quinta-feira, 10 de abril de 2014

Cristãos associam fenômeno natural "luas de sangue" a profecias do Apocalipse


No próximo dia 15 de abril se iniciará um ciclo de 4 eclipses lunares em que a lua irá adquirir, durante um período curto de tempo um tom avermelhado.

Esse fenômeno tem motivado uma série de interpretações por cristãos, que acreditam se tratar do cumprimento de profecias bíblicas relacionadas ao fim dos tempos.

A chamada “lua de sangue” terá inicio às 5:20 (Hora de Greenwich), momento em que a lua começará a entrar na sombra da Terra até ficar em uma linha reta com o nosso planeta e o Sol. Com duração de 78 minutos, o eclipse poderá ser visto na América do Norte e no oeste da América do Sul.

Esse eclipse é o início de um ciclo de quatro aparições desse fenômeno natural, chamado tétrade. Além do dia 15, o fenômeno se repetirá também nos dias 8 de outubro, 8 de abril de 2015 e 28 de setembro de 2015, segundo a CBN.

Um dos proeminentes cristãos que interpretam o acontecimento como tendo dimensões bíblicas é o pastor John Hagee autor do livro “Four blood moons: something is about to change” (Quatro luas de sangue: algo está prestes a mudar).

Entre os trechos da Bíblia utilizados por cristãos para apoiar a ideia de que o fenômeno tem relação com o fim dos tempos estão os trechos de Lucas 21:25 e Atos dos Apóstolos 2:20 que, respectivamente, se referem ao fim dos tempos afirmando que “haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas” e que “o sol se converterá em trevas, E a lua em sangue, Antes de chegar o grande e glorioso dia do Senhor”.

Há quem acredite que após essas datas em que “a lua se tornará em sangue” começarão os 7 anos de tribulações do governo do Anticristo. Entre os defensores dessa tese, é defendido também que há várias indicações de que a tensão entre Israel e os seus vizinhos muçulmanos está prestes a explodir, o que alimenta ainda mais uma possível aproximação histórica com o apocalipse bíblico.


Fonte: Gospel+

Valdemiro Santiago afirma que as igrejas são iguais e que macumba pega

Valdemiro Santiago gravou uma polêmica entrevista ao "talk show" "Luciana By Night" (RedeTV!), de Luciana Gimenez, no fim da tarde de terça-feira (8).

No bate-papo, o autointitulado apóstolo relembrou sua infância pobre, no interior de Minas Gerais, contou do trabalho na roça e se emocionou ao falar da morte da mãe, quando ele tinha 12 anos.

Segundo Santiago, o incidente o levou a tentar o suicídio. "Quando ela morreu, a gente se perdeu. Eu tentei suicídio, tentei me matar, porque eu achava que sem ela eu não conseguiria sobreviver. Ela era a sobrevivência mesmo", disse.

O religioso também afirmou não existir diferenças entre as igrejas. "As igrejas são iguais, Deus é que faz a diferença na vida da gente. Deus não está preocupado com o nome de igreja ou a religião. Ele está preocupado conosco. O Deus que me ama, ama você do mesmo jeito."

"Essa história de religião, de placa de igreja, não existe. Reino de Deus não tem um cantinho pra essa ou pra aquela igreja, não. Me perguntam qual a religião que eu indico, 'a sua religião'? Eu falo 'não, porque eu não tenho religião'. A religião deve ser essa: amar a Deus, temer a Deus e amar o próximo como a ti mesmo", seguiu.

Mas se isentou de compará-las: "Na verdade, eu nem comparo, porque eu prego a palavra e as coisas que acontecem na igreja não saem dos meus recursos próprios. Como é Deus que produz aquilo, que faz tudo, eu não poderia nem comparar. Deus é quem decide em qual igreja ele vai operar e qual maneira vai operar. De uma igreja pra outra acontecem coisas diferentes, tem um grau de dificuldade mais elevado, milagres. Só que aí não sou eu, não é responsabilidade minha, não é por causa do Valdemiro."

Quando questionado se acredita em macumba, se macumba "pega", o apóstolo foi direto: "Ah pega. Em mim não pega, não. Eu carregava um patuá na época [infância na roça]. Uma macumbeira colocou um patuá, disse que era pra me proteger e eu fiquei rebelde com todo mundo. Então pegou [macumba], porque eu fiquei amigo dela e inimigo de todo mundo. O mal existe e é isso que eu quero dizer. Não é que a macumba pega, é que existe o mal assim como existe o bem".

Gimenez perguntou sobre a fama de milagreiro de Santiago.

"É verdade nada. Não é verdade. Quem faz milagre é Deus, é Jesus Cristo. O milagre é pela fé", disse o líder da Igreja Mundial do Poder de Deus.

Ainda na entrevista, o apóstolo descreveu um naufrágio do qual foi vítima em 1996, em Moçambique, e afirmou que o episódio foi uma sabotagem. O acidente ocorreu na África.

O programa "Luciana by Night" com Valdermiro Santiago vai ao ar na próxima terça-feira (15).


Fonte: Jornal Floripa

Justiça determina e Ivan Bastos retorna à tesouraria da CGADB

A justiça de Manaus emitiu uma segunda carta precatória exigindo a reintegração do pastor Ivan Bastos à Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB). A decisão vale para fazê-lo voltar a ser reconhecido não só como membro, mas também como 1º Tesoureiro – cargo para qual foi eleito durante a Assembleia Geral Ordinária de abril do ano passado.
Com este documento em mãos, um Oficial de Justiça foi até a sede da CGADB, no Rio de Janeiro, para pedir a reintegração. Aocontrário da primeira vez, não foi preciso usar a força policial para que o pastor pudesse ocupar o seu cargo.
O pastor Geremias do Couto comentou, porém, que ao chegar para atuar como tesoureiro, o pastor Ivan Bastos encontrou os computadores protegidos por senha e não havia nenhuma documentação ou conta bancária para ser analisada.
Os fatos, segundo Couto, serão comunicados ao juiz por mostrar descumprimento da decisão judicial, pois ao retirar os documentos e impedir o acesso aos computadores, a CGADB inviabiliza o trabalho do Tesoureiro.
O pastor Ivan Bastos foi desligado da CGADB por conta da decisão de um processo disciplinar movido contra ele pela Mesa Diretora. Ao lado dos pastores Jônatas Câmara, Samuel Câmara e Sóstenes Apólos (já falecido), ele foi acusado de tumultuar a AGE que aconteceu em 2012 em Maceió.
Os irmãos Câmara foram afastados pela decisão da Mesa, mas Bastos, que já estava eleito como 1º Tesoureiro, precisou ser desligado através da decisão dos pastores que participaram de uma AGE em São Paulo.
Desde então ele não pode mais entrar na sede da Convenção e tem tentado na justiça ser reintegrado ao quadro de pastores.

GP

Para pagar um voto, Bispos da Record deixam barba crescer


Os bispos da Record estão com uma moda diferente nos corredores da emissora. Desde que o dono, o Bispo Edir Macedo, decidiu cultivar uma comprida barba, há cada vez mais barbudos na Record.

Ela trata-se de um “voto” a Deus pelo término das obras do Templo de Salomão.

Esse templo é uma obra faraônica na zona leste de São Paulo. O vice-presidente artístico da emissora, o bispo Marcelo Silva, também já aderiu ao novo visual, junto com o vice-presidente de jornalismo, Douglas Tavolaro, e o vice-presidente executivo, Marcus Vinicius Vieira.

O “voto” da Igreja Universal é como se fosse a promessa na Igreja Católica. A construção desse Templo está fazendo com que a Igreja Universal reduza o dinheiro destinado à Record, levando a cortes de gastos de produção, terceirização de serviços e redução de salários.

Em construção desde 2010, o templo é uma réplica ampliada da lendária igreja construída pelo bíblico rei Salomão em Jerusalém, há mais de 2.500 anos, com o interior e o altar cobertos de ouro. O templo de está sendo erguido no bairro do Brás, na zona leste de São Paulo.

Com 74 mil metros quadrados de área construída e 56 metros de altura, o equivalente a um prédio de 18 andares, comportará 10 mil pessoas sentadas. Será maior do que a Catedral da Sé, em São Paulo, e duas vezes mais alto do que a estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro.

O projeto da igreja segue orientações bíblicas e incorpora elementos para resgatar a atmosfera da época vivida por Salomão, como madeira, pedra e cobre, que serão usados em larga escala na área da nave. Edir Macedo decidiu revestir seu templo com pedras importadas de Israel.

O templo já tem 86% das obras concluídas e a inauguração será neste ano. As informações são do jornalista Daniel Castro.


Fonte: Boa Informação

ALERTA GERAL - PT NÃO QUER A CPI DA PETROBRAS .

Brasília - A senadora Ana Rita (PT-ES) protocolou na noite desta quarta-feira, 9, um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal para barrar a instalação da CPI da Petrobrás no Senado apresentada pela oposição. Numa ação que conta com o aval da bancada do partido, Ana Rita pede que o STF conceda uma liminar para suspender a CPI oposicionista sob a alegação de que não há fato determinado que justifique a investigação parlamentar a respeito da estatal.

Os petistas reagem na mesma moeda que a oposição, que nesta terça-feira, 8, recorreu ao Supremo para assegurar o direito da minoria de ver instalada a CPI proposta por eles. Na prática, os governistas tentam adiar o máximo que for possível a instalação da comissão parlamentar destinada a investigar a estatal.
Na manhã desta quarta, a ex-ministra e senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) anunciou queiria recorrer ao Supremo para impedir a comissão. Para Gleisi, é preciso ter "coerência" porque o pedido da oposição tinha quatro fatos que não tinham ligação entre si.
"Quero dizer a esta comissão que, assim como a oposição, apresentaremos também um mandado de segurança ao Supremo Tribunal Federal com base nos mesmos argumentos para que se conceda uma liminar para que se suspenda a instalação da CPI por não atendimento da determinação e conexão dos fatos", disse ela durante sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que decidiu pela CPI ampliada da Petrobrás.
Mandado. Para Ana Rita, o requerimento da oposição tem fatos "vagos e genéricos" sem qualquer relação entre si, sem qualquer indicação mínima de quais atos de irregularidades teriam sido cometidos. "Se analisado em conjunto, o enunciado evidencia que a intenção dos autores é promover uma investigação generalizada da atuação da Petrobrás durante as gestões dos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, o que confirma a natureza político-eleitoral do pedido", afirmou, no mandado de segurança.
A senadora do PT alegou no processo que, pela Constituição, é preciso ter um fato determinado que será objeto da apuração e não fatos "indeterminados, referências soltas, genéricas, pulverizadas em um requerimento, lotericamente objetivando geração de fatos determinados no curso da investigação". "Não se pode criar CPI para apurar se houve fato ou fatos. Mas, ao oposto, deve-se criá-la a partir de fatos existentes, precisos, que permitam promover as investigações devidas", afirmou.
No requerimento, a oposição elencou quatro fatos que envolvem a Petrobrás: 1) a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA); indícios de pagamento de propina a funcionários da estatal pela companhia holandesa SBM Offshore; 3) denúncias de plataformas entrando em atividade no mar incompletas: 4) e indícios de superfaturamento na construção de refinarias.
"Nesse sentido, a investigação deve estar irrestritamente vinculada a uma fato determinado original, sob pena de desvio e esvaziamento de finalidade e consequente ineficácia das atividades da Comissão Parlamentar de Inquérito, além de violação dos dispositivos constitucional, legal e regimental", sustentou Ana Rita, na ação de 15 páginas. O mandado de segurança deve ser distribuído para a ministra Rosa Weber, que já relata o recurso apresentado ontem pela oposição. 

VIA   GRITO   DE   ALERTA  .  INF. ESTADÃO 

“Não chame meninas de princesas”, diz campanha da Avon

Uma campanha da Avon tem gerado polêmica nas redes sociais por pedir aos pais que não chamem suas filhas de “princesas”, dizendo que o elo...