quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

APOSTASIA DOS FINAIS DOS TEMPOS . PASTOR ABENDONA SUA FÉ EM JESUS E SE CONVERTE AO ISLÂMISMO .



Pastor Presidente da Assembleia de Deus de Madureira em PB se converte ao IslamismoMuitos fatos marcaram a permanência do Pastor João de Deus Cabral a frente da Assembleia de Deus de Madureira na Paraíba. Presidente da Igreja na Paraíba e Secretário Nacional da Igreja no Brasil durante 15 anos, não foram suficientes para ser arrebatado ao Islamismo e servir ao Deus Allah.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
A revelação foi feita por João de Deus Cabral durante a madrugada deste sábado ao Programa Sales Dantas na TV Litoral/TV Diário. João de Deus agora tem como principal objetivo de sua vida será servir a Alá e construir uma mesquita nos próximos meses na Paraíba.
João de Deus revelou que durante muito tempo servindo na Assembleia de Deus e proferindo palestras pelo Brasil, sempre era indagado sobre o significado do Natal, sobre a Santa Trindade. Essa busca e interrogações levaram a um estudo interno e a busca pela verdade.
 Viajou por vários países e chegou a conclusão após 5 anos que não existe a Santa Trindade e que o natal não representava o nascimento de Cristo. Para João de Deus, nome de batismo mesmo, essas datas foram criadas por um imperador de Roma, como forma de estabelecer uma data única que comemorasse dia 25 de dezembro o dia do Deus Sol, mudando logo após para chamarem de nascimento de Cristo, o sol da justiça.
O ex-pastor da Assembleia de Deus na Paraíba agora se diz agora muçulmano porque não é contra os Profetas Abraão, Jacó, Isaac, Ismael, Moisés ou Jesus (que a paz esteja com todos eles), mas porque vai procurar seguir os ensinamentos recebidos por eles revelados pelo nosso Único Deus, o Altíssimo.
- Sou muçulmano não por imposição ou submissão a qualquer lei humana, mas porque aprendi a submeter-me voluntariamente a vontade de um Deus amoroso, que embora não seja meu pai, age muitas vezes como tal admoestando-me através de suas palavras presentes em seu Alcorão.
Pois Ele é Clemente e Misericordioso. Não porque eu é que seja superior a ele, mas porque Allah é muito superior a nós dois. Allah hu Akbah! (Deus é Maior!). – diz o ex-pastor.
João de Deus aproveitou para convidar a todos para uma palestra Palestra sobre a Fé e Crenças Islâmicas, que será realizada no próximo dia 30 do mês em curso, no Auditório do Hotel Xênius, localizado na Praia de Cabo Branco, que será proferida pelo Sheikh Mabrouk El Sawy Said, dirigente do Centro Islâmico do Recife.



Afegã que teve rosto mutilado pelo marido islâmico conclui reconstrução facial nos EUA

Três anos após se tornar mundialmente conhecida ao ter o rosto mutilado estampado na capa da revista norte-americana "Time", o que provocou comoção mundial, a afegã Aesha Mohammadzai tem um novo rosto e uma nova vida. Ela concluiu a reconstrução facial e mostrou os detalhes de sua recuperação em reportagem do britânico Daily Mail.

  • Em 2010, sua imagem estampou a capa "Time"
  • "Estou feliz com meu novo rosto", afirmou Aesha, que teve o nariz e a orelha cortados pelo marido
  • Aesha posa com um nariz protético em Beverly Hills, na Califórnia, em outubro de 2010
"Estou feliz com meu novo rosto", afirmou Aesha.
Em 2012, ela declarou à rede de TV norte-americana "CNN" não ter mais medo de se olhar no espelho.
"Eu não me importo. Todo mundo tem um problema. No começo, eu ficava assustada. Tinha medo de olhar no espelho", afirmou. "Agora eu não tenho mais medo. Agora eu entendo o sentido da minha vida", continuou.
Aesha foi torturada pelo marido após tentar fugir de casa, no Afeganistão, para evitar um casamento forçado.
Ela teve o nariz e a orelha cortados durante a tortura, e a imagem de seu rosto, clicada pela sul-africana Jodi Bieber, foi vencedora no concurso World Press Photo, um dos mais cobiçados do fotojornalismo.
"Eu quero dizer a todas às mulheres que sofrem abuso que elas precisam ser fortes", afirma Aesha, que tinha 18 anos quando foi torturada.
A afegã tornou-se símbolo da opressão às mulheres no Afeganistão.
Aesha foi resgatada por tropas americanas e vive agora nos Estados Unidos, onde iniciou o tratamento de reconstrução facial em um hospital de Bethesda, em Maryland, que hoje está concluído.
Como parte do tratamento, a testa de Mohammadzai ficou inchada, devido ao implante de uma bolsa de silicone preenchida com líquidos, com a finalidade de expandir sua pele e fornecer tecido extra para o novo nariz. Além disso, foi transplantada pele de seu antebraço para a parte do nariz, com o objetivo de cobrir o buraco causado pelas mutilações.
O próximo passo foi pegar a cartilagem das costelas, que foi usada para fazer o novo nariz.

Recomeço

Quando Mohammadzai tinha 12 anos, seu pai a prometeu para um militante do Taleban, a fim de pagar uma dívida. A afegã foi para a nova família, que abusava dela e até a forçava a dormir com animais em um estábulo.
Ao tentar escapar, foi pega e seu nariz e orelhas foram cortados pelo marido, como punição.
"Quando eles cortaram meu nariz e as orelhas, eu desmaiei. No meio da noite, parecia que havia água fria no meu nariz. Abri meus olhos e não conseguia notar o que havia acontecido por causa de todo o sangue", ela disse à "CNN".
Deixada para morrer nas montanhas, ela se arrastou até a casa do avô e seu pai conseguiu levá-la para uma instalação médica americana, onde recebeu cuidados médicos durante dez semanas, até ser transferida para Cabul, capital do Afeganistão, e ser levada em um voo para os Estados Unidos, para morar com uma nova família.
Aisha, que nunca frequentou a escola nem comemorou nenhum aniversário, até hoje prefere ver filmes de Bollywood (a indústria de cinema indiana) a assistir a televisão americana.
A ONU estima que cerca de 90% das mulheres do Afeganistão sofrem algum tipo de abuso doméstico.

VIA  GRITOS DE ALERTA / CNN

Delegada convoca arcebispo para depor sobre extorsão no caso de padre indiciado por estupro

O padre Emilson deixa a delegaciaO arcebispo de Niterói Dom José Francisco Rezende Dias foi convocado para depôr até sexta-feira no caso do padre Emilson Soares Corrêa, que foi filmado quando fazia sexo com uma jovem de 15 anos na casa paroquial da Igreja Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, no bairro do Cubango, em Niterói. Segundo a delegada Marta Dominguez, ele é testemunha do crime de extorsão cometido pelo pai das meninas, que seriam vítimas do estupro. O sacerdote já foi indiciado pelo estupro das duas irmãs e o pai vai responder por extorsão.
O padre Emilson deixa a delegacia Foto: Bruno Gonzalez / Extra

A delegada afirma que a convocação do arcebispo foi feita, porque ele teria participado de um encontro com o pai das meninas, na Arquidiocese, em novembro. Nesse encontro, segundo testemunhas do caso, o pai teria pedido uma casa em troca do vídeo em que o padre é flagrado fazendo sexo na casa paroquial com uma menina de 15 anos. Na ocasião, o pai cobrou a excomungação do padre.
- Eu preciso ouví-lo porque ele seria uma pessoa isenta no episódio - disse a delegada.

O advogado do padre Emilson, Roberto Vitagliano, confirma a existência deste encontro. Ele foi realizado em 23 de novembro e participaram a família inteira da menina, o advogado da arquidiocese, o advogado do padre e o arcebispo. Segundo Vitagliano, o pai também teria pedido casa e dinheiro. O pai das duas meninas nega a acusação:
- Em momento algum pedi dinheiro. Só queria auxílio psicológico para as meninas.
Padre também era padrinho da vítima
Padre também era padrinho da vítima Foto: / Reprodução

Links Patrocinados



FONTE .  http://extra.globo.com/casos-de-policia/delegada-convoca-arcebispo-para-depor-sobre-extorsao-no-caso-de-padre-indiciado-por-estupro-7692163.html#ixzz2MBbo3cgw

Pesquisa identifica clero que colaborou com ditadura militar

As Igrejas Cristãs que atuam no Brasil de forma ecumênica deverão dispor ainda este ano de informações sobre a colaboração de padres, bispos, pastores e leigos com a repressão política durante a ditadura de 1964.

Um grupo de pesquisa, integrado por cientistas sociais e políticos, além de líderes eclesiásticos, já está dando os primeiros passos para realizar essa tarefa.

Antes mesmo de serem iniciados os trabalhos, já foram identificados vários colaboradores, entre os quais três arcebispos já falecidos. São eles o ex-arcebispo de Belém (PA), d. Alberto Gaudêncio Ramos e seus colegas, da corrente tradicionalista da Igreja, d. Geraldo Sigaud, de Diamantina (MG), e d. Antônio de Castro Meyer de Campos (RJ), um dos fundadores, ao lado de Plinio Corrêa de Oliveira, da organização de extrema-direita Tradição, Família e Propriedade, a TFP.

D. Alberto era uma das principais fontes de denúncias contra os seus colegas e subordinados, na Igreja Católica da Amazônia. Já d. Sigaud liderou uma campanha contra seu colega d. Pedro Casaldáliga, de São Félix do Araguaia e contra d. Tomás Balduíno, da ordem dominicana, de Goiás Velho/GO. Com base em dossiês preparados por Sigaud e Meyer, o governo militar decidiu expulsar Casaldáliga do Brasil. Para a ditadura, d. Pedro, por ser catalão, estava proibido de denunciar problemas brasileiros, como o fez em uma carta em que denunciava o caráter escravocrata do latifúndio na região amazônica.

A ameaça de expulsar Casaldáliga provocou uma discreta, mas objetiva e imediata reação do papa Paulo VI. Em reunião com seu staff, declarou que pela primeira vez na história da diplomacia do Vaticano, a Igreja poderia romper as suas relações com o Brasil. À ameaça abortou, de acordo com o relato do ex-cardeal arcebispo de São Paulo, d. Paulo Evaristo Arns.
D. Eugênio
Entre as personalidades da Igreja permanentemente vigiadas por colaboradores da repressão está também incluído o ex-cardeal arcebispo do Rio de Janeiro, d. Eugênio de Araújo Sales. Investigações oficiosas em andamento, feitas por organizações de Direitos Humanos, indicam que d. Eugênio era espionado por assessores do seu próprio staff. A mesma espionagem atingiu um outro arcebispo de Natal/RN, d. Nivaldo Monte.

Ele promoveu, nos anos 70, uma reunião reservada com o governador do Rio Grande do Norte José Cortez Pereira e o clero arquidiocesano. No dia seguinte, foi convidado a comparecer ao comando do então IV Exército (atual Comando Militar do Nordeste), em Recife, onde foi questionado sobre vários itens de sua palestra para o clero sobre a situação socioeconômica do seu Estado.

Deops

Outro ponto a ser levado ao grupo de trabalho das igrejas é o funcionamento informal e ilegal, durante a ditadura de uma "delegacia" no Deops paulista, no centro paulistano, dedicada especialmente às denúncias de clérigos e de pastores contra seus colegas.

Entre os colaboradores dessa "delegacia" – chefiada pelo delegado Alcides Cintra Bueno – estava o jornalista Lenildo Tabosa Pessoa, do jornal O Estado de S. Paulo. Formado em Filosofia e em Teologia na Universidade Gregoriana de Roma, Lenildo dispunha da formação adequada para participar, até mesmo, no interrogatório de integrantes das pastorais católicas, presos pela repressão...

Fonte: Portal Vermelho

Mãe que perdeu filhos no incêndio em Santa Maria diz que se refugia na Bíblia

 
Mãe que perdeu filhos no incêndio em Santa Maria diz que se refugia na BíbliaElaine Gonçalves, mãe de dois jovens que morreram na boate Kiss, em Santa Maria (RS), esteve nesta terça-feira (26) no programa Mais Você contando como tem convivido com a dor de perder filhos tão jovens.
Nos últimos dois anos ela perdeu quatro familiares, seu esposo, sua mãe e agora dois de seus quatro filhos. “Eu conheci Jesus em 2000 e hoje eu percebo que Deus estava me preparando para estas perdas”, disse ela.
Membro da Igreja Internacional da Graça de Deus, Elaine conta que criou os filhos para o mundo, mas que nunca esperou perdê-los para a morte.
Deivis e Gustavo são retratados pela mãe como homens trabalhadores e ligados à família, a morte dos jovens abalou todos que conviviam com eles e agora Elaine tenta, com seus outros dois filhos e neta seguir em frente pedindo por justiça.
Emocionada, ela mostrou fotos da família e uma Bíblia. “A minha força está aqui e eu peço para que todas as famílias se agarrem a Deus”, disse ela que presenteou Ana Maria Braga com um DVD do filme “Três Histórias e Um Destino”.

GP

Nome “Jesus” agora pertence à empresa de vestuário italiana

                      
Nome “Jesus” agora pertence à empresa de vestuário italianaMichael Julius Anton liderou muito tempo um ministério para solteiros em uma igreja evangélica em Virginia Beach, Virgínia. Quando decidiu criar sua própria marca de vestuário, o nome escolhido foi “Jesus Surfed” [Jesus surfou]. Ele conta que teve a ideia depois de organizar um retiro espiritual na praia com o tema “Andando sobre as águas”. Ele pensou que se Jesus viesse nos dias de hoje, ele seria um surfista. Após criar o site jesussurfed.com, começou a vender camisetas, moletons e bandanas decoradas com uma silhueta de Jesus segurando uma prancha de surf gigante.
Para sua surpresa, quando foi registrar a marca, descobriu que o uso do nome do filho de Deus para roupas já pertencia a outra pessoa.  Um fabricante de calças jeans na Itália registrou o nome nos EUA em 2007. Não se trata de nenhuma imagem ou logotipo especial, apenas a palavra.
Anton disse que pensou em usar outros nomes como “Jesus First”, “Sweet Jesus” e “Jesus Costure”, mas desistiu quando recebeu uma carta da empresa “Jeans Jesus”, dizendo que podia processá-lo por perdas e danos.
Os advogados da empresa italiana dizem que estão apenas tentando proteger o valor de sua marca, como qualquer empresa faria. “Mas se alguma igreja, grande ou pequena, quer usar a palavra ‘Jesus’ em algumas camisetas, não nos importamos”, disse Domenico Sindico, o presidente do conselho de propriedade intelectual da BasicNet SpA, a empresa com sede em Turim, Itália, dona da Jesus Jeans e da marca esportiva Kappa.
A BasicNet tentou registrar a marca “Jesus” mundialmente em 1999, mas foram necessários oito anos para conseguir fazê-lo em alguns países. O nome Jesus está estampado em roupas esportivas, além de jaquetas, coletes, camisas, calças em jeans, além de cintos de couro.
O nome originalmente surgiu na década de 1970, quando Maurizio Vitale, um empresário italiano pensou em usar o nome durante uma viagem a Nova York. Enquanto caminhava ele passou por um teatro que na época apresentava a peça “Jesus Cristo Superstar”.
“Ele entendeu que o nome Jesus podia ser usado em um contexto não religioso, representando a vontade de se rebelar e a recusa em obedecer,” explica Sindico. A marca fez uma série de campanhas que foram criticadas pelo Vaticano. O anúncio mais famoso mostrava uma mulher com o nome Jesus em um minúsculo shorts jeans e a frase “Aquele que me ama, me segue”.
Quando Vitale morreu, em 1987, a marca sumiu. A BasicNet adquiriu a massa falida da Jeans Jesus na década de 1990 junto com outras marcas e decidiu relançá-la em 2011. Mas as tentativas da empresa para emplacar o nome “Jesus” foram rejeitadas em vários mercados como China, Suíça, Austrália, Noruega, Cuba, Turquia, Uzbequistão, Tadjiquistão, e Quirguistão.
Em 2003, o escritório de patentes da Grã-Bretanha rejeitou a tentativa de registro, alegando ser “moralmente ofensiva para o público”, mas a Jeans Jesus teve sucesso em registrar através da União Europeia como uma “marca comunitária”. Ou seja, válida em todos os países da União Europeia.
A Jesus Jeans diz que está planejando uma campanha de marketing internacional, tentando associar a marca a ideias de “solidariedade” e de “sociedade pacífica.” Mas antes, tenta eliminar todas as outras confecções que usam o nome.  Com informações The Blaze e WSJ.

GOSPEL PRIME

Sites de evangelismo converteram 5 milhões de pessoas em 4 anos

 
Existe mais de uma dúzia de países envolvidos no evangelismo pela internet desde o lançamento oficial da rede  Jesus.net em agosto de 2009. Depois de quase 4 anos, o projeto para alcançar essa nova geração acaba de passar a marca de 5 milhões de pessoas que tomaram a decisão de aceitar a Cristo.
Sites de evangelismo converteram 5 milhões de pessoas em 4 anosMenos de quatro anos depois de ser iniciada, a iniciativa que reúne diversos sites em diferentes línguas continua debatendo as melhores formas de alcançar pessoas no mundo virtual que cada vez toma mais tempo da vida dos adolescentes.
Mais de 20 países já fazem parte da rede, incluindo Estados Unidos, República Checa, França, Polônia e Índia. Cada país busca adaptar o conteúdo à realidade cultural de seu país.
“Nós damos todas as graças e toda a glória a Jesus”, comemora Henryk Krol, responsável pelo site da Polônia. ”Há alegria em nossos corações hoje, assim como há alegria no céu por cada pessoa que se arrependeu.”
“Estou muito feliz por fazer parte desta grande equipe”, disse John Martin da Índia. ”Deus está fazendo grandes coisas em meu país.”
Em alguns aspectos, o que aconteceu mais de uma década atrás, quando Deus deu a Eric Celerier, que vive na França, a visão de fazer sites evangelísticos para alcançar “os confins da terra” transformou-se em nada menos que um milagre.
Não apenas pelos 5 milhões de decisões registradas, mas também por todas as vidas transformadas através do materiais disponível e pelo sistema de discipulado online. A rede da Jesus.net não quer que cada novo crente fique só com o discipulado online, mas deseja que todos façam parte de igrejas locais.
SearchforJesus.net , o portal de evangelismo lançado pela Associação Evangelística Billy Graham nos EUA, é o que registra mais decisões. Foram 1,8 milhão de pessoas que disseram ter conhecido Cristo, desde o seu lançamento em 2011. Nele é possível ver um mapa em 3D de onde as pessoas estão declarando que fizeram a oração de sugestão sugerida. Este ano lançará suas versões para as Filipinas, Portugal e México visando atender as pessoas que “procuram por Jesus”, como sugere o nome do site.

GP

“A carne é fraca”, diz advogado de padre pego beijando garotas

          
“A carne é fraca”, diz advogado de padre pego beijando garotasNesta terça-feira (26) o padre Emílson Soares Corrêa, 52 anos, de Niterói (RJ) foi indiciado pela Polícia Civil por estupro de vulnerável por ter relações sexuais com duas meninas. O caso tem sido bastante comentado na região depois que uma das vítimas, hoje com 19 anos, foi até a casa paroquial e filmou a relação sexual com o padre sem que ele percebesse.
De acordo com a denúncia os abusos sexuais acontecem há muitos anos, a garota do vídeo diz que foi molestada pela primeira vez aos 13 anos e sua irmã mais nova diz que foi tocada pelo padre quando tinha 7 anos, hoje ela tem 10. Na delegacia o pai da vítimas diz que nunca desconfiou de nada, por considerar o pároco como um membro da família.
Emílson foi até a delegacia prestar depoimento e acusa a família de pedir dinheiro pela não divulgação do vídeo. Já o advogado do religioso, Roberto Vitagliano, afirma que “a carne é fraca e que o padre é um ser humano”.
“Padre Emílson não é um criminoso. Ele nunca fez nada com a menina que hoje tem 10 anos. Quanto às outras garotas, acredito que ele foi seduzido. São atraentes, bonitas e insinuantes”, diz o advogado.
O caso está sendo investigado pela titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Niterói, Marta Dominguez, que já conversou com os pais das meninas e agora tenta encontrar outras vítimas do padre.
Em seu depoimento o padre afirma que só teve relações sexuais com a mais velha e que esperou que ela tivesse 18 anos. Emílson afirma que está “envolvido emocionalmente” por ela.
Irmão caçula ainda é virgem
As vítimas passaram por exames de corpo de delito e ficou constatado que a criança de 10 anos ainda é virgem, mas a delegada afirma que pode acontecer estupro mesmo sem sexo. “O relato da menina, em que ela afirma que o padre tocou em suas partes íntimas, já basta para a concretização do crime”, diz Marta Dominguez.
Sobre a irmã mais velha não há provas de que ela tenha sido ameaçada ou violentada pelo padre. “Não há nenhuma prova que o padre tenha ameaçado ou violentado ela. Sem contar que ela afirma, em depoimento, ter filmado o padre fazendo sexo com ela quando já tinha mais de 18 anos”.
A Arquidiocese de Niterói suspendeu temporariamente o sacerdote e até que as investigações sejam concluídas ele não estará responsável por nenhuma paróquia. Com informações O Dia.

Joseph Ratzinger deixa Papado e se refugia para abrir caminho ao Conclave

O Papa Bento XVI, durante sua útlima audiência de quarta-feira Foto: EFEA partir das 16h, Joseph Ratzinger deixa de ser o Papa Bento XVI; ele se isolará em Castelgandolfo durante o processo sucessório no Vaticano


O Papa Bento XVI, durante sua útlima audiência de quarta-feira
Joseph Ratzinger fecha nesta quinta-feira o seu ciclo como Papa despedindo-se dos seus cardeiais e buscando refúgio em um castelo isolado para abrir caminho à sua sucessão. Será o ritual final da renúncia anunciada no último dia 11 e que teve o penúltimo capítulo desenrolado nesta quarta-feira, quando o Papa despediu-se da multidão de fiéis aglomerada na Praça São Pedro.

Em contraposição à grande audiência pública de ontem, na qual Ratzinger afirmou renunciar "para o bem da Igreja", o protocolo de hoje será mais reservado. Seu último dia de Papa começa às 11h (7h de Brasília), quando se reunirá privadamente com seu conselho de Cardeais, dos quais irá se despedir formalmente.

Mais tarde, às 16h55 (12h55), Bento XVI locomove-se até o heliporto da Santa Sé e deixa o Vaticano em direação à residência papal de Castelgandolfo, 30 km ao sul de Roma, onde irá isolar-se durante o período do Conclave. Na sua chegada, Bento será recebido por autoridades civis e religiosas e, por volta das 17h30 (13h30), irá ao pórtico da residência de verão dos pontífices para saudar os fiéis daquela diocese.

Este será o último ato público do Papa, e o único sinal visível que anunciará que Bento XVI já não é mais papa será dado às 20h locais, quando a Guarda Suíça que presta guarda na porta do palácio de Castelgandolfo concluirá seu serviço e deixará o local. A partir desse momento, a Guarda Suíça deixará de prestar serviço a Ratzinger (que adotará o título “Papa emérito”), cuja segurança continuará garantida pela Gendarmaria .

Nestes quase oito anos, sempre senti que, na barca, está o Senhor, e sempre soube que a barca da Igreja não é minha, não é nossa, mas do Senhor.
Joseph Ratzinger
Uma vez findo o processo da renúncia, começa o da sucessão.

No dia 1º de março, já em plena Sé Vacante - o período entre o falecimento ou renúncia de um papa até que seja eleito o sucessor -, o decano do Colégio Cardinalício, o cardeal Angelo Sodano, convocará os cardeais às reuniões preparatórias do Conclave, cuja data será decidida nos próximos dias.

Visto que o dia 1º é sexta-feira, o mais provável é que a primeira congregação de cardeais aconteça no dia 4 da semana seguinte. 

Terra