domingo, 30 de setembro de 2018

MENSAGENS PARA A GERAÇÃO DOS ÚLTIMOS DIAS


=================================================
SERÁ QUE NUNCA SÃO SUFICIENTES OS PROTESTOS CONTRA OS PREGADORES DA TEOLOGIA DA PROSPERIDADE NO BRASIL?
POR QUE O PASTOR SILAS MALAFAIA E SUA CAMBADA NÃO VÃO PREGAR O EVANGELHO DA PROSPERIDADE NO HAITI PRA VER SE AQUELE POVO SOFRIDO CONSIGA PELO MENOS O ALIMENTO PARA SOBREVIVER???
E AINDA APARECEM CRENTES CEGOS ESPIRITUALMENTE DEFENDENDO MALAFAIA, RR.SOARES, RENÊ TERRA NOVA, EDIR MACEDO, BISPA SÔNIA E ESTÊVAN HERNANDES, ENTRE OUTROS. ESSES SÃO VERDADEIROS LOBOS DEVORADORES.
=================================================
No Haiti, pessoas famintas alimentam-se de “biscoitos de barro”. Preparados com argila, banha, água e sal, são feitos grandes traços de barro no chão com água suja e coada sobre panos velhos. A massa então, é espalhada e os biscoitos confeccionados sob o sol de 50 graus. Em pouco mais de uma hora, os biscoitos já estão prontos para serem vendidos.
O resultado é um bocado de lama no estômago intercalado com goles d’água. A geofagia (hábito de comer terra), resulta em cada vez mais o aumento de cirurgias gástricas nos haitianos, devido aos blocos sólidos concentrados em seu interior, seguidos de cólicas e dificuldades em evacuar.
*******
*******
*********

********
********
********
*******
=================================================
No programa “DOMINGÃO DO FAUSTÃO” o cantor MV Bill, cantor de rap brasileiro, nascido em Cidade de Deus, Rio de Janeiro, deu um depoimento sobre a situação horrenda em que vivem os famintos haitianos, esquecidos pelos cristãos e pelas nações desenvolvidas.
O MV Bill em um depoimento chocante, acompanhado de cenas sobre sua estada no HAITI, conta suas experiências vividas naquele país em eterna guerra civil. No Faustão, aquele cantor apresentou cenas horrendas, destacando-se aquelas em que a população haitiana, para minorar a fome que mata diariamente por inanição muitos habitantes, produz um biscoito feito de barro, água e manteiga, conhecido como “Té”. Naturalmente o “biscoito” não alimenta os seres humanos daquele país, mas a receita serve para enganar a fome. Mães mergulhadas no mais profundo desespero misturam o barro à água e à manteiga e o mais horripilante da cena é que as pobres e abandonadas haitianas ainda dão uma forma de biscoitos às “bolachas”, ficando parecidas com pequenas panquecas.
Confesso que desde que assistimos àquelas cenas degradantes, não conseguimos mais conciliar o equilíbrio interior. Foram situações que nos deixaram inertes, impotentes, procurando uma explicação e uma ação em que pudéssemos contribuir para mitigar o sofrimento daquele povo e, sinceramente, a não ser escrever e esperar sermos lidos para que um número geometricamente maior de pessoas possa se importar com a sorte dos nossos irmãos, nós não soubemos mais o que fazer.
Neste momento, tomamos a liberdade de apresentar, com humildade, o nosso entendimento de que ainda não estamos preparados para a “libertação terrena”, na medida em que podemos e devemos continuar o nosso caminho, procurando na medida do humanamente possível, ajudarmos ao próximo.
(ESSE DEPOIMENTO NÃO SERVE APENAS PARA ENGOLIR SALIVA SEM QUERER. SERVE PARA QUE OS QUE SE SE DIZEM CRENTES OU CRISTÃO SE LEVANTEM DO COMODISMO E DÊEM UM BRADO BEM FORTE, DIZENDO AOS PREGADORES DA TEOLOGIA DA PROSPERIDADE: “CHEGA! BASTA! JÁ ESTAMOS FARTOS DE OUVIR FALÁCIA E HERESIAS E DE SERMOS ROUBADOS, ENGANADOS E LUDIBRIADOS TODOS OS DIAS! VAMOS CONCLAMAR OS CRENTES, VAMOS SAIR NAS RUAS, VAMOS PROTESTAR, LEVANTAR BANDEIRA, LEVANTAR CARTAZES, LEVANTAR A BÍBLIA E EXPULSAR OS MARQUETEIROS, OS LADRÕES E SALTEADORES DA CASA DE DEUS! E VAMOS AGIR O MAIS DEPRESSA POSSÍVEL PARA ARRECADAR DONATIVOS PARA ENVIAR AO POVO HAITIANO E A OUTROS POVOS. AO INVÉS DE PEDIR CARRO E MANSÃO DE DEUS, VAMOS VENDER O CARRO DO ANO E REPATIR O DINHEIRO ENTRE OS POBRES” – LEMBREM-SE QUE OS CRISTÃOS PRIMITIVOS FIZERAM ASSIM; JESUS TAMBÉM DISSE: VAI, VENDE TUDO O QUE TENS, REPARTE AOS POBRES, DEPOIS, VEM E SEGUE-ME).
========================================
BISCOITO DE BARRO “ENGANA” A FOME DOS HAITIANOS
O símbolo da miséria no Haiti é um biscoito feito de barro, água e manteiga. Batizado de “Té”, a receita serve para tapear a fome. Mulheres desesperadas coletam restos de construção e misturam com água e manteiga em tinas de plástico e metal velhas e sujas. Quando não há manteiga, elas usam apenas água. Raras vezes põem sal, produto de luxo.
A massa encardida, da cor de argila, é espalhada em tablados de madeira ou metal e ganha a forma de biscoitos, parecidos com pequenas panquecas. As mulheres usam colheres para espalhar centenas desses biscoitos pelo chão para que sequem ao sol. Por causa da água, eles incham e depois endurecem.
Crianças comem o biscoito de barro ao longo do dia para, segundo Marie Timouche, 33 anos, ‘espantar a fome’. Ela diz que também vende um pouco da produção para outros moradores. “Dá até para ganhar um pouco de dinheiro”, diz ela, que é mãe de quatro crianças pequenas. Quando a família não recebe doações, o “Té” é a única refeição do dia.
O valeparaibano flagrou a produção do biscoito de barro em Cité Gerard, zona da grande Cité Soleil, a maior e mais violenta favela do Haiti. Lá vivem perto de 400 mil pessoas, 90% delas sem emprego formal e lutando diariamente para fugir da fome.
“Mange, mange, bon bagai”, dizem os haitianos ao recepcionar brasileiros nas ruas de Cité Soleil. Em creole, língua oficial do Haiti, a frase é quase um pedido desesperado: “Comida, comida, sangue bom”. Por causa do relacionamento de cinco anos com as tropas militares do Brasil, “bom bagai” (sangue bom) é o apelido que os brasileiros ganharam dos haitianos.
O futuro do Haiti está atrelado à luta contra a fome “mangu” em creole. “Mangu, mangu”, dizem as crianças pelas ruas, passando as mãos secas e enrugadas pela barriga inchada.
Todo o resto gravita em torno do combate à desnutrição crônica que afeta a população, em especial as crianças. “Sem elas, o que será do futuro do país?”, pergunta o médico Antonio Cyrise, que atende mulheres pobres no Centro de Saúde e Nutrição Rosalie Rendu, em Cité Soleil, administrado por religiosas brasileiras. No país, a mortalidade infantil chega a atingir 60% das crianças menores de cinco anos.
Na “Cozinha do Inferno”, como os brasileiros chamam a feira popular em Cité Soleil que atende 200 mil pessoas por dia, em meio à sujeira absoluta, Leanie Point Du Jour, 48 anos, luta contra a miséria vendendo pratos de ensopado com batata, inhame, banana e carne de boi. Cada refeição custa 5 gourdes, equivalente a R$ 0,24. “Vendo a panela toda”, comemora Leanie, mas reclamando que o dinheiro é insuficiente para sustentar a família.
Qualquer imagem de um país miserável fictício perderia para a realidade haitiana.

Eleições 2018: Voto evangélico pode decidir próximo presidente do Brasil

Culto pentecostalEspera-se que os eleitores evangélicos desempenhem um papel decisivo nas eleições presidenciais do Brasil no dia 7 de outubro, visto que novas regras proibiram as corporações de fazerem contribuições diretas depois dos escândalos de corrupção.
Com o crescimento de seus números e influência, e a “bancada evangélica” no Congresso representando 15% dos legisladores federais, os apoiadores evangélicos se tornaram o foco dos principais candidatos de acordo com o Longview News-Journal.
Um dos líderes das pesquisas eleitorais foi fotografado chorando em um culto numa igreja, enquanto outro prometeu manter a proibição do aborto no país.
“O voto evangélico é muito orgânico, no sentido de que os pastores e bispos têm uma relação com os seguidores que influencia como eles votam”, disse o autor Antonio Lavareda segundo relatos.
“É o oposto da Igreja Católica, onde, apesar de ter mais fiéis, os padres têm menos influência direta”, acrescentou Lavareda, que escreveu extensamente sobre a política brasileira.
O Brasil tem o maior número de católicos do mundo – 123 milhões de acordo com o censo de 2010 – enquanto que os evangélicos agora somam 42 milhões, ou 20% da população.
No entanto, eles ajudaram a derrubar a ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016, por manobrar ilegalmente o orçamento federal e são amplamente considerados responsáveis pela eleição de Marcelo Crivella, bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, como prefeito do Rio de Janeiro naquele ano.
O fundador da Universal, igreja de Crivella, Edir Macedo, também é proprietário de uma das maiores emissoras do Brasil, dando uma ideia de sua forte influência na mídia.
Enquanto isso, o pastor Silas Malafaia disse recentemente à Associated Press que ajudou a eleger 25 deputados e cinco senadores, apoiado pelas mais de 50 igrejas sob sua jurisdição.
“Eu ajudo os candidatos a serem eleitos emprestando-lhes minha imagem e palavras”, disse ele, acrescentando que este ano está apoiando o congressista de extrema-direita e ex-capitão do Exército Jair Bolsonaro.
“No Brasil, precisamos de um machão como ele… para defender todos os valores e princípios da família católica”, disse ele.


JDB   /   ND

Doação de órgãos cresce 7%, mas 41 mil ainda aguardam por transplante

Doação de órgãos cresce 7%, mas 41 mil ainda aguardam por transplanteAtualmente, 41.266 pessoas aguardam por um transplante de órgão no país. A informação foi divulgada pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira (27), Dia Nacional de Incentivo à Doação de Órgãos.
O número é inferior ao do ano passado, segundo a pasta, quando havia 44 mil pacientes na espera.
Por outro lado, o governo informou que o número de doadores de órgãos no Brasil subiu 7% em relação ao ano passado, de 1.653 para 1.765.
Com esse aumento, estima-se que o país atingirá, até o final deste ano, recorde de transplantes de fígado (2.222), pulmão (130) e coração (382), segundo a pasta. Já o transplante de medula óssea deve alcançar o maior número na série histórica (2.684).
Ainda, segundo expectativa do governo, o Brasil deve fechar o ano com a taxa de 17 doadores efetivos por 1 milhão da população (PMP), ultrapassando a meta do Plano Plurianual do Ministério da Saúde, que prevê o alcance de 15 doadores efetivos.
Doadores efetivos são os realizaram cirurgia para a retirada de órgãos com a finalidade de transplante.
Em números absolutos, o país deve contar com 3.530 doadores efetivos, "batendo recorde da série histórica dos últimos cinco anos", de acordo com o Ministério.
Em relação às doações por Estado, a Região Norte demonstrou aumento de doações e captações de órgãos. Em Roraima houve três doações efetivas e, no Tocantins, uma, Estados que até então não apresentavam nenhum registro de doação.
Para o Ministério, isso demonstra uma maior conscientização da população. O órgão afirmou, por meio de nota, que houve um aumento dos consentimentos familiares para a doação de órgãos.
Previsão é de 26 mil transplantes, metade dos pacientes
Neste ano, estão previstos 26.400 transplantes no país. Deste total, 8.690 serão órgãos sólidos (coração, fígado, pâncreas, pulmão, rim e pâncreas rim), registrando recorde em comparação aos últimos oito anos, segundo o governo.
Já na projeção para todo o ano de 2018, os transplantes de córnea apontam redução. O Ministério afirma que isso é reflexo da redução da lista de espera em alguns Estados, como Amazonas, Ceará, Goiás, Pernambuco e Paraná.
“Esses Estados apresentaram desempenho considerado médio de transplantes de córnea, superior ao da média de pacientes na lista de espera, nos últimos três meses, e, portanto, são considerados na situação de lista zerada”, informou o Ministério.
A pasta ressaltou que as companhias aéreas comerciais são parceiras no traslado de órgãos no país, além da Força Aérea Brasileira (FAB).
As companhias de aviação civil transportaram nos últimos dois anos, 9.236 órgãos sólidos (coração, fígado, pâncreas, rim e pulmão) e tecidos.
No mesmo período – entre junho de 2016 a junho de 2018 – a FAB transportou 513 órgãos sólidos (coração, fígado, pâncreas, rim e pulmão) e tecidos.
Houve aumento de 6% dos itens transportados se comparados o primeiro semestre deste ano com o do ano passado, de 2.327 para 2.474.

A integrante do grupo Fat Family, Deise Cipriano precisou voltar para a UTI do Instituto do Câncer de São Paulo (ICESP), para continuar o seu tratamento contra a doença.



Deise está internada no hospital desde o mês passado e segundo a produtora do grupo, Suh Souza, o retorno da cantora à Unidade de Terapia Intensiva se fez necessária, devido ao câncer ter atingido seu fígado.
Após a primeira sessão de quimioterapia, a imunidade de Deise baixou e ela foi medicada para repor as necessidades do seu corpo. Agora está sendo observada com mais atenção. Apesar do momento difícil, a família de Deise segue confiante na cura da cantora. As visitas ainda permanecem restritas, explicou a produtora.
Em entrevista recente para a revista QUEM, uma das irmãs de Deise, Simone Cipriano disse que a filha da cantora, Talita Cipriano — que chegou a participar da última edição do The Voice Kids — está dando muito apoio à mãe neste momento.
Simone também contou que a filha fez um pedido especial à família sobre a situação de Deise.
Cantora do Fat Family, Deise Cipriano luta contra o câncer
"Antes mesmo de o cabelo da Deise começar a cair por causa da quimioterapia, a Talita pediu para a gente cortar nosso cabelo bem curtinho para dar apoio à mãe dela. Então todas nós: Suzete, Sueli e Kátia, além do meu irmão, minha mãe e meu pai cortamos o cabelo curtinho. A Talita foi a primeira a cortar. Quando a Deise viu, ficou superemocionada", destacou.
A família segue ainda confiante na vitória de Deise contra o câncer, porque o pai dos irmãos que integram o grupo, sr. Célio, já venceu um câncer de estômago há 20 anos.
"Ver meu pai firme e forte hoje dá muita força para ela. Ela tem um exemplo de fé em casa. E já está até fazendo planos de shows com a Talita para quando melhorar", contou Simone.
Em seu Instagram, a filha Talita postou uma imagem da mãe no hospital e disse: "Te amo mamãe. #forçadeise. Carinho melhor não tem. Deus está conosco"

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Milhares de cristãos vão a Jerusalém para celebrar a Festa dos Tabernáculos


Festa bíblica de Sucot tem duração de uma semana e está reunindo mais de 5 mil cristãos de quase 100 países


Milhares de cristãos vão a Jerusalém para celebrar a Festa dos Tabernáculos
Israel está celebrando a festa bíblica de Sucot, também conhecida como Festa dos Tabernáculos, com a participação de milhares de cristãos de todo o mundo. A celebração teve início no último domingo (23) e tem a duração de uma semana, se encerrando no próximo domingo (30).
Sucot relembra os 40 anos de êxodo dos hebreus no deserto após a sua saída do Egito, a gratidão a Deus pelas colheitas da estação e o retorno do Messias. Para os cristãos, a Festa dos Tabernáculos é a de maior significado profético.
Este ano, mais de 5 mil cristãos de quase 100 países estão reunidos em Jerusalém para celebrar a festa bíblica através de uma iniciativa da Embaixada Cristã Internacional de Jerusalém (ICEJ, na sigla em inglês).
“Eles estão seguindo o convite de Zacarias 14, que predisse que todas as nações viriam celebrar esta festa bíblica em Jerusalém, para adorar o Senhor e guardar a Festa dos Tabernáculos. Nós estamos fazendo uma declaração de fé de que está chegando o dia em que o Messias virá governar aqui”, disse David Parsons, vice-presidente do ICEJ, à CBN News.
A Festa dos Tabernáculos tem um significado profético sobre a vinda do Messias, conforme a profecia de Zacarias 14:16-21 citada por Parsons, que diz: “Todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém, subirão de ano em ano, para adorar o Rei, o Senhor dos Exércitos, e para celebrar a Festa dos Tabernáculos”.
Além disso, a Festa dos Tabernáculos fala sobre a alegria do Messias tabernaculando em nosso meio, conforme dito em João 1:14: “O Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade”. A palavra “habitou” no grego é “Skeneseii” e significa “tabernaculou”.
Parsons observa que os israelenses têm muitos motivos para celebrarem a Deus. “Israel agora tem 70 anos como um Estado renascido e há muito para comemorar. A nação superou muitas guerras, ataques terroristas, foguetes, boicotes econômicos e outras tentativas de ser estrangulada”, declarou.
Retorno de Jesus
Em entrevista , o rabino messiânico Mário Moreno disse que a festa de Sucot é o ponto máximo do calendário judaico e tem grande relação com o retorno de Jesus Cristo. “Está profetizado que o Messias voltaria em uma festa de Sucot, e em um ano de Shemitah. A gente sabe que a festa de Sucot, para nós, reafirma o momento do retorno do Messias”, explicou.
Moreno também explica que, segundo a tradição judaica, Jesus nasceu durante a Festa dos Tabernáculos. "A pista disso está no livro de João, onde é afirmado que ‘a palavra se fez carne e tabernaculou’”, disse. “A celebração está ligada com o nascimento do Messias, onde podemos expressar a Ele toda a gratidão pelo tempo de colheita que tivemos durante o ano”.
O rabino também acredita que o arrebatamento acontecerá durante o período do Sucot. “As Escrituras dizem que no fim dos tempos, os anjos viriam para recolher o trigo e colocar no celeiro do Eterno. O trigo são os justos. Você só recolhe o trigo quando a colheita termina. Então, por inferência, a gente crê que o arrebatamento vai acontecer em uma Festa dos Tabernáculos”, indicou.


http://www.cpadnews.com.br/universo-cristao/45731/milhares-de-cristaos-vao-a-jerusalem-para-celebrar-a-festa-dos-tabernaculos.html

Brasil aumenta doação de órgãos e bate recorde em transplantes



Entre janeiro e junho deste ano, foram 1.765 doadores efetivos, crescimento de 7% em relação ao mesmo período de 2017. Este aumento impacta em crescimento nos transplantes de fígado, pulmão e coração, além de medula óssea  
O Ministério da Saúde divulgou nesta quinta-feira (27), Dia Nacional de Incentivo à Doperíodo de 2017. Também foi lançada a Campanha Nacional de Incentivo à Doação, que este ano traz o slogan “Espalhe amor. Doe Órgãos”. O balanço do período aponta crescimento de 7% no número de doadores efetivos de órgãos, passando de 1.653 para 1.765.
O ministro da Saúde interino, Adeílson Cavalcante, ressaltou a capilaridade do Sistema Único de Saúde (SUS), que atende os 5.570 municípios, com mais 43 mil unidades de saúde e cerca de 1.100 equipes transplantadoras no país. “A união entre governo federal, iniciativa privada, estados e municípios transforma o SUS, a Política Nacional de Transplante, em exemplos de eficácia, eficiência e de retorno à população brasileira. Essa parceria mostra que quando a gente tem prioridade de governo, temos um SUS solidário e eficiente", destacou Adeílson Cavalcante.
Realizando projeção do número de transplantes com base no primeiro semestre deste ano, o aumento na doação de órgãos permitirá alcançar recorde nos transplantes de fígado (2.222), pulmão (130) e coração (382) até o final de 2018. Ainda segundo a projeção, os transplantes de medula óssea também alcançarão seu maior número na série histórica (2.684).

Com o aumento no número de doadores efetivos, ou seja, aqueles que iniciaram a cirurgia para a retirada de órgãos com a finalidade de transplante, o Brasil deve fechar 2018 com taxa de 17 doadores efetivos por milhão da população (PMP), ultrapassando a meta do Plano Plurianual do Ministério da Saúde, que prevê o alcance de 15 doadores efetivos PMP para este ano. Em números absolutos, o país deve contar com 3.530 doadores efetivos, batendo recorde da série histórica dos últimos cinco anos.
Itens relacionados
Ao analisar os dados de doação por estado, em números absolutos, a Região Norte demonstrou reforço nas doações e captações de órgãos, nos estados de Roraima (3 doações efetivas) e Tocantins (1 doação efetiva), que, até então, não apresentavam nenhum registro.
Estes resultados reforçam a importância da União, estados e municípios de investirem cada vez mais em ações de conscientização da população, com destaque aos familiares e profissionais de saúde, sobre a importância da doação de órgãos para a realização dos transplantes, salvando mais vidas. Nos últimos anos, o Ministério da Saúde observou um aumento dos consentimentos familiares para a doação de órgãos, fruto de uma maior consciência da sociedade sobre a importância da doação de órgãos e tecidos para transplante. Atualmente 41.266 pacientes aguardam por um transplante, número menor que em 2017, quando havia 44 mil pacientes na espera.
Ao apresentar os dados de balanço de transplantes, a coordenadora do Sistema Nacional de Transplantes, Daniela Salomão, falou sobre a importância da conscientização da população sobre a importância de dizer “sim” à doação. "Com o esforço coletivo será possível atender cada vez mais brasileiros e fazer mais transplantes”, disse Daniela. A coordenadora também fez um agradecimento à Força Aérea Brasileira (FAB) e as companhias aéreas comerciais pela parceria no transporte e na logística dos órgãos doados e captados. "Quero agradecer a todos os parceiros e à FAB, que a partir do decreto presidencial, favoreceu muito no aumento de transplantes no país, principalmente os de coração e pulmão", ressaltou.
Durante coletiva de imprensa para anúncio do balanço de transplantes, o secretário de Atenção à Saúde, Francisco Figueiredo, reforçou a importância da participação de todos os atores no transplantes, tanto estados, como municípios e colaboradores do SUS. "Eu gostaria de agradecer todos os colaboradores, pois sem a participação de todos não seria possível alcançar esses números", ressaltou.
O Ministério da Saúde repassa recursos para estados e municípios utilizarem na qualificação dos profissionais de saúde envolvidos nos processos de doação de órgãos e tecidos. O orçamento federal para essa área mais que dobrou em 10 anos, passando de R$ 453,3 milhões para R$ 1,036 bilhão. A pasta também vai ofertar 74 oficinas de capacitação de 4 mil médicos, até 2020, em atendimento à nova resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) para o diagnóstico da morte encefálica. O projeto piloto já foi aplicado em São Paulo e em breve estará disponível para todos os estados. A maioria dos estados já está realizando capacitações de seus profissionais.

TRANSPLANTES 

Em 2018, o país deve realizar 26.400 transplantes. Desse total, 8.690 serão órgãos sólidos (coração, fígado, pâncreas, pulmão, rim e pâncreas rim), registrando recorde em comparação aos últimos oito anos. Na projeção para todo o ano de 2018, os transplantes de córnea, no entanto, apontam redução. Esse é reflexo da redução da lista de espera em alguns estados. Por exemplo, Amazonas, Ceará, Goiás, Pernambuco e Paraná tiveram desempenho médio de transplantes de córnea, superior ao da média de pacientes na lista de espera, nos últimos três meses, e, portanto, são considerados na situação de lista zerada.
As companhias aéreas comerciais são grandes parceiras nessa conquista e também a Força Aérea Brasileira (FAB). As companhias de aviação civil transportaram, entre junho de 2016 até junho deste ano, a partir do termo de cooperação firmado com o Ministério da Saúde, 9.236 órgãos sólidos (coração, fígado, pâncreas, rim e pulmão) e tecidos. Em relação ao primeiro semestre deste ano, houve crescimento de 6% em comparação ao primeiro semestre de 2017, passando de 2.327 itens transportados, entre órgãos, tecidos e equipes para 2.474. Já a FAB transportou entre junho de 2016, quando saiu o decreto presidencial (nº 8.783 de junho de 2016), até junho deste ano, 513 órgãos sólidos (coração, fígado, pâncreas, rim e pulmão) e tecidos.
A coordenadora de Transplantes, Daniela Salomão, falou sobre a importância de dizer "sim" à doação de órgãos entre as famílias."Com o esforço coletivo será possível atender cada vez mais brasileiros e fazer mais transplantes". Daniela também fez um agradecimento à FAB. " Esse decreto presidencial que colocou um avião da FAB à disposição para transporte favoreceu muito o aumento de transplantes principalmente de coração e pulmão", ressaltou.

CAMPANHA

A campanha do Ministério da Saúde de incentivo à doação de órgãos deste ano traz o slogan “Espalhe Amor. Doe Órgãos”. O objetivo é mostrar a importância de se falar mais sobre doação para manter o tema em evidência na sociedade. A campanha entra no ar nesta quinta-feira (27) será veiculada em TV, rádio, revista, outdoor e mobiliário urbano, além de internet e rede sociais/influenciadores digitais. A trilha sonora traz a interpretação da cantora Kell Smith, que também deu voz à campanha de 2017.

Confira a nossa entrevista ping-pong com a cantora Kell Smith!

Espalhe amor. Doe órgãos. Conheça a campanha de Doação de Órgãos de 2018!

Seguindo a tendência de experiências de arte pública internacional, este ano o Ministério da Saúde também irá realizar a ação Donate Parade. No dia 30/09 (domingo), dez artistas plásticos irão personalizar esculturas de até 2 metros de altura, em forma de coração, pulmão, olhos e rins. A ação acontecerá ao vivo no Parque do Ibirapuera em São Paulo-SP e também no Parque da Cidade, em Brasília-DF. Posteriormente, as esculturas de órgãos gigantes serão instaladas nas principais vias das duas capitais.
Nesta quinta-feira, também será promovida ação especial na página do Ministério da Saúde no Facebook, em que os internautas poderão transformar suas fotos de família em animações e ajudar a promover a doação de órgãos.
O Brasil possui o maior programa público de transplante de órgãos, tecidos e células do mundo, que é garantido a toda a população por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Cerca de 96% dos transplantes de órgãos são realizados na saúde pública. O Sistema Nacional de Transplantes é formado pelas 27 Centrais Estaduais de Transplantes; 13 Câmaras Técnicas Nacionais; 504 estabelecimentos e 851 serviços habilitados; 1.157 equipes de transplantes; 574 Comissões Intra-hospitalares de Doações e Transplantes; e 72 Organizações de Procura de Órgãos (OPOs).
O ministro da Saúde interino, Adeílson Cavalcante, também presente à coletiva ressaltou a importância de comunicar os programas eficientes do SUS, como o Sistema Nacional de Transplantes. "A união da iniciativa privada com os estados e municípios mostra que quando a gente tem prioridade de governo, temos um SUS solidário e eficiente".

PRÊMIOS 

Durante a cerimônia de lançamento da campanha, o Ministério da Saúde entregou o Prêmio Anual “Destaque na Promoção da Doação de Órgãos e Tecidos”. O prêmio é entregue a uma instituição (pessoa jurídica) - que se destacou na promoção da doação de órgãos durante o último ano - e a uma pessoa (pessoa física) que se destacou no desenvolvimento de atividades de incentivo à doação. Neste ano, a pessoa física agraciada é o médico Glauco Westphal, que atua na área de medicina intensiva e doação de órgãos para transplantes, sendo atualmente coordenador do Programa de Residência em Medicina Intensiva do Hospital Municipal São José em Joinville-SC. A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) recebeu o reconhecimento como pessoa jurídica. A empresa administra grande parte dos hospitais universitários, unidades que atuam na realização de procedimentos relacionados ao transplante.
Também foram homenageados por reconhecimento ao trabalho desenvolvido em doação: a Associação Brasileira de Empresas Aéreas (ABEAR), a Força Aérea Brasileira (FAB), o Corpo de Bombeiros Militar e a Academia Brasileira de Neurologia. A cerimônia também contou com o depoimento de uma família que disse “sim” à doação; um publicitário transplantado que realizou três transplantes pelo SUS; e uma criança transplantada de coração pelo primeiro voo da FAB após a publicação do decreto presidencial; além do depoimento por vídeo da mãe da Youtuber Isabelly do canal Isa Top Show, que foi assassinada no Paraná.

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Evangélicos e católicos se unem em manifestação contra o aborto em Curitiba

Idealizada por líderes católicos e evangélicos, a manifestação reuniu milhares em frente à sede do governo do Paraná


Evangélicos e católicos se unem em manifestação contra o aborto em Curitiba
Mesmo sob forte chuva, uma manifestação contra a legalização do aborto uniu evangélicos e católicos na tarde de sábado (15) em Curitiba, em frente à sede do governo do Paraná.
A “Manifestação pela Vida” foi idealizada pela liderança das Igrejas Católicas e Evangélicas de Curitiba para mandar uma mensagem aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que discutem a descriminalização do aborto até a 12ª semana.
“Onze pessoas não eleitas pelo povo não podem decidir pela vida ou morte das crianças em gestação, sem passar o projeto de lei pelo poder legislativo”, disse na ocasião o bispo Robson Rodovalho, presidente da Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra.
Segurando cartazes e faixas, os manifestantes lembraram que a maior parte da população brasileira é contra o aborto e defende a vida desde a concepção.
O evento contou com momentos de música e discurso de lideranças religiosas. O testemunho de uma jovem mãe que desistiu de um aborto e estava ali presente com o filho emocionou o público presente.
A manifestação acontece pouco mais de um mês depois de um projeto de lei pró-aborto ter sido derrubado no Senado da Argentina após pressão popular. O sucesso do movimento pró-vida argentino tem inspirado manifestações em outros países da América do Sul.
Segundo o bispo Cirino Ferro, do Conselho de Ministros Evangélicos do Paraná, Curitiba é uma das primeiras cidades a realizar uma manifestação como esta. A ideia é que o movimento seja replicado em outras capitais.
Pouco antes do fim da manifestação, o Arcebispo da Igreja Católica de Curitiba, Dom José Antônio Peruzzo, levou o microfone ao aparelho que ampliou o som do útero de uma mulher grávida, fazendo-se ouvir o som do coração do embrião.
Aborto no Brasil
No Brasil, o aborto é permitido somente nos casos de anencefalia do feto, gravidez resultante de estupro e quando a gestação representa um risco para a vida da mulher, nos termos do Código Penal.
Nos dias 3 e 6 de agosto, o STF promoveu uma audiência pública para discutir a descriminalização do aborto até a 12ª semana. A relatora da ação, ministra Rosa Weber, disse que a decisão passa por um período de amadurecimento e não deu prazos para o julgamento.
APDF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) de descriminalização do aborto foi apresentada no dia 8 de março de 2017 pelo PSOL em conjunto com o Instituto Anis.

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Papa acolhe pedido de renúncia de bispo brasileiro acusado de desviar mais de R$ 2 milhões

Papa Francisco pensativoO Papa Francisco aceitou a renúncia de um bispo brasileiro que é réu por lavagem de dinheiro, associação criminosa, falsidade ideológica e apropriação indébita.
José Ronaldo Ribeiro, o Dom José, é acusado de desviar mais de R$ 2 milhões em dízimos da Diocese de Formosa, em Goiás. O Vaticano publicou a nota divulgando que o Pontífice havia aceitado a renúncia do governo pastoral da diocese de Formosa.
A Confederação Nacional dos Bispos também divulgou que o pedido de renúncia foi aceito pelo Papa.
Diante do ocorrido, o Vaticano nomeou um administrador apostólico para comandar a diocese: o arcebispo metropolitano de Uberaba, Paulo Mendes Peixoto. Ele já havia sido nomeado interventor, depois que o bispo foi preso em março, na Operação Caifás.
Em março, o juiz da segunda Vara Criminal da cidade aceitou a denúncia contra Dom José e outros dez réus, entre eles padres, envolvidos no desvio do dinheiro doado por fiéis.
Com o dinheiro, eles compraram uma fazenda de gado e uma casa lotérica, além de itens de luxo. Nesta semana ocorreu a primeira audiência de instrução do julgamento dos religiosos.
Fonte: Jovem Pan

Emirados Árabes Unidos é o país mais aberto à fé cristã do Oriente Médio

Emirados Árabes UnidosPara os cristãos estrangeiros, os Emirados Árabes Unidos são um “oásis de liberdade” comparado a outros países no Oriente Médio, diz um membro de uma igreja de Dubai.
Mack Stiles é parte da Igreja Cristã Unida de Dubai, que nos últimos oito anos cresceu de uma para três unidades, sendo a última construída em terreno dado pelo governo no emirado de Ras al-Khaimah.
“Os prédios das igrejas nessa parte do mundo são absolutamente importantes. Ter uma significa que você tem o selo de aprovação dos governantes”, explica o pastor da igreja dos americanos, John Folmar.
Acredita-se que os Emirados Árabes Unidos têm o maior número de igrejas registradas em toda Península Arábica.
Quando a igreja tem um prédio, ela oferece uma opção para aqueles com perguntas sobre o cristianismo.
Muitos não podem falar sobre isso em seu próprio país, onde o proselitismo é proibido e a conversão do islamismo para o cristianismo pode ser punida com pena de morte.
O país é o 40º na Lista Mundial da Perseguição 2018, que apresenta os 50 países onde é mais difícil viver como cristão.
Desde a descoberta de petróleo no país nos anos 1950, os Emirados Árabes Unidos têm se tornado um dos mais importantes centros de comércio e turismo.
Por ter uma população pequena, os Emirados dependem muito de trabalhadores estrangeiros e são relativamente abertos e tolerantes com relação a outras religiões, além do islamismo.
Entretanto essa liberdade é mais aproveitada por estrangeiros ocidentais e por alguns trabalhadores imigrantes da Ásia e África.
Fonte: Missão Portas Abertas

Igreja Católica admite legado “vergonhoso” após vazar estudo que revela mais 3.600 abusos de menores

Violência contra crianças e adolescentes
A Igreja Católica na Alemanha admitiu nesta quarta-feira ter um legado “deprimente e vergonhoso” de abuso sexual, depois que um estudo vazado revelou que clérigos abusaram de milhares de crianças durante um período de 70 anos.

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Médico deixa carreira de sucesso para ser missionário na África

Em 2010, o cirurgião Erik Hansen desistiu de uma lucrativa carreira médica nos Estados Unidos para perseguir um sonho de ajudar os necessitados na África.
Erik Hansen tinha um futuro promissor como médico no Texas, mas decidiu seguir o chamado de Deus para cuidar de pessoas necessitadas no Quênia. (Imagem: CBN News)Ele fez as malas e se mudou, junto com sua esposa e os quatro filhos de sua confortável casa no sul do Texas para uma parte remota da África, onde ele agora serve como um médico missionário cristão.
O Dr. Hansen não falava suaíli (idioma local) antes de se mudar para o Quênia. Na verdade, ele e sua família nunca planejaram morar no continente africano.
“Minha esposa realmente me perguntou enquanto namorávamos, se eu gostaria de ser um missionário ou evangelista, pregando em grandes cruzadas. Eu disse ‘não’, e essa foi a resposta certa”, disse Hansen à CBN News. “Então, o que nos trouxe até aqui, sete anos atrás, realmente foi Deus mudando o nosso coração”.
Doe aos missionários médicos cristãos que servem os mais necessitados da África.
Os Hansen mudaram-se do Texas para o Quênia especificamente para trabalhar no Hospital Kijabe, que fica a uma hora da capital Nairobi.
Kijabe: “Lugar do vento”
“A maioria das pessoas acha que a África equatorial seria um deserto quente, mas nós vivemos a cerca de 2.200 metros de altitude”, Hansen descreveu. “Nós vivemos em uma serra com vista para o Grande Vale do Rift”.
Kijabe é uma palavra usada pelo povoado Maasai, que significa “lugar do vento”.
“A temperatura aqui é amena e não temos ar condicionado ou aquecimento”, disse Hansen. “É lindo a maior parte do ano. Temos macacos em nosso quintal que roubam comida da nossa mesa ao ar livre”.
Hansen é o principal cirurgião pediátrico do Kijabe. Por definição, ele é um médico missionário, mas isso parece estar mudando.
O modelo em mudança do médico missionário
“O modelo do passado, no qual os hospitais eram formados quase exclusivamente por missionários expatriados, talvez seja relevante em alguns lugares, mas, cada vez mais, deixa de ser o melhor modelo”, admitiu Hansen. “E enquanto treinamos, a equipe queniana aqui em Kijabe cresce, metade dos médicos é africana atualmente”.
“Estamos aqui para capacitar, para trabalhar ao lado das pessoas”, acrescentou Hansen. “Se isso significa que em 10, 15 ou 20 anos eu não serei mais necessário, isso é fantástico”.
Hansen é cirurgião e professor. Por isso também investe na capacitação e no ensino de novos médicos locais.
“Atualmente, estamos treinando 10 cirurgiões de nove países diferentes da África subsaariana”, relatou.
Para melhor apreciar os serviços prestados por esses hospitais cristãos, basta olhar para os números. Por exemplo, no Quênia, 40% dos serviços médicos são realmente fornecidos por esses hospitais cristãos.
Se fosse simplesmente um cirurgião, Hansen talvez pudesse tratar centenas de crianças a cada ano. Mas como professor, o alcance é muito maior.
Treinando outros para ter um impacto para o Reino
“Treinar essas pessoas que irão treinar outras pessoas é um enorme impacto”, disse Hansen. “Estamos falando de dezenas de milhares de crianças. Isso é mais do que eu poderia fazer em toda a minha vida e acho que o trabalho do Reino não é limitado apenas a alguém que usa uma cruz no pescoço. ”
“As pessoas que amam os outros como Jesus amou: ‘Você as conhecerá pelos seus frutos e as conhecerá pelo amor delas’. Então, acho que é um grande testemunho do amor de Cristo.”
Como muitos outros hospitais missionários médicos no continente africano, Kijabe se concentra em treinar a próxima geração de jovens homens e mulheres que serão a base da área médica em seus países.
Mas, além de atender às necessidades físicas das pessoas, elas também terão a chance de atender às necessidades espirituais de seus compatriotas.

Pastor é acusado de assediar Ariana Grande durante funeral de Aretha Franklin

O pastor que celebrou o funeral da cantora Aretha Franklin desculpou-se após acusações de ter assediado em público a estrela do pop Ariana Grande e que gerou grande indignação por parte de fãs.
A cantora de 25 anos interpretou o clássico de Aretha Franklin “(You Make Me Feel Like) a Natural Woman” durante seu funeral, ao qual compareceram presidentes e estrelas da música.
Depois de sua atuação, o pastor Charles H. Ellis III cumprimentou Ariana passando seu braço por trás das costas da cantora e repousando sua mão na lateral do seio da artista.Ariana Grande é segurada pelo bispo Charles H. Ellis III durante o funeral de Aretha Franklin em Detroit, nos EUA, na sexta-feira (31). (Foto: Scott Olson/Getty Images North America/AFP)
“Nunca seria minha intenção tocar o seio de nenhuma mulher. Não sei, suponho que a tenha envolvido com o braço”, disse Ellis em comentários à imprensa americana confirmados pela AFP neste sábado (1º).
“Talvez tenha cruzado a fronteira, talvez tenha sido muito amigável ou familiar, mas, novamente, peço desculpas”, assinalou.
A cena foi duramente criticada na internet. “Lamento muitíssimo pelo que @ArianaGrande teve que passar, esse toque era mais do que descarado, e todos nós podíamos ver e sentir o desconforto da cantora”, publicou a apresentadora de TV Claudia Jordan.
Ellis também se desculpou por uma brincadeira que fez com o nome da cantora: “Quando vi Ariana Grande no programa, pensei que se tratasse de algo novo na Taco Bell”, disse, referindo-se à popular rede de fast-food mexicana.
“Pessoalmente e sinceramente, eu me desculpo com Ariana, seus fãs e toda a comunidade hispânica”, disse Ellis, embora a ascendência de Ariana seja italiana.
Fonte: G1