesse sentido, a Comissão Gestora do Siconv expediu uma diretriz, em maio de 2010, alertando os gestores dos órgãos concedentes sobre a obrigatoriedade de utilização do sistema e do registro das informações referentes às licitações e aos contratos administrativos celebrados no prazo de 20 dias após a realização dos procedimentos.

Segundo a Enccla, para atender aos seus pressupostos - fortalecimento da gestão e aumento da transparência do gasto público -, o Siconv deve incorporar todas as transferências voluntárias de todos os órgãos da administração pública federal.

A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) impõe aos órgãos e entidades integrantes do orçamento fiscal: "Deverão disponibilizar ao Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais (Siasg) e ao Siconv, no que couber, informações referentes aos contratos e aos convênios com instrumentos congêneres firmados com a identificação das respectivas categorias de programação e fontes de recursos quando se tratar de convênios".

Dificuldade. O estatístico Clesito Fechini, assessor da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação, do Planejamento, diz acreditar que não existe resistência das outras pastas em transmitir os dados. "É dificuldade operacional. Dificuldade de compatibilizar os layouts, de os órgãos efetivamente integrarem o sistema. Inserir quase 30 mil convênios de uma hora para outra, não estamos falando de 400 convênios. É muito difícil."

Ele observa, porém, que a LDO determina aos órgãos que encontram dificuldades de manter seu próprio sistema que enviem os dados ao Planejamento. "O sistema funciona efetivamente há três anos. É para todo mundo ver, em linguagem cidadã, as informações sobre os convênios. Com isso ganhamos a melhoria de gestão, daí o interesse da Secretaria de Logística em cumprir as sugestões da Enccla."

Para a Polícia Federal a inclusão de todos os dados relativos às transferências voluntárias repercute na maior celeridade de suas investigações.

Josélio Azevedo de Sousa, delegado federal que cuida dos inquéritos sobre desvios de recursos públicos, destaca que a PF até pode obter os dados de que precisa para construir provas, mas teria de expedir ofícios, promover missões externas e até mesmo requerer a quebra de sigilo bancário de seus alvos, o que demandaria tempo. "Com a disponibilização das informações no Siconv e o acesso pela internet ganhamos economia operacional de meios e de tempo", diz.

"A recomendação legal já existe, o que a Enccla quer é a transparência da gestão dos recursos públicos", afirma Fechini.

FONTE WWW.ESTADAO.COM.BR / VIA GRITOS DE ALERTA

Crer ou Acreditar?


 Crer ou Acreditar?

“Quem crê nele não é julgado; mas quem não crê, já está julgado; porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus”. (João 3.18)
Você acredita que o paraquédas tem o poder de impedir que uma pessoa caia e perca a sua vida? Ótimo, mas você apenas acredita, porque quem crê, salta do avião, deixando sua vida depender exclusivamente daquele paraquédas!
Você é casado? Você crê que seu cônjuge é fiel, ou você apenas acredita? Se fica preocupado ou com ciúmes, é porque apenas acredita, mas não crê!
Você crê que Deus pode lhe proteger dos males desse mundo? Ou vive com receio de que algo lhe aconteça? Se tem receio é porque você não crê, apenas acredita!
O Senhor Jesus Cristo, procura os que crêem no seu nome e na sua palavra. Quando Ele enviou seus discípulos para envangelizarem, os mandou sem bolsa ou alforge, ou seja, sem mantimento algum, porque queria que seus discípulos cressem que nada lhes faltaria, e de fato não faltou. O Senhor tem feito assim até hoje, chamando os que dizem crer, para abandonar suas vidas medíocres e viver segundo a sua vontade.
Muitos podem até dizer que lhes falta fé, mas não é a falta de fé que os tem impedido de avançar, mas a falta de coragem. E por falta de coragem para abrirem mão da segurança desse mundo, muitos acabam abandonando o chamado de Cristo, tornando-se meros religiosos, e dependentes da fé de algum líder religioso.
O Senhor Deus procura os verdadeiros adoradores, que tenham a coragem de lançarem suas vidas em seus braços, sem o medo de cairem. Você tem atendido ao chamado de Deus?
“Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá”. (Jo 11.25)

Pesquisa aponta principais manchas na imagem do cristianismo e pedofilia aparece com uma das mais negativas

O relatório de uma pesquisa feita com 1094 pessoas aponta os principais obstáculos que estão ligados ao cristianismo. Segundo o levantamento feito online pelo Centro de Pesquisa McCrindle, um grupo cristão especializado em mídia, a maioria dos entrevistados se declarou “não-cristão”, e 76% dos entrevistados acreditam que os casos pedofilia sejam uma mancha definitiva na imagem da igreja.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
No evento de lançamento do relatório, Peter Jenses, Arcebispo da Igreja Anglicana de Sydney (Austrália) justificou a pesquisa: “O cristianismo, como vocês sabem, é uma religião de comunicação”.
Os entrevistados citaram motivos que se tornaram “empecilhos para a crença” no cristianismo, e os dez mais citados foram os abusos contra crianças, hipocrisia, hábitos de julgamento, guerras religiosas, sofrimento em geral ao redor do mundo, ameaça do inferno aos que não creem, condenação da homossexualidade e a ideia de exclusividade dos cristãos.
Outro ponto relevante citado por 60% dos entrevistados foi o papel de coadjuvante destinado às mulheres dentro da igreja, assim como a postura da igreja em relação à ciência e a teoria da evolução, tema citado por 57%. Sobre o homossexualismo, a postura da igreja é incômoda para 69%, enquanto que a mensagem de condenação eterna e inferno são motivos que afastam 66% das pessoas que participaram da pesquisa.
Os exemplos dados por pais e parentes aparece como a mais forte influência na forma como as pessoas enxergam o cristianismo e os cristãos: 67% formaram opinião a partir desses exemplos. Veículos de comunicação (25%) e redes sociais (24%) são outras fontes de formação de opinião citadas na pesquisa.
Os ensinamentos mais relevantes do ministério de Jesus são informações que a maioria dos entrevistados não tiveram dificuldades em identificar: 62% lembraram da passagem bíblica que Jesus afirma “eu vim para que tenham vida”; 51% lembraram de “Amem uns aos outros” e “faça ao próximo o que você deseja para si mesmo”. Por outro lado, 42% dos entrevistados acreditam que Jesus era uma pessoa comum, incapaz de realizar milagres; 80% acreditam que Jesus morreu numa cruz; 52% acreditam que ele ressuscitou dos mortos e 17% entendem que Jesus e seus ensinamentos são ficção.
A força da influência negativa que os pontos polêmicos acerca do cristianismo possui, traduz-se em números: 51% não estariam dispostos a mudar a forma como enxergam o cristianismo.
O Pastor Batista Sydney Karl Faase, líder do grupo Olive Tree (em tradução livre do inglês, significa Oliveira, árvore da Oliva), que encomendou a pesquisa, entende que se comunicar melhor faz parte da tarefa dos cristãos. “Nós cremos na Palavra e na propagação dessa Palavra… Traduzir o texto para a língua do povo é parte essencial do Evangelho cristão. Mas a primeira coisa que notei como comunicador é como desconhecemos nossa audiência. Minha suspeita sobre o que as pessoas pensam é muito diferente do que essa pesquisa indicou”, afirmou o Pastor, que pretende aprimorar a forma como leva sua mensagem.
A pesquisa separou os entrevistados por sexo, renda e grau de instrução, para que fique mais fácil identificar as principais dificuldades apontadas por cada grupo. Por outro lado, segundo o GospelPrime os resultados irão direcionar os temas e a linguagem de abordagem utilizada em uma nova série que está sendo produzida pelo Olive Tree.
O Arcebispo da Igreja Anglicana, Peter Jensen destacou que as dificuldades não devem desencorajar os líderes: “Minha visão é que a fé cristã sofreu um colapso intelectual monumental nos últimos 40 anos. Amigos, a situação agora não é tão ruim quanto era no primeiro século… Estamos muito melhor agora. Cerca de 30% das pessoas do mundo dizem que são cristãos. Não estou desanimado com estes números, prefiro vê-los como um desafio. Acredito que temos possibilidades imensas de levantar recursos para espalhar a mensagem do Evangelho. Creio no poder transformador do Evangelho e que Deus é o grande evangelista… Eles irão nos ajudar a pensar como podemos melhor traduzir a fé de uma forma que será ouvida por pessoas reais, com dúvidas reais”.

VIA GRITOS DE ALERTA
Fonte: Gospel+

Bancada evangélica é enganada pela Dilma com uma suspensão temporária do kit pedofilia gay , pois já esta em licitação de novo.


Sob pressão intensa da bancada evangélica, a presidenta Dilma Rousseff acabou de dar ordens expressas proibindo temporariamente a distribuição de qualquer material ligado ao “Kit Gay” nas escolas.

MENTIRA .

ESSE KIT JÁ ESTA NOVAMENTE EM  LICITAÇÃO PARA SUA PRODUÇÃO.
E TUDO ISSO COM AS GARRAS SUJAS E AFIADAS DO MINISTRO DA CAUSA GAY

HADDAD.

PAULISTAS , GUARDEM ESSE NOME .
SOMOS CONTRA A EVIDENTE IMORALIDADE PEDOFÍLICA DO KIT GAY

Deputados da Frente Parlamentar Evangélica DEVEM SER ESTADISTAS E NÃO SOMENTE POLITICOS.



Quer deter o kit gay e o PLC 122? Faça pressões para que os corruptos do PT sejam julgados e demitidos, e o PT na mesma hora parar de impor a imoralidade e a ditatura gay.Meu conselho é: a pressão deve continuar!

Vamos então lutar para  Haddad vá parar no olho da rua.
E NÃO VENHA PARA OS LADOS DE SÃO PAULO , POIS AQUI SOMOS UNIDOS E
CANALHAS NÃO TEM VEZ.
VIA GRITOS DE ALERTA,  A SERVIÇO DO REINO DE DEUS.

O “Apocalipse gay”




O relógio profético da imoralidade

Apesar do movimento gay não esperar por nenhuma revelação divina, eles estão aguardando a “aprovação divina” e a aceitação em público dos seus atos imorais.
A importância profética desse movimento é de extrema importância na ocultação da realidade sobre os bastidores da nova ordem mundial pelo seguinte:

Quando o movimento gay começou a marcar a sua presença na ONU, eles começaram a colaborar com a conspiração apocalíptica (mesmo que de forma inconsciente), encobrindo-a de uma boa parte de cristãos. As igrejas ao saberem desse fato começaram a se organizar numa espécie de sindicatos evangélicos para protegerem os seus direitos de liberdade de expressão. A estratégia política foi um sucesso total. O medo do movimento gay se tornou mais importante que as profecias.

O lema da ONU é dividir para governar; todos esses conflitos serão resolvidos na grande Assembléia do Governo Mundial. Claro que a doutrina cristã sofrerá alterações e possíveis punições em nome do “bem maior”; a paz e o amor global da comunidade.

Apesar das profecias ficarem encobertas por algum tempo, o relógio profético da imoralidade gay serve como um sinal de que o fim se aproxima rapidamente. A criação do Estado de sodomia é inevitável, mas a justiça de DEUS não tardará.

Assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno. (Judas 1 : 7)



Conclusão:
O Apocalipse gay não revela absolutamente nada, pelo contrário, o seu principal objetivo é esconder dos cristãos a verdade sobre a conspiração. Afinal os líderes das igrejas estarão ocupados demais em se protegerem do movimento gay.O abismo Luciferano, com suas correntes, está arrastando não só os gays para o abismo, mas, também os que aprovam essas condutas para o justo juízo que está por vir.
 
IGREJA DO SENHOR JESUS . ACORDEM .
 
VIA GRITOS DE ALERTA / APOCALIPSE TOTAL

ATO GAY IMORAL - Políticos evangélicos comentam sobre simulação de ato de sexual gay em Parada LGBT ao som de hino gospel: “É um ato imoral”

A performance do cabeleireiro carioca Carlos Duarte, 56 anos, fotografado durante a Parada Gay do Acre, em ato obsceno com outro homem, simulando a prática de sexo oral foi assunto na Assembleia Legislativa do Acre nessa terça feira (22).
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
“Quando temos órgãos masculinos sendo expostos, pessoas expondo seus seios, isso é crime. Eu não concordo com isso. Essa imagem me estarreceu. Existiram exageros premeditados”, afirmou o deputado evangélico Jamyl Asfury (DEM), que foi o primeiro a ocupar a tribuna da Assembleia para criticar o “ato obsceno”, que ganhou repercussão nacional após a publicação de fotos nas redes sociais. Ele também lamentou que a música gospel “Faz um milagre em Mim”, tenha sido tocada durante o evento.
“Compete ao Estado reprimir aquele tipo de manifestação. Nós temos um símbolo para nós, que é um hino, e ele foi profanado. Um dia, um líder religioso foi condenado à prisão porque chutou a imagem de uma santa. Não basta pedir perdão, tem que ser punido” disse Asfury.
De acordo com o Terra Magazine, outro evangélico, o deputado Astério Moreira (PRP), disse que o cabeleireiro devia ter procurado um motel “para fazer aquilo”. “O governo não pode continuar usando dinheiro público para patrocinar um evento que agride às famílias” afirmou Moreira, que é da base governista.
Outro deputado a se pronuncia foi Eduardo Farias (PCdoB), ele contou que costuma participar da Parada Gay do Acre na companhia da mulher e do filho, mas também criticou a performance do cabeleireiro: “O que vimos não representa aquilo que se pretendia com a Semana da Diversidade. Esse tipo de ato não constrói nada e joga contra. O que aconteceu não representa a ideia de quem defende diversidade, tolerância, sociedade solidária. Crime como aquele nós não podemos tolerar” afirmou Farias.
Outro evangélico a se pronunciar foi o deputado Gerado Pereira, líder do PT: “Temos que respeitar os direitos individuais das pessoas e reconhecer que são fatos isolados. Ninguém é obrigado a ir para o céu. Ir para o céu é opcional. Mas os direitos individuais, que regem a sociedade, nós temos que garantir”, ele ponderou que a polêmica é decorrente da atitude irresponsável de duas pessoas que participavam da manifestação e que agrediram a sociedade.


Fonte:  GOSPEL +
VIA GRITOS DE ALERTA

Intolerância do secularismo quer excluir Deus da Europa, diz Vaticano

Dom Tarcisio Bertone, secretário de Estado do Vaticano, criticou o “secularismo intolerante” europeu que tem tentado construir uma ditadura do relativismo “para excluir Deus da sociedade”.

“Na Europa de hoje é cada vez mais difícil distinguir entre verdades, erros e mentiras”, disse o cardeal durante reunião do CCEE (Conselho de Conferências Episcopais Europeias) realizada recentemente em Roma.

“Hoje se fala em Deus em um contexto muitas vezes indiferente ou mesmo hostil”, disse, citando como exemplos a retirada de símbolos católicos do espaço público e a tentativa de restringir a fé a uma questão privada, de cada indivíduo.

Ele afirmou que, em consequência disso, “os valores cristãos tradicionais”, como o casamento entre homem e mulher e a defesa da vida desde a concepção até a morte natural, estão sendo atacados pelos secularistas radicais.

Aos participantes do encontro, ele disse que, tendo em vista essa hostilidade, hoje em dia é preciso "preparar antes o terreno" para se plantar as sementes do evangelho.

Fonte: Paulopes

BABILÔNIA OU NAÇÃO GAY ? A Dinamarca quer legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo no religioso

A Dinamarca quer legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo no religioso, em substituição às bênçãos de curta duração que a Igreja Luterana atualmente realiza.

O governo anunciou nesta quarta-feira que irá apresentar em fevereiro uma proposta para alterar as leis de matrimônio no país. Em 1989, a Dinamarca tornou-se o primeiro país a permitir uniões civis gays.

Desde 1997, os casais do mesmo sexo podem se casar no religioso por meio de bênçãos dadas ao final de missas comuns.

O Ministério de Assuntos Religiosos da Dinamarca diz que a mudança deve igualar o país à Islândia e à Suécia, que já permitem a realização de cerimônias para os casais gays.

No entanto, o clero do país manterá o direito de se recusar a realizar uniões de casais do mesmo sexo, sem ser punido por isso.

Fonte: Folha.com

Crise econômica dos EUA pode acabar com as megaigrejas

O recente pedido de falência da Cristal Catedral, afundada em dívidas de mais de US$ 40 milhões, acendeu um sinal de alerta. O templo e o terreno serão vendidos para uma igreja Católica.

Durante mais de 15 anos, o senhor Smith foi diácono da megaigreja de 2.500 membros em Granny White Pike, Nashville. Multidões lotavam o templo, atraídos pela música contemporânea e práticas pentecostais como falar em línguas. Os sermões do pastor Billy Roy Moore fazia com que a Bíblia se tornasse viva para os fiéis.

De repente, tudo se desfez. Moore se afastou do ministério depois que seu filho morreu em um acidente de carro. Ao invés de mudar para o novo templo da nova igreja, com 15 mil metros quadrados, a maioria das pessoas simplesmente desistiu. Quando a Lord´s Chapel finalmente fechou, em 2003, restavam apenas 40 membros.

“Era o poder de Deus que atraiu as pessoas para a igreja! Não sei como chegamos nesse ponto. Eu já me fiz essa pergunta mais de mil vezes”, lembra Smith, com tristeza na voz.

As últimas três décadas foram tempos de bonança para as igrejas grandes como essa. Na década de 1970, apenas uma dezena de igrejas eram “mega”, nome dado às que tinham mais de 2.000 membros. Hoje, o número de megaigrejas nos Estados Unidos está na casa dos milhares.

Open in new windowO recente pedido de falência da Cristal Catedral, perto de Los Angeles, que já foi um ícone da teologia da prosperidade, pregado pelo pastor Robert Schuller, acendeu um sinal de alerta. Afundada em dívidas de mais de US$ 40 milhões, o templo e o terreno serão vendidos para uma igreja Católica.

A maioria das megaigrejas, cujos pastores hoje estão na casa dos 50 anos, parecem estar perdendo o fôlego. Alguns teólogos temem que esse grande desgaste do antigo modelo de sucesso custe caro, pois já está claro que elas não atraem as gerações mais jovens. Skye Jethani, editor-chefe da revista Leadership, voltada para pastores, lembra que publicaram alguns anos atrás um artigo comparando as megaigrejas com o mercado imobiliário.

“Se você perguntasse às pessoas em 2007 se o mercado imobiliário estava indo bem, elas teriam dito que sim, ninguém imaginava o que aconteceria no ano seguinte”, explica ele. As megaigrejas tornaram-se tão grande que sua viabilidade econômica hoje é impossível. Muitas delas devem milhões de dólares em hipotecas e precisam pagar o salário de centenas de membros da equipe. Isso funciona bem quando uma igreja está crescendo. Mas as igrejas geralmente encolhem quando há uma mudança de pastor ou visão de ministério, afirma Jethani.

“Se uma igreja tem 400 pessoas e você perde 200 membros, ainda pode continuar. Porém, se a igreja tem 10.000 e reduz para uns 5.000, pode não ser capaz de sobreviver.”

Alguns teólogos que estudam o fenômeno das megaigrejas divergem sobre como será o futuro delas. Scott Thumma, que leciona sociologia da religião no Hartford Seminary e já escreveu livros sobre o fenômeno, acredita que todas as igrejas ficam vulneráveis ​​quando trocam de pastores ou sofrem alguma mudança brusca. “As megaigrejas boas vão se adaptar, as ruins tendem a fechar. As pessoas previram o fim delas há anos. Mas elas são como os hipermercados. Não é algo que vai desaparecer do dia para a noite. Megaigrejas são muitas vezes geridas por empresários que não estão vinculados às formas tradicionais de se tocar uma igreja, isso lhes dá uma vantagem sobre outras congregações.” acredita Thumma.

Rick Warren, pastor da Igreja Saddleback, em Lake Forest, Califórnia, que reúne cerca de 20 mil a cada domingo, disse duvidar do desaparecimento das megaigrejas. ”A verdade é que a próxima geração de igrejas será ainda maior do que as igrejas da minha geração”, disse ele. Novas tecnologias, como videoconferência de alta qualidade, permitirá que igrejas possam reunir pessoas em muitos locais ao mesmo tempo. Assim, uma igreja poderá atrair dezenas de milhares de pessoas sem a necessidade de construir um templo. Isso significa que uma igreja não estará vinculada a um edifício enorme. A geração seguinte nunca encheu os templos do passado”, disse Warren.

Warren já nomeou líderes mais jovens para o ajudarem a conduzir a igreja. Mas disse que as transições entre de um pastor mais velho para outro mais novo pode ser determinante para o futuro de uma igreja. ”Um dos pontos fortes de grandes igrejas é que os pastores ficam por um longo tempo”, acredita ele.

Desde 2004 a Revista Outreach tem publicado anualmente uma lista das maiores igrejas dos Estados Unidos. Apenas oito das 25 principais em 2004 ainda estão no “top 25” este ano

Esse tipo de planejamento antecipado pode ajudar as igrejas evitar uma crise no futuro, disse Sheila Strobel Smith, pesquisador que estudou a mudança pastoral em megaigrejas para sua tese de doutorado. Ela estudou as 50 maiores igrejas protestantes dos Estados Unidos para sua dissertação.

Apenas quatro ministros haviam mudado desde que atingiu o patamar de uma megaigreja, e um deles foi justamente a Catedral de Cristal.
Quando a igreja começou a encolher, em 2005, o pastor Robert Schuller não estava disposto a mudar. Ele não soube preparar um sucessor e agora eles realmente estão em apuros”, disse Smith. ”Os últimos seis anos têm sido terríveis.” Smith disse que não há desculpa para uma igreja esperar até que seja tarde demais para mudar ou se adaptar. ”Se tivermos pessoas tementes a Deus nos bancos a cada domingo, não será uma crise econômica ou qualquer outra uma situação que os fará perder a fé.”

Traduzido e Adaptado por Gospel Prime de Tennessean
VIA GRITOS DE ALERTA

MEDITAÇÃO DO DIA

A Síndrome de Elias

Sou o único que sobrou, e agora também estão procurando matar-me. 1 Reis 19:14


Correr porque você está fazendo exercício é uma coisa. Correr quando você está com pressa é outra. Mas correr quando você está com medo é muito diferente. Com o restante da adrenalina que lhe tinha sobrado do Monte Carmelo, Elias pôs-se a correr para o mais longe possível, ao saber que a rainha Jezabel estava no seu encalço. Nessa maratona de fuga, correu tanto, até que se sentiu exausto, sem condições de dar um passo mais. No fim da corda. No fundo do poço.


Sentado ao pé de uma árvore, disse: “Senhor, chega. Não dá mais!” E continuou se lamentando: “Não sou melhor que os meus antepassados. Minha vida tem sido infrutífera. Se estou fazendo o melhor, por que as coisas não estão saindo como espero? Pensei que ia ter mais gente comigo. Na hora do ‘vamos ver’ só fiquei eu.”


Nessa situação, Deus foi ao encontro do profeta deprimido. Primeiro, Deus o atendeu fisicamente, fazendo-o dormir. Quando acordou, já tinha uma refeição pronta ao lado. Voltou a dormir. E depois veio a recomendação: “Alimente-se bem porque a caminhada vai ser longa.” E Deus disse: “Olha, não ficou só você, não! Há ainda outros 7 mil que foram fiéis como você.”


Quem ainda não passou por alguns dias de melancolia e depressão? Aqueles dias em que estamos sem pique, quando não nos importamos pelo que está anotado na agenda como urgente...


Podem ser fatos ocasionais ou uma sequência de coisas que levem a pessoa a se sentir deprimida. Ninguém deveria se sentir envergonhado por ser mencionado como alguém que está passando por depressão. Essas pessoas precisam ser escutadas e animadas. Às vezes, devem procurar um profissional, ou conversar com alguém em quem confiam, seja professor, pastor ou amigo.


Perguntaram a um grupo de jovens estudantes como eles enfrentam a depressão. Entre as fontes de ajuda, mencionaram: (a) estudo da Bíblia e oração; (b) conselho pastoral ou de um amigo; (c) orientação profissional.


Para aqueles que lutam contra a depressão, os três itens que esse mesmo grupo mencionou e que os ajudaram foram: (a) amigos; (b) escutar música; (c) receber conselho do pastor.


Se você está passando por um momento de desânimo, diga como o salmista: “Das profundezas clamo a Ti, Senhor; espero no Senhor com todo o meu ser, e na Sua palavra ponho a minha confiança” (Sl 130:1, 5).

Psicóloga cristã comenta decisão do STF que libera Marcha da Maconha


Psicóloga cristã comenta decisão do STF que libera Marcha da Maconha
O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou, na tarde desta quarta-feira (23), o entendimento de que os direitos constitucionais de reunião e de livre expressão do pensamento garantem a realização das chamadas “Marchas da Maconha”. A decisão foi tomada no julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4274. As marchas são eventos que reúnem manifestantes favoráveis à descriminalização da droga.

O primeiro entendimento sobre o tema foi definido no julgamento da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 187, realizado em junho deste ano. Na ocasião, os ministros decidiram que o artigo 287 do Código Penal deve ser interpretado conforme a Constituição de forma a não impedir manifestações públicas em defesa da legalização de drogas.

Na sessão desta quarta-feira, os ministros ratificaram a decisão, dando a mesma interpretação ao artigo 33 (parágrafo 2º) da Lei 11.343/2006, a chamada Lei de Tóxicos.

De acordo com a vice-procuradora geral da República, Deborah Duprat, foram ajuizadas duas ações porque a primeira – ADPF, contestava dispositivo do Código Penal, lei anterior à Constituição Federal de 1988, e a ADI contesta artigo da chamada Lei de Tóxicos, norma posterior à Carta Magna.

Para a psicóloga Marisa Lobo, que trabalha a 15 anos na área de prevenção e enfrentamento as drogas, é coordenadora nacional da campanha contra a legalização da Maconha e outras drogas e gestora da rede cristã de prevenção as drogas no Paraná,a legalização de marchas como essas é uma apologia ao crime. "Se a droga é ilegal, como podem aprovar tal marcha?Conheço a realidade das drogas de perto em todo Brasil, não só pela televisão. Entendo isso como, colocar uma nação em desgraça. Estão descumprindo uma lei, 11.3343.26 agosto de 2006. O STF está favorecendo o crime, indo contra a vida, contra a família, contra as relações afetivas, pois com isso incentivará e será responsável pelo aumento do uso" diz .


Fonte: Guia-me

Em crise, gravadoras tradicionais buscam mercado entre os evangélicos

Que a indústria fonográfica não anda nada bem, todo mundo sabe. A “novidade”, especialmente para quem não é evangélico, é a aposta das grandes gravadoras no meio gospel. Este é visto como o setor de bonança no meio da crise.

Um dos casos que ilustram tal situação é o da cantora Aline Barros que já ganhou disco de diamante, conquistado pelas mais de 360 mil cópias vendidas, em menos de dez meses, do álbum "Extraordinário Amor de Deus" (2011). Para as mega gravadoras, que disputaram acirradamente o contrato com Aline, esse “extraordinário” poder de vendas é o que lhes interessa.

A cantora, quatro vezes premiada no Grammy Latino, explica que o sucesso no meio secular se deve ao fato de as pessoas estarem carentes de Deus, precisando de salvação. "As pessoas estão buscando algo maior", afirma.

Porém, obviamente, para os gigantes da indústria fonográfica o propósito de investir na música evangélica é visando somente o lucro financeiro, não o espiritual. Esse foi um dos motivos pelos quais a cantora optou por permanecer em uma gravadora gospel.

Novo nicho

O diretor-geral da Som Livre, Marcelo Soares considera que "o público não religioso pouco gasta em suas crenças pessoais". Já o cristão, "além desses gastos", tende a gastar mais com cultura. Sem mencionar, que este público, pelo menos em sua maioria, não se “rende” à pirataria comprando sempre os álbuns originais.

O selo representa nomes como o da Ana Paula Valadão (7 milhões de CDs e DVDs vendidos). A ministra de louvor viu no convite a possibilidade de evangelizar e ganhar mais almas para Cristo. Por conta da parceria, “rádios seculares estão começando a tocar nossas canções. Os apresentadores sempre dizem que antes tinham preconceito", explica Ana Paula.

A Sony Music inaugurou, em 2010, um departamento especializado em gospel. Seu diretor, Maurício Soares, levanta o perfil desse consumidor. "O evangélico lê mais, cerca de sete livros por ano. E as rádios do segmento, na maioria, são líderes do tempo médio de audiência", ilustra. 

VIA GRITOS DE ALERTA
CPAD News com Folha.com