domingo, 14 de junho de 2015

Projeto da cristofobia deve ser votado com urgência

O projeto de lei do deputado Rogério Rosso (PSD-DF) que torna a cristofobia crime hediondo será colocada em votação de urgência pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
Um requerimento de urgência foi protocolado na quarta-feira (10)  pelo auto do projeto após a manifestação dos parlamentares das bancadas católica, evangélica e da família que protestaram contra a manifestação desrespeitosa realizada na Parada Gay.
Cunha avisou que se os líderes desejarem ele coloca o texto em votação. “Se tiver a urgência dos líderes, eu ponho para votar”, afirmou Cunha aos jornalistas. Com esse pedido a tramitação do texto seria acelerado.
O PL visa tornar crime hediondo o ultraje a cultos com pena de até oito anos de prisão para quem praticá-lo. O pedido tem base não apenas do que aconteceu na Parada Gay de São Paulo, mas também em outras manifestações onde cristãos e seus símbolos religiosos são vilipendiados. Com informações Terra

Músico do Rolling Stones trocou as drogas pela igreja


 
O rockeiro Keith Richards, guitarrista dos Rolling Stones, ficou conhecido pelo histórico de drogas, bebidas e noitadas.
 
Hoje, aos 71 anos, ele decidiu trocar o estilo de vida que levou durante décadas por uma rotina saudável e espiritualmente enriquecedora. O músico alega que “finalmente, esclareceu sua mente”.
 
“Agora, me exercito todos os dias e vou à igreja aos domingos", afirmou.
 
Richards reconhece que a mudança radical é fruto do apoio incondicional de sua esposa, Patti Hansen, com quem tem dois filhos.
 
 
Redação iGospel Informações Ofuxico e The Independent

Renovação apostólica é tema da Ceia de junho

Na Ceia de Oficiais realizada neste sábado (13), no Ginásio do Ibirapuera, o Apóstolo Estevam Hernandes ministrou sobre a “renovação apostólica”. Ele leu o texto de 2 Coríntios 2: 1 a 14; 4: 7 a 18.
 
 
“Nós vemos o apóstolo Paulo falando em dois contextos importantes. Em um deles, ele expôs sua condição pessoal, mas deixou claro que não queria que sua tristeza fizesse mal a eles. Esse cuidado de Paulo é um comportamento de um servo de Deus”, introduziu.  
 
“A despeito das dificuldades e sofrimentos, precisamos ter um espírito restaurado. Precisamos encontrar, assim como Paulo, esta fonte de renovação. Esta renovação que o fez caminhar mesmo em meio às dificuldades!”, explicou.
 
“Por que, muitas vezes, estamos cansados? Por que, muitas vezes, nossa caminhada com o Senhor está comprometida pelos nossos problemas? Isso ocorre, porque não tivemos a revelação dessa palavra”, afirmou após ler Isaías 40: 31.
 
Confira, a seguir, os principais trechos da ministração:
 
Existiram, na Bíblia, grandes servos de Deus que não buscaram este renovo. Muitos, atualmente, acabam trilhando o mesmo caminho: no começo, caminham bem, mas, depois de um tempo, acabam esfriando na fé.
 
Exemplos bíblicos de homens que não encontraram o caminho da renovação:
 
 1- Eli (1 Samuel 4: 12 a 18)
 
Eli era sacerdote, mas cedeu ao cansaço. Ele, obeso e já sem nenhuma disposição com Deus, fez com que três coisas horríveis acontecessem:
 
- As profecias deixaram de se manifestar;
- Transmitiu as mesmas malignidades para seus filhos;
- Perdeu sua herança.
 
2- Os 200 valentes de Davi (1 Samuel 30)
 
Eles estavam tomados por um espírito de desânimo. Não tinham forças nem para lutar pelas suas famílias. Davi, por outro lado, se reanimou no Senhor.
 
3- Elias (2 Reis 17)
 
O mesmo Elias que havia derrotado os profetas de Baal e teve experiências sobrenaturais com Deus, ficou intimidado por uma ameaça de Jezabel.
 
4- Os discípulos no Getsemani (Mateus 26: 38 a 41)
 
Esses homens caminharam com o Senhor, presenciaram milagres e sabiam que Jesus era o Messias. De repente, em um momento crucial na vida terrena de Cristo, eles dormem.
 
Eles cederam ao cansaço carnal e ao desespero de não ter mais Jesus por perto. Eles também cederam ao cansaço espiritual, que é a apostasia.
 
 
Será que estamos servindo a Deus como fazíamos no começo de nossa caminhada? Será que a espera pelo milagre nos deixou cansados, a ponto de não buscarmos mais o poder de Deus?
 
Quando estamos motivados, topamos qualquer desafio! Quando estamos desmotivados, encontramos defeitos em tudo. De repente, as vidas já não importam mais!
 
 A mente cauterizada nos torna juízes da obra de Deus!
 
Infelizmente, estamos vivendo dias difíceis aqui na terra. Dias em que as pessoas preferem ficar em seus smartphones jogando e mandando mensagens, do que buscar a Deus! Estamos esfriando, não estamos nos renovando (Lucas 18: 8)!
 
Não deixe o inimigo colocar esse cansaço no seu coração!
 
Deus está te convidado para você viver o poder da renovação. O diabo veio para nos roubar, matar e destruir, mas Jesus veio para que tivéssemos vida, e vida em abundância.
 
No livro de Salmos 103: 5, está escrito que a nossa mocidade se renovará como a da águia! A águia é um animal incrível! Elas vivem seus primeiros 40 anos cheias de vigor! Depois, elas se isolam durante cinco meses. Depois deste período, elas se renovam! Vivem até os 70 anos cheias de saúde e alçando grandes voos.
 
Exemplos bíblicos de homens que encontraram o caminho da renovação:
 
1- Calebe (Josué 14)
 
Calebe ficou 45 anos no deserto. Quando ele ficou sabendo que, para conquistar Hebrom, teria que enfrentar gigantes, logo se dispôs! Todos os dias, ele foi renovado, mesmo com idade avançada!
 
2- Daniel (Daniel 5)
 
Daniel passou por quatro reinos. Quando ele tinha aproximadamente 85 anos, foi chamado na presença do rei Belsazar para ter uma revelação. Mesmo depois de tanto tempo, ele estava pronto e disposto!
 
 
Quem serve a Deus tem futuro! Quem tem promessa não envelhece!
 
Manifestação da água
 
Paulo disse: “Eu não posso ficar triste”! Você não tem o direito de ser uma pessoa depressiva! Isso é incoerente e incompatível com sua fé. A tristeza dura uma noite, mas a alegria vem pelo amanhecer.
 
O nosso erro é colocar Deus no nosso nível! Nada pode estar acima ou na mesma posição que Cristo! Jesus está acima de tudo!
 
A renovação apostólica são aguas vivas no nosso interior (João 4: 14)! A água viva é aquela que sai direto da fonte, ou seja, sempre está jorrando! Na passagem de João, Jesus quis dizer que tem água viva nunca será contaminado, porque está em constante renovação!
 
As pessoas conhecem a manifestação do Espírito Santo somente pelo fogo! Mas também existe a manifestação pela água; são as águas curadoras e renovadoras (João 7: 37 a 39).
 
A igreja apostólica tem a manifestação do Espírito como fogo e como água!
 
Fogo: poder e autoridade para a realização de sinais, prodígios e maravilhas.
Água: renovação e saciedade para nos dar longevidade na nossa caminhada.
 
Hoje, será estabelecido um divisor de águas na sua vida!
 
 
Redação iGospel
Fotos: Karin Marcitello

REDE ENGODO DE TELEVISÃO - Nova novela da Globo irá falar sobre Jesus Cristo


O roteiro da novela será composto por cerca de 40 personagens, que vivem rodeados pela expectativa de Jesus Cristo voltar.

Seguindo a linha da concorrente Record, a TV Globo resolveu investir em uma novela com temática bíblica. "E Se Ele Voltar?", novo trabalho de Benedito Ruy Barbosa, é o título provisório, com toda chance de virar definitivo, do novo trabalho do para a TV Globo.

O roteiro da novela será composto por cerca de 40 personagens, que vivem rodeados pela expectativa de Jesus Cristo voltar. A sinopse foi entregue e já existem seis capítulos escritos.

"Dez Mandamentos" foi o grande acerto da Record, e Globo pôde sentir isso diante do fracasso de "Babilônia". A novela estreou em 23 de março e, até 24 de abril, teve média de 12,5 pontos no Ibope da Grande São Paulo, cidade que é referência para o mercado publicitário.

No Rio de Janeiro, a audiência foi ainda melhor: média de 13,5 pontos, um aumento de 116% no período. Mas o maior salto registrado foi em Curitiba, onde a audiência subiu 153%, passando de 4,5 para 11,3 pontos no Ibope. Na média, o crescimento foi de 83% no país.

Fonte: Guia-me

`New York Times´ aborda fenômeno de crianças pregadoras do Brasil


`New York Times´ aborda fenômeno de crianças pregadoras do Brasil
A revista do “New York Times'' publicou nesta semana uma longa reportagem multimídia sobre as crianças que fazem sermões em cultos nas igrejas evangélicas do Brasil.
Segundo a publicação, mesmo que não haja um número oficial de quantas crianças fazem este tipo de pregação, pode-se estimar que são milhares delas, algumas com até cinco anos de idade.
“A maioria vem de famílias pobres ou de classe média baixa, e quase todas estão afiliadas com Assembleias de Deus, uma denominação pentecostal que começou nos EUA em 1914 e que foi levada à América do Sul por missionários. Assembleias de Deus são atualmente o maior grupo pentecostal do Brasil'', diz a reportagem.
A força da religião no Brasil é um tema constantemente abordado por pesquisadores internacionais que estudam o país. A força do catolicismo e a ascensão recente dos evangélicos têm sido temas de grandes análises em algumas das principais universidades do mundo. A reportagem do “New York Times'' aborda o tema de forma interessante e apresenta ao público geral parte do fenômeno registrado no Brasil.
O jornal diz que o pentecostalismo tem sua maior força em bairros pobres do Brasil “onde os moradores muitas vezes são esquecidos pelo governo''. Segundo a reportagem, a “ênfase no sobrenatural'' ajudou a reforçar o apelo da crença no país.
As crianças pregadoras, segundo o texto, “preenchem um nicho especial. Elas encorporam o carisma e a presença de palco de velhos pregadores, mas filtrados pela inocência inerente das crianças'', diz. Elas se tornam ainda mais populares por conta do uso da internet e redes sociais para divulgar sua pregação.
A presença de crianças liderando cultos é um diferencial dessas assembleias, segundo a publicação, mas gera controvérsias e críticas de outras igrejas. 
Para conferir a íntegra da reportagem em inglês, clique aqui.

PERIGO - IDEOLOGIA DE GÊNERO, CONHEÇA SEUS PERIGOS E ALCANCES

Gênero, orientação sexual e identidade de gênero são palavras que você, certamente, já escutou onde esperaria encontrar o termo masculino e feminino. Mas cuidado, porque novos termos no linguajar social podem tentar esconder uma ideologia que visa desconstruir o modelo de família e sociedade como a conhecemos hoje.
“A ideologia de gênero é uma tentativa de afirmar para todas as pessoas que não existe uma identidade biológica em relação à sexualidade. Quer dizer que o sujeito, quando nasce, não é homem nem mulher, não possui um sexo masculino ou feminino definido, pois, segundo os ideólogos do gênero, isto é uma construção social”, diz o médico chileno, especialista em bioética, Dr. Christian Schnake.
Confira a primeira parte da reportagem
Por que uma ideologia?
Segundo estudiosos, o conceito de ‘gênero’ está sendo sugerido em muitos lugares como uma verdade científica, mas esconde uma teoria político-social, cujas raízes estão na filosofia marxista de luta de classes, na qual, segundo o filófo alemão Frederick Engels, na sua obra “A Origem da Família, da Propriedade e do Estado”, escrita em 1884, “O primeiro antagonismo de classes da história coincide com o desenvolvimento do antagonismo entre o homem e a mulher unidos em matrimônio monogâmico; e a primeira opressão de uma classe por outra, com a do sexo feminino pelo masculino”.
Na gênese da ideologia de gênero, está o movimento feminista radical dos anos 60 e 70, que, apoiado na filosofia marxista citada acima e nas ideias da filósofa francesa Simone de Beauvoir – a qual disse: “ninguém nasce mulher, mas sim torna-se mulher” -, chegou até as conferências da ONU (Organização das Nações Unidas) sobre a mulher no Cairo (1994) e em Pequim (1995).
Um documento da Conferência Episcopal Peruana (leia o documento) – talvez o mais completo realizado sobre este tema em termos eclesiais – revela que por trás desta ideologia está uma estrutura de desconstrução social. “Está claro, portanto, que a meta dos promotores da ‘perspectiva do gênero’, fortemente presente em Pequim, é o de atingir uma sociedade sem classes de sexo. Para isso, propõem desconstruir a linguagem, as relações familiares, a reprodução, a sexualidade, a educação, a religião, a cultura, entre outras coisas”, cita o documento.
Primeiro alvo: a família
O documento da Conferência Episcopal Peruana também chamou a atenção para algumas ideias de intelectuais feministas de grande prestígio em universidades americanas e inglesas. Uma delas, Alison Jagger, autora de vários livros sobre a perspectiva de gênero, vai dizer:
“A destruição da família biológica que Freud jamais vislumbrou permitirá a emergência de mulheres e homens novos. (…) a própria ‘instituição das relações sexuais’, em que o homem e a mulher desempenham um papel bem definido, desaparecerá.”
Para o médico Dr. Christian Schnake, já é possível ver os resultados desastrosos desta ideia de desconstrução da família. “Nós vemos, hoje, os jovens confusos no que se refere à sua identidade sexual, ou seja, usando a sexualidade de qualquer maneira, de forma utilitarista, sem contar o próprio conceito de ‘pai e de mãe’ que fica cada vez mais distante de ser um referencial para esta juventude”, diz o especialista.
Para o bispo auxiliar da arquidiocese de Aracaju (SE), Dom Henrique Soares, a equiparação das uniões homoafetivas à condição de família seria um desvirtuamento do que a Igreja considera como a base da sociedade. “Nada contra os homossexuais, nada contra as uniões estáveis deles, mas tudo contra ao fato de que isso seja considerado família e que venha, a partir daí, adoção de filhos e, assim, o conceito familiar seja tão dilatado”, afirma o bispo.
Confira a segunda parte da reportagem
O movimento gay
Um outro fenômeno que tem suas bases na ideologia de gênero é o movimento gay. Segundo o documento da Conferência Episcopal Peruana, várias cartilhas e panfletos circularam em Pequim, em 1995, com “alguns textos empregados pelas feministas do gênero, professoras de reconhecidos colégios e universidades dos Estados Unidos” dentre os quais diziam:
“Os homens e as mulheres não sentem atração por pessoas do sexo oposto por natureza, mas sim por um condicionamento da sociedade”, e “existem diversas formas de sexualidade – inclusive homossexuais, lesbianas, bissexuais, transexuais e travestis – que são equivalentes à heterossexualidade.”
Para padre Paulo Ricardo, é preciso diferenciar o movimento gay da pessoa homossexual. “Homossexual é uma pessoa que sente atração pela pessoa do mesmo sexo, o gay é alguém que adotou uma postura política, expressiva e militante” diz o sacerdote.
Homossexualidade e a moral cristã

“Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravações graves, a tradição sempre declarou que ‘os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados’. São contrários à lei natural. Fecham o ato sexual ao dom da vida. Não procedem de uma complementaridade afetiva e sexual verdadeira. Em caso algum podem ser aprovados” (CIC – 2357)
Vale lembrar que a Igreja faz uma distinção muito clara entre a tendência homossexual e os atos homossexuais. “A Igreja diz que uma pessoa homossexual pode ser santa se viver a castidade. Homofobia seria dizer ‘santidade é só para os héteros’, mas não, a espiritualidade cristã é inclusiva e chama todos a carregar a sua cruz”, diz padre Paulo Ricardo.
Resta claro que estamos diante de uma engrenagem que tenta mudar, a todo custo e de forma velada, a estrutura da sociedade como a conhecemos hoje. A pergunta que nós cristãos fazemos é: o que podemos esperar do futuro? Como será a educação dos nossos filhos? Como resistir a mais uma ideologia que quer minar a moral cristã? Talvez não tenhamos as repostas agora, mas recordamos a palavra de Bento XVI quando ainda era professor universitário em 1968: “O futuro da Igreja, também nesta ocasião, como sempre, ficará marcado de novo com o selo dos santos”.

http://destrave.cancaonova.com/ideologia-de-genero-seus-perigos-e-alcances/

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...