segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Pastor é morto por guerrilheiros, após evangelizar comunidades rurais na Colômbia

Pastor é morto por guerrilheiros, após evangelizar comunidades rurais na Colômbia
Na Colômbia, os pastores protestantes geralmente acabam desempenhando um duplo papel: como líderes de igrejas e também líderes comunitários, especialmente em pequenas comunidades rurais. Esse reconhecimento geralmente faz com que esses homens e suas famílias sejam alvo de forças paramilitares, guerrilheiros e grupos criminosos que querem controlar a região. Amissão Portas Abertas conversou recentemente com uma família que conhece esta realidade muito bem.
Era um domingo quente na cidade de El Cedro, no noroeste da Colômbia, uma pequena cidade habitada por pescadores, fazendeiros e o ocasionalmente comerciantes que transportam mercadorias para pequenos barcos a gasolina, popularmente conhecidos como “Johnsons” (a marca do motor usado na maioria dos barcos).
Como todos os domingos à tarde, o pastor Hector Galarza havia embarcado em seu pequeno barco para se dirigir à pequena igreja que ele liderou durante oito anos, preparando-se para pregar o culto de adoração daquele fim de semana. Chegando à região, ele se inclinou para amarrar seu barco no píer quando dois homens se aproximaram do cais. Eles exigiram ser levados para o outro lado do rio.
Os homens não eram completamente desconhecidos para o pastor. Semanas atrás, eles estavam incomodando os aldeões com reclamações e demandas. Eles são conhecidos pela violência de suas palavras e comportamento hostil. Além disso, eles integram grupos armados ilegais que, por algum tempo, quiseram recuperar o controle da área onde atualmente pastor Galarza tem atuado como evangelista.
"Eles eram dois homens e um deles era conhecido na região", disse Mercedes, a esposa do pastor. "Eles estavam investigando a área há algum tempo e descobrindo informações sobre todos".
Liderando uma igreja em meio à guerrilha
O pastor Galarza, como a maioria dos habitantes da região, testemunhou as ações violentas e sangrentas de grupos armados ilegais contra a população civil. Felizmente, durante quatro ou cinco anos, a situação na região melhorou. A população vivia em relativa paz.
Através da igreja, o pastor Galarza começou evangelizar e influenciar o desenvolvimento da cidade de forma positiva e pacífica. Sua liderança era tão forte que o governante da comunidade local o convidou para ajudar a tomar decisões importantes. Pouco a pouco, o pastor Galarza ficou conhecido como o líder social e religioso da região.
Nos últimos dois anos, grupos paramilitares, guerrilhas e gangues criminosas assumiram a tarefa de “colonizar” novas regiões para torná-las um bases na luta armada para controlar o mercado de drogas, o tráfico de armas e outros atos criminosos.
Dado este forte ataque, a igreja cristã nas áreas rurais foi seriamente afetada porque, na ausência de uma força pública (como a polícia ou o exército), os líderes da igreja defenderam a população pacificamente, impedindo que grupos ilegais recuperassem o controle do local.
Morto por evangelizar
Pastor Galarza foi o único na linha de frente a se opor à intrusão de grupos armados na comunidade — um reconhecimento que se tornaria trágico naquela tarde de domingo.
Em plena luz do dia, diante dos olhos de espectadores locais, os homens que o pastor Galarza havia se recusado a ajudar tiraram sua vida com dois tiros. Alegadamente, os atiradores se afastaram lentamente, sem dúvida se sentindo intocáveis. Eles haviam assassinado um pastor, que também era um franco líder social e defensor da comunidade, simplesmente porque ele havia se tornado um obstáculo para as atividades criminosas dos guerrilheiros.
De acordo com a filha do pastor Galarza, Angela, o assassinato de seu pai foi premeditado, realizado para impedir o avanço do evangelho. A influência do pastor Galarza ajudou a diminuir as atividades ilegais na área. Além disso, ele foi morto, diz Angela, para combater o crescente número de pessoas indo à igreja e sua oposição a grupos armados.
Lutando para reconstruir
Naquela mesma tarde, a esposa do pastor, junto com os filhos e netos, removeu o corpo do marido. Então eles fugiram para se refugiar Rio Crecido, uma cidade perto de El Cedro.
A pequena casa em um bairro perifético é agora o novo lar da família Galarza. Lá, escondida daqueles que assassinaram o marido, Mercedes se esforça para reconstruir sua casa. Ela chora frequentemente. Ela também tem ataques de ansiedade. Então acaba fazendo seus netos correrem para se esconder, sempre que ouvem um barulho alto.
"As crianças choram quando lembram do avô, não entendem o que aconteceu", diz Mercedes.
Angela acrescenta: "Infelizmente, eles viram o avô deles morto no chão. Esta memória às vezes não os deixa dormir".
A fé desta família no mesmo Deus ao qual Hector dedicou sua vida tem sido a única fonte de força e cura para este lar em luto, que apesar da dor, sente um profundo orgulho pelo homem que o pastor era — um homem que serviu a Cristo de todo o coração, um pastor que deu sua vida pela defesa da mensagem de paz que aprendeu com Jesus, um pai amoroso e um marido fiel e leal.
Pastor Galarza era um líder cujo sangue é agora a inspiração para jovens cristãos na região, que continuam a aprender sobre um homem que amava a Deus tão profundamente que deu a vida para servir ao povo que o seu Deus ama.
A história de Galarza recentemente chamou a atenção dos pesquisadores do Portas Abertasda Colômbia, que visitaram a família para levar apoio pastoral e financeiro.

Bíblia fica intacta após caminhão ser incendiado em Fortaleza

Bíblia fica intacta após caminhão ser incendiado em Fortaleza
Em meio a onda de ataques criminosos no Ceará, uma Bíblia ficou intacta dentro de um caminhão da Enel que foi incendiado na última sexta-feira (4), na Via Expressa, em Fortaleza.
O caminhão da companhia de energia elétrica foi abordado por bandidos e incendiado, de acordo com as testemunhas. Depois que as chamas foram contidas pelo Corpo de Bombeiros, os funcionários da empresa voltaram ao caminhão para salvar algum objeto.
“Um deles deixou a carteira, com R$ 300, que foi totalmente destruída, junto aos pertences. A única coisa que ficou intacta foi a Bíblia de um dos funcionários. Todo mundo ficou surpreso”, disse Dorian Girão, repórter cinematográfico da TV Jangadeiro, afiliada ao SBT.
O Ceará vive o 6º dia seguido de uma onda de violência que foi iniciada na última quarta-feira (2). Em todo o estado, ocorreram 125 ações criminosas nos últimos seis dias, nas quais ônibus, caminhões, estabelecimentos públicos e comerciais foram alvos dos bandidos.
A sequência de ações ocorreu após as declarações do novo secretário da Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuquerque, que afirmou não reconhecer as facções criminosas. Durante a posse na última terça-feira (1º), ele destacou que os presídios cearenses não serão mais divididos por facções e prometeu fiscalizar com mais rigor a entrada de celulares.

sábado, 15 de dezembro de 2018

SIGAM NOSSAS PAGINAS NAS MÍDIAS SOCIAIS - JORNAL DIGITAL DO BRASIL - JORNAL DIGITAL DE JAGUARIÚNA - JORNAL DIGITAL

Traficante é preso dentro de culto, mas bandidos o resgatam

Traficante é preso dentro de culto, mas bandidos o resgatam
Policiais militares prenderam o traficante Alexandre Barreto Ferreira, conhecido como "Galego", enquanto ele participava de um culto, na noite desta quinta-feira, no Morro do Borel, na Tijuca, na Zona Norte. Entretanto, o bandido foi resgatado por criminosos momentos depois. A informação foi divulgada, nesta sexta-feira, pelo RJTV 1° edição. 
Durante a ação, um confronto entre PMs e traficantes assustou moradores da região. Segundo a polícia, "Galego" e outro traficante conhecido como "Pepinho" ficaram feridos e estariam no interior da comunidade. Os agentes estão checando possíveis localizações. 
Policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), do 6ºBPM (Tijuca) e da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) intensificaram o policiamento e estão atuando em toda região, nesta sexta. Ainda de acordo com a polícia, no início desta manhã, PMs foram novamente recebidos a tiros. Não há relatos de feridos. 
A PM também informou que um menor suspeito de participar do confronto na noite de ontem e um técnico de enfermagem suspeito de cuidar dos criminosos feridos foram detidos. 

Traficante é preso dentro de culto, mas bandidos o resgatam

Traficante é preso dentro de culto, mas bandidos o resgatam
Policiais militares prenderam o traficante Alexandre Barreto Ferreira, conhecido como "Galego", enquanto ele participava de um culto, na noite desta quinta-feira, no Morro do Borel, na Tijuca, na Zona Norte. Entretanto, o bandido foi resgatado por criminosos momentos depois. A informação foi divulgada, nesta sexta-feira, pelo RJTV 1° edição. 
Durante a ação, um confronto entre PMs e traficantes assustou moradores da região. Segundo a polícia, "Galego" e outro traficante conhecido como "Pepinho" ficaram feridos e estariam no interior da comunidade. Os agentes estão checando possíveis localizações. 
Policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), do 6ºBPM (Tijuca) e da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) intensificaram o policiamento e estão atuando em toda região, nesta sexta. Ainda de acordo com a polícia, no início desta manhã, PMs foram novamente recebidos a tiros. Não há relatos de feridos. 
A PM também informou que um menor suspeito de participar do confronto na noite de ontem e um técnico de enfermagem suspeito de cuidar dos criminosos feridos foram detidos. 

Parlamento da Irlanda aprova legalização do aborto

Eleitores irlandeses favoráveis ao aborto (maio 2018)
Eleitores irlandeses favoráveis ao aborto (maio 2018)
O Parlamento da Irlanda aprovou nesta quinta-feira, 14, um projeto de lei para a legalização do aborto no país.
O texto do documento, que segue para ser sancionado pelo presidente Michael Higgins, legaliza a prática, sem condições, até a 12ª semana de gravidez, em casos de anormalidade que coloquem em risco a vida do feto ou em casos que ameacem a saúde física ou mental da mulher.
A lei foi aprovada pelo Parlamento sete meses após o histórico referendo, no qual 66,4% dos participantes votaram pela legalização do aborto. O resultado da votação foi considerado histórico para um país com fortes raízes católicas e de políticas conservadoras.
Por meio do Twitter, o primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, afirmou ser “um momento histórico para as mulheres irlandesas”, agradeceu a todos que apoiaram o projeto e saudou o ministro da Saúde, Simon Harris, pela sua atuação na discussão do projeto de lei. Harris também celebrou a aprovação da lei.
“Há pouco mais de 200 dias, você, o povo irlandês, votou para revogar a oitava emenda da Constituição [que foi aprovada em 1983 e deu ao feto os mesmos direitos de alguém já nascido] para que pudéssemos cuidar das mulheres com compaixão. Hoje nós aprovamos a lei para tornar isso uma realidade. Um voto para acabar com as jornadas solitárias, acabar com o estigma e apoiar as escolhas das mulheres no nosso próprio país”, disse Harris.
O chefe da Anistia Internacional da Irlanda, Colm O’Gorman, saudou a aprovação do projeto. “Celebramos a aprovação deste projeto e compreendemos totalmente totalmente a importância de sua promulgação até o final do ano, para que os serviços de aborto possam começar em janeiro. As mulheres esperaram 35 anos por isso, as violações diárias de seus direitos humanos devem chegar ao fim”, disse O’Gorman.
A Irlanda tinha uma das legislações mais restritivas da Europa em relação ao aborto. O procedimento era proibido praticamente em todos os casos. Com a nova lei irlandesa, Polônia e Malta se tornam os únicos países da Europa a proibirem o aborto.
A proibição do aborto estava determinada na 8ª Emenda à Constituição Irlandesa. A emenda proibia todo e qualquer tipo de aborto. A pena para as mulheres que interrompessem a gestação em solo irlandês poderia chegar a 14 anos de prisão.

Justiça decreta prisão de João de Deus

Médium João de Deus
Médium João de Deus
A Justiça de Goiás determinou, nesta sexta-feira (14), a prisão preventiva de João de Deus, suspeito de praticar abusos sexuais durante tratamentos espirituais, em Abadiânia, cidade goiana do Entorno do Distrito Federal.
A informação foi confirmada à TV Anhanguera pelo secretário de Segurança Pública de Goiás, Irapuan Costa Júnior.
Um dos advogados que compõem a defesa de João de Deus, Thales Jayme disse que foi informado sobre o mandado de prisão, mas não tinha recebido o documento até as 12h30. Ele declarou também que não conseguiu falar com médium nesta manhã.
“Foi dito hoje, por uma fonte fidedigna, que a prisão havia sido decretada, estava de posse do mandado de prisão e com alguns policiais trabalhando, que eu visse a possibilidade de se apresentar, como seria, uma situação menos dolorosa, estou indo a Anápolis para ver se consigo falar com alguém”, disse o advogado.
Por sua vez, o advogado Hélio Braga, que também integra a defesa do médium, ressaltou que o cliente é inocente. “Nós enquanto defesa, continuamos contestando com veemência todas as acusações. Não acreditávamos na decisão nesse sentido, perante a total falta de provas”, declarou.
Na quarta-feira, o Ministério Público Estadual de Goiás (MP-GO) protocolou um pedido de prisão na promotoria de Abadiânia. No entanto, não se sabe se este é o pedido que originou a decisão.
Na manhã de quarta-feira, João de Deus compareceu à Casa Dom Inácio de Loyola, onde realiza os trabalhos espirituais, pela primeira vez desde que as denúncias vieram à tona. Durante os poucos minutos que ficou no local, ele disse que era inocente e que confiava na Justiça de Deus e dos homens.
“Meus queridos irmãos e minhas queridas irmãs, agradeço a Deus por estar aqui. Ainda sou irmão de Deus, mas quero cumprir a lei brasileira porque estou na mão da lei brasileira. João de Deus ainda está vivo. A paz de Deus esteja convosco”, diz João de Deus.
A assessora de imprensa do religioso, Edna Gomes, afirmou, após as declarações, que o médium era inocente, mas que as denúncias eram graves e deveriam ser apuradas.
Denúncias
O programa ‘Conversa com Bial’, da TV Globo, exibiu no início da madrugada deste sábado, 8, depoimentos de mulheres que acusam João Teixeira de Faria, o João de Deus, de abuso sexual.
De acordo com elas, os casos teriam acontecido no local onde o médium realiza seus atendimentos espirituais, na cidade de Abadiânia, interior de Goiás. Em nota, João de Deus rechaçou “veementemente” as acusações.
“Ele me pediu para ficar de costas e começou a passar a mão pelo meu corpo. Eu fiquei incomodada e pensei: até que ponto você pode deixar um médium passar a mão pelo seu corpo?”, disse uma das entrevistadas, cuja identidade foi mantida em anonimato.
No total, foram ouvidas 10 pessoas que afirmam ter sofrido abusos de João de Deus. O programa, contudo, exibiu apenas quatro depoimentos – três deles sem a identificação das denunciantes. A coreógrafa holandesa Zahira Leeneke Maus, que esteve no local de atendimento do médium em 2014, foi a única entrevistada que aceitou se identificar.
“Eu tinha medo de eles me mandarem espíritos ruins. Eu estava com muito medo. Agora me sinto protegida e sinto que a verdade tem de vir a tona”, afirmou Zahira, que conversou com Pedro Bial nos estúdios do programa.
A polícia informou que, até quinta-feira (14), recebeu 14 denúncias formais contra João de Deus, sendo que 13 mulheres já foram ouvidas.Já o MP-GO contabiliza o contato de mais de 300 pessoas.
Meu pai é um monstro”, diz filha de João de Deus
Dalva Teixeira, 49 anos, filha de João de Deus, revelou ter sido abusada pelo pai desde os 10 anos de idade. “Meu pai é um monstro”, disse a mulher, em entrevista à revista Veja.
De acordo com a publicação, Dalva conheceu o pai aos 9 anos de idade, quando deixou de morar com a mãe, em uma fazenda, para continuar os estudos em Abadiânia (GO). Os abusos teriam começado no ano seguinte e aconteciam na casa dele, no carro e durante viagens.
Aos 14 anos, Dalva teria ficado grávida de um funcionário de João de Deus. A mulher contou à revista que teve a ideia de ir embora da casa do pai, mas ele teria reagido com violência e a espancado quando soube da gravidez, o que teria resultado na perda do bebê.
Fonte: G1 e Metrópoles

Pastor é morto por guerrilheiros, após evangelizar comunidades rurais na Colômbia

Na Colômbia, os pastores protestantes geralmente acabam desempenhando um duplo papel: como líderes de igrejas e também líderes comun...