quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Irmandade Muçulmana é declarada ‘grupo terrorista’ no Egito


Imagem: Reprodução/AP-BBCBrasilA Irmandade Muçulmana, principal movimento político do Egito e grupo do ex-presidente Mohammed Morsi, foi declarada “terrorista” pelo governo interino instaurado pelos militares.
O governo interino tomou a decisão após um atentado atingir a sede da polícia egípcia no início da semana. O Egito vive sob forte tensão política desde a deposição do ex-presidente Morsi por uma junta militar em julho.
A Irmandade Muçulmana negou responsabilidade no ataque, assumido por um grupo ligado à rede Al Qaeda.
Milhares de integrantes do grupo foram presos nos últimos meses, após protestos do grupo. A Irmandade Muçulmana ficou na clandestinidade durante a ditadura militar que governou o Egito na segunda metade do século 20.
Morsi é mantido preso desde sua deposição. A Irmandade Muçulmana conquistou o poder nas primeiras eleições livres no Egito, após a queda do regime militar de Hosni Mubarak, em meio a uma onda de protestos na esteira na chamada Primavera Árabe.
A liderança do grupo, que hoje se encontra no exílio, disse que os protestos contra o governo interino implantando pelos militares deve continuar.
‘Horrorizado’
O anúncio foi feito pelo vice-primeiro-ministro do Egito, Hossam Eissa, que afirmou que a partir de agora as autoridades terão mais poderes para reprimir os membros da Irmandade Muçulmana.
Eissa disse que membros, financiadores ou quem estiver promovendo as atividades do grupo serão punidos.
A decisão é uma resposta ao atentado suicida à sede da polícia no distrito de Mansoura, que deixou 16 mortos e mais de cem feridos, segundo o governo.
“O Egito está horrorizado, de norte a sul, com o crime odioso cometido pela Irmandade Muçulmana”, disse Eissa.
“Isso (ataque) se deu em um contexto de uma perigosa escalada da violência contra o Egito e os egípios e de uma clara afirmação da Irmandade Muçulmana de que o grupo não conhece nada além da violência”, disse.
O governo egípicio disse que irá notificar os demais países árabes da decisão. Desde 1998, a região assinou um tratado antiterrorismo.
Um dos líderes do grupo no exílio, Ibrahim Munir, disse à agência France Presse em Londres que a decisão “não é legítima” e afirmou que “os protestos vão continuar, certamente”.
Clandestinidade
Simpatizantes da Irmandade Muçulmana vêm organizando protestos desde a deposição de Morsi, em julho.
O primeiro governo democraticamente eleito do país não resistiu à presão dos setores seculares do Egito, incomodados com a crescente influência islâmica nas políticas públicas do país.
Sob o governo de Morsi, o Egito ganhou uma constituição considerada pró-Islã, o que despertou o temor em grupos seculares e na minoria cristã de que o país pudesse virar uma teocracia.
Morsi foi derrubado após imensas manifestações populares de grupos contrários à interferência religiosa na polícia.
O movimento, que tem 85 anos, já havia sido banido no Egito em 1954, no início do regime militar – que se estendeu até o governo de Mubarak.
Para tentar driblar novamente a clandestinidade, o partido se registrou como uma ONG em março deste ano.
Oficialmente, o partido da Irmandade Muçulmana é o Partido da Liberdade e Justiça, criado em 2011 como uma agremiação “não-teocrática” após a queda de Mubarak.

V G.

Bispo Roberto Torrecilhas fala sobre o crescimento do número de evangélicos sem igreja


Roberto Torrecilhas fala sobre o crescimento do número de evangélicos sem igrejaSegundo a última Pesquisa de Orçamentos Familiares, do IBGE, o número de evangélicos que não mantêm vínculo denominacional eram 4% dos evangélicos em 2003 e 14% em 2009, um salto de 4 milhões de pessoas. Que em 2011 pode chegar a 20% dos evangélicos.
As tendências registradas na década passada, como a queda da proporção de católicos e protestantes históricos se confirma em 2011 com o alto índice dos sem religião e neopentecostais.

No caso dos sem religião, eles foram de 5,1% da população para 7,1%. Embora a categoria seja em geral identificada como ateus e agnósticos, pode incluir quem migra de uma fé para outra ou criou sua própria igreja.
Os últimos dados divulgados indicam que há no Brasil cerca de 40 milhões de evangélicos, o que representa quase 25% da população brasileira. Porém cresce também o número de pessoas que se classificam como evangélicos sem vínculo denominacional.
Procurando entender melhor este fenômeno, Michael Caceres, repórter especial do portal, procurou o bispo Roberto Torrecilhas, do blog Gritos de Alerta. Leia a entrevista com Roberto: 
Michael Caceres – Existe uma nova linha teológica pregando que pra ser cristão não é necessário ir à igreja. Qual base usada para este pensamento teológico?
Roberto Torrecilhas – Essa linha teológica é uma grande mentira, pois nenhum galho de uma arvore sobrevive se não estiver ligado nela. Ai eles vão dizer que Jesus é a arvore, eu digo, Jesus é o cabeça, o tronco do corpo somos nós (igreja).
É impossível um membro de uma igreja ter uma vida sadia, saudável, se não estiver em comunhão com o corpo (igreja), isso é coisa de quem não quer compromisso.
Arranque um dedo, e depois de três dias já estará apodrecido. Corte um galho de uma arvore, e logo estará seco, servindo apenas para ser queimado.
Jesus fala de galhos sendo arrancados e jogados fora, queimados. Impossível ser membro do corpo de Cristo se não estiver ligado a ele.
Michael Caceres – A que se deve o crescimento no número de evangélicos que não querem mais frequentar a igreja com base neste pensamento?
Roberto Torrecilhas – Falta de compromisso com Deus, falta de compromisso com o ministério e seus objetivos. Também por causa dos escândalos, em que levam as pessoas a desacreditarem nessas organizações.
As pessoas buscam na igreja uma ilha em meio às tempestades no meio do mar. E quando encontram se deparam com problemas piores do que no mundo.
Certa vez, estava evangelizando um presidiário, e quando contei para ele o que ocorria dentro das igrejas ele quase pirou. Pois achava que certas coisas somente aconteciam no mundo, fora dos templos e igrejas. Lideres mal intencionados são os grandes culpados.
Michael Caceres – Este crescimento pode ter um resultado negativo para a igreja?
Roberto Torrecilhas – Entraremos na época das igrejas de membros decepados. Onde veremos não um corpo, e sim membros perambulado por ai, sozinhos. Dizendo assim: Paz do Senhor senhora perna, ou paz do Senhor pescocinho de Deus.
Também, depende do ponto de vista de cada um, pois não posso considerar uma pessoa que me fala que é evangélica, mas vive distante da igreja. O ponto negativo, é que o diabo vai entrar nesse meio como já tem entrado, e vai criar um novo tipo de igreja. A igreja dos membros conservados em formol, e nesse caso o papel do formol é a mentira, pois nenhum membro de nosso corpo se conserva se desligado dele.
Michael Caceres – O que poderia ser mudado para evitar que mais cristãos sigam a mesma linha teológica?
Roberto Torrecilhas – Ter líderes que amem de verdade as vidas e olhem para elas como seres humanos dependentes de carinho, afeto, amor e verdade. E não apenas como dizimistas e ofertantes. Parar de fazer das igrejas, como se fossem pastagem de engordar gados. Onde quanto mais gado gordo, mais lucro no final do mês.
Michael Caceres – O senhor acredita que a divisão da igreja, principalmente em um cunho denominacional, pode ser uma das principais razões para o crescimento no número de evangélicos sem igreja?
Roberto Torrecilhas – Bem sei que DEUS não tem paredes, nem placas e nem limites. Mas com tantos nomes de igrejas, que na verdade são verdadeiros escândalos, vão levar pessoas a se distanciarem sim.
Fiz uma pesquisa no Google de nomes engraçados de igrejas a qual eu fiquei estarrecido. Vai ter talento assim lá longe. Se perdurar essas mentiras e escândalos, vai crescer sim.
Michael Caceres – O que os líderes de igreja podem fazer para evitar que seus membros sigam este tipo de ensinamento doutrinário?
Roberto Torrecilhas – Amar, Ser Verdadeiro, pregar a verdade acima de tudo. Mas infelizmente muitos não o fazem. Hoje em dia, a igreja que tem crescido de uma forma catastrófica é a igreja na internet, onde a pessoa fica em casa. Não precisa ir à igreja. Distante de tudo e de todos, buscam a ter uma vida com Deus. Dizem fazer parte da igreja do Senhor, mas não o são, são apenas membros distantes do corpo.
Michael Caceres – Qual a importância de se congregar?
Roberto Torrecilhas – Você é chamado para participar, não somente crer. Embora seu relacionamento com Cristo seja pessoal, Deus nunca quis que fosse particular. Não existe “cristão autônomo”. Seguir a Cristo inclui integrar, não apenas acreditar, mas participar do corpo, pois somos membros do corpo de Cristo – a igreja. Para o Apóstolo Paulo, ser “membro” da igreja significava ser um órgão vital de um corpo vivo, parte indispensável e interconectada. Eu não posso ser um braço fora do corpo, o mesmo vai apodrecer, membros amputados são conservados dentro de um pote com formol (Romanos 12.4,5 e 1 Coríntios 12.12-27).
Michael Caceres – Como um cristão que esteja enfrentando uma determinada situação em sua igreja pode resolver o problema sem deixar de frequentá-la?
Roberto Torrecilhas – Primeiro, saber quem foi o responsável pela situação em questão. Se for ele, que procure se corrigir. Mas sempre o homem vai procurar colocar a culpa em outros, em questões que ele mesmo é culpado. Adão falou: Deus, a mulher que o senhor me deu por companheira é a culpada disso tudo estar acontecendo. Devemos aprender a assumir nossas responsabilidades, tomarmos posição madura. Todas as igrejas tem as suas dificuldades, e você pode trocar de igreja 50 vezes, e sempre vai encontrar situações difíceis. Digo que, a começar em mim, olhar para mim, me corrigir, tirar a trave de meus olhos para depois tentar tirar um cisco dos olhos de meu irmão.


FONTE . www.overbo.com.br

Após saída de Feliciano, evangélicos tentam manter liderança da Comissão de Direitos Humanos



Após saída de Feliciano, evangélicos tentam manter liderança da Comissão de Direitos HumanosEvangélicos tentam manter liderança em comissão de Feliciano
O pastor Marco Feliciano já se despediu da presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. Mesmo assim, integrantes da chamada bancada evangélica desejam manter o controle da Comissão.
Segundo o jornal Folha de S. Paulo, eles estariam entusiasmados com a visibilidade gerada desde que Feliciano assumiu a presidência. Integrantes da bancada já articulam quem poderá ser o novo presidente do colegiado.
A estratégia usada pelos evangélicos seria pressionar os partidos a indicar o maior número de representantes da bancada religiosa para compor a comissão em fevereiro, quando termina o recesso parlamentar. Um dos nomes mais fortes para assumir o posto com o apoio dos religiosos é o do deputado Marcos Rogério (PDT-RO), amigo de Feliciano.
Haverá uma nova eleição para presidente e os deputados evangélicos acreditam que essa comissão pode ser um local estratégico para defenderem seus pontos de vista e também conquistarem votos nas eleições do próximo ano.
Ao longo de 2013, Feliciano foi constantemente atacado e pressionado para renunciar. Ele resistiu e enquanto esteve no comando da comissão promoveu debates sobre questões de grande repercussão, como o projeto que autoriza psicólogos a oferecer tratamento a gays.
O Partido dos Trabalhadores é o maior partido da Câmara. No dia 3 de fevereiro fará uma reunião para definir o novo líder da bancada. Com isso, apontará as comissões que pretende presidir em 2014. Todas as comissões que garantam apoio aos projetos de interesse da presidente Dilma Rousseff deverão receber prioridade. Com informações Terra.

NATAL COM O PT - Vendas de Natal têm pior desempenho em 11 anos, segundo Serasa Experian

Em queda
Crédito restrito, confiança em baixa, juros em alta e dólar mais caro levaram os brasileiros a reduzir o ritmo de consumo neste Natal, a principal data do ano para o comércio. Balanços preliminares indicam o pior desempenho em 11 anos.
Os fatores acima, somados ao ainda alto endividamento das famílias, provocaram, em 2013, uma desaceleração do comércio depois do forte ritmo registrado nos últimos anos. Até então, o consumo vinha se mantendo como o principal vetor de crescimento da economia brasileira.
O fraco desempenho do Natal confirma as previsões de economistas de que o comércio deva fechar o ano com o menor crescimento em uma década.
Segundo a Serasa Experian, as vendas do varejo subiram 2,7% no período entre 18 a 24 de dezembro, o menor percentual desde quando o dado começou a ser medido, em 2003. A média anual de crescimento no período foi de 7,55%.
Dados da Boa Vista também indicam perda de ritmo. O crescimento foi de 2,5%, ante os 4,5% registrados em 2012. Não há dados históricos para o indicador.
Os balanços de ambas as empresas são feitos com base nas consultas dos varejistas aos bancos de dados disponíveis sobre os consumidores.
Nos shoppings, as vendas tiveram um incremento de 5%, o menor ritmo dos últimos cinco anos, segundo a Alshop (associação do setor).
Para o presidente da entidade, Luiz Augusto Idelfonso, a desaceleração veio para ficar. "A volúpia de compras acabou. As pessoas ja compraram o que precisavam e agora estão fazendo reposição", diz.
O gasto individual do brasileiro nos shoppings neste Natal caiu 10% com relação ao ano anterior. Nos empreendimentos populares, o ticket médio ficou entre R$ 35 e R$ 55. Já nos de classe média e alta, variou entre R$ 75 e R$ 125.

 Os shopping centers tiveram o pior Natal em cinco anos, segundo a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop).Considerando-se lojas que já estavam funcionando no Natal de 2012, o faturamento ficou estável –ou seja, na média, não houve alta nem queda.
O desempenho variou de acordo com o setor. O de vestuário foi o que teve o pior desempenho na data: o faturamento caiu 1%. Esse setor é muito importante para os shopping centers porque concentra a maior parte das lojas nesses empreendimentos.
“Esse foi o pior Natal em cinco anos. Se não fosse o crescimento orgânico dos shoppings e as expansões, não teria havido crescimento nenhum”, diz o presidente da Alshop, Nabil Sahyoun.
Considerando-se todo o ano de 2013, o faturamento dos shoppings também ficou estável em relação a 2012, segundo a Alshop.
Inflação, endividamento e dólar caro foram ‘vilões’
Os motivos desse resultado ruim no Natal, segundo a Alshop, foram o aumento da inflação, o crescimento do endividamento das famílias e a alta do dólar, entre outros.
“O Brasil cresceu demais nos últimos quatro, cinco anos. Mais de 50 milhões de novos consumidores apareceram. Em 2009, eles compravam liquidificador, geladeira, televisão, porque não tinham. Agora, eles só repõem. É natural que aconteça uma acomodação”, diz o diretor de relações institucionais da associação, Luís Augusto Ildelfonso da Silva.
O valor médio gasto por cada consumidor em shopping centers populares variou de R$ 35 a R$ 55 neste Natal, de acordo com a Alshop. Nos shoppings destinados às classes de maior poder aquisitivo, ficou entre R$ 75 e R$ 125. Nos dois casos, houve queda de 10% no valor na comparação com o Natal de 2012.






Fonte: Uol / FOLHA DE SP.

ATENÇÃO . Veja os postos de ajuda para vítimas da chuva no Espírito Santo

Água potável é um dos principais ítens para a doação de afetados pela chuva no Espírito Santo. (Foto: Reprodução/TV Gazeta)Água potável é um dos principais ítens para a
doação. (Foto: Reprodução/TV Gazeta)
Os postos de ajuda para as vítimas da chuva no Espírito Santo foram listados pela Defesa Civil.
O governo decretou situação de emergência em todas as áreas afetadas por desastres.
Segundo a Defesa Civil Estadual, milhares de kits dormitório, cestas básicas, limpeza e higiene pessoal já foram distribuídos para as regiões mais afetadas.
As maiores necessidades são água, cestas básicas e colchões. Roupas e produtos de limpezas pessoais também são bem vindos. O governo do Espírito Santo também abriu contas correntes no Banestes, no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal, em nome do Corpo de Bombeiros, para recebimento de doações em dinheiro para o socorro às vítimas das chuvas.
Vitória
*O governo suspendeu temporariamente as doações feitas na Praça do Papa. O momento é de organização no maior ponto de doação. Outros postos de recolhimento seguem funcionando; veja lista.


Arquidiocese de Vitória
Rua Soldado Abílio dos Santos, 47, Cidade
Alta.
Telefone: (27) 3223-6711
Igreja Batista da Mata da Praia
Av. Des. Dermeval Lyrio, 501
1º Batalhão da Polícia Militar
Av. Maruípe, 2115, Maruípe
Telefone: (27) 3636-7306
Shopping Jardins 
Rua Carlos Monteiro de Lemos, 262 - Jardim da Penha
Telefone: (27) 3314-5000
Grande Loja Maçônica
Avenida Joubert de Barros 358, Bento Ferreira.
Telefone: (27) 2124-1000
Loja bebedouros e Cia 
Shopping Vitória, Próximo à Centauro
Telefone: (27) 3345-2548
DPJ de Vitória
Endereço: Rua Construtor Camilo Gianórdoli, nº 553 – Horto
Telefone: (27) 3137-9025
Edifício Fábio Ruschi
Avenida Governador Bley, 236, Centro

IBEF
Rua Almirante Soido, n° 53, apto 702, Ed. Charles Bitran
(rua da praça do Cauê, sentido Terceira Ponte, prédio azul e branco)
Cariacica
Padaria Ebenezer
Rua Fernando de Sá, Bairro Itaquari 
Portaria da Unidade de Internação Socioeducativa (Unis)
Rodovia Governador José Sette, s/n, Cariacica Sede
Vila Velha
Ginásio Tartarugão
Av. Perimetral, Coqueiral de Itaparica
Escola de Formação do Iases
Rua Lourdes dos Santos, número 108, bairro Ibes, Vila Velha.
Telefone: (27) 3219-5810.
4º Batalhão da Polícia Militar
Av Nossa Senhora da Penha, 118, Ibes, Vila Velha.
Telefone: (27) 3636-0400
Loja Bebedouros e Cia - Shopping Praia da Costa
Ao lado das Lojas Americanas.
Telefone: (27) 3020-2611
Serra
Primeira Igreja Batista em Laranjeiras
Telefone: (27) 3328-5150
Mimoso do Sul
Sede da Defesa Civil
Térreo da Prefeitura Municipal, Centro
Telefone: (28) 99976-5052
Rio Bananal
Creche Municipal Tia Rita
Na entrada do município
Colatina
Escola Honório Fraga
Rua Nossa Senhora Aparecida, 204 – São Silvano
Telefone: (27) 3722-3247
Linhares
12º Batalhão da Polícia Militar
Rua Washington Luiz, 599 – Bairro José Rodrigues Maciel
Telefone: (27) 3372-7853
Primeira Igreja Presbiteriana de Linhares
Av. Vitória, 1048, Centro, Linhares.
Telefone: (27) 3371-1901.
Farmácia Auxiliadora
Em frente ao Mercado Municipal - Telefone: 3371-2115
Nova Venécia
2º Batalhão da Polícia Militar
Av Guanabara, 40, Bairro Iolanda – Telefone: (27) 3752-4200
Barra de São Francisco
11º Batalhão da Polícia Militar
Rua Vereador Antonio Roas Ruebra, 293. Centro. Telefone: (27) 3756-8400

VIA GRITOS DE ALERTA 

Sobe para 21 o número de mortos pelas chuvas no Espírito Santo

Aumentou para 21 o número de mortes em decorrência das fortes chuvas que atingem praticamente todo o Estado de Espírito Santo há uma semana. As mortes foram registradas nas cidades de Itaguaçu (oito casos), Colatina (seis) e Baixo Guandu (quatro), além de Domingos Martins, Barra de São Francisco e Nova Venécia, com uma morte em cada. Segundo a prefeitura de Vitória, cerca de 2 mil voluntários circulam por dia no centro de doações, que estava fechado nesta quarta-feira, 25. A estimativa é de que já tenham sido distribuídas mais de mil toneladas de doações – há ainda outras mil em estoque.

Rua totalmente alagada do município de Serra, 25 quilômetros ao norte de Vitória - Nelson Antoine - Fotoarena/Estadão Conteúdo
Nelson Antoine - Fotoarena/Estadão Conteúdo
Rua totalmente alagada do município de Serra, 25 quilômetros ao norte de Vitória
Há localidades nos municípios de Santa Leopoldina, Baixo Guandu, Itaguaçu e Itarana em que o acesso ocorre apenas de helicóptero. A Defesa Civil ainda informou que em algumas cidades as pessoas desalojadas já estão retornando às suas casas. O número de pessoas que ainda estão em abrigos ou nas casas de parentes e amigos por causa das chuvas é de 48.601. Destas, 4.565 pessoas foram acolhidas em abrigos e 44.036 estão em casas familiares e conhecidos. O levantamento da população afetada continua prejudicado pela dificuldade de acesso das equipes de resgate a muitas localidades, algumas isoladas pela inundação, sem qualquer tipo de comunicação, água e energia.
Ao todo, 50 municípios estão em situação de emergência. O governo do estado decretou situação de emergência em todas as áreas afetadas pelos desastres naturais. As equipes de busca continuam no local a procura de outros sobreviventes.

Doações. Nesta manhã de Natal, a Defesa Civil solicitou que a população de Vitória suspendesse o envio de donativos aos atingidos pelas enchentes e deslizamentos. "Precisamos dar vazão ao material que já arrecadamos", informou o secretário.
Há cerca de 2.000 toneladas de material coletado no centro de voluntários da Praça do Papa, na Enseada do Sua, em Vitória -- o maior do Estado. "As cidades também já conseguiram fazer estoque de material. Estão, inclusive, uma doando para as outras", garantiu Salomão. Mas doações de material de limpeza ainda são recebidas.
Oito caminhões do Exército chegaram na capital do Estado para ajudar no transporte das mercadorias. "Tem localizadas nas cidades de Santa Leopoldina, Baixo Guandu e Itaguaçu em que o acesso só consegue ser feito por helicópteros", disse o secretário. Sete aeronaves estão fazendo o serviço.
As cidades citadas por Salomão são justamente as que registraram as mortes no ES. Foram oito em Itaguaçu, duas em Baixo Guandu e três em Colatina. As 15 mortes se completam com um caso registrado em Nova Venécia.

Evangélicos no congresso nacional projetam aumento de 30% da bancada nas próximas eleições

A Frente Parlamentar Evangélica da Câmara dos Deputados projeta um crescimento de 30% nas eleições do ano que vem. Espera passar dos atuais 73 parlamentares para até 95 - ocupando algo em torno de 18% das cadeiras disponíveis. Especialistas não acham difícil que isso ocorra, pois o grupo nunca teve tanta força. 

E, em ano de sucessão presidencial, o poder de fogo desse setor da sociedade deve ficar ainda maior. Nas eleições de 2010, por exemplo, temas caros aos evangélicos, como o aborto, pautaram a disputa direta entre Dilma Rousseff e Jose Serra (PSDB).

— A presença dos evangélicos nunca foi tão grande. O debate (pautado pelo grupo) cresceu em eleições e no Legislativo — afirma a cientista política e professora da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Maria do Socorro Sousa Braga. 

Para o único parlamentar assumidamente homossexual do Brasil, o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), os partidos ligados aos religiosos já estão se esforçando para pautar as eleições com a temática contra o casamento gay, o aborto e a criminalização das drogas. 

— Querem, de maneira geral, rebaixar o debate para questões morais e comportamentais — afirma. 

Os evangélicos representam atualmente 22% de toda a população brasileira, segundo o IBGE. Seu voto é marcado pela fidelidade aos seus líderes religiosos. 

— Há um confronto (dos evangélicos) em relação às questões morais e novos posicionamentos (de grupos LGBT). Nesse debate os evangélicos são reforçados por integrantes de outras religiões também, vários representantes católicos passam a apoiar as teses desses parlamentares — diz Maria do Socorro. 

A professora da UFSCar lembra que, no caso dos candidatos à Presidência, sempre há uma tentativa de aproximação estratégica com os grupos religiosos. Ela diz que tal aproximação, porém, tem de ser feita de forma moderada a fim de não causar rejeição de outros eleitores.

Além de questões como o aborto e o casamento gay, os representantes dos evangélicos no Congresso tem outras áreas de interesse, como a de concessões de rádio e TV - por causa de programas e canais, comerciais e comunitários, ligados a igrejas. Há ainda projetos específicos caros ao setor. 

Um deles é o que dá poder às igrejas para contestar leis junto ao Supremo Tribunal Federal. O texto já passou pela Comissão de Constituição e Justiça e aguarda agora o crivo de mais uma comissão antes de ir a plenário. A aprovação desse projeto será uma das prioridades dos evangélicos em 2014.

O presidente da Frente Parlamentar Evangélica, deputado João Campos (PSDB-GO), afirma que a atuação cada vez maior dos evangélicos no campo da política vai ajudar a impulsionar a expansão da bancada. 

Mesmo evitando falar em um candidato à Presidência com apoio da frente evangélica, Campos afirma que o grupo não deve abrir mão de seus posicionamentos. 

— Sou do PSDB e meu candidato é o Aécio, mas não vou proteger ele, todos os temas relacionados com a defesa da vida, da família natural, à liberdade religiosa, que são valores da sociedade, os candidatos terão que se posicionar — diz. 

O pastor Marcos Feliciano (PSC-SP), que ficou conhecido após comandar durante este ano a Comissão de Direitos Humanos na Câmara, se coloca como um dos responsáveis pelo eventual crescimento do número de deputados ligados a religiões no ano que vem. 

— A minha participação na Comissão despertou católicos, evangélicos e espíritas — afirma Feliciano, segundo quem já há uma forte procura de outros políticos para que ele apareça em parcerias em santinhos no ano que vem.

Feliciano protagonizou, na presidência da Comissão de Direitos Humanos, uma série de polêmicas - foi alvo de protestos constantes - e conseguiu aprovar no colegiado até projetos tidos como homofóbicos.

O cientista político e professor da Universidade Federal de Pernambuco, Gustavo da Costa Santos, lembra que, apesar da alta exposição de Feliciano, su a atuação na Comissão de Direitos Humanos também gerou uma repercussão negativa em parte do eleitorado. 

— Toda sua exposição explicitou o quão caricato são essas figuras, como ele que assumiu a comissão para promover a pauta da sua visão de mundo da religião e não dos direitos humanos — afirma.

 As informações são do jornal  O Estado de S. Paulo.

Justiça derruba projeto que autorizava venda de ruas para a Igreja Batista da Lagoinha


O projeto de lei que autorizava a prefeitura de Belo Horizonte a vender três ruas para a Igreja Batista da Lagoinha (IBL) foi derrubado por mandado de segurança impetrado na Justiça.

A IBL pretende ampliar sua sede no bairro de São Cristóvão, BH, transformando o atual templo numa megaigreja para 35 mil pessoas. Um projeto de 2011, proposto pelo então vereador João Oscar, previa que uma área vizinha ao templo da denominação fosse vendida pela prefeitura à igreja para permitir a construção. A justificativa do projeto dizia que as ruas, além de não serem pavimentadas, não interferem na mobilidade urbana da capital mineira por serem de baixo movimento.

Entretanto, duas famílias vivem há mais de 50 anos em uma das ruas que seriam vendidas pela prefeitura à IBL. Caso o negócio se concretizasse, esses moradores perderiam o acesso às suas residências, e seriam forçados a vender seus imóveis para a igreja.

A partir dessa questão, o vereador Iran Barbosa, que impetrou um Mandado de Segurança elencando o que seriam “vícios do projeto” e a Justiça deferiu seu pedido, suspendendo todos os atos processuais legislativos ligados à proposta de venda das ruas.

A alternativa existente para a IBL continuar sua expansão seria negociar com os proprietários a aquisição dos imóveis pelo valor de mercado, e só então, tentar a aquisição das ruas, pois não atenderiam mais a nenhum morador.

O reverendo Mariel Marra, que se envolveu diretamente na questão, escreveu um artigo para o Genizah e comemorou que a Justiça tenha impedido a compra das ruas da forma como a IBL vinha tentando.

“Como cristão, evangélico e teólogo vejo que foi o próprio Deus quem colocou a mão nesta causa e impediu que Lagoinha edificasse um templo dedicado a Ele às custas de tamanha injustiça contra quem sequer tinha meios de se defender. Ele é Santo! Jamais receberia louvor e adoração, vindo de um lugar construído sobre um alicerce de injustiça. E como operador do Direito sinto-me particularmente realizado por ter auxiliado neste processo para que justiça fosse feita. Momentos assim fazem valer a pena os anos de estudo, as horas de sono perdidas e todas as demais privações. Nos fazem acreditar que ainda há justiça entre os homens e que o próprio Deus intervém quando nós buscamos antes de tudo a justiça do Reino, a qual é muito maior do que os interesses vaidosos de qualquer instituição”, pontuou.

Fonte: Gospel+

Metade dos americanos consideram o Natal mais religioso do que apenas cultural


Pouco mais de 50% dos americanos valorizam mais o lado religioso do Natal enquanto 22% acha que é muito mais cultural.

O Natal ocorre nesta quarta-feira (25) e no momento em que se discute que a data talvez tenha perdido seu fundamento principal, que é celebrar o nascimento de Jesus, foi relatado que apenas metade dos norte-americanos acredita que o Natal é muito mais religioso que cultural, segundo estudo.

De acordo com o relatório apresentado, 51% das pessoas tem o Natal como uma data religiosa, 22% acha que é muito mais cultural, 9% deu respostas próprias diferentes das duas alternativas e 7% não celebrará o Natal.

O estudo desenvolvido pelo setor de Religião e Vida Pública do centro de pesquisas Pew Research apurou as opiniões de variadas classes de americanos religiosos para compreender como o povo dos EUA encara o Natal e qual o grau de importância dá ao feriado cristão.

Além da questão do conflito entre religião e cultura, do ponto de vista cristão do Natal, as mulheres mostram maior pretensão em planejar ajudar nos serviços religiosos (58% das mulheres) do que os homens (50%).

Entre outras conclusões, 33% dos entrevistados deu indícios de que aceitam o lado comercial do Natal, com a compra e troca de presentes. Já 69% dos pesquisados afirmou que espera o período para se reunir a amigos e familiares.

Apesar de mostrar um grande número de americanos que tem deixado o lado religioso do Natal de lado, a pesquisa do Pew Research pode ser encarada como positiva, já que contrasta com outro levantamento feito pelo Instituto de Pesquisa Religião Pública (PRRI).

Segundo o PRRI, os americanos ignoram o perfil religioso do feriado muito mais do que o imaginado, pois a parcela de americanos que enxergam o Natal como uma data não religiosa resultou em 58%, deixando os cristãos mais participativos com a minoria de 42%.

O que pesa a favor do estudo do Pew Research é o fato do centro ter apurado com mais pessoas para chegar a sua conclusão. Sua amostra foi de 2.001 adultos, enquanto o instituto PRRI foi de 1.056 pessoas.

Fonte: The Christian Post

Presidente palestino chama Jesus de “mensageiro palestino”


Presidente palestino chama Jesus de “mensageiro palestino”Presidente palestino chama Jesus de "mensageiro palestino"
O presidente palestino, Mahmoud Abbas, chamou Jesus Cristo de “mensageiro palestino”, durante sua mensagem de Natal. Obviamente, a declaração causou forte impacto em Israel. Yigal Palmor, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, disparou:
 “Ele deveria ter lido o Evangelho antes de proferir tais disparates ofensivos, mas vamos perdoá-lo pois ele não sabe o que está fazendo”. Acrescentou ainda que tal declaração era uma “tentativa escandalosa de reescrever a história cristã”.
O fato de Abbas afirmar que Jesus era um “mensageiro palestino que se tornaria uma luz para guiar milhões”, também não repercutiu bem junto às autoridades palestinas. Eles esclareceram posteriormente que Abbas se referiu a Jesus em um contexto histórico. Ressaltaram que ele não quis dizer isso de uma perspectiva religiosa.
Abbas quis implicar que Jesus era um “palestino modelo”. Sua mensagem de Natal também enfatizou que os palestinos tentam o seu melhor para seguir o exemplo de esperança, justiça e paz dado por Jesus. Ao mesmo tempo, presidente palestino, também criticou a barreira da Cisjordânia, chamando isso de “roubo da terra.”
Desde 2003, um muro de seis metros de altura construído por Israel separa Jerusalém de Belém, segundo o governo para evitar a infiltração de terroristas. Se a Palestina fosse reconhecida como um país, a cidade provavelmente deixaria de ser parte de Israel.
Embora seja muçulmano, como a maioria dos cidadãos da Palestina, Abbas procurou enfatizar a unidade entre os cristãos e os muçulmanos no país. Enfatizou ainda que uma visita do Papa Francisco à Terra Santa seria uma grande oportunidade aos cristãos para se aproximar de seus irmãos e irmãs palestinos.
Abbas participou de celebrações de Natal em Belém nesta terça-feira, no local onde os cristãos veneram o local de nascimento de Jesus.  Mesmo que a maioria das Bíblias traga mapas onde chama Israel de Palestina, o termo possui conotações políticas por causa do conflito com Israel pela posse do território. Com informações Times of Israel.

Papa questiona visão 'adocicada' e de 'conto de fadas' do Natal

O Papa Francisco celebra o Ângelus nesta quinta-feira (26) (Foto: Filippo Monteforte/AFP)
O Papa Francisco celebra o Ângelus nesta quinta-feira (26)
(Foto: Filippo Monteforte/AFP)
O Papa Francisco explicou, durante a celebração do Ângelus na Praça de São Pedro nesta quinta-feira (26), que a "visão adocicada e de conto de fadas" que se tem do Natal não é a que aparece no Evangelho.
Na mensagem, o papa também denunciou a perseguição dos cristãos em várias partes do mundo.
"Vocês não têm medo da chuva?", perguntou, brincando, o papa aos fiéis, hoje apenas algumas centenas que aguaradavam sob uma intensa chuva na Praça de São Pedro.

O pontífice argentino explicou que "a festa São Estêvão está em plena sintonia com o profundo significado do Natal, já que no martírio o amor venceu a violência".
Depois Francisco explicou que nesta quinta se celebra São Estêvão, que foi o primeiro mártir da Igreja, e lembrou seu martírio por apedrejamento e como perdoou seus agressores no momento de sua morte.
"A memória do primeiro mártir dissolve a falsa imagem do Natal, essa imagem de contos de fada, adocicada, que no Evangelho não existe", explicou.
O Papa  afirmou que "na Liturgia se lê o sentido autêntico da encarnação, vinculando o Presépio ao Calvário e lembrando que a salvação divina implica a luta contra o pecado e que passa pela cruz".
Francisco também pediu para rezarem pelos "cristãos que sofrem discriminação por testemunhar Cristo e o Evangelho". "Irmãos e irmãs que, como São Estêvão são acusados injustamente e são alvo de violência de vários tipos. Isso ocorre especialmente onde a liberdade religiosa não se garante ou não pode ser plenamente praticada", disse.
O pontífice também denunciou que "em países e ambientes em que se diz que se tutela a liberdade e os direitos humanos, no entanto os fiéis e especialmente os católicos encontram limitações e discriminações".
"Apesar de o cristão esperar isso, no plano civil essa injustiça precisa ser denunciada e eliminada", acrescentou.
O papa terminou seu discurso desta quinta pedindo que esta Natal suscite um "generoso compromisso de amor e que no interior das famílias e das várias comunidades se viva esse clima de fraternidade e de entendimento que tanto ajuda o bem comum".

FONTE . G1.COM.BR

Unidos para Tua Glória apresenta “Luz na Escuridão”



A canção é a primeira peça do projeto que visa mobilizar e engajar cristãos brasileiros na causa da Igreja Perseguida

“Luz na Escuridão” é a música composta por Maurício Monteiro especialmente para a campanha de mobilização do projeto Unidos para Tua Glória. O projeto vai além de reunir grupos que orem pelos cristãos que são perseguidos, mas dar voz a este clamor e também transformar estas histórias em experiências de vida e ensinamento. Por que cristãos são perseguidos por amar a Cristo? O que os leva a encarar este desafio? Como entender alegria e tristeza no coração deles? Eles são verdadeiros testemunhos de fé e amor.

O principal objetivo com a música é realmente tocar o coração dos cristãos brasileiros a fim de que estes, movidos pelo amor a Cristo e ao próximo, ajudem nossos irmãos que sofrem e são perseguidos em muitos países. O projeto também nos torna conscientes de que temos de agradecer a Deus pela nossa liberdade aqui no Brasil.

"Tocar a música, para tocar a causa e tocar os corações", ressalta o secretário geral da Portas Abertas, Marco Cruz.

A música é, sem dúvida, um grande instrumento de engajamento considerando o seu poder de sensibilizar, envolver,  e também de alertar para a realidade da Igreja Perseguida. A causa do cristão perseguido precisa ser lembrada e inserida na vida de todos aqueles que creem em Jesus Cristo e têm a Bíblia como manual de conduta e verdade absoluta.

A palavra de Deus nos leva a refletir quando nos adverte: Quando um membro sofre, todos os outros sofrem com ele (1 Coríntios 12:26a). É com este foco que a canção leva você a entoar: “Não posso mais me afastar, pois no meu peito arde o desejo de ajudar quem sofre por amor de ti Jesus. Quero escrever a história e ver portas abertas para tua glória em cada coração, em todas as nações”.

Confira na íntegra o vídeo clipe gravado pelos cantores Nívea Soares e Chris Duran, primeiros apoiadores do projeto.


Todos podem se envolver e apoiar esta mobilização. Acesse nossas redes sociais e participe:

Feliciano lança braço direito para Assembleia em SP

O assessor parlamentar e cantor gospel Roberto Marinho, braço direito de Feliciano será candidato a deputado estadual de SPA Assembleia Legislativa de São Paulo pode ganhar seu Marco Feliciano em 2014: o pastor e deputado federal vai lançar a deputado estadual pelo PSC seu braço direito, o assessor parlamentar e cantor gospel Roberto Marinho.
Marinho, 36, fará dobradinha com Feliciano para surfar na popularidade alcançada pelo pastor no período à frente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara.
A aproximação entre os dois começou antes de Feliciano chegar à Câmara dos Deputados, graças à música gospel. Eles costumavam se encontrar em eventos evangélicos, até que em 2009 passaram a dividir o palco, com Marinho tocando teclado e cantando junto com Feliciano.
Divulgação/Pedro Ladeira/Folhapress
O assessor parlamentar e cantor gospel Roberto Marinho, braço direito de Feliciano será candidato a deputado estadual de SP
O futuro candidato, que se refere a Marco Feliciano como "mentor", foi convidado para ser seu assessor após a vitória nas eleições de 2010.
"O partido indicou pessoas com experiência para o gabinete, mas ele fez questão que eu viesse", lembra Marinho. "Ele me disse: 'Roberto, vamos juntos porque você é meu homem de confiança'."
O assessor ganhou notoriedade por estar sempre ao lado de Feliciano, até mesmo no vídeo em que, dentro de um avião, passageiros cantaram a música "Robocop Gay", dos Mamonas Assassinas, e fizeram provocações ao deputado. O vídeo fez sucesso ao circular na internet, em agosto. Segundo Marinho, a partir desse episódio ele começou a ficar "mais famoso".
"As pessoas diziam: 'Pastor, o senhor é muito sereno, mas o seu assessor podia ter se levantado e feito alguma coisa'. E começaram a perceber que eu também era do mesmo jeito", conta. "Não podem andar dois se não estiverem de acordo. Temos o mesmo pensamento, a mesma filosofia, por isso caminhamos juntos e damos tão certo."
Com a popularidade em alta por causa das controvérsias provocadas por suas opiniões, o PSC estimulou Feliciano a lançar um nome para a Assembleia Legislativa paulista.
Inicialmente, o pastor cogitou colocar na política alguém de sua família, mas desistiu. Em consenso com o partido, então, decidiu pela indicação de Marinho, que se filiou ao PSC em setembro.
Marinho diz querer atrair jovens para o partido, planeja usar o mandato para o diálogo com prefeitos do interior e promete defender as mesmas posições de Feliciano.
"Meu projeto principal é lutar em favor da família, ir contra o aborto, a discriminação das drogas, a violência e a pedofilia", afirma Marinho.
Se dependesse da escolha dele, ele diz que "abraçaria" a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia. "Ajudando o pastor aqui eu me apaixonei por esse trabalho."


Caio Fábio pode ser chamado para depor sobre Lula, na operação Lava Jato

Caio Fábio Nesta sexta-feira (8), o site O Antagonista informou que integrantes do Ministério Público Federal (MPF) poderão chamar o pas...