sábado, 2 de março de 2013

FAÇA TEOLOGIA SEM SAIR DE CASA .



VIA INTERNET 

.TOTALMENTE APOSTILADO

.
ABERTO A TODOS IRMÃOS .





INTERDENÔMINACIONAL .


              Quero ser seu professor . Vamos juntos nessa caminhada .  Bispo Roberto Torrecilhas .
                                                MINISTÉRIO GERAÇÃO GRAÇA E PAZ .

JEAN WYLLYS RODA A BAIANA . DA UM ACARAJÉ PARA ELE QUE ELE SE ACALMA .

Pastor Marco Feliciano gera fúria de Jean Wyllys e ativistas gays por ser o possível novo presidente da Comissão de Direitos Humanos: “fundamentalista, homofóbico e racista”
Um acordo firmado nessa quarta-feira (27) estabeleceu que a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, antes presidida pelo PT, será comandada agora pelo PSC (Partido Social Cristão).
De acordo com o Estadão, o nome mais cotado para assumir a presidência da comissão é o do deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC-SP), que avalia que a comissão hoje se tornou um espaço de defesa de “privilégios” de gays, lésbicas, bissexuais e transexuais.
- Se tem alguém que entende o que é direito das minorias e que já sofreu na pele o preconceito e a perseguição é o PSC, o cristianismo foi a religião que mais sofreu até hoje na Terra – declarou Feliciano sobre sua provável indicação ao cargo.
A provável escolha do pastor evangélico para liderar a comissão motivou revolta entre alguns parlamentares, com destaque para o deputado federal e ativista gay Jean Wyllys (PSOL-SP), que afirmou ser “assustador” que o pastor assuma o órgão.
Conhecido por ser um constante opositor da bancada evangélica, Wyllys afirma que Marco Feliciano não poderia assumir o cargo, e justifica afirmando que o evangélico seria “confessadamente homofóbico”, e que teria feito afirmações racistas sobre africanos. Em seu perfil no Twitter, o deputado fez uma série de críticas ao fato da comissão estar agora sob comando do partido declaradamente cristão.
- Está claro que o objetivo do PSC, ao escolher a CDHM, deve ser o de barrar a extensão da cidadania plena às MINORIAS! Lamentável! – escreveu Wyllys, que disse ainda que “dias difíceis virão”, por causa da mudança.
Jean Wyllys insinuou ainda que a liderança do deputado evangélico imporia dificuldades a outras religiões, e a entidades ligadas ao movimento gay.
- LGBT, quilombolas, indígenas, mulheres, povos de terreiro e de outras religiões encontrarão mais dificuldades na CDHM doravante… – publicou o deputado, que retransmitiu ainda uma mensagem de outro usuário da rede social afirmando que “deixar que o PSC assuma a Comissão de Direitos Humanos é o legado do PT para os direitos humanos dos brasileiros”, e finalizando que tal situação “é deprimente!”.
Também na rede social, Feliciano respondeu aos ataques que vêm sofrendo por parte de ativistas gays desde que seu nome foi mencionado como possível novo presidente da comissão.
 
Comentários do deputado Jean Wyllys no Twitter. (Leia de baixo para cima)
Comentários do deputado Jean Wyllys no Twitter. (Leia de baixo para cima)
- Os ativistas gays desesperados pela possibilidade do meu partido PSC assumir a Comissão de Direitos Humanos. Acalmem-se. Vai dar tudo certo. – escreveu o deputado, que completou: – Os palavrões, os xingamentos, as acusações que estou recebendo em minhas redes sociais mostram quem de fato são os fanáticos e intolerantes.
Feliciano ressaltou ainda que já havia denunciado que ativistas gays tomaram conta da comissão, e afirmou que o órgão parlamentar “não pertence a 1 grupo e sim a todos os brasileiros sofridos, humilhados e sem representação! E não a mentirosos caluniadores”.
- Pq tanto ataque? Pq tanto medo? Isto é Democracia ou Ditadura? Me faz pensar q tem algo nesta comissão que deva ser analisado mais de perto. (…) Estão amedrontados. Quem não tem argumentos apela para os gritos, acusações, calunias, xingamentos. Nunca me passou pela cabeça presidir a Comissão de Direitos Humanos, mas agora com tanto ataque, deu até vontade. – publicou o deputado, em resposta aos xingamentos que vêm recebendo na rede social.
- Perseguição religiosa? Marco Feliciano sofre retaliações da comunidade GLBTT para não assumir a Comissão de Direitos Humanos por ser Pastor – escreveu também o pastor, que finalizou questionando: – Mera coincidência ou tem algo mais sórdido e podre por baixo dos panos? Existe sim perseguição religiosa no Brasil. Rogo as orações de todos.
 
VIA GRITOS DE ALERTA  / INF. ISURUBIM

Suposto Pastor é preso por suspeita de abuso sexual de jovens em rito espiritual

Um pastor de 53 anos está preso desde quinta-feira (28) por suspeita de abuso sexual a jovens frequentadoras de uma igreja evangélica do Jardim Redentor, em Franca (SP). A prisão preventiva de José Elias da Cruz foi decretada a pedido da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), após receber denúncias de que o líder religioso se aproveitava das jovens – dentre elas duas adolescentes de 12 e 15 anos - enquanto realizava ritos espirituais em suas casas.
O inquérito policial sobre o caso deve ser concluído em dez dias antes de ser apresentado ao Ministério Público. O pastor, que vive em Franca, mas é de Itaú de Minas (MG), nega as acusações.
 
Segundo a delegada Graciela Ambrósio, Cruz foi denunciado pelo pai das duas adolescentes depois que uma delas supostamente estranhou o modo como ele agia durante um rito em que prometia libertação espiritual.
Ele alegou que o pastor passava a mão nos seios e no órgão genital delas durante uma unção com óleo, segundo Graciela.
“A família tinha uma relação de confiança com o pastor.
As meninas frequentavam a igreja de segunda a domingo e ficavam em casa sozinhas ou iam para o grupo de oração na casa do pastor.
 Ele falava que tinha o dom de tirar o espírito da sensualidade”, disse.
De acordo com a delegada, a mais jovem das vítimas, de apenas 12 anos, era submetida ao mesmo rito desde o ano passado, mas apenas confirmou as denúncias depois que a irmã mais velha, de 15 anos, teve a mesma experiência.

 “Ele encontrava as meninas sozinhas, levava para o quarto, usava um óleo e falava que era para ungir. Com a menina de 12 anos era desde outubro do ano passado.

 Na última sexta-feira (22), também fez com a menina de 15. Então ela achou que não estava certo e contou para o pai dela.”

Desde o início das investigações sobre o caso, a DDM obteve denúncias de outras duas jovens, de 21 e 22 anos, que também disseram terem sido abusadas por Cruz.

Graciela afirmou que até a conclusão do inquérito tentará descobrir outras possíveis vítimas. “As outras duas confirmam que ele fez a mesma coisa”.
No inquérito policial, o pastor é investigado por estupro de vulnerável, no caso da adolescente de 12 anos, e por posse sexual mediante fraude, no caso das outras três denunciantes.

Pastor nega denúncias
Procurado pelo G1, o advogado de defesa do pastor, Brás Porfírio Siqueira, afirmou que Cruz nega todas as alegações contra ele. Ele disse que aguarda o encerramento do inquérito para entrar com pedido de liberdade provisória. Caso não consiga, encaminhará à Justiça uma solicitação de habeas corpus. ”O pastor não fez nada. Ele nega todos os fatos. É a acusação delas contra a palavra dele”, afirmou Siqueira.



FONTE G1

Muçulmanos árabes descobrem Cristo através de livros

Na Península Arábica não é nada fácil ser cristão, quem dirá ter a pretensão de divulgar o evangelho de Cristo às pessoas. Importar ou imprimir literatura religiosa, que não seja sobre o Islã, é proibido. Ainda assim, Deus abriu caminho, para adentrar na Península, livros que podem mudar a vida das pessoas.

Leia abaixo as histórias de um vendedor de livros que exerce um importante ministério na obra do Senhor:

Um jovem curioso
"Esses livros não têm nada a ver com nossas crenças!", repreende uma mulher árabe o seu filho que, ao passar em frente a uma livraria cristã, para, curioso. Mas, o jovem Saeed* parece não escutar sua mãe: sem poder se conter, ele pega um livro após o outro, passando os olhos surpresos sobre eles. Animado, ele começa a questionar o vendedor sobre o conteúdo daqueles livros. Sua mãe continua a chamá-lo impacientemente, mandando-o sair dali, até que Saeed vira-se e sentencia: ‘Vamos comprar ao menos um!’ Era o que faltava para a mãe explodir em ódio e forçá-lo a ir embora. O vendedor precisa ser bastante cuidadoso com o trabalho que realiza, porque, assim como essa senhora, muitos árabes não gostam do que ele faz. Da mesma maneira, alguns deles descobriram que esse mesmo vendedor pode lhes dar exatamente o que eles procuram.


A cruz
Certo dia, Adeeb, muçulmano ativo em sua mesquita, entra na livraria. Ele encontra livros com cruzes na capa. "Eu estive procurando por essas cruzes", conta ele ao vendedor. "Conte-me sobre o personagem desse livro". Adeeb interessou-se pelo Evangelho de Jesus quando uma noite, acidentalmente, ouviu versículos da Bíblia através do rádio. Ele não tem conhecimento profundo da fé cristã, mas, após ouvir o programa cristão no rádio, pela segunda vez, ele entregou seu coração ao Senhor e, desde então, estava bastante aflito para saber mais e mais acerca da Palavra de Deus. O vendedor passou então a ensiná-lo sobre Jesus. Adeeb sente-se muito feliz com sua nova fé, porém, sofre sérias ameaças por sua família que, inclusive, quer que ele saia de casa. Quando seu cunhado ficou sabendo que Adeeb havia se tornado cristão, ele ficou extremamente furioso. Passou a persegui-lo e a pressioná-lo a negar sua fé em Deus.

Um livro imundo
Diante disso, Adeeb ouviu uma proposta do vendedor de livros cristãos: "Deixe-me falar com seu cunhado." Adeeb sentou-se em lugar ali próximo, orando e chorando, e o vendedor foi ao encontro do irmão de sua esposa, um muçulmano chamado Sabri. "Leia isto", disse o vendedor a Sabri, presenteando-o com um livro. "Fala sobre o amor de Deus." Sabri entendeu que o livro que o vendedor tinha em mãos era uma Bíblia. "É um livro imundo, por que você está me entregando isso?" O vendedor começou a explicar-lhe sobre as Escrituras e Sabri ouviu a Palavra do Senhor. Assim, ele entregou sua vida a Jesus: aquilo que ele tanto condenava, agora era o seu maior tesouro! Sem saber do ocorrido, Adeeb volta para casa, ansioso para ver a reação de Sabri. Ao chegar, Sabri lhe abre os braços e lamenta: "Eu não sabia, eu não sabia, estava cego!", afirma ele com lágrimas nos olhos, "perdoe-me meu irmão!"

Fuga que valeu a pena
Sabri agora compartilha a Palavra de Deus e o evangelho de Jesus com muçulmanos que conheceu na mesquita. O jovem Saeed conseguir fugir da raiva de sua mãe por algumas horas e logo correu para a livraria cristã: "Onde mais eu posso comprar livros como esses?", pergunta ele. Depois de conversar sobre o amor e a misericórdia do Senhor com o vendedor, ele promete a si mesmo que vai fazer o que for possível para ter sua própria Bíblia um dia.

Pedidos de oração

•Ore por cada pessoa que ousa entrar em minha livraria. Essa é a grande chance dele ou dela conhecer a maravilhosa Palavra de Deus. Vendedor de livros.

Fonte: Middle East Services via Portas Abertas

Para a Globo, evangélicos são tão importantes quanto católicos, diz diretor-geral

Em entrevista, Carlos Henrique Schroder, ex-diretor geral de jornalismo, afirmou que os evangélicos tem a mesma importância que os católicos.

Oficialmente, a TV Globo não fala em uma atenção especial ao público evangélico, embora essa aproximação fique evidente pelas ações e produtos que a emissora tem produzido com conteúdo gospel, como o Festival Promessas e a divulgação da Marcha para Jesus.

Numa entrevista à jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, o recém nomeado diretor geral da emissora, Carlos Henrique Schroder, ex-diretor geral de jornalismo, afirmou que os evangélicos tem a mesma importância que os católicos.

Questionado se a emissora tem dedicado atenção especial aos evangélicos, Schroder afirmou que “[interessa] como qualquer outro, evangélicos, católicos. Nós temos um cuidado com todos. É uma preocupação geral, não específica, como com as classes A, B, C, D e E”, disse à jornalista Mônica Bergamo.

A emissora registrou em 2012 a pior média de audiência na Grande São Paulo em toda sua história, e tem trabalhado para, segundo Schroder, entregar mais “qualidade”, sem se preocupar com a audiência.

Um dos indícios sobre esse “cuidado” com os evangélicos estaria na sinopse da novela que substituirá Salve Jorge. Escrita por Walcyr Carrasco, a novela que provisoriamente é chamada de Em Nome do Pai terá uma personagem que encontra a felicidade e a paz após se converter ao Evangelho.

Essa produção seria o atendimento de um pedido feito por pastores junto à cúpula da TV Globo por uma personagem evangélica heroína em uma de suas tramas.

Fonte: Gospel+

Arcebispo vai depor sobre padre acusado de pedofilia

Dom José prestará depoimento nesta sexta. Um dos objetivos é descobrir se a Igreja desconfiava do comportamento do religioso ao transferi-lo de cidade.

O arcebispo de Niterói, dom José Francisco Rezende Dias, será ouvido nesta sexta-feira no inquérito que investiga o padre Emilson Corrêa, acusado de pedofilia na paróquia Nossa Senhora do Rosário e São Benedito. O depoimento foi confirmado pelos advogados da arquidiocese e, segundo Marta Dominguez, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), é fundamental para esclarecer três pontos na complexa história que envolve o religioso, uma criança de dez anos que conta ter sido molestada por ele em 2010, uma jovem de 19 anos, que afirma ter feito sexo oral nele aos 13, e uma adolescente de 15 anos, que admite ter tido um caso com Corrêa. O caso ainda envolve o pai de duas das meninas, indiciado por tentativa de extorsão.

"Quero saber a razão de o padre ter sido transferido da paróquia de Niterói para São Gonçalo. É importante saber se, naquela época, já se desconfiava de algo. A mãe das meninas diz que foi uma tentativa da igreja de esconder, de proteger o padre", afirma a delegada ao site de VEJA. De acordo com Marta, o arcebispo ainda será questionado sobre os ganhos do padre. De acordo com a jovem de 19 anos, ele comprou duas motos, um carro e pagou a reforma da casa dela, avaliada em 12.000 reais.

Na complexa história, o pai das duas vítimas teria chantageado o padre, cobrando dinheiro ou uma casa para não divulgar um vídeo do padre fazendo sexo com a outra adolescente de 15 anos. O vídeo em questão foi gravado pela jovem de 19 anos, em novembro. Conforme a delegada, após confessar ao pai que mantinha relações sexuais com o Corrêa, a jovem foi orientada pelo pai a gravar o ato sexual com o religioso. Ela, então, convidou a amiga adolescente, que aceitou participar. As imagens mostram a jovem beijando o padre nu, na boca. Em seguida, a amiga de 15 anos e o padre fazem sexo. No fundo da imagem, é possível ver a reprodução do quadro A Última Ceia.

Dom José Francisco Rezende Dias prestará depoimento também sobre a tentativa de extorsão. "O arcebispo participou da conversa entre os pais e o padre Emilson, na Arquidiocese de Niterói. Eu acredito que o depoimento dele seja isento. E é fundamental para ajudar a esclarecer se o pai chantageou o padre, ameaçando divulgar o vídeo caso não recebesse dinheiro", destaca a delegada, que pretende concluir o inquérito ainda nesta sexta-feira.

Marta diz que a mãe da jovem de 19 anos afirmou nunca ter desconfiado do padre, porque acreditava que havia um amor paterno. "A mãe dela me disse que um dia perguntou ao padre a razão dos presentes. Segundo a mãe, o padre disse: 'Eu tenho sua filha como minha filha'. Ele disse que sentia um amor de pai", conta a delegada, que afirma não ter notado no religioso sinais de arrependimento. "O padre nega ter molestado a criança e só admite ter feito sexo com a jovem de 19 anos desde 2012, ou seja, quando ela se tornou maior."

Fonte: Veja.com

Maranhenses são presas no México suspeitas de fazer parte de seita

Suspeita é que seita praticava abusos sexuais e tráfico de pessoas.
Embaixada brasileira confirmou a prisão das irmãs.
Mulheres maranhenses são presas no México suspeitas de pertencer a uma seita religiosa que praticava crimes de abuso sexual e de tráfico de pessoas. A mãe das irmãs mora em Amarante do Maranhão, a 115 km de Imperatriz e soube da notícia da prisão por uma outra mulher, que se diz esposa do suspeito de ser o líder da seita, o espanhol Ignácio Gonzales.
Maria Rosilene perdeu o contato com as duas filhas, que estão morando no México, e acabou sabendo que Roseane Ribeiro Alves, de 28 anos, e a irmã, Camila Ribeiro Alves, de 19 anos, estão presas.
Roseane é mulher do espanhol Ignacio Gonzales e Camila mantinha um relacionamento amoroso com o amigo dele, Tito Mernissi. Eles passaram uma temporada no Brasil, quando foram apresentados à família de Roseane e Camila e os casais foram morar no México há quase dois anos. A mãe de Roseane e Camila recebeu a notícia da prisão das filhas por telefone. Uma mulher, identificada apenas como Paulina, que segundo ela, também vive como esposa de Gonzalez, foi quem comunicou à família.
Gonzales e Tito teriam sido presos dia 25 de janeiro sob suspeita de abuso sexual e tráfico de pessoas. Gonzales é apontado como líder da seita Defensores de Cristo e dizia ser a reencarnação de Jesus Cristo, mas a favor da poligamia. Gonzalez oferecia cursos de bioprogramação e poderes mentais em um site próprio e prometia milagres a quem declarasse amor por Cristo, o que seria uma forma de conseguir seguidores e mulheres para a prostituição.
A assessora jurídica do município de Amarante, Maiara Nascimento acredita que Roseane e Camila foram presas com os maridos, por estarem morando no México de forma ilegal. Ignácio Gonzales morou por mais de um ano em Amarante na companhia de Roseane, longe de qualquer suspeita. Ele não tinha um emprego fixo na cidade e dizia para a família dela que trabalhava ofertando cursos à distância, pela internet.
A assessora jurídica entrou em contato com a embaixada brasileira no México e confirmou, também, a prisão das jovens, mas ainda aguarda esclarecimentos. A mãe espera ansiosa por novas informações, pra saber, também, dos dois netos, filhos de Roseane e Camila.
G1


Convertida, Perlla lança álbum gospel e diz que era muito doida


Perlla Perlla (Divulgação)

A cantora Perlla, que chegou a ser considerada a "rainha do funk melody" carioca, agora se prepara para lançar seu primeiro álbum gospel intitulado "Minha Vida Mudou".
"Achei que não fosse cantar mais, não queria mais cantar. Estava feliz cuidando da minha casa, do meu marido, da minha filha", contou Perlla em conversa ao portal “UOL”. Os responsáveis por fazerem a artista mudar de ideia foram seu marido, o músico Cassio Castilhol, e Silas, o pastor da igreja que frequenta em Vilar dos Teles, baixada fluminense do Rio. "Em um mês o CD estava pronto. Nosso querer não é o querer de Deus", explicou.
"A Perlla antiga era muito doida, fazia coisas que não agradavam aos olhos de Deus. Bebia, fumava, tinha um comportamento que não condizia com a pessoa que nasceu em um berço evangélico", ressaltou ela. A fama e o sucesso, segundo Perlla, não a preenchiam. "Passei por muita tristeza e infelicidade", contou a cantora.
 
UOL