sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Exposição que mostra pedofilia e zoofilia provoca bate boca entre deputados

Não foi só nas redes sociais que a mostra “QueerMuseu” gerou debates e bate boca. Na noite desta terça-feira (12) o assunto foi amplamente debatido na Câmara dos Deputados e gerou uma grande confusão.
Cancelada em Porto Alegre após críticas pelas imagens de pedofilia, zoofilia e vilipendia à fé cristã, a exposição teve defensores na Câmara, como o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) que tentava convencer quem viu as imagens de que não se tratava de pedofilia.
Os parlamentares que defendem a moral se colocaram contra este discurso que visa amenizar a exposição de imagens obscenas para crianças. Entre eles o deputado pastor Marco Feliciano que levou as imagens impressas para mostrar o crime que a exposição cometeu.
No auge da discussão Wyllys arrancou uma das folhas de papel da mão de Feliciano o que levou uma segurança a se posicionar entre os dois que continuaram discutindo.
O deputado do PSOL passou a atacar a bancada religiosa, chamando os parlamentares de corruptos. “Um bando de vendilhões do templo, hipócritas investigados pela justiça querendo utilizar esse caso para abafar seus próprios crimes. Essa gente não tem moral para falar de artista neste país… bando de corruptos”.
Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Casa, interviu e pediu para que essas palavras de Wyllys fossem retiradas dos anais da Casa, mas a confusão continuou.
O deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) também comentou o caso: “Não são obras de arte, são práticas de crime, vilipêndio à fé alheia, a prática mais profana de crime, chamada pedofilia. O Santander deve, sim, desculpas, à população brasileira”.
Parlamentares ligados à esquerda defenderam a mostra e diziam que os conservadores promoviam o “obscurantismo”.
Assista:
Fonte: JM Notícia

Uma das traficantes mais procuradas do Brasil se converte ao Evangelho: “Hoje cuido de vidas”

Ela chegou a ser uma das três mulheres mais procuradas no Brasil. O motivo? Tráfico de drogas. Boa parte das pessoas que entram nesse universo morrem cedo. Mas, Cinthia Mara faz parte da turma que conseguiu deixar o crime e ter uma nova vida. A ex-traficante se converteu ao Evangelho e hoje ajuda pessoas que passam pelo mesmo dilema. Mas, para que ela chegasse a ser tão procurada pela polícia federal, traumas e lutas foram grande influenciadores.
“Eu tive decepções em casa, com a família, discussões com minha mãe e com meu pai. Quando eu me envolvi (com as drogas) eu tinha 16 para 17 anos. Eu tinha 12 anos quando meus pais se separaram e eu já tinha uma frustração porque eu era filha adotada. Meus pais sempre esconderam os biológicos. Cada hora era uma história diferente. Então, o fato de eu ter crescido sobre uma inverdade gerou muita revolta e com os problemas que tive em um relacionamento, fui mãe aos 15 anos. Me separei dessa pessoa e voltei para a casa dos meus pais”, contextualizou Cinthia.
“Eu estava passando conflitos dentro de casa e estava desviada dos caminhos do Senhor. Havia um rapaz que eu evangelizava. Um dia ele me ligou e eu comecei a chorar. Ele disse que poderia me ajudar”. O rapaz afirmou que tinha uma “lojinha” de drogas e apesar de achar errado, ela aceitou a “ajuda” do rapaz. “Eu me senti acolhida pelo tráfico. E esse rapaz era muito envolvido com o Primeiro Comando da Capital, o PCC. Eu visitava ele na cadeia e passei a cuidar dos negócios dele. Mas, pelo fato dele ser envolvido com o PCC, eu também acabei me envolvendo”, disse ela.
Aprisionada
“Fui presa quatro vezes. Foram quatro estados diferentes. Todas por causa de drogas. Fui presa em um laboratório fazendo drogas. Fui presa duas vezes por escuta telefônica e essa última vez também foi por escuta. Eu morava em Puerto Quijarro, na Bolívia, porque não podia mais morar no Brasil. Eu estava entre as três mulheres mais procuradas do Brasil. Como Puerto Quijarro é bem perto da fronteira, eu ficava lá no fim de semana e durante a semana eu ficava e Porto Soares. E quando eu via que tinha polícia à paisana atrás de mim, eu ficava um tempo fora. Morei muito tempo na Bolívia”, ressaltou.
“Eu fui conduzida para a penitenciária do horto florestal e lá o Senhor começou a mudar a minha vida. Quando eu cheguei, fiquei no isolamento por 30 dias, por ser presa pela Polícia Federal. Tinha uma moça que havia ficado com o bebê dela e ela tinha se convertido. Então, ela falava do Senhor para mim. Eu dizia: ‘Olha, Deus conhece meu coração’. Eu louvava para ela, pois ela estava triste por ter entregado o bebê. E achava que era hipocrisia minha. Quando eu estava na rua, traficando, eu não lembrava do Senhor. Achava hipócrita eu clamar a Deus”, reconheceu.
Libertação
“Quando completei os 30 dias de castigo, teve um evento (na cadeia) e eu fui. E tinha um pastor nessa festa, fugi dele o evento todo. Só que em um momento ele pegou no meu braço e o Senhor usou ele para falar comigo. ‘Se você for fiel a mim, eu serei fiel contigo e é aqui na terra da tua vergonha que eu vou exaltar você’. E aí eu comecei a reconciliação. Foi um processo. Meu esposo fazia evangelismo no presídio, o Senhor falou para ele que eu estava lá e nos casamos, comigo presa. Eu comecei a trabalhar na secretaria de política sobre drogas de Esmeraldas (município em Minas Gerais) e hoje eu tenho um filho. Um bebê de seis meses”, comentou.
Confira o testemunho na íntegra:
Fonte: Gospel Geral

Eslováquia é o primeiro país da Europa a impedir oficialmente a propagação do Islã

O Parlamento eslovaco aprovou esta semana uma lei que visa impedir a propagação do Islã. Em um sinal de desobediência aos esforços da União Europeia para aceitar indiscriminadamente o grande afluxo de imigrantes, a grande maioria muçulmanos, o primeiro-ministro Robert Fico defendeu medidas restritivas.
A partir de agora, para ter o status de religião oficialmente reconhecida, o projeto de lei proposto pelo Partido Nacional Eslovaco (SNS), determina que são necessários pelo menos 50.000 membros. Caso queira receber qualquer subsídio do estado, como abrir suas próprias escolas e instituições, uma religião precisa desse reconhecimento. Oficialmente, a Eslováquia tem menos de 5.000 islâmicos.


O SNS destaca que essa nova lei evita o registro de movimentos que são apenas provocações,  como a Igreja do Monstro de Espaguete Voador, que reúne seguidores em todo o mundo, a maioria ateus.
“A islamização já começou e devemos nos dar conta do que vamos enfrentar em cinco ou dez anos. Precisamos fazer todo o possível para que nenhuma mesquita seja construída aqui no futuro”, ressaltou o presidente do SNS, Andrej Danko.
Ano passado, o Ministério do Interior da Eslováquia afirmou que somente imigrantes cristãos seriam aceitos no país. Atualmente, 92,5% da população se identifica com esta religião.


A nova lei foi aprovada por dois terços do Parlamento, numa aliança rara entre partidos da base do governo e os da oposição. Os legisladores rejeitaram uma proposta mais extrema, do Partido Popular Nossa Eslováquia, que desejava fixar em 250.000 o número mínimo de membros de cada religião reconhecida.
As dificuldades da União Europeia em integrar os milhões de imigrantes que chegaram ao continente desde o início de 2015, aliados a uma série de ataques terroristas realizados por pessoas que se identificam como islâmicas contribuíram para a decisão.


Como a Eslováquia atualmente preside o Conselho da União Europeia, especialistas temem que esse anúncio possa influenciar outros países a fazer o mesmo. Embora não tenha proibido abertamente o Islã, a Hungria se recusou a receber refugiado islâmicos.
Ao mesmo tempo, na Holanda, onde as eleições ocorrem em março de 2017, o favorito ao cargo de primeiro-ministro é Geert Wilders, cujo partido já anunciou que pretende banir o Alcorão e fechar as mesquitas.
Além da Eslováquia, Angola na África e China na Ásia são os únicos países com leis que impedem a propagação do Islã em seu território.


Com informações de ABC

NO COLO DO BIXO . Suspeito de envolvimento na tentativa de latrocínio do Cabo Garcia, é morto durante troca de tiros com a Polícia Militar em Rio Claro, SP

O indivíduo foi alvejado com cinco disparos, sendo solicitado o socorro junto ao SAMU. Na madrugada desta quinta-feira (07), um indivídu...