segunda-feira, 26 de junho de 2017

Lula lidera preferência de evangélicos para 2018; Malafaia tem queda como líder religioso, diz pesquisa

Imagem redimensionada

Levantamento na Marcha para Jesus mapeia voto religioso, que migra para o centro, e mostra queda na representatividade de líderes como Silas Malafaia.

A aproximação da eleição presidencial de 2018 começa a mexer com o imaginário político de eleitores evangélicos. Mas longe de destinarem sua preferência a um virtual candidato também evangélico ou ligado a igrejas, a preferência se polariza entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 12,5% das intenções de voto, e o prefeito de São Paulo João Doria (PSDB), com 11,56%. 

É o que mostra pesquisa realizada pelo grupo de estudos de mídia, religião e cultura (Mire) da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp). Trata-se do primeiro recorte evangélico das intenções de voto a um ano do começo da campanha de 2018, mas sem o peso de uma pesquisa eleitoral tradicional. O grupo entrevistou 424 evangélicos na última quinta-feira 15, durante a 25ª edição da Marcha para Jesus, em São Paulo. 

O levantamento aponta o deputado Jair Bolsonaro (PSC) em terceiro com 8,25%. Na sequência está a evangélica Marina Silva (Rede), com 6,37%, seguida pelo juiz Sérgio Moro (não filiado a partido), com 4,72%. O grosso do eleitorado não está decidido. Os votos brancos e nulos somam 27,36% e os que não souberam ou não quiseram responder, 25%.

O coordenador da pesquisa, o sociólogo Leandro Ortunes, avalia que a prevalência de Lula na dianteira da preferência do eleitorado se deve a um “sentimento de militância ou de identificação político-ideológico”, sendo que 97% dos que disseram votar no ex-presidente também disseram sentir afinidade com o PT.

“O mesmo não ocorre com João Doria. Na pesquisa, 79% das pessoas que afirmaram votar nele não se identificam com nenhum partido político. Com isso, temos o PT se reafirmando como partido e Doria ganhando espaço com o discurso do anti-político", afirma. 

O levantamento mostra uma guinada do eleitorado religioso para o centro do campo político. Em 2016, 62,7% se disseram sem inclinação ideológica para esquerda, direita ou centro. Agora, 62,3% se disseram de centro. Mas Ortone considera que esse posicionamento não é definitivo devido à falta de clareza dos entrevistados sobre o que é ser de centro.

A direita e a esquerda concentraram 10,85% da preferência, respectivamente, enquanto 5,19% se disseram sem predileção político-ideológica e 11,8% não quiseram opinar. 

PT cresce e Malafaia recua
De acordo com a pesquisa, 80,66% dos evangélicos se dizem sem preferência partidária, número próximo ao verificado em 2016 (81,6%). Mas o PT ampliou a margem de preferência ao sair de 7,6%, no ano anterior, para 12% em 2017. 

Na contramão do crescimento petista, o PSDB sofreu uma ligeira queda de 4,9% (2016) para 3,54% (2017). O PMDB aparece num distante terceiro lugar, com 1,65% da preferência evangélica. 

De acordo com o coordenador da pesquisa, a queda do PSDB reflete o impacto da delação da JBS sobre o senador tucano Aécio Neves (MG), afastado do cargo por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

Já a identificação maior de parte do eleitorado evangélico com o PT pode indicar uma reafirmação do partido ante um “vácuo” político proporcionado pelo recuo do PSDB.

“Mesmo diante das delações e da Operação Lava a Jato, Lula e Dilma [Rousseff, ex-presidente cassada em 2016] permanecem sem condenações. Por isso temos o PSDB se fragmentando com as delações e o PT se reafirmando diante deste vácuo. Outro fato que pode ter elevado o índice do PT é que, na pesquisa de 2016, era o período do impeachment, momento de desgaste para o partido. Por outro lado, em 2017, o desgaste afetou o PSDB”, compara. 

A pesquisa mostra também distanciamento dos religiosos em relação à bancada evangélica no Congresso Nacional. A bancada é vista com desconfiança por 27,12% dos entrevistados, que não se sentem representados pelos parlamentares evangélicos. 

Outros 39,39% disseram não conhecer a bancada, enquanto 20% afirmaram que o grupo evangélico de deputados e senadores os representa. “Percebemos que não é algo isolado, os movimentos políticos religiosos estão em descrédito assim como os movimentos somente políticos”, diz Ortone.

Já o pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, perdeu o posto de liderança religiosa entre os representantes evangélicos na mídia. Em 2016, entre os entrevistados, 58,6% diziam se sentir representado ou muito representado por ele. Esse indicador caiu para 34,9% em 2017. 

O índice de rejeição do pastor experimentou movimento inverso, saltando de 13,9% para 25% nesse período. “Os líderes religiosos estão perdendo a credibilidade perante seus fiéis”, afirma Ortunes.

É preciso atentar, porém, para a composição da Marcha para Jesus no que diz respeito a qual igreja ou denominação evangélica os participantes do evento se filiam.

Segundo outro levantamento realizado no mesmo dia por pesquisadores da USP e da Unifesp, os fiéis da Renascer em Cristo, organizadora da marcha, são maioria: 60%. Em seguida, aparece a Assembleia de Deus (11%), a igreja Batista (4%) e, por fim, a Universal (2,7%). 

Fonte: Carta Capital

Juiz suspende a deportação de mais de 100 cristãos iraquianos dos EUA

Um juiz federal de Detroit emitiu na última quinta-feira uma permissão de estadia, impedindo a deportação de mais de 100 cristãos iraquianos de volta ao seu país de origem.
Imagem redimensionadaO juiz do Tribunal Distrital dos Estados Unidos, Mark A. Goldsmith, respondeu a uma petição apresentada arquivada pela União Americana de Liberdades Civis (ACLU) a favor dos 114 imigrantes, solicitando que as ordens de deportação fossem suspensas até que ele decida se tem jurisdição para ouvir o caso.

O Departamento de Justiça disse que os detidos devem ir ao tribunal de imigração para tentar permanecer nos EUA e não ao Tribunal Distrital dos EUA. Mas a ACLU disse que eles poderiam ser deportados antes que um juiz de imigração considerasse seus pedidos para ficar nos Estados Unidos.

Goldsmith, que ouviu os argumentos na última quarta-feira (21), disse que precisa de mais tempo para considerar as questões jurídicas complexas do cso.

O potencial risco de morte que estes cristãos correm voltando ao seu país de origem "supera em muito qualquer interesse concebível que o governo possa ter na execução imediata das ordens de remoção, antes que este tribunal possa esclarecer se é competente para dar alívio aos peticionários quanto ao mérito de suas reivindicações", disse Goldsmith.

A maioria dos 114 iraquianos são cristãos caldeus. A ACLU diz que teme que estes refugiados sofram com tortura ou até mesmo a morte no Iraque, que já concordou em aceitá-los de volta.

"O tribunal preferiu salvar vidas em vez de permitir que nossos clientes fossem imediatamente enviados de volta ao Iraque", disse Lee Gelernt, vice-diretor do Projeto de Direitos dos Imigrantes da ACLU, em um comunicado. "Eles precisam ter a chance de mostrar que suas vidas estão em perigo se forem forçados a retornar".

Os imigrantes foram presos como parte de uma varredura feita por agentes do Departamento de Imigração e Alfândega dos EUA (ICE) no início deste mês. Na época, o órgão disse que as prisões eram "consistentes com a rotina das Equipes de Operações contra Fugitivos, realizadas diariamente".

O permissão dada por Goldsmith expira no dia 6 de julho. Além dos 114 presos na área de Detroit, 85 outros cidadãos iraquianos foram presos em outros lugares do país, de acordo com o ICE.

Fonte: Guia-me

"O plano de Jesus Cristo para a gente é a família", diz Marcos Mion

Imagem redimensionada

Na última sexta-feira (23), o apresentador Marcos Mion - conhecido por seu programa 'Legendários' (Record) focado no humor - surpreendeu o público ao 'falar sério' e se mostrar um homem emotivo para falar sobre como ele considera sua família um presente de Deus para ele.

O apresentador falou sobre como ele e sua família têm lidado com a criação de seu filho, Romeo - que foi diagnosticado com autismo, ainda bebê.

"Imagine você, vivendo esse sonho, essa vida perfeita para ir para um próximo passo, porque o plano de Jesus Cristo para a gente é a família. E aí o seu filho, quando você tem 24 anos e esse sucesso todo, ele nasce dentro do espectro autista. Muita gente acha que quando isso acontece, esse é o fim. É um desespero, você perde o chão".

"Quando o Romeo, o meu anjo nasceu, foi que eu percebi que a minha não era perfeita, mas estava prestes a ficar, porque eu mais um grupo de mais de 2 milhões de pais e mães, só no Brasil, tivemos a honra de sermos escolhidos por Deus para cuidar destes anjos aqui na terra".

Ao compartilhar este trecho do programa em sua página oficial do Facebook, o apresentador afirmou esperar que este depoimento siva como incentivo a todos os que acreditam no valor da Família.

"Espero que sirva de inspiração para todos que acreditam na família, na união eterna e, acima de tudo, em Jesus Cristo como o guia de tudo que nos acontece. Bom ou ruim", escreveu Mion em sua legenda, junto ao vídeo.

Marcos Mion é casado com Suzana Agullo e tem três filhos com ela: Romeo, Donatella e Tefo.

Fonte: Guia-me

Porta dos Fundos é processado em R$ 5 milhões por sátira aos cristãos

Porta dos Fundos é processado por sátira aos cristãos
O canal Porta dos Fundos costumeiramente faz vídeos ridicularizando os cristãos e personagens bíblicos. No passado, foi inclusive processado por líderes evangélicos por esse motivo, mas acabaram ganhando na justiça, sob alegação que fazem valer sua “liberdade de expressão”.
Contudo, também há previsão legal no Brasil contra o vilipêndio da fé alheia. Ciente disso, o Centro Dom Bosco, uma associação católica do Rio de Janeiro, está pedindo indenização de R$ 5 milhões.
O Dom Bosco entrou com uma ação na 46a Vara Cível do TJ do Rio, denunciando a publicação do vídeo “O céu católico”, onde Fábio Porchat e Gregório Duvivier (ambos ateus) ridicularizam do conceito de Paraíso.

No esquete, Adolf Hitler está no céu, por que teria pedido perdão na hora da morte enquanto outras pessoas estariam no inferno por terem comido alimentos proibidos e trabalhado em dias “santos”. A piada distorce os textos do Antigo Testamento e também afirma que protestantes não entram no céu.

O pedido de reparação da associação católica é de R$ 1 para cada visualização no YouTube. Publicado em outubro de 2016, o material já foi visto quase 5 milhões de vezes. Com informações O Globo
Assista:

JACO - ISRAEL

De todos os relatos da Torá, este é um dos mais envoltos em mistério. Conta-nos a história da luta entre um ser humano e um anjo e a da ...