quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Na Coreia do Norte, Cristãos celebram o Natal escondidos


“Na Coreia do Norte, o culto é aos líderes políticos… Tudo está focado em Kim Il-sung, que tenta tomar o lugar de Deus na vida deles”
natal-na-coreia-do-norte-320x182Ser cristão na Coreia do Norte é arriscar a vida todos os dias. Mas isso não os impediu de comemorar o Natal como milhões de outras pessoas fizeram em todo o mundo. A diferença é que para isso precisaram se reunir em túneis subterrâneos, escondidos das autoridades.
Eles sabem que podem ser presos cada vez que fazem uma oração ou cantam um louvor em voz alta.
“Os cristãos do resto do mundo não têm ideia de como são fervorosas as orações daqueles que vivem na Coreia do Norte”, disse Han Min, um norte-coreano que fugiu do regime ditatorial de Pyongyang.
Han hoje vive na Coreia do Sul e congrega na Igreja Durihana, em Seul, liderada pelo pastor Chun Ki-won. Desde 1999, esta comunidade tem o compromisso de ajudar aqueles que desejam sair da parte norte da península.
Segundo a igreja, eles já ajudaram cerca de 1.000 norte-coreanos a fugir. Geralmente pela fronteira com a China, menos protegida. Depois de atravessarem, iniciam sua viagem até a Coreia do Sul.
“Na Coreia do Norte, o culto é aos líderes políticos… Tudo está focado em Kim Il-sung, que tenta tomar o lugar de Deus na vida deles”, explica o pastor Chun. Ele lamenta ainda que o regime tem intensificado as restrições e matado muito mais cristãos do que fazia antes da troca de governo. Chun, que já foi preso e torturado em uma das viagens que fez para a Coreia do Norte para auxiliar a igreja perseguida, conta que antigamente eles atravessavam de 30 a 40 pessoas em um mês. Em dezembro, ele só consegui ajudar 3 a escaparem.
Em 3 de novembro, segundo o jornal sul-coreano JoongAng Ilbo, foram executados publicamente 80 norte-coreanos. Cerca de 10.000 pessoas foram até um estádio esportivo na cidade de Wonsan para assistir os condenados enfrentarem um pelotão de fuzilamento. A prática é uma maneira de a liderança ditatorial do país disseminar sua mensagem à população. Segundo a imprensa, os mortos “foram amarrados a estacas com sacos cobrindo suas cabeças. Seus corpos foram crivados por tiros de metralhadora enquanto eram acusados” de práticas consideradas traição ao regime, como assistir TV sul-coreana ou terem Bíblias em casa.
O irmão Simon, pseudônimo de um refugiado norte-coreano que não quer se identificar, afirma: “É claro, os cristãos da Coreia do Norte refletem sobre o nascimento de Jesus Cristo… Só que eles não podem simplesmente ir juntos a uma igreja para cantar ou ouvir um sermão. Ser cristão na Coreia do Norte é algo muito solitário”. Segundo ele, a maioria das vezes as celebrações são em pequenos grupos. Normalmente encontros de cristãos reúnem apenas duas pessoas.
Simon explica: “Por exemplo, um cristão vai e se senta em um banco no parque. Um outro cristão vem e senta-se ao lado dele. Às vezes é perigoso até mesmo falar uns com os outros, mas eles sabem que ambos são cristãos, e isso já é o suficiente. Se não houver ninguém por perto, podem compartilhar um versículo da Bíblia que eles sabem de cor e brevemente comentar algo sobre isso. Também contam seus motivos de oração um ao outro. Então eles se levantam e saem”.
O nascimento de Jesus também é comemorado desta maneira. Não há decoração nas casas nem cultos natalinos. “O Natal é principalmente comemorado no coração do cristão. Por medo de represálias é necessário manter a sua fé escondida dos vizinhos. Às vezes, é possível realizar uma reunião em áreas remotas com um grupo de 10 a 20 pessoas. Muito raramente é possível que um grupo vá discretamente para as montanhas e faça um culto em um local secreto”, explica Simon. 
Com informações Christian News Wire e Asia News.

Qual é o significado do arco-íris em Hebraico?



A palavra em hebraico para arco-íris é “keshet”. Interessantemente, a palavra Keshet, além de arco-íris, também significa arco apenas. É bem fácil ver a conexão da palavra arco em português e a conexão em hebraico é a mesma!

Mas por que os hebreus antigos (Moisés em especial) se referiam ao arco-íris como um arco?

A resposta vem da história de Noé e o dilúvio (Gênesis 6-9).
Depois que Deus julgou uma humanidade decadente enviando um dilúvio catastrófico, Ele fez uma promessa muito importante para Noé, que ele nunca mais julgaria o mundo tão forte novamente.
Mais tarde na Bíblia descobrimos o porque, mas aqui começamos a entender porque o arco-íris se transformou em um sinal eterno do perdão e misericórdia Divina.

Afinal de contas, era o arco de guerra de Deus em mostra permanente para que todos possam ver. Desta vez, no entanto, o arco de Deus não estava apontando em nossa direção (terrena), mas na direção da residência Divina.


Continuemos a explorar as riquezas da Bíblia Hebraica e juntos entenderemos os tesouros revelados pela Bíblia Sagrada.  

Padre é encontrado morto de forma violenta nos EUA

Open in new windowUm padre católico foi encontrado morto nesta quarta-feira na casa paroquial de sua igreja, em Eureka, no estado americano da Califórnia.

Dado o estado em que foi encontrado o corpo – com marcas de violência, segundo a rede CNN – a polícia descartou a hipótese de suicídio e iniciou uma investigação de assassinato, confirmou o chefe de polícia Andy Mills, mas ainda não há suspeitos.

O prefeito de Eureka, Frank Jager, identificou a vítima como o reverendo Eric Freed, a quem ele chamou um amigo e uma "tremenda pessoa nesta comunidade". Freed estava em Eureka, pequena cidade costeira do norte da Califórnia situada a cerca de 440 quilômetros ao norte de San Francisco, há três anos e era responsável pela igreja e paróquia de St. Bernard, onde foi encontrado.

As autoridades locais fecharam a igreja e já começaram a ouvir pessoas próximas ao padre, que frequentavam suas missas e acompanhavam seu cotidiano. O carro que Freed usava, um Nissan Altima 2010, está desaparecido, mas o chefe de polícia afirmou que ainda não há nenhuma relação direta com o sumiço do automóvel e morte do padre.


FOLHA GOSPEL

Golpe é dado em nome de igreja que requer mais de R$ 4 mi para reforma


Há cerca de 15 dias, pessoas estão aplicando golpes em Caruaru, no Agreste pernambucano, usando o nome da Catedral de Nossa Senhora das Dores, que “precisa de mais de R$ 4 milhões para conclusão das obras”.

A informação é do monsenhor José Heleno dos Santos - ele recebeu ligações de comerciantes do município, informando sobre a ação criminosa. Os valores pedidos pelos golpistas não foram ditos.

Ainda segundo ele, o golpe é praticado por um grupo. “Adultos e adolescentes se apresentam como sendo de um colégio da cidade e pedem ajuda. Mas, para colaborar, a gente dá um documento oficial da Diocese de Caruaru, que eles não tinham”, diz. Monsenhor José Heleno informa também que há uma rifa de um televisor de 42 polegadas, ao valor de R$ 5, para ajudar nas despesas, bem como um carnê. A população pode identificar os papéis pelo carimbo da secretaria da Paróquia de Nossa Senhora das Dores ou pode tirar dúvidas pelo telefone (81) 3721-1642.

As ocorrências dos golpes não foram registradas na polícia.

Valor da reforma
“Já há três anos que estamos nessa reforma e não existe data para terminar porque nós não temos dinheiro. A gente vai arrecadando – faz um movimento, faz outro, aos poucos”, conta o monsenhor José Heleno. O bispo da diocese, Dom Bernardino Marchió, afirma que “em muitas vezes, quando se faz uma campanha, alguém quer se aproveitar”.

O valor de mais de R$ 4 milhões para as obras é uma estimativa, não existe um projeto por enquanto. “A catedral tem uma arquitetura moderna, com vitrais e formas diferenciados, e, por isso, as obras são difíceis. Não temos sempre os profissionais que sabem reformar”, explica Dom Bernardino.

Fonte: G1

Religiosos falam da importância do Ano Novo para cada igreja


No primeiro dia de 2014 a sensação é de que as energias se renovam e a expectativa é que o ano que se inicia seja o melhor de todos. A virada do ano é uma data importante em algumas religiões.

Na igreja batista, uma das mais tradicionais, a data significa agradecimento, como explica o pastor da Igreja Batista de São Vicente Gilberto Furtado. “A igreja batista, como as igrejas evangélicas de uma forma geral, vê a passagem de ano como uma grande oportunidade. Primeiro para agradecer a Deus pelo ano que passou e com muita expectativa para que o ano que se inicia seja um ano muito abençoado”, explica.

Já para os espíritas, a passagem de ano é tempo de reflexão. “Na verdade a vida é contínua, essa etapa de início e fim de ano para a gente projetar é simbólica, isso mobiliza todos os corações. Com o ano novo chega, praticamente, para que nós tenhamos uma noção de desempenho, se nós estamos crescendo, o que ficou pendurado, o que precisa ser lembrado para que nós cresçamos em espírito e verdade”, afirma o líder kardecista Hélio Queija.

Já para o pastor Natalino Gabriel do Prado, da igreja Cristo é a Resposta, o final do ano representa mudança. “A gente vive, vive, vai passando, mas parece que a gente tem a oportunidade de estabelecer uma nova fase na nossa vida. O que a gente muitas vezes comenta é que o nosso futuro está limpo, em branco e nós estamos escrevendo o dia a dia”, explica.

Os três líderes religiosos estão otimistas para o novo ano. “Esse é o nosso desafio, abramos o nosso coração para que Jesus e Deus tenham lugar no nosso desempenho. Sejamos nós instrumentos da paz, sustentando permanentemente no nosso dia a dia”, afirma o líder kardecista.

“Nosso desejo é que as pessoas sonhem muito, quanto maiores são seus sonhos, você esta declarando quão grande é o nosso Deus. E não desista, mesmo em momentos de trevas, porque os sonhos sempre nascem na luz, não desista por mais que as situações sejam contrárias, não existe vitória sem luta’, diz o pastor da Igreja Batista.

A mensagem do pastor da igreja Cristo é a Resposta deseja que o ano de 2014 seja especial. “Que Deus abençoe muito, que este ano seja especial, um ano de vitória sobre a sua vida. Mas o conselho é que seja forte e corajoso, levanta a tua cabeça porque a decisão é nossa, mas a bênção vem de Deus”, finaliza.

Fonte: G1

Foto de Beyoncé com a “Última Ceia” gera especulações sobre os Illuminati

Foto de Beyoncé com a “Última Ceia” gera especulações sobre os IlluminatiBeyoncé quer tomar o lugar de Jesus?
No início de 2013, Beyoncé, 32, e as supostas ligações da cantora e de seu esposo, o rapper Jay-Z, com o movimento Illuminati renderam muitas especulações. Quando sua filha nasceu e foi batizada como Ivy Blue, boatos davam conta que Ivy seria uma sigla, Illuminati very youngest [A mais nova membro do Illuminati] e Blue também, Born living under evil [Nascida e criada pelo mal].Outros diziam que Ivy Blue ao contrário, Eulb Yvi, significaria “filha do Diabo” em latim.
Durante sua apresentação na final do campeonato de futebol americano, em fevereiro, se espalhou rapidamente pela internet boatos de que ela divulgou com um sinal secreto a sua ligação com os Illuminati, sociedade que defende uma Nova Ordem Mundial. Essa reunião de influentes líderes políticos e financeiros que adoram a Satanás e que dirigiriam os rumos do planeta mundo. Essa influência vai desde a presidência de Obama até o sionismo, passando pela ONU, leis sobre armas, o aborto e muito mais. A seita tornou-se popular após o sucesso do livro “Código da Vinci”, onde mostraria seu poder sobre a Igreja Católica.
A cantora nunca se pronunciou oficialmente sobre o assunto, mas no último dia do ano surgiu uma nova polêmica envolvendo Beyoncé e sua ligação com um movimento satanista.
beyounce ou jesus
Durante sua viagem a Miami, a cantora publicou no Instagram uma foto em frente a uma reprodução do famoso quadro “Santa Ceia”, de Leonardo da Vinci dentro da casa de sucos Jugofresh. Contudo, ela ficou bem no centro, e seu rosto cobriu o lugar do de Jesus.
O imbróglio deu origem inclusive a um novo termo, “Beysus”. Surgiu uma enxurrada de críticas e de acusações nas redes sociais, especialmente por parte dos cristãos. Enquanto isso, muitos de seus fãs defendiam a cantora. Como é comum nesses casos, houve quem a condenasse ao inferno e quem iniciasse uma corrente de oração pela conversão dela. Com informações Daily Mail.

Órgãos vitais de Sharon deixam de funcionar normalmente, diz hospital

O primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon fala em uma conferência de imprensa em maio de 2001, em seu escritório de Jerusalém. (Foto: Natalie Behring/AFP)Primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, em 2001
(Foto: Natalie Behring/AFP)
Vários órgãos vitais do ex-primeiro-ministro israelense Ariel Sharon deixaram de funcionar normalmente, afirmou nesta quinta-feira (2) o diretor do hospital de Tel Hashomer, perto de Tel-Aviv, onde ele está internado.
"Nos últimos dois dias, acompanhamos uma degradação de vários órgãos vitais de Ariel Sharon, que são fundamentais para sua vida", declarou Zeev Rotstein na porta do hospital, segundo a agência France Press.
Em coma desde 2006, Sharon está em situação crítica "com algum perigo de vida", informaram os médicos.

Ariel Sharon, de 85 anos, se encontra hospitalizado no centro Shiva do hospital Tel Hashomer e sofre de "graves problemas renais" depois de uma intervenção cirúrgica.
Ele sofreu um derrame em 4 de janeiro de 2006, quando ainda era premiê, e desde então está em coma, já que seus filhos decidiram mantê-lo vivo através de aparelhos.Sharon nunca manifestou nenhum sinal de voltar a si.
Segundo o site Ynet, que cita fontes médicas, Sharon foi levado ao serviço de emergência há um mês.Posteriormente, seu estado ficou estável, mas, alguns dias depois, sua saúde voltou a se deteriorar.

G1

Crescimento dos “sem religião” em todo o mundo preocupa líderes evangélicos


Os "sem religião" já são o terceiro maior grupo “religioso” do mundo, atrás de cristãos e muçulmanos. Os bancos vazios refletem-se no número recorde de igrejas fechadas ou vendidas.

Os autores Thom e Joani Schultz dedicam-se a fazer estudos constantes sobre como ajudar as igrejas a se fortalecerem. Afirmam serem consultores e já escreveram um livro polêmico anos atrás chamado “Why Nobody Learns Much of Anything in Church Anymore” [Por que ninguém mais aprende muita coisa na igreja]. Eles afirmam terem ficado muito preocupados após uma pesquisa conduzida por eles indicar que:

12% dos presentes afirmam lembrar o conteúdo do sermão no dia seguinte

90% afirmam que pensam em outras coisas durante o sermão

33% acham os sermões “longos demais”

11% dos homens e 5% das mulheres afirmam que o sermão dominical é a principal maneira como eles aprendem sobre Deus

Seu novo livro, “Why Nobody Wants to Go to Church Anymore” [Por que Ninguém mais quer ir à Igreja] promete ser igualmente polêmico. Assim como no primeiro, lideranças cristãs afirmam que a Igreja não é um esforço puramente humano e, por isso, as conclusões não podem ser aceitas sem questionamentos.

O fato é que em muitos países historicamente cristãos, principalmente na Europa e nos EUA, a frequência aos cultos diminui a cada ano. Cada vez mais, os bancos vazios aos domingos refletem-se no número recorde de igrejas fechadas ou vendidas para a abertura de templos para muçulmanos ou lojas.

No livro lançado este mês, os autores procuram fornecer algumas respostas, com destaque para as “quatro soluções possíveis” para o problema. Thom Schultz e sua esposa dizem que algumas das causas estão relacionadas com tendências sociais e culturais, mas para ele o problema pode ser identificado no mundo todo, especialmente entre os mais jovens.

Schultz disse que é uma questão complexa, pois a cultura atual questiona como nunca as crenças e o estilo de vida dos cristãos. Afirma ainda que as pessoas não querem simplesmente ser ministradas em um sistema de comunicação unidirecional, pois estão acostumadas a fazer parte de um debate constante nas redes sociais.

Os quatro aspectos principais de seu estudo, considerado por ele os “motivos” são:

1) As pessoas sentem-se julgadas na igreja. Como solução, ele propõe a “hospitalidade radical”. Isso significa aceitar a pessoa como ela é, mas sem concordar com o que ela faz. “Essa nada mais é que uma abordagem semelhante à que Cristo usava”, garante.

2) Falta de diálogo no que se refere ao ensino. Para Schultz é necessário existir uma “conversa sem medo”, que significa considerar os vários pontos de vista, ao invés de simplesmente oferecer palestras com o assunto já decidido. “As pessoas querem ser envolvidas na conversa sobre a fé”, por isso incentiva que as igrejas estejam mais abertas para ouvir opiniões.

3) Para a maioria dos não-crentes, “os cristãos são hipócritas” e essa percepção só aumenta com os casos de escândalo financeiros e sexuais em alguns meios. Por isso, o autor está pedindo “humildade genuína”. Defende que as igrejas não devem querer estar acima desses problemas sem oferecer soluções e mostrar na prática que isso é uma generalização.

4) É enorme o número de críticos argumentando que Deus está distante ou morto e por isso o mundo está nesse estado atual. Schultz acredita que as igrejas precisam voltar a sintonizar suas mensagens na pessoa de Deus. “Muitas igrejas já se esqueceram de falar sobre Deus, falam apenas sobre o que ele fazia nos tempos bíblicos”, afirma. A ênfase exagerada nos benefícios materiais que a fé pode trazer também contribui para que as pessoas percam a noção de elementos como graça e pecado, vendo sua relação com Deus como apenas uma troca de ofertas por bênçãos.

O Centro Pew de Pesquisa sobre Religião e Vida Pública, realizou um estudo demográfico abrangente em grande parte dos países do mundo.
A pesquisa incluía estatísticas e análise de tendências para as próximas décadas. Uma de suas principais conclusões é o rápido crescimentos dos “sem religião”, especialmente em países tradicionalmente cristãos.

Eles já são o terceiro maior grupo “religioso” do mundo, atrás de cristãos e muçulmanos. Cerca de uma em cada seis pessoas do mundo (16,3%) afirma ser “sem religião”. A maioria deles afirma que, embora tenha suas crenças particulares, não se identifica com nenhuma religião “oficial”.

Schultz acredita que essa tendência pode ser revertida caso as igrejas sejam mais relevantes em suas mensagens, especialmente se posicionando biblicamente sobre questões como desigualdade social, cuidado com o meio-ambiente, e tantas outras “perguntas que todos estão se fazendo”.

O autor mencionou a homossexualidade como um exemplo de assunto que rapidamente é abordado pelos pastores, que se esquecem que existem muitos outros tipos de imoralidades que eles parecem não ver.
“Eu acredito que a igreja pode prosperar de novo”, disse ele, observando que para isso é necessário mudar a metodologia, não a mensagem.

Fonte: Gospel Prime com informações de The Blaze.

PM encontra lista de tráfico interno até dentro de bíblia em presídios



Além de mais de 300 armas brancas, como facas e chuços, 32 celulares, bebida alcoólica e drogas encontradas durante revista no Complexo Penitenciário de Pedrinhas e na Central de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ) do Anil, a Polícia Militar encontrou também listas de tráfico interno na Central de Custódia de Presos de Justiça de Pedrinhas e no Presídio São Luís 2.
Polícia Militar durante revista realizada na terça-feira, no Complexo de Pedrinhas (Foto: Biné Morais/O Estado)"Encontramos lá dentro cadernos, folhas, que funcionam como uma espécie de caderno de contabilidade, onde estariam descritas as encomendas, quem devia, quanto devia. Achamos esses 'controles' escritos até em bíblia. Tudo que foi apreendido vai ser encaminhado à Polícia Civil, para a comissão de delegados definida pela governadora Roseana Sarney, para que seja feita a investigação, dentro de todos os procedimentos previstos", afirmou o comandante do Batalhão de Choque da PM, tenente coronel Raimundo Sá. 
De acordo com o coronel Ivaldo Barbosa, comandante do Policiamento Especializado, durante a noite dessa terça-feira (31) houve um princípío de tumulto no Presídio São Luís 2, mas foi contido pelo policiamento.

"Um dos motivos foi porque eles não tiveram indulto. Falaram em quebra-quebra, em fazer zuada, mas, como viram que nos antecipamos, resolveram se acalmar. Temos uma força de 24 horas de prontidão. É importante lembrar que ninguém está ali de graça. Todo mundo que está ali está pagando por alguma coisa. Tem que ser linha dura", reiterou.
Facas e chuços apreendidos dentro dos presídios (Foto: Reprodução/TV Mirante)Facas e chuços apreendidos dentro dos presídios (Foto: Reprodução/TV Mirante)
Policiais do Batalhão de Choque da PM fazem a segurança do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, desde a última sexta-feira (27), após o sistema carcerário da capital maranhense entrar em colapso.
"A operação nos presídios continua até a governadora dizer que acabou. Em princípio, são 90 dias. Por dia, entregamos 40 homens da PM para a segurança nas unidades mas, para missão, como revistas, triplicamos esse número. Além disso, há o auxílio da Força Nacional. Em média, são de 120 a 150 homens", explicou Sá.

G1

Quase meio milhão de cristãos no Iraque estão em constante perigo


Desde 2003, dezenas de igrejas e casas de culto foram alvos, matando 900 pessoas e ferindo 6 mil. No dia do Natal deste ano, cerca de 30 pessoas foram mortas nas áreas cristãs de Bagdá, capital do país.

Em outubro de 2010, uma igreja cristã foi atacada durante a missa de domingo, deixando 94 pessoas mortas ou gravemente feridas, de acordo com Rimon Albeer Misattr (33), um membro da minoria cristã no Iraque.

"As vidas de quase meio milhão de cristãos no Iraque estão em constante perigo", conta Rimon.

"Desde 2003, dezenas de igrejas e casas de culto foram alvos, matando 900 pessoas e ferindo 6 mil", lembra.

Os ataques a cristãos no Iraque muitas vezes os expulsam de sua terra natal para o centro e o norte do país, especificamente Erbil, a capital da região curda do Iraque, explica Rimon. "Como somos internamente deslocados, muitas vezes é difícil encontrar trabalho por causa do excesso de população em muitas dessas cidades."

Rimon diz que a educação é outra área de preocupação para os cristãos internamente deslocados no Iraque. "Muitos estão fora do sistema de ensino há sete anos, esperando sua situação se resolver", diz ele. Após o centro e o norte do Iraque, Rimon explica que os cristãos muitas vezes procuram asilo na Turquia, Jordânia, Líbano e Europa.

Como um dos 13 bolsistas selecionados para participar do Programa de Bolsas das Minorias de 2013 do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) em Genebra, Rimon recebeu a oportunidade de aprender sobre o sistema da ONU, instrumentos e mecanismos de direitos humanos. Após completar o programa de treinamento, cuja primeira edição foi em 2005, os bolsistas também participaram da 6ª sessão do Fórum sobre Questões das Minorias, intitulada "Além da liberdade de religião ou crença: Garantindo os direitos das minorias religiosas".

O fórum anual fornece uma plataforma para promover o diálogo e a cooperação sobre as questões das minorias, assim como uma oportunidade para compartilhar as melhores práticas, analisar os desafios e criar oportunidades para a posterior implementação da Declaração sobre os Direitos das Pessoas Pertencentes a Minorias Nacionais ou Étnicas, Religiosas e Linguísticas.

Rimon, que é um correspondente do canal ISHTAR TV Broadcasting no Iraque, participou do programa para aprender sobre mecanismos de direitos humanos e para entregar a mensagem de seu povo. "Como jornalista, eu me esforço para expor o problema", diz.

Segundo ele, depois de 2003, novas facções sectárias e doutrinárias criaram tensões e reforçaram questões de segurança no Iraque, incluindo para a minoria cristã. Além disso, avalia, o Estado não tem fornecido a segurança e a proteção necessárias para seus cidadãos.

Rimon também afirma que muitos, particularmente na cidade iraquiana de Mosul, sofrem da incapacidade de vender ou alugar suas casas quando são expulsos de sua terra natal.

Na apresentação em Genebra, Suíça, o jornalista apelou pela integração do ensino de direitos humanos no currículo escolar iraquiano e pediu aos países anfitriões que forneçam condições decentes de vida para os cristãos iraquianos requerentes de asilo.

Após participar das cinco semanas do Programa de Bolsas para Minorias, Rimon planeja usar seu novo conhecimento adquirido para aumentar a consciência global das questões pertinentes à minoria cristã do Iraque.

Segundo relatos, no dia do Natal deste ano, cerca de 30 pessoas foram mortas nas áreas cristãs de Bagdá, capital do país. Um dos muitos ataques naquele dia incluiu um carro-bomba, que explodiu quando fiéis deixavam uma missa.

Fonte: ONU via UOL

Ele voltou: AndersonSilva , as muletas e um sorriso

UntitledAnderson foi diretamente para Los Angeles após ter alta, e pôde passar a virada do ano com a família. Ele deixou o hospital pelos fundos, no começo da tarde de terça-feira, e rumou para casa para uma recuperação estimada em 6 a 9 meses, segundo os médicos do UFC.
O lutador fraturou a tíbia e a fíbula no segundo round da luta principal do UFC 168, na revanche contra Chris Weidman, quando deu um chute baixo com a perna esquerda e foi bloqueado pelo campeão.
Ainda não se sabe se a recuperação de Anderson terá como objetivo uma volta ao octógono ou se o brasileiro partirá para a aposentadoria, aos 38 anos.

VIA G.A

Internautas criam campanha contra revista Veja por deixar Marco Feliciano de fora da lista de personalidades do ano


Enquanto o portal UOL colocou o pastor Marco Feliciano (foto) na lista e o público o colocou em segundo lugar entre os mais influentes de 2013, a revista Veja deixou Feliciano fora de sua lista.

Em 2013, um dos nomes mais comentados na política e na sociedade brasileira foi o do pastor Marco Feliciano (PSC-SP), devido às polêmicas em que se envolveu quando foi acusado de homofobia e racismo e também por ocupar a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM).

A revista Veja tradicionalmente faz uma lista de personalidades do ano, e em sua edição de 2013, Marco Feliciano não apareceu. O portal Uol, um dos que mantém a mesma prática, colocou o pastor na lista e o público o colocou em segundo lugar das personalidades mais influentes nos últimos 12 meses.

Internautas criaram no Twitter uma campanha de protesto contra a Veja por deixar o pastor de fora. As alegações dos admiradores de Feliciano era que ele foi um dos políticos com maior exposição na mídia.

O próprio Marco Feliciano comentou a postura da Veja e explicou que foi procurado por uma das repórteres da revista, que tentou agendar entrevista e uma sessão de fotos para a matéria especial, mas o contato não foi adiante.

“Estava lendo minha timeline, e li alguns comentários sobre a Veja não ter me citado sobre personalidade do ano. Agradeço a jornalista da Veja, Thaís Botelho , por me procurar para a tal citação. Entendi que o Editor-Chefe da @VEJA não aceitou, ou seja, boicote mesmo, mas mesmo assim obrigado a Thaís. Escrevi estes posts só pra informar aos meus seguidores que a Veja se lembrou de mim sim… (risos) Abraços”, escreveu o pastor.

VIA GRITOS DE ALERTA .
INF. G+

Seguidores de pastor tentam dar golpe de Estado

Seguidores de pastor tentam dar golpe de EstadoSeguidores de pastor tentam dar golpe de Estado
Segundo informações oficiais da República Democrática do Congo, 103 pessoas morreram nos ataques realizados nos últimos dias do ano nas cidades de Kinshasa e Lubumbashi, as principais do país.
“O balanço final é pesado, muito pesado (…) O resultado definitivo desta ofensiva terrorista é de 103 mortos, incluindo 95 terroristas e 8 elementos das Forças Armadas”, explicou Lambert Mende, porta-voz do governo.
Um dos aspectos inusitados e pouco divulgados pela imprensa é que esse “bando de terroristas” que realizou os ataques era formado em parte por fiéis de uma igreja evangélica.
Armados com facões e revólveres, eles atacaram a estação de televisão estatal, o aeroporto e a principal base militar na capital do Congo, mas foram repelidos por militares.
O porta-voz do governo explicou que 16 pessoas foram mortas na base militar, 16 no aeroporto e oito na estação de TV. Outros seis foram capturados, disse ele.
Parte da tentativa de golpe foi transmitida pela Televisão Nacional Congolesa, que estava transmitindo ao vivo quando foi invadida. Os homens que invadiram o estúdio se identificaram como seguidores do pastor Joseph Mukungubila Mutombo. Considerado um profeta no país, Mukungubila foi candidato na eleição presidencial de 2006. Ele perdeu para Joseph Kabila, que é o atual presidente.
Os homens que atacaram a estação de televisão disseram que tinham uma mensagem para compartilhar, mas o sinal foi cortado antes que pusessem entregá-la. Segundos funcionários da emissora, antes de serem presos, os homens gritaram nos corredores “Mukungubila veio para libertar Congo da escravidão que nos foi imposta por Ruanda.”
Segundo o porta-voz da presidência, o pastor Mukungubila está foragido e é considerado parte da tentativa de golpe.
Com 66 milhões de habitantes, o Congo é uma das maiores nações africanas e considerada uma das mais pobres do mundo. O país vive um clima de instabilidade política desde 2001, quando ocorreu o assassinato de Laurent Kabila, pai do atual presidente. Ele vem ganhando as eleições desde então, mas é acusado por seus opositores de fraudar todas elas. Com informações Scotsman

Evangélicos preferem passar virada do ano na igreja


Evangélicos preferem passar virada do ano na igrejaEvangélicos preferem passar virada do ano na igreja
Igrejas de diversas denominações realizam cultos especiais agradecendo à Deus pelo ano que se finda, e entregando o novo ano nas mãos do Criador.
Foi essa a escolha de Andressa Lemos que respondeu a enquete dizendo que passaria a virada do ano “no melhor lugar do mundo! Na casa do Senhor, de joelhos, aos pés do Salvador!”
Outros usuários da rede social fizeram a mesma escolha e boa parte deles vão acompanhados de sua família. “Na Igreja com meu esposo agradecendo a Deus pela família, saúde, amigos e por tudo que tens feito em nossas vida”, relatou Livyanne Aragão.
A segunda opção mais citada pelos internautas é passar a virada de ano com a família, viajando ou em suas próprias casas. Muitos, inclusive, até realizam pequenos cultos em suas casas.
Para o pastor Zwinglio Rodrigues não há regras para que as denominações promovam cultos especiais para réveillon. Como líder da pastor da Igreja Batista Viva, ele não realizou esse tipo de comemoração.
“Penso que cada igreja deve sentir-se a vontade para fazer o que achar melhor. Virada de ano com um culto congregacional não pode nem deve ser regra, nós, por exemplo, não tivemos culto.”
Em grandes ministérios, como por exemplo Igreja Renascer em Cristo e Ministério Internacional da Restauração, os cultos de virada fazem parte do calendário oficial das igrejas e é durante o culto de réveillon que os apóstolos entregam a palavra profética para o ano todo.

GP

O QUE SIGNIFICA 5777--"LEI PERFEITA, LEI DA LIBERDADE"

(TG 2:8; 1:25)(ler -2 Co 3:16 a18)."SE CRISTO VOS LIBERTAR SEREIS VERDADEIRAMENTE LIVRES."(JO 8:36)-- Para que...