terça-feira, 9 de outubro de 2012

Criança com queimadura espera sete horas por transferência para hospital

Secretaria da Saúde de Franca apura falhas em atendimento médico.
Menino se queimou com água quente em casa no final de setembro.


Criança queimada por água espera sete horas por ambulância para Ribeirão Preto (Foto: Rodolfo Tiengo/G1)Há dez dias internado no HC de Ribeirão, criança se recupera de queimaduras (Foto: Rodolfo Tiengo/G1)
A Secretaria da Saúde de Franca (SP) investiga desde a semana passada falhas de hospitais no atendimento e na transferência de uma criança de 1 ano e 7 meses que teve 12% do corpo queimado por água quente em casa no final de setembro.
Além de não ser internado pela médica responsável na primeira consulta realizada no Pronto-Socorro Infantil, em um segundo atendimento na Santa Casa o menino esperou ao menos sete horas para ser levado de ambulância ao Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto(SP), de acordo com o profissional autônomo César Miranda, 44 anos, pai do paciente.
Rosane Moscardini, secretária da Saúde de Franca, confirmou por meio de sua assessoria de imprensa que abriu um procedimento administrativo para verificar as falhas do primeiro atendimento, realizado na tarde do dia 27 de setembro, e a demora na transferência para Ribeirão, no dia 28.
O pai da criança alega que, durante a espera pela transferência, um médico da Santa Casa chegou a cancelar uma ambulância disponível. A demora, segundo Miranda, quase fez com que eles perdessem o leito reservado na ala de queimados do HC em Ribeirão. "Ficou do meio-dia às sete e meia da noite para liberar a ambulância. Ficavam jogando de um lado para o outro. Quando chegou aqui [em Ribeirão Preto] quase perdemos a vaga, já que a vaga era para o meio-dia. Sorte que os médicos encontraram outra e encaixaram", disse Miranda.
Criança queimada por água espera sete horas por ambulância para Ribeirão Preto (Foto: Rodolfo Tiengo/ G1)César Miranda diz que filho não recebeu atendimento adequado em pronto-socorro (Foto: Rodolfo Tiengo/ G1)
Ele também reclama da médica responsável no primeiro atendimento no Pronto-Socorro Infantil. Segundo o pai, a profissional ignorou a gravidade do estado de saúde da criança e a dispensou da internação. Depois disso, o menino piorou e teve febre. "Ela fez os curativos, passou uma pomada no rosto dele, mandou para casa e pediu para voltar segunda-feira. Era uma quinta-feira", disse.
Delegacia da MulherO atendimento médico que o menino recebeu nos hospitais também é investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Franca. De acordo com a delegada Christina Bueno de Oliveira, o caso será apurado com base em prontuários médicos.
Estado de saúdeInternado há dez dias na ala de queimados na unidade de emergência do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (SP), o menino de 1 ano e 7 meses já se recuperou da maior parte das queimaduras no rosto, no tórax e nos braços e tem se alimentado normalmente, de acordo com o pai. Segundo ele, a previsão é de que a criança receba alta na próxima semana.

G1/GRITOS DE ALERTA

Especialista em profecias afirma que “guerra de Gogue e Magogue” está próxima

Especialista em profecias afirma que “guerra de Gogue e Magogue” está próxima Conferência nos EUA analisou a realidade profética do mundo

Especialista em profecias afirma que “guerra de Gogue e Magogue” está próxima
Doutor Mark Hitchcock, autor de dezenas de livros, esteve pregando durante o final de semana na conferência “Compreendendo os Tempos” em Minnesota, organizada pelo Ministério Olive Tree. A 15 ª conferência anual teve participantes de vários países, como Índia e Jerusalém.
Ele afirma que as notícias que estampam os jornais de hoje revelam a existência de uma nova aliança de nações que repetem os tempos bíblicos, e seu inimigo comum seria Israel. “É como se as manchetes de hoje fossem escritas há 2.600 anos”, disse Hitchcock.
Apontou especificamente para uma profecia encontrada em Ezequiel 38, que parece estar próxima de se cumprir. Conhecida como a guerra de Gogue e Magogue, o texto fala sobre uma aliança de nações que guerreiam com Israel.
O que torna este último século diferente dos outros, disse Hitchcock, é que Israel foi novamente reconstituído, conforme descrito em Ezequiel 37, na profecia dos “ossos secos”. Ele diz que nações como Rússia, Irã, Líbia e Turquia nunca foram aliadas ao longo da história, mas nos últimos tempos esses países não são apenas destaque nas manchetes, eles parecem estar formando alianças não muito amigáveis com Israel.
“Todas as nações de Ezequiel 38 são identificáveis hoje e estão fazendo alianças umas com as outras”, disse Hitchcock.
Ele também aponta que a profecia mostra que as nações que podem atacar Israel passaram a olhar para o país com outros olhos nos últimos dois anos. “A partir de 2010, descobriu-se que Israel tinha gás natural e petróleo, algo que, de repente faz a sua terra ser muito atraente”, disse Hitchcock.
Haverá grandes poderes mundiais unidos nessa batalha:
1 – a federação de dez reinos, que constitui a forma final do quarto grande Império Mundial;
2 – a federação do Norte, (Rússia e seus aliados);
3 – os reis do Leste, povos além do Eufrates (Irã);
4 – o rei do Sul, poder ou coligação de poderes do Norte da África.
Embora a hostilidade dos quatro primeiros seja de uns contra os outros e contra Israel (Zc 12.2,3; 14.2), é particularmente contra o Deus de Israel que eles lutam (Sl 2.2; Is 34.2; Zc 14.3; Ap 16.14; 17.14; 19.11,14,15,19,21).
Enquanto essa profecia pode ser perturbadora para alguns, Hitchcock tem certeza que ela pode oferecer conforto também. “Deus está sempre no controle”, disse ele.
Enquanto as pessoas anseiam pelas respostas de uma infinidade de perguntas sobre o que o futuro reserva, Hitchcock disse à multidão: “A Bíblia é o único lugar que podemos ir para saber o diz o futuro”. Ele disse ainda que os cristãos devem “viver suas vidas com intensidade”. “Há duas grandes magnitudes na vida que todos nós devemos viver com plena consciência: a pequenez do tempo e a grandeza da eternidade”, disse.
Bill Koenig, conhecido escritor e jornalista que já trabalhou na Casa Branca, também participou do evento.
“Estes não são tempos normais”, disse ele. “Todas as principais áreas da profecia estão em jogo”.
Koenig escreveu um livro que pesquisou e documentou as catástrofes que correspondiam aos esforços para se pressionar Israel a dividir sua terra. Ele disse à multidão que as ações contra Israel parecem persistir ao longo dos tempos.
Também alertou sobre o impacto do Islã radical, e disse que Obama tem defendido o Islã. “O que Obama está fazendo em relação à perseguição e morte de cristãos?”.
Outro palestrante de destaque no evento foi escritor e pastor da Moody Bible Church, Erwin Lutzer.
Lutzer abriu seu sermão mencionando a guerra do Islã contra o Cristianismo e falou sobre as semelhanças entre a Alemanha nazista e a América de hoje, e lembrou os ouvintes: “Quando Deus é separado do governo, o julgamento vem em seguida”.
Em seguida, falou sobre a próxima eleição norte-americana. “As coisas estão tão ruins que não podemos mudá-las simplesmente mudando a administração”, disse. “O verdadeiro problema da América é reconhecer novamente que só Deus deve ser adorado”.
Traduzido de World News Daily/gospel prime

POR:GRITOS DE ALERTA

Joaquim Barbosa é filho de uma evangélica

Joaquim Barbosa é filho de uma evangélicaMãe de relator do mensalão frequenta Assembleia de Deus há 45 anos.
Joaquim Barbosa é filho de uma evangélica
Joaquim Barbosa parece nunca ter se acomodado ao que parecia ser o caminho natural para ele.  O hoje ministro do Supremo Tribunal Federal, aos 58 anos aparece com destaque na mídia em meio ao histórico julgamento do mensalão.
Filho de um pedreiro, cresceu ouvindo que nas festas de aniversário de famílias mais abastadas deveria ficar sempre no fundo do salão. Mas Joaquim, quando criança, preferia não ir às festas a ter de se submeter à humilhação de ficar separado dos colegas.
Dario Alegria, um primo distante de Joaquim, diz que naqueles tempos os garotos negros da cidade eram vítimas de forte preconceito. “Mas o Joaquim quebrou toda essa lógica, ele era diferente, nunca levava desaforo para casa e não aceitava humilhação”, acredita.
O pai de Joaquim morreu há dois anos. Ele atribui muito do seu perfil à influência de Benedita, sua mãe, evangélica da Assembleia de Deus há 45 anos.
Criado em Paracatu, interior de Minas Gerais, desde criança, Joaquim trabalhou com o pai. Por vezes ajudando a fazer tijolo, em outras entregando lenha num caminhão velho da família.
Joaquim Rath, um amigo de infância do ministro, lembra que na casa da família Barbosa não havia sofá, geladeira nem televisão. Só uma mesa com cadeiras. Ele morava com os pais e mais sete irmãos “Mas com o Joaquim não tinha essa história de negro humilde e pobre, e ele não se subordinava aos ricos e brancos”, lembra.
Em 1971, a família foi tentar a vida em Brasília, a 250 quilômetros de Paracatu. Na capital federal, Joaquim se formou em Direito. Depois, foi aprovado no concurso para oficial de chancelaria do Itamaraty e posteriormente em outro, para procurador da República.
Fez doutorado na Sorbonne, em Paris, foi professor visitante na Universidade Colúmbia, em Nova York, e na Universidade da Califórnia. Barbosa fala quatro idiomas além do português: inglês, alemão, italiano e francês.
O tio, José Barbosa, de 78 anos, lembra que o menino tinha alguns hábitos estranhos: lia tudo o que encontrava, escrevia no ar, cantava em outros idiomas e gostava de andar com o peito estufado, imitando gente importante. “Todos viam que o Joaquim seria alguém quando crescesse”, afirma.
O ministro Joaquim é relator do processo do mensalão. Nos últimos dias condenou por crime de corrupção ativa José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares, que formavam a cúpula do Partido dos Trabalhadores (PT). Em novembro vai assumir a presidência do STF.   Na internet já existe uma campanha para que seja presidente da República.
“O ministro incorpora uma espécie de herói do século XXI. Precisávamos de uma pessoa com o perfil dele para romper com os rapapés aristocráticos, pois chegamos ao limite da tolerância com a calhordice no poder”, diz o antropólogo Roberto DaMatta.

GOSPEL PRIME/GRITOS DE ALERTA

Acidente entre dois ônibus causa mortes na BR-158, no RS, diz PM

Pelo menos duas pessoas morreram e oito pessoas ficaram feridas.
Acidente ocorreu na altura de Santana do Livramento, na Fronteira Oeste.


Acidente envolvendo ônibus na BR-158, no RS (Foto: Reprodução/RBS TV)Acidente envolvendo ônibus na BR-158, no RS (Foto: Reprodução/RBS TV)
Dois ônibus colidiram frontalmente por volta das 6h40 desta terça-feira (9) no km 538 da BR-158, a 33 km do centro de  Santana do Livramento, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, informa a Brigada Militar. Pelo menos duas pessoas morreram e oito ficaram feridas. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), as vítimas são os condutores dos veiculos. Os corpos estão presos nas ferragens.
Um dos veículos era escolar, e levava professores do município para lecionar na Escola Aurélio Guerra, na zona rural. O outro ônibus, que segundo a polícia invadiu a pista contrária e provocou o acidente, era de transporte de passageiros que trabalham no cultivo de maçãs e chegava de Vacaria, no Nordeste do estado.
Acidente envolvendo ônibus na BR-158, no RS (Foto: Reprodução/RBS TV)Acidente envolvendo ônibus na BR-158, em Santana do
Livramento (Foto: Reprodução/RBS TV)
Segundo a Santa Casa de Misericórdia de Santana do Livramento, oito feridos já deram entrada no hospital. Uma mulher e três crianças, todos ocupantes do ônibus de Vacaria, foram atendidos com ferimentos leves e estão fora de perigo. Mais quatro adultos do outro veículo também estão em atendimento, mas, segundo a Santa Casa, também sem risco de morrer.
Ainda de acordo com a Brigada Militar, chove constantemente no município desde a madrugada. A pista está bloqueada nos dois sentidos. A perícia e os bombeiros trabalham no local para a retirada das vítimas fatais. A previsão é que o trânsito seja liberado às 12h.

G1/GRITOS DE ALERTA

Tio e sobrinho contam momentos de desespero após naufrágio na Paraíba

'Tive que carregar meu sobrinho até pelo cabelo', diz náufrago.
Buscas continuam pelos dois tripulantes que ainda estão desaparecidos.


Francisco Amorim, Alex Ramon, Jânio Tavares e Luiz Carlos (Foto: Daniel Peixoto/G1)Francisco Amorim, Alex Ramon, Jânio Tavares e Luiz Carlos receberam alta após passarem dois dias no hospital para se recuperar de queimaduras e desidratação (Foto: Daniel Peixoto/G1)
Seis tripulantes da embarcação Horizonte 2, que explodiu no dia 3 de outubro na divisa entre Pernambuco e Paraíba, receberam alta médica no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa na tarde desta segunda-feira(8).  Dentre os resgatados estão Francisco Amorim, de 39 anos, e seu sobrinho Alex Ramon, de 19 anos. As buscas seguem porque dois tripulantes continuam desaparecidos.
Na saída do hospital, Francisco Amorim e Alex Ramon conversaram com o G1 e contaram sobre as horas de agonia, desde o acidente até momento do resgate. “Segui uma luz, acreditando que seria algum sinal vindo da terra, mas quanto mais a gente nadava, mais a luz se distanciava. Não parei e continuei nadando até que uma onda bateu em mim e me levou até a beira. Só pode ter sido Deus”, descreveu Francisco.
Francisco contou que teve que carregar seu sobrinho, Alex, até pelo cabelo (Foto: Daniel Peixoto/G1)
Sobrinho conta que seu tio o manteve com
esperança (Foto: Daniel Peixoto/G1)
Os dois conseguiram chegar à praia ainda durante a madrugada do sábado (6) e, por não saberem para que direção seguir, eles dicidiram cavar um buraco e se cobrir com areia para descansar e se proteger do frio. Eles só foram encontrados pelas equipes do Capitania dos Portos no fim tarde do sábado.

Os náufragos contam que ficaram dois dias e duas noites em alto mar após um botijão de gás, do barco em que trabalhavam, explodir. Eles foram encontrados em Pitimbu, praia do Litoral Sul da Paraíba, no último sábado (6), com queimaduras de 1º grau e desidratação.

Francisco, que trabalhava como maquinista no barco, contou o desespero que passou no alto mar. “Tive que carregá-lo, puxar seu braço, seu cabelo, para que ele continuasse me acompanhando. Ficávamos gritando durante a madrugada, sonhando que alguém nos ouviria. Eu cheguei a ter alucinações em vários momentos, mas mantive o foco para salvar a minha vida e desse garoto, que é de minha família”, contou.
Quando amanheceu, os dois continuaram caminhando pela orla até ficarem impedidos de continuar por cansaço e medo de atravessar um rio com correnteza forte na região. “Esperamos a maré secar para termos coragem de passar pelo rio. Continuamos andando até encontrarmos ajuda e sermos socorridos pelos médicos”, disse Francisco.
Já Alex Ramon preferiu apenas agradecer a todo o esforço realizado por seu tio para que ele continuasse vivo. “Tenho que agradecer muito. Ele me manteve motivado para continuar vivo. Em alguns momentos eu pensava que ia morrer, mas ele me mantinha acreditando. Meu tio não se mostrou cansado em nenhum momento, ele só reclamava do frio”, comentou.
Sobre a escolha de voltar ao trabalho de pesca, os dois afirmaram que vão ter que conversar para chegar em uma decisão. “É um meio de sobrevivência, mas foi um trauma muito grande e minha mulher não quer que eu trabalhe mais com isso não. Acho melhor eu pensar direito”, disse Francisco já com um sorriso no rosto. Ele e os outros cinco tripulantes foram levados de volta para Recife por um veículo da empresa onde trabalham.
Entre os outros que receberam alta, estão Ari Batista, Jânio Tavares de Melo, Luiz Carlos Querino, João Francisco de Souza. Neste domingo (7), Ramiro Freires, primeiro tripulante a ser encontrado, no sábado bem cedo, também recebeu alta.
Buscas
Helicóptero da PRF foi usado nas buscas (Foto: Divulgação/PRF)Helicóptero da PRF foi usado nas buscas
(Foto: Divulgação/PRF)
A Polícia Rodoviária Federal informou que durante todo o domingo (7) realizou buscas pelo litoral na tentativa de encontrar mais alguma das vítimas ou vestígios do acidente. Durante as ações de resgate da Polícia Rodoviária Federal foram utilizados dois helicópteros em uma operação que se estendeu até o final da tarde, mas as vítimas não haviam sido localizadas.
A Capitania dos Portos disse que as buscas também aconteceram nesta segunda-feira (8), das 6h até o pôr do sol, na Praia de Jacumã, no Litoral Sul da Paraíba. Foi informado também que as buscas vão continuar ainda nos próximos dias, e que será instaurado um inquérito administrativo para apurar os fatos que levaram ao acidente. O prazo para conclusão é de até 90 dias.
Naufrágio
Ramiro foi encontrado na Praia de Tambaba no  sábado (Foto: Walter Paparazzo/G1)Ramiro foi encontrado na Praia de Tambaba no
sábado (Foto: Walter Paparazzo/G1)
O naufrágio aconteceu na noite da quarta-feira (3) na divisa entre os estados de Pernambuco e Paraíba. Os homens teriam percorrido aproximadamente 40 km até conseguirem chegar em praias do Litoral Sul paraibano. Um deles foi encontrado na Praia de Tambaba, quatro foram resgatados em Praia Bela e dois na Praia de Pitimbu.
O barco Horizonte 2 pertencia a empresa Pronaval e estava com nove tripulantes. O proprietário da empresa que fica em Pernambuco, José Carlos, contou que os funcionários são pescadores profissionais de atum.
Ramiro contou para as pessoas que o resgataram que na quarta-feira (3) o escape do barco começou a expelir faíscas e o fogo atingiu a mangueira de um botijão de gás. O fogo se alastrou e os tripulantes pularam da embarcação. Após alguns minutos o barco explodiu. O comandante do barco disse que não deu tempo para pegar os coletes salva-vidas. Ramiro explicou que os nove sobreviventes ficaram segurando uma corda.

G1/GRITOS DE ALERTA

Pastor é sequestrado e queimado vivo com as mãos amarradas, na África

Martin Beneke, de 45 anos, era pastor sênior e fundador da Life in Christ Network. O corpo de um pastor sul-africano foi encontrado tot...