segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

AGRADECIMENTO DO APOSTOLO ROBERTO TORRECILHAS

Eu quero agradecer  a DEUS pelo ano de 2014
Um  ano que  aprendi muito .
Um ano que cresci .
Um ano que dei passos importantes .
Um ano que aprendi amar muito mais o chamado de DEUS em minha vida.
Um ano que aprendi colocar  as coisas no seu devido lugar.

Um  ano  de novas  e  verdadeiras amizades .

As perdas que tive , foram  na realidade  livramentos .
Conquistas que mostraram que DEUS é fiél no cumprimento de  sus promessas.

Um ano especial de  aprendizado , crescimento , lutas ,  vitórias e  conquistas .


Um ano que vi que somos semente e  precisamos morrer para dar  espaço ao novo de DEUS em nossas  vidas.
Um ano que vi , que nem todos estão dispostos a  pagar o preço em favor  da obra.

Estou terminando , talvez o melhor ano que vivi  até  agora .

MEU MUITO OBRIGADO JESUS .





 

Pastor padeiro´ doa pães há 10 anos para ajudar a combater a fome


`Pastor padeiro´ doa pães há 10 anos para ajudar a combater a fome
Com o objetivo de ajudar a combater a fome, o pastor e panificador José Antero de Souza distribui semanalmente cerca de 1200 pães através de um programa social. Pastor da Igreja Batista, ele conta que já faz isso há alguns anos e sem receber algo em troca.
Semanalmente, Souza doa cerca de 1.200 pães dos mais diferentes tipos ao Mesa Brasil, programa assistencial do Serviço Social do Comércio (SESC), que funciona como um banco de alimentos contra a fome e o desperdício.
"Esse trabalho eu já faço há dez anos, dois anos antes de ser evangélico. O que me deixa gratificado é saber que o projeto Mesa Brasil trabalha com pessoas carentes e mais necessitadas e que a gente contribui para isso. Não é uma troca com Deus. Ele já tem me dado tanta coisa boa desde que eu nasci. Se você ajuda de coração não fica preocupado em ter retornos, embora Deus não deixe de lhe abençoar sempre, ajudando ou não", afirma o pastor.
"Tudo neste mundo gira em torno da palavra 'amor', que para muitos é um sentimento esquecido. Se nós amássemos mais o próximo, se nos preocupássemos mais com as pessoas, o mundo seria bem melhor. Nem precisa fazer o bem, o importante é não fazer o mal. Só isso já mudaria muito. E sempre procurar olhar as pessoas com o espírito de igualdade. Também não fazer o uso desproporcional de suas riquezas e seus valores. Lembro de uma frase do Neymar de Barros: ‘Como podem duas pessoas tão diferentes morrerem pelo mesmo problema: um preocupado por ter tanto e outro, por não ter nada?’. Quem tem muito, se preocupa, com medo de perder. Que igualdade é essa que nós pregamos, se ao nosso lado existem pessoas sofrendo por falta de tudo?", completou o pastor, segundo o site A Crítica.

"Não deixe a religiosidade te matar no campo de batalha!"

Domingo (28/12), às 19hs, no Renascer Hall, em São Paulo, o Apóstolo Estevam Hernandes ministrou sobre "A maturidade que vence a religiosidade", baseado em 1Sm 14.24-31. Ele explicou que o rei Saul tinha um grande desafio que era derrotar os filisteus, mas na sua ansiedade, ele quis se utilizar de uma arma espiritual, que é o jejum, mas sem procurar a direção do Senhor, sem procurar o sacerdote; como um autônomo na fé. Assim, ele força todo o exército de Israel a ir pra guerra sem se alimentar. Um jejum religioso.
O Apóstolo explicou que o religioso peca por fazer voto de tolo ((Ec 5,4-5). "Deus não se agrada de votos de tolos, mas Ele se agrada quando fazemos votos guiados pelo Espírito Santo e com um objetivo maior e mais profundo". Saul desprezava a Palavra de Deus e fez um voto de tolo. Saul simboliza a religiosidade, mas Jônatas era livre e tinha coração puro.
"A religiosidade te mata no campo de batalha e traz sentimentos completamente contrários a vontade do Senhor. Deus tinha uma grande vitória, mas aquele sentimento religioso iria matá-los e impor uma derrota à Israel. Jônatas, filho de Saul, vem lá do campo, estava cheio da bênção de Deus, chega e tem uma atitude inocente. Ele não tinha ouvido o pai dele e não tinha ouvido aquele voto. Ele vê o mel escorrendo, pega e coloca na boca. Ele estava com forme, o mel tinha energia pura e, ao comê-lo, seus olhos começaram a brilhar", ministrou.
Ele disse ainda que aquele mel representa a Palavra de Deus que dá força, energia e poder para a batalha, porque o Senhor provê condições para enfrentarmos o inimigo. "O que vai te livrar não são estratégias humanas e religiosas, mas a direção do Senhor e o poder do Espírito Santo. Essa é a diferença do religioso e daquele que é apostólico. Saul era imaturo, mas Jonatas era cheio do Espírito Santo e nessa noite você vai se levantar como Jônatas", determinou.

Como alcançar essa maturidade?
1) Não ouça o conselho do ímpio - Sl 1.1 - O conselho do ímpio acaba com a tua vida, pois não é a Palavra que sai da boca de Deus, mas uma armadilha do inimigo. O conselho de Saul foi: 'não coma para ir para a guerra'. Ele tomou essa atitude por causa dos sentimentos da religiosidade, que são:
·         Derrota -- o religioso despreza o que Deus pode fazer e sempre admite a possibilidade da derrota. É uma malignidade que vai consumindo o interior da pessoa; admite a derrota  porque não crê que Deus pode. 2Cr 20.17;
·         Culpa - quantas vezes você é assolado porque se sente culpado por todas as desgraças do mundo? Mas a Bíblia diz que nenhuma condenação há contras os escolhidos de Deus (Rm 8.1). Ainda que você erre, o sangue de Jesus te purifica de todo o pecado. Você é justificado pelo sangue de Jesus. O servo de Deus não deve ficar carregando sentimento de culpa, pois o Senhor o justifica;
·         Sentir-se indigno - carnalmente, somos indignos, mas Jesus nos tornou dignos. Somos filhos e herdeiros de todas as bênçãos espirituais com Cristo. A Igreja é digna. O servo de Deus é digno. Se tem que acontecer alguma cosia boa, tem que acontecer com você que é lavado e remido no sangue do Cordeiro.
DigaEu não serei roubado pelo conselho do ímpio, mas irei para a bataha alimentado pelo Espírito Santo de Deus.
2) Tenha experiências verdadeiras de livramento - Daniel 3.28/ Sl 124 - Saul era um boçal, cheio de religiosidade.  Jônatas na inocência, compartilhou da sua experiência, deu às pessoas do mesmo mel. Quem vai pra batalha? Os que estão cheios do Espírito Santo. Os que provaram da unção do Espírito Santo que faz os olhos brilharem e faz ir ao campo de batalha com a força do Senhor. O Senhor vai fazer teus olhos brilharem esta semana. Você vai sair do exército de Saul e o Senhor vai te colocar no exército de Jônatas: ninguém murmurava, todos eram fortes, cheios do Espírito Santo. Foram e venceram, porque tiveram uma grande experiência de livramento. Antes do dia 31 de dezembro, vamos ter uma grande experiência de livramento. O Senhor já se levantou. O anjo que abre caminhos vai a tua frente e teus olhos vão brilhar pelo poder de Deus. Pode celebrar a tua vitória porque você não vai morrer cansado no campo de batalha!
3) Alimente-se da Palavra e seja levantado pelo Espírito Santo. Jônatas tomou a vara que é Jesus, a videira verdadeira; e o mel que é a Palavra que nos alimenta. Nós não nos alimentamos de sujeiras e porcaria, mas nos alimentamos da Palavra de Deus e ela não volta vazia, mas prosperará naquilo para a qual o Senhor a designou.
"Você vai se levantar na força do Senhor Jesus. Se eu não tivesse nessa força, eu estaria encolhido cheio de problemas. Mas com essa força, eu salto muralhas. Você não vai se alimentar de religiosidade e nem de votos carnais, mas da Palavra poderosa de Deus que vai fazer seus olhos brilharem!"
Ore assimSenhor, perdoa-me se tenho optado pela religiosidade e tenho me escondido atrás daquilo que não é a verdade; e me ajuda a andar na inocência e na unção do teu Espírito Santo. Eu desfaço as sentenças e estigmas demoníacos. Eu sou livre e me arrependo dos sentimentos religiosos de derrota, de culpa e todos os complexos religiosos e todos os roubos estão quebrados. Cheio de unção, eu me levanto para viver a vitória de Jônatas e comer do mel  que é a Palavra de Deus e viver uma grande vitória, em nome de Jesus!

 
 
Mônica Vendrame e Paula Rocha Moreira, redação igospel
Fotos: Sarah Brito


Egito proibe filme que narra a vida de Moisés; Marrocos retira filme dos cinemas

Para o chefe da censura, Abdel Sattar Fathi, o filme "Êxodo: Deuses e Reis", tenta transferir informação distorcida de cenas religiosas e históricas.


As autoridades egípcias proibiram a exibição em todos os cinemas do país do filme americano "Êxodo: Deuses e Reis", que narra a vida de Moisés no Egito, alegando que conta uma história "distorcida".

O chefe da censura, Abdel Sattar Fathi, explicou nesta quinta-feira (25) ao jornal "Al Watan" que uma comissão viu uma cópia do filme e concluiu que a produção "tenta transferir informação distorcida de cenas religiosas e históricas".

Fathi lamentou que o filme determine que "os judeus estiveram envolvidos na construção das pirâmides de Guiza como povo eleito por Deus" e que passe a imagem de que os egípcios são "demagogos" e que "torturaram" os seguidores do judaísmo.

Outro dos motivos que levaram à censura é que o filme "mostra o divino através da encarnação de Deus na foto de um bebê" e tenta "manipular" o Corão, segundo Fathi.

"Êxodo: Deuses e Reis", dirigido por Ridley Scott e protagonizado por Christian Bale, retrata da vida do profeta Moisés desde seu nascimento e recria a história da libertação do povo hebraico no Antigo Egito.

No último mês de março, a instituição religiosa Al-Azhar, a mais prestigiada do islã sunita, pediu no Egito a proibição da projeção do filme "Noé", com Russel Crowe, por considerá-lo contrário à lei islâmica.

Os filmes de certo conteúdo erótico ou religioso são examinados com lupa pela censura no Egito, que, da mesma forma que outros países árabes, costuma proibir aqueles projetos que considera que atentam contra a moral pública ou a doutrina islâmica.

MARROCOS

No Marrocos, a superprodução foi retirada da programação de grandes salas, como Megarama e Imax Morocco Mall de Casablanca, segundo o site do jornal "Yabiladi".

A direção da sala Imax Morocco Mall anunciou em sua página no Facebook o início da projeção de "Êxodo: Deuses e Reis", mas poucas horas depois assinalou que cancelava sua exibição, sem dar detalhe algum sobre essa decisão.

O Centro Cinematográfico Marroquino (CCM), encarregado de outorgar as autorizações às salas de cinema sobre os filmes estrangeiros projetados no país, ainda não se expressou oficialmente sobre o assunto.

Fonte: Folha de São Paulo

Ricardo Oliveira volta a jogar no Brasil e frequenta a AD Brás

O atacante Ricardo Oliveira deixou os Emirados Árabes e voltou para o Brasil para estudar propostas de times. Nos quatro anos que ficou no mundo árabe, o atleta – que é pastor evangélico – liderou trabalhos em uma igreja ligada à Assembleia de Deus, pregando e evangelizando na região.
Enquanto estiver em São Paulo Ricardo estará na igreja Assembleia de Deus no Brás, ministério do qual faz parte. Foi o pastor Samuel Ferreira, presidente da AD Brás, quem o enviou para abrir um ponto de pregação dos Emirados Árabes.
Há muitos jogadores brasileiros que frequentam os cultos da AD, como  Thiago Ribeiro, Alex Silva, Jadson, Osvaldo, João Pedro e Betão. Ricardo Oliveira também cita que os ex-jogadores Edmilson e Denilson também assistem suas pregações. “É legal também saber que eu posso dar uma palavra de auxílio”, disse o atacante em entrevista ao Estado.
Ricardo já passou por times como São Paulo, Portuguesa e Santos e sempre é questionado pelos fiéis da igreja sobre quando estará vestindo a camisa de seus times. No momento ele está recebendo algumas ofertas, o Atlético-MG já o chamou para conversar e até o Palmeira tem sondado o jogador.
“Sei que existe um temor de contratar um jogador de 34 anos e que estava nos Emirados. Sempre fui muito regrado e, se você não se cuidar, pode ter 20 ou 30 que você não vai conseguir jogar. Quero mostrar para todos que idade não atrapalha em nada”, disse. Até o mês de janeiro Ricardo já deve ter fechado com algum time brasileiro.

Conheça André Catalau, o pastor do campeão de surf Gabriel Medina

Gabriel Medina, campeão mundial de surf, é membro da Igreja Bola de Neve em Boiçucanga, litoral norte de São Paulo, sendo ministrado pelo pastor André Catalau que tem uma história de vida surpreendente.
Antes de se tornar pastor de atletas, Catalau viveu no mundo das drogas sendo um viciado dos 12 aos 38 anos de idade. Criado em uma família americana “muito liberal”, ele perdeu uma irmã vítima de overdose e um irmão que faleceu de cirrose.
“E eu estava no mesmo caminho. Queria morrer, descansar. Tive várias internações psiquiátricas, fui preso”, conta Catalau que na época era vocalista da banda de rock Golpe de Estado.
A vida de André Catalau só mudou quando um tio o convenceu a ser internado em uma casa de recuperação administrada pela igreja Assembleia de Deus do Bom Retiro, onde ele encontrou Jesus Cristo.
Hoje ele lidera uma igreja e se tornou o líder espiritual de Gabriel Medina que foi levado à igreja em 2011 por sua mãe, Simone, que é membro da Bola de Neve. “O Gabriel havia torcido o pé e me pediu uma oração para ficar legal, já que correria uma etapa em Hossegor, na França. Está limpo, né? Mas, aí, ouvi uma voz na minha cabeça: ‘Fala que vou dar esse troféu para ele’. Sou meio cabreiro… Queria ficar na minha, mas contei: ‘Essa manobra que você está tentando vai te dar o título’”, relembra o pastor.
Naquele ano Gabriel se tornou campeão na França e para agradecer a palavra do pastor o convidou para um café em sua casa. “O Gabriel já reconhece que tudo que aconteceu não foi só por força própria. Temos um monte de garotos que surfam para caramba aqui. Por que esse é o campeão mundial? Ele sabe que foi por causa de Deus. Tem mais fé em Deus do que no surfe dele, tá ligado? Foi isso que o levou ao topo”. Com informações Gazeta Esportiva.

FINAL DOS TEMPOS - Pastor e mulher são presos suspeitos de estuprar menina para tirar 'maldição do sexo', em Edeia

Pastor e mulher são presos suspeitos de estuprar menina para tirar 'maldição do sexo', em Edeia Segundo relato da vítima à políc...